Arquivo da tag: vantagem

Flamengo derrota o Fluminense e consolida vantagem na ponta

Insaciável, o Flamengo, líder com ampla folga no Campeonato Brasileiro, superou o Fluminense no clássico deste domingo por 2 a 0, no Maracanã, pela 27ª rodada, e chegou à marca de 14 jogos de invencibilidade.

O time do português Jorge Jesus, que escalou o melhor que tinha à disposição, chegou ao triunfo com gols de Bruno Henrique e Gerson. O atacante, aliás, é o vice-artilheiro do Brasileirão, com 12 gols e balançou as redes pela nona vez em clássico neste ano, três contra cada um dos principais rivais do Flamengo.

Agora, são 13 vitórias nos últimos 14 jogos para a equipe, que alcançou os 64 pontos e manteve uma distância muito confortável em relação a Palmeiras e Santos. Os números impressionante convergem com o bom futebol apresentado. Já o Fluminense, depois de engatar uma série positiva, parou nos 29 pontos, acumulou a segunda derrota seguida e voltou a ficar mais perto da zona de rebaixamento.

Disparado na liderança do Brasileirão, o Flamengo esquece o torneio nacional por ora e se concentra no segundo jogo da semifinal da Copa Libertadores diante do Grêmio. O duelo será na próxima quarta-feira, às 21h30, no Maracanã. O time rubro-negro tem a vantagem de poder empatar sem gols.

O Fluminense faz na próxima rodada do Brasileirão, a 28ª rodada, um duelo direto contra o rebaixamento. O time enfrenta a Chapecoense no sábado, às 19h30, no Maracanã. No domingo, o Flamengo recebe o CSA, às 19 horas.

Neste domingo, a superioridade do Flamengo foi visível, de modo que Muriel salvou o Fluminense em vários momentos e a equipe só conseguiu incomodar em algumas investidas de Yony González.

O goleiro fez quatro defesas difíceis em duas finalizações de Gabriel, um arremate de Everton Ribeiro e em um cabeceio de Rodrigo Caio, mas não conseguiu parar Bruno Henrique, decisivo em clássicos. No início do jogo, aos três minutos, Rodinei cruzou na medida para o atacante cabecear no canto esquerdo e abrir o placar.

O técnico Marcão apostou em atacantes de velocidade e a estratégia até fez o Fluminense incomodar o rival, sem letalidade, contudo. Na principal chance tricolor, Diego Alves defendeu uma finalização de puxeta de Yony. O problema maior, no entanto, foi o desempenho defensivo. Havia muitos espaços para o Flamengo atacar e Muriel teve de intervir para evitar um revés maior.

Na etapa final, os comandados de Jorge Jesus dosaram a intensidade e o ritmo caiu, mas não o suficiente para ter sua vantagem ameaçada. Pelo contrário, ela foi ampliada com Gerson. Logo antes de ser substituído por Willian Arão, o meia recebeu de Reinier na direita, levou para o meio e arrematou com precisão no canto direito de Muriel. Jesus também tirou Filipe Luís, que acabara de se recuperar de lesão de campo, já pensando no duelo contra o Grêmio. No final, Lucão teve chance para diminuir o marcador, mas Diego Alves apareceu para garantir o triunfo por 2 a 0 do Flamengo.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2 X 0 FLUMINENSE
FLAMENGO – Diego Alves; Rodinei, Rodrigo Caio, Pablo Mari e Filipe Luís (Renê); Piris da Motta, Gerson (Willian Arão), Everton Ribeiro, Vitinho (Reinier) e Bruno Henrique; Gabriel. Técnico: Jorge Jesus.

FLUMINENSE – Muriel; Gilberto, Nino, Frazan e Caio Henrique; Allan, Daniel, Ganso (Lucão) e Nenê (Yuri Lima); Wellington Nem (João Pedro) e Yony González. Técnico: Marcão.

GOLS – Bruno Henrique, aos três minutos do primeiro tempo. Gerson, aos 20 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO – Anderson Daronco (Fifa/RS).
CARTÕES AMARELOS – Pablo Marí, Piris da Motta (Flamengo); Caio Henrique, Ganso, Yuri Lima, Lucão e Frazan (Fluminense).
PÚBLICO – 47.496 pagantes (52.279 no total).
RENDA – R$ 2.565.378,25.
LOCAL – Maracanã, no Rio (RJ).

 

Band

 

 

Flamengo bate o Inter e abre vantagem pela Libertadores

O Flamengo abriu boa vantagem na busca por um lugar na semifinal da Libertadores ao vencer por 2 a 0 o Internacional, nesta quarta-feira, no Maracanã. Sob os olhos de Tite, presente nas tribunas do estádio, o convocado Bruno Henrique foi o autor dos gols da vitória rubro-negra.

Os donos da casa dominaram grande parte do confronto, mas sofreram com a boa marcação do Internacional. No entanto, no segundo tempo, o Flamengo conseguiu passar pela retranca gaúcha para marcar duas vezes, com Bruno Henrique.

