Arquivo da tag: terremoto

Terremoto de magnitude 5.8 é registrado no oceano a 1.191 km de João Pessoa

Um terremoto de magnitude 5.8 atingiu a região central do Oceano Atlântico na noite deste domingo (4), às 21h40. Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos, o hipocentro do tremor ocorreu a 10 km de profundidade depois do fundo do mar, considerado muito raso. Até o momento, não há registro de alerta de tsunami.

De acordo com o Observatório Sismológico dos EUA, não foram registradas réplicas do tremor.

As localidades mais próximas ao epicentro dos tremores são Fernando de Noronha (a 730 km) e as cidades do litoral nordestino, como Natal (1.099 km) e João Pessoa (1.191 km). Devido a distância, as ondas podem provocar alterações no mar.

Em João Pessoa não há relatos de alteração do nível do mar até o momento.

 

clickpb

 

 

Pelo menos 82 pessoas morrem após terremoto atingir a ilha turística de Lombok, na Indonésia

Um terremoto de magnitude 7 atingiu a ilha turística de Lombok, na Indonésia, neste domingo (5), de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS). O tremor também foi sentido na ilha de Bali, segundo a Reuters.

Na manhã de segunda (6) na Indonésia, a Agência Nacional de Mitigação de Desastres do país atualizou o balanço preliminar de mortos e afirmou que pelo menos 82 pessoas morreram em decorrência do terremoto, segundo a agência de notícias Reuters.

Desabamentos

O chefe regional da agência de gestão de desastres do país, Mohammad Rum, afirmou que algumas vítimas morreram na hora devido a desabamentos de edifícios, e outras após serem levadas a hospitais.

Sobe pra 82 o número de mortos em terremoto na Indonésia

Sobe pra 82 o número de mortos em terremoto na Indonésia

As autoridades chegaram a emitir um alerta para tsunami após o tremor, que atingiu a costa norte da ilha no começo da noite de domingo (no horário local). O alerta já foi suspenso.

O epicentro do terremoto foi registrado a 10,5 km de profundidade a 2 km ao sul de Loloan.

O tremor, cujo hipocentro foi detectado a 10 metros de profundidade, aconteceu uma semana depois de outro terremoto de magnitude 6,4, que deixou 16 mortos e mais de 300 feridos, também em Lombok.

Alerta de tsunami é acionado depois de terremoto na Indonésia

Alerta de tsunami é acionado depois de terremoto na Indonésia

Como Bali, Lombok é conhecida por praias e montanhas. Hotéis e outros edifícios em ambos os locais não podem exceder a altura dos coqueiros.

O ministro do Interior de Singapura, K. Shanmugan, que se encontra em Mataram, maior cidade de Lombok, afirmou que houve cenas de pânico e danos no hotel onde está hospedado.

“Estava no meu quarto, no décimo andar, trabalhando em meu notebook. De repente, o quarto balançou violentamente, abriram-se rachaduras nas paredes, era praticamente impossível ficar de pé. Ouvi gritos”, narrou Shanmugan no Facebook.

Várias imagens postadas em redes sociais mostram escombros nas ruas de Lombok devido ao terremoto, além de cenas de pânico no aeroporto internacional de Bali.

Além de Lombok e Bali, o tremos também foi sentido na ilha de Sumbawa e na província de Java Oriental, segundo Sutopo.

Fogo do Pacífico

A Indonésia está em uma das regiões mais propensas a tremores e atividade vulcânica do mundo: o Círculo de Fogo do Pacífico. Cerca de 7 mil tremores atingem essa área por ano, em sua maioria de magnitude moderada.

A região, de cerca de 40 mil km de extensão, tem formato de ferradura e circunda a bacia do Pacífico, abrangendo toda a costa do continente americano, além de Japão, Filipinas, Indonésia, Nova Zelândia e ilhas do Pacífico Sul.

