Arquivo da tag: Timão

Atlético-PR surpreende, mas Timão segue invicto e tranquilo na liderança

O Corinthians sofreu um gol depois de 674 minutos e saiu atrás no placar pela primeira vez neste Brasileirão. O empate por 2 a 2 com o Atlético-PR pode ser considerado um tropeço para o líder do campeonato, principalmente porque o duelo foi na Arena em Itaquera, mas o Timão chegou a 28 jogos invicto e ainda tem boa vantagem para o segundo colocado: 11 pontos de distância para Grêmio, que recebe a Ponte Preta na tarde deste domingo.

Dos 28 jogos de invencibilidade, o Corinthians tem 17 vitórias e 11 empates. O Atlético-PR, por sua vez, conseguiu um bom resultado fora de casa, mas chegou ao quarto jogo sem vencer e agora ocupa a 13ª colocação, com 16 pontos.

Com os importantes desfalques de Pablo, Guilherme Arana e Rodriguinho, o Corinthians errava muito no começo do jogo e não conseguia levar perigo, assim como o Atlético-PR. O goleiro Weverton teve trabalho em dois bons chutes de fora da área, de Gabriel e Marquinhos Gabriel.

Do outro lado, Cássio apenas assistia à partida, e nada pôde fazer aos 37 minutos. Jonathan recebeu na direita e passou por Moisés, Maycon, Gabriel e Pedro Henrique antes de bater cruzado e abrir o placar na Arena Corinthians.

O gol do Atlético-PR o questionamento: como a equipe do técnico Fábio Carille vai reagir estando atrás do placar? E a resposta foi a melhor possível! O Timão manteve a calma e chegou ao empate antes do intervalo, com Jô, que recebeu livre o cruzamento da esquerda de Moisés e não teve trabalho para marcar.

O Corinthians voltou para o segundo tempo pressionando e demorou apenas cinco minutos para virar. Após bonita troca de passes, Maycon cruzou para Jô marcar o 200º gol alvinegro na Arena. O atacante ainda tornou-se artilheiro do Brasileirão, com nove, ao lado de Henrique Dourado, do Fluminense.

Após a virada, o Timão não conseguiu controlar o jogo como costuma fazer quando está à frente do placar. O Atlético-PR começou a rondar a área corintiana com perigo, principalmente com Douglas Coutinho. Aos 37, a pressão resultou no empate: Otávio chutou de fora da área, Balbuena desviou de cabeça, e a bola entrou no canto esquerdo de Cássio.

O empate deixou o jogo elétrico. O Atlético-PR assustou com Sidcley, mas as melhores chances foram do Corinthians. Primeiro Jô recebeu em contra-ataque, avançou sozinho e chutou, Weverton salvou, mas depois o próprio atacante pegou o rebote e a bola passou em cima da linha e não entrou. Ainda teve uma outra chance incrível, após cruzamento de Fagner que Pedrinho não conseguiu concluir.

Apesar das grandes chances, o placar não foi alterado. O Atlético-PR surpreendeu, mas o Timão manteve a invencibilidade e lidera com folga o Brasileirão. Na próxima rodada, o Timão visita o Avaí, enquanto o Furacão recebe o Botafogo.

FICHA TÉCNICA 
CORINTHIANS 2 X 2 ATLÉTICO-PR 
Local: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Data-Hora: 12/7/2017 – 19h30
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-SC)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP)
Público/renda: 41.201 pagantes/R$ 2.403.003,90
Cartões amarelos: (COR), (APR)
Cartões vermelhos: 
Gols: Jonathan (37’/1ºT) (0-1), Jô (44’/1ºT) (1-1), Jô (5’/2ºT) (2-1), Otávio (36’/2ºT) (2-2)

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pedro Henrique e Moisés; Gabriel e Maycon; Marquinhos Gabriel (Pedrinho, aos 30’/2ºT), Jadson e Romero (Clayson, aos 41’/2ºT); Jô. Técnico: Fábio Carille.

ATLÉTICO-PR: Weverton; Jonathan, Wanderson, Paulo André e Sidcley; Otávio, Eduardo Henrique; Lucho González (Eduardo da Silva, aos 28’/2ºT), Cascardo (Nikão, aos 13’/2ºT) e Douglas Coutinho; Pablo. Técnico: Kelly

Corinthians saiu atrás, buscou a virada, mas cedeu o empate ao Atlético-PR no fim (Foto: Marcello Zambrana/AGIF)
Corinthians saiu atrás, buscou a virada, mas cedeu o empate ao Atlético-PR no fim (Foto: Marcello Zambrana/AGIF)

Foto: LANCE!

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Turbulência, gritos e pânico: Timão faz viagem assustadora após vaga

timao-no-aviaoOs jogadores do Corinthians viveram momentos de terror no voo que trouxe a delegação da Colômbia nesta sexta-feira, após o empate com o Once Caldas que classificou o time para a fase de grupos na Taça Libertadores.