O jogo

A partida começou movimentada, com muita correria por parte das duas equipes. A primeira boa chance aconteceu somente aos oito minutos. Éverton Ribeiro chutou da entrada da área e obrigou Marcelo Lomba a espalmar para longe. Depois, foi a vez de Rodrigo Caio aproveitar escanteio, mas cabecear em cima do goleiro gaúcho.

O Internacional conseguiu equilibrar o confronto durante alguns minutos, só que pecava na parte ofensiva. O Flamengo continua buscando o ataque com mais intensidade e assustou novamente aos 18 minutos, em chute de Bruno Henrique que parou em Marcelo Lomba.

Durante boa parte da etapa inicial, o duelo ficou concentrado entre as intermediárias, com muitos lances físicos. O Flamengo seguia tendo o domínio da posse de bola, mas sofria com a boa marcação gaúcha. Os visitantes, quando tinham a bola, não aceleravam o jogo. Somente aos 45 minutos, os rubro-negros voltaram a ter chance de abrir o placar. Após cruzamento de Filipe Luís, Éverton Ribeiro dominou a bola na área e tocou para Gabigol. O atacante finalizou, mas foi travado por Rodrigo Moledo, que facilitou a defesa de Marcelo Lomba. Assim, o confronto ficou igual até o intervalo.

O segundo tempo iniciou com um nível de tensão maior. Tanto que a bola rolava pouco e as faltas ficaram mais frequentes. O Flamengo não conseguia exercer a mesma pressão da etapa inicial. Já o Internacional ficava com a bola no campo de ataque, mas sem qualquer objetividade.

Aos poucos, os donos da casa passaram a ter o domínio do confronto. No entanto, o Flamengo continuava tendo problemas para criar boas jogadas. Somente aos 29 minutos, os rubro-negros chegaram ao gol no Maracanã. Em contra-ataque rápido, Bruno Henrique foi lançado, mas foi travado por Victor Cuesta. A bola sobrou para Gerson, que tocou para o atacante mandar para a rede.

O gol fez o Internacional buscar o ataque, mas os gaúchos viram o Flamengo fazer o segundo aos 33 minutos. Bruno Henrique recebeu passe na área, girou sobre o marcador e chutou cruzado, sem chance para Marcelo Lomba.

Mesmo após o segundo gol, o Internacional não mudou a postura. Os gaúchos ainda tentavam os avanços, mas sofriam com os contra-ataques do Flamengo. Os cariocas tiveram a chance de ampliar a vantagem aos 40 minutos. Bruno Henrique foi lançado na área e dividiu com Marcelo Lomba. O atacante ficou com a bola e tocou para Gabigol. Só que o atacante furou a finalização para desespero dos rubro-negros.

Somente nos minutos finais, o Internacional criou uma jogada de perigo. Wellington Silva recebeu passe de Nico López, mas chutou pela linha de fundo. Os gaúchos seguiram em busca do gol e tiveram sua melhor oportunidade aos 46 minutos. Nico López roubou a bola de Pablo Marí, entrou na área, mas chutou pela linha de fundo, desta vez para desespero dos colorados. Assim, os donos casa casa mantiveram a vantagem até o apito final.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 2 X 0 INTERNACIONAL

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 21 de agosto de 2019 (Quarta-feira)

Horário: 21h30 (de Brasília)

Árbitro: Roberto Tobar (Chile)

Assistentes: Christian Schiemann (Chile) e Claudio Rios (Chile)

Renda: R$ 4.758.998,75

Público: 60.797 pagantes

Cartões amarelos: Willian Arão e Rafinha (Flamengo); Guerrero e Patrick (Internacional)

GOLS: Bruno Henrique, aos 29 e 33min do segundo tempo

FLAMENGO: Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Gustavo Cuéllar, Willian Arão, Éverton Ribeiro (Berrío) e De Arrascaeta (Gerson); Bruno Henrique (Piris da Motta) e Gabigol

Técnico: Jorge Jesus

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba, Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel, Rodrigo Lindoso, Edenílson (Guilherme Parede), D´Alessandro (Nico López) e Patrick, Rafael Sóbis (Wellington Silva) e Paolo Guerrero

Técnico: Odair Hellman

 

 

Gazeta Press

 

Corinthians vence Santos e fica em vantagem no paulista

Em um clássico com três falhas do setor defensivo, venceu quem errou menos. O Corinthians aproveitou melhor as oportunidades e derrotou o Santos por 2 a 1 neste domingo, em Itaquera, no jogo de ida das semifinais do Campeonato Paulista.

O zagueiro Manoel apareceu entre os zagueiros adversários e abriu o placar para o time da casa. Mas Cássio falhou e permitiu o Santos empatar com Derliz González com sete minutos de partida. Ainda na etapa inicial, Luiz Felipe afastou mal e a bola sobrou para Clayson garantir a vitória.

O resultado deixa a equipe de Fábio Carille com a vantagem do empate no duelo de volta, marcado para segunda-feira, às 20h, no Pacaembu. Se o Santos ganhar por um gol de diferença a decisão da vaga vai para os pênaltis. Na outra semifinal, Palmeiras e São Paulo empataram o primeiro jogo sem gols no Morumbi e jogam novamente no domingo, no Allianz Parque.

