Arquivo da tag: suspeitas

Secretaria de Saúde da Paraíba investiga 12 mortes suspeitas de síndrome respiratória

Após o anúncio da morte de Mateus Carlos, filho do presidente da Rede Paraíba de Comunicação, com suspeita de covid-19, em João Pessoa, a Secretaria de Estado da Saúde informou que atualmente investiga 12 mortes suspeitas de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

A covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, é um tipo de SRAG, assim como os outros tipos de influenza (gripe) já conhecidos.

Até o momento, nenhuma morte por covid-19 foi confirmada no estado, que já tem 15 casos da doença.

 

clickpb

 

 

PB tem duas mortes e quatro pessoas internadas suspeitas de coronavírus

Até a tarde desta sexta-feira (20), a Paraíba contava 114 casos suspeitos da Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Dentre os casos citados, quatro deles estão hospitalizados, que já realizaram o exame e seguem aguardando o resultado das amostras para o resultado ser ou não computado.

Além dos quatro casos hospitalizados, outros dois casos estão em análise, tratam-se de duas mortes de pacientes que apresentaram sintomas suspeitos. Uma das mortes suspeitas ocorreu em João Pessoa, uma mulher de 39 anos, e outra foi registrada em Patos, no Sertão, nessa quinta-feira (19).

As informações foram repassadas na tarde desta sexta-feira (20), pela assessoria de comunicação da Secretaria Estadual de Saúde da Paraíba (SES), e são do secretário executivo de Gestão de Rede de Unidades de Saúde do Governo da Paraíba, Daniel Beltrame. De acordo com ele, o Estado está aguardando as amostras dos exames feitos nos pacientes que vieram a óbito, para que sejam computados ou não como casos confirmados de coronavírus.

“Qualquer um dos dois óbitos suspeitos ainda seguem como suspeitos, pois ainda não recebemos o resultado final de testagem. Então, eles ainda não viraram casos. Caso os testes deem positivo, eles virarão casos e entrarão em nosso banco de casos, do contrário, serão descartados também”, destacou Daniel Beltrame.

Suspeitos hospitalizados

Ainda conforme o secretário Daniel Beltrame, existem quatro pacientes com sintomas suspeitos do novo coronavírus que estão hospitalizados. Ele não falou detalhes sobre o local onde os pacientes estão internados, mas revelou que os exames já foram realizados e que agora aguardam os resultados. “No momento, o estado tem quatro casos suspeitos hospitalizados. Todos eles já foram testados e, agora, estamos aguardando o retorno destas amostras”, concluiu, sem dar mais detalhes.

Caso confirmado

O secretário ressaltou que na Paraíba, apenas um caso do novo coronavírus foi confirmado, informando que outros 40 casos suspeitos já foram descartados e que o monitoramento dessas pessoas segue sendo feito nas unidades de saúde do estado. Um homem de 60 anos, de João Pessoa, teve Covid-19, mas, segundo a Secretaria de Saúde do Estado, ele foi tratado com isolamento domiciliar e já estaria curado.

 

portalcorreio

 

 

Cai de 17 para 14 o número de suspeitas de coronavírus na PB

Caiu de 17 para 14 o número de casos investigados de coronavírus da Paraíba, conforme nova atualização na manha deste sábado (14) divulgada pela Secretaria de Saúde da Paraíba. O estado segue sem nenhum caso confirmado da Covid-19, que é a doença provocada pelo novo vírus.

Segundo a Pasta, são 11 casos investigados em João Pessoa, 1 em Campina Grande, 1 em Cuité e 1 em Cabedelo.

Conforme a Saúde, apenas uma pessoa com suspeita de novo coronavírus na Paraíba está internada. É uma mulher de 35 anos, que viajou à Europa e apresenta quadro de pneumonia. Ela está em observação em um hospital particular. Os outros pacientes com sintomas suspeitos tiveram atendimento médico e receberam a recomendação para isolamento domiciliar.

O Brasil tem 107 casos confirmados da Covid-19 em todas as regiões do país.

