Arquivo da tag: um

Polícia prende mais um envolvido na morte de torcedor no Arruda

Após prender o primeiro suspeito de participar da morte do torcedor Paulo Ricardo Gomes da Silva, atingido por um vaso sanitário ao deixar o Arruda na partida entre Santa Cruz e Paraná, a polícia deteve mais um acusado de ter participado do crime. O suspeito Luiz Cabral de Araújo Neto foi encontrado na cidade de Monte das Gamaleiras, no Rio Grande do Norte, e chegou esta manhã à sede do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).

preso acusado morte arruda (Foto: Lucas Liausu)
Material de organizada é encontrado na casa do suspeito preso nesta quinta (Foto: Lucas Liausu)

A prisão de Cabral foi efetuada por volta das 7h da manhã desta quinta-feira, num hospital na cidade de Monte das Gamleiras. Ele estava no local pegando alguns remédios controlados que faz uso. Assim que efetuaram a prisão, os policiais foram com o suspeito até a sua casa, na cidade de Passa e Fica, também no interior do Rio Grande do Norte, e encontraram vários materiais da principal e de outras torcidas organizadas do Santa Cruz.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com policiais que participaram da prisão, ele confessou ser responsável por jogar um dos vasos que matou o torcedor. Ainda segundo Luiz Cabral de Araújo Neto, a outra privada foi arremessada pela pessoa que ainda está foragida. Everton Felipe Santiago de Santana, que foi preso na última segunda-feira, teria ajudado a retirar os vasos e ajudado a levar até a arquibancada.

A polícia chegou ao novo suspeito depois do depoimento de Everton Felipe, o primeiro a ser preso. Ele identificou o rapaz e informou onde a família dele morava. A mãe de Luiz Cabral foi encontrada na última terça-feira e informou o endereço onde o filho morava e trabalhava.

Os policiais ainda procuram pelo terceiro envolvido no crime, que já foi identificado. Eles devem responder por homicídio qualificado, que prevê uma pena de 12 a 30 anos. A delegada responsável pelo caso, Glêide Ângelo, ainda não se pronunciou oficialmente sobre as prisões.

Entenda o caso

Na última sexta-feira, Paulo Ricardo Gomes faleceu depois da partida entre Santa Cruz e Paraná, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Quando passava próximo ao portão 6 do Arruda, destinado à torcida visitante, ele foi atingido por um vaso sanitário jogado da parte superior da arquibancada. Além dele, outras três pessoas foram feridas, mas estão fora de perigo.

Integrante da maior torcida uniformizada do Sport, ele saiu de casa com uma missão: tirar fotos da uniformizada do Paraná – uma prática comum entre torcidas aliadas em diferentes estados. Na câmera encontrada pelos bombeiros dentro da bolsa da vítima, havia vários registros do jogo.

Por conta do ocorrido, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) interditou preventivamente o estádio do Arruda, obrigando o Santa Cruz a atuar nas duas próximas partidas nos Aflitos e com os portões fechados.

Tentando atenuar a pena, o Tricolor colaborou com as investigações e disponibilizou as imagens das 16 câmeras internas do estádio para a polícia. Ação que fez o coronel Flávio Bione, diretor de segurança do Santa Cruz, ser ameaçado de morte.

Mas foi através do Disque-Denúncia que a polícia chegou ao primeiro envolvido. Everton Felipe foi preso na última segunda-feira na frente de uma escola onde trabalhava, no bairro de Ouro Preto, Olinda. Integrante da maior organizada do Santa Cruz, ele responde a processo na Justiça por porte de arma e já havia se envolvido em uma briga generalizada, no dia 6 de fevereiro, quando a equipe coral enfrentou o CRB, no estádio Rei Pelé, em Maceió, em 2013, pela Copa do Nordeste. A confusão fez o clube ser punido por três jogos de suspensão.

globoesporte

 

Três irmãos e um homem acusados de roubo são presos na cidade de Casserengue

acusadosQuatro homens, dentre eles três irmãos, foram presos na manhã desta quinta-feira (10) durante a Operação ‘Corre Campo’. Eles são acusados de praticar roubos na Zona Rural de Casserengue, Brejo paraibano, a 162 km de João Pessoa.

De acordo com o delegado de Solânea, Diógenes Fernandes, as investigações iniciaram depois que uma das vítimas da quadrilha denunciou o assalto. Ele informou ainda, que os acusados chegaram a roubar uma motocicleta, além de praticar violência contra as pessoas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Os mandados de busca e prisão foram expedidos pelo juiz da comarca de Solânea, Osenival de Santos da Costa.

A operação foi denominada  ‘Corre Campo’ por causa da característica do crime. Os bandidos chegavam à casas e sítios, roubavam e fugiam sempre por matagais.

Segundo o delegado, foram presos: José Ivanildo, 29 anos, Júnior Andrade, 25 anos, Edilson Andrade, 30 anos, todos irmãos, e Rogério Henriques da Silva de 20 anos, não tinham passagem pela polícia.

Eles foram levados para a delegacia de Solânea e serão encaminhados para o Presídio Raimundo Asfora em Campina Grande.

 

portal correio

Um ano após norma, cartórios de SP têm mais de 700 casamentos gays

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Os cartórios da cidade de São Paulo registraram 701 uniões entre pessoas do mesmo sexo no 1º ano da norma do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) que regulamenta o casamento gay, segundo levantamento da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen-SP). Os números foram divulgados nesta sexta-feira (28).

Antes de a norma começar a valer, em 1º de março de 2013, alguns processos de casamento gay em São Paulo precisavam ser submetidos ao juiz corregedor do cartório. Caso aprovada, a união era realizada. Muitos casais precisaram recorrer ao TJ-SP. Agora, a concordância do magistrado não é mais necessária, assim como ocorre num casamento entre homem e mulher.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O balanço da Arpen mostra que o mês de outubro foi o preferido para casamentos gays nos 58 cartórios da capital paulista, com 90 celebrações. Em novembro, houve 80 casamentos, seguido de maio (73), agosto (71) e abril (57).
O cartório que mais realizou casamentos gays neste ano foi o de Registro Civil de Cerqueira César, na região central de São Paulo, com 41 celebrações. Bela Vista (38), Tucuruvi (35), Santa Cecília (30) e Saúde (25) aparecem na sequência entre os cartórios da capital paulista com mais uniões homossexuais.

A pessoa que, sem motivo aparente, não conseguir registrar o casamento em qualquer um dos 832 cartórios espalhados pelo estado pode fazer uma denúncia à Corregedoria Geral da Justiça.

G1

Um caso na PB: polícias burlam Justiça e reprovam deficientes em concursos

audiçãoAs polícias Federal (PF), Rodoviária Federal (PRF) e Civil do DF (PCDF) encontraram uma brecha para burlar a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF) e não incluir, entre os aprovados nos concursos públicos, pessoas com deficiência de qualquer tipo. No ano passado, a Corte determinou à PF que retificasse o edital e passasse a reservar, pelo menos, 5% das oportunidades da última seleção a esse público — assim como é estipulado por lei. A decisão do STF vale para todos os certames da área de segurança pública. Mesmo assim, nos três casos, todos os deficientes foram reprovados na perícia médica.

A organizadora dos concursos é a CESPE- Centro de Seleção e de Promoção de Eventos Universidade de Brasília.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
Considerando-se os três concursos, estão em jogo 89 vagas — 50 na PRF, 34 de perito, delegado e escrivão na PF e cinco de escrivão na PCDF — que seriam destinadas a pessoas com deficiência e não foram preenchidas, ficando disponíveis à ampla concorrência. Nos casos de delegado e escrivão da Polícia Federal, inclusive, o certame já está na fase final de convocação para o curso de formação. Antes de fazerem a perícia, esses candidatos foram aprovados, pelo menos, nas provas objetivas e discursivas e no teste de capacidade física.

Os resultados da perícia não justificam as reprovações. Apenas dizem que “não houve candidato qualificado”. Diante da situação, o Ministério Público Federal (MPF) entrou com uma ação civil pública em janeiro passado contra o certame da PRF. Segundo o próprio MPF, “analisando a extensa listagem do edital que definiu as condições consideradas incapacitantes para as atribuições do cargo de agente da PRF, o Ministério Público verificou que todas as categorias de deficiência foram inseridas como circunstâncias incapacitantes. Ou seja, a deficiência virou justificativa para a eliminação”.