Em 2004, um tremor de magnitude 9,1, perto da costa noroeste da ilha de Sumatra, gerou um tsunami que matou 230 mil pessoas em 14 países no Oceano Índico.

G1

Após terremoto, avalanche atinge hotel na Itália; mais de 30 estão desaparecidos

hotel-soterradoUm hotel na cidade de Farindola, na província italiana de Pescara, foi atingido por uma avalanche na noite de ontem (18) e deixou dezenas de pessoas soterradas.

De acordo com fontes locais, 22 hóspedes tinham feito check-in ontem no Hotel Rigopiano, além dos funcionários, o que totalizaria 30 desaparecidos.

Em entrevista à ANSA, o líder das operações de busca e restage, Antonio Crocetta, disse que “há muitos mortos”.

As pessoas soterradas estão há horas debaixo dos escombros e expostos às baixas temperaturas, já que neva no local.

O hotel teria desabado parcialmente, enquanto a outra parte estaria debaixo da neve trazida pela avalanche.

“Eu me salvei porque sai do hotel para pegar uma coisa no carro”, disse o médico Giampaolo Parete, de 38 anos, que ontem deu o alarme da avalanche. Sua esposa e seus filhos ainda estão sob os escombros.

“A avalanche chegou e eu fiquei submerso na neve, mas consegui sair. O carro não ficou atolado e eu esperei as equipes de socorro chegar ali”, contou.

Especialistas acreditam que a avalanche tenha sido provocada pelos quatro terremotos que atingiram a zona central da Itália na manhã de ontem (18), todos com magnitude de 5.0 a 5.4 graus na escala Richter.

O hotel fica na região de Abruzzo, uma das mais afetadas pela neve e pelos terremotos.

Cerca de 300 mil pessoas estavam sem energia elétrica no começo da semana na região porque o gelo prejudicou os sistemas de transmissão.

Em sua página no Twitter, o hotel tinha informado os hóspedes que estava sem linha telefônica por causa das más condições climáticas. Nenhum dos terremotos de ontem provocou mortos, apenas danos estruturais.

R7

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Primeiro-ministro da Itália confirma 120 mortos e 368 feridos durante terremoto

Angelo Carconi/Agência Lusa/EPA
Angelo Carconi/Agência Lusa/EPA

O primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, afirmou que o terremoto de 6,2 gaus que atingiu a zona central do país nesta madrugada “deixou ao menos 120 mortos”. A Defesa Civil italiana informou que, do total de mortes, 86 foram registradas em Accumoli e Amatrice e as outras 34 em Arquata. As informações são da Agência Ansa.

“Os feridos foram levados para fora de Amatrice e Accumoli em helicópteros e ambulâncias. Foram 368 somente nesta manhã”, informou Renzi. “Há alguns problemas para o reconhecimento dos corpos, mas estamos trabalhando nisso”.

Renzi fez a declaração em Rieti, uma das províncias mais afetadas pelo abalo sísmico, onde o premier também destacou que será preciso um “longo período de gestão” para lidar com a emergência provocada pelo terremoto. “A emergência demandará um longo período de gestão. Deveremos estar todos à altura deste desafio”, disse.

 

Agência Ansa

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Terremoto atinge centro da Itália e causa danos e mortos

terremotoUm forte terremoto foi registrado na madrugada desta quarta-feira (24) no centro da Itália, provocando danos severos em algumas regiões e vários mortos.

O tremor provocou pelo menos 63 mortes, segundo o departamento de proteção civil, a prefeitura e a agência de notícias Ansa. Muitas pessoas ainda estão debaixo de escombros, e o balanço de vítimas deve se agravar nas próximas horas. Segundo o Itamaraty, não há brasileiros entre as vítimas.