Praticamente lotado, o Airbus 330 da Avianca deixou Bogotá por volta das 15h30 (18h30 de Brasilia) com destino ao aeroporto internacional de Guarulhos, na grande São Paulo.

Com cerca de 40 minutos de voo, os avisos luminosos de atar os cintos foram acionados em virtude da passagem por uma grande concentração de nuvens carregadas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
O avião começou a balançar imediatamente para os lados e logo em seguida teve uma queda brusca de cerca de três segundos. Tempo suficiente para passageiros entrarem em desespero.
– Nós vamos morrer! – gritou um deles.

 Não costumo ter medo, mas nessa fiquei bolado”
Renato Augusto, meia do Timão

Pouco antes da turbulência, algumas pessoas já haviam sido atendidas pelo serviço de bordo. Entre elas, Tite. Com o balanço da aeronave, o treinador não conseguiu equilibrar o copo de água que segurava e levou um banho. Durante o problema, o treinador rezava.

O zagueiro Gil era um dos jogadores mais assustados com a turbulência. O jogador também gritou com a mudança repentina de rota e cobriu a cabeça com o cobertor fornecido pela companhia aérea.

Curiosamente, Gil fazia naquele momento um tratamento na panturrilha direita, lesionada em Manizales, com um aparelho eletromagnético. Somente depois de todo o problema ele foi retirado pelo fisioterapeuta Bruno Mazziotti.

Minutos mais tarde, ainda sobrevoando a Colômbia, uma nova queda brusca da aeronave, desta vez um pouco mais leve que a anterior, mas capaz de assustar novamente as pessoas a bordo.

– Eu estava olhando para frente e percebi que o avião teve uma queda na parte de trás – contou o goleiro Walter.

Corinthians desembarque Tite (Foto: Diego Ribeiro)A expressão de Tite retrata os momentos vividos. O treinador buscou a fé para suportar a tensão do voo (Foto: Diego Ribeiro)

– Acho que essa foi a pior turbulência que peguei na minha vida – disse o repórter Abel Neto, da Rede Globo.

As luzes de alerta só foram apagadas com a melhora do tempo, sobrevoando o estado do Amazonas. Jogadores e outros passageiros passaram a andar pelo avião, mas ainda nervosos com o susto.

– Eu não costumo ter medo, mas nessa fiquei bolado – disse o meia Renato Augusto, ao conversar com os goleiros Cássio e Matheus Vidotto.

Corinthians desembarque (Foto: Diego Ribeiro)Aliviado, o colombiano Mendoza desembarca em Guarulhos (Foto: Diego Ribeiro)

 
A turbulência voltou com a chegada ao estado de Rondônia. As luzes foram acesas novamente. No entanto, perdeu força e acalmou os passageiros.

Somente três horas antes do pouso todas as luzes da aeronave foram apagadas para que as pessoas tentassem relaxar.

Apesar do alívio, o clima seguiu tenso. As brincadeiras entre os jogadores, tão comuns em voos após vitórias, foram raras. Gil, sempre atormentado pelos companheiros por causa do medo de voar, foi preservado.

– Fiquei com medo mesmo, a sensação é de que você realmente não vai sair dessa. Até pra nós que estamos acostumados a voar foi difícil – frisou o zagueiro.

Corinthians desembarque Gil (Foto: Diego Ribeiro)Gil revelou que temeu pelo pior (Foto: Diego Ribeiro)

O temor acabou já perto do pouso. O avião chegou a Guarulhos, sem novos sustos, à 0h43 desta sexta-feira. Alívio que rendeu aplausos dos passageiros ao piloto.

“São e salvo”, Sheik deixou claro que os momentos vividos nas alturas estiveram longe de terem sido serenos

– Foi um voo tranquilinho, está tudo sob controle (risos). Brincadeira, foi tenso mesmo, quem falar que não tem medo de avião está mentindo. Ainda bem que chegamos em casa.

Corinthians desembarque Emerson Sheik (Foto: Diego Ribeiro)Sheik relatou o voo “tranquilinho” (Foto: Diego Ribeiro)

globoesporte

 

Com pé no freio, Timão empata com Once Caldas e garante Majestoso

Agora, sim, o Corinthians se considera dentro da Taça Libertadores. Em tese, já estava. Mas agora, com o empate por 1 a 1 com o Once Caldas, nesta quarta-feira, em Manizales, a equipe confirmou vaga no Grupo 2 da competição ao lado de São Paulo, San Lorenzo (Argentina) e Danubio (Uruguai). Nada que não fosse previsto após a vitória por 4 a 0 no jogo de ida, quarta passada, em São Paulo. A estreia na próxima etapa é logo um Majestoso, quarta-feira que vem, na arena.