 

portalcorreio

 

 

Sobe para 13 o número de suspeitas de coronavírus na Paraíba

Subiu para 13 o número de casos investigados de novo coronavírus na Paraíba. Em nota divulgada na manhã desta sexta-feira (13), a Secretaria de Estado da Saúde informou que as três novas pessoas monitoradas são de João Pessoa. São eles um homem de 40 anos, que voltou recentemente da Europa; e um homem de 24 anos e uma mulher de 20 anos, ambos com histórico de viagem aos Estados Unidos. Aos três foi recomendado o isolamento domiciliar.

Apenas uma pessoa com suspeita de novo coronavírus na Paraíba está internada. É uma mulher de 35 anos, que viajou à Europa e apresenta quadro de pneumonia. Ela está em observação em um hospital particular.

O coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias. O novo agente foi descoberto em 31 de dezembro de 2019, após casos registrados na China. A doença provocada pelo novo coronavírus foi batizada de Covid-19.

Por ter atingido de forma expressiva os cinco continentes, a Covid-19 já é considerada pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, 77 casos foram confirmados pelo Ministério da Saúde até essa quinta-feira (12). A Paraíba segue sem casos confirmados da doença. Seis suspeitas foram descartadas desde o início das notificações.

Lista de casos investigados na Paraíba

  • Criança, 6 anos, residente em João Pessoa e com histórico de viagem para os EUA. Está em isolamento domiciliar
  • Homem, 37 anos, residente em Campina Grande e com histórico de viagem para Europa. Está em isolamento domiciliar
  • Mulher, 72 anos, residente em João Pessoa e histórico viagem EUA. Está em isolamento domiciliar
  • Mulher, 80 anos, residente em João Pessoa e com histórico de viagem para os EUA. Atendida na rede privada e aconselhado isolamento domiciliar
  • Mulher, 74 anos, residente em João Pessoa e com histórico de viagem para Europa. Atendida na rede privada e aconselhado isolamento domiciliar
  • Homem, 65 anos, morador de João Pessoa e com histórico de viagem para os EUA. Recomendado isolamento domiciliar
  • Mulher, 35 anos, moradora de Cuité e com histórico de viagem para Europa. Recomendado isolamento domiciliar
  • Mulher, 62 anos, moradora de João Pessoa e com histórico de viagem para os EUA. Recomendado isolamento domiciliar
  • Mulher, 58 anos, moradora de João Pessoa e com histórico de viagem para os EUA. Recomendado isolamento domiciliar
  • Mulher, 35 anos, moradora de Cabedelo e com histórico de viagem para Europa. Em observação em hospital privado, com quadro de pneumonia
  • Homem, 40 anos, morador de João Pessoa e com histórico de viagem para Europa. Recomendado isolamento domiciliar
  • Homem, 24 anos, morador de João Pessoa e com histórico de viagem para os EUA. Recomendado isolamento domiciliar
  • Mulher, 20 anos, moradora de João Pessoa e com histórico de viagem para os EUA. Recomendado isolamento domiciliar

 

portalcorreio

 

 

Duas mulheres são presas suspeitas de lesão corporal em Guarabira

Duas mulheres foram presas por policiais do 4° BPM (Batalhão de Polícia Militar) na tarde desta segunda-feira (9), em Guarabira, depois de agredirem outra, deixando nela escoriações provocadas por mordidas e arranhões.

A própria vítima entrou em contato com o Copom e informou que estava no local de trabalho quando as duas mulheres chegaram e começaram a insultá-la, em seguida, deram início às agressões e ameaças.

A guarnição comandada pelo sargento Luciano conduziu as três mulheres para a Delegacia de Polícia Civil, onde as duas foram autuadas em flagrante por lesão corporal.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Presidente da FPF considera ‘graves’ as suspeitas de manipulação de resultado em jogo do Campinense

A vitória do Campinense sobre o Vitória-PE na noite da última quinta-feira (6) foi colocada em xeque por torcedores e apostadores. Em aplicativos de mensagens, áudios relataram a atuação de uma rede de manipulação de resultados na partida. A presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michele Ramalho, classificou como “graves” as suspeitas e pede que o caso seja investigado pelas autoridades competentes. A informação é do repórter Sérgio Rangel, do UOL Esporte.

