Arquivo da tag: unidades

Fifa abre venda de último lote de ingressos para a Copa do Mundo, com 180 mil unidades

ingressosNovidade é que bilhetes também podem ser adquiridos em pontos físicos nas cidades-sedes

Para quem ainda não comprou ingressos ou ainda quer tentar assistir a mais alguma partida, a última chance para comprar as entradas será na madrugada desta quarta-feira. A partir da meia-noite, a Fifa colocará o último lote à venda. Serão 180 mil bilhetes, disponíveis no site da entidade (FIFA.com/ingressos), para todos os 64 jogos.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo a Fifa, este novo lote de ingressos vem da cota de contingência da entidade em algumas arenas, possível após a entrega dos estádios. Além disso, após cerca de dez meses de vendas, a Fifa informou que observou uma demanda muito pequena por assentos dedicados a pessoas com mobilidade reduzida. Diante disso, vai tornar a maior parte deste inventário disponível para todos os torcedores, mantendo alguns destes assentos ainda reservados.
Uma outra novidade é que haverá ingressos à venda, também, em pontos físicos. As entradas estarão à disposição a partir das 9h, nos 12 Centros de Ingressos da FIFA nas 12 sedes:

Belo Horizonte

Boulevard Shopping : Av. dos Andradas,3.000, Santa Efigênia

Brasília 

Centro de Convenções Ulysses Guimarães: SDC Eixo Monumental – Lote 05

Cuiabá 

Shopping Pantanal – Av. Historiador Rubens de Mendonça, 3300 – Jardim Aclimação

Curitiba 

Patio Batel Shopping: Av. do Batel, 1.868 – Batel

Fortaleza 

Centro de Eventos do Ceará: Av. Washington Soares nº 999, Portão E – Edson Queiroz

Manaus

Centro Cultural dos Povos da Amazônia: Praça Francisco Pereira da Silva, s/n°

Natal 
Shopping Cidade Jardim: Av. Eng. Roberto Freire, 2920 – Capim Macio

Porto Alegre
Barra Shopping Sul: Av. Diário de Notícias, 300 – Cristal

Recife
Shopping Recife: R. Padre Carapuceiro, 777, Edifício Garagem B1, Boa Viagem

Rio de Janeiro
Casarão General Severiano: Av. Venceslau Brás, 72 – Botafogo

Salvador
Iguatemi Shopping: Av. Tancredo Neves, 148, Estacionamento I-1

São Paulo
Ginásio do Ibirapuera (Quadra Lateral=: R. Manoel da Nóbrega, 1361, Paraíso

SuperEsportes

Tribunal de Justiça instala terminais de autoatendimento em 13 unidades judiciárias

TJPBBuscando caba vez mais melhorar o atendimento ao jurisdicionado, o Tribunal de Justiça da Paraíba instalou mais 12 terminais de autoatendimento (totens) nos fóruns da região metropolitana de João Pessoa, de Campina Grande, e das comarcas de Patos, Guarabira, Pombal e sousa. O serviço traz agilidade no atendimento de quem busca informações processuais nas unidade judiciárias.

 

Os Totens dispõem de um sistema de fácil acesso, onde o cidadão fará consulta de forma rápida, bastando para tanto dispor do nome da parte ou o número do processo. Para os advogados, a consulta ocorre da mesma forma, porém, a categoria poderá também informar o número da OAB.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

No novo sistema, o público poderá consultar processos de 1º e 2º graus, do E-Jus, Execuções Penais, e Turmas Recursais. Entretanto, a consulta processual continuará também no site (sítio) institucional do Tribunal (www.tjpb.jus.br), pelos telefones: 3216-1553, 3216-1554, 3216-1555 e 3621-1581, e ainda presencilamente, nos balcões do Telejudiciário.

 

O primeiro terminal foi instalado no Anexo Administrativo do Tribunal de Justiça, em João Pessoa. Agora, foram contemplados com os totens o Fórum Cível e o Fórum Criminal da Capital, o Fórum Regional de Mangabeira, além dos fóruns das comarcas de Bayeux, Cabedelo, Santa Rita, Guarabira, Campina Grande, Patos, Pombal e Sousa.

