Arquivo da tag: Três

Três são presos com quase 1 tonelada de artefatos explosivos

Três homens foram presos na manhã desta sexta-feira (17) com quase 1 tonelada de insumo diverso para fabricação de munições e artefatos explosivos, durante a Operação Mercador II, realizada pela Polícia Civil em Campina Grande.

Foram cumpridos 6 mandados de busca e apreensão, tendo por resultado a prisão de 3 homens nos bairros do Centro, Malvinas e Alto Branco. Um deles já teria sido preso em 2019, na primeira etapa da Operação Mercador, quando foi flagrado com mais de 3 mil munições e uma arma de fogo.

Foram apreendidas pólvora, chumbo, munições calibre 12, uma espingarda do mesmo calibre, centenas de estojos de munições e em um dos alvos também foi apreendido uma quantidade de cocaína.

A operação é realizada pela Delegacia Especializada de Crimes Contra o patrimônio de Campina Grande (DRF/CG) e tem como objetivo combater a comercialização ilegal de armas de fogo, munições, artefatos explosivos e insumos para a fabricação de tais materiais.

 

portalcorreio

 

 

Três pacientes com suspeita de coronavírus morrem em 24 horas, em Campina Grande

Três pacientes com suspeita de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, morreram entre o domingo (5) e a segunda-feira (6), em Campina Grande, de acordo com o prefeito Romero Rodrigues. Segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde (SES), as três pessoas estavam internadas em estado grave no Hospital Municipal Dom Pedro I, que é referência no tratamento da infecção na cidade.

O primeiro caso foi de uma idosa, de 77 anos, que morava em Campina Grande e morreu no domingo (5). O segundo paciente foi um homem, de 56 anos, que também morava em Campina Grande. Ele morreu nesta segunda (6).

A terceira paciente foi uma mulher, de 55 anos, que morava no município de Olho D’água, no Sertão do estado. Antes de ser internada no Hospital Dom Pedro I, ela já havia sido transferida para Piancó, também localizada no Sertão paraibano. Ela tinha hipertensão e foi transferida para Campina Grande em estado grave de saúde.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), todos os três pacientes deram entrada no hospital com quadros graves de insuficiência respiratória, foram entubados, mas não resistiram à evolução da gravidade dos casos.

Já o secretário estadual de saúde, Geraldo Medeiros, informou que os pacientes também apresentavam sintomas de outras doenças como sepse, meningite e pneumonia. De acordo com ele, os testes serão realizados no Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (Lacen-PB) já que os casos foram notificados como suspeitos.

G1

 

Três homens são mortos a tiros dentro de carro, em Brejo do Cruz, na PB

Três homens foram mortos a tiros na noite desta sexta-feira (6), em Brejo do Cruz, no Sertão da Paraíba. Segundo informações da Polícia Militar, um outro homem que estava com o trio ficou ferido.

O grupo de quatro homens estava em um carro quando foi abordado por uma dupla armada que estava em uma motocicleta. Os dois homens atiraram contra o veículo e fugiram do local onde o crime aconteceu.

A vítima que sobreviveu foi socorrida para o Hospital Municipal Dr. Odilon Maia Filho. A Unidade hospitalar informou que o homem deu entrada no local, foi transferido para outro hospital, mas não soube informar qual.

À PM, ele informou que mora no município de Picuí, no Seridó do estado, e que é vendedor. Ele contou também que estava na cidade trabalhando com os homens que foram mortos.

A polícia ainda não sabe a motivação do crime e continuará investigando o caso. Até as 22h desta sexta, nenhum suspeito foi detido.

G1

 

Três pessoas ficam feridas após tiroteio no Sertão da Paraíba

Três pessoas ficaram feridas na manhã deste sábado (11), após um tiroteio ocorrido no centro de Piancó, município do Sertão da Paraíba.

De acordo com o relato de testemunhas no local, um homem chegou em um carro e começou uma briga. O pai da vítima sacou uma arma e reagiu, efetuando disparos. O grupo no veículo revidou e começou o tiroteio.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado e socorreu as vítimas para o Hospital Regional de Piancó.

Um dos feridos foi transferido para o Hospital Regional de Patos.

 

clickpb

 

 

Deslizamento de barreira deixa cinco mortos, três feridos e dois desaparecidos no Recife

Um deslizamento de barreira na Rua Bela Vista, no Córrego do Morcego, no bairro de Dois Unidos, na Zona Norte do Recife, deixou cinco mortos, três feridos e duas pessoas desaparecidas, na madrugada desta terça-feira (24). De acordo com o Corpo de Bombeiros, o deslizamento aconteceu às 2h55 e atingiu duas casas.

Entre as vítimas que morreram no local, estão três adultos, uma criança e um bebê. “Quando eu cheguei, estava a casa destruída, entrei em desespero. Começamos a cavar e tirar os destroços de cima”, contou Marco Antônio, vizinho das vítimas que ajudou no resgate.

Os bombeiros buscam duas mulheres desaparecidas. “Nós trabalhamos com a possibilidade de que as pessoas desaparecidas estejam vivas. Em um deslizamento, o material se compacta, sendo mais fácil ter bolsas de ar favorecendo que as vítimas permaneçam mais tempo respirando, então a possibilidade realmente existe”, disse o major Anderson Barros, do Corpo de Bombeiros.

Seis viaturas do Corpo de Bombeiros foram ao local: duas de busca e salvamento, uma de busca com cachorros, uma de comando operacional e duas de resgate. Equipes da Defesa Civil do Recife também foram ao local do deslizamento.

Deslizamento aconteceu no bairro de Dois Unidos, na Zona Norte do Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Deslizamento aconteceu no bairro de Dois Unidos, na Zona Norte do Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

As pessoas que morreram no local do deslizamento são da mesma família e foram identificadas como:

  • Emanuel Henrique de França, de 25 anos: marido de Érica e pai de Érick.
  • Érica Virgínia, de 19 anos: esposa de Emanuel e mãe de Érick.
  • Érick Junior, de 2 meses: filho do casal.
  • Lucimar Alves, de 50 anos: avó de Daffyne.
  • Daffyne (sobrenome não divulgado), de 9 anos: neta de Lucimar.

Os três feridos no deslizamento da barreira são:

  • Otoniel Simião da Silva, de 57 anos:foi levado para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Nova Descoberta, na Zona Norte do Recife, mas o estado de saúde dele não foi divulgado até a última atualização desta matéria. Ele é marido de Lucimar, avó de Daffyne e primo de Emanuel, que morreram no deslizamento.
  • Luiz Tadeu Costa, de 56 anos:também foi encaminhado para a UPA de Nova Descoberta, mas recebeu alta no início da manhã. Ele é marido de Cristina, que também se feriu no deslizamento.
  • Cristina Gomes da Silva, de 43 anos:foi socorrida para o Hospital da Restauração, no Derby, na área central do Recife. É irmã de Lucimar e esposa de Luiz.
Deslizamento atingiu duas casas nesta terça-feira (24) — Foto: Bruno Fontes/TV Globo

Deslizamento atingiu duas casas nesta terça-feira (24) — Foto: Bruno Fontes/TV Globo

Em nota, o Corpo de Bombeiros afirmou que “não pode determinar as causas do acidente”. Não chovia no momento do deslizamento da barreira e moradores da área relataram que dois canos da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) existentes no local estouraram e o vazamento, iniciado às 2h, teria feito a barreira deslizar.

“Pode ter havido o rompimento. O abastecimento de água da região realmente aconteceu ontem [segunda, 23], mas o rompimento não foi causado pelo rodízio. Estava sendo abastecido no momento do desastre”, declarou o gerente da região leste da Compesa, Aprígio Cunha.

Apesar dessa possibilidade, o gerente afirmou que não há registros, no sistema da Compesa, de vazamento na área do deslizamento.

“Não temos nenhum registro de vazamento pendente nessa área. A tubulação está numa profundidade que não dá para detectar se teve ou não vazamento. Estamos fazendo uma vistoria com a Defesa Civil para dizer o que realmente aconteceu. Desde 3h30, fomos acionados e estamos com equipe técnica para ver o que realmente aconteceu”, disse.

Vazamento em canos pode ter provocado deslizamento de barreira no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Vazamento em canos pode ter provocado deslizamento de barreira no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

 

G1

 

 

Adolescente é apreendida suspeita de participar da morte de três ex-namorados, em Belém, PB

Uma adolescente, de 17 anos, foi apreendida suspeita de participar dos homicídios de três ex-namorados, em Belém, no Agreste da Paraíba. Já os crimes aconteceram nas cidades de Caiçara e Logradouro, também no Agreste do estado, em 2018, quando as vítimas mantinham relacionamentos amorosos com ela.

Segundo a Polícia Civil, ela não teria matado os homens, mas facilitado a morte deles por causa de disputas pelo comando do tráfico de drogas nos dois municípios.

A garota foi apreendida por ato infracional semelhante ao crime de homicídio e encaminhada para uma casa de ressocialização, localizada em João Pessoa. Ela deve permanecer no local, inicialmente, por 15 dias.

G1

 

Três pessoas desaparecem após canoa virar, em barragem na Paraíba

Três pessoas estão desaparecidas desde a tarde de ontem, segunda-feira (23), após uma canoa virar na barragem São José, no município de Monteiro, no Cariri Paraibano. Uma quarta pessoa que estava com o grupo conseguiu nadar e pedir ajuda.

