Arquivo da tag: Vacinação

Paraíba terá vacinação contra febre amarela em 2020

Foi publicado na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira (6) o Plano de Implantação da Vacina de Febre Amarela na Paraíba. A iniciativa tem por objetivo neutralizar o corredor ecológico de risco para possível introdução da febre amarela na região Nordeste.

De acordo com o plano, a Secretaria de Saúde deverá atuar para a capacitação do profissionais atuantes nas salas de vacina dos municípios para o manuseio da vacina. A imunização será iniciada para atender aos grupos de risco, estabelecida da seguinte forma:

* Implantação da vacina para crianças de 9 meses a menores de 5 anos nas regiões que fazem parte do corredor de risco para a introdução do vírus, totalizando 154.386 crianças- entre janeiro e maio de 2020;

* Implantação da vacina para crianças de 9 meses a menores de 5 anos nas demais regiões do Estado, totalizando 123.030 crianças- entre agosto e dezembro de 2020;

* Ampliação gradativa das demais faixas etárias, até 59 anos, totalizando 3.064.613 pessoas- todo a ano de 2021.

Confira abaixo como será feito o processo de implantação da vacinação, a partir do próximo ano.

A área em laranja indica os municípios onde será iniciada a vacinação. Já a área em branco mostra a segunda etapa de introdução do procedimento no estado.

Alexandre Freire

 

 

Sarampo: Segunda etapa da campanha de vacinação começa segunda-feira

Na próxima segunda-feira (18), terá início a segunda etapa da Campanha de Vacinação contra o Sarampo, que segue até o dia 30, quando acontecerá o Dia D. Serão vacinadas as pessoas com idade entre 20 e 29 anos. Este tema esteve em pauta na reunião do Grupo Técnico de Vigilância das Coberturas vacinais, nesta quinta-feira (14) pela manhã, na sede da Secretaria de Estado da Saúde (SES). O Grupo é formado por representações da Comissão Intergestores Regionais – CIR; coordenadores regionais de imunização; técnicos da Vigilância em Saúde; Atenção Básica e representantes do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde – Cosems.

Além de debater a Campanha de Vacinação, o Grupo avaliou, comparativamente, a cobertura vacinal dos anos 2017/2018/2019, em todo estado, por regiões, bem como fez uma avaliação da condução do processo de trabalho do grupo por dentro das CIR e houve um momento para discutir a Portaria de nº 2722, de 15 de outubro de 2019, que estabelece incentivo financeiro para implementação e fortalecimento das ações de ampliação da cobertura vacinal da Tríplice Viral e de prevenção, controle do surto e interrupção da cadeia de transmissão do sarampo e outros agravos imunopreveníveis (aqueles que podem ser evitadas de forma eficaz através de vacinas), no âmbito da Vigilância em Saúde e Atenção Primária à Saúde.

De acordo com a Portaria, o Ministério da Saúde está enviando recursos, diretamente, para os municípios. O valor é definido pela quantidade de habitantes do local (IBGE 2016). Para cada habitante o valor definido é de um real.

O Grupo foi formado em 2017 e se reúne a cada três meses. O objetivo é discutir temas ligados à vacinação. “Em pouco tempo de formação, temos feito grandes debates e, a partir disso, têm surgido bons resultados, a exemplo da cobertura vacinal em todo estado, com destaque para o ano de 2018”, disse a chefe do Núcleo de Imunização da SES, Isiane Queiroga.

“É importante frisar que, para que os frutos do grupo aconteçam, precisamos que as discussões em CIR fortaleçam o processo de trabalho da vigilância das coberturas vacinais em cada território”, concluiu.

 

Secom-PB

 

 

PB supera meta de vacinação contra sarampo, aponta boletim

Um levantamento sobre a vacinação contra o sarampo divulgado, no último dia 29, pelo Ministério da Saúde, mostra que o Brasil superou a meta de vacinação com 95% de cobertura vacinal em crianças de um ano. Segundo o boletim, a Paraíba atingiu 95,25% de cobertura. Em todo o Brasil, 14 estados conseguiram atingir o índice ideal de vacinação.

O relatório do Ministério apresenta que dos 223 municípios da Paraíba, 106 estão igual ou superior dos 90% de cobertura vacinal. Os dados foram levantados após primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação, quando crianças de seis meses a menores de cinco anos tiveram a caderneta de vacinação avaliada.

Já a Secretária Estadual de Saúde da Paraíba, apresentou o último boletim no dia 24 de outubro que confirmou 21 casos de sarampo. E foram notificados 273 casos suspeitos em 74 municípios.

Outros estados e nova campanha contra sarampo

Os estados que atingiram a meta de vacinação são: Alagoas, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Espírito Santo, Ceará, Paraná, Santa Catarina, Sergipe, Rio Grande do Sul, Tocantins, Goiás, São Paulo e Paraíba. Em relação aos municípios, 34,5% (1.923) precisam reforçar os esforços para atender a meta de vacinação. A partir de 18 de novembro, a segunda etapa da campanha se inicia. Um novo grupo, composto por adultos de 20 a 29 anos que não estão com a caderneta de vacinação em dia, terão a oportunidade de se vacinarem até 30 de novembro, quando termina a campanha.

Levantamento da situação vacinal

O Ministério da Saúde fez um levantamento de 6,5 milhões de registros da situação vacinal de crianças para análise. Os dados são de crianças de seis meses a menores de cinco anos. Na lista, consta o quantitativo de doses aplicadas da tríplice viral, que protege contra o sarampo, rubéola e caxumba, de cada registro. O documento servirá para que os gestores locais definam estratégias para realização de busca ativa das crianças com o esquema vacinal incompleto.

“A lista das crianças não vacinadas é uma iniciativa do Ministério da Saúde para potencializar o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias na busca ativa dessas crianças. A medida vai apoiar os municípios no alcance da meta de cobertura vacinal contra o sarampo, para que eles consigam receber o restante dos R$ 206 milhões liberados pela pasta para ações locais de vacinação. Com esse reforço financeiro e a estratégia da busca ativa, os municípios terão fôlego para organizar e implantar mais ações de imunização a quem mais precisa”, destacou o secretário de Atenção Primária à Saúde, Erno Harzheim.

Verificação do cartão de vacina

A orientação do Ministério é que os profissionais de saúde deverão checar se o número de doses aplicadas da vacina é o recomendado pelo Ministério da Saúde para a idade da criança, de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação. O objetivo, além de aumentar a cobertura vacinal, é estimular que os gestores atualizem suas bases de dados de vacinação.

Os municípios que contam com o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e os Agentes de Combate às Endemias (ACE) podem utilizar os profissionais para a ação, já que eles conhecem as famílias e crianças da sua região. Os municípios que não contam com esses profissionais podem utilizar o serviço das Equipes de Saúde da Família (ESF) e os profissionais que atuam nas unidades de Atenção Primária à Saúde.

 

portalcorreio

 

 

Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo começa segunda-feira

Em parceria com os governos estaduais, distrital e municipais, o Ministério da Saúde inicia, na próxima segunda-feira (7), a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. Na primeira fase, que vai até o dia 25 de outubro, o público-alvo serão as crianças com idade entre 6 meses e 4 anos e 29 dias.

A segunda etapa, de 18 a 30 de novembro, terá foco na população com idade entre 20 e 29 anos. Em entrevista coletiva, o ministro titular da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a prioridade para este grupo justifica-se porque, como provavelmente não receberam a segunda dose da vacina, seus filhos acabam apresentando um sistema imunológico mais vulnerável à doença. Além dos dois períodos, a campanha também destaca o dia 19 de outubro como o Dia D, para mobilização nacional.

Levantamento do governo federal mostra que, até o dia 28 de agosto, 5.404 casos de sarampo foram confirmados em todo o país. Além disso, houve o registro de seis óbitos, sendo quatro deles de pacientes menores de 1 ano.

A unidade federativa com maior incidência é São Paulo (15,11 a cada 100 mil habitantes), que concentra 97% dos casos e é seguida por Bahia (6,64) e Sergipe (5,86). Embora apresente índice de 0,21, o Pará preocupa, devido à sua cobertura vacinal, que é, atualmente, de 76%, disse Mandetta. O Amapá apresenta a segunda cobertura mais baixa, de 77%, perdendo para a Bahia, com 80%, e o Maranhão e o Piauí, ambos com 83%.

De acordo com informações da pasta, foram adquiridos, para este ano, 60,2 milhões de doses da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Para o ano que vem, a encomenda foi de 65,4 milhões de doses.

Em 2020, o ministério dará continuidade à campanha. A imunização será dividida em três etapas e incluirá pessoas com idade de 50 a 59 anos. Ao todo, espera-se que a vacinação atinja 39 milhões de brasileiros, que equivalem a 20% da população.