Um candidato paraibano entrou em contato com o PB Agora e nos informou que o fato é real e que ele e mais três candidatos paraibanos tiveram que entrar na justiça para tentar entrar no quadro funcional da Polícia Federal.

A vítima da ‘esperteza’ do concurso que pediu para não ser identificada, revelou que sua deficiência auditiva não o impederia de desempenhar a função para qual se inscreveu no concurso, já que atualmente é motorista de caminhão dos Bombeiros e tem carteira D, no edital, apenas a carteira B é exigida.

“Fizemos os exames e todos os portadores de necessidades especiais foram considerados inaptos pela Cespe. Apesar de passarmos nos testes de capacidade física para a função, os exames médicos estão reprovando ou a perícia final que comprova a deficiência.  Nenhum deficiente passou, apesar dos 5% das vagas serem destinadas aos portadores de necessidades especiais, nenhum está sendo aprovado, ai estão sendo chamados os demais classificados”.

O concurseiro que para todos os efeitos deveria estar aprovado e fazendo o curso de formação para em breve estar nas ruas está decepcionado com a ‘manobra’ da Cespe ou da Polícia Federal que segundo ele, está prejudicando todos aqueles que passaram e que estão sendo considerados inaptos, mesmo tendo passado nas avaliações.

“Estamos entrando na justiça porque passamos nos testes e nenhum candidato foi aprovado, como isso é possível? O Ministério Público de Brasília já entrou com ação e cada um de nós também estamos entrando com ação individual. Somos quatro portadores de necessidades especiais na Paraíba que foram convocados para as provas técnicas: são dois deficiente Monocular, um Auditivo e um Ortopédico. Queremos nossas vagas já que estamos comprovando que podemos desempenhar nossas funções, nem que seja no primeiro momento subjudice, mas que depois possamos ser concursados efetivados. Lutamos pela justiça”, explicou.

Com Correio Braziliense

 PB Agora

Um ano após renúncia de Bento XVI, Papa começa reforma na Igreja

papaUm ano depois da renúncia de Bento XVI, o Papa Francisco abriu várias frentes para reformar a Igreja, imprimiu ao papado um novo estilo, mais próximo, e segue de perto o que ocorre no mundo. A imagem do Vaticano se deteriorou muito pelos escândalos de pedofilia e por diversas polêmicas, mas isso está mudando graças à popularidade do Papa argentino, inclusive entre os que não são fiéis.

No dia 13 de março, o arcebispo de Buenos Aires, Jorge Bergoglio, foi eleito com dois objetivos claros: reformar as estruturas da Igreja, sobretudo o governo central – a chamada Cúria romana -, e impulsionar o caráter missionário em uma época de forte secularização.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Francisco dá prioridade ao segundo ponto. “Para ele, o que realmente importa é que o Evangelho seja levado a cada pessoa, independentemente de sua situação concreta: o que se chama misericórdia, abertura incondicional”, explica à AFP o padre Antonio Spadaro, diretor da revista jesuíta Civilta Cattolica.

A revolução levada adiante por ele é, sobretudo, de gestos. Lavando os pés de presos muçulmanos, beijando pessoas com deficiência física, afirmando que não é ninguém para julgar os homossexuais, o Papa comoveu a opinião pública. E também voltou suas críticas aos clérigos “carreiristas” ou “mundanos”.

Telefona, escreve, usa o Twitter
Francisco não permanece passivo diante dos acontecimentos no mundo. Diante de uma inundação, um drama familiar ou uma catástrofe, telefona, quando não escreve ou tuíta. O Papa, com sua espontaneidade, é um grande comunicador, e foi designado “homem do ano” por várias revistas.

Faz isso sem se esquecer de seu objetivo mais importante: reformar a Igreja. Em um primeiro momento mostrou-se prudente e não fez grandes mudanças no organograma de seu antecessor. Mas quando se sentiu mais seguro começaram a chegar as nomeações e as destituições com a intenção de afastar os responsáveis por intrigas e os corruptos.

Em sua residência de Santa Marta realiza reuniões, nomeia comissões para refletir sobre a reforma do banco ou da administração vaticana e ordena auditorias. E, sobretudo, designou um “G8″, um conselho consultivo de oito cardeais dos cinco continentes para assessorá-lo durante vários anos.