O Corpo de Bombeiros iniciou as buscas ainda na noite de ontem, mas como não tinha acessibilidade, acabou suspendendo-as, as retomando apenas na manhã desta terça-feira (24), mas até agora ninguém foi encontrado.

Entre os desaparecidos estão duas pessoas da mesma família, além de um pescador, que seria o dono da canoa.

pbagora

 

 

PB confirma mais três casos de malária e já soma 20 no ano

A Paraíba tem 20 casos autóctones de malária em 2019, desses, três registrados na semana passada (de 1º a 7 de setembro). Os casos autóctones são aqueles que têm origem dentro do estado.

A Secretaria Estadual de Saúde disse à produção da Rede Correio Sat que ações de combate estão relacionadas à oferta contínua de capacitações sobre manejo clínico da malária, Teste Rápido Diagnóstico e Coleta de Gota espessa (padrão ouro) para profissionais da assistência à saúde de municípios de todo o estado.

Segundo a Saúde, aos serviços capacitados são distribuídos continuamente Testes Rápidos para diagnóstico da Malária e garantia da leitura das lâminas de Gota Espessa em tempo oportuno pelo Laboratório Central de João Pessoa (Lacen).

“No tocante ao controle do vetor, a vigilância ambiental realiza com periodicidade programado ações de borrifações nas localidades com alta densidade vetorial”, informou a Secretaria.

Diante da exposição das ações de controle e prevenção é importante enfatizar que parte do sucesso das ações dependem da sensibilização da população referente à procura pelos serviços de saúde de forma precoce na apresentação de qualquer sintomatologia da Malária, no uso de repelentes e redes de proteção em portas e janelas das residências.

Sobre a malária

É uma doença infecciosa febril aguda, causada por protozoários transmitidos pela fêmea infectada do mosquito Anopheles. A Secretaria informou que não é uma doença contagiosa. A transmissão é através do vetor, que é a fêmea do mosquito Anopheles, também conhecido como mosquito prego, infectada por Plasmodium, um tipo de protozoário.

Os sintomas incluem mal-estar e calafrios, seguido de suor intenso e prostração. No caso do Plasmodium falciparum, pode ocorrer uma grave anemia, potencialmente fatal.

O tratamento da doença é gratuito e disponibilizado pelo Ministério da Saúde. Em João Pessoa, o hopsital de referência para o tratamento da malária é o HU.

Medidas Preventivas

  • Uso de calças e camisas de manga longa e de cor clara;
  • Aplicação de repelentes;
  • Evitar locais próximos a criadouros naturais dos mosquitos (beira de rios e lagos, áreas alagadas ou coleções hídricas, região de mata nativa), principalmente nos horários da manhã e ao entardecer, por serem os períodos do dia de maior atividade dos vetores da doença, entre 17h e 6h
  • Uso de telas protetoras nas portas.

 

(Foto: Cecília Bastos/USP Imagens)

portalcorreio

 

 

Acidente com ônibus de Jonas Esticado deixa três feridos no Maranhão

Um ônibus da equipe do cantor Jonas Esticado se envolveu em um acidente e três pessoas ficaram feridas na BR-226, no Maranhão. O caso aconteceu na madrugada desta sexta-feira (9) na região de Tuntum, a cerca de 300 km de São Luís.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), informações preliminares apontam que o ônibus bateu na traseira de um caminhão e acabou saindo da pista.

Jonas Esticado não estava no ônibus. Nas redes sociais, o próprio cantor informou que ninguém ficou ferido e todos passam bem. A agenda do shows também não sofreu alteração para este fim de semana.

G1

 

 

Três meses após bloqueio do MEC, instituições federais de ensino na PB preveem colapso financeiro

Três meses após o bloqueio de aproximadamente R$ 90 milhões do orçamento por parte do Ministério da Educação (MEC), as instituições federais de ensino da Paraíba fazem previsão de colapso orçamentário a partir de outubro deste ano caso não haja um desbloqueio. Reitores e pró-reitores de UFPB, UFCG e IFPB explicam que os recursos disponíveis no orçamento após bloqueio de 30% só garantem cumprimento de contratos e custeio de despesas até setembro.

O bloqueio dos recursos foi definido pelo MEC no dia 30 de abril deste ano. Na Paraíba, o valor bloqueado pelo governo federal para suas universidades e institutos chegou em R$ 91 milhões, sendo R$ 44 milhões para o UFPB, R$ 27 milhões para UFCG e R$ 20 milhões no IFPB. A previsão em cada uma dessas instituições de ensino superior é de que o contingenciamento só permita arcar com os custos do funcionamento até setembro.

O vice-reitor e secretário de planejamento da UFCG, Camilo Farias, comentou que a recomendação feita pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) é de que as universidades federais sigam honrando com os contratos firmados até setembro, que é o prazo em que acaba o orçamento contingenciado pelo governo federal.

“Em outras universidades, em outros estados, já temos conhecimento de demissão de funcionários terceirizados ou de problemas para arcar com a despesa de energia elétrica. Na UFCG não estamos enfrentando esse tipo de problema ainda. Seguimos a orientação da Andifes e esperemos que o valores sejam desbloqueados pelo governo”, comentou.

Confira o balanço feito por cada uma das universidades e instituto federais na Paraíba após três meses de contingenciamento do MEC no orçamento das instituições.

UFPB

A reitora Margareth Diniz afirmou que o orçamento da UFPB segue contingenciado. A instituição recebeu até julho apenas 48% do crédito orçamentário. A universidade sofreu o maior bloqueio de verbas entre as instituições federais na Paraíba. Foram suprimidos R$ 44 milhões do orçamento, correspondentes aos 30% contingenciados pelo MEC.

Ainda de acordo com a reitora, a UFPB tem trabalhado para que, caso não haja liberação do restante do dinheiro previsto no orçamento em outubro, que a unidade de ensino superior esteja preparada para liberação do dinheiro bloqueado ao final do ano.

“Se o descontingenciamento só acontecer ao final do ano, se ele chegar só no final do ano todo de uma vez, a gente precisa dar andamento o mais rápido possível para normalizar a situação dos meses anteriores”, explicou.

UFCG

O vice-reitor e secretário de planejamento da UFCG, Camilo Farias, segue a mesma linha da UFPB. Segundo ele, o orçamento da UFCG garante o cumprimento de todas as despesas previstas até o mês de setembro. A partir de outubro, caso não haja desbloqueio, vai haver um colapso no funcionamento da instituição.

O orçamento da UFCG era de cerca de R$ 90 milhões, após o bloquei dos 30%, cerca de R$ 27 milhões foram suprimidos da instituição. Para recursos discricionário, a UFCG passou a contar com aproximadamente R$ 63 milhões, um montante disponível para arcar com todos os contratos firmados para 2019. Do volume de despesas da UFCG, cerca de R$ 42 milhões é apenas para pagamento de funcionários terceirizados, algo em torno de 47% do orçamento total de R$ 90 milhões.

“O bloqueio foi dia 30 de abril, já tínhamos quatro meses completos de gastos no orçamento. São 30% em cima de 8 meses e não em cima de um ano. Tínhamos 90 milhões e passamos para 63 milhões de reais. Para entendermos a dimensão, nessa situação, são R$ 63 milhões em um orçamento que R$ 42 milhões são apenas para os terceirizados”, comentou.

A UFCG segue trabalhando, assim como a UFPB, para reduzir os custos de manutenção da instituição, na esperança de que os valores sejam desbloqueados pelo governo federal. Muito embora, de acordo com Camilo Farias, apesar de toda economia, a redução de gastos ainda não garante a cobertura dos demais compromissos financeiros da universidade que estão sob risco com o bloqueio.

“Fizemos R$ 400 mil de economia em água, da mesma forma, a partir de projetos da própria universidade, uma redução no uso da energia elétrica. Atualmente, 100% dos nossos processos administrativos são eletrônicos. Mas isso tudo não é suficiente”, conclui o vice-reitor.

IFPB

No caso do IFPB, de acordo com o pró-reitor de administração e finanças do IFPB, Pablo Andrey, a instituição entrou no segundo semestre com apenas 53% do orçamento total previsto. A verba foi utilizada para para o pagamento de energia, água, serviços terceirizados bolsas e etc. Outros 20% do orçamento de investimento, que é para a aquisição de equipamentos. O IFPB sofreu um bloqueio na ordem de R$ 21 milhões.

“Considerando o contingenciamento realizado de 40% no custeio, só nos restaria receber mais 7% (recebemos 53% até agora e 40% estão bloqueados) até o final do ano. Destes 53% do orçamento de custeio recebido, já o executamos quase na totalidade. Isto é normal, pois estamos mais ou menos no meio no ano, e está proporcional ao orçamento. Todavia, a instituição está funcionando com austeridade e sem perder a sua qualidade, marca essa do IFPB”, explicou.

Assim como UFPB e UFCG, com o orçamento disponível, o instituto só teria funcionamento até o mês de setembro, quando os contratos começam a ser renovados. “O reitor viajou nesta terça-feira (30) à Brasília para a reunião com todos os reitores da rede federal de educação profissional para discutir e reivindicar o desbloqueio do orçamento”, relatou.

 Foto: Michele Mendes / TV Globo

G1