O Corinthians volta a campo na quarta-feira, quando receberá o Ceará na partida de volta da terceira fase da Copa do Brasil. O time paulista venceu a ida, fora de casa, por 3 a 1. Pela mesma competição, o Santos visitará o Atlético-GO na quinta-feira no primeiro confronto entre as equipes.

Em Itaquera, quem esperava o Santos tocando de um lado ao outro e o Corinthians com suas duas linhas de quatro esperando a falha do adversário teve de esperar os surpreendentes dez minutos iniciais. Sornoza cruzou da esquerda logo aos três, Manoel apareceu livre entre os zagueiros adversários e mandou de cabeça para as redes.

A resposta do Santos veio em seguida também na bola parada. Jean Mota cobrou escanteio da direita, Cássio saiu mal e deixou a bola escapar. Derliz González aproveitou e fez: 1 a 1. Só a partir daí as coisas voltaram ao normal. O Corinthians adotou o mesmo padrão dos jogos com a Ferroviária, postura diferente do duelo com o Santos pela primeira fase. Em vez de marcar sob pressão, esperava o adversário em seu campo de defesa.

O Santos era o mesmo, girava a bola com passes curtos até chegar aos pés do goleiro Vanderlei, deixando seu torcedor sem ar. Faltava um finalizador no ataque. As equipes tinham dificuldade para criar até que veio mais uma falha. O zagueiro Luiz Felipe afastou de cabeça nos pés de Clayson, que cortou Victor Ferraz na esquerda e bateu cruzado no canto oposto de Vanderlei para marcar.

Nos minutos finais da primeira etapa, o zagueiro Felipe Aguilar se chocou com Danilo Avelar e desmaio na pequena área. O jogador deixou o campo de ambulância e deu lugar a Lucas Veríssimo. De acordo com a assessoria de imprensa do Corinthians ele recebeu atendimento no posto médico do estádio e depois foi encaminhado “consciente e responsivo” ao Hospital Sírio Libanês.

No segundo tempo, Sampaoli colocou Rodrygo na vaga de Cueva para tentar dar mais mobilidade ao ataque. O Santos até tentou esboçar uma pressão. Mas o Corinthians era mais eficiente. Clayson mandou de bicicleta e Vanderlei quase soltou nos pés de Vagner Love.

O Corinthians não deixava o Santos criar. Apesar de ter menos posse de bola, a equipe de Carille segurava o adversário na intermediária. O time visitante passou a tentar mais as laterais do campo, mas não tinha um centroavante para finalizar. Luiz Felipe teve a chance de se redimir nos minutos finais, mas cabeceou por cima garantindo a vitória aos anfitriões.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS 2 X 1 SANTOS

CORINTHIANS – Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Junior Urso e Sornoza (Richard); Vagner Love (Pedrinho), Gustagol e Clayson (Mateus Vital). Técnico: Fábio Carille.

SANTOS – Vanderlei; Victor Ferraz, Aguilar (Lucas Veríssimo), Luiz Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca, Carlos Sánchez (Soteldo), Jean Mota e Cueva (Rodrygo); Derliz González. Técnico: Jorge Sampaoli.

GOLS – Manoel, aos 3, Derliz González, aos 7, e Clayson, aos 31 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO – Vinícius Gonçalves Dias Araújo.

CARTÕES – Sornoza (Corinthians); Vanderlei e Alison (Santos)

PÚBLICO – 39.919 pagantes.

RENDA – R$ 2.467.185,50.

LOCAL – Arena Corinthians, em São Paulo.

 

 

Estadão

 

 

Com vantagem, Cruzeiro recebe Flamengo pelas oitavas da Libertadores

O Cruzeiro construiu uma boa vantagem no primeiro duelo contra o Flamengo, no início do mês, pela Copa Libertadores, com vitória por 2 a 0. Agora as equipes reencontram, na noite desta quarta-feira, no Mineirão, para definir quem avança às quartas de final do torneio continental para enfrentar o vencedor do embate entre Boca Juniors e Libertad, do Paraguai, que duelam nesta quinta-feira, em La Bombonera, na Argentina. Na ida, o time argentino ganhou por 2 a 0.

A Raposa chega embalada para o jogo. No Brasileirão, no último sábado, a equipe voltou a vencer e bateu o Fluminense por 2 a 1, acabando com o jejum de um mês sem triunfar na competição nacional. Na Copa do Brasil a coisa anda bem encaminhada, o time está nas semifinais, e terá o Palmeiras pela frente.

Nos treinamentos na Toca da Raposa II, em Belo Horizonte, o Cruzeiro foi muito bem recebido pelos torcedores. No dia anterior ao jogo, os atletas foram recepcionados pelos fanáticos, que fizeram uma bela festa. No Mineirão, outra grande exibição das arquibancadas está programada com mais de 60 mil ingressos vendidos. Nos treinamentos, Mano Menezes pediu privacidade. Os jornalistas não puderam acompanhar nada que foi feito, nem mesmo o aquecimento.