Francisco é um “general” jesuíta, determinado, exigente, às vezes com pouco tato. A Cúria, outrora todo-poderosa, algumas vezes se sente maltratada. É possível sentir no ar um certo desconforto. Decide sozinho. Sua primeira eleição de novos cardeais foi muito pessoal, com preferência por “homens terrenos”, às vezes desconhecidos, em detrimento dos príncipes da Cúria.

Colegialidade
Uma de suas metas para a Igreja do futuro é a aplicação dos princípios de colegialidade, que se baseia na consulta regular dos bispos, e da subsidiariedade, que faz com que não seja necessário que tudo chegue a Roma.

Mas manteve intacta a doutrina nos temas quentes, como o aborto, a eutanásia, o casamento entre homossexuais ou as mudanças bioéticas. Este Papa, que não pode ser classificado de progressista ou de conservador, também se opõe à ordenação de mulheres.

Para Francisco, a família é o ponto central de sua ação e por isso convocou um consistório para fevereiro e dois sínodos. Parece consciente da necessidade de fornecer respostas a realidades concretas dos cristãos, como os divorciados, as mães solteiras e os homossexuais.

Seu compromisso em nível social e humanitário é impressionante. Seu lema é ‘uma Igreja pobre e para os pobres’ e, em nome dela, trava uma guerra contra o gasto excessivo de dinheiro, o tráfico e a exploração. Denuncia a ‘cultura do desperdício’ que marginaliza os imigrantes clandestinos, os idosos e os mais frágeis.

Também não fica calado quando se trata de política externa. “Seu discurso contra uma intervenção estrangeira na Síria significou o retorno” da Santa Sé ao cenário internacional, afirmou à AFP um embaixador da Ásia.

G1

Náufrago passa mais de um ano à deriva no Pacífico, sobrevivendo graças a sangue de tartaruga

naufrago-realCom uma barba espessa, segurando uma latinha de Coca-Cola e caminhando com dificuldade, o náufrago que afirma ter ficado mais de um ano à deriva no Oceano Pacífico após zarpar do México desembarcou nesta segunda-feira em Majuro, capital das Ilhas Marshall.

Segundo ele, seu nome é José Salvador Albarengo, é pescador, nasceu em El Salvador, e sobreviveu parte do tempo em alto mar bebendo sangue de tartaruga. Um enfermeiro teve que ajudá-lo a desembarcar, após a viagem de 22 horas desde o atol de corais de Ebon. Cerca de mil pessoas aguardavam para ver a chegada do náufrago, que sorriu e acenou antes de ser levado para um hospital onde se submeterá a exames médicos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

José tem 37 anos e afirma ter zarpado do México no fim de 2012 com um companheiro, que desapareceu no mar. Eles estavam em uma pequena embarcação de fibra de vidro, de 7,3 metros, cujos motores perderam as hélices. Ele conta ter se alimentado de peixes e aves, que teria apanhado apenas com as mãos.

Ele foi encontrado a 10 mil quilômetros de distância, desorientado, em um remoto atol de corais com o qual havia topado no fim de semana.

– Ele saiu do barco com uma barba bem grande – contou o cineasta Jack Niedenthal, que vive em Majuro. – Ele está com dificuldades para caminhar, suas pernas estão muito finas. Não estou pronto para chamar isso de farsa, acho que esse sujeito passou um bom tempo no mar.

O Globo

Hospital Arlinda Marques realiza mais de 380 mil procedimentos em um ano

arlinda-marques2O Complexo de Pediatria Arlinda Marques, que integra a rede de saúde do Estado realizou  cerca de 380 mil procedimentos em  crianças durante o ano de 2013, entre exames, atendimentos de urgência, emergência e internações.  As informações foram repassadas  pelo diretor técnico do hospital, Fabiano Oliveira de Alexandria. Ainda segundo os dados, nesse mesmo período, foram realizadas 2.955 cirurgias nas especialidades de cárdio vascular, neurológicas,  ortopédicas, otorrino, plásticas, dentre outras, entre elas 2.326 cirurgias foram eletivas\pediátricas e 631 de urgência.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

 

Fabiano Alexandria salientou que o grande número de procedimentos realizados se deve ao fato de que após alguma modalidade de atendimento é comum a criança realizar  exames complementares, como de laboratório e de imagem, e assim, cada um destes exames é contabilizado como procedimento realizado, demonstrando e fortalecendo a importância do Complexo de Pediatria Arlinda Marques para a saúde infantil.