“O governo brasileiro tomou conhecimento, com pesar, do forte terremoto que atingiu a região central da Itália na madrugada desta quarta-feira, causando dezenas de vítimas fatais e significativa destruição material, principalmente na cidade de Amatrice. A Embaixada e o Consulado-Geral em Roma estão monitorando a situação. Até o momento, não há registro de brasileiros entre as vítimas. O governo brasileiro expressa sua solidariedade aos familiares das vítimas, ao povo e ao governo da Itália”, diz a nota do Ministério das Relações Exteriores divulgada nesta terça-feira às 8h25.

O terremoto atingiu cidades e vilarejos montanhosos do centro do país, o que torna as operações de resgate ainda mais difíceis, disse a porta-voz do departamento Immacolata Postiglione.

Em sua audiência geral desta quarta (24), o papa Francisco exprimiu sua “grande dor” pelo terremoto que “devastou zonas inteiras e deixou mortos e feridos” no país.

O serviço geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) informou que o tremor teve magnitude 6,2, e segundo a rede de televisão “Rainews 24”, o epicentro foi situado entre as cidades de Perugia e Rieti, a pouco mais de 150 km a nordeste de Roma.

A profundidade do terremoto, ocorrido precisamente às 3h36 (22h36 de Brasília), foi de apenas 10 km, o que representa um alto potencial de causar grandes danos e vítimas, segundo o USGS.

O serviço geológico já registrou algumas réplicas, uma delas de magnitude 5,5, e informou que os tremores devem continuar por pelo menos mais alguns dias.

Destruição e mortes

Nas províncias de Ascoli Piceno, Fermo e Macerata, na região de Marcas, e em Nórcia, na região de Úmbria, o tremor causou colapsos em edifícios e há pessoas feridas que foram socorridas pelo serviço de emergência.

Reprodução/USGS

Epicentro do terremoto, no centro da Itália

Em Amatrice, o prefeito da cidade, Sergio Perozzi, afirmou à rádio estatal que o terremoto destruiu metade da cidade e que pode haver mortos. “A metade da cidade já não existe, há gente sob escombros”, acrescentou ele.

O prefeito confirmou que houve desabamentos graves em vários edifícios e pontes que complicam o acesso ao local por parte das equipes de resgate, que tentam ajudar as pessoas que estão “sob os escombros”.

Pirozzi fez um apelo às autoridades do país para liberar as ruas o mais rápido possível e poder ajudar as pessoas feridas por conta do terremoto.

“Temos espaço para a chegada de helicópteros de resgate, mas a prioridade é liberar as ruas”, disse o prefeito, observando que a região está sem luz, o que dificulta o trabalho de resgate.

Por sua parte, o coordenador da Cruz Vermelha em Amatrice, Giussepe Pignoli, confirmou que na entrada da cidade há uma ponte que desabou, complicando o acesso ao local.

“Ativamos o dispositivo de socorro da Cruz Vermelha. Há muitos danos, esperamos que não haja vítimas”, disse.

Além disso, a Defesa Civil confirmou deslizamentos de terras em outras três províncias da Região de Marcas: Ascoli Piceno, Fermo e Macerata.

Segundo o governo, o chefe do departamento de Proteção Civil, Fabrizio Curcio, já formou um comitê para lidar com a emergência.

O porta-voz dos Bombeiros do país, Luca Cari, disse que helicópteros serão enviados aos locais mais atingidos para auxiliar nos trabalhos de resgate e emergência.

Os serviços de Defesa Civil e o Exército italiano foram mobilizados e já escavam entre os escombros das localidades afetadas para resgatar algumas pessoas que estão presas.

Em 2009, um tremor de magnitude 6,3 abalou o centro da Itália e deixou mais de 300 mortos na região de Aquila.

Papa expressa “grande dor”

Em sua audiência geral desta quarta-feira (24), o papa Francisco exprimiu sua “grande dor” pelo terremoto que “devastou zonas inteiras e deixou mortos e feridos” na região central da Itália. O pontífice disse ter ficado “fortemente comovido” ao saber que a cidade de Amatrice foi destruída e que há crianças entre os mortos.