O receio, o “efeito Tolima”, tudo ficou para trás. Sob o comando de Tite, o Corinthians se mostra estável, mesmo quando não joga tão bem. O técnico mostrou aprendizado com o episódio de quatro anos atrás, quando o time acabou eliminado na mesma fase pelo modesto Deportes Tolima, também da Colômbia. Desta vez, não houve chance para o Once Caldas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O Corinthians volta a campo no próximo sábado, contra o Botafogo, às 17h (horário de Brasília), na Arena, pelo Campeonato Paulista. Na quarta-feira de cinzas, o Timão estreia na fase de grupos da Libertadores contra o rival São Paulo, também em casa.

Emerson Corinthians X Once Caldas (Foto: Rodrigo Coca / Agência Corinthians)Elias comemora primeiro gol do Timão: troca de passes perfeita (Foto: Rodrigo Coca / Agência Corinthians)

 

Exigência em alta

À beira do campo, com 1 a 0 a favor no placar, Tite se esgoelava, mostrava expressão preocupada e até maltratava um paletó bem cortado que marca sua terceira passagem pelo Corinthians. A posse de bola natural, as trocas rápidas de passes e o domínio total dos primeiros 15 minutos não deixaram o técnico satisfeito. Justamente porque foram “apenas” 15 minutos, não 45.

Nada que abalasse quem estava em campo. Jadson, Renato Augusto, Emerson, Danilo… Esse time parece se entender cada vez melhor. Direta ou indiretamente, todos participaram da jogada que terminou nos pés de Elias, em sua melhor característica: invadindo a área e tocando na saída do goleiro, aos 14 minutos. Depois, foi só administrar. E irritar Tite.

No segundo tempo, as cobranças do técnico se justificaram. O Timão relaxou ainda mais e permitiu a pressão do Once Caldas. Mesmo criando pouco, os colombianos se animaram, acertaram a trave, exigiram defesas de Cássio. Até que Arango, em bela jogada individual, deixou Fagner para trás e empatou o duelo, aos 12 minutos.

Tarde demais para uma reação colombiana. Mas cedo para Tite perceber falhas na marcação e na concentração do time. Com o São Paulo na mira daqui uma semana, nenhum detalhe pode escapar se o Corinthians quiser sucesso no Grupo 2 da Libertadores.

 

Globoesporte.com

Maior campeão da Copinha, Timão tem histórico de promoções ao profissional

(Foto: Miguel Schincariol/LANCE!Press)
(Foto: Miguel Schincariol/LANCE!Press)

Depois de bater o Botafogo-SP na manhã deste domingo por 1 a 0, o Corinthians levou o nono título da Copa São Paulo de Futebol Júnior da sua história. Com a conquista, o Timão ampliou ainda mais a vantagem em número de taças sobre os rivais. O Fluminense vem logo atrás dos paulistas, tendo levantado o caneco cinco vezes. O Alvinegro faturou o titulo da Copinha em 1969, 1970, 1995, 1999, 2004, 2005, 2009, 2012 e 2015.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Algumas promessas alvinegras se destacaram na competição e chegaram a vingar pelo clube, enquanto outros não deram certo, mas foram emprestados para outras equipes do futebol brasileiro. Em 1999, o Timão venceu o Vasco, e jogadores como o lateral-esquerdo Kléber, o volante Edu Gaspar e os atacantes Ewerthon, Gil e Fernando Baiano subiram para o profissional.

Desses, Edu e Kléber não atuam mais. Atualmente, o ex-volante é gerente de futebol do Timão. Já Kléber defendeu o Figueirense em 2014, mas rescindiu o contrato com o clube catarinense e anunciou a aposentadoria em seguida. Ewerthon, Gil e Fernando Baiano continuam jogando. O primeiro jogou no Atlético Sorocaba, o segundo jogou no ABC-RN e o terceiro passou pelo Mogi Mirim no ano passado.

Em 2004, o Corinthians derrotou o rival São Paulo na decisão. O goleiro Júlio César, o lateral-esquerdo Fininho, o volante Nilton, o meia Rosinei e os atacantes Bobô, Abuda e Jô se destacaram no campeonato e foram promovidos à equipe principal. O arqueiro defende hoje o Náutico, o ala joga no Metalist Kharkiv (UCR) e o volante foi récem-contratado pelo Internacional. Abuda está no Tokyo Verdy (JAP), Bobô atua pelo (Kayserispor – TUR) e Jô segue no Atlético-MG desde 2012.

No ano seguinte, o Corinthians faturou a Copinha pela sexta vez após vencer o Nacional-SP. O lateral-esquerdo Bruno Bertucci, o volante Bruno Octávio e os meia Elton e Ronny surgiram como joias e opções para o time profissional. Bertucci disputará o Paulistão deste ano pela Portuguesa, o volante defende o Marcílio Dias (PR), Elton está Al Fateh (SAU) e Ronny defende as cores do Herta Herlim (ALE).

O hepta em 2009 veio em cima do Atlético-PR. A garotada do Terrão que se acabou sendo promovida para o profissional foi formada pelo volante Boquita e o meia Lucas Sasha. O volante chegou a rodar em várias equipes do país, mas atualmente está no Marília. Já Sasha atua no Hapoel Aviv (ISR).