O diretor geral do Hospital Bruno Leandro de Souza explicou que o  Arlinda Marques hoje é referência no atendimento de média e alta complexidade em Pediatria na Paraíba e que o Governo do Estado não tem medido esforços para garantir uma saúde com qualidade e eficiência a população paraibana não só na área de pediatria, mas de uma forma em geral.  “ É visível as ações do Governo do Estado em todas as regiões da Paraíba não só na área de saúde mas também em outros setores considerados importantes para o desenvolvimento do Estado e para o bem estar da população paraibana”, comentou o diretor.

 

O secretário de Estado da Saúde, Waldson Dias de Souza  destacou que o Governo do Estado sempre tem buscado firmar parcerias com entidades e organizações com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população paraibana não só com relação à saúde  mas com a prestação de um serviço com qualidade, eficiência e humanizado como também em outras pastas da administração estadual. ‘Eu acredito que hoje o diálogo, o trabalho conjunto entre as três esferas de governo e a sociedade civil organizada é o caminho para a solução de vários problemas e isso que o governador Ricardo Coutinho vem fazendo a frente dos destinos da Paraíba’, enfatizou o secretário.

 

Waldson Souza explicou que agora a saúde na Paraíba vem sendo feita de forma transparente e clara com a participação dos municípios “Quem está lá no município sabe o que está acontecendo e pode dizer o que deve ser feito para melhorar a situação. Foi justamente isso que o Governo do Estado fez logo no início da gestão e vem fazendo até hoje: ouvindo os reclames da população e juntos buscando a saída para os problemas de forma democrática e direta”, disse o secretário.

Ele lembrou que desde o início da gestão a saúde começou a ser pensada como um sistema, e não como uma colcha de retalhos de eventos separados que, no final, resultava em pouca coisa. “Ao longo desses anos, o Governo do Estado enfrentou problemas para administrar e colocar a saúde para funcionar devido à situação de descaso e sucateamento em que encontrou a rede hospitalar. Mas com determinação e força de vontade e a parceria com os municípios a população paraibana de fato está podendo desfrutar de um sistema de saúde com qualidade e eficiência” avaliou.

Destaques – Dentre as inúmeras ações realizadas pelo Complexo de Pediatria Arlinda Marques durante o ano de 2013 merecem destaque a realização de duas cirurgias consideradas de alta complexidade em neurocirurgia. Uma delas foi uma correção cirúrgica de uma  Cifoescoliose de Alto Valor Angular (Curva Severa) em uma paciente do sexo feminino  e 17  com apenas  17 anos de idade.

De acordo com o neurologista Christian Diniz, chefe do Serviço de  Neurocirurgia Pediátrica do Complexo de Pediatria Arlinda Marques, a Cifoescoliose é uma doença que acomete a coluna vertebral gerando deformações em três planos – deformidades tridimensionais  da coluna – causando diminuição do diâmetro do tórax e abdômen  podendo levar a  alteração-compressão dos órgãos internos.  “Enxergamos no Hospital Arlinda Marques um grande potencial para a constituição de um centro de atendimento e tratamento cirúrgico e não cirúrgico destas e outras doenças que envolvem a coluna vertebral”, afirma o médico Julimar Nogueira, ortopedista e  cirurgião de coluna.

O outro  procedimento complexo foi um  monitoramento neurofisiológico intra-operatório. A paciente foi uma criança de três anos. Ele explicou que a cirurgia representa um marco na vida de muitas crianças que nascem com problemas congênitos, podendo, em momento hábil, corrigi-los. O médico neurofisiologista Alberto Campos explicou que a cirurgia corrigiu um problema na coluna. A anomalia tem como alteração a retração de estruturas neurológicas sendo elas raízes lombares e sacrais e a própria medula.

As consequências são: redução do crescimento da coluna (paciente com baixa estatura), alteração anatômica lombo-sacra, lesão das raízes e medula pela retração de estiramento consequentemente distrofia e atrofia de modo assimétrico dos membros inferiores, com incapacidade de deambular de modo correto ou mesmo incapacidade completa.

Paulo Cosme