O treinador tem duas grandes dúvidas para o duelo contra o Flamengo. Uma na lateral-direita e outra no ataque. Na ala, Mano não confirmou o retorno de Edilson. Ele pode manter Lucas Romero, que embora seja volante desempenha um ótimo papel na posição. Na frente, o treinador ainda não confirmou se vai de Raniel ou Barcos. O Pirata ainda não encontrou seu melhor futebol com a camisa celeste, enquanto o brasileiro pede passagem a cada jogo, marcando gols e dando muita mobilidade ao setor.

Pelo lado do Flamengo, Maurício Barbieri vai manter a base que vem jogando, sem mudanças profundas. As duas equipes fazem boas campanhas no Brasileirão, mas preservaram alguns titulares no fim de semana. O Flamengo, também em Belo Horizonte, só que na Arena Independência, ficou no empate por 2 a 2 com o América-MG, figurando na terceira colocação. O São Paulo lidera com 45 pontos.

“No futebol, em um jogo entre duas grandes equipes como são Flamengo e Cruzeiro, qualquer coisa pode acontecer. Portanto, precisamos trabalhar com muita seriedade e em busca de um resultado positivo. Antes de pensar no gol, temos que criar chances. Trabalhar bola, conseguir espaços e aproveitar. A classificação é complicada, mas está ao nosso alcance se estivermos em um grande dia e colocarmos em prática aquilo que foi trabalhado. Embora, o respeito ao Cruzeiro sempre vai existir”, disse Barbieri.

Para colocar seu plano em prática o elenco flamenguista aposta na concentração. “Vai ser um duelo muito complicado, pois são dois times qualificados. Podemos conquistar um resultado positivo e por isso mesmo temos que entrar em campo ligados e tentando nos impor, mas sem perder a capacidade de concentração”, observou o meia Diego.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO X FLAMENGO

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 29 de agosto de 2018 (Quarta-feira)

Horário: 21h45(de Brasília)

Árbitro: Andres Cunha (Uruguai)

Assistentes: Nicolás Tarán (Uruguai) e Mauricio Espinosa (Uruguai)

CRUZEIRO: Fábio, Lucas Romero (Edilson), Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Robinho, Thiago Neves e Arrascaeta; Barcos (Raniel).

Técnico: Mano Menezes

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Réver, Léo Duarte e Renê; Gustavo Cuéllar, Lucas Paquetá, Diego, Everton Ribeiro e Vitinho; Henrique Dourado

Técnico: Maurício Barbieri

Gazeta Esportiva
(Foto: Divulgação)

Banco do Brasil oferece vantagem a servidores estaduais que mantiverem conta-salário

Os servidores do estado da Paraíba que mantiverem seus salários no Banco do Brasil (via portabilidade do salário – LOB) terão uma série de vantagens e benefícios, que vão além do que é oferecido por outras instituições financeiras.

São benefícios exclusivos, como isenção de pacotes de serviços e de anuidade de cartão de crédito por 12 meses ou pelo mesmo período que eventualmente outra instituição financeira oferecer.

A taxa do crédito consignado já é a menor do mercado e continuará sendo. Ao optar pelo recebimento de salário no BB, os servidores terão também acesso a condições diferenciadas no crédito imobiliário, em seguros, consórcios e no CDC Salário.

As condições e todos os detalhes estão disponíveis no site bb.com.br/servidorparaiba.

Mantendo o recebimento de salário no BB, o servidor não precisará se preocupar em cancelar e autorizar débitos automáticos de contas de luz, telefone e convênios, por exemplo.

Foto: Reprodução/ Internet

Foto: Reprodução/ Internet

Tampouco precisará migrar contratos de crédito e recontratar seguros e previdências em novas condições e carências.

E não precisa ficar com duas contas correntes. Basta optar pela conta salário no outro banco, que é um direito do trabalhador, não há tarifas e ele pode optar pela portabilidade.

O BB conta com a maior rede de atendimento do estado da Paraíba. O app Banco do Brasil é melhor entre os bancos, de acordo com avaliação nas lojas de aplicativos do Google e da Apple.

É o quinto aplicativo preferido pelos brasileiros, de acordo com resultado da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box.

O BB ficou atrás apenas de grandes empresas de tecnologia ou redes sociais. A pesquisa é feita semestralmente e se encontra no seu terceiro ano de realização.

O Banco do Brasil respeita a lei da Livre Opção Bancária (LOB) e o servidor tem o direito de escolher o seu banco.

Veja as orientações aos servidores que desejam receber salário no BB:

a) Solicitar abertura de conta salário (que não cobra tarifa) em outra instituição financeira e pedir a esse banco a portabilidade do salário para o BB, conforme previsto nas resoluções nº 3.402, de 06/09/2006 e 3.424, de 21/12/2006, do Conselho Monetário Nacional;

b) O salário será creditado no BB na mesma data e com o mesmo valor que seria em outra instituição financeira.

paraibaonline

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Renato Chaves falha, e Fla abre vantagem sobre Flu na final

O Flamengo largou na frente na disputa pelo título do Campeonato Carioca. Graças a uma falha bisonha do zagueiro Renato Chaves, o Rubro-Negro venceu o Fluminense, por 1 a 0, na noite deste domingo, no Maracanã. O time da Gávea foi superior no primeiro tempo e segurou o ímpeto do Tricolor das Laranjeiras na segunda etapa. No geral, o jogo foi bom e com muitas chances.