“Exprimo minha proximidade às pessoas presentes em todos os lugares atingidos pelo temor, a todas as pessoas que perderam entes queridos e àquelas que ainda se sentem afetadas pelo medo”, acrescentou.

O papa Francisco cancelou um discurso que faria nesta quarta-feira em sua audiência geral e decidiu rezar com a multidão pelas vítimas e os sobreviventes do terremoto que atingiu a Itália.

Danos devem ser grandes

De acordo com o USGS, há grande possibilidade de haver um significativo número de mortos e perda econômica.

“No geral, a população dessa região mora em estruturas onde há uma mistura de construções vulneráveis e resistentes a terremotos. Baseado na estimativa que temos, nós podemos ver perdas significativas”, disse Rafael Abreu, geofísico da instituição, à rede “CNN”. (Com agências internacionais)

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Bebê é resgatado após ficar mais de 20 horas soterrado sob escombros de terremoto no Nepal

bebe-nepalUm bebê foi resgatado após ficar soterrado cerca de 22 horas sob os escombros de uma construção no Nepal depois de o local ter sido atingido por um terremoto, no último sábado. Segundo informações da agência CNN, o menino, de apenas 4 meses, foi avaliado por médicos e, segundo avaliações preliminares, passa bem, sem ter sofrido danos nos órgãos internos.

O site local Kathmandu Today informou que o resgate foi feito por militares do exército nepalês, que já tinha haviam deixado o local por não acreditaram na existência de sobreviventes no perímetro. No entanto, horas depois, choros do bebê foram ouvidos e o trabalho para salvá-lo começou.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O site divulgou fotografias que mostram o momento da ação. Ainda não há informações sobre parentes do menino e qual o paradeiro dele após o resgate.

Bebê ficou soterrado
Bebê ficou soterrado Foto: Reprodução / Kathmandu Today
Foto: Reprodução / Kathmandu Today
O bebê passa bem
O bebê passa bem Foto: Reprodução / Kathmandu Today

Segundo o último balanço divulgado pelo Ministério do Interior do Nepal, o número de mortos pelo terremoto já superou os 5 mil e o de feridos chegou a 11 mil. Porém, outros salvamentos dramáticos foram destaque na mídia internacional nos últimos dias.

Foto: Reprodução / Kathmandu Today

Rishi Khanal, de 28 anos, foi resgatado por uma equipe de franceses e pela polícia nepalesa, que trabalharam durante 10 horas para libertar o jovem. Ele ficou 82 horas soterrado depois do desabamento de um edifício em Katmandu.

Em outro resgate, na última segunda-feira, uma paraplégica, de 32 anos, foi salva depois de passar 50 horas sob os escombros de sua própria casa, também em Katmandu.

O terremoto de magnitude 7,8 graus que devastou o Nepal. O trabalho de resgate ainda acontece em diversos ponto do local.

Extra

 

Terremoto de magnitude 5,2 sacode Novo México e Arizona, nos EUA

imagem ilustrativa
imagem ilustrativa

Um terremoto de magnitude 5,2 perto da fronteira do Arizona e Novo México sacudiu uma faixa significativa no sudoeste dos Estados Unidos na tarde do último sábado (28), mas não causou grandes danos ou ferimentos, informou o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês).

O terremoto foi centrado a cerca de 31 milhas (50 quilômetros) a noroeste da cidade de Lordsburg, no Novo México, e podia ser sentida a cerca de 150 milhas (240 quilômetros) a oeste, na cidade de Tucson, no Arizona, e 300 milhas a leste (480 quilômetros), em Roswell, no Novo México, segundo o USGS e a mídia local.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O terremoto atingiu às 21h59, no horário local, a uma profundidade de cerca de 3 milhas (5 quilômetros) e foi seguido por dois pequenos tremores secundários, disse o USGS.

O terremoto arrancou quadros de muros e balançou luminárias, segundo a imprensa local. Ele também levou dezenas de pessoas em toda a região a chamarem o 911.