 

Assessoria 

 

Bananeiras será contemplada com cinco unidades do PAIS

(Imagem ilustrativa)
(Imagem ilustrativa)

Uma articulação realizada através da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca do município de Bananeiras, no brejo da Paraíba, com o SEBRAE, resultou na  implantação de cinco unidade do PAIS (Produção Agroecológica Integrada e Sustentável), que é um projeto desenvolvido pelo SEBRAE em parceria com a Fundação Banco do Brasil, BNDES e as prefeituras municipais.

A ação consiste na implantação de hortas circulares, com um galinheiro no centro, visando o desenvolvimento da agricultura familiar. Na pequena unidade de produção é possível garantir a segurança alimentar das famílias e a geração de renda a partir da comercialização do excedente. São produzidos frutas, verduras e legumes, além das galinhas e os ovos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A produção é de base Agroecológica, uma vez que busca ser ecologicamente correta, socialmente justa, economicamente viável e culturalmente aceita. No estado da Paraíba estão montadas cerca de 500 unidades.

No município de Bananeiras, 5 (cinco) agricultores foram selecionados para aderirem ao projeto, são eles: Mário Ângelo (Assentamento São Domingos); Ivonete Bento da Silva (Assentamento Perpétuo Socorro); Dilma Bezerra (Lagoa do Matias); Francisco Pereira (Saboeiro); José Batista Peixoto (Sítio Buraco).

O município será contemplado com outra unidade que será montada no campus da Universidade Federal da Paraíba.

CODECOM-Prefeitura de Bananeiras/PB

Ministério da Saúde promete criar 268 unidades de saúde e Paraíba vai precisar de mais 886 médicos

medicoAlguns dos 107 municípios da Paraíba considerados prioritários no programa Mais Médicos, lançado semana passada pelo Governo Federal, oferecem pacotes de trabalho tentadores, mas não o bastante para atrair o número necessário de profissionais.

A Prefeitura de Piancó, por exemplo, oferece R$ 12,5 mil, além de um pacote “tudo pago”: o médico que quiser trabalhar na cidade, terá alimentação, moradia e transporte por conta da Prefeitura.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Se já não bastasse, os médicos de Piancó só trabalham quatro dias por semana, prática recorrente também na maioria das cidades do interior. Mesmo assim, o município ainda tem um déficit de seis profissionais. Segundo o Conselho Regional de Medicina (CRM), outras cidades pagam ainda mais, como Nova Olinda (R$ 15 mil). É tentando suprir essa carência de profissionais na atenção básica que, em setembro, médicos estrangeiros devem começar a desembarcar na Paraíba. Se a expectativa do Governo Federal não se concretizar, a tendência é que esse déficit aumente ainda mais, pois o Ministério da Saúde promete mais 886 vagas para médicos no Estado, com a criação de 268 unidades de saúde.

Déficit também afeta a Capital 

Na lista dos 107 municípios da Paraíba com carência de médicos, não constam apenas cidades distantes do interior. João Pessoa também foi considerada como uma das cidades que sofre com déficit de médicos. Assim como ela, outras 200 capitais ou regiões metropolitanas foram listadas pelo MS.
De acordo com o secretário de Saúde de João Pessoa, Adalberto Fulgêncio, a Capital precisa de 20 médicos para a atenção básica. “Pela primeira vez, essa semana conseguimos novas contratações e fechamos nos 180 profissionais, deixando um para cada equipe de USF. Historicamente, sempre faltavam 10 ou 15. Mas, ainda precisamos de mais 20, porque temos ausência de médicos em algumas dessas unidades ocasionadas por afastamentos legais, férias e licença saúde”, explicou.
O secretário confirmou que o município vai se inscrever no programa e afirma que se existir disponibilidade, contratará mais do que os 20. “Se tiver 40, eu contrato. Porque se eu demitir um médico hoje, não tenho quem colocar no lugar”, disse. Segundo o gestor, as áreas com maior déficit de médicos são as periferias. “O problema não é a condição de trabalho, mas que realmente faltam médicos na Paraíba. No Estado, a maior concentração de profissionais é em João Pessoa. Na Capital, a centralização é na Epitácio Pessoa, na praia e no Centro da cidade”.
A Paraíba tem 1,17 médico por habitante, média abaixo da nacional, que é de 1,83 médico por habitante. Em 700 municípios não há um médico residindo no município.