Fluminense x Flamengo
Fluminense x Flamengo

Foto: Reginaldo Pimenta / Raw Image / LANCE!

No próximo domingo, o Flamengo joga pelo empate para conquistar o Estadual. O Fluminense, por outro lado, precisa vencer por dois gols de diferença para levar o troféu sem depender da disputa por pênaltis.

O Flamengo partiu para cima do Fluminense nos primeiros minutos e chegou com perigo em duas finalizações. A boa movimentação de Éverton dificultava a marcação tricolor, e Guerrero fazia o pivô de maneira inteligente. Acuado, o time de Abel tentava sair no contra-ataque, mas tinha muitas dificuldades.

O Flu demorou a entrar no jogo, mas mostrou que estava vivo em falta sofrida por Richarlison. O atacante quase invadiu a área do Flamengo e animou a os tricolores. Por alguns momentos, o jogo ficou num intenso lá e cá, com as torcidas indo à loucura. Berrío levantou o Maracanã com suas arrancadas em altíssima velocidade, mas faltava eficácia.

De maneira inesperada e bisonha, Renato Chaves deu um presente para Éverton abrir o placar aos 33 minutos. Pará lançou para frente, aparentemente num lance sem perigo. Contudo, o zagueiro se atrapalhou, perdeu o tempo da bola e furou. O camisa 22 do Flamengo aproveitou, ajeitou o corpo e chutou colocado, sem defesa para Cavalieri.

As equipes continuaram criando oportunidades. Na mais clara delas, o Flu quase empatou. Léo foi lançado por Wellington Silva e cruzou para a área, rasteiro, mas Rafael Vaz cortou perfeitamente.

SEGUNDO TEMPO

O Fluminense iniciou o segundo tempo pressionando, em busca do empate. O time de Abel Braga criou boas chances pelas pontas, mas o Flamengo estava atento na defesa. A galera tricolor quase explodiu de alegria quando Richarlison acertou o travessão em chute desviado em Rafael Vaz.

Com o Flu avançado, o Rubro-Negro tinha espaço para tentar contra-ataques. Num deles, Guerrero quase ampliou. O peruano deu bom chute cruzado da entrada da área, mas Cavalieri se esticou e espalmou.

O jogo ficou um pouco morno com o passar do tempo, mas, ainda assim, aberto. Nos minutos finais, a emoção voltou. O Fla teve boas chances para aumentar a vantagem, mas faltou pontaria. O Flu também pressionou, mas o jogo terminou mesmo 1 a 0.

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE 0 X 1 FLAMENGO

Data/hora : 30/4/2017, às 16h
Local : Maracanã (RJ)
Árbitro : João Batista de Arruda (RJ)
Auxiliares : Rodrigo Figueiredo (RJ) e Wagner de Almeida Santos (RJ)
Cartões amarelos : Henrique, Léo e Sornoza (FLU), Márcio Araújo, Trauco e Mancuello (FLA)
Público e renda : 34.926 pagantes / 40.898 presentes / R$ 1.660.605,00

Gol : Éverton, 33’/1°T (0-1)

FLUMINENSE : Diego Cavalierri, Lucas, Renato Chaves, Henrique e Léo; Orejuela, Wendel (Douglas, 27’/2°T) e Sornoza; Wellington Silva (Marcos Junior, 28’/2°T) Richarlison (Pedro, 36’/2°T) e Henrique Dourado. Técnico : Abel Braga.

FLAMENGO : Muralha, Pará, Réver, Vaz e Trauco; Márcio Araújo, Arão e Rômulo (Mancuello, 17’/1°T); Berrío (Matheus Sávio, 41’/2°T), Éverton e Guerrero (Leandro Damião, 33’/2°T). Técnico : Zé Ricardo.

LanceNet

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

São Paulo faz 2 a 0 no Linense e abre vantagem por vaga

Foto: Maurício Rummens/ Agência Lancepress! / LANCE!
Foto: Maurício Rummens/ Agência Lancepress! / LANCE!

O Linense pensou nas contas, na vida administrativa. Assim, abriu caminho para que as duas partidas das quartas de final do Campeonato Paulista contra o São Paulo fossem realizadas no Morumbi. Uma decisão baseada no lucro, mas que tinha um preço. Um “cavalheirismo” que foi repassado ao primeiro jogo, neste domingo, com o gol contra que iniciou o triunfo por 2 a 0 dos tricolores.

A passividade do time de Lins foi traduzida na postura defensiva, Os 11 atrás da linha da bola, quase encaixotados na grande área. Parecia não haver nem sequer interesse em agredir. Tanto é que a primeira chance foi linense por acaso e fez o São Paulo se lembrar de que estava em casa, mesmo com apenas 15 mil torcedores presentes no Morumbi.

Os 20 minutos finais foram de pressão total do Tricolor. A equipe de Rogério Ceni já havia mostrado que retomara a marcação mais adiantada nos primeiros minutos, mas custava a criar. A criação melhorou, os pontas atacavam com facilidade e uma atuação gigante de Jucilei deu tranquilidade para que o foco fosse sempre o ataque.

Enquanto o volante colecionava desarmes e uma boa distribuição de jogo, o goleiro Victor Golas tentava ser menos gentil com os são-paulinos. Mas depois de parar Pratto e companhia no primeiro tempo, o arqueiro foi castigado por fogo amigo, em mais um presente do Linense. Rodrigo Caio apareceu bem na segunda trave, tocou para trás e Diego Felipe, no susto, fez contra aos quatro minutos da etapa final.

O domínio são-paulino persistiu, Golas seguiu mostrando serviço, mas marcar um gol parecia causar sofrimento aos comandados de Rogério Ceni. Pratto teve jornada ruim e o estreante Thomaz, que entrou na vaga de Luiz Araújo, pouco apareceu. E quando o Linense, mais uma vez prestativo, teve Maycon expulso, imaginava-se mais pressão por uma vitória mais larga.

O que se viu, porém, foi uma queda brusca de ritmo e frustração da torcida pelo fato do São Paulo ter feito apenas 1 a 0. Sobraram até vaias para Wellington Nem, substituído por Shaylon nos acréscimos. Uma alteração banal? Nada! O garoto entrou, cruzou no capricho e Golas espalmou. Mas sem heroísmo desta vez, e sim generosidade tipicamente linense: bola na cabeça de Pratto e gol tricolor, para alívio da torcida e do argentino.

O duelo de volta com o Linense será às 16h de sábado, de novo no Morumbi. Antes de definir se irá às semifinais do Paulistão, o Tricolor ainda jogará na Argentina contra o Defensa y Justicia, na estreia na Copa Sul-Americana. O duelo será às 19h15 de quarta-feira.

FICHA TÉCNICA

LINENSE 0 X 2 SÃO PAULO

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 2/4/2017
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Danilo Ricardo Simon Manis
Público/renda: 15.480 presentes / R$ 396.216,00
Cartões amarelos: Carleto, Diego Felipe (Linense); Buffarini
Cartão vermelho: Maycon, 34’/2ºT (Linense)
Gols: Diego Felipe (contra), 4’/2ºT (0-1); Pratto, 48’/2ºT (0-2)

LINENSE: Victor Golas, Bruno Moura, Rodrigo Lobão, Caíque e Carleto (Bruno Costa – 44’/2ºT); Pio, Maycon, Zé Antonio e Diego Felipe (Tatá – 40’/2ºT); Thiago Humberto (Thiago Santos – 20’/2ºT) e Gabrielzinho. Técnico: Márcio Fernandes.

SÃO PAULO: Renan Ribeiro, Buffarini (Araruna – 26’/2ºT), Maicon, Rodrigo Caio e Júnior Tavares; Jucilei, Thiago Mendes e Cícero; Wellington Nem (Shaylon – 47’/2ºT), Luiz Araújo (Thomaz – 20’/2ºT) e Lucas Pratto. Técnico: Rogério Ceni.

Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Ponte bate Santos e fica em vantagem nas quartas do Paulista

A Ponte Preta saiu na frente na disputa pela semifinal do Campeonato Paulista. Pressionando nos minutos iniciais e contando com a lentidão do Santos, a Macaca venceu por 1 a 0, com gol do artilheiro William Pottker, na tarde deste sábado, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, e assegurou a vantagem para o duelo de volta contra os santistas.

Willian Pottker (C), jogador da Ponte Preta, comemora seu gol durante a primeira partida contra o Santos FC, válida pelas quartas de final do Campeonato Paulista 2017.
Willian Pottker (C), jogador da Ponte Preta, comemora seu gol durante a primeira partida contra o Santos FC, válida pelas quartas de final do Campeonato Paulista 2017.

Foto: Ale Cabral/ Agif/Gazeta Press

Com a vitória, a Macaca precisa somente de um empate no jogo de volta para alcançar a classificação às semifinais do Paulistão. O Santos, por sua vez, se vê obrigado a vencer por dois gols de diferença para conquistar a vaga direta. Caso o alvinegro vença por apenas um gol, o confronto será decidido na disputa de pênaltis.

As duas equipes voltam a se enfrentar apenas no próximo dia 10, uma segunda-feira às 20h (de Brasília), no Pacaembu.

Ponte começa em cima e abre o placar

O duelo começou movimentado no Moisés Lucarelli, com as duas equipes buscando o ataque. Porém, a Ponte rapidamente dominou as ações e teve a primeira grande oportunidade com o artilheiro William Pottker. Aos 6 minutos, o atacante aproveitou indecisão de David Braz e Lucas Veríssimo para avançar dentro da área e encobrir o goleiro Vanderlei. A bola até tocou na rede, mas pelo lado de fora.

Logo na sequência, Clayson deu lindo drible em Jean Mota e cruzou para Pottker. Mas antes da redonda chegar no centroavante, Lucas Veríssimo antecipou-se e salvou o alvinegro.