O último título corintiano conquistado antes deste domingo aconteceu quatro anos mais tarde, após vitória sobre o Fluminense. O goleiro Matheus Vidotto, o zagueiro Marquinhos, o lateral-esquerdo Denner, o volante Gomes, os meias Giovanni e Matheusinho e o atacante Douglas Tanque participaram do oitavo título do Timão e se destacaram no torneio.

O arqueiro continua treinando no alvinegro com os profissionais. O zagueiro Marquinhos defende o PSG, da França, e o lateral-esquerdo defendeu o Boa Esporte em 2014. O volante Gomes e o meia Matheusinho atuaram no ano passado pelo Guaratinguetá. Giovanni disputou a Série B pela Portuguesa, enquanto o Douglas atuou pela Ponte Preta, tendo conquistado o acesso para a Série A do Brasileirão deste ano.

LANCENET!

Timão bate Criciúma, mas não evita duelo eliminatório na Libertadores

timãoNem tudo deu certo para o Corinthians na tarde deste sábado. O Timão venceu o Criciúma por 2 a 1 na arena de Itaquera, chegou à 19ª vitória no Campeonato Brasileiro, mas não conseguiu subir para a terceira colocação e, consequentemente, conquistar a vaga direta na Taça Libertadores da América. Com os mesmos 69 pontos do Internacional, que bateu o Figueirense por 2 a 1 nos acréscimos em Florianópolis, o Alvinegro acabou prejudicado por ter duas vitórias a menos que o time gaúcho, terminou a competição na quarta posição e disputará a primeira fase da competição continental, em jogos eliminatórios.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O já rebaixado Criciúma deu trabalho além do esperado pelo Corinthians. Com um time repleto de jogadores jovens, buscou o empate após sair atrás do placar e se esforçou até o final. Com gols de Elias e Fábio Santos, o Timão venceu. Roger Guedes descontou para o Tigre. Foi o recorde de público da Arena Corinthians pós-Copa do Mundo: 38.044 pagantes, superando os 37.119 do jogo contra o Botafogo, no primeiro turno.

Para o Criciúma, foi a despedida na elite do futebol nacional e a “prova final” de jogadores da base, que serão aproveitados na próxima temporada. Os catarinenses jogarão a Série B do Campeonato Brasileiro em 2015. Para o Corinthians, a vitória não serviu para evitar um duelo eliminatório logo de cara na Libertadores, competição à qual o Timão voltará após ter ficado fora neste ano. O adversário na fase preliminar será um time colombiano que ainda não foi definido. A primeira partida será em casa e a decisão, fora. Se passar por esse duelo, o Alvinegro vai para o Grupo 2, com São Paulo, San Lorenzo-ARG e Danubio-URU.

Elias gol, Corinthians x Criciuma (Foto: Marcos Ribolli)Elias comemora o gol marcado pelo Corinthians ainda no primeiro tempo (Foto: Marcos Ribolli)

 

Bolas na trave, gol, polêmica…

Roger Guedes, Corinthians x Criciuma (Foto: Marcos Ribolli)Roger Guedes comemora o gol do Criciúma
(Foto: Marcos Ribolli)

Com um time repleto de garotos e sem nada a perder, o Criciúma partiu para cima do Corinthians, mas demorou poucos minutos para ser neutralizado. Aos 17 minutos, o Timão já havia batido na trave, literalmente, duas vezes: primeiro em cabeçada de Guerrero, depois em chute de Petros. Insistente, a equipe de Mano Menezes pressionava um adversário assustado e cada vez mais recuado, mostrando que o gol era questão de tempo. E o placar seria aberto em um vacilo dos visitantes: o lateral Maicon Silva perdeu a bola para Renato Augusto, que encontrou Petros. O meia deixou Elias, dentro da área, em boa posição para tocar no canto direito de Bruno, que se esticou, mas não encontrou nada.

O goleiro do Criciúma se machucou no lance, tentou continuar na partida, mas teve de ser substituído por Edson minutos depois. Mesmo dependente de contra-ataques criados nos espaços dados pelo Corinthians, o Tigre chegou ao empate, em um gol mal anulado pela arbitragem. Lucca lançou para Ricardinho, dentro da área. Com espaço, ele rolou no buraco deixado pela defesa alvinegra, e Gustavo empurrou para o gol. O árbitro Dewson Freitas da Silva marcou impedimento inexistente na criação da jogada.

Susto e alegria

Fabio Santos, Corinthians x Criciuma (Foto: Marcos Ribolli)Fábio Santos, autor do segundo gol do Corinthians
(Foto: Marcos Ribolli)

O segundo tempo começou bem para o Corinthians antes mesmo de a bola rolar. O gol do Figueirense contra o Internacional tornava a combinação de resultados perfeita para o Timão (o Colorado empatou mais tarde, mas não mudou a situação do Timão). A notícia, somada a um chute de Malcom que passou raspando a trave direita de Edson logo no primeiro minuto da etapa complementar, foi o suficiente para fazer a Fiel aumentar ainda mais a festa na Arena. Mas não por muito tempo: Roger Guedes aproveitou vacilos de Cássio e Fábio Santos em escanteio para empatar o jogo em Itaquera.

