Arquivo da tag: Sport

Nelsinho Baptista surpreende, detona diretoria e entrega cargo no Sport

(Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

Nelsinho Baptista não é mais treinador do Sport. O comandante rubro-negro convocou uma entrevista coletiva para antes do treinamento desta terça-feira, no CT do clube, e comunicou que não permanece para o restante da Série A. O que causou certa surpresa, afinal, a torcida chegou a aplaudir a equipe depois do empate de 1 a 1 contra o Botafogo, na última segunda-feira, na Ilha do Retiro.

Depois da partida, Nelsinho Baptista deu uma entrevista coletiva como de praxe. Nela, falou que gostou da atuação da equipe e que até queria manter o esquema tático para o restante da Série A. Nos bastidores do clube, o ambiente não estava bom e, caso Nelsinho tropeçasse diante do Botafogo, a demissão era dada como certa. Uma entrevista dada por Leonardo Lopes, diretor de futebol do Sport antes da partida contra o Botafogo foi o estopim para o treinador perder a paciência.

Com Nelsinho Baptista, o Sport acumulou fracassos ao longo da temporada. Foi eliminado na segunda fase da Copa do Brasil, diante do Ferroviário-CE em plena Ilha do Retiro. No Campeonato Pernambucano, saiu na semifinal para o Central. Restou a Série A. O time não conseguiu vencer nas duas primeiras rodadas e é o 17º colocado, com apenas um ponto.

– Estou fora do Sport. Não consigo trabalhar com pessoas que enganam todo mundo – disse ele, em tom duro.

Por outro lado, Nelsinho também sofreu com a crise financeira e remontagem de elenco. Em entrevista exclusiva à TV Globo e ao GloboEsporte.com, o treinador confessou a surpresa que teve ao se deparar com um clube que passa por apertos financeiros. Segundo o treinador, no início das negociações, lhe foi passado que o Leão estava com os cofres em dia.

Além disso, Nelsinho Baptista teve de liderar uma remontagem de elenco. Perdeu nomes importantes como os volantes Patrick e Rithely (que foram para o Internacional), o meia Diego Souza (São Paulo) e o atacante André (que foi para o Grêmio). Este último, Nelsinho confirmou que não esperava perder. Precisando obedecer um teto salarial e controlar os gastos, a diretoria apostou em outro perfil de contratações e trouxe nomes sem tanto peso no mercado brasileiro. Ao todo, foram oito: o lateral-direito Cláudio Winck, os zagueiros Max e Ernando, os volantes Ferreira e Nonoca, o meia Andrigo e os atacantes Carlos Henrique e Hygor.

Após nove anos no futebol japonês, esta foi a segunda passagem do técnico Nelsinho Baptista pelo Sport. Na primeira, conquistou os Campeonatos Pernambucanos de 2008 e 2009 além da Copa do Brasil de 2008, uma das maiores conquistas da história do clube. Nesta temporada, ele comandou o Leão em 17 partidas, acumulando três derrotas, sete empates e sete vitórias.

Confira abaixo os principais tópicos da entrevista de Nelsinho Baptista

Nelsinho Baptista não mediu palavras contra a diretoria rubro-negra (Foto: Daniel Gomes)

Nelsinho Baptista não mediu palavras contra a diretoria rubro-negra (Foto: Daniel Gomes)

Entrevista do diretor Leonardo Lopes

“Eu gostaria primeiro de fazer uma colocação. Talvez até eu responda sua pergunta. Estou fazendo essa coletiva e estou usando da mesma forma que os diretores usaram um áudio que vazou ontem. Eu fiquei sabendo desse áudio, ouvi esse áudio e, para consumar minha demissão, para consumar, nessa declaração, a minha demissão, só faltou a derrota do Sport (no jogo da última segunda-feira, contra o Botafogo, empatado em 1 a 1). Então, eu, vendo isso, convoquei vocês e agradeço o comparecimento. Trato as pessoas do jeito que elas me tratam. Estou aqui para dizer que é uma covardia o que foi feito. Eles (diretoria) estão nos acompanhando, eles sabem o trabalho do dia a dia e foi uma declaração que eu acho que até, em parte, eu tenho que aceitar. Porque, como treinador, tenho que viver com cobrança, pressão, porque o futebol brasileiro é assim. Agora existe uma grande mentira no final. Quando ele diz que, nesta semana, ele deu totais condições de trabalho para a gente ir para o jogo de ontem. Mentira. Nem no CT, ele apareceu”.

Carlos Henrique

“Eles não me deram Carlos Henrique porque não tinha dinheiro para pagar o empréstimo para o Londrina. Não foi falta de condições (físicas), nem nada. Foi por falta de pagamento para o Londrina que Carlos Henrique não teve condições. Fui para o jogo ontem sem um atacante na frente, precisando improvisar.

Crise financeira

“Isso me deixou muito magoado. De eles estarem com problemas. Me criticaram porque eu falei para o GloboEsporte.com da crise financeira do Sport. Mas é uma verdade. Todo mundo sabe. Só eles que não sabem. A realidade é essa hoje. Eles têm que ter o pé no chão para fazer com que o Sport saia dessa situação. É uma grande instituição, o torcedor do Sport merece essa consideração. Vim aqui para dizer isso e para dizer mais algumas coisas que vêm acontecendo. Um filme que eu vi há nove anos (quando ele saiu do Sport, e o vice-presidente Guilherme Beltrão era diretor do Sport) e estou vendo hoje.”

Terrorismo no Centro de Treinamento

“O torcedor do Sport merece essa consideração. E eu vim dizendo isso. É um filme que vi há nove anos e estou vendo hoje. O terrorismo dentro do CT. Um dia querem tirar o fisioterapeuta, outro querem tirar o analista, o auxiliar… Eles só trazem problemas para a gente dentro do CT. Nós que temos de buscar soluções. Tiraram Aritana, a psicóloga. E a culpa foi minha. Eu não tenho culpa de nada. Foi feito terrorismo em cima de Tacão, de fisioterapeuta, do DM, para tirarem daqui”

Desabafo e perda de peças

“Eu estou desabafando algo que vem comigo há dez anos. Não consigo ficar calado. A debandada de atletas que saiu daqui, que quiseram sair, foi muito grande. Além de perder atletas, tinha uma crise para trazer jogadores. O trabalho foi bom, o resultado que não. Eu me sinto frustrado. A debandada de atletas que saiu daqui, que quiseram sair, foi muito grande. Além de perder atletas, tinha uma crise para trazer jogadores”

Futuro

“Eu não tenho nada. Preciso resolver minha situação no Sport. Quero descansar um pouco. Só Deus sabe o que vai acontecer. Meu ciclo no Sport acabou. Essa é minha última passagem. Talvez o torcedor fique magoado comigo, mas lá na frente eles vão entender.”

Sport

“Estou fazendo isso pela instituição. Se eu quiser parar hoje, eu paro. Eu vou curtir minha família e meus netos. Mas se uma declaração dessa acabar com a minha imagem, não pode. Em 2009 aconteceu isso e o Sport caiu. Eu não vou sair calado, estou denunciando isso em respeito ao torcedor. É fácil criticar treinador e jogador. Mas e a diretoria?”

Atrasos salariais

Convivi com muitos desses problemas. Mas os jogadores confiam na gente. E com esses problemas, eu conversei. Os jogadores foram para o campo, foram para o jogo. Eu não recebo. Não recebi uma imagem ainda. Só duas CLT’s (salários relativos a carteira de trabalho).

GE

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Sport se salva do rebaixamento na última rodada; veja resultados da Série A

Créditos: Aldo Carneiro / Futura Press

O Campeonato Brasileiro 2017 foi encerrado neste domingo (3). Com todos os jogos iniciados às 17h, os 20 participantes entraram em campo para a definição dos últimos classificados para a Libertadores do próximo ano, assim como dos times que irão disputar a Série B em 2018. O campeão foi o Corinthians, que confirmou o título na 35ª rodada.

Classificados para a Libertadores

Com os resultados deste domingo, estão garantidos na fase de grupos da Libertadores os seis primeiros colocados da Série A: Corinthians, Palmeiras, Grêmio (campeão da Libertadores desse ano), Santos, Cruzeiro (campeão da Copa do Brasil) e Flamengo. Para a fase prévia da competição, se classificaram Vasco e Chapecoense.

Na Ilha do Retiro, o campeão Corinthians visitou o Sport, que venceu por 1 a 0 e se livrou do rebaixamento. O único gol do jogo foi marcado por André, aos dez minutos do segundo tempo. Mena tocou para Diego Souza, que viu Cássio fora do gol, e devolveu para o lateral mandar na cabeça do centroavante: 1 a 0. Com 45 pontos, o Leão ficou no 15º lugar e se manteve na elite do futebol brasileiro no ano que vem. O Timão encerrou a campanha vitoriosa com 72 pontos.

No Barradão, o confronto entre Vitória e Flamengo também era decisivo para os dois times. O triunfo por 2 a 1, com gol de pênalti aos 50 minutos do segundo tempo, garantiu o time carioca na sexta posição, com 56 pontos. E, com os resultados dos outros jogos, o Leão escapou do rebaixamento e ficou em 16º lugar, com 43. O primeiro gol foi dos baianos, marcado por Carlos Eduardo. Depois, Rafael Vaz deixou tudo igual para os cariocas, e Diego, de pênalti, fechou o triunfo.

O Palmeiras ficou com a vice-liderança, com 63 pontos, mesmo perdendo por 3 a 0 para o Atlético-PR, 11º colocado, com 51. Os gols da partida foram de Ribamar, Ederson e Sidcley.

Quarto colocado, com 62 pontos, o Grêmio perdeu por 4 a 3 para o Atlético-MG, no Independência. Jean Pyerre, Pepê e Batista marcaram para o time gaúcho. Elias, Otero (duas vezes) e Fred fizeram os gols do Galo, que ainda pode ir para a fase prévia da Libertadores no caso de o Flamengo ser campeão da Sul-Americana.

Jogando em São Januário, o Vasco ganhou da Ponte Preta por 2 a 1 e se garantiu no G-8, ocupando o sétimo lugar, com 56 pontos. Os gols da vitória foram dos garotos da base Paulinho e Mateus Vital. Lucca descontou para a Macaca, que já estava rebaixada e terminou o campeonato na 19ª posição, com 39 pontos.

Também de olho em uma vaga na fase prévia da Libertadores, o Botafogo empatou em 2 a 2 com o Cruzeiro, no Nilton Santos, e acabou descendo para o décimo lugar, com 53 pontos. Os gols do Alvinegro foram de Brenner e Ezequiel. Thiago Neves e Arrascaeta marcaram para a Raposa, que ficou em quinto lugar, com 57.

O São Paulo, que podia ter chances caso houvesse um G-9, acabou ficando em 13º lugar, com 50 pontos, após o empate em 1 a 1 com o Bahia, no Morumbi. Brenner abriu o placar para os paulistas, e Éder empatou para os baianos, que ficaram na 12ª posição, com 50.

Definição dos times rebaixados

A rodada definiu os dois últimos rebaixados da Série A. Além de Atlético-GO e Ponte Preta, também disputarão a Série B no ano que vem Coritiba e Avaí.

O Coritiba visitou a Chapecoense, na Arena Condá, e perdeu por 2 a 1. O Coxa saiu na frente com gol de Kléber Gladiador e depois viu a Chape virar com gols de Elicarlos e Túlio de Melo, aos 49 minutos do segundo tempo. Com os resultados na rodada, a equipe alviverde terminou a competição na 17ª posição, com 43 pontos. A Chapecoense, com 54, ficou na oitava posição e também está na pré-Libertadores.

Na Vila Belmiro, Santos e Avaí empataram em 1 a 1. Copete abriu o placar para o Peixe, que ficou com a terceira posição, com 63 pontos. Pedro Castro deixou tudo igual para o Leão catarinense, que ficou em 18º lugar, com 43 pontos.

No Olímpico Pedro Ludovico, em Goiânia, Atlético-GO e Fluminense também ficaram no 1 a 1. Wendel marcou para o Flu, que encerrou sua campanha na 14ª posição, com 47 pontos. O Dragão, com 36, terminou na lanterna.

CBF

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Palmeiras bate Sport e encaminha vaga direta na Libertadores

A torcida do Palmeiras havia acabado de pedir a entrada de Willian quando Deyverson tirou o time do sufoco – acredite, houve momentos de sufoco – e abriu caminho para a goleada por 5 a 1 sobre o Sport, no Allianz Parque. Foram dois gols dele, um do zagueiro Luan, um de Dudu e outro de Keno no primeiro jogo oficial com menos de 20 mil pessoas na arena neste ano (18.744). Diego Souza diminuiu.

Com mais dois gols de Deyverson, Palmeiras bateu o Sport por 5 a 1, no Allianz (Foto: MARCELLO FIM / RAW IMAGE)
Com mais dois gols de Deyverson, Palmeiras bateu o Sport por 5 a 1, no Allianz (Foto: MARCELLO FIM / RAW IMAGE)

Foto: LANCE!

Terceiro colocado do Brasileirão com 60 pontos, o Verdão estará garantido na fase de grupos da Libertadores se o Flamengo perder para o Coritiba, em Curitiba, na partida que começou às 21h. O Sport, com 36 pontos, segue na zona da degola.

Deyverson, que no fim de semana já havia marcado os dois gols da vitória sobre o Flamengo, não deu sequer um sorriso para comemorar a primeira bola que colocou na rede nesta quinta-feira: primeiro fechou a cara, depois chorou. Um retrato da temporada do Palmeiras, que vai comemorar a vaga na Libertadores com um sorriso amarelo devido à grande expectativa que tinha.

Quem olhar só para o placar não vai imaginar que o time jogou mal até 11 minutos do segundo tempo, quando Dudu fez boa jogada pelo lado direito e cruzou para Deyverson vencer Magrão. O próprio Deyverson, instantes antes, havia despertado a fúria da torcida ao desperdiçar a primeira chance clara de gol criada pelo Verdão.

Até ali, só o Sport assustava. Fernando Prass fez pelo menos três grandes defesas no primeiro tempo, sem falar nas bolas em que os rubro-negros erraram o alvo. O que se via era um Palmeiras que criava pouco e errava muito, fornecendo um contra-ataque atrás do outro.

O cenário mudou (muito) assim que o placar se mexeu. Luan ampliou aos 18 minutos após cobrança de escanteio de Dudu. Deyverson, aos 33, marcou mais um após receber de Keno e deu fim a qualquer possibilidade de reação do Sport. Diego Souza até diminuiu, mas os visitantes se entregaram e levaram mais dois nos minutos finais, primeiro com Dudu e depois com Keno.

FICHA TÉCNICA 
PALMEIRAS 5 X 1 SPORT 
Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data-Hora: 16/11/2017 – 20h
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn (PR) e Luciano Roggenbaum (PR)
Público/renda: 18.744 pagantes/R$ 935.054,56
Cartões amarelos: Anselmo e Diego Souza (SPT)
Cartões vermelhos: 
Gols: Deyverson (11’/2ºT) (1-0), Luan (18’/2ºT) (2-0), Deyverson (33’/2ºT) (3-0), Diego Souza (37’/2ºT) (3-1), Dudu (44’/2ºT) (4-1), Keno (46’/2ºT) (5-1),

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena (Antonio Carlos, aos 20’/2ºT), Luan e Michel Bastos; Felipe Melo (Thiago Santos, aos 38’/2ºT), Tchê Tchê e Moisés (Willian, aos 31’/2ºT); Keno, Dudu e Deyverson. Técnico: Alberto Valentim.

SPORT: Magrão; Raul Prata, Henríquez, Durval e Sander; Patrick, Anselmo e Diego Souza; Marquinhos (Rogério, aos 20’/2ºT), Mena (Índio, aos 35’/2ºT) e André. Técnico: Daniel Paulista.

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Santos joga mal, empata com Sport e perde chance de disputa

Poucas vezes a Justiça é feita no futebol, mas nesta quinta-feira ela prevaleceu. Até os 38 minutos do segundo tempo o Santos conquistava uma vitória que o deixaria a sete pontos do líder do Brasileirão. Com gol no início, marcado por Ricardo Oliveira, o Peixe relaxou, recuou e nada mais acertou. O Sport pressionou e exigiu de Vanderlei de todas as maneiras possíveis, mas só no fim, com Rogério, de cabeça, o Leão da Ilha conseguiu empatar em 1 a 1.

Sport 1x1 Santos
Sport 1×1 Santos

Foto: pablokennedy / LANCE!

Os três minutos iniciais fizeram o santista acreditar que teria uma vitória fácil. Antes de balançar as redes, Ricardo Oliveira já havia chegado na cara do gol pelo lado esquerdo, mas chutou fora. Dois minutos depois, Jean Mota deixava o camisa 9 com vantagem sobre Durval. O chute nem tão forte de pé esquerdo passou do lado de Magrão e rente a trave, para o fundo do gol.

Logo depois, Vanderlei Luxemburgo desistiu de lançar André, Diego Souza, Patrick e Osvaldo à frente ao mesmo tempo e fez o quarteto rodar a bola e se aproximar do meio de campo. Por esse caminho, o Leão da Ilha voltava a ser o mandante.

Osvaldo, pelo lado direito do ataque, passou a ser a arma do Sport. Quando não, Raul Prata, pelo mesmo lado, alçava bola na área de Vanderlei, que viu o chuveirinho durante todo o primeiro tempo.

Acostumado a contra-atacar, o Santos não contou com a velocidade de Bruno Henrique e de Copete. O primeiro ainda está machucado, enquanto o segundo começou no banco de reservas, por opção. Mais uma vez a opção de Levir Culpi chamou a atenção. O meia Serginho, que tinha apenas cinco jogos na temporada, foi o escolhido para fechar a linha de três pela direita. Depois, mudou de lado para neutralizar as subidas de Raul Prata e Osvaldo.

Foram dez finalizações do Sport só no primeiro tempo. Nem mesmo Lucas Veríssimo e David Braz, zagueiros que estavam aguentando o tranco, passaram impunes. Vanderlei foi o responsável por três defesas difíceis, que fizeram o Sport perder a paciência.

O Alvinegro, apesar do alto número de cartões amarelos levados, parecia calmo e optava pelas faltas para retardar a partida. Inclusive, Yuri, amarelado, saiu pelo risco de expulsão. Vecchio, seu substituto, levou cartão com um minuto em campo. Quando tinha a bola no campo de ataque, o Peixe tinha pressa, mas para se livrar da bola. Matheus Jesus desperdiçou duas vezes. Em uma, a bola passou longe do gol.

De tanto insistir, o Sport enfim conseguiu passar por Vanderlei, com Rogério, de cabeça, sozinho na frente do goleiro após lançamento da esquerda.

O Santos ainda voltou a acertar um contra-ataque que deixou Kayke cara a cara com Magrão. O camisa 11 chutou por cima a bola e provavelmente a chance do Peixe brigar pelo título.

Agora, a diferença do Santos para o líder é de nove pontos. Na próxima rodada, o Peixe recebe o Atlético-GO, no domingo, na Vila Belmiro, O Sport, vai a 14º e fica a três pontos da zona de rebaixamento. No domingo, encara o Atlético-PR fora de casa. FICHA TÉCNICA
SPORT 1 X 1 SANTOS 

Local: Ilha do Retiro, Recife (PE)
Data-Hora: 19/10/2017 – 21h
Árbitro: Dewson Freitas da Silva (Fifa-PA)
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Jose Ricardo Guimaraes Coimbra (PA)
Público/renda: 16.377 pagantes/Não disponível
Cartões amarelos: Wesley (SPT), Matheus Jesus, Lucas Veríssimo, Yuri, Vacchio e Copete (SAN)
Cartões vermelhos: 
Gols: Ricardo Oliveira (3’/1ºT) (0-1), Rogério (38’/2ºT) (1-1)

SPORT: Magrão; Raul Prata (Samuel Xavier, no intervalo), Durval, Oswaldo Henríquez e Sander; Patrick, Wesley (Juninho, no intervalo) e Rithely, Diego Souza, Osvaldo (Rogério, aos 28’/2ºT) e André. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Yuri (Vecchio, aos 10’/2ºT), Matheus Jesus e Lucas Lima; Serginho (Copete, no intervalo), Jean Mota e Ricardo Oliveira (Kayke, aos 37’/2ºT). Técnico: Levir Culpi.

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Botafogo vence o Sport no Nilton Santos e volta ao G6 do Brasileirão

O Botafogo fez valer o mando de campo e venceu por 2 a 1 o Sport, nesta segunda-feira, no Nilton Santos, pelo Campeonato Brasileiro. Com o resultado, os alvinegros chegaram a 22 pontos e vão dormir na zona de classificação para a Libertadores. Já os pernambucanos viram sua sequência positiva chegar ao fim, permanecem com 20 e fora do G-6.

O jogo começou em ritmo acelerado. O Botafogo abriu o placar com um minuto através de Rodrigo Lindoso. O Sport não se intimidou e empatou em seguida, com Rithely. Os donos da casa só conseguiram chegar ao gol da vitória na etapa final, com Guilherme, para garantir mais três pontos na classificação da Série A.

Na próxima rodada, o Botafogo terá pela frente o Atlético-PR, em Curitiba, nesta quinta-feira. No mesmo dia, o Sport vai receber o lanterna Atlético-GO, na Ilha do Retiro.

O jogo – O Botafogo começou com tudo a partida e abriu o placar logo com um minuto. Após cobrança de falta na área, Joel Carli desviou e Rodrigo Lindoso só teve o trabalho de colocar para a rede. A bola ainda resvalou em Roger, que estava impedido, antes de entrar, mas a arbitragem nada marcou.

Mesmo depois do gol, os donos da casa seguiram com a vocação ofensiva. Tanto que aos seis minutos, Rodrigo Pimpão arriscou de fora da área e assustou o goleiro Agenor. Só que a resposta do Sport veio em grande estilo. Em outra cobrança de falta na área, a bola chegou em Durval. O zagueiro chutou, Jefferson fez a defesa, mas Rithely pegou o rebote para finalizar para a rede e igualar o placar no Nilton Santos.

Após o início movimentado, as duas equipes melhoraram a marcação e passaram a impedir a criação de boas jogadas do adversário. Mesmo assim, tanto Botafogo quanto Sport não abdicaram da busca pelo gol. Os pernambucanos tinham mais posse de bola e quase viraram o jogo aos 19 minutos. Everton Felipe cruzou rasteiro pela direita, Diego Souza fez o corta-luz para André finalizar com perigo.

O Botafogo não se intimidou com o lance e respondeu aos 32 minutos. Rodrigo Pimpão recebeu lançamento pela esquerda, chutou cruzado, mas viu Agenor se esticar para fazer a defesa. Os alvinegros voltaram a criar boa chance sete minutos depois. João Paulo cruzou para a área, Rodrigo Pimpão dominou e chutou para grande defesa do goleiro pernambucano.

Nos minutos finais, o jogo ficou aberto. Enquanto o Sport tinha mais posse de bola, o Botafogo era mais perigoso nos contra-ataques. Os alvinegros desperdiçaram a chance de ir para o intervalo quando Marcos Vinícius recebeu passe de Roger, mas chutou sobre o travessão, na última oportunidade da etapa inicial.

No segundo tempo, o Sport voltou melhor e permaneceu tendo o domínio da partida, principalmente pela boa marcação na saída de bola carioca. Só que foi o Botafogo que criou a primeira boa chance, aos nove minutos. João Paulo cobrou falta, a bola desviou na barreira e obrigou Agenor a fazer grande defesa.

Com o passar do tempo, os donos da casa melhoraram e passaram a ter o controle da bola. O Botafogo quase chegou ao segundo aos 22 minutos, em bola cabeceada por Rodrigo Pimpão que parou novamente em Agenor. Só que aos 24 não teve jeito. Guilherme foi lançado na área e chutou cruzado para a rede.

O revés obrigou o Sport a buscar o ataque com mais intensidade, mas viu o Botafogo aproveitar os espaços para contra-atacar. Os cariocas tiveram a chance de marcar o terceiro aos 29 minutos. João Paulo recebeu passe de Roger, dominou no peito e, sem deixar a bola cair, finalizou no travessão.

Somente nos minutos finais, os visitantes esboçaram uma pressão em busca do empate, mas permaneceram tendo problemas no setor ofensivo. O Botafogo preferiu recuar e administrou o resultado até o apito final.

FICHA TÉCNICA 

BOTAFOGO 2 X 1 SPORT

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 17 de julho de 2017, segunda-feira

Horário: 20h (de Brasílai)

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro – MG (FIFA)

Assistente: Guilherme Dias Camilo – MG (FIFA) e Pablo Almeida da Costa – MG (CBF)

Renda: R$ 381.865,00

Público: 15.309 pagantes

Cartões amarelos: Roger, Gilson e Leandrinho (Botafogo); Mena, Sander e Samuel Xavier (Sport)

GOLS: 

BOTAFOGO: Rodrigo Lindoso, a 1min do primeiro tempo; Guilherme, aos 24min do segundo tempo

SPORT: Rithley, aos 7min do primeiro tempo

BOTAFOGO: Jefferson, Arnaldo (Luís Ricardo), Joel Carli, Igor Rabello e Gilson; Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes e João Paulo; Marcos Vinícius (Guilherme), Rodrigo Pimpão e Roger (Leandrinho)

Técnico: Jair Ventura

SPORT: Agenor, Samuel Xavier, Henriquez, Durval e Sander; Patrick (Thalysson), Rithely, Everton Felipe (Juninho), Mena (Lenis) e Diego Souza; André

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Presidente admite ir à Justiça caso Diego Souza não retorne ao Sport

O Sport está confiante de que o pedido de Diego Souza para não atuar contra o Coritiba, nesta segunda-feira, não tem ligação com a negociação do atleta com o Palmeiras. O presidente do Leão, Arnaldo Barros, acredita que o meio-campista teve mesmo problemas pessoais, mas admitiu que, se o atleta não retornar ao clube, irá buscar uma resolução na justiça.

“Diego Souza sempre se portou de maneira correta. Ele não treinar nos deixou preocupados, apreensivos, mas logo em seguida o empresário dele (Eduardo Uram), a pedido de Diego Souza, disse que ele teve um problema sério, e precisou viajar na madrugada ao Rio de Janeiro. Nós não vemos até agora nenhum motivo para não acreditar nas palavras do nosso atleta, que tem abertura e canal com todos os dirigentes, com a presidência”, afirmou Arnaldo Barros, em entrevista à rádio Jornal .

“Temos esperança que ele retorne logo. Se por acaso não retornar, vamos procurar os meios juridicamente e administrativamente existentes para que se manifeste. Sabemos como tratar as questões, os interesses do Sport sempre serão preservados”, acrescentou.

Diego Souza tem duas opções em vista no momento: ou acerta seu retorno ao Palmeiras, ou renova com o Sport. Antes irredutível, Arnaldo de Barros já admite a possibilidade de negociar o camisa 81, caso o jogador demonstre que não tem interesse em seguir no clube.

“Acreditamos no atleta, que tem contrato até dezembro de 2018, com possibilidade de estender até 2019. Estamos conversando sobre esta extensão, não fechamos ainda, estamos na fase de propostas, visando a extensão. Não tem negociação com o Palmeiras nem a nenhum outro clube. Quando dissemos que a multa é elevada, mas que se o jogador quiser sair ele não fica, que é a única possibilidade de ele sair, é porque não podemos ter um atleta com este nível de remuneração, com este nível de liderança, de representatividade no elenco, insatisfeito”, explicou.

“Se ele (Diego) não quisesse ficar e nos comunicasse, falaríamos para seu empresário encontrar um clube que pagasse o que o Sport ache justo para sua saída. Aí de fato teria que começar a negociar, mas em cima do valor que o Sport entenda como justo, tendo como parâmetro a multa estabelecida”, reforçou Arnaldo Barros.

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

São Paulo empata com Sport e segue sem vencer fora de casa

O São Paulo segue sem vencer fora de casa no Campeonato Brasileiro, embora tenha somado seu primeiro ponto na condição de visitante. Nesta quarta-feira, o Tricolor empatou por 0 a 0 com o Sport, na Ilha do Retiro, em jogo fraco, com poucas chances de gol. A partida marcou o primeiro duelo entre Rogério Ceni e Vanderlei Luxemburgo como técnicos. Amantes do futebol ofensivo, eles não foram felizes nesta noite.

André (e), jogador do Sport, e o argentino Lucas Pratto
André (e), jogador do Sport, e o argentino Lucas Pratto

Foto: Gazeta Press

Com sete desfalques, Ceni armou um time no 3-5-2, repetindo o esquema da derrota para o Corinthians, no domingo. Apesar de seguro, o time foi pouco efetivo no ataque, que teve muitas vezes Wellington Nem e Lucas Pratto isolados, com pouco apoio. No fim, o São Paulo finalizou sete vezes, sendo apenas uma em direção ao gol.

Com 10 pontos ganhos, o Tricolor pode terminar a rodada, que se encerra nesta quinta-feira, na metade de baixo da tabela de classificação. A equipe volta a campo neste domingo, às 16 horas (de Brasília), diante do Atlético-MG, no Morumbi. Já o Sport, com oito pontos, recebe o Vitória, na Ilha, às 19 horas do mesmo dia.

O jogo – O São Paulo começou mais aceso, pressionando a saída de bola do Sport. Logo aos cinco minutos, Wellington Nem enfiou para Thomaz no lado esquerdo, o meia invadiu a área, limpou a marcação e finalizou com perigo ao gol de Magrão.

Aos poucos, porém, os donos da casa começaram a sair mais para o ataque. O Tricolor recuou, passou a ter sua área sendo rondada perigosamente, apostando nos contra-ataques, que se mostraram ineficientes em função dos passes errados e da grande distância entre os jogadores no campo da Ilha.

Acuado, o time de Rogério Ceni se safou de levar o primeiro gol aos 36 minutos, quando Thomás achou André em boas condições no lado direito da área. O atacante, meio sem ângulo, bateu forte para boa defesa de Renan Ribeiro. Aos 44, o São Paulo quase abriu vantagem antes do intervalo, após boa jogada de Marcinho na lateral direita e arremate de Lucas Pratto, que raspou na trave esquerda de Magrão.

O Sport voltou mais elétrico para a etapa final e por pouco não balançou a rede adversária logo no primeiro lance, em cabeçada de André, após bobeada da zaga tricolor. Pouco depois, aos oito minutos, o centroavante desperdiçou outra grande chance ao sair na cara do gol e mandar em cima de Renan Ribeiro.

Buscando dar mais mobilidade ao meio-campo do São Paulo, Rogério Ceni colocou Wesley e Lucas Fernandes nos lugares de Thomaz e Cícero, que pouco criaram, e passou Éder Militão para a posição de volante, deixando o time com dois zagueiros. Depois, colocou Gilberto e tirou o cansado Wellington Nem.

A despeito das alterações, o São Paulo só foi criar sua melhor oportunidade de marcar ameaçar aos 47 minutos, quando Pratto subiu sozinho na área e testou firme para ótima defesa de Magrão, que garantiu o empate sem gols na Ilha do Retiro.

FICHA TÉCNICA

SPORT 0 X 0 SÃO PAULO

Local: Ilha do Retiro, no Recife (PE)

Data: 14 de junho de 2017, quarta-feira

Horário: 19h30 (de Brasília)

Árbitro: Héber Roberto Lopes (SC)

Assistentes: Carlos Berkenbrock e Helton Nunes (ambos de SC)

Público: 11.904 pagantes

Renda: R$ 278.755,00

Cartão Amarelo: André (Sport);Cícero (São Paulo)

Cartão Vermelho:-

Gols:-

SPORT: Magrão; Samuel Xavier, Durval, Ronaldo Alves e Sander; Rithely, Patrick e Thallyson (Everton Felipe); Thomás (Rogério), André e Osvaldo (Juninho)

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Éder Militão, Maicon e Lucão; Marcinho, Jucilei, Cícero (Lucas Fernandes), Thomaz (Wesley) e Júnior Tavares; Wellington Nem (Gilberto) e Lucas Pratto

Técnico: Rogério Ceni

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Avaí bate Sport na Ressacada e vence a 1ª no Brasileiro

O Avaí recebeu o Sport na manhã deste domingo em sua casa, no estádio da Ressacada, pela 4ª rodada do Campeonato Brasileiro, e conseguiu vitória simples em jogo de poucas emoções ofensivas. Rômulo foi o autor do único tento do duelo.

Avaí recebeu o Sport na manhã deste domingo
Avaí recebeu o Sport na manhã deste domingo

Foto: Eduardo Valente/FramePhoto/Gazeta Press

Após um início ruim, a equipe de Santa Catarina respira ao conseguir sua primeira vitória no torneio, chegando a quatro pontos e subindo para a 12ª posição. O time de Recife, perdendo pela segunda vez, permanece com seus quatro pontos e é o 13º.

O jogo

Foram os catarinenses que iniciaram movimentando a partida com lances de perigo, e chegaram perto de abrir o placar logo aos 2 minutos. Rômulo aproveitou bom lançamento de Capa em rápido contra-ataque e ficou em boa condição frente a Magrão, mas acabou finalizando para fora.

O Sport não conseguiu de encontrar para dar uma resposta nos minutos iniciais, mas aos 22 minutos conseguiu bom lance em escanteio bem cobrado por Fabrício, que passou pelos jogadores e quase entrou direto no gol, com Betão salvando no momento derradeiro.

A resposta do Avaí veio com o tento que inaugurou o placar. Aos 32, Capa faz ótima jogada pela esquerda e cruza, a zaga do Sport se atrapalha na hora de cortar e Rômulo chega com espaço na segunda trave para bater de primeira e estufar a rede.

Na volta para a etapa final, os pernambucanos aumentaram sua agressividade na intenção de buscar o empate. Aos 19, Evandro tabelou com Diego Souza e entrou bem na área, finalizando rasteiro. Maurício Kozlinski, seguro encaixou e impediu a igualdade.

Sem acertar a definição de suas jogadas, o Sport até tentou buscar o ataque na sequência do segundo tempo, mas passou longe de criar reais ameaçar devido a falta de precisão ao finalizar.

FICHA TÉCNICA

AVAÍ X SPORT

Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC)

Data: 04 de junho de 2017, domingo

Horário: 11h (de Brasília)

Árbitro: Wagner Reway (MT)

Assistentes: Fabio Rodrigo Rubinho e Marcelo Grando (ambos do MT)

Cartões amarelos: Alemão, Betão, Lourenço e Luan (Avaí); Anselmo, Rithely e Osvaldo (Sport)

Gols: AVAÍ: Rômulo, aos 32 minutos do primeiro tempo

AVAÍ – Maurício Kozlinski; Diego Tavares, Betão, Alemão e Capa; Luan, Judson (Wellington Simião) e Marquinhos (Lourenço) e Juan; Júnior Dutra (Willians) e Romulo

Técnico: Claudinei Oliveira

SPORT – Magrão; Fabrício (Marquinhos), Ronaldo Alves, Durval e Evandro; Anselmo, Rithely e Diego Souza; Osvaldo (Thomás), Rogério (Thallyson) e André

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Sport anuncia Vanderlei Luxemburgo como novo treinador

Sem clube desde o ano passado, quando deixou o Tianjin Quanjian, da China, Vanderlei Luxemburo é o novo técnico do Sport . A informação foi confirmada através do site oficial do clube nesta segunda-feira. O pentacampeão brasileiro chegará em Recife nesta terça-feira e irá acompanhar o treino da equipe no CT.

Com passagens e conquistas por equipes do Sul e do Sudeste do Brasil, Luxemburgo comemorou a oportunidade de trabalhar pela primeira vez no futebol nordestimo e demonstrou entusiasmo em acertar com o Sport.

“É uma grande oportunidade. Minha primeira vez no Nordeste, um grande momento profissional. Vou levar o meu conhecimento a um grande clube”, disse Vanderlei ao site oficial do clube. “Vou trabalhar visando uma conquista de um Brasileiro. Assisti a alguns jogos do Sport, que tem jogadores experientes e que mescla com jovens”, acrescentou.

O treinador de 65 já havia sido descartado pelo clube e ele próprio desistido da negociação, mas ele voltou atrás e procurou a diretoria pernambucana para conversar e o acerto se concretizou. Ele elogiou a força da Ilha do Retiro para alcançar bons resultados no Campeonato Brasileiro.

“Sempre foi muito difícil jogar contra o Sport na Ilha. Tem uma magia especial aí. Essa magia tem que existir sempre a nosso favor. Se das 38 rodadas do Brasileirão , em 19 vamos atuar na Ilha, é uma vantagem a nosso favor”, continuou.

Carreira

Carioca de Nova Iguaçu, o treinador de 65 anos passou por diversas equipes do futebol brasileiro e também algumas do exterior, além de comandar a seleção brasileira. Seu primeiro trabalho de destaque foi no Bragantino, quando conquistou o Campeonato Paulista de 1990. Ganhou por quatro vezes o Paulistão também pelo Palmeiras, em 1993, 1994, 1996 e 2008.

Além disso, foi bicampeão Brasileiro com o time alviverde em 1993 e 1994. Conquistou o nacional também com o Corinthians, em 1998, com o Cruzeiro, em 2003, e com o Santos, em 2004. Conquistou ainda o Campeonato Carