Arquivo da tag: tropeço

Rodrigo Caetano acredita no tropeço do Palmeiras e banca Zé Ricardo em 2017

ze-ricardoO Flamengo disputa o título do Campeonato Brasileiro com o Palmeiras. O rubro-negro tem 57 pontos, três atrás do Verdão. O blog conversou com o diretor-executivo de futebol do Flamengo, Rodrigo Caetano, sobre a luta pela taça, gestão do clube carioca, Zé Ricardo e a difícil convivência entre dirigentes profissionais e amadores no futebol. Acompanhem a entrevista exclusiva.

Flamengo X Palmeiras 

”Tenho a expectativa do Flamengo chegar na frente do Palmeiras. A gente sabe que é difícil porque o Palmeiras não está somente três pontos à frente, na verdade está quase a quatro pontos por conta do saldo de gols. O que anima o Flamengo, como está muito equilibrado, é como se fosse o jogo dos erros. Não só você tem que ter a performance de fazer o seu resultado, mas na esperança do teu concorrente em algum momento ter um deslize, um tropeço. Da mesma forma que o Palmeiras espera isso do Flamengo para também distanciar, nós esperamos isso do Palmeiras para que nos aproximemos deles. Claro, a gente não pode esquecer nunca do Atlético-MG também, Santos, mas no caso do Palmeiras a esperança de que em algum momento haja o deslize e nós tenhamos daqui até o final da competição, foco 100%, aproveitamento 100%. Essa é a idéia”.

Flamengo chegou pela gestão ou montagem do elenco

”Eu acho que os dois. Passou por um período de muita dificuldade porque a gestão sempre teve como objetivo sanear as dívidas, recuperar o clube, recuperar a credibilidade. O que eu vejo desse ano, principalmente, é que houve um investimento que para muitos não aparece. Investimento na tecnologia e nos equipamentos no Centro de Treinamento. Então, isso fez com que, mesmo com todas essas viagens, o Flamengo tivesse uma performance de poder bater uma liderança. Eu acredito somada à montagem de elenco e a boa performance de jogadores, viabilizada pela melhoria da infraestrutura, acho que é um somatório que vem dando resultado”.

Zé Ricardo é realidade

”Na minha visão, ele é uma realidade, dentre os bons técnicos do futebol brasileiro. Se você perguntar, ele está totalmente formado, num processo de formação porque é óbvio vem enfrentando situações as quais ele não enfrentava quando treinava as divisões de base, mas a nível de conteúdo, de metodologia de trabalho, de conhecimento, ele está preparado e se preparou para esse momento. Então, todas as demais questões, eu acredito que ele conta também com uma equipe altamente qualificada que dá o suporte que auxilia ele nessa questão da formação das outras características que um técnico tem que ter e que adquire isso com a experiência. Mas eu vejo ele sim como um dos futuros técnicos de ponta do futebol brasileiro num curto espaço de tempo”.

Zé Ricardo vira o ano como técnico ou depende do título 

”Vira, sem dúvida. Quando você consegue identificar um profissional dessa qualidade, que conhece o Flamengo, que tem conteúdo e que também se coloca como parte integrante de uma equipe multi-disciplinar e interdisciplinar, não tem porquê você modificar, já que a filosofia do Flamengo é essa”.

Flamengo vai dominar o futebol brasileiro num futuro próximo

”Olha, se tiver uma capacidade de investimento maior, é claro que a nível de mercado, vai ter uma vantagem, mas isso vai depender muito das escolhas, vai depender muito de manter essa política, não digo da austeridade, mas da responsabilidade. O Flamengo hoje tem 35% do seu orçamento destinado ao futebol. A esperança é que, com o passar dos anos, com a situação financeira mais equilibrada, reinvestimento no patrimônio, que o Flamengo consiga atingir 50%. Isso que o Profut limita em 70% ou 80%. O Flamengo trabalha com metade disso. Então, por conta justamente da oportunidade e momento de sanear o clube. Se bem gerenciado, não dá para dizer que o Flamengo vai nadar de braçada, mas se tiver uma gestão competente daqui para a frente, a possibilidade de ter equipes mais competitivas, ela óbvio que aumenta”.