 

Por Aline Guedes, Jornal Correio da Paraíba

Bananeiras, Dona Inês e Solânea são beneficiadas com recursos Federais para Unidades Básicas de Saúde

Vital na tribuna 2O Senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) anunciou na noite desta segunda (08), após audiência no Ministério da Saúde, a lista com 112 cidades paraibanas que serão beneficiadas, este ano, com reforma, ampliação e/ou construção de Unidades Básicas de Saúde. Ao todo, o investimento a ser feito nestas cidades será de R$ 67.962.258,50.

A definição dos municípios contemplados ocorreu após intensas reuniões do Senador Vital com o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e técnicos do Ministério, tomando por base as necessidades de cada cidade, as solicitações feitas pelos prefeitos e/ou secretários de saúde, os projetos apresentados e a disponibilidade orçamentária. Vital recebeu do Ministro a garantia de que os recursos terão liberação imediata.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A lista divulgada pelo senador paraibano apresenta a ampliação de 77 Unidades Básicas de Saúde, num investimento total de R$ 8.317,770,00. Para reforma, serão contempladas 34 Unidades Básicas de Saúde, representando um investimento total de R$ 4.150.488,50.

Porém, de acordo com o Senador Vital do Rêgo, o maior investimento será na construção de novas unidades. Ao todo serão construídas 133 novas Unidades Básicas de Saúde, representando um investimento de R$ 55.494.000,00. “Esta ação faz parte da iniciativa do Governo Federal de melhorar e ampliar, permanentemente, as estruturas de Saúde”, afirmou o senador.

Bananeiras e Dona Inês receberão cada uma R$ 408 mil, já a cidade de Solânea receberá recursos no valor de R$ 1.224,000,00.

Campina beneficiada – O Senador Vital do Rêgo reafirmou o seu compromisso com Campina Grande ao defender, no Ministério da Saúde, a destinação de verbas para a cidade, que representa a sua base eleitoral. Ele confirmou que os recursos destinados a Campina serão repassados, integralmente, à Prefeitura local, que é administrada pelo Prefeito Romero Rodrigues (PSDB).

Campina Grande, de acordo com Vital, será contemplada com R$ 323.000,00 para a ampliação de quatro Unidades Básicas de Saúde; mais R$ R$ 148.504,95 para a reforma de três Unidades Básicas de Saúde; e mais R$ 659.000,00 para a construção de mais uma Unidade Básica de Saúde.

Desta forma, Vital mantém o compromisso de sempre atuar em defesa de Campina Grande, independente de a cidade ser administrada por um prefeito de oposição. “Continuaremos, sempre, com a defesa dos interesses de Campina Grande e da Paraíba como um todo”, afirmou Vital, que desde o início do seu mandato já conseguiu garantir recursos para 215, dos 223 municípios paraibanos.

“Ainda este ano conseguiremos incluir recursos para beneficiar as únicas oito cidades que ainda não conseguimos e, com isso, chegar à meta de viabilizar, através do nosso mandato, em Brasília, a destinação de recursos para todos os 223 municípios paraibanos”, declarou Vital.

Bananeiras Online com Assessoria

Municípios em extrema pobreza terão farmácias em unidades básicas de Saúde

FarmáciaO Ministério da Saúde vai financiar a organização de farmácias em unidades básicas de Saúde de 453 municípios considerados de extrema pobreza. Os gestores interessados em receber o apoio devem se inscrever até o dia 27 de junho no Eixo Estrutura do Programa Nacional de Qualificação da Assistência Farmacêutica (QualifarSUS).