O barulhento ambiente, o jogo ofensivo e a experiência de Danilo, que entrou no lugar de Petros, foram suficientes para tornar a tarde perfeita para os corintianos. Em uma troca de passes muito rápida entre o meio-campista veterano, Fábio Santos, Renato Augusto e Paolo Guerrero, o lateral-esquerdo chutou forte, dando os três pontos e um começo de 2015 mais aliviado para a equipe alvinegra.

 

Globoesporte.com

Flu goleia e adia vaga direta do timão à fase de grupos da Libertadores

timãoO Fluminense entrou em campo, neste domingo, no Maracanã, pela penúltima rodada do Brasileirão, apenas para cumprir tabela. Afinal, já não tem mais chances de classificação à Taça Libertadores. O Corinthians ainda briga para tentar se garantir na fase de grupos da competição continental, mas acabou adiando a decisão para a última rodada. O Alvinegro até começou bem, abrindo o placar logo no início, mas o Flu virou, venceu por 5 a 2, e atrapalhou os planos do Timão. Fred (2), Ralf (contra), Edson e Conca marcaram para a equipe das Laranjeiras. Guerrero e Danilo descontaram para o Alvinegro, que ainda perdeu um pênanlti.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Os corintianos deixaram o gramado reclamando muito da arbitragem de Wilton Pereira Sampaio, que marcou penalidade inexistente a favor do Fluminense (a falta de Fábio Santos em Kennedy foi fora da área). Mano Menezes, que acabaria expulso por reclamação, ainda discutiu com um torcedor e avisou que está mesmo deixando o clube.

Com o resultado, o Corinthians segue com 66 pontos, em quarto lugar. A posição no G-4 está garantida, mas a equipe tenta evitar a fase inicial da Libertadores. Para isso, precisará vencer o Criciúma na próxima rodada para não depender de tropeço do Internacional, com quem disputa a terceira posição. O Fluminense, com 61, cumprirá tabela com o campeão Cruzeiro, em Belo Horizonte.

Fred comemora gol do Fluminense contra o Corinthians (Foto: Nelson Perez / Fluminense FC)Fred comemora gol do Fluminense contra o Corinthians (Foto: Nelson Perez / Fluminense FC)

 

O jogo

O Corinthians foi melhor durante boa parte do primeiro tempo. Com marcação firme no meio-campo, a equipe paulista dificultava as ações do Fluminense, que tinha mais a bola, mas tocava de lado, sem conseguir forar o bloqueio alvinegro. Quando teve a bola nos pés, o Timão mostrou qualidade no passe e entrosamento. O gol de Guerrero, logo aos 4 minutos, mostrou isso: lindo passe de Renato Augusto para Malcom, que tentou marcar com um leve toque de bico. Cavalieri espalmou, e a bola sobrou para o peruano abrir o placar. Como a entrada da área do Corinthians estava congestionada, o Flu tentava pelo alto. Aos poucos, foi se aproximando do gol. Fred chegou a marcar aos 35, mas estava impedido e teve o lance anulado. Aos 39, de tanto insistir, os cariocas chegaram ao empate: Sobis cobrou falta da esquerda, e Ralf subiu para cortar, mas fez contra.

O segundo tempo foi todo do Fluminense. O Corinthians entrou em parafuso e passou apresentar falhas defensivas. O Tricolor se aproveitou e desandou a marcar gols. A virada veio pelo alto, onde o Timão era mais vulnerável. Aos 12, Carlinhos cruzou da esquerda, e Edson subiu mais que Fábio Santos para marcar. Nervosos, os alvinegros perderam o controle. Aos 17, Gil derrubou Conca na área: pênalti, que Fred converteu.

A essa altura, Mano Menezes era xingado e discutia com torcedores corintianos no Maracanã. A um deles, respondeu, de acordo com com relato do repórter Bruno Laurence, da TV Globo:

– Pode deixar que já, já eu vou sair – disse, afirmando que não ficará mesmo em 2015.

O Fluminense, se aproveitando dessa pane dos corintianos, fez mais um, aos 25, novamente com Fred cobrando pênalti. Aliás, uma jogada bem polêmica e que acabou provocando a expulsão do técnico corintiano. Fábio Santos derrubou Kennedy fora da área, mas a arbitragem assinalou a penalidade. Inconformado, Mano reclamou muito. O jogo ficou paralisado por cinco minutos até que o treinador deixasse o campo.

