Arquivo da tag: Vasco

Jogador Thalles, revelado pelo Vasco, morre em acidente no RJ

O atacante Thalles Lima de Conceição Penha, de 24 anos, morreu, na manhã deste sábado (22), após um acidente na Avenida Almirante Pena Boto, no bairro Monjolos, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio. Além de Thalles, outra pessoa morreu e três ficaram feridas.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu após uma batida entre duas motos, que atropelaram outras pessoas. As vítimas foram levadas para o Hospital Estadual Alberto Torres. Segundo testemunhas, o jogador estaria voltando de um baile funk na comunidade da Cerâmica.

No hospital, o pai e tios do atleta reclamaram da demora no atendimento às vítimas. “O socorro demorou muito a chegar. Chegaram a nos falar que iriam chamar um helicóptero, o que não aconteceu. Os bombeiros também demoraram demais para saírem do local do acidente até o hospital – foi coisa de uma hora, uma hora e meia. Isso nos deixa muito revoltados”, afirmou Jorge da Conceição, tio de Thales.

Jogador Thalles morreu após acidente envolvendo duas motos em São Gonçalo — Foto: Reprodução / redes sociais

Jogador Thalles morreu após acidente envolvendo duas motos em São Gonçalo — Foto: Reprodução / redes sociais

Atacante cedido à Ponte Preta

Thalles foi revelado pelo Vasco da Gama, mas atualmente estava emprestado à Ponte Preta. Em nota, o Vasco lamentou a perda do atleta.

“Ainda chocados com a notícia do acidente, lamentamos profundamente o falecimento do atacante Thales Lima de Conceição Penha. Desejamos muita força aos familiares e amigos neste momento difícil”.

O atacante começou na base do Vasco e ganhou espaço no elenco principal a partir de 2013. Em cinco temporadas pelo clube carioca, disputou 154 jogos e fez 36 gols. No ano passado, foi emprestado ao Albirex Niigata, onde marcou seis vezes em 41 partidas. Em janeiro desse ano, o atacante foi cedido à Ponte Preta.

Atacante Thalles foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na manhã deste sábado (22) — Foto: Carlos Brito / G1

Atacante Thalles foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na manhã deste sábado (22) — Foto: Carlos Brito / G1

 

G1

Foto: Rodrigo Zanotto / Estadão Conteúdo

 

Vasco vence Bangu e encara o Flamengo na final do Carioca

Não foi uma atuação de gala, mas o Vasco conquistou a classificação para a final do Campeonato Carioca. Neste domingo, o Cruz-Maltino venceu com dificuldades o Bangu pelo placar de 2 a 1, no Maracanã, pela semifinal da competição. Os gols da partida foram marcados por Bruno César (de pênalti) e Yan Sasse para os vascaínos. Yaya Banhoro diminuiu para os Alvirrubros.

Com o resultado, o time comandado por Alberto Valentim vai duelar contra o Flamengo na final e lutará pelo 25º título da competição em sua história. O primeiro jogo vai acontecer no próximo domingo, às 16h, também no Maracanã. Vale lembrar, que não há vantagem para nenhum dos times na decisão.

DESLIGADO

A proposta do Vasco no início do jogo foi reter a posse de bola, mas encontrou dificuldades para impor o ritmo de jogo. O Cruz-Maltino pecou na qualidade nos passes, sofreu sustos na defesa e pouco arriscou, com apenas dois chutes. O Bangu aproveitou a situação para criar oportunidades e conseguiu oito finalizações para assustar os adversários. Jairinho, Anderson Lessa, Marcos Junior e Yaya Banhoro foram os destaques do Alvirrubro.

NA BRONCA…

A torcida do Vasco começou a ficar impaciente com a apatia do time. Assim, uma substituição feita por Valentim confirmou a insatisfação: Rossi saiu machucado para dar lugar a Yan Sasse. Imediatamente, o Maracanã veio abaixo. Os gritos de ‘burro’ ecoaram no estádio e a saída para os vestiários foi bastante conturbada.

ANIMOU

Na volta para etapa final, o Cruz-Maltino voltou mais ligado e abriu o placar. O árbitro de vídeo (VAR) foi bem acionado ao marcar pênalti em cima de Lucas Mineiro após cobrança de escanteio. Na marca da cal, Bruno César bateu e comemorou o gol. Entretanto, o Bangu não se rendeu e partiu para cima. Três minutos depois, Yaya Banhoro recebeu cruzamento rasteiro e igualou o placar.

REDENÇÃO

Yan Sasse entrou contestado e respondeu à torcida porque merece a vaga de titular. O meia marcou um belo gol ao colocar a bola no ângulo após boa trama entre Bruno César e Cáceres. Em seguida, o treinador Alberto Valentim, aliviado, ajoelhou-se ao gramado e tirou um peso das costas.

ATÉ O FIM

Depois dos gols, as equipes diminuíram o ritmo, mas buscaram balançar a rede. O Vasco tentou manter o placar, enquanto o Bangu arriscou mais, porém o cansaço pesou e as jogadas não tinham a mesma qualidade. No fim, os jogadores se desentenderam, mas o árbitro agiu bem com os cartões. Fora isso, o Vasco fechou com o vitória e vaga na decisão do Estadual.

FICHA TÉCNICA 

VASCO 2×1 BANGU

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 07/04/2019 – 16h
Árbitro: Rodrigo Carvalhães de Miranda (RJ) – Nota L!: 7,0 – conduziu bem o jogo e foi bem na marcação de pênalti em Lucas Mineiro.
Assistentes: Michael Correia (RJ) e Carlos Henrique de Lima Filho (RJ)
Público / Renda: 19.786 / 560.680,00
Cartões Amarelos: Rossi, Yan Sasse, Yago Pikachu (VAS), Felipe Dias, João Lucas, Marcos Júnior, Anderson Penna (BAN)

Gols: Bruno César (7’/2º) (1-0), Yaya Banhoro (10’/2ºt), Yan Sasse (14’/2ºt)

VASCO 
Fernando Miguel; Raul Cáceres, Werley, Ricardo Graça, Danilo Barcelos; Raul (Bruno Silva – intervalo), Lucas Mineiro, Bruno César (Lucas Santos – 21’/2ºt); Marrony, Rossi (Yan Sasse – 28’/1ºt), Tiago Reis. Técnico: Alberto Valentim.