Mesmo após sofrer com duas oportunidades claras, o Santos não conseguia achar os espaços no meio de campo e sofria com a velocidade do time de Campinas. E foi justamente em uma jogada rápida que a Ponte abriu o placar.

Aos 20 minutos, Clayson lançou para Nino Paraíba dentro da área. Aproveitando-se da marcação atrasada da defesa santista, o lateral tocou para Pottker apenas empurrar para o fundo das redes e deixar a Macaca na frente.

O tento ‘acordou’ a equipe comandada por Dorival Júnior, que chegou duas vezes após os 30 minutos. A primeira chance foi com Ricardo Oliveira. O centroavante recebeu de Bruno Henrique dentro da área. Livre, ele soltou uma bomba, que parou nas mãos de Aranha.

No lance seguinte, Vitor Bueno tentou cruzamento pela esquerda e a bola desviou no defensor da Ponte. Porém, lá estava Aranha, que no reflexo, fez outra bela defesa e impediu o empate santista no primeiro tempo.

Peixe melhora, mas não alcança empate

Após Vitor Bueno passar a etapa inicial apagado e com a equipe sofrendo pelo lado esquerdo, o técnico Dorival Júnior resolveu tirar o camisa 7 para promover a entrada de Copete. A mudança surtiu efeito nos minutos iniciais e o Santos voltou do intervalo ligeiramente melhor que a Ponte.

Aos cinco minutos, o colombiano avançou pela esquerda, driblou Fernando Bob e cruzou para Ricardo Oliveira. O centroavante bateu de primeira, mas a bola foi alta demais e passou por cima do gol de Aranha.

Apesar do domínio no meio, o alvinegro não conseguia traduzir o melhor momento em chances claras de gol. A Ponte Preta, por sua vez, apostava nos contra-ataques e quase ampliou o marcador em uma jogada dessas. Aos 17 minutos, David Braz falhou e deixou Pottker completamente livre para cabecear. O goleiro Vanderlei pegou, mas deu rebote e o atacante encheu o pé. A bola bateu em cheio no rosto do camisa 1 e foi afastada na sequência.

Depois da grande chance desperdiçada, a Macaca diminuiu o ritmo novamente e apenas esperava o Santos no campo de defesa. Os comandados de Dorival Júnior, porém, seguiram sem conseguir assustar o goleiro Aranha e o duelo terminou mesmo com a triunfo da Ponte em Campinas.

FICHA TÉCNICA

PONTE PRETA 1 X 0 SANTOS

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)

Data: 01 de abril de 2017, sábado

Horário: 15h (de Brasília)

Árbitro: Salim Fende Chavez

Assistentes: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa e Bruno Salgado Rizo

Público: 11.545

Renda: R$ 227.280,00

Cartões amarelos: PONTE PRETA: Jadson e Fernando Bob.

GOLS:

PONTE PRETA: William Pottker, aos 20 do 1ºT;

PONTE PRETA: Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Yago e Reynaldo; Fernando Bob, Elton e Jadson (Renato Cajá); Clayson, Lucca (Wendel) e Pottker (Lins).

Técnico: Gilson Kleina

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato (Rafael Longuine), Thiago Maia e Lucas Lima; Bruno Henrique, Vitor Bueno (Copete) e Ricardo Oliveira (Kayke).

Técnico: Dorival Júnior

Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Palmeiras bate América-MG sem correr riscos e mantém vantagem na ponta

palmeirasO Palmeiras teve um começo avassalador, abriu o placar logo aos 2 minutos e deu a impressão que iria golear o lanterna América-MG. A opção do time paulista, no entanto, foi não assumir riscos e garantir os três pontos na tarde deste domingo (9), em Londrina. Os gols foram marcados por Tchê Tchê, que ainda não havia feito gol no Brasileirão, e Alecsandro, que volta a marcar após mais de três meses de jejum que incluem até uma suspensão por doping que se revelou errado.

Durante boa parte do jogo, os palmeirenses “tiraram o pé”, controlaram o jogo e optaram por não se desgastar em busca de uma vantagem maior. Na metade final do segundo tempo, inclusive, os zagueiros deixaram até de subir em algumas jogadas de bola parada. Cuca percebeu a situação e promoveu mudanças para que manter a segurança.

A equipe paulista agora chega ao 12º jogo consecutivo sem ser derrotado, com 60 pontos e a liderança. O vice-líder, o Flamengo, chegou aos 57 após vencer o Santa Cruz no Pacaembu. Os mineiros, por sua vez, seguem na lanterna com 21 pontos, 13 a menos que o Sport, primeiro time fora da zona de rebaixamento.

Depois de vencer, o Palmeiras volta a São Paulo e se prepara durante a semana para enfrentar o Cruzeiro. O jogo está marcado para quinta-feira (13), às 19h30, em Araraquara, no interior do Estado. Já o América-MG segue seu calvário contra a queda no mesmo dia e horário, contra o Atlético-MG, o Mineirão.

Tchê Tchê desencanta

O Palmeiras teve um início arrasador e, com três minutos, conseguiu criar duas chances claras de gol de forma consecutiva. Roger Guedes foi lançado dentro da área, deu belo domínio e ficou cara a cara com João Ricardo. No chute, o goleiro do América-MG levou a melhor. Segundos depois, no entanto, ele seria vencido.