Inicialmente, cada município vai receber R$ 17 milhões destinados à compra de equipamentos e mobiliário e à contratação de pessoal das centrais de Abastecimento Farmacêutico e das farmácias nas unidades básicas de Saúde. Em seguida, os municípios selecionados vão receber mais R$ 24 mil por ano para o custeio e a manutenção dos serviços.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Além disso, o governo vai destinar R$ 1,2 bilhão à aquisição de medicamentos e insumos para o abastecimento das farmácias básicas de todos os municípios brasileiros.

Municípios que fazem parte do Programa Brasil sem Miséria, com até 100 mil habitantes ou que participam de outros programas da atenção básica, como o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (Pmaq), o Programa de Requalificação das Unidades Básicas de Saúde (Requalifica UBS) e os que utilizarem o sistema Hórus ou sistemas próprios de gerenciamento de estoques terão prioridade na seleção.

 

 

Agência Brasil

CRM-PB interdita duas unidades de saúde do Sertão

Hospital de Nova Olinda e UBSF de Olho D’Água não têm escala médica completa e diversos problemas que comprometem seu funcionamento. CRM solicita ainda fiscalização de Ministério Público em hospital abandonado
            interditadoO Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) interditou na última sexta-feira (15), o Hospital e Unidade Mista de Saúde João Moisés de Souza, em Nova Olinda e a Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) I de Olho D’água. As duas cidades do Sertão paraibano possuem em torno de 6 mil habitantes, cada uma, e ficam a cerca de 400 quilômetros de João Pessoa.
            Em Nova Olinda, o hospital interditado era o único da cidade e de pequeno porte, mas prestava atendimentos de urgência e internamento em Clínica Médica, Pediatra e Obstetrícia. No entanto, o hospital não contava com médico todos os dias, não possui laboratório de análises clínicas e radiológicas, as ambulâncias estavam quebradas, além de apresentar diversos problemas estruturais, que comprometem o atendimento à população e o trabalho dos profissionais.
            O diretor de Fiscalização do CRM-PB, Eurípedes Mendonça, explicou que o órgão já havia fiscalizado duas vezes a unidade de saúde, nos anos de 2009 e 2010. “Agora, observamos significativa piora no funcionamento do hospital. Há evidências de que ele está abandonado”, disse o diretor do CRM.
Além dos problemas já citados, ele acrescentou que as portas do hospital estão com cupim, a pintura está desgastada e a central de esterilização não funciona. “Lamentamos ainda o desperdício de dinheiro público, já que equipamentos, medicamentos e insumos de alto custo estão se deteriorando no interior do bloco cirúrgico”, completou Eurípedes.
O diretor de Fiscalização acrescentou ainda que a fiscalização do CRM foi determinada pela promotora de Justiça da Comarca de Piancó, Geovanna Patrícia de Queiroz Rego. “Em junho do ano passado, a diretoria do hospital declarou que cumpriria alguns termos para melhorar o funcionamento do hospital. Infelizmente, quase nada foi cumprido”, disse Eurípedes.
Olho D’Água: hospital abandonado e UBSF sem condições mínimas
            Na cidade de Olho D’Água, o CRM fiscalizou o Hospital Geral, que tem em sua fachada o nome de Hospital – Maternidade dr Geneton Carvalho. No entanto, Eurípedes Mendonça disse que não há médicos na escala do hospital, apenas dois técnicos de enfermagem. “Alguns moradores da cidade disseram que o hospital está sem funcionar. Por isso, sugerimos que o Ministério Público investigue a real situação do hospital (se está recebendo recursos do SUS) e se há a viabilidade da sua reabertura”, disse.
            Também no dia 15 de fevereiro, o CRM interditou o Centro de Saúde de Olho D’Água. A unidade não tem alvará da Vigilância Sanitária e está com a escala médica incompleta. “A situação da população da cidade está muito difícil. O município não dispõe de hospital e conta com apenas 3 postos de saúde da família, sendo que dois médicos estão afastados por motivo de doença”, afirmou Eurípedes.
            A UBSF que foi interditada estava em reforma, sem obedecer à norma da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que determina o isolamento mecânico e sonoro para que o barulho e a poeira não prejudiquem o atendimento dos pacientes. “Devido à reforma, a esterilização estava sendo realizada em uma autoclave no corredor. Os dois banheiros estavam cheios de material de construção e a única pia não tinha sabão líquido e papel toalha. Esses já são motivos suficientes para a interdição ética”, explicou.
 Assessoria de Comunicação