Diego sobra no futebol brasileiro

”Diego não é só apenas um grande jogador tecnicamente. Ele é um grande profissional, uma surpresa altamente positiva, um dos grandes exemplos daqueles atletas que vão para a Europa e retornam. Você ter atletas como Diego, Ederson, Paolo Guerrero, eu como gestor não me limito a avaliá-lo somente pelo que ele me dá dentro de campo, mas fora dele. Exemplos positivos como comprometimento, foco, o cuidado que ele tem na parte física, clínica, o entendimento do jogo, querendo sempre estar atualizado. Isso passa um exemplo altamente positivo para os demais do elenco e facilita demais a questão da gestão do técnico e minha também”.

Reforços para 2017 e vendas de atletas

”Temos alguns jogadores no radar. A gente pretende ter uma mudança muito menor de elenco porque a gente vem se preparando para isso, mas é óbvio que o momento não é de falar sobre isso. Nós temos aí uma disputa em aberto, mas a gente vem planejando as conversas internas em relação as nossas necessidades, é o que nós projetamos para 2017 e os possíveis nomes, isso a gente já vem fazendo, mas o momento de atuar mais firmemente no mercado não é agora porque senão eu acredito que o prejuízo seria muito maior. Temos coisa grande em disputa”.

Flamengo e seu histórico de arrancadas finais para o título 

”Não tem nada disso. É claro que tem esse estigma, é o que o torcedor acredita, mas eu acredito em trabalho e os nossos concorrentes vêm realizando um grande trabalho também. A esperança, como eu disse no início, possa haver um desequilíbrio, um deslize dos nossos concorrentes para que o Flamengo possa subir. Da nossa parte, nós faremos de tudo para que não ocorra conosco, a nível de concentração, de comprometimento, de foco, não vai haver. Vão haver sim jogos dificílimos daqui para a frente, as dificuldades elas vão ser tanto para nós como Palmeiras, Atlético, Santos, principalmente, mas o Flamengo vai tentar fazer a sua parte. No que eu acredito é que se o Flamengo fizer a sua parte, em algum momento é muito difícil você manter esse índice de aproveitamento e a gente espera que o Flamengo mantenha e os nossos concorrentes não”.

Executivos X Dirigentes amadores

”Eu penso que tem papéis distintos. O grande dilema é um profissional entender a sua função, sua atribuição e da mesma forma o dirigente estatutário, amador. Quando nós vimos muitas vezes esse suposto conflito é por justamente a falta de entendimento. O dirigente profissional ou executivo, ele não vislumbra ter mais ou menos poder. Nós não queremos poder. Nós queremos as informações, digamos, o que nós temos de ferramentas para a melhor tomada de decisão seja realmente levada em consideração. Da mesma forma que no nosso entendimento, o dirigente estatutário, ele existe para estabelecer as diretrizes, cobrar as metas estabelecidas dos profissionais que vão executar. Quando esses papéis muitas das vezes se invertem ou na verdade eles se confundem, aí é que o problema na gestão do futebol brasileiro. Para isso aí realmente não há mais espaço, o sistema está falido. Enquanto determinados clubes não entenderem que o dirigente amador estabelece as diretrizes, cobra e exige que as metas sejam atingidas e quiser entrar para dentro da operação do negócio sem o devido conhecimento e a devida preparação, aí nós vamos retomar e encontrar os motivos pelos quais muitos clubes enfrentaram problemas e construíram essa dívida astronômica que a maioria deles, infelizmente enfrenta”.

Rodrigo Caetano tem contrato com o Flamengo até dezembro de 2018. Foi ex-jogador e se tornou executivo no RS Futebol Clube. Depois, trabalhou no Grêmio, Vasco e Fluminense, até chegar ao Flamengo à convite do atual presidente Eduardo Bandeira de Melo.

blogdopraetzel

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Seleção encara Iraque para se redimir de tropeço na estreia

imagem: Lucas Figueiredo/MoWa Press
imagem: Lucas Figueiredo/MoWa Press

A autoanálise da seleção brasileira após uma estreia decepcionante indicou novos caminhos para o compromisso deste domingo. Para vencer o Iraque às 22h (horário de Brasília) no Estádio Mané Garrincha, Rogério Micale e sua equipe atacaram dois pontos em especial.

Na base da conversa, e com bastante privacidade, Micale buscou recuperar o ânimo de jogadores como Gabriel Jesus, que mostrou abatimento por um gol perdido. Além de pedir apoio aos torcedores, deixou claro que o clima de vaias no retorno ao Estádio Mané Garrincha pode se repetir.