Os últimos minutos foram alucinantes: aos 37, o Corinthians teve pênalti a favor, mas Cavalieri defendeu cobrança de Fábio Santos. No minuto seguinte, Danilo diminuiu de cabeça, após cruzamento de Jadson – dois reservas que haviam acabado de entrar. O Timão poderia até ter empatado a partida, mas Cavalieri fez duas grandes defesas. No fim, o Flu, mesmo com um a menos (Marlon foi expulso), conseguiu chegar ao quinto gol, com Conca, já aos 46.

 

Globoesporte.com

Galo goleia Timão, se classifica e transforma Mineirão em salão de baile

guerreiroNão se pode duvidar jamais da força do Atlético-MG e do Mineirão lotado. Empurrado por sua massa fanática, o Galo foi histórico: começou o jogo contra o Corinthians, nesta quarta-feira, precisando vencer por três gols de diferença para avançar às semifinais da Copa do Brasil, já que o Timão fez 2 a 0 na ida, em São Paulo. Levou um gol aos quatro minutos de jogo, mas jamais desistiu. Foi forte e vingador, como diz o seu hino e, de forma espetacular, venceu por 4 a 1, assegurando a classificação. Ao fim da partida, os jogadores atleticanos imitaram a dancinha do corintiano Mano Menezes no jogo de ida. O adversário na proxima fase será o Flamengo, que eliminou o América-RN: os confrontos serão nos dias 29 de outubro e 5 de novembro.

O jogo

Amparado pelos 2 a 0 que fez no jogo de ida, o Corinthians entrou em campo relaxado, tocando bem a bola, evitando o abafa do Atlético. Com apenas quatro minutos de jogo, o Timão abriu o placar, com Guerrero tirando proveito do vacilo de Jemerson. Deu a impressão de que o restante do jogo seria mera formalidade, já que o Galo precisaria agora marcar quatro gols para avançar. Era uma vantagem muito grande para o time paulista.

Os mineiros, porém, não se deram por vencidos, foram em busca da reação e desandaram a fazer gols. Luan, aos 23, e Guilherme, aos 31, colocaram a equipe da casa na frente. Faltavam mais dois, que Cássio insistia em não deixar passar. O goleiro corintiano fez boas defesas e conseguiu manter seu time na semifinal ao fim do primeiro tempo.

O Atlético voltou ao segundo tempo bem adiantado, com sua linha de meio-campo próxima à área corintiana. O chute de Carlos que explodiu na trave, aos 15 minutos, acabou sendo um prenúncio do que estava por vir. O Mineirão respirou fundo. Ao Corinthians, restava o contra-ataque. À medida que o jogo avançava, a equipe de Mano Menezes ia ganhando mais espaço para explorar. Mas quando parecia que o Timão começava a controlar o ímpeto do Galo, Guilherme marcou o terceiro e incendiou a disputa.

Imediatamente, o treinador corintiano colocou Elias e Danilo em campo, nos lugares de Guilherme Andrade e Renato Augusto, respectivamente. A intenção era segurar a bola no meio e tentar apagar o fogo dos mineiros. Em seu primeiro lance, Danilo quase fez os corações atleticanos pararem em chute colocado que obrigou Victor a fazer grande defesa.

Dois gols. Não parecia muito, dado o volume de jogo do Galo, que voltou à carga passado o susto do chute de Danilo. Não foi na base do abafa, mas de forma consciente, tocando a bola e envolvendo o Corinthians. Guilherme marcou o terceiro, aos 29, num chute colocado, após tabela na entrada da área. Torcedores mineiros se abraçavam. Alguns já choravam. Faltava um. Um golzinho… Não seria impossível.

Não foi! Aos 41, o golpe fatal: Edcarlos, de cabeça, fez explodir o Mineirão. Os minutos finais foram de festa para os mineiros, já que o Corinthians se abateu de tal forma que não conseguiu mais ameaçar o gol de Victor. O apito final transformou o gramado em um salão de baile, com os jogadores do Atlético imitando a dancinha de Mano Menezes no primeiro jogo.

 

Globoesporte.com

Heroico, Bota vence o Timão em noite de Helton Leite e ganha fôlego no Z-4

torcidaO Botafogo está vivo no Campeonato Brasileiro. Depois das três derrotas seguidas que o levaram à lanterna, o Alvinegro venceu o Corinthians por 1 a 0 na noite deste sábado, na Arena da Amazônia, em Manaus, com uma atuação heroica e valiosa. Com um a menos desde os 26 minutos do segundo tempo, quando Bolatti foi expulso em decisão rigorosa do árbitro André Luiz de Freitas Castro, os cariocas resistiram ao Timão, que pressionou muito e esbarrou num inspirado Helton Leite. Wallyson, de pênalti, fez o gol do triunfo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O Corinthians, que buscava vencer três jogos seguidos pela primeira vez no Brasileirão,  sentiu falta de seis de seus principais nomes – Renato Augusto e Ralf, poupados, e Gil, Elias, Lodeiro e Guerrero, todos a serviço de suas seleções. O técnico Mano Menezes e os jogadores em campo reclamaram muito do pênalti a favor dos cariocas, bem marcado por Freitas Castro, e do acréscimo de cinco minutos na etapa final.