Na cobrança de escanteio, a bola sobrou na entrada da área para Tchê Tchê. O meio-campista disparou belo chute e fez o primeiro gol dele com a camisa alviverde no Brasileirão.

Palmeiras para nos passes errados

Depois de abrir 1 a 0 e sufocar o América-MG no início do jogo, a equipe paulista diminuiu o ritmo e abusou dos erros de passe: foram 18 no primeiro tempo. Por isso, teve apenas uma chance clara de gol após abrir o placar, com Erik. Aos 13 minutos, ele recebeu belo passe de Dudu após tabela e errou na finalização. Os mineiros, por sua vez, não colocaram Jaílson para trabalhar.

Zagueiro sai chorando

No segundo tempo, o América-MG precisou substituir Roger, seu zagueiro. Em uma pancada, o atleta provavelmente quebrou o nariz e foi substituído a pedido médico por precaução. Ao precisar deixar o jogo, ele caiu no choro.

Palmeiras tira o pé do acelerador

Assim como aconteceu depois de abrir o placar no primeiro, o Palmeiras preferiu não se arriscar de jeito algum no segundo tempo. A equipe optou por trocar passes e só avançar na segurança. Por vezes, a marcação, que normalmente é alta e começa na saída de bola, estava posicionada apenas atrás do meio-campo. A tranquilidade em ver o adversário trocar a bola, aliás, gerou certa irritação dos palmeirenses em Londrina. Como mostrou a transmissão da TV Globo, Cuca ordenou até que seus zagueiros parassem de subir em algumas jogadas de bola aérea no fim do segundo tempo.

Alecsandro volta a marcar após três meses

Alecsandro pensou até em encerrar a carreira após cair em um exame de doping por anabolizantes. A punição veio em agosto e, ainda no mês passado, o atacante conseguiu provar sua inocência e teve a volta aos gramados liberado. Aos 42 minutos, ele recebeu bola pela direita e chutou travado com os zagueiros. A bola entrou e sacramentou a vitória alviverde.

Estádio virou alviverde

Como era de se esperar, o Estádio em Londrina foi completamente dominado por palmeirenses. O mando era do América-MG, que optou pro vender a partida para a cidade paranaense. Além disso, a presença dos palmeirenses não era esperada no primeiro momento por causa da suspensão imposta pelo STJD, que previa alguns jogos sem torcida visitante como punição à briga entre organizadas do Flamengo. Como o próprio mandante optou por comercializar entradas para os palmeirenses, a proibição foi deixada de lado.

FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG 0 x 2 PALMEIRAS

Local: Estádio do Café, em Londrina (PR)
Data: 9 de outubro de 2016 (domingo)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
Assistentes: Luiz Claudio Regazone e Dibert Pedrosa Moises (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Roger e Gilson (AMG); Roger Guedes (PAL)
Cartão vermelho: Fernando Leal (AMG)
Gols: Tchê Tchê, aos 2 minutos do 1º tempo; Alecsandro, aos 42 min do 2º tempo

AMÉRICA-MG: João Ricardo; Pablo, Roger (Messias), Éder Lima e Gilson; Leandro Guerreiro, Juninho, Ernandes (Danilo Barcelos) e Tony; Matheusinho (Osman) e Michael.
Técnico: Enderson Moreira.

PALMEIRAS: Jailson; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio; Zé Roberto, Tchê Tchê e Moisés (Cleiton Xavier); Dudu (Rafael Marques), Róger Guedes e Erik (Alecsandro).
Técnico: Cuca.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Belo x Boa Esporte termina em empate, mas Botafogo leva vantagem para segundo jogo

Halex Venâncio
Halex Venâncio

Botafogo-PB e Boa Esporte-MG empataram em 0x0, na noite desta sexta-feira (30), na primeira partida das quartas de final da Série C do Campeonato Brasileiro.

No primeiro tempo, o Belo teve chances de abrir o placar, mas desperdiçou ataques e contra ataques. Já o Boa Esporte se defendeu e tentou ameaçar o Belo.

O segundo tempo começou com o Belo atacando e acertando o travessão do Boa Esporte logo aos seis minutos, com Pedro Castro.

Aos 12 minutos o Botafogo-PB conseguiu marcar, mas teve o gol anulado após a arbitragem constatar impedimento do atacante Carlinhos.

A melhor chance do Boa Esporte no jogo saiu aos 28 minutos, com Rodolfo, que chutou forte para uma boa defesa de Michel Alves.

Aos 38 minutos o Belo teve o volante Djavan expulso, após ele acertar uma cotovelada em um meia do Boa Esporte.

Com o resultado, o Belo vai jogar por um empate, em qualquer placar acima de 1×1, ou uma vitória simples para avançar a semifinal e garantir vaga na Série B em 2017. Para seguir na competição, o Boa Esporte vai precisar vencer por qualquer placar. Novo empate em 0x0 leva a decisão da vaga para os pênaltis.

A partida de volta vai acontecer no dia 9 de outubro, às 11h, em Varginha.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br