Nove unidades de saúde já foram interditadas pelo CRM na PB em 2013

InterditadoO Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) já interditou nove unidades de saúde no estado em 2013. A nona interdição aconteceu nesta quinta-feira (7) no Hospital Santa Ana,  localizado na cidade de Barra de Santana, na região metropolitana de Campina Grande. Segundo a fiscalização do CRM, o principal motivo foi a falta de médico nos sábados e domingos, além do período noturno.

De acordo com o diretor de fiscalização do CRM-PB, Eurípedes Mendonça, nenhuma das unidades que foram interditadas eticamente em 2013 conseguiram regularizar sua situação junto ao órgão. “Essa é uma medida que nós não gostamos de tomar, porque prejudica a população e também os médicos que ficam impedidos de trabalhar. A interdição só ocorre quando as falhas encontradas nas inspeções são muito graves”, afirmou.

No caso de Barra de Santana, além do problema com a escala médica, o CRM também constatou que a única ambulância que serve o hospital está com a licença vencida há quatro anos. “Os pacientes estavam sendo transportados em carros comuns”, disse o diretor do Conselho. Na unidade também estavam faltando equipamentos básicos de emergência, como eletrocardiógrafo e desfibrilador, e não havia água na torneira do posto de enfermagem.

Segundo Eurípedes Mendonça, a escala médica incompleta já tinha sido flagrada pelo Conselho em inspeções anteriores, realizadas nos dias 13 de julho de 2011 e 4 de janeiro de 2012. “Na última fiscalização, o hospital recebeu o relatório e não tomou nenhuma providência”, destacou o diretor.

A interdição no Hospital Santa Ana, que é o único de Barra de Santana, começa a 0h desta sexta-feira. O CRM notificou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para que os pacientes sejam levados para unidade de saúde de outras cidades.

O secretário de Saúde de  Barra de Santana, Jabel Júnior, admitiu que existem os problemas apontados pelo CRM no Hospital Santa Ana. Segundo ele, devem ser feitas contratações de médicos para solucionar a questão dos médicos. “Até amanhã vamos tentar resolver esse problema”, disse.

Com relação ao problema da ambulância, Jabel disse que a prefeitura está  buscando consertar um veículo que está com o motor quebrado, por ele ser mais nova, ao invés de regularizar o que está com o licenciamento atrasado.

Eurípedes Mendonça explicou que para as unidades que foram interditadas voltarem a funcionar elas precisam corrigir os problemas que foram apontados e informar ao CRM. Depois disso é feita uma nova inspeção para comprovar se elas de fato estão habilitadas para retomar o funcionamento normal.

 

 

G1 PB

Agentes penitenciários da PB param atividades nas unidades prisionais

Mobilização dos agentes penitenciários seguemovimento nacional (Foto: Charles Mota/divulgação)
Mobilização dos agentes penitenciários segue
movimento nacional (Foto: Charles Mota/divulgação)

Os agentes penitenciários da Paraíba aderiram à paralisação nacional e também interromperam suas atividades nesta quarta-feira (30), em mobilização contra o veto da presidente Dilma Roussef, proibindo o porte de arma pela categoria fora do horário de serviço.  De acordo com Charles Mota, da Comissão de Paralisação, apenas 30% dos 2,1 mil agentes do quadro efetivo efetivo vão trabalhar durante o movimento, que termina às 8h da quinta-feira (31).

Por meia da assessoria de comunicação, o secretário da Administração Penitenciária (Seap) Walber Virgolino afirmou que a mobilização dos agentes não vai prejudicar o funcionamento das 80 unidades no Sistema Penitenciário estadual.

“Nós arriscamos as nossas vidas todos os dias, impedimos que entrem coisas ilícitas nos presídios e sofremos ameaças constantemente. Por isso, queremos o porte de arma para defesa pessoal”, afirmou Charles Mota.

O presidente do Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária da Paraíba, Manoel Leite, acrescentou que além da derrubar o veto de Dilma, a mobilização também visa chamar a atenção das autoridades e da sociedade para as  condições de serviço enfrentadas pela categoria. “Temos condições precárias de trabalho, usamos equipamentos de vistorias que deixam bastante a desejar”, disse.

Breno Pessoa disse que ter direito ao porte de arma dá mais segurança aos agentes penitenciários. “É preciso que o governo entenda que o nosso trabalho não termina quando saímos do presídio ou da penitenciária. A arma serve para proteger também a nossa família. É bom lembrar que convivemos com pessoas perigosas todos os dias”, disse.

Gilvaldécia Carvalho, agente penitenciária há oito meses, afirmou que ter uma arma durante o período em que não está trabalhando é uma questão de defesa pessoal. “Quando saímos do nosso trabalho, caso sejamos atacados por algum bandido, vamos nos defender com estilingue?” ironiza.

Cerca de sessenta agentes penitenciários participaram da mobilização, que se concentrou em frente ao Presídio Flósculo da Nóbrega – Roger. “Nós escolhemos o Roger por entendermos que o presídio representa o Sistema Penitenciário da Paraíba, inclusive as suas falhas”, explicou Charles Mota, da Comissão de Mobilização.

A assessoria da Seap informou que os 30% do efetivo é suficiente para garantir a segurança dos presídios do estado, inclusive a normalidade do retorno dos apenados em regime semiaberto. Em casos de emergência, a Seap conta ainda com o Grupo Penitenciário de Operações Especiais (GPOE), além de policiais militares que fazem a segurança externa dos presídios. Com relação às visitas íntimas, Walber Virgolino afirmou que foram antecipadas. Em vez de acontecerem nesta quarta-feira (30), foram feitas na terça-feira (29).

Charles Mota informou ainda que só serão mantidos os serviços essenciais, como a alimentação dos apenados e casos de saúde considerados de urgência. Com a paralisação, estão suspensas as visitas íntimas, o banho de sol, além de assistências religiosa e jurídica, que dependem do apoio logístico dos agentes.

De acordo com a Comissão de Paralisação, são 400 apenados no regime semiaberto, só em João Pessoa, que saem às 6h e voltam no início da noite. “Os 30% do efetivo não têm condições de tomar conta de 400 homens. Hoje, podem estar nas ruas 400 pessoas, grande parte perigosa”, disse Charles Mota.

 

 

G1 PB

Governo vai liberar R$ 1,6 bilhão para unidades básicas de Saúde

alexandreBrasília – O governo federal usará R$ 1,6 bilhão para construção, reforma e ampliação de unidades básicas de Saúde. O anúncio foi feito nessa segunda-feira (29) pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, durante o Encontro Nacional de Novos Prefeitos e Prefeitas. “Queremos levar saúde com qualidade para os bairros onde as pessoas vivem”, disse.

A meta é construir 1.253 unidades, ampliar 5.629 e reformar 4.348 em 2013. Há reserva de R$ 1,2 bilhão para a compra de equipamentos. Em 2012, 5.458 unidades foram ampliadas em 2.256 municípios, chegando a R$ 548 milhões em investimentos. Hoje existem mais de 38 mil unidades básicas de Saúde em todo o país.

O ministério anunciou também que, a partir do mês que vem, os municípios poderão aderir ao Programa de Modernização do Atendimento. A inscrição, feita pela internet, possibilita o aumento do valor de custeio das unidades básicas de Saúde, de acordo com o desempenho da equipes. “Teremos mais recursos para quem tem bom desempenho”, explicou Padilha.

Outra ação proposta pelo ministério prevê que cada Unidade Básica de Saúde, com pelo menos uma equipe participante do programa de modernização, tenha acesso à internet até 2014. Os investimentos na área devem totalizar R$ 45 milhões. A ideia é possibilitar que cada município possa aprimorar o acompanhamento nas emergências e nos ambulatórios, prestando melhor atendimento ao paciente e controlando os gastos.

Paula Laboissière, da Agência Brasi