Arquivo da tag: vegetação

População queima vegetação para tentar acelerar passagem da transposição na PB

(Foto: Felipe Valentin / TV Paraíba)
(Foto: Felipe Valentin / TV Paraíba)

Preocupados com a lentidão da passagem das águas da tranposição do Rio São Francisco pelo leito do Rio Paraíba, os moradores da zona rural do município de Barra de São Miguel, no Cariri paraibano, estão ateando fogo na vegetação existente no meio do rio. A intenção é diminuir os obstáculos para que a água consiga passar com maior velocidade e chegue mais rápido ao espelho d’água do açude Epitácio Pessoa, conhecido como açude de Boqueirão. O reservatório está com apenas 3% da capacidade total de água.

Desde a madrugada da última quarta-feira (12), as águas já entraram na bacia hidráulica do açude (área total do que abrange o reservatório), mas o volume do manancial está tão baixo que, ainda na tarde deste domingo (16), faltavam cerca de 4 km para que a água da tranposição encontrasse com a água do açude, que abastece Campina Grande e outras 18 cidades da região.

O pintor Romero Ferreira, de Campina Grande, aproveitou o domingo para viajar até o Cariri para acompanhar a chegada das águas. Ele disse que está preocupado com as barreiras que a água está precisando enfrentar para passar e apoiou a iniciativa dos moradores. “Eu vim de Campina Grande para ver a realidade da água. Tem muitos obstáculos para a água chegar ao açude Epitácio Pessoa. Essa queimada foi o que ajudou. O capim aqui é muito alto. Ele queimando fica melhor”, disse o pintor.

A Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) garantiu que todas as obras e atividades necessárias para que o Rio Paraíba e os açudes recebessem as águas da tranposição foram feitas. Entretanto, na zona rural de Barra de São Miguel e de Cabaceiras, os moradores informam que não viram máquinas ou trabalhadores fazendo limpeza no leito do Rio Paraíba.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo sendo controlado não representa um risco, mas existe a preocupação de que as chamas se espalhem e atinjam outras águas, saindo do controle da população. O G1 tentou encontrar em contato com a Polícia Militar Ambiental, mas as ligações não foram atendidas.

Águas do Rio São Francisco chegam ao leito do Rio Paraíba, em Monteiro (Foto: Artur Lira/G1/Arquico)

Águas do Rio São Francisco chegam ao leito do Rio Paraíba, em Monteiro (Foto: Artur Lira/G1/Arquico)

A transposição

A água da transposição do Rio São Francisco chega à cidade de Monteiro, na Paraíba, através do eixo leste. Neste trecho, a água é captada na cidade de Petrolândia, no Sertão de Pernambuco e viaja por 208 quilômetros até chegar a cidade paraibana. As águas chegaram a Monteiro, no dia 8 de março deste ano.

A água captada do Rio São Francisco passa por seis estações elevatórias de água, cinco aquedutos, 23 segmentos de canais e ainda 12 reservatórios. A intenção da crianção dos reservatórios é beneficiar as comunidades onde foram construídos e também garantir que a água não pare de correr pelos canais, caso seja necessário fazer algum reparo no trecho.

Os 12 reservatórios são: Areais, Braúnas (o maior deles, com capacidade para mais de 14 milhões de metros cúbicos de água), Mandantes, Salgueiro (5,2 milhões de m³), Muquem, Cacimba Nova, Bagres, Copití, Moxotó, Barreiro, Campos (o segundo maior com 8 milhões de m³) e Barro Branco.

Após cinco anos de seca, leito do Rio Paraíba recebe águas da transposição (Foto: Artur Lira / G1)

Após cinco anos de seca, leito do Rio Paraíba recebe águas da transposição (Foto: Artur Lira / G1)

Passagem da água na Paraíba

Depois de chegar a Monteiro, as águas do “Velho Chico” vão para o Rio Paraíba e através dele segue pelos açudes de São José I e Poções, ainda na cidade de Monteiro; pelo açude de Camalaú; pelo açude de Boqueirão; pelo açude de Acauã, em Itatuba; pelo açude de Araçagi e depois segue para um perímetro irrigado no município de Sapé.

O açude São José I já está sangrando com a chegada das águas da transposição do Rio São Francisco. Já o açude Poções está com um volume de 6,6%, o açude de Camalaú está com 14,4%, o açude de Boqueirão está com 3%, o açude de Acauã está com 5,3% e o açude de Araçagi está com 71,3%.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Incêndio destrói vegetação da zona rural de Areia há vários dias e preocupa moradores

incendioUm incêndio na zona rural da cidade de Areia, no Brejo paraibano, vem preocupando moradores da região há vários dias.

De acordo com informações, o incêndio teria iniciado há cinco dias e já atingiu diversas propriedades rurais da cidade.

Os moradores da região não sabem precisar o que teria causado o incêndio, o que levanta a suspeita de a prática ser criminosa.

Por conta da situação, os próprios agricultores estão tentando apagar o fogo do jeito que podem, mas as chamas insistem em destruir a vegetação.

Há 40 dias, aproximadamente, um outro incêndio também destruiu parte da  vegetação local.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Incêndio danifica ônibus, muro de empresa e vegetação em Patos, na PB

(Foto: Delegado Rone Feitosa/Arquivo Pessoal)
(Foto: Delegado Rone Feitosa/Arquivo Pessoal)

Um incêndio em área residencial aconteceu na manhã deste sábado (26), no bairro Brasília, no município de Patos, Sertão da Paraíba. De acordo com o delegado Rone Feitosa, que participou da ocorrência, o incêndio foi criminoso e atingiu o muro de uma empresa, carcaças de veículos, um ônibus particular e a vegetação do local.

Conforme informações do delegado, um homem teria começado a atear fogo em uma vegetação que fica na parte de trás de uma empresa de segurança. Logo em seguida, ateou fogo em carcaças de carros que ficavam próximas do local, em um ônibus particular e, um quarteirão depois, tocou fogo também em uma região de mato.

As imagens de segurança da empresa já foram solicitadas para tentar localizar o suspeito de realizar o incêndio. Segundo Rone Feitosa, uma testemunha conseguiu perceber quando o suspeito ateou fogo em alguns locais.

A Polícia Militar, juntamente com a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros, estiveram no local. “Importante destacar a atuação do Corpo de Bombeiros, que agiu de forma rápida e eficiente”, destacou o delegado.

Ninguém ficou ferido e os bombeiros conseguiram controlar as chamas. Até às 14h40, a Polícia Militar ainda realizava rondas nas proximidades em busca do suspeito.

Vegetação do local também foi afetada com o fogo (Foto: Delegado Rone Feitosa/Arquivo Pessoal)Vegetação do local também foi afetada com o fogo (Foto: Delegado Rone Feitosa/Arquivo Pessoal)
G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br