“Nós sabemos que as crianças de 6 meses a 1 ano de idade são as que respondem clinicamente pior ao sarampo. Acabam desenvolvendo um quadro de pneumonia muito grave, e os óbitos acabam tendo uma prevalência maior nessa faixa etária. Então, o clássico é vacinar aos 12 meses e aos 15 meses. Quem fez isso com seus filhos abaixo de 5 anos fez o correto, a criança está coberta e não há necessidade de aplicar mais uma dose. Aqueles que só deram uma dose aos 12 meses e não deram a segunda devem ir agora para fazer a segunda dose, porque uma dose só não dá sistema imunológico competente para enfrentar um surto de sarampo”, afirmou o ministro.

“O que é a novidade à qual as pessoas devem estar atentas? De 6 meses a 1 ano, quando não era recomendada a primeira dose, estamos fazendo a chamada dose 0. Vacinar os bebês e depois, aos 12 meses, fazer a dose regulamentar, como se fosse a primeira, e a segunda. Essas crianças a gente vai blindar mais, porque elas são as principais vítimas fatais do sarampo”, acrescentou, ressaltando que o governo está cogitando voltar a aplicar a vacina oral contra sarampo, que ficou vulgarmente conhecida como a “vacina de gotinha”.

 

Jornal do Brasil

 

 

Vacinação contra sarampo inicia segunda-feira para crianças menores de 5 anos

Após os casos de sarampo recentemente registrados, o Ministério da Saúde (MS) inicia neste mês de outubro uma Campanha Nacional de Vacinação, a fim de atualizar as carteiras de vacinação e prevenir contra a doença. A Secretaria de Estado da Saúde chama atenção para o calendário da campanha que será realizada de 7 a 25 de Outubro com dia D no sábado, dia 19. A campanha é exclusiva para crianças de seis 6 a meses a menores de 5 anos que não estão com esquema vacinal completo.

O Estado da Paraíba, até o momento, está com 89,51% de cobertura vacinal. Em 2018, atingiu 95,77% de cobertura vacinal contra o sarampo. As crianças desenvolvem a forma mais agravada da doença, que pode levar a óbito. Apesar da campanha nacional não ter uma meta para ser atingida, a “SES tem o objetivo de ampliar a homogeneidade e, assim, acabar com os bolsões de suscetibilidade”, explicou Isiane Queiroga, chefe do Núcleo de Imunizações da Paraíba.

A campanha este ano é apenas para as crianças que não foram vacinadas com as doses previstas no calendário nacional de vacinação. “Esta campanha é toda seletiva, então, se a criança estiver em dia, não será vacinada”, reforça Isiane. A vacina é a única forma de prevenção da doença e garante aproximadamente 95% de imunidade duradoura por toda a vida, se tomada corretamente, de acordo com o previsto no calendário de vacinação. Portanto, é importante que os pais levem o cartão de vacinação para ser avaliado.

A Paraíba conta com um total de 166 notificações suspeitas para sarampo, das quais oito foram confirmadas, de acordo com o último boletim emitido pela SES. Por enquanto, a campanha foi pensada de forma seletiva, para ampliar a cobertura vacinal nos estados e vacinar as faixas mais vulneráveis ao sarampo.

Para a gerente executiva de Vigilância em Saúde, Talita Tavares, é preciso um esforço coletivo dos gestores municipais e consciência da população para que a circulação do vírus diminua na Paraíba. “O objetivo é manter um alto nível de imunidade na população reduzindo a possibilidade da ocorrência da doença”, frisa a gerente. Entre os meses de julho e setembro, 183.895 doses de vacina contra o sarampo foram distribuídas para os 223 municípios, cerca de 600% a mais do que a média histórica para este mesmo período.

Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo:
1ª fase: Crianças de 6 meses a menores de 5 anos – 7 a 25 de outubro, com dia D no sábado, 19 de outubro.
2ª fase: Adultos jovens de 20 a 29 anos, não vacinados – de 18 a 30 de novembro. Dia D, 30 de novembro.

 

Secom-PB

 

 

Sesc Paraíba realiza campanha sobre importância da vacinação contra o sarampo

O Sesc Paraíba, com o apoio do Departamento Nacional da instituição, realiza uma campanha em todas as suas unidades sobre a importância da vacinação contra o sarampo em todos os públicos.

O objetivo da ação é disseminar a importância da vacinação diante do ressurgimento de doenças já controladas, como o sarampo, que vem sendo diagnosticado em tantos casos que, atualmente, estão ocorrendo em todo o Brasil; como também a necessidade de todos se vacinarem para garantia da saúde, tendo em vista que as vacinas já salvaram dezenas de milhões de vidas no último século.