Dentro de campo, a Raposa goleou o Vitória-PE por 4 a 0, em partida válida pela sexta rodada da fase de grupos do Campeonato Brasileiro da Série D. A partida foi antecipada para a noite de quinta-feira a pedido do Campinense que, assim como o Vitória-PE, já estava eliminado da competição. Nos aplicativos de mensagens, porém, apostadores relataram que integrantes de uma rede de manipulação de resultados “compraram o jogo do Campinense” (sic).

Divulgação

Na conversa de áudio, um torcedor diz que a partida seria 4 a 0 e citou José Pereira, o Pezão, homem forte do departamento de futebol rubro-negro, como um dos responsáveis pelo esquema. Pezão, assumirá, na próxima semana, oficialmente o cargo de diretor de futebol do clube de Campina Grande. Ele não foi encontrado pela reportagem do UOL Esporte para comentar a denúncia.

Em um dos áudios obtidos pelo UOL Esporte, uma outra pessoa informa que a partida estava bloqueada para apostas nos sites baseados em Campina Grande e comentava que um amigo jogou em uma casa de apostas no Pará e ganhou “dinheiro com força”.

Em um comunicado emitido na noite de quinta, a casa de apostas “Bets Esportes” informou que o resultado do jogo foi manipulado e informava aos seus clientes que devolveria o valor das apostas.

O “Bets Esportes” é mais uma das dezenas de bancas de apostas que operam ilegalmente no país. O domínio da empresa está registrado no Maranhão. A reportagem tentou obter contato com a empresa, mas não teve sucesso.

Nota divulgada pela “Bets Esportes”

O Campinense é patrocinado por um site de apostas. O principal parceiro do clube é a “MixBet”, empresa hospedada no Arizona, nos EUA.

Procurada pela reportagem, a presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michele Ramalho, que chefia a delegação brasileira na Copa do Mundo de Futebol Feminino, na França, afirma que a suspeita deve ser investigada pelas autoridades locais.

– Se trata de denúncias graves e devem ser investigadas e apuradas pelos órgãos competentes – disse a mandatária do futebol paraibano.

Organizadora da competição, a CBF informou à reportagem que está apurando as informações antes de se manifestar.

Outro lado

O Campinense não se pronunciou sobre o caso. Os dirigentes do Vitória também foram procurados, mas não responderam aos contatos da reportagem do UOL Esporte.

Credibilidade em xeque na Paraíba

A suspeita de manipulação de resultados em Campina Grande agrava a credibilidade do futebol da Paraíba, que atravessa a maior crise da sua história.

No ano passado, dirigentes da federação, de Botafogo-PB e Campinense, além de árbitros, foram banidos do futebol pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva, acusados de integrarem um esquema de manipulação de resultados, através da compra de árbitros.

A Operação Cartola, conduzida pela Polícia Civil da Paraíba e Ministério Público do Estado, revelou que dirigentes negociavam pagamentos para árbitros e adversários. Willian Simões, então presidente do Campinense, foi um dos banidos do futebol no ano passado pelo STJD. O caso segue na Justiça Comum, onde no mês passado foram ouvidas as primeiras testemunhas em audiência no Tribunal de Justiça da Paraíba.

Jogos vazios são alvos preferidos

Jogos sem apelo de público e com pouca importância na tabela da competição são os preferidos das máfias de manipulação de resultados. Com o estádio praticamente vazio, a partida de quinta-feira, em Campina Grande, teve apenas 305 pagantes e não mexeu na tabela da competição. Os dois times já estavam eliminados da Série D.

A equipe pernambucana terminou a competição sem nenhum ponto. Já o Campinense deixou a Série D com sete pontos.

A goleada foi a única do time paraibano no torneio. Em seis partidas, a equipe venceu somente duas e ainda teve um empate e três derrotas.

O mercado de apostas esportivas online foi liberado em dezembro do ano passado e aguarda a regulamentação no Congresso Nacional. Apesar de ser proibido no país, cerca de 500 sites baseados no exterior recebem apostas de brasileiros. Estima-se que as apostas feitas no Brasil movimentaram cerca de R$ 4 bilhões neste ano.

Equipe @VozdaTorcida com UOL Esporte

 

 

Polícia Federal prende quatro pessoas suspeitas de fraudes no concurso da UFPB

A Operação Ponto Final, da Polícia Federal, prendeu quatro pessoas suspeitas de fraudes em concursos públicos, neste domingo (7), enquanto realizavam as provas para os cargos de administrador e assistente em administração do concurso da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa e Rio Tinto.

