Arquivo da tag: suspeitos

Dois PMs são presos suspeitos de integrarem grupo que planejava matar delegado e oficiais, na PB

Dois policiais militares e mais outras 23 pessoas foram presas na manhã desta quinta-feira (22) durante a Operação Conexão, que acontece em cidades do Cariri e Sertão paraibano. De acordo com os delegados Cristiano Santana e Cristiano Jacques, responsáveis pela operação, os suspeitos fazem parte de uma organização criminosa envolvida com crimes de pistolagem, assalto a bancos e tráfico de drogas.

Conforme os delegados, entre as 25 pessoas presas estão o cabo Cláudio Chaves Correia, conhecido por “Chapinha”, lotado no município de Manaíra, e o sargento Cícero Roserval Rodrigues Leite, lotado em São Bento. Eles são suspeitos de, junto com o grupo criminoso, planejar matar um delegado da Polícia Civil e dois oficiais da Polícia Militar que trabalhavam nas investigações.

“A organização criminosa é suspeita de praticar os roubos às agências do Bradesco e Correios de Água Branca e dos Posto de Atendimento do Bradesco de Imaculada. O grupo planejava a morte de dois oficiais da Polícia Militar e um delegado da Polícia Civil, tendo em vista estarem trabalhando nas investigações”, revelou o delegado Cristiano Jacques.

Segundo Cristiano Jacques, a grupo criminoso, que tinha como “quartel general” o sítio Gavião, no município de Jurú, praticava homicídios por pistolagem ou por disputa de área de tráfico de drogas. Os presos são suspeitos de estarem envolvidos nas mortes de Antônio Burgo de Campos, executado no município de Tavares, Dimas da Silva Ramos, morto em Jurú, e Josué Bernardo de Oliveira, assassinado em Água Branca.

A Operação Conexão acontece nos municípios de Imaculada, Jurú, Água Branca, Tavares, Catolé do Rocha, Patos e Sumé. De acordo com o delegado Cristiano Jacques, além dos mandados a serem cumpridos na Paraíba, há também uma ordem judicial a ser cumprida em São Paulo.

Até as 10h desta quinta-feira (22), as informações da polícia eram de que, além dos 25 presos, durante a operação haviam sido apreendidas armas de fogo, cocaína e dinheiro. Conforme o delegado Cristiano Jacques, a droga comercializada pela associação criminosa saía do município de Sumé.

Na Paraíba, participam da ação cerca de 240 policiais das Regiões Integradas de Segurança Pública (Reisp) de Campina Grande e Patos, com reforço de cães farejadores e de viaturas de resgate e busca e salvamento do Corpo de Bombeiros. As equipes continuam nas ruas e novas prisões poderão acontecer no decorrer do dia.

Mandados de busca e apreensão, prisão preventiva e prisão temporária, no Sertão e Cariri da Paraíba — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Mandados de busca e apreensão, prisão preventiva e prisão temporária, no Sertão e Cariri da Paraíba — Foto: Polícia Civil/Divulgação

 

G1

 

 

PB tem 12,4 mil casos suspeitos de doenças causadas por Aedes

A Paraíba tem mais de 11 mil casos prováveis de dengue, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (2). Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) recomenda busca ativa para detecção precoce e evitar o agravamento da situação.

Conforme os dados, tanto a dengue quanto a chinkungunya registraram aumento em relação a 2018. Até a 28ª Semana Epidemiológica de 2019, foram registrados 11.258 casos prováveis de dengue. Quando comparados aos dados do mesmo período de 2018, com 8.458 casos prováveis, observa-se um aumento de 33,10%.

Já em relação à chikungunya, foram notificados 860 casos prováveis, o que corresponde a um aumento de 18,78%, em relação a 2018, quando houve registro de 724 casos prováveis. Quando à zika, foram notificados 248 casos, o mesmo quantitativo de casos prováveis do ano de 2018.

A predominância de casos notificados das arboviroses concentra-se nos municípios de Princesa Isabel, São José de Princesa e Juru, da 11ª Região de Saúde; Lucena, Caaporã e Conde, da 1ª Região; Areia, Esperança e Alagoa Nova, da 3ª; São Sebastião do Umbuzeiro, Prata e Monteiro, da 5ª e Teixeira, Matureia e São José do Sabugi, da 6ª Região.

De acordo com o gráfico do boletim, podem ser observados picos de casos nos meses de abril e maio, reduzindo a partir de junho. Diante da constatação, a gerente de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares, faz um alerta aos municípios: “As ações planejadas nos municípios, para o primeiro semestre, devem ser mantidas também para o segundo, pois em muitos locais continuam as chuvas em grande volume, o que proporciona acúmulo de água que favorece a existência de focos do vetor”.

Óbitos

Quanto aos óbitos, foram notificados 36 por arboviroses (doenças provocadas pelo mosquito Aedes Aegypti), sendo cinco confirmados para dengue; um para zika e um para chinkugunya; 16 foram descartados e 13 óbitos continuam sendo investigados.

O boletim apresenta ainda dados do Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti (LIRAa). De acordo com o trabalho do LIRAa, foi constatado que 61,26% dos municípios (136) paraibanos estão em situação de alerta.

 

portalcorreio

 

 

Suspeitos explodem cofre de posto de combustível e roubam cerca de R$ 20 mil, em João Pessoa

O local onde fica o cofre de um posto de combustível foi explodido na madrugada desta segunda-feira (29), no Bairro das Indústrias, em João Pessoa. A explosão acabou atingindo a loja de conveniência do posto e algumas lojas próximas do local, mas não houve feridos.

No momento da ação, que aconteceu por volta das 3h, apenas o vigia, de 36 anos, do posto estava no local. Ele foi rendido por cerca de seis suspeitos vestidos de preto, armados e encapuzados. Eles chegaram em dois carros, anunciaram o assalto e disseram que queriam apenas o cofre.

De acordo com a Polícia Militar, todo o dinheiro foi roubado. Segundo os representantes do estabelecimento contaram à polícia, dentro do cofre tinha cerca de R$ 20 mil.

Após a explosão, a tampa do cofre parou a cerca de 100 metros do local, mas ninguém foi atingido. Na manhã desta segunda-feira, os funcionários do posto faziam a limpeza do local. Os suspeitos fugiram e até as 6h10 não houve prisões.

Foto: Danilo Alves/TV Cabo Branco

G1

 

Polícia prende suspeitos de apedrejar, amarrar, matar e incendiar vítima no interior da Paraíba

A Polícia Civil prendeu nesta quarta-feira (24) dois homens suspeitos de homicídio, cometido em junho, no município Barra de São Miguel, no interior da Paraíba.

José Ananias dos Santos, 25 anos, e Luiz Carlos da Silva Diniz Filho, 20 anos, tiveram as prisões decretadas pela Justiça.

Os suspeitos foram identificados como os responsáveis pela morte de José Wilson dos Santos, vulgo “Gordo”, 40 anos. Ele foi morto com requintes de crueldade em 30 de junho, em Barra de São Miguel.

De acordo com o delegado Yaslei Almeida, a vítima foi apedrejada, amarrada por uma corda e arrastada por mais de 150 metros. Em seguida, teve o corpo incendiado.

O suspeito Luiz Carlos confessou o crime após ser confrontado com provas exibidas pela polícia.

De acordo com o delegado, “os presos responderão pelo crime de homicídio triplamente qualificado, em função do delito ter sido cometido por motivo fútil, emprego de tortura, fogo e meio cruel, e emprego de recurso que tornou impossível a defesa da vítima.”

 

 

clickpb

 

 

Mãe e padrasto suspeitos de torturar menino de sete anos em Boqueirão, PB, são presos

Foram presos o padrasto e a mãe do menino de sete anos que era acorrentado e torturado na cidade de Boqueirão, a 146 km de João Pessoa. Maria Aparecida Sousa Silva e Edilson Cosme Albuquerque foram presos por força de mandados de prisão preventiva expedidos a pedido da Polícia Civil.

Os suspeitos foram encaminhados para delegacia seccional da cidade de Queimadas. A informação foi confirmada na manhã desta quinta-feira (18) pelo delegado Iasley Almeida, responsável pela investigação do caso.

A criança de sete anos deu entrada no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, em estado de desnutrição e com ferimentos no dia 10 de julho. De acordo com a Polícia Civil, a criança estaria sofrendo maus-tratos praticados pela mãe e pelo padrasto. O laudo finalizado pelo Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) confirmou que a criança sofria agressões físicas prolongadas e contínuas, o que se configura como tortura.

Conforme explica Márcio Leandro, chefe do Numol, no momento do exame o menino estava muito debilitado, desnutrido e com um quadro de anemia profunda. “Tinha lesões por todo corpo, nas costas e lesões nos glúteos, o que indica que ele passou bastante tempo imóvel, imobilizado, por estar acorrentado. As agressões foram tão prolongadas que se tornou tortura”, explica o chefe do Numol.

A criança deve passar por cirurgias plásticas após tratamento dos ferimentos no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. Segundo informações repassadas pela unidade de saúde, o menino tem um ferimento tão grave na cabeça que vai precisar passar por uma cirurgia plástica para reconstituir o tecido lesionado. O diretor-técnico do hospital Gilney Porto, explicou que é preciso primeiro esperar a cicatrização dos ferimentos.

De acordo com Márcio Leandro, uma reavaliação precisa ser feita na criança para que sejam identificados os graus das lesões que devem permanecer no menino. No entanto, isso só vai acontecer após a cirurgia.

O menino de sete anos permanece internado no Hospital de Trauma de Campina Grande, com estado de saúde considerado estável. Ainda não há previsão de receber alta médica.

(Foto: Mayara de Oliveira/Portal Correio)

G1

 

Suspeitos de estelionato e receptação de carros roubados são presos pela PRF na PB

Dois homens de 45 e 59 anos de idade foram presos pela Polícia Rodoviária (PRF) nesta terça-feira (16), na BR-230, em Pocinhos, na Paraíba. No carro em que eles estavam haviam drogas, cheques furtados e notas promissórias com dados falsos, além de documentos falsos. Contra um deles havia um mandado de prisão expedido.

Segundo a PRF, os dois homens estavam em um veículo com placas de Fortaleza, capital cearense. Após uma revista preliminar, foi encontrado com cada um deles uma pequena quantidade de substância semelhante a maconha, que eles alegaram ser para uso pessoal. Na abordagem, o homem de 59 anos, que estava como passageiro, apresentou identidade com nome e demais dados falsos.

Os policiais descobriram que o nome que ele apresentou era falso e, ao consultarem o real nome do suspeito, descobriram que havia um mandado de prisão expedido contra ele. Ainda no procedimento, os agentes da PRF descobriram que os dois homens respondem a vários processos por estelionato, receptação roubo e porte ilegal de arma.

As queixas e processos estão registradas em mais de 5 estados brasileiros e mostraram ainda que as práticas criminosas ocorrem há mais de 10 anos. Os dois homens foram presos e levados para a Delegacia da Polícia Federal, em Campina Grande.

G1

 

Polícia divulga identidade de suspeitos mortos em confronto na Paraíba

A Polícia Militar divulgou informações sobre os suspeitos mortos em confronto com a polícia na manhã desta terça-feira (2), em Riacho de Santo Antônio, na Paraíba.

Seis dos oito suspeitos foram identificados: Marcela Virginia Silva do Nascimento, 32 anos; José Pedro Agostinho da Silva, 30 anos; Manoel José de Lima, 37 anos; Adson Berigue de Lima, 29 anos; José Adson de Lima, idade não informada; Reniere Alves de Souza, 32 anos. Dois outros suspeitos ainda não foram identificados.

Quatro dos oito suspeitos mortos foram reconhecidos como os mesmos que cometeram um assalto no loteamento Dona Lica I, em Santa Cruz do Capibaribe, agreste de Pernambuco.

Com os suspeitos foram apreendidos dois revólveres calibre 38, duas pistolas cal. 380 e uma espingarda calibre 12, dois carregadores de 380, trinta cartuchos cal. 380 intactos, 61 cartuchos cal. 38, sendo 57 intactos e quatro deflagradas e cinco cartuchos cal.12 intactos, sete aparelhos celulares, um automóvel Siena de cor branco e placas KIK-6194 e uma picape Fiat Toro de cor prata e placas PCM-9888.

A operação ainda resultou na apreensão da quantia de R$ 56.075,00 (cinquenta e seis mil e setenta e cinco reais) em espécie, provavelmente proveniente do roubo contra o supermercado de Santa Cruz do Capibaribe.

 

clickpb

 

 

Postos são suspeitos de fraudar venda de combustíveis na PB

Vinte e dois postos de combustíveis do estado estão sendo fiscalizados pela Receita da Paraíba por suspeita de fraude na venda dos produtos. O suposto crime foi descoberto após o lançamento do aplicativo ‘Preço da Hora’, que possibilita aos consumidores paraibanos e aos gestores públicos consultar em tempo real o preço de quase um milhão de itens comercializados em 121.590 estabelecimentos distribuídos nos 223 municípios do estado.

Com base nos dados do aplicativo, os consumidores estavam identificando postos comercializando combustível a preço bem mais barato que o normal. Porém, quando eles chegavam ao posto, o valor cobrado pelo litro do combustível estava diferente do anunciado no ‘Preço da Hora’.

Ao Portal Correio, o secretário executivo da Fazenda da Paraíba, Bruno Frade, contou que a suposta fraude ocorre da seguinte forma: ao abastecer o veículo, o consumidor recebe a nota fiscal da compra do produto, na qual consta o valor pago pelo litro do combustível.

No mesmo instante que é emitida ao consumidor, a nota, via meio eletrônico, é enviada ao sistema de dados da Receita, que abastece o aplicativo. O problema ocorria quando os postos fraudavam o preço de venda do combustível.

“Essa nota fiscal emitida e enviada para a Fazenda deve corresponder exatamente com o valor que o consumidor pagou pelo litro do produto, mas em alguns casos isso não ocorria e percebemos valores muito abaixo do normal, que é algo em torno de R$ 4,49, mas na nota estava R$ 3,65. Esse preço de R$ 3,65 ia para o sistema do aplicativo, enganando o consumidor”, afirmou o secretário.

A principal hipótese levantada pelo secretário é de que os postos se aproveitam do consumidor que não pede a nota fiscal e fraudam o valor.

“O que nós imaginamos é que quando o consumidor não pede a nota, o posto deixa para dar essa ‘baixa’ na venda no fim do dia. Assim, alguém do posto coloca um valor de venda por litro muito baixo, o que reverte em menos imposto a ser pago. Estamos iniciando o processo de investigação para tentar confirmar se era esse o tipo de operação fraudulenta”, finalizou Bruno Frade.

Já a partir desta terça-feira (2), os postos identificados como suspeitos da fraude estão sendo fiscalizados e recebendo notificações para que justifiquem a emissão da nota fiscal com valor abaixo do real.

 

portalcorreio

 

 

Vereador é morto entre suspeitos de assalto em PE ao tentar resgatar irmão

O confronto entre as polícias de Pernambuco e da Paraíba com os suspeitos de um assalto realizado nesta segunda-feira (1º), no município de Santa Cruz do Capibaribe-PE, resultou na morte de oito pessoas, seis homens e duas mulheres. Entre os mortos estaria um vereador do município de Betânia, no Sertão de Pernambuco.

O confronto aconteceu nas cidades de Barra de São Miguel e Riacho de Santo Antônio, no Cariri da Paraíba. Após a ação criminosa em Pernambuco, o bando  fugiu em direção à Paraíba, onde foram localizados nesta terça-feira (2).

De acordo com a Polícia Civil de Pernambuco, o vereador Andson Berigue de Lima (PP), de 29 anos, mais conhecido como Nanaca, também foi morto. Ele teria ido resgatar o irmão, apontado como líder do bando, que conta ainda com a participação de um primo deles.

A Polícia Militar de Pernambuco afirma que os quatro suspeitos do assalto estavam escondidos no Sítio Boi Brabo, no limite entre os municípios de Riacho de Santo Antônio e Barra de São Miguel, na Paraíba. Eles foram localizados graças ao Serviço de Inteligência, que teve conhecimento de que eles seriam resgatados por outras quatro pessoas.

Por volta das 3h30 da manhã, os quatro envolvidos no assalto receberam o apoio do vereador e outras três pessoas em dois carros. Antes que fossem resgatados, teve início o confronto com a polícia, que os classificou como fortemente armados e perigosos.

O CRIME

O grupo teria tentado assaltar uma agência correspondente da Caixa Econômica Federal quando foi surpreendida por uma viatura da Polícia Militar. Houve troca de tiros, um policial morreu e outro ficou ferido.

 

PB Agora

 

 

Casos suspeitos de Chikungunya cresceram 16% no primeiro semestre de 2019 na Paraíba

O número de casos de Chikungunya cresceram aproximadamente 16% entre janeiro e junho de 2019 em comparação ao mesmo período de 2018. Segundo informações do 24º boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgado nesta terça-feira (2), foram contabilizados 655 casos prováveis, 91 casos a mais que em 2018, quando foram notificados 564 casos prováveis na Paraíba.

O número de casos de dengue também aumentaram no mesmo período, cerca de 14%, ainda conforme dados da SES. Enquanto no primeiro semestre de 2018 foram registrados 7.280 casos prováveis de dengue, em 2019 o número foi de 8.306 casos prováveis de dengue. Em contrapartida, os casos suspeitos de pacientes vitamos pelo vírus da Zika caiu 4%, uma redução de 198 para 190 se comparados os primeiros semestres de 2018 e 2019.

Municípios da Paraíba com incidência das três arboviroses

  • Teixeira,
  • Maturéia,
  • Areia,
  • Lucena,
  • São Sebastião do Umbuzeiro,
  • Princesa Isabel,
  • Alagoa Nova,
  • Esperança,
  • Cacimba de Dentro,
  • Conde,
  • Sertãozinho,
  • Baraúna,
  • Caaporã,
  • Araruna,
  • Casserengue,
  • Lagoa de Dentro,
  • Taperoá,
  • São José de Princesa
  • Juripiranga.

A SES observa que, dos 223 municípios, 42 (18,8%) estão sem sinalizar no sistema de informação, ou seja, não existe nenhuma notificação de caso suspeito para as arboviroses, doenças chamadas assim por serem causadas pelo arbovírus, vírus transmitidos por insetos e aracnídeos.

No entanto, municípios de grande porte populacional como Campina Grande (85 notificações), Sousa (51 notificações), Cabedelo (48 notificações), Patos (36 notificações), Guarabira (15 notificações), Queimadas (7 notificações), Pombal (5 notificações) e Sapé (5 notificações) demonstram poucas notificações de casos prováveis de arboviroses no ano de 2019.

De acordo de Talita Tavares, gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, o pico de casos foi nos meses de abril e maio, seguido de redução em junho, tendo em vista que, historicamente, o maior volume de notificações se concentra no primeiro semestre do ano.

“As ações já planejadas em cada município devem ser mantidas no segundo semestre, pois recentemente muitos municípios tiveram chuvas em grande volume, o que proporciona acúmulo de água que poderá formar um possível foco”, orientou.

Mortes por arboviroses

No primeiro semestre de 2019 foram notificadas 30 mortes por arboviroses na Paraíba, sendo dois confirmados para dengue (Araruna e João Pessoa) e um confirmado para Zika (João Pessoa). A Secretaria de Saúde da Paraíba já descartou 11 mortes que tinham sido notificadas como causadas por arboviroses.

Dos óbitos que estão em investigação (16 óbitos), quatro foram notificados pelo Serviço de Verificação de Óbito (SVO), que necessita de exames mais específicos junto aos laboratórios de referência e que requerem maior tempo para resultados.

G1