No caso do sarampo, até a criação da primeira vacina, cerca de 2,6 milhões de pessoas morriam, a cada ano, no mundo. Com a vacinação, foi reduzido para 80% o número de mortes por sarampo entre 2000 e 2017 no planeta, segundo a OMS.

O setor de Educação em Saúde da Escola Sesc Dom Ulrico irá realizar diversas ações, dentre elas, palestras com os pais dos alunos, para alertar sobre os cuidados que devem ser tomados, além de informar sobre a necessidade de levar seus filhos para atualizar a vacina, mesmo que já tenham sido vacinados ou contraído a doença.

O público-alvo da campanha são os frequentadores das unidades do Sesc, os alunos da escola e o público das redes sociais. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferta gratuitamente a vacina que protege não só contra o sarampo, mas também contra rubéola, caxumba e varicela.

O Sesc Paraíba apoia essa causa e convida você para aderir à campanha: “Eu tô vacinado. Você tá vacinado. Todo mundo vacinado”.

 

Assessoria

 

 

Vacinação contra a gripe no SUS é aberta para toda a população

Após 50 dias de campanha direcionada para o grupo prioritário, o Ministério da Saúde abre nesta segunda-feira (3) a vacinação contra a gripe para toda a população. Até a última sexta-feira (31), 20% do público-alvo ainda não estava imunizado – faltam 11,9 milhões de pessoas para atingir a meta de 90% de cobertura.

A medida, segundo o ministério, busca evitar o desperdício das doses – a campanha segue até que elas acabem. Mesmo assim, o grupo prioritário continuará tendo prioridade para a aplicação em todas as unidades de saúde. Os principais alvos são gestantes, mulheres que deram à luz há menos de 45 dias, crianças menores de seis anos, idosos, pessoas com doenças crônicas, trabalhadores da área de saúde, professores e povos indígenas.

Seis estados atingiram a meta: Amazonas (98,5%), Amapá (98,5%), Pernambuco (93,6%), Espírito Santo (91,3%), Rondônia (90,4%) e Maranhão (90%). Os estados com menor adesão são Rio de Janeiro (63,7%), Acre (73%) e São Paulo (73,1%).

A escolha do grupo prioritário é determinada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A imunização é a forma mais eficaz de evitar a infecção. A vacina protege contra os três subtipos do vírus que mais circulam no Hemisfério Sul, incluindo o H1N1, principal responsável pelas mortes no Brasil.

Até o último dia 11 de maio, o país teve 807 casos da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza, com 144 mortes no total – 89 óbitos e 407 registros de infecções causadas pelo vírus influeza A (H1N1).

G1

 

 

Mais de 100 cidades da PB ainda não atingiram meta de vacinação contra gripe

Ao todo, 101 cidades da Paraíba não atingiram a metade de vacinação contra a gripe desde que a campanha começou, dia 10 de abril. A ação termina nesta sexta-feira (31) e, até agora, a Paraíba registrou 84,21% da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, que é de 90%.

A partir de segunda-feira (3), toda a população poderá se vacinar, caso os municípios tenham doses da vacina sobrando, após ter conseguido alcançar a meta dos grupos prioritários. Dos 223 municípios paraibanos, 122 atingiram a meta

Quem ainda não tiver conseguido alcançar a meta, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), recomenda aos municípios que continuem vacinando as pessoas dos grupos prioritários. Na Paraíba, até agora, foram vacinadas cerca de um milhão de pessoas.

Além disso, a secretaria informou que não há previsão de receber mais doses do Ministério da Saúde.

A imunização, feita com o vírus atenuado e fragmentado, protege contra três tipos do influenza: H1N1, H3N2 e B. A campanha é voltada para os grupos prioritários, uma vez que, conforme a Secretaria, as pessoas que se encaixam nessas categorias estão mais propensas a desenvolver complicações ou quadros graves, devido à doença.

Grupos de risco

  • pessoas com 60 anos ou mais de idade
  • crianças na faixa etária de 6 meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias
  • gestantes
  • puérperas (até 45 dias após o parto)
  • trabalhadores da saúde
  • professores das escolas públicas e privadas
  • povos indígenas
  • grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais
  • adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas
  • população privada de liberdade
  • funcionários do sistema prisional e profissionais das forças de segurança e salvamento (policiais, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas)

G1

 

Paraíba imuniza 83% do público-alvo da campanha de vacinação contra gripe, diz Saúde

Cerca de 83,1% do público-alvo da campanha de imunização contra a gripe já recebeu a dose da vacina na Paraíba, de acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), contabilizados até as 16h20 desta quarta-feira (29). A meta da ação, que começou no dia 10 de abril e deve seguir até a sexta-feira (31), é atingir 90% de cobertura em cada estado.

Esse percentual indica que, em todo o estado, 986.502 doses foram aplicadas. Segundo a SES, a vacina está disponível em todos os 223 municípios paraibanos e, até a terça-feira (28), 47 cidades já haviam atingido a meta.

A imunização, feita com o vírus atenuado e fragmentado, protege contra três tipos do influenza: H1N1, H3N2 e B. A campanha é voltada para os grupos prioritários, uma vez que, conforme a Secretaria, as pessoas que se encaixam nessas categorias estão mais propensas a desenvolver complicações ou quadros graves, devido à doença.

Grupos de risco

  • pessoas com 60 anos ou mais de idade
  • crianças na faixa etária de 6 meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias
  • gestantes
  • puérperas (até 45 dias após o parto)
  • trabalhadores da saúde
  • professores das escolas públicas e privadas
  • povos indígenas
  • grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais
  • adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas
  • população privada de liberdade
  • funcionários do sistema prisional e profissionais das forças de segurança e salvamento (policiais, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas)

Outras formas de prevenção devem ser adotadas, como informado pela gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares. Entre essas medidas estão higienizar as mãos com água e sabão ou com álcool gel; evitar tocar os olhos nariz ou boca após manter contato com superfícies que podem estar contaminados; e manter hábitos de alimentação saudáveis.

João Pessoa

A capital paraibana tem uma cobertura vacinal de 72% dos grupos prioritários, o que representa 151 mil doses aplicadas, conforme informado pela Secretaria Municipal de Saúde na manhã desta quarta-feira (29). Em João Pessoa, a meta é vacinar 190 mil pessoas.

G1

 

Vacinação contra a gripe na Paraíba já atingiu 79,5% do grupo-alvo

A poucos dias do encerramento da campanha nacional de vacinação contra a gripe, 79,56% do público-alvo já foram aos postos de saúde se imunizar, na Paraíba. No Brasil, o patamar de vacinação está em 71,6% do público-alvo. A campanha termina na sexta-feira (31).

Entre os grupos prioritários estão bebês, mulheres grávidas, idosos e profissionais das forças de segurança.

A meta é vacinar 90% do público-alvo, formado por 1.185.997 pessoas na Paraíba. Um total de 943.573 já se imunizaram, segundo dados atualizados até esta segunda-feira (27). Portanto, de acordo com o Ministério da Saúde, mais de 242 mil pessoas na Paraíba ainda precisam procurar a unidade de saúde mais próxima para se protegerem.

No País, a meta é vacinar 59,4 milhões de pessoas, o que significa que 16,8 milhões de pessoas ainda precisam se vacinar.

Tabela de cobertura vacinal por UF – Dados até 27 de maio

Balanço 

Entre a população prioritária, os funcionários do sistema prisional registraram a maior cobertura vacinal, com 101,6 mil doses aplicadas, o que representa 89,7% deste público, seguido pelas puérperas (88,6%), indígenas (82,0%), idosos (80,6%) e professores (78,1%).

Os grupos que menos se vacinaram foram os profissionais das forças de segurança e salvamento (30%), população privada de liberdade (47,2%), pessoas com comorbidades (63,4%), trabalhadores de saúde (69,9%), gestantes (68,8%) e crianças (67,6%).

Também estão entre os estados com maior cobertura, até o momento, Amazonas (93,6%), Amapá (85,5%), Espírito Santo (75,3%), Alagoas (73,4%), Rondônia (72,6%) e Pernambuco (72,2%).

Os com menor cobertura são Rio de Janeiro (45,8%), Acre (49,7%), São Paulo (57,0%), Roraima (57,4%) e Pará (59,2%).

Quem deve se vacinar    

Devem receber a dose de vacina crianças com idade entre 6 meses e menores de 6 anos; grávidas em qualquer período gestacional; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da saúde; povos indígenas; idosos; professores de escolas públicas e privadas; pessoas com comorbidades e outras condições clínicas especiais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

Profissionais das forças de segurança e salvamento também passaram a fazer parte do público-alvo da campanha neste ano. O grupo inclui policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas, totalizando cerca de 900 mil pessoas.

 

clickpb