No sudeste da cidade de Arizona Thatcher, os moradores viram estradas e estruturas balançando.

Reuters

Repórter chinesa ‘deixa’ casamento e cobre terremoto vestida de noiva

A jornalista chinesa Chen Ying apresentou vestida de noiva as notícias sobre o terremoto que atingiu Ya’an, na província de Sichuan (China). Chen estava se preparando para a cerimônia de seu casamento quando o terremoto aconteceu.

Chen Ying apresentou vestida de noiva as notícias sobre o terremoto que atingiu Ya'an (Foto: Ya'an TV/Reuters )Chen Ying apresentou vestida de noiva as notícias sobre o terremoto que atingiu Ya’an (Foto: Ya’an TV/Reuters )

Sem tempo para trocar de roupa, Ying passou as informações sobre o terremoto com o vestido que usaria no casamento. Depois de notíciar o tremor para a emissora na qual trabalha, a jornalista terminou de se arrumar e voltou para cerimônia de casamento.

Ela estava se preparando para cerimônia quando precisou cobrir tremor (Foto: Ya'an TV/Reuters)Ela estava se preparando para cerimônia quando precisou cobrir tremor (Foto: Ya’an TV/Reuters)

Resgate

mapa (Foto: Arte/G1)

Milhares de equipes militares, civis ou simples cidadãos tentavam neste domingo (21) resgatar as vítimas e ajudar os feridos do terremoto que deixou pelo menos 203 mortos e desaparecidos em Sichuan, sudoeste da China.

Mais de 24 horas depois do terremoto de 6,6 graus de magnitude que destruiu quase 10 mil casas nesta região montanhosa e muito populosa, os feridos são levados para os hospitais já lotados.

Eles recebem atendimento nas barracas de campanhas montadas após a catástrofe.

A província de Sichuan, uma das quatro mais povoadas da China, com 80 milhões de habitantes, foi devastada por um terremoto em 2008, 7,9 graus, que deixou 87 mil mortos e desaparecidos na região de Wenchuan, 200 km ao nordeste do epicentro do tremor de sábado.

Terremoto deixou pelo menos 203 mortos e desaparecidos em Sichuan (Foto: Ng Han Guan/AP)Terremoto deixou pelo menos 203 mortos e desaparecidos em Sichuan (Foto: Ng Han Guan/AP)
G1

Terremoto deixa pelo menos 160 mortos e milhares de feridos na China

Um terremoto de magnitude 6,6 que atingiu na manhã deste sábado o sudoeste da China deixou pelo menos 157 mortos e mais de 6,7 mil feridos, segundo as autoridades locais, que enviaram à região milhares de soldados para ajudar nas operações de resgate.

O tremor ocorreu ao pé do planalto tibetano, na província de Sichuan, uma região com forte atividade sísmica que já foi devastada em 2008 por um potente terremoto.

As primeiras fotos da catástrofe mostravam edifícios destruídos e muitos escombros nas ruas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Imagens aéreas apresentavam zonas rurais onde as casas pareciam ter desmoronado, e outras, mais povoadas, onde os danos eram menores.

Criança é resgatada após terremoto na província de Sichuan (Foto: AFP)Criança é resgatada após terremoto na província de Sichuan (Foto: AFP)

As construções das zonas rurais chinesas costumam ter materiais de qualidade duvidosa e as normas antissísmicas quase não são respeitadas.

Mais de 2 mil militares foram enviados para reforçar os socorristas que trabalhavam no local, indicou a agência oficial Xinhua.

O novo presidente chinês, Xi Jinping, pediu que as vítimas sejam ajudadas, enquanto o primeiro-ministro Li Keqiang visitou a região afetada, assim como seu antecessor Wen Jiabao costumava fazer em caso de catástrofes, o que o tornou muito popular. “As primeiras 24 horas são cruciais para salvar vidas”, disse o primeiro-ministro.

O presidente russo, Vladimir Putin, enviou um telegrama de pêsames ao seu colega chinês e afirmou que a Rússia está preparada para dar toda a ajuda necessária à China, anunciou o Kremlin.

A província de Sichuan, uma das mais povoadas da China, com 80 milhões de habitantes, foi devastada por um tremor em 2008 que deixou cerca de 87 mil mortos e desaparecidos.

Forte tremor deslocou e jogou uma imensa rocha numa estrada do condado de Lushan, província de Sichuan. (Foto: Hai Mingwei / Xinhua / Via AP Photo)Forte tremor deslocou e jogou uma imensa rocha numa estrada do condado de Lushan, província de Sichuan. (Foto: Hai Mingwei / Xinhua / Via AP Photo)

A agência de notícias oficial indicou que o terremoto de sábado alcançou uma magnitude de 7, enquanto o Instituto Geofísico dos Estados Unidos (USGS) registrou um tremor de magnitude 6,6. A profundidade foi estimada em 12 km, uma distância muito pequena, o que favorece a ocorrência de muitos danos.

As operações de resgate eram dificultadas por deslizamentos de terra provocados pelo tremor, indicou a CCTV.

O terremoto foi sentido fortemente em Chengdu, a capital provincial de Sichuan, e até mesmo na vizinha metrópole gigante de Chongqing, um município que abriga 33 milhões de pessoas.

Nestes dois locais, os habitantes deixaram suas casas rapidamente.

População acompanha resgate de vítimas ao lado de um edifício Sichuan (Foto: AFP)População acompanha resgate de vítimas ao lado de um edifício Sichuan (Foto: AFP)

 

Bertrille Snoeijer, uma holandesa que mora em Chengdu, estava em sua casa quando ocorreu o tremor. ‘Pouco depois das 08h00, tudo começou a tremer, os objetos caíram’, contou à AFP.

Assim como seus vizinhos, a holandesa saiu para a rua.

Na região mais afetada pelo tremor as comunicações telefônicas estavam cortadas ou fortemente afetadas.

Estudantes estavam presos sob um edifício universitário que desabou em Ya’an, indicou o site de informação Sina.com.

província de Sichuan (Foto: Arte/G1)

Aos sábados, os estudantes chineses em geral não têm aula, com exceção de alguns institutos de ensino médio. Uma jornalista do canal de televisão local iria se casar neste sábado, mas precisou trabalhar ao vivo para cobrir a catástrofe, vestida de branco, segundo uma foto sua que circulava na internet.

Pouco depois do terremoto de 2008, a qualidade da construção das escolas em Sichuan foi muito criticada. Familiares em luto e com raiva exigiram a verdade e quiseram entender as razões pelas quais os prédios que abrigavam suas crianças desabaram com facilidade, enquanto outros edifícios oficiais resistiram.

Os terremotos são relativamente frequentes na China, embora a população esteja menos acostumada com eles do que no Japão.

O governo brasileiro divulgou uma nota lamentando o terremoto. Na nota, o governo diz que tomou conhecimento com grande pesar das mortes e perdas materiais provocadas pelo terremoto que atingiu na província de Sichuan.

O Brasil transmite suas condolências e solidariedade aos familiares das vítimas, ao povo e ao Governo da República Popular da China.

Primeiro-ministro Li Keqiang (centro) visitou a região afetada (Foto: AP)Primeiro-ministro Li Keqiang (centro) visitou a região afetada (Foto: AP)
G1

Chega a 102 o número de mortos após terremoto em Sichuan, na China

Pelo menos 102 pessoas morreram e mais de três mil ficaram feridas após o forte terremoto de magnitude 6,6 sacudir, neste sábado (20), a província de Sichuan, na região central da China, a mesma na qual um sismo de 8 graus de magnitude causou mais de 70 mil mortos há quase cinco anos.

Criança é resgatada após terremoto na província de Sichuan (Foto: AFP)Criança é resgatada após terremoto na província de Sichuan (Foto: AFP)

O número de mortos não é definitivo e pode aumentar, segundo as autoridades locais.

Vista aérea mostra a destruição provocada por terremoto que atingiu Lushan, no condado de Ya'an, província de Sichuan. (Foto: China Daily / Via Reuters)Vista aérea mostra a destruição provocada por terremoto que atingiu Lushan, no condado de Ya’an, província de Sichuan. (Foto: China Daily / Via Reuters)

O terremoto, situado a 13 km de profundidade, aconteceu às 8h02 (21h02 de Brasília) e abalou a comarca de Lushan, na área municipal de Yaan, situada no centro da província, segundo dados do Centro de Redes Sismológicas da China.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Chineses carregam feridos em terremoto (Foto: AFP)Chineses carregam feridos em terremoto (Foto: AFP)

Mais de seis mil soldados do Exército de Libertação Popular e aeronaves da Força Aérea foram enviados à região afetada para participar dos trabalhos de resgate e auxílio às vítimas, informou a divisão militar de Chengdu, a capital de Sichuan.

Também foram destinadas à zona equipes da polícia, dos bombeiros e máquinas apropriadas para a busca de vítimas entre os escombros. Pelo menos 47 pessoas já foram resgatadas nas primeiras horas após o terremoto.

Forte tremor deslocou e jogou uma imensa rocha numa estrada do condado de Lushan, província de Sichuan. (Foto: Hai Mingwei / Xinhua / Via AP Photo)Forte tremor deslocou e jogou uma imensa rocha numa estrada do condado de Lushan, província de Sichuan. (Foto: Hai Mingwei / Xinhua / Via AP Photo)

Na zona afetada, onde no momento não há energia nem água corrente, muitos edifícios desabaram, entre eles vários nas localidades de Lushan e Longmen.

Muitas estradas estão interrompidas após desmoronamentos, o que também dificulta os trabalhos de resgate.

O forte tremor pôde ser sentido claramente em Chengdu, situada a 140 km de Yaan, assim como em outras províncias do oeste do país, em um raio de milhares de quilômetros.

Alunos deixam escola e aguardam num pátio da cidade de Dazhoul, na província de Sichuam, após forte terremoto atingir a região. (Foto: Deng Liangkui / AP Photo)Alunos deixam escola e aguardam num pátio da cidade de Dazhoul, na província de Sichuam, após forte terremoto atingir a região. (Foto: Deng Liangkui / AP Photo)

Um morador de Chengdu relatou à “Xinhua” que em seu apartamento, situado no 13º andar, pôde sentir o prédio tremendo durante 20 segundos, enquanto via telhas caindo de edifícios próximos.

província de Sichuan (Foto: Arte/G1)

A televisão estatal “CFTV” transmitiu as primeiras imagens da zona afetada, na qual a maioria dos habitantes saiu de suas casas e permanece na rua por temer réplicas.

Câmeras de segurança nas ruas de Yaan, a capital da comarca (com 1,5 milhão de habitantes), mostraram pessoas correndo assustadas pelas ruas, enquanto os pacientes de um hospital eram retirados do prédio.

Após o forte tremor inicial, 11 réplicas foram registradas na região, a pior delas com magnitude  5,1.

O presidente da China, Xi Jinping, e o primeiro-ministro, Li Keqiang, pediram às autoridades e equipes de salvamento que maximizem os esforços de atendimento às vítimas.

O oeste da China é uma área de frequente atividade sismológica, por ficar na zona de atrito das placas indiana e asiática. Nas últimas semanas vários tremores de menor intensidade na também ocidental província de Yunnan causaram dezenas de feridos.

Em 12 de maio de 2008, um terremoto de 8 graus com epicentro em Weichuan, no norte de Sichuan, deixou mais de 70 mil mortos e 375 mil feridos.

 

 

G1