Arquivo da tag: tumultuada

Em sessão tumultuada, servidores municipais cobram apoio dos vereadores após serem demitidos pelo prefeito Edgard Gama, em Belém (PB)

Foto: Revista Novo Perfil
Foto: Revista Novo Perfil

Os vereadores do município de Belém foram cobrados durante a sessão ordinária da Câmara Municipal, realizada ontem à noite (25), pelos servidores municipais demitidos pelo prefeito Edgard Gama. Os servidores querem o apoio dos parlamentares às reivindicações do movimento que ocupa a sede da prefeitura de Belém desde a manhã da última segunda-feira, 24 de outubro.

De acordo com a matéria da Revista Novo Perfil, a sessão foi interrompida pelo presidente da casa legislativa, João Félix, quando os manifestantes entraram nas dependências da Câmara Municipal exigindo o posicionamento dos vereadores, que em sua maioria apoiou a reeleição de Gama, derrotado nas urnas.

Ainda segundo matéria da Revista Novo Perfil, “os manifestantes vaiaram alguns vereadores da bancada do prefeito, que segundo relatava o ex-candidato a vereador Henrique Filho (PSB), todos que ali estavam sabiam das intenções do prefeito, pois o mesmo havia dito em uma reunião, que ganhando ou perdendo não iria pagar mais aos funcionários. E foi por esse motivo que o Henrique filho rompeu com Edgard Gama, e denunciou as intenções do prefeito”.

A ocupação do prédio da prefeitura de Belém, pelos manifestantes e servidores municipais, continua pelo terceiro dia consecutivo. O ato segue pacífico, sem depredação do espaço público e sem interrupção dos trabalhos na sede da prefeitura.

correiobelenense

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Eurico vence eleição tumultuada e volta ao Vasco com votação recorde

euricomirandaEurico Miranda está de volta ao comando do Vasco. Após um processo eleitoral polêmico e uma votação conturbada nesta terça-feira, a chapa do polêmico dirigente venceu as eleições para o Conselho Deliberativo do clube de São Januário. O cartola havia deixado o Cruzmaltino em 2008, quando deu lugar ao presidente Roberto Dinamite, que se despede do cargo nos próximos dias.

Toda a polêmica que envolve o nome de Eurico Miranda proporcionou também um recorde na eleição cruzmaltina: 5.592 eleitores exerceram seu direito. O número superou os 5.553 votantes que reelegeram Antônio Soares Calçada, em 1985. O novo presidente comandará o clube até dezembro de 2017.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A apuração chegou ao fim às 3h27 desta quarta-feira. O grupo “Volta Vasco. Volta Eurico” teve 2.733 votos dos associados que compareceram ao ginásio vascaíno durante toda a terça-feira. Candidato da chapa “Sempre Vasco” e apoiado por Edmundo, Júlio Brant ficou em segundo lugar com 1.570 votos. Já Roberto Monteiro, da chapa “Identidade Vascaína”, amargou a terceira colocação com 1.155 votos. Sessenta votantes foram impugnados antes da votação. Outros 60 decidiram anular ou votar em branco.

“A partir do momento que eu assumir, o Vasco voltará a ser respeitado”. Foi com essa afirmação que Eurico Miranda se manifestou pela primeira vez após ser eleito o próximo presidente do clube. “O Vasco está vivo de novo. Isso é o mais importante”, completou o mandatário.

Apesar da vitória de seu grupo na apuração que terminou na madrugada desta quarta, Eurico Miranda só tomará posse no dia 1º de dezembro. Isto porque a eleição no clube ocorre de maneira indireta: os 120 vascaínos da chapa vencedora do pleito se reunirão no próximo dia 19, quando tomarão posse no Conselho Deliberativo e confirmarão a indicação do nome do cartola o cargo do presidente.

Segundo colocado, o grupo de Júlio Brant indicará as outras 30 cadeiras que completam o Deliberativo.

UOL

Em sessão tumultuada, Assis do Couto é confirmado presidente da CDHM

 (Arquivo pessoal)
(Arquivo pessoal)

Aconteceu na tarde desta quarta-feira (26) a eleição que definiu a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM). Como Fórum já havia adiantado, existia um acordo feito entre as bancadas do PT, PMDB e PTB em prol do nome de Assis do Couto (PT-PR) para assumir a presidência. Porém, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) apresentou candidatura avulsa e perdeu com a diferença de apenas dois votos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Antes da votação ser iniciada, o deputado Nilmário Miranda (PT-MG), que foi eleito vice-presidente da Comissão, fez leitura de artigos do regimento interno da Câmara que não autoriza candidaturas avulsas à presidência das Comissões, visto que, segundo Miranda, trata-se de um protocolo histórico da Casa não quebrar os acordos entre as bancadas. A divisão das comissões é feita conforme o tamanho de cada representação partidária na Câmara.

Apoiadores de Jair Bolsonaro foram ao microfone dizer que o PT estava sendo antidemocrático ao não permitir a candidatura do parlamentar. Num momento mais tenso, Bolsonaro foi acusado de ser racista e que só isso deveria impedi-lo de ser candidato. Aos gritos, o parlamentar negou que fosse racista e que “apenas não apoia cotas para negros”.

Mesmo com o acordo entre as bancadas, a votação foi apertada. Assis do Couto teve 10 votos e Jair Bolsonaro, 8. Em seu discurso de posse, Couto disse que vai trabalhar para que todos os segmentos da sociedade sejam respeitados e ouvidos e que não vai permitir discursos discriminatórios em seu mandato. O novo presidente da CDHM também ressaltou a importância da vice-presidência assumida por Nilmário Miranda e lembrou seu papel como fundador da comissão e ministro dos Direitos Humanos no governo Lula.

 

 

revistaforum