Arquivo da tag: tetra

Cruzeiro vence o Goiás por 2 a 1 e conquista o tetra do Campeonato Brasileiro

Ramon Bitencourt/Lancepress!
Ramon Bitencourt/Lancepress!

Líder praticamente de ponta a ponta, o Cruzeiro fez valer o favoritismo e venceu o Goiás, por 2 a 1, conquistando o tetracampeonato brasileiro diante de sua torcida, no Mineirão. O clube mineiro conquista, também, o bicampeonato de forma consecutiva.

Em um primeiro tempo de muita água e pouco futebol, quem tomou a iniciativa foi o Cruzeiro, conforme previsto. E foi o clube celeste que abriu o placar. Após cruzamento de Mayke pela direita, Ricardo Goulart testou bonito para fazer a festa da torcida mineira. Não poderia, porém, faltar emoção, e Samuel esfriaria os ânimos, ao marcar um bonito gol, empatando o jogo para os goianos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O segundo tempo foi mais disputado, com o Cruzeiro, necessitando do resultado, saindo para o jogo. Foi então que Willian cruzou na medida para Éverton Ribeiro, também de cabeça, colocar o Cruzeiro novamente à frente do placar. Minutos depois, o Goiás mandaria uma bola na trave, mas o título já estava encaminhado.

 

R7

Timão impede tetra do Santos e volta a ser Todo Poderoso do Paulistão

“Salve o Corinthians, o campeão dos campeões”. Neste domingo, a frase que dá o pontapé inicial ao hino entoado com orgulho por milhões de corintianos faz muito sentido. Principalmente para esse Corinthians, comandado por Tite. O empate por 1 a 1 com o Santos, na Vila Belmiro, deu ao Timão seu 27º título do Campeonato Paulista. Algo corriqueiro em sua história centenária, é verdade. Mas não para esse grupo, campeão brasileiro, da Taça Libertadores e do mundo em sequência.

O Paulistão, por mais renegado que seja por alguns, era perseguido por Tite havia quase dez anos. Desde 2004, mais precisamente, quando foi demitido do São Caetano – o Azulão, sob o comando do agora santista Muricy Ramalho, seria campeão estadual em seguida. De lá para cá, Tite foi campeão de quase tudo. Teve Sul-Americana, Brasileiro, Libertadores, Mundial, mas não aquele que é considerado o principal estadual do país. O título, portanto, coroa a invejável galeria do treinador.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Mais do que isso: ajuda a diminuir a dor da eliminação precoce da Libertadores da América, na última quarta-feira, ainda nas oitavas de final, para o tradicional Boca Juniors. Dá à fiel torcida, que tanto apoiou após a queda para os argentinos, um motivo para fechar em grande estilo uma semana que poderia ser das mais tristes. Saco de pancadas das brincadeiras dos rivais nos últimos quatro dias, o Timão volta a ser Todo Poderoso no estado.

Durante a semana, vários assuntos esquentaram o clássico: a iminente saída de Neymar, a eliminação precoce do Corinthians na Libertadores, com direito a erros da arbitragem, e a troca do juiz da final – Rodrigo Braghetto, sacado porque sua empresa presta serviços ao Timão, deu lugar a Guilherme Ceretta de Lima. A maior expectativa, porém, era sobre Neymar.

O santista, se está mesmo de despedida, queria coroar isso com um título. Mas em sua quinta final seguida de Campeonato Paulista, ele não conseguiu brilhar. A fragilidade do Santos o deixou praticamente sozinho nessa batalha. E o tão sonhado tetra inédito do Peixe não veio. Fica a missão para o time da Baixada de encontrar um substituto para o seu craque. Seja para agora ou para depois.

corinthians campeão paulista 2013 (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)corinthians comemora seu 27º título do Campeonato Paulista (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Peixe dependente x Timão solidário

A proximidade da saída de Neymar para o futebol europeu aumentou a atenção a cada gesto ou lance do craque na partida. A começar pela maneira com que ele cantou o hino nacional, passando pela prece que fez ajoelhado no círculo central antes de a bola rolar até as faltas sofridas e os dribles dados.

Nada mais natural diante do tamanho do atacante para o futebol brasileiro e da sua importância para o Santos. Aliás, o time da Vila Belmiro é totalmente dependente do seu craque. A cada partida isso fica mais claro. Numa final, então… Acelerado, o atacante tentou. Armou, driblou, chutou, mas, sozinho, não fez milagre.

Bem diferente do Corinthians. Sem se abater com a precoce eliminação na Libertadores da América, o time do técnico Tite mostrou sua principal força: o conjunto. Paulinho, Danilo, Romarinho e Paolo Guerrero se destacaram pela voluntariedade e por estarem sempre presentes nas jogadas de perigo.

tite corinthians santos paulistão (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Tite aponta para a torcida do Corinthians, a qual dedicou título (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Apesar da diferença técnica entre um e outro foi o Santos que abriu o placar na Vila Belmiro. E, por incrível que pareça, Neymar não participou do lance. Aos 26 minutos, Felipe Anderson bateu falta cruzada, Durval ajeitou de cabeça e Cícero bateu de virada, quase um voleio, sem chance para o goleiro Cássio.

Para ser campeão, o Peixe ainda precisava de mais um gol. Mas não houve tempo de se empolgar. Apenas dois minutos depois, o Corinthians empatou. Em uma jogada característica, um gol coletivo, com cinco jogadores participando do lance. Após bela troca de passes entre Alessandro, Romarinho e Guerrero, Paulinho chutou, Rafael defendeu e Danilo, decisivo, fez no rebote.

Com tudo igual novamente, Neymar continuou sua missão a frente do “exército de um homem só” em que se transformou o Peixe. Já o Corinthians, comandado por Danilo, bombardeou o Peixe. O meia acertou a trave, Paulinho também. E Romarinho teve grande chance de virar, mas parou nas mãos do goleiro Rafael.

cicero santos gol corinthians paulistão (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Cícero vibra com o gol marcado no primeiro tempo para o Santos (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Neymar tenta, Timão comemora

Dependente ou não de Neymar, o segundo tempo para o Santos era tudo ou nada. Já o Corinthians tinha duas opções: ir para cima e definir logo a decisão ou administrar a vantagem do empate. Preferiu a segunda. Assim, deu espaço para o Peixe criar e se aproximar do gol de Cássio.

paulinho corinthians taça (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Paulinho com a taça de campeão paulista 2013
(Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Neymar, é claro, era o articulador. Mas estava nervoso. Logo no início da etapa discutiu com Paulo André, depois de tomar uma bolada do adversário. Com o dedo em riste, reclamou com o corintiano. Recebeu a bronca de volta. O clima entre eles estava ruim desde o primeiro tempo, por falta dura do zagueiro não marcada.

O fato de ir para cima do Corinthians, claro, deixou o Santos mais vulnerável. Nos contra-ataques, o Timão poderia ter matado o jogo, mas falhou. Romarinho perdeu gol feito aos 16. Após lançamento do campo de defesa, o atacante ficou sozinho, cara a cara, com Rafael. O chute rasteiro, porém, bateu na trave e saiu pela linha de fundo.

Se o Peixe tinha mais posse de bola, o Timão era mais perigoso. Foi assim a partida inteira, deixando claro que falta ao time da Vila Belmiro poder de decisão. Só Neymar o tem, com raros e esporádicos lances de Cícero, que fez boa partida. Era preciso mais ímpeto para que o Santos tirasse o título do Corinthians.

Não houve. O empate por 1 a 1, somado à vitória do Timão por 2 a 1 no Pacaembu, deu ao Corinthians o seu 27º título do Campeonato Paulista e impediu o Santos de chegar ao tetra consecutivo, algo inédito na era do profissionalismo no estadual de São Paulo.

Neymar santos paulinho corinthians final paulistão (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Neymar passa por Paulinho, seu companheiro de Seleção (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

 

 

Globoesporte.com

Torcida tricolor já prepara mosaico para a festa do tetra contra o Cruzeiro

(Foto: Rodrigo Benchimol / Globoesporte.com)

Depois de festejar o tetracampeonato brasileiro no último domingo, a torcida tricolor já se organiza para estender a comemoração por mais tempo. E a próxima celebração está marcada para o jogo do próximo domingo entre Fluminense e Cruzeiro, às 17h (de Brasília), no Engenhão, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para isso, os tricolores irão formar um grande mosaico inicialmente de 20 mil peças nas arquibancadas leste inferior e superior do estádio. E já começaram uma campanha de arrecadação pela internet . A meta é conseguir R$ 5 mil para viabilizar a produção.

O desenho e a mensagem que será passada pelo mosaico ainda não foram definidos pelos torcedores. Se a arrecadação ultrapassar a meta prevista de R$ 5 mil, o mesmo será aumentado. Em 2010, no jogo que garantiu o tricampeonato brasileiro ao Fluminense, os tricolores formaram uma bela imagem com a frase “Juntos pelo Tri, 70 – 84”.

Com 76 pontos, dez de vantagem para o vice-líder Grêmio restando apenas três rodadas, o Fluminense não pode mais ser alcançado e já é o campeão brasileiro por antecipação.

GLOBOESPORTE.COM