A operação contou com a participação de 10 policiais federais. De acordo com PF, os candidatos presos utilizam instrumentos eletrônicos de recepção de dados, com objetivo de receberem, de terceiros, o gabarito de suas provas. A Polícia Federal não detalhou em qual local de prova as prisões teriam acontecido.

Os investigados devem responder pelos crimes de fraude em certames de interesse público e organização criminosa, cujas penas, somadas, poderão chegar à 14 anos de reclusão.

As provas do concurso da UFPB aconteceram neste domingo (7), com a participação de mais de 70 mil candidatos inscritos, nas cidades de João Pessoa, Mamanguape, Rio Tinto, Bananeiras e Areia. São 131 vagas disponíveis nos quatro campi da instituição.

G1

 

Mãe e filha são presas suspeitas de matar vizinha

A Polícia localizou, nesta quarta-feira (31), mãe e filha acusadas na morte de Andreia Keila Nascimento. O crime aconteceu no dia 25 de janeiro na Comunidade Santa Clara, no bairro Castelo Branco, em João Pessoa.

As acusadas foram detidas na cidade de Cuité de Mamanguape, após informações levantadas pelo Núcleo de Inteligência do Batalhão Ambiental e da 2ª Companhia Integrada de Polícia Militar. Segundo as investigações, a autora do crime teria sido a adolescente de 16 anos, que teve auxilio da mãe e de um rapaz identificado como “Igor Neguinho”.

Após o crime, elas foram para a casa de parentes na comunidade do Arroz, em Cuité de Mamanguape. Igor Neguinho já havia sido preso.

WSCOM com Aguinaldo Mota

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Estudantes são detidas na PB suspeitas de ameaçar colegas torcedoras de clube rival

(Foto: Leonardo SIlva / Jornal da Paraíba/Arquivo)

Duas adolescentes que seriam integrantes de uma torcida organizada do Campinense Clube foram apreendidas pela Polícia Civil, na segunda-feira (24). De acordo com a polícia, elas estavam dentro do Colégio Estadual da Prata, ameaçando outras estudantes que usavam camisas do Treze Futebol Clube. No domingo (23), o Treze eliminou o Campinense na semifinal do Campeonato Paraibano 2017.

As jovens foram detidas por ameaça e constrangimento ilegal. Segundo a Delegacia da Infância e Juventude, as suspeitas iriam “tomar a beca” das adolescentes torcedoras do time rival. “Tomar a beca consiste em uma prática de forçar o torcedor do time adversário a entregar a camisa e, em caso de negativa, retira-se a camisa a força com agressões físicas”, diz nota da Polícia Civil.

A polícia apreendeu e autuou em flagrante as duas adolescentes por ato infracional, em seguida elas foram entregues aos responsáveis legais.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Alunas são apreendidas suspeitas de agredir funcionária de escola na PB

escolaDuas estudantes adolescentes foram apreendidas suspeitas de agredirem uma funcionária da escola onde estudam, no Monte Castelo, em Campina Grande. De acordo com a Polícia Civil, elas foram apreendidas após uma ação contra crimes em instituições de ensino.

Ainda conforme a Polícia Civil, as adolescentes agrediram a funcionária com chutes, tapas e puxões de cabelo. A funcionária não precisou ser atendida no hospital porque teve ferimentos leves. As adolescentes foram autuadas em flagrante e, em seguida, liberadas.

Após o caso, as aulas foram suspensas. “Os alunos foram todos liberados. Essa foi a primeira vez [que aconteceu algo assim]. Desde que trabalhei aqui, nunca tinha acontecido nada desse tipo, não”, declarou o vigilante da escola, Joaquim Pereira. Ainda segundo ele, não havia rixa entre as alunas e a funcionária, foi apenas um desentendimento.

Os policiais fizeram a apreensão após receberem denúncias sobre o caso. A ação foi realizada pela Delegacia de Infância e Juventude. A polícia informou aos pais das meninas para que apresentem as adolescentes ao Ministério Público e à Vara de Infância e Juventude.

G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br