BANGU 
Jefferson Paulino; João Lucas, Anderson Penna, Rodrigo Lobão, Dieyson; Felipe Dias (Tchô – 16’/2ºt), Marcos Júnior (Josiel – 36’/2ºt); Yaya Banhoro, Alex Chander (Robinho – 25’/2ºt), Jairinho, Anderson Lessa. Técnico: Ado Souza.

 

Lance

 

 

Nos pênaltis, Flamengo derrota o Vasco e conquista Taça Rio

Com muita emoção, o Flamengo conquistou a Taça Rio, neste domingo, no Maracanã. Os rubro-negros arrancaram o empate por 1 a 1 com o Vasco nos acréscimos e levou a melhor na disputa por pênaltis.

Após um primeiro tempo com poucas chances de gol, o Vasco abriu o placar com Tiago Reis na etapa final. Já nos acréscimos, Arrascaeta deixou tudo igual para o Flamengo. Nos pênaltis, os rubro-negros fizeram 3 a 1 e ficaram com o título no segundo turno do Campeonato Carioca.

De Arrascaeta comemora seu gol durante partida entre Vasco X Flamengo válida pela final da Taça Rio do campeonato Carioca de 2019, no estádio do Maracanã, zona norte da cidade, neste domingo (31/03)
De Arrascaeta comemora seu gol durante partida entre Vasco X Flamengo válida pela final da Taça Rio do campeonato Carioca de 2019, no estádio do Maracanã, zona norte da cidade, neste domingo (31/03)

Foto: RUDY TRINDADE/FRAMEPHOTO / Estadão Conteúdo

Com o resultado, o Vasco terá que disputar a semifinal do Estadual, contra o Bangu, no próximo fim de semana. Já o Flamengo terá pela frente o Fluminense. Tanto Vasco quanto Flamengo jogam pelo empate para avançarem para final do Estadual.

O jogo – A final começou movimentada, com o Flamengo chegando com perigo logo com um minuto. Ronaldo chegou an linha de fundo, mas cruzou para ninguém. O Vasco não se intimidou e buscava os avanços no toque de bola. Só que os cruzmaltinos pecavam nos passes e pouco incomodavam o goleiro César.

Enquanto o Vasco seguia tendo mais posse de bola, o Flamengo chegava com mais perigo no ataque. Tanto que aos 15 minutos, Vitinho recebeu passe na área e chutou em cima da zaga.

O panorama da partida seguia o mesmo. O Flamengo teve a melhor chance para abrir o placar aos 30 minutos, quando Thuler aproveitou escanteio, mas cabeceou pela linha de fundo, muito perto do gol de Fernando Miguel. O Vasco respondeu quatro minutos depois, com Tiago Reis. O atacante cabeceou cruzado para fora.

Tiago Reis marca gol durante Vasco x Flamengo, partida válida pela final da Taça Rio (Campeonato Carioca), realizada no estádio Maracanã, localizado na cidade do Rio de Janeiro, RJ, neste domingo (31).
Tiago Reis marca gol durante Vasco x Flamengo, partida válida pela final da Taça Rio (Campeonato Carioca), realizada no estádio Maracanã, localizado na cidade do Rio de Janeiro, RJ, neste domingo (31).

Foto: NAYRA HALM/FOTOARENA / Estadão Conteúdo

Os rubro-negros voltaram a assustar aos 35 minutos. Vitinho tentou o cruzamento, mas quase acertou o gol. Fernando Miguel estava atento e mandou para escanteio.

Nos minutos finais, o clássico teve seu momento de tensão quando Bruno Silva se chocou com Ricardo Graça e ficou estirado no chão. O volante não teve condição de continuar e deu lugar a Raul. Foi a segunda substituição do Vasco por conta de lesão já que Leandro Castán deu lugar a Ricardo Graça. Antes do intervalo, o Flamengo ainda assustou em duas oportunidades com Vitinho. Na primeira, a bola foi pela linha de fundo. Na segunda, Fernando Miguel fez boa defesa para manter o empate nos primeiros 45 minutos.

No segundo tempo, o Flamengo voltou melhor e pressionou o Vasco no início. No entanto, os rubro-negros não conseguiram transformar a posse de bola em lances de gol. os cruzmaltinos aproveitaram os espaços e criaram a primeira boa chance da etapa final aos nove minutos. Marrony arriscou da entrada da área e parou em boa defesa de César.

Só que na cobrança de escanteio, o Vasco abriu o placar. Tiago Reis se antecipou a marcação e cabeceou cruzado, sem chance para César.

O revés fez o Flamengo aumentar a intensidade no ataque. Os rubro-negros assustaram aos 14 minutos, em chute de Vitinho, mas Fernando Miguel fez a defesa. A resposta do Vasco veio com Rossi. Só que o atacante chutou fraco e facilitou a defesa de César.

Com o passar do tempo, os rubro-negros tentaram aumentar a pressão, mas sofriam para transpor a marcação cruzmaltina. O Vasco tentava avançar nos contra-ataques, sem qualquer sucesso. O Flamengo só conseguiu levar perigo aos 36 minutos, quando Arrascaeta aproveitou bate e rebate na área e chutou próximo ao gol.

Nos minutos finais, o Flamengo foi com tudo para cima e conseguiu o empate aos 46 minutos, com Arrascaeta, para levar a decisão para os pênaltis. Nas penalidades, Os rubro-negros levaram a melhor por 3 a 1 e conquistaram o título. Vitinho, Uribe e Arrascaeta converteram para os flamenguistas enquanto que apenas Danilo Barcelos fez para os vascaínos. Rossi, Tiago Reis e Werley desperdiçaram as cobranças.