Com o resultado, o Alvinegro chegou a 29 pontos e deixou a lanterna, alcançando a 17ª colocação – no entanto, pode ser ultrapassado por Vitória e Criciúma, que neste domingo enfrentam Sport e Santos, respectivamente. Com 46 pontos, o Corinthians pode perder a quinta colocação para o Atlético-MG, que tem dois a menos e encara o São Paulo.

gol do Botafogo x Corinthians (Foto: Reprodução)Jogadores comemoram o gol de Wallyson, que garantiu a vitória do Botafogo (Foto: Reprodução)

Na próxima rodada, o Botafogo recebe o Sport no domingo, às 18h30, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. No mesmo dia, mas às 16h, o Corinthians, novamente visitante, vai a Porto Alegre enfrentar o Internacional, no Beira-Rio. Antes, no entanto, as duas equipes jogam pela Copa do Brasil. Na quarta-feira, os paulistas enfrentam o Atlético-MG no Mineirão, às 22h. No dia seguinte, o Alvinegro encara o Santos no Pacaembu, às 21h30.

Em tempo equilibrado, Bota aproveita pênalti

O Corinthians começou senhor das ações na Arena da Amazônia, chegando a 70% de posse de bola com 10 minutos. Aos dois, aliás, já havia levado muito perigo em chute de Bruno Henrique. A bola parou no travessão de Helton Leite, que fez golpe de vista esquisito. O Botafogo saía para o ataque com o volante Gabriel, tinha em Rodrigo Souto um pilar defensivo e apostava nas arrancadas de Yuri Mamute, que sempre levava dois ou três marcadores, mas era improdutivo.

Os cariocas aproveitaram melhor o momento em que eram superiores. Gabriel tentou cruzamento para a área, e a bola parou na mão de Fábio Santos, que abriu o braço deliberadamente no lance. Pênalti bem marcado por Freitas Castro. Wallyson bateu bem: bola num lado, Cássio no outro. Depois do gol, o jogo perdeu em emoção, porém tornou-se intenso e tenso. Não faltaram discussões, desentendimentos e reclamações contra a arbitragem na etapa inicial.

Segundo tempo heróico

Na etapa final, Mano Menezes resolveu adiantar o Corinthians e trocou o volante Guilherme Andrade pelo atacante Malcom. Conseguiu novamente o domínio da posse de bola, mas o time pouco finalizava. Enquanto isso, o garoto botafoguense Murilo quase surpreendeu Cássio num contra-ataque ao chutar cruzado. Com Jadson no lugar de Fagner, o Timão ampliou seu domínio territorial a partir dos 26, quando Bolatti foi expulso ao fazer sua segunda falta no jogo – o cartão vermelho veio com o segundo amarelo, numa decisão rigorosa do árbitro. Aí começou a pressão corinthiana. E a grande atuação de Helton Leite.

Malcom exigiu defesaça do camisa 12 alvinegro aos 30. Dez minutos depois, o goleiro apareceu para impedir o gol de Gustavo Tocantins, que apareceu livre em sua frente. Após muito tempo encurralado, o Botafogo teve excelente chance aos 42. Murilo recebeu na área, driblou Felipe e parou em ótima intervenção de Cássio. Helton Leite ainda teve tempo de brilhar novamente aos 46, evitando gol em cabeçada de Tocantins, na pequena área, e garantindo uma vitória que faz time e torcida respirarem à espera de dias melhores na briga contra o rebaixamento.

 

Globoesporte.com

Em noite de Guerrero “fenômeno”, Timão vence o Galo na Copa do Brasil

Uma noite fenomenal para Paolo Guerrero nesta quarta-feira. Na Arena do Timão, em Itaquera, o peruano marcou o primeiro gol da vitória do Corinthians por 2 a 0 sobre o Atlético-MG, pelas quartas de final da Copa do Brasil. A cabeçada sem chances para Victor, no primeiro tempo, além de deixar os paulistas em vantagem no mata mata da competição nacional, colocou o atacante ainda mais na história do clube.

Herói do título mundial em 2012, Guerrero atingiu nesta quarta-feira a marca de 36 gols com a camisa corintiana, deixando para trás um grande ídolo da Fiel: Ronaldo Fenômeno, que balançou as redes 35 vezes em 69 partidas pelo Timão. E ainda teve tempo para o peruano dar assistência para Luciano, depois de empurrar um marcador, fechar o placar.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Rivais diretos no Brasileirão por uma vaga no G-4, Timão e Galo abriram nesta quarta-feira uma briga paralela por uma vaga na Taça Libertadores da América do ano que vem. Enquanto os mineiros levam levam a melhor no Brasileirão, os paulistas conseguiram vantagem para o jogo de volta na Copa do Brasil – os corintianos vão a Belo Horizonte podendo perder por um gol.

Corinthians e Atlético-MG voltam a duelar por uma vaga nas semifinais do mata mata no dia 15, em confronto que será disputado no Mineirão, às 22h. Pelo Campeonato Brasileiro, as duas equipes entram em campo no próximo sábado: às 16h20, o Timão recebe o Sport, novamente na Arena, enquanto o Galo viaja para Santa Catarina para enfrentar o Criciúma, no estádio Heriberto Hulse, às 21h.

Paolo Guerrero comemora gol do Corinthians contra o Atlético-mg (Foto: Marcos Ribolli)Guerrero comemora com Renato Augusto o gol do Corinthians no primeiro tempo (Foto: Marcos Ribolli)

 

Guerrero Fenômeno

Com um meio de campo fortalecido com Bruno Henrique, Petros e Elias, Mano Menezes apostou na atuação de Renato Augusto mais centralizado para fazer o Timão voltar a vencer na temporada – a equipe entrou em campo com duas derrotas consecutivas na bagagem (para Figueirense e Atlético-PR, no Brasileirão).

Mas, apesar do apoio da Fiel, quem assustou pela primeira vez foi o Atlético. Depois de jogada pela direita de Tardelli, a bola sobrou para Guilherme dentro da área. O atacante dominou e tocou na saída de Cássio, mas Gil conseguiu desviar em cima da linha para evitar o gol dos visitantes.

Principal referência do setor ofensivo corintiano, Guerrero colocou seu nome ainda mais na história do Timão aos 24 minutos. Depois de cruzamento de Renato Augusto da direita, o peruano ganhou disputa pelo alto e cabeceou com estilo para fazer 1 a 0 e deixar Ronaldo para o passado – atacante chegou aos 36 gols no clube e superou o Fenômeno, que marcou 35 vezes com a camisa alvinegra.

Mano Menezes e Luciano, Corinthians X Atlético-mg (Foto: Marcos Ribolli)Luciano e Mano Menezes comemoram o segundo gol do Timão contra o Galo  (Foto: Marcos Ribolli)

 

Atlético erra, e Corinthians aproveita para ampliar

Em vantagem, o Corinthians voltou com uma postura mais cautelosa para a segunda etapa. A ideia dos mandantes era clara: conter a empolgação dos visitantes e apostar nos contra-ataques. Com mais qualidade na frente, o Atlético-MG procurou pressionar a saída de bola e avançar a marcação, mas esbarrou nos erros de passe do seu setor de criação.

Pela direita, Marcos Rocha arrancou em jogada individual e deixou Diego Tardelli na cara do gol, aos 23 minutos. Goleador, o atacante vacilou na finalização e mandou por cima, desperdiçando grande oportunidade. Mas a melhor chance de empate aconteceu dez minutos depois. Após ótimo lançamento de Guilherme, Dátolo apareceu nas costas da defesa corintiana e completou de primeira. Cássio pulou no canto esquerdo e não achou nada, mas acompanhou de perto a bola tocar a trave e sair.

Quando o Atlético-MG começava a pressionar mais, o Corinthians definiu sua vitória em uma bobeada de Victor. Após cobrança de falta de Bruno Henrique, Guerrero ganhou disputa com o goleiro do Galo pelo alto e desviou para o meio da grande área, onde Luciano, sozinho e após empurrão no adversário, só teve trabalho de completar para o gol e fechar a vitória paulista em 2 a 0.

 

Globoesporte.com

Campeão com o Timão em 90 e ex-técnico, Giba morre aos 52 anos

gibaMorreu na manhã desta terça-feira Antônio Gilberto Maniaes, o Giba, lateral-direito campeão brasileiro com o Corinthians em 1990 e técnico de diversos clubes brasileiros, com 52 anos, vítima de uma rara doença chamada amiloidose.

Giba estava internado no Hospital Sirio Libânes,em São Paulo, onde tratava a doença. Na segunda-feira, a situação se agravou, e o ex-jogador entrou em coma intensivo. A morte foi confirmada nesta manhã.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Como jogador, Giba defendeu Guarani, Inter de Limeira e Corinthians, onde foi titular na conquista do primeiro título brasileiro do clube, em 90. Seis anos mais tarde, se tornou técnico, no Etti Jundiaí. No clube do interior paulista, Giba se tornou ídolo, levando o time à primeira divisão estadual e à segunda nacional em 2001 – ano de sua segunda passagem pela equipe.

Além do time de Jundiaí, Giba passou por Santos, CSA, Gama, Guarani, Atlético Sorocaba, Portuguesa, Santa Cruz, Remo, Sport, São Caetano, Ipatinga, Fortaleza, entre outros. No exterior, também treinou uma equipe no Kuwait.

Giba deixa a esposa, Débora, uma filha e irmãos. Seu corpo será velado em Campinas, cidade onde residia, e, posteriormente, será cremado.

A amiloidose é uma doença que faz com que as células da medula óssea produzam amiloide, substância anormal, que se acumula em diversos órgãos e tecidos celulares. No caso de Giba, o problema atingiu os rins.

ESPN