“Se conseguirmos um gol rápido seria formidável, mas são 90 minutos e o que nos importa é ganhar. Temos que ter tranquilidade. O adversário sabe que o Brasil vive momento de pressão muito grande. Eu, se estivesse do outro lado, tentaria usar isso para desestabilizar. Temos que saber que temos 90 minutos para ganhar o jogo. Se vier a vaia por não conseguirmos resolver (rapidamente), temos que pensar que estamos lidando com a torcida adversária. É um momento em que temos de nos fortalecer, e não nos deixar levar por sentimentos”, disse Micale.

O MEIO-CAMPO INSPIRA PREOCUPAÇÕES

Mais importante que lidar com o coração dos atletas, na verdade, é consertar o coração do time. O desempenho do meio-campo brasileiro na estreia foi o ponto de maior preocupação para o treinador Rogério Micale, em especial de Felipe Anderson e Renato Augusto, ambos substituídos no segundo tempo.

A avaliação é de que a transição de bola e as trocas de passes foram muito lentas no primeiro jogo. Quando Luan e Rafinha Alcântara assumiram um lugar no time, que também passou a ter superioridade numérica, a seleção conseguiu abafar os sul-africanos e criar de forma mais rápida. Além disso, o distanciamento entre os setores (defesa, meio e ataque) e o baixo número de triangulações foram motivos para lamentação.

Na avaliação da comissão técnica, a situação poderia ser diferente se Fred, do Shakhtar-UCR, estivesse no grupo. O meia canhoto revelado no Internacional oferece justamente essas características ao time. Além disso, Rafinha também poderia ajudar mais. Entretanto, a condição física do jogador do Barcelona ainda não permite que ele atue 90 minutos. Sem 100%, ele ainda manca em alguns momentos e sente o ritmo mais forte.

Assim, o jeito é tentar lidar com esses problemas com o que tem em mãos. Micale tem utilizado Felipe Anderson em posição mais recuada que o normal, justamente, para dar mais velocidade à transição da equipe. Na sexta, Renato Augusto teve longa conversa com o auxiliar Odair Hellmann durante treino regenerativo, na piscina.

Esse sentimento de preocupação, vale frisar, não se estende para Thiago Maia. O único volante do time titular impressiona a comissão técnica pela vitalidade e pela forma como se conectou à ideia de jogo proposta para a seleção. “Fisicamente é um atleta que realmente impressiona bastante. Do ponto de vista técnico é um jogador fantástico. Temos aqueles jogadores que se destacam nas partes técnica e física logo cedo. Ele se enquadra entre esses perfis”, disse o preparador Marcos Seixas.

FICHA TÉCNICA

BRASIL x IRAQUE

Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 07 de agosto de 2016 (domingo)
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Ovidiu Hategan (Romênia)
Auxiliares: Octavian Sovre e Sebastian Gheorghe (ambos Romênia)

BRASIL: Weverton; Zeca, Marquinhos, Rodrigo Caio e Douglas Santos; Thiago Maia; Felipe Anderson e Renato Augusto; Gabriel, Gabriel Jesus e Neymar. Treinador: Rogério Micale

IRAQUE: Mohammed Hameed; Saad Luaibi, Ahmed Ibrahim, Mustafa Nadhim e Ali Adnan; Amjed Attwan e Ali Hisny; Hammadi Ahmed, Humam Tareq e Dhurgham Ismael; Sherko Kareem. Treinador: Abo Kll Hayder

Uol Esportes

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Treze bate Sousa no PV e se recupera de tropeço na estreia

Foto: Paraibaonline
Foto: Paraibaonline

Na noite desta quarta-feira (04), no estádio Presidente Vargas, em Campina Grande, o Treze venceu o Sousa por 2 a 0 e conseguiu se recuperar do tropeço na estreia do Campeonato Paraibano.

Depois de um primeiro tempo truncado, os gols do Alvinegro saíram na etapa complementar.

Marcelo Maciel, aos nove, e Zotti, de pênalti, dez minutos depois, anotaram os gols do Galo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A vitória deixa i time de São José com quatro pontos em dois jogos, ocupando a quinta colocação na tabela.

Já o Sousa permanece com sete pontos, agora na quarta posição.

A próxima rodada agenda Treze x Auto Esporte para as 16h, domingo, nova,ente no PV. O Alvirrubro venceu o Santa Cruz-PB em João Pessoa lidera a competição com 10 pontos.

O Dinossauro sertanejo joga fora de casa outra vez. O adversário será o Santa-PB, na capital.

Fonte: paraibaonline