FICHA TÉCNICA

VASCO 1 (1) X 1 (3) FLAMENGO

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 31 de março de 2019 (Domingo)

Horário: 16h(de Brasília)

Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá

Assistentes: Michael Correia e Silbert Faria Sisquim

VAR: Bruno Arleu de Araújo e Diogo Carvalho Silva

Cartões amarelos: Werley, Lucas Mineiro e Bruno César (Vasco); Trauco, Vinícius e Thuler (Flamengo)

GOLS

VASCO: Tiago Reis, aos 9min do segundo tempo

FLAMENGO: Arrascaeta, aos 46min do segundo tempo

VASCO: Fernando Miguel, Raul Cáceres, Werley, Leandro Castan (Ricardo Graça) e Danilo Barcelos; Bruno Silva (Raul), Lucas Mineiro, Bruno César (Thiago Galhardo), Marrony e Rossi; Tiago Reis

Técnico: Alberto Valentim

FLAMENGO: César, Rodinei, Rhodolfo, Thuler (Bill) e Miguel Trauco; Ronaldo (Vinícius), Hugo Moura, De Arrascaeta, Vitinho e Lucas Silva (Vitor Gabriel); Fernando Uribe

Técnico: Leomir (Auxiliar)

Gazeta Esportiva

 

Vasco empata com Ceará em casa e continua próximo do Z4

O Vasco ficou no empate por 1 a 1 com o Ceará nesta segunda-feira, em São Januário, no encerramento da última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. O resultado irritou os torcedores do time carioca, que vaiaram a equipe após o apito final e cantaram “time sem vergonha”.

Além do fraco futebol apresentado, a irritação da arquibancada vem pela posição da equipe na tabela de classificação. O Vasco está em 15º lugar, com 20 pontos, a apenas um da zona de rebaixamento. Os visitantes estão em penúltimo, com 17.

Everson, goleiro do Ceará, e Maxi Lopez, atacante do Vasco, em partida válida pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira, 20.
Everson, goleiro do Ceará, e Maxi Lopez, atacante do Vasco, em partida válida pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira, 20.

Foto: ANDRé MELO ANDRADE/ELEVEN / Estadão Conteúdo

Vale lembrar que o time carioca encerra a metade inicial da competição com duas partidas a menos. A equipe teve adiados os jogos contra o Santos, pela terceira rodada, e Atlético-PR, pela 15ª. O duelo contra os paulistas será em 27 de setembro, no Pacaembu. O confronto contra os paranaenses foi remarcado para 29 de agosto, na Arena da Baixada.

O Vasco estreia no segundo turno do Brasileirão contra o Atlético-MG nesta quinta-feira, às 20h, no estádio Independência em Belo Horizonte. O Ceará já atuou pela 20ª rodada, empatou por 1 a 1 com o Santos em jogo antecipado. Com isso, a equipe volta a campo apenas no domingo, contra o São Paulo, no Morumbi, pela 21ª rodada.

O duelo desta segunda-feira foi o primeiro do interino Valdir Bigode no comando da equipe após a saída de Jorginho. E para essa partida ele tentou deixar o Vasco mais ofensivo, com apenas um volante de origem, Desábato. Ainda mandou Wagner na vaga de Andrey e promoveu a estreia do argentino Maxi López como titular – ele entrou no segundo tempo do jogo contra o Palmeiras.

Comemoração do gol de Tiago Alves, do Ceará, em partida contra o Vasco, válida pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira, 20.
Comemoração do gol de Tiago Alves, do Ceará, em partida contra o Vasco, válida pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira, 20.

Foto: ANDRé MELO ANDRADE/ELEVEN / Estadão Conteúdo

As mudanças surtiram efeito, já que os dois participaram da jogada do gol do time carioca. No segundo tempo, Maxi López tocou e Wagner fez. Mas o Ceará reagiu e deixou tudo igual com Tiago Alves. O Vasco ainda ficou com um jogador a mais nos dez minutos finais após a expulsão de Samuel Xavier, mas não conseguiu aproveitar a vantagem.

O JOGO – No primeiro tempo o Vasco encontrou dificuldade para furar a retranca do Ceará. E para piorar viu o adversário equilibrar a partida e também criar chances para abrir o marcador. O time carioca foi assustar mesmo em jogadas de bola parada. Wagner sobrou a primeira falta e Everson fez a defesa. Na outra, Pikachu bateu, a bola desviou na barreira, Giovanni Augusto chutou, houve nove desvio e o goleiro fez a defesa.

O Ceará respondeu e quase fez o primeiro. Arthur errou o voleio, mas a bola sobrou para Richardson, que bateu cruzado com perigo. Por causa da falta de agressividade do setor ofensivo, os jogadores do Vasco desceram para o vestiário sob vaias dos torcedores.

No segundo tempo, o Vasco tentou encurralar o adversário e voltou a assustar em bola parada. Pikachu bateu por cima da meta de Everton. O gol saiu aos 14 minutos graças a uma falha do zagueiro Luiz Otávio. Ele tentou afastar de cabeça, mas mandou a bola para a própria área. Maxi López dominou e rolou para Wagner que bateu colocado no ângulo esquerdo de Everson, que nem se mexeu.

Wagner comemora gol com equipe durante Vasco da Gama x Ceará realizada no Estádio de São Januário pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, nesta segunda-feira (20) no Rio de Janeiro, RJ.
Wagner comemora gol com equipe durante Vasco da Gama x Ceará realizada no Estádio de São Januário pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, nesta segunda-feira (20) no Rio de Janeiro, RJ.

Foto: CELSO PUPO/FOTOARENA / Estadão Conteúdo

Na sequência, o time carioca perdeu ótima oportunidade para ampliar. Após cruzamento da direita, Giovanni Augusto apareceu livre na segunda trave e cabeceou no canto direito. Everson fez milagre. O Ceará então foi ao ataque e encontrou o empate. Ricardinho cobrou escanteio e Tiago Alves mandou de cabeça para as redes.

A dez minutos do final, o Vasco ficou com um jogador a mais. Samuel Xavier cometeu falta dura em Vinicius Araujo, recebeu o segundo cartão amarelo e acabou expulso de campo. O Vasco então foi para o tudo ou nada e pressionou. Mas a melhor chance veio somente nos acréscimos. Pikachu tocou para Vinicius Araujo, que driblou o goleiro e, sem ângulo, rolou fraco para o gol. O zagueiro salvou.

 jogadores Maxi Lopez do Vasco e Luiz Otavo do Ceará durante a partida entre Vasco e Ceará, válida pelo Campeonato Brasileiro 2018, no estádio São Januário no Rio de Janeiro (RJ), nesta segunda-feira (20).
jogadores Maxi Lopez do Vasco e Luiz Otavo do Ceará durante a partida entre Vasco e Ceará, válida pelo Campeonato Brasileiro 2018, no estádio São Januário no Rio de Janeiro (RJ), nesta segunda-feira (20).

Foto: MARCELLO DIAS/FUTURA PRESS / Estadão Conteúdo

FICHA TÉCNICA:

VASCO 1 X 1 CEARÁ

VASCO – Martín Silva; Luiz Gustavo, Bruno Silva, Leandro Castán (Lenon) e Ramon (Henrique); Desábato, Yago Pikachu, Giovanni Augusto e Thiago Galhardo; Wagner (Vinícius Araújo)e Maxi López. Técnico: Valdir Bigode.

CEARÁ – Éverson; Samuel Xavier, Tiago Alves, Luiz Otávio e João Lucas; Richardson, Edinho e Ricardinho; Calyson (Reina), Arthur (Fabinho) e Leandro Carvalho (Felipe Azevedo). Técnico: Lisca.

GOL – Wagner, aos 14, e Tiago Alves, aos 20 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Vinícius Gonçalves Dias Araujo (SP)

CARTÃO AMARELO – Maxi López (Vasco); Vinicius Araujo (Ceará).

CARTÃO VERMELHO – Samuel Xavier (Ceará)

PÚBLICO – 15.093 pagantes (15.589, no total)

RENDA – R$ 378.105,00

LOCAL: Estádio São Januário, no Rio

Estadão

Vasco e São Paulo ficam no empate em São Januário

Em um jogo que não foi bom para as pretensões de ambos, Vasco e São Paulo empataram em 1 a 1 em São Januário, neste domingo, pela 34ª rodada do Brasileirão. Em jogo que marcou o reencontro com sua torcida na Colina Histórica, que lotou o estádio, o Cruz-Maltino chegou ao terceiro empate seguido em casa e perdeu mais uma chance de entrar no G7 do campeonato. Já o Tricolor paulista não chegou na pontuação estipulada para ficar livre de qualquer risco de rebaixamento.

Equipes empataram em 1 a 1 em São Januário, neste domingo, pelo Brasileiro (Paulo Fernandes/Vasco.com.br)
Equipes empataram em 1 a 1 em São Januário, neste domingo, pelo Brasileiro (Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Foto: LANCE!

Os visitantes saíram na frente com Marcos Guilherme, e os donos da casa igualaram o placar com Caio Monteiro.

A partida começou equilibrada, com as duas equipes muito bem postadas em campo. O Cruz-Maltino adiantou as linhas e dificultava a saída de bola do Tricolor paulista, que por sua vez estava bem compactado e não dava espaços.
Empurrado por seus torcedores em casa, o Vasco passou a se lançar mais no ataque. Porém, apesar de ter a bola, pouco ameaçava o gol de Sidão.

Depois da parada técnica para hidratação, o jogo melhorou. Nenê bateu falta com categoria da entrada da área e quase abriu o placar. Na sequência, o São Paulo assustou em contra-ataque e fez sua primeira finalização do jogo, aos 34 minutos.

Maicosuel partiu pela esquerda e bateu com perigo para fora. O gol tricolor saiu logo depois. Aos 39 minutos, Jean vacilou e foi desarmado por Marcos Guilherme na frente da área. O meia-atacante avançou e emendou um chutaço de fora, que Gabriel Felix não conseguiu defender.

Atrás no placar, o Cruz-Maltino se lançou ao ataque e ainda ameaçou em cabeçadas de Gilberto e Madson, mas foi para o intervalo perdendo.

Zé Ricardo voltou para o segundo tempo com Evander no lugar de Gilberto, deixando o Vasco mais ofensivo e melhor na partida. O jovem meia assustou Sidão em cobrança de falta. Paulinho e Andrés Rios também tiveram chances, mas mandaram para fora.

O São Paulo se fechava para sair no contra-ataque, mas não conseguia encaixar. Enquanto isso, Sidão garantia atrás, como em boa defesa em chute de Caio Monteiro. De tanto pressionar, o Cruz-Maltino chegou ao empate aos 30 minutos. Andrés Rios chutou, a bola desviou em Rodrigo Caio e sobrou para Caio Monteiro estufar a rede.

O Vasco ainda teve algumas chances, mas não aproveitou algumas e em outras parou em grandes defesas de Sidão.

FICHA TÉCNICA

VASCO 1 X 1 SÃO PAULO

Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 12/11/2017 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden – RS (CBF)
Assistentes: Jose Eduardo Calza e Mauricio Coelho Silva Penna (ambos do RS)
Público e renda: 16.439 pagantes / R$ 519.815,00
Cartões amarelos: Arboleda, Edimar (SPO); Henrique (VAS)
Cartão vermelho: Militão, aos 38’/2ºT
Gols: Marcos Guilherme, aos 39’/1ºT (0-1); Caio Monteiro, aos 30’/2ºT (1-1)

VASCO: Gabriel Félix, Madson, Rafael Marques, Paulão e Henrique; Jean (Wagner, aos 28’/2ºT), Gilberto (Evander, no intervalo), Yago Pikachu (Caio Monteiro, aos 18’/2ºT) e Nenê; Paulinho e Andrés Ríos. Técnico: Zé Ricardo

SÃO PAULO: Sidão, Militão, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei, Petros, Hernanes e Maicosuel (Lucas Fernandes, aos 20’/2ºT); Marcos Guilherme (Aderllan, aos 40’/2ºT) e Pratto (Gilberto, aos 29’/2ºT). Técnico: Dorival Júnior

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Com golaço de Robinho, Cruzeiro vence Vasco e cola no G-6

O Vasco continua sentindo muita falta de São Januário. O time cruz-maltino voltou a ser derrotado no Campeonato Brasileiro em partida disputada na noite desta quinta-feira, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. O Cruzeiro venceu por 3 a 0, sem encontrar qualquer dificuldade. Os gols foram marcados por Thiago Neves, de falta, e Sassá, cobrando pênalti, no primeiro tempo. Robinho deu números finais ao jogo na etapa final, com um golaço.

