Arquivo da tag: temporadas

Jô assina com Corinthians por três temporadas e é segundo reforço para 2017

joO centroavante Jô, 29 anos, assinou contrato válido por três temporadas com o Corinthians nesta segunda-feira. Aprovado em exames médicos na semana passada, ele retornou a São Paulo nesta tarde para formalizar o acordo que assegura a segunda aquisição para o ano que vem.

Nesta segunda-feira, Jô já se integrou aos treinamentos no CT Joaquim Grava e trabalhou internamente, além de formalizar o acordo para 2017. Ele será apresentado ainda nesta semana e se junta ao elenco corintiano.

Apesar do acerto no fim de outubro, porém, Jô só estará apto para vestir novamente a camisa do clube apenas na próxima temporada.

Formado no Corinthians, Jô tem duas marcas expressivas com a camisa do clube em que atuou até 2005. Ele é o mais jovem a ter atuado como jogador corintiano, além de também ser o mais jovem a marcar um gol, ambos com 16 anos de idade.

De volta após mais de uma década, Jô defendeu recentemente o Jiangsu Suning-CHN, do qual se desligou no começo do semestre. Desde então, ele mantinha a forma em Belo Horizonte, na Cidade do Galo. Como estava sem clube, o centroavante assinou diretamente com o Corinthians mediante o pagamento de luvas e salários.

Antes dele, o Corinthians já havia assegurado outra contratação. O atacante Luidy Viegas, do CRB-AL e destaque da atual Série B, está definido pelo clube para a temporada que vem. O jogador tem 20 anos e atua pelos lados do campo.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Massa anuncia aposentadoria da Fórmula 1 após 14 temporadas

Após mais de 14 anos de sua estreia, o brasileiro Felipe Massa anunciou nesta quinta-feira (01) que não correrá na Fórmula 1 a partir da próxima temporada. O piloto de 35 anos confirmou que não renovou contrato com a Williams e que encerrará sua longa história na categoria.

“Eu tenho tantas grandes memórias ao longo dos últimos anos e agradeço a todas as pessoas e a todas as equipes por que passei e me ajudaram a chegar onde estou hoje. Minha carreira foi mais do que eu esperava e estou orgulhoso do que consegui”, disse Massa em comunicado divulgado pela Williams.

Desde a estreia de Massa na Fórmula 1, no GP da Austrália em 2002, já foram 242 participações do piloto brasileiro em corridas, com 11 vitórias e 14 pole positions, em 14 temporadas na Fórmula 1 – ele só ficou de fora de 2003. Até o fim do ano, se participar das oito provas restantes como previsto, ele se despedirá com a marca de 250 GPs na carreira.

Reprodução/Twitter

Massa durante entrevista de despedida

Massa ainda ficou próximo de conquistar o Mundial de Pilotos de 2008, mas acabou com o vice-campeonato. Seu último triunfo na categoria ocorreu na etapa final daquele ano, no GP do Brasil. Para ele, a prova em Interlagos na atual temporada, no dia 13 de novembro, será especial.

“Olhando para o futuro, será especial o meu último Grande Prêmio do Brasil. Eu sei que oficialmente minha última corrida será em Abu Dhabi, mas emocionalmente o fim de semana de São Paulo será a despedida real pelo que significa para o meu coração”, disse Massa em coluna publicada no site “Motorsport”.

Sobre o futuro no automobilismo, Massa deixou em aberto. “A vida nos apresenta muitas escolhas e eu acho que chegou o momento onde eu tenho fazer algo diferente. Talvez você me verá de novo ao volante de um carro de corrida, mas no momento a única certeza que tenho é que eu vou ter um longo tempo para decidir sobre o que fazer no futuro”, explicou Massa na coluna.

Massa disse que a escolha de Monza, palco do GP deste fim de semana da Fórmula, para o anúncio não foi ocasional, Ele optou pelo mesmo lugar que o seu maior mentor na categoria, Michael Schumacher, confirmou a sua primeira aposentadoria em 2006.

“Eu escolhi Monza para anunciar a minha aposentadoria da Fórmula 1 não de forma acidental. Dez anos atrás, em Monza, um piloto anunciou que estava se aposentando também – e ele é um que teve mais influência do que qualquer outro na minha carreira: Michael Schumacher”, disse na mesma coluna no “Motorsport”.

Daniel Ochoa de Olza/AP

Massa e Schumacher na Ferrari: amigos fora das pistas

A chefe de equipe Claire Williams disse que Massa exerceu papel fundamental nestes três anos na equipe. “Tem sido um prazer trabalhar com Felipe nestas últimas três temporadas e vamos todos ficar tristes em vê-lo sair. Felipe chegou em um momento de grande mudança e sua mistura de experiência, talento e entusiasmo foi um fator importante na recuperação da equipe. Qualquer um que conheça Felipe sabe a pessoa calorosa e carinhosa que ele é, com uma personalidade contagiante”, disse.

O companheiro de equipe de Massa, o finlandês Valtteri Bottas, disse que a Fórmula 1 perde um grande piloto. “Ele é um cara muito legal para trabalhar. Ele ainda é rápido, acho que ele é subestimado. Está passando por um período complicado agora, mas o respeito como pessoa e como piloto. Claro que, por ele ser muito experiente, já passou por várias coisas em sua carreira e definitivamente posso aprender com isso, especialmente com as linhas que ele faz nas pistas. Mas acertamos o carro de maneira um pouco diferente, então desse lado não pude aproveitar muito”, disse.

Felipe Massa ainda postou nas redes sociais um vídeo em que faz agradecimentos especiais a todos que tiveram participação na sua carreira a também deixou uma mensagem para a Williams. “É uma equipe que eu tenho um grande carinho. Vou dar meu máximo para fazer uma excelente segunda parte de temporada. Foi uma excelente história que conseguimos juntos, para mim foi como uma vitória chegar ao terceiro lugar no Mundial de Construtores (em 2014 e 2015)”, disse.

Na Fórmula 1, Felipe Nasr, atualmente na Sauber, pode ser o único brasileiro na próxima temporada, embora não haja certeza sobre a permanência dele na escuderia, que trocou de donos recentemente.

Já a Williams ainda faz mistério sobre o sucessor de Massa e, provável, companheiro do finlandês Valtteri Bottas. Segundo a imprensa europeia, Bottas já assinou renovação de contrato por duas temporadas. Um dos favoritos a assumir o cockpit agora ocupado pelo brasileiro é o mexicano Sérgio Pérez.

Ascensão e título próximo

Massa estreou na Fórmula 1 em 2002 pela Sauber, equipe na qual correu por três temporadas – em 2003 ele não participou do grid. Sua regularidade, com dois quartos lugares nos GPs da Bélgica de 2004 e Canadá de 2005 como melhores resultados, chamou a atenção da Ferrari, que o anunciou como piloto para a temporada de 2006.

Toni Albir/AFP

Massa durante estreia na F1 pela Sauber

Nas oito temporadas que esteve em Maranello, Felipe Massa construiu uma relação próxima a Michael Schumacher em um único ano em que correram como companheiros. O alemão se aposentou ao final de 2006, abrindo espaço para o brasileiro brigar por títulos tendo como parceiro de equipe o finlandês Kimi Raikkonen.

Em 2007, um início forte de Raikkonen. com três pódios nas primeiras três corridas, praticamente selou o finlandês como a principal aposta da Ferrari para o título. Massa teve um papel importante na ajuda ao companheiro e terminou na quarta colocação do Mundial de Pilotos, uma posição abaixo de sua estreia na escuderia no ano anterior.

O ano de 2008 marcou a melhor temporada do brasileiro na categoria. Mais regular do que Raikkonen, Massa logo despontou na briga pelo título e teve ele nas mãos por alguns segundos na prova final em Interlagos. Porém, uma ultrapassagem de Hamilton em cima de Timo Glock pela quinta colocação nas curvas finais selou o campeonato a favor do britânico por um mísero ponto.

Paulo Whitaker/Reuters

Massa com Hamilton: disputa até a última curva

Massa encerrou a temporada com seis vitórias, incluindo a última prova em Interlagos, e consolidou seu nome como potencial candidato a títulos nos anos seguintes apesar do decepcionante vice-campeonato. Porém, 2009 marcou um ponto de virada na carreira do brasileiro.

Acidente e mudança de equipe

Massa teve um começo de ano complicado em 2009 e só conseguiu subir ao pódio na nona etapa, com um terceiro lugar no GP da Alemanha. Já longe da briga pelo título, ele viu a situação piorar mais na prova seguinte, quando foi atingido por uma mola que se desprendeu do carro de Rubens Barrichello na Hungria.

Reuters

Massa após acidente sofrido na Hungria

O acidente tirou o brasileiro do restante da temporada e, mesmo após a volta na temporada seguinte, Massa nunca mais  brigou pelo título mundial. Completou mais quatro temporadas pela Ferrari, mas não venceu mais nenhuma corrida e teve como melhores resultados no Mundial de Pilotos o sexto lugar em 2010 e 2011.

Em 2014, Felipe Massa trocou de equipe pela segunda vez na carreira na Fórmula 1. Na Williams, manteve um desempenho parecido com o visto nos últimos anos, conseguindo cinco pódios e tendo como melhor resultado um segundo lugar no GP de Abu Dhabi de 2014. Muito elogiado por sua postura e por sua ajuda no desenvolvimento da equipe, se despede em 2016 naquele que talvez seja seu ano mais opaco nas pistas, ocupando a 10ª colocação atual na temporada.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Grupo de investimentos confirma Marcelo no Fla por três temporadas

marceloÉ questão de tempo para que Marcelo Cirino seja confirmado como reforço do Flamengo. A transação envolvendo o Atlético-PR, o Rubro-Negro carioca e o fundo de investimentos Doyen Group está selada e o anúncio depende somente do acordo salarial do atacante. Os termos da negociação são os mesmos da ida de Leandro de Damião para o Santos. O contrato será de três anos, mesmo período que o clube da Gávea tem para pagar o empréstimo de R$ 16,5 milhões para compra de 50% dos direitos econômicos do atacante.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

 

Anualmente, o valor será ajustado em 10%. Caso o Flamengo venda o jogador neste período, fica com 20% deste montante, com os outros 80% indo para Doyen Group. Ambas as partes vêm o negócio com grande potencial de lucro técnico e financeiro, uma vez que Marcelo tem somente 22 anos e foi eleito a revelação do Brasileirão de 2013. A expectativa é de que o reforço já se apresente com o restante do elenco rubro-negro na segunda-feira, no Ninho do Urubu.

Representante da Doyen no Brasil, Renato Duprat confirmou o final feliz para transação.

– Já está tudo acertado, falta apenas o acordo salarial do Flamengo com o Marcelo. O contrato será de três anos, prazo que o clube terá para nos pagar o investimento realizado. Após este período, o Marcelo será do Flamengo. Se houver uma negociação, ficamos com 80% e o clube com 20% – revelou em contato com o GloboEsporte.com.

O Doyen é um grupo que tem como principal atividade a mineração – óleo, gás, ouro, ferro, etc. Com escritórios também em Istambul, na Turquia, e em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, o grupo iniciou os trabalhos esportivos em 2011, tornando-se “uma alternativa de financiamento” para clubes que têm menos recursos”. O modelo criado com a autorização da Uefa tira da mão de terceiros (grupos de empresários, por exemplo) os direitos econômicos dos jogadores, o que faz do grupo praticamente um banco.

 

Globoesporte.com