Com o resultado, o Vasco caiu para a nona posição, com 23 pontos ganhos, enquanto o Cruzeiro chegou aos 26 pontos e subiu para a sétima colocação.

O resultado fez justiça ao melhor desempenho do time dirigido por Mano Menezes, que exerceu o controle das ações durante os 90 minutos. O Vasco cometeu muitas falhas individuais e quase não ameaçou o gol defendido por Fábio. A nova derrota fez a torcida hostilizar o presidente Eurico Miranda e, principalmente, o técnico Milton Mendes, chamado de “burro” no final da partida.

Na próxima rodada, o Vasco vai visitar a Ponte Preta, em Campinas. O Cruzeiro recebe o Botafogo, no Mineirão.

Foto: Rudy Trindade/FramePhoto / Gazeta Press

O jogo – Mal a partida começou, a torcida do Vasco teve a primeira decepção. Aos dois minutos, o Cruzeiro marcou o primeiro gol. Elber foi derrubado do lado direito da área. Thiago Neves bateu cruzado, ninguém foi na bola e o goleiro Martín Silva acabou surpreendido e viu a bola entrar no canto direito. O time carioca tentou não mostrar abatimento e partiu em busca do gol de empate. Aos cinco minutos, Escudero mandou a bomba que passou bem perto da trave direita defendida por Fábio.

A torcida cruz-maltina tentou empurrar o time para buscar o empate. O time dirigido por Mano Menezes seguia marcando a saída de bola do adversário e retardando a organização de jogo do time da casa.

Aos 15 minutos, outra falta nas proximidades da área do Vasco, a cobrança de Lucas Silva explodiu na barreira.

A equipe mineira continuou melhor e , aos 18 minutos, marcou o segundo gol. O zagueiro Rafael Marques derrubou Sassá na grande área. O árbitro marcou pênalti que Sassá cobrou, com paradinha, para ampliar a vantagem da equipe visitante.

Foto: Rudy Trindade/FramePhoto / Gazeta Press

O técnico Milton Mendes decidiu modificar o esquema tático e trocou o volante Wellington pelo atacante Thalles, mas foi o Cruzeiro que voltou a criar outra grande chance para marcar aos 28 minutos, mas o goleiro Martín Silva fez grande defesa e impediu que o chute de Elber ganhasse o caminho das redes.

A equipe mineira continuava mais perto do terceiro gol do que o Vasco do segundo. Aos 30 minutos, novamente Martín Silva evitou o gol ao sair com precisão e evitar que o passe de Thiago Neves chegasse aos pés de Sassá, livre na área.

O Vasco não conseguia se encontrar. Wagner errava muitos passes e não conseguia acionar os atacantes. Os laterais apelavam para os cruzamentos, mas a zaga mineira tinha absoluto controle do jogo aéreo.

Ao final da primeira etapa, a torcida do Vasco vaiou o time e hostilizou o presidente Eurico Miranda.

O segundo tempo começou sem que os treinadores tivessem feito mudanças no intervalo. A torcida do Vasco tentou motivar os jogadores para a reação. O Cruzeiro começou a segunda etapa tentando ficar com a bola nos pés para impedir a pressão inicial do adversário. E o primeiro momento de perigo foi criado pela equipe mineira. Rafinha lançou Sassá na área, mas a conclusão do atacante foi bloqueada pela zaga carioca.

Foto: Rudy Trindade/FramePhoto / Gazeta Press

O Vasco só chegou na área mineira aos seis minutos, mas o chute do volante Jean passou longe da trave.

Aos dez minutos, Bryan investiu pela esquerda, driblou Martín Silva e tocou para o gol, mas Rafael Marques salvou em cima da linha, evitando o terceiro gol. Logo depois, o técnico Milton Mendes decidiu promover a estreia do atacante argentino Andrés Rios. Ele entrou no lugar de Wagner. Logo depois, Elber sentiu dores na coxa e deu lugar a Robinho.

O Vasco continuava sem força ofensiva e o técnico Milton Mendes decidiu arriscar tudo, trocando o lateral-esquerdo Henrique pelo atacante Manga Escobar. Escudero passou a executar a função defensiva.

Mesmo com todas as mudanças, o time de São Januário seguiu com muitas dificuldades de pressionar a defesa do Cruzeiro. O goleiro Fábio quase não era incomodado.

A falta de objetividade da equipe levou parte da torcida a eleger Milton Mendes como alvo das vaias e ofensas. Só aos 33 minutos é que o time carioca ameaçou com um chute forte do lateral Gilberto que levou perigo ao gol defendido por Fábio.

Aos 42 minutos, o Cruzeiro liquidou a fatura com um gol marcado por Robinho. O meia recebeu de Lucas Silva, se livrou de dois marcadores e tocou na saída de Martín Silva, definindo o resultado da partida.

FICHA TÉCNICA

VASCO-RJ 0 X 3 CRUZEIRO-MG

Local: Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ)

Data: 3 de agosto de 2017 (Quinta-feira)

Horário: 20h(de Brasília)

Público: 4.934 pagantes

Árbitro: Vinicius Goncalves Dias Araujo (SP)

Assistentes: Rogerio Pablos Zanardo (SP) e Herman Brumel Vani (SP)

Cartões Amarelos: Rafael Marques, Paulo Vitor, Gilberto, Andrés Rios(Vas); Lucas Silva(Cru)

Gols: CRUZEIRO: Thiago Neves, aos dois, e Sassá, aos 18 minutos do primeiro tempo; Robinho, aos 42 minutos do segundo tempo

VASCO: Martín Silva, Gilberto, Rafael Marques, Lucas Rocha e Henrique(Manga Escobar); Jean, Wellington(Thalles), Wagner(Andrés Rios), Escudero e Paulinho; Paulo Vítor

Técnico: Milton Mendes

CRUZEIRO: Fábio, Lucas Romero, Leo, Murilo e Bryan; Henrique,Lucas Silva, Elber(Robinho), Thiago Neves(Rafael Sobis) e Rafinha; Sassá (Raniel)

Técnico: Mano Menezes

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Vasco empata com o Coritiba e fatura 1º ponto fora de casa

Foto: Geraldo Bubniak/AGB / LANCE!

Em evolução neste Campeonato Brasileiro, o Vasco chegou na noite deste domingo ao primeiro ponto conquistado fora de São Januário. No Durival Britto, empatou com o Coritiba em 2 a 2 em um jogo agitado, com maiores chances para os cariocas nos 45 minutos iniciais e para os paranaenses nos 45 finais. Thalles e Wagner foram os responsáveis pelos gols do Cruz-Maltino.

O Vasco surpreendeu fora de casa. Jogou de uma forma perigosa – principalmente no primeiro tempo. Ponto que não vinha sendo observado até então longe de São Januário. Triangulações, velocidade, criação, efetividade… Parecia até que o Cruz-Maltino atuava em seus domínios em comparação com as rodadas anteriores no Campeonato Brasileiro.

Sem Luis Fabiano, cumprindo neste jogo suspensão pelo terceiro cartão amarelo, Thalles ganhou uma nova oportunidade como titular do Vasco depois de ter passado por um processo de emagrecimento. Quatro quilos mais magro, Thalles correspondeu ao voto de confiança dado pelo técnico Milton Mendes.

Foi inclusive de Thalles o gol que abriu o marcador na fria Curitiba. Aos 20 minutos do primeiro tempo, Henrique puxou boa jogada de velocidade pela esquerda e mandou na medida na grande área para Thalles subir sem dificuldades para estufar as redes do goleiro Wilson. Por tudo que passou, merecido para uma busca de continuidade com o Vasco.

Na frente, o Vasco seguiu pressionando até o intervalo. Thalles quase fez o segundo aos 41 minutos, obrigando Wilson a fazer grande defesa para o Coritiba – a bola, na jogada, chegou também a bater no travessão. Na etapa final, porém, os donos da casa mudaram o panorama e o Cruz-Maltino, retrancado, praticamente irreconhecível, deu espaços.

Aos 21 minutos, Kléber, apto a jogar pelo Coritiba após efeito suspensivo depois do pesado gancho dado pelo STJD por conta de indisciplina, mais uma vez foi essencial e apresentou a sua qualidade. Após bate-rebate, o Gladiador aproveitou sobra e de cabeça empatou. Aos 42, ele recebeu de Henrique Almeida e virou para o Coritiba, para festa das mais de oito mil pessoas no estádio.

No acréscimo, porém, na raça, o Vasco empatou e garantiu o primeiro ponto fora de casa no Brasileiro. Yago Pikachu cobrou escanteio, Paulão desviou e Wagner, oportunista, igualou o marcador. Resultado merecido para ambas as equipes pelo proposto. O Cruz-Maltino agora tem a semana de preparação para o clássico difícil com o Flamengo. Não poderá contar com a dupla de volantes Jean e Douglas, mas deve ter a estreia de Bruno Paulista para amenizar a situação. São Januário promete ferver na luta pela Libertadores.

FICHA TÉCNICA 
CORITIBA 2 X 2 VASCO 

Estádio: Durival Britto, em Curitiba (PR)
Data/hora: 2/7/2017 – 19h (de Brasília)
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Auxiliares: Marcio Eustaquio Santiago (MG) e Celso Luiz da Silva (MG)
Renda/público: R$ 135.300,00/8.020 pagantes
Cartões amarelos: Jonas, Bruno, Anderson (CTB) e Paulão, Douglas, Jean, Breno, Martin Silva (VAS)

GOLS: Thalles 20’/1ºT (0-1), Kléber 21’/2ºT (1-1), Kléber 43’/2ºT (2-1) e Wagner 45’/2ºT (2-2)

CORITIBA: Wilson, Léo (Anderson intervalo), Márcio, Werley e William Matheus; Jonas (Tomás Bastos 16’/2ºT), Matheus Galdezani e Tiago Real; Rildo (Neto Berola 24’/2ºT), Kléber e Henrique Almeida. Técnico:Pachequinho.

VASCO: Martin Silva, Gilberto, Breno, Paulão e Henrique; Jean e Douglas; Yago Pikachu, Mateus Vital (Eder Luis 29’/2ºT) e Nenê (Wagner 25’/2ºT); Thalles (Rafael Marques 38’/2ºT). Técnico: Milton Mendes.

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Com gol de Nenê no fim, Vasco vence o Fluminense de virada

Na abertura da terceira rodada, o Vasco fez valer o mando de campo e venceu o Fluminense por 3 a 2, neste sábado, em São Januário. O gol da vitória cruzmaltina veio nos acréscimos, com Nenê. Com o resultado, os vascaínos chegaram a seis pontos, os mesmos dos tricolores, que perderam a invencibilidade no Campeonato Brasileiro.

Foto: Futura Press

O Vasco dominou o primeiro tempo e foi com a vantagem no placar para o intervalo após o gol de Luís Fabiano. Já no segundo tempo, o Fluminense veio melhor e conseguiu a virada em dois gols de pênalti de Henrique Dourado. Só que os cruzmaltinos empataram com Manga Escobar. Nos acréscimos, Nenê marcou o terceiro e deu a vitória aos donos da casa.

Na próxima rodada, o Vasco vai até Porto Alegre para encarar o Grêmio, em Porto Alegre, no domingo. No dia anterior, o Fluminense recebe o Vitória, no Maracanã.

O jogo – Empurrado pela torcida, o Vasco começou melhor a partida, principalmente por conta da forte marcação sobre o Fluminense desde o campo de defesa. Só que a primeira finalização da partida aconteceu somente aos 12 minutos. Após bola rebatida para frente da área, Jean arriscou de longe, mas parou em Diego Cavalieri.

O panorama da partida seguia o mesmo, com os donos da casa mostrando mais vontade em campo, mas com dificuldade em criar boas jogadas. Só que aos 26 minutos, o Vasco abriu o placar em São Januário. Yago Pikachu cruzou pela esquerda na cabeça de Luís Fabiano, que colocou para a rede.

Mesmo depois do gol, os vascaínos mantiveram o ritmo e não deixaram o Fluminense avançar em busca do empate. No entanto, a partida ficou muito centralizada entre as intermediárias. Os tricolores só chegaram com perigo aos 39 minutos. Após cobrança de escanteio, Nogueira cabeceou para o chão, viu a bolar quicar e bater no travessão.

Nos minutos finais, o Fluminense conseguiu equilibrar o confronto. Só que os tricolores seguiam tendo problemas para chegar próximo ao gol. O Vasco preferiu recuar e administrar o resultado até o intervalo.

No segundo tempo, o Fluminense voltou melhor e criou sua primeira boa chance aos dez minutos. Gustavo Scarpa arriscou de longe e obrigou Martín Silva a fazer a defesa em dois tempos. Só que no minuto seguinte os tricolores chegaram ao empate. Em lançamento na área, a bola bateu na mão de Jean e o árbitro marcou pênalti. Henrique Dourado cobrou com categoria, sem chance para o goleiro vascaíno.

O Vasco até tentou equilibrar as ações após o revés, mas foi o Fluminense que virou aos 18 minutos. Gilberto derrubou Richarlison na área e o árbitro marcou mais um pênalti. Henrique Dourado cobrou novamente para deixar os visitantes a frente em São Januário.

Após a virada, o Fluminense recuou e viu o Vasco passar a pressionar em busca do empate. Não demorou muito para os cruzmaltinos chegarem ao segundo gol. Aos 29 minutos, Manga Escobar, que havia entrado pouco minutos antes, recebeu na área, passou por um marcador e chutou cruzado, sem chance para Diego Cavalieri.

Depois, o clássico ficou movimentado, com as duas equipes em busca da vitória. O Fluminense tinha mais posse de bola, mas pouco incomodava Martín Silva. O Vasco buscava os contra-ataques e chegou a vitória aos 48 minutos. Nenê recebeu passe na área e chutou cruzado para a rede para a alegria da torcida e dar números finais em São Januário.

No final da partida, ‘Manga’ Escobar recebeu a bola na entrada da área, tentou fazer o corte e ela sobrou para Nenê, que saiu cara a cara com o goleiro e marcou o gol da vitória.

FICHA TÉCNICA

VASCO-RJ 3 X 2 FLUMINENSE-RJ

Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 27 de maio de 2017 (Sábado)

Horário: 16h(de Brasília)

Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP)

Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (Fifa-SP)

Renda: R$ 700.560,00

Público: 19.082 pagantes

Cartões amarelos: Luís Fabiano e Jean (Vasco); Douglas e Marquinho (Fluminense)

GOLS

VASCO: Luís Fabiano, aos 26min do primeiro tempo; Manga Escobar, aos 29min segundo tempo

FLUMINENSE: Henrique Dourado, aos 11 e 18min do segundo tempo

VASCO: Martín Silva, Gilberto, Breno, Paulão e Henrique; Jean, Douglas, Yago Pikachu (Nenê), Mateus Vital (Muriqui) e Kelvin (Manga Escobar); Luis Fabiano

Técnico: Milton Mendes

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Lucas, Nogueira, Henrique e Léo; Jefferson Orejuela, Wendel, Douglas (Marcos Júnior), e Gustavo Scarpa (Marquinho); Richarlison (Maranhão) e Henrique Dourado

Técnico: Abel Braga

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Palmeiras estreia Cuca com dois de Borja e goleada no Vasco

Palmeiras iniciou a defesa do título brasileiro de maneira bem-sucedida durante a tarde deste domingo. Na partida que marcou o retorno do técnico Cuca, disputada no Estádio Palestra Itália, o time alviverde dominou o Vasco e goleou por 4 a 0, com dois de Miguel Borja.

O colombiano Borja, jogador do Palmeiras, comemora seu gol
O colombiano Borja, jogador do Palmeiras, comemora seu gol

Foto: Gazeta Press

Na segunda rodada do Campeonato Brasileiro, às 19 horas (de Brasília) do próximo sábado, o Palmeiras enfrenta a Chapecoense, na Arena Condá. Às 21h45 de quarta-feira, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, recebe o Internacional. Já o Vasco, às 11 horas de domingo, pega o Bahia, em São Januário.

Diante de mais de 33.425 torcedores, muitos trajados de calça vinho para homenagear Cuca, o Palmeiras abriu o placar com Jean e aumentou por meio de Guerra. No segundo tempo, Miguel Borja, que trocou a camisa 9 pela 12, alcançou a marca de seis gols em 14 partidas.

O Jogo – Cuca foi mais festejado pela torcida do que todos os jogadores e, de calça vinho, viu seu time abrir o placar logo aos seis minutos do primeiro tempo. Em uma jogada do lado direito da grande área, Dudu sofreu pênalti de Jomar. Na cobrança, Jean converteu.

Na metade final do primeiro tempo, Jean trocou de lugar com Tchê Tchê e passou para o meio de campo. Aos 40 minutos, em um lance com o dedo de Cuca, Jean recebeu de Tchê Tchê pela direita e bateu para defesa do goleiro Martin Silva. No rebote, Guerra aumentou a vantagem palmeirense.

A equipe visitante teve sua melhor chance de marcar nos instantes finais do primeiro tempo. Em uma saída de bola, Jean recebeu de Fernando Prass de costas e, desatento, perdeu para Douglas. Completamente livre, o vascaíno saiu na cara do gol e acertou o travessão.

O Palmeiras voltou para o segundo tempo com Jean mantido no meio de campo e chegou ao terceiro gol antes do minuto inicial. Em uma nova jogada pelo lado direito, Tchê Tchê cruzou para cabeçada certeira de Borja – na comemoração, os reservas saíram do banco para abraçar o colombiano.

Amplamente superior, o Palmeiras desperdiçou várias chances para marca o quarto. Em duas jogadas pela esquerda, Dudu sobrou livre, mas Martin Silva defendeu. Pela direita, Guerra também teve sua oportunidade e parou em defesa do goleiro vascaíno. Já Jean, livre no meio da área, mandou para fora.

Em vantagem, Cuca sacou o atacante Willian para a entrada do lateral direito Fabiano, recolocando Tchê Tchê no meio. O Palmeiras fechou o placar aos 34 minutos, quando Dudu sofreu novo pênalti de Jomar. Borja pediu para cobrar e furou a rede do Palestra Itália. Satisfeito, o técnico ainda trocou Guerra e Dudu por Roger Guedes e Keno.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 4 X 0 VASCO

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo-SP

Data: 14 de maio de 2017, domingo

Horário: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa/PR)

Assistentes: Bruno Boschilia (Fifa/PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)

Cartões amarelos: Jomar (VAS)

Público: 33.425 pagantes

Renda: R$ 2.109.685,93

Gols:

PALMEIRAS: Jean, aos seis minutos do primeiro tempo, Guerra, aos 40 minutos do primeiro tempo, Borja, aos 46 segundos e aos 34 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Yerry Mina e Zé Roberto; Felipe Melo e Tchê Tchê; Willian (Fabiano), Guerra (Roger Guedes) e Dudu (Keno); Borja

Técnico: Cuca

VASCO: Martin Silva; Gilberto (Bruno Gallo), Rafael Marques, Jomar e Henrique; Jean (Paulo Vitor), Douglas, Yago Pikachu, Nenê e Mateus Vital; Luis Fabiano (Kelvin)

Técnico: Milton Mendes

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Vasco vence e garante classificação dupla no Estadual

(Foto: Bernardo Gleizer/Nova Iguaçu) Foto: LANCE!
(Foto: Bernardo Gleizer/Nova Iguaçu)
Foto: LANCE!

O Vasco está duplamente classificado. A zebra laranja não passeou em Moça Bonita, e o Cruz-Maltino derrotou o Nova Iguaçu, por 2 a 0, neste domingo, pela sexta rodada da Taça Rio, garantindo a vaga nas semifinais do segundo turno e, de quebra, a presença nas semis do Carioca-2017.

O Gigante da Colina não fez uma partida brilhante, mas passou muitos sustos e conseguiu o resultado que precisava para terminar com 12 pontos no Grupo C e com 21 na classificação geral. Ou seja, o adversário em uma semifinal do turno será o Botafogo. Independentemente do que acontecer na Taça Rio, o Vasco também já sabe que vai enfrentar o Flamengo na semifinal do Estadual.

O Nova Iguaçu, apesar da derrota, terminou a participação no Carioca de forma honrosa, já que ficou em quinto na classificação geral.

O sucesso vascaíno em Bangu começou a ser construído graças ao zagueiro Rafael Marques, que jogou com a camisa com número certo (ninguém pegou a dele enganado desta vez, não é Jomar?). O defensor, na reta final do primeiro tempo, aproveitou a jogada de escanteio e – como uma flecha, em um espaço aberto por uma falha defensiva do time da Baixada – apareceu para tocar de cabeça.

E se Luis Fabiano ainda persegue o primeiro gol com a camisa Cruz-Maltina, quem virou arma fundamental no time de Milton Mendes é Yago Pikachu. A fase artilheira do meia (esquece essa de lateral) continua. Foi dele o segundo gol do Vasco, após tabela com Nenê e conclusão de carrinho, já no segundo tempo.

Por falar em Fabuloso, apesar das dificuldades físicas (não adianta mandar bola esticada para ele), o atacante chegou a assustar o Nova Iguaçu com uma cabeçada na etapa final.

Essa foi uma das chances que o Vasco poderia ter aproveitado para fazer um placar ainda mais elástico. O Nova Iguaçu deu espaços porque chegou à última rodada com chances de classificação, e isso proporcionou, por exemplo, espaços para os meio-campistas vascaínos na etapa final. Douglas, que fez boa partida, também lamentou oportunidade perdida. Para o volante, destaque vascaíno na temporada, o jogo também foi de discussão com Nenê, ainda no primeiro tempo.

Mas o que não gerou discussão mesmo foi o merecimento da classificação vascaína. A moral cresce na busca pela Taça Rio e pela conquista estadual.

NOVA IGUAÇU 0 X 2 VASCO
Local: Estádio de Moça Bonita, no Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 2/4/2017, às 16h
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá
Assistentes: Carlos Henrique Alves de Lima e Gabriel Conti Viana
Cartões amarelos: Iuri, Caio Cezar, Patrick, Renan Silva (NIG); Rafael Marques, Jean (VAS)
Gols: Rafael Marques, 38’/1ºT (0-1); Yago Pikachu, 31’/2T (0-2)

NOVA IGUAÇU: Jefferson, Vinicius Matheus, Raphael Azevedo, Murilo Henrique e Menezes; Iuri (Renan Silva, 13’/2ºT), Caio Cezar, Paulo Henrique e Wescley (Patrick, 33’/2ºT); Marlon (Alex Souza, 33’/2ºT) e Adriano. Técnico: Edson Souza.

VASCO: Martín Silva, Gilberto, Rodrigo, Rafael Marques e Henrique; Jean (Wagner, 42’/2ºT), Douglas, Yago Pikachu (Manga, 34’/2ºT), Kelvin (Julio dos Santos, 24’/2ºT) e Nenê; Luis Fabiano. Técnico: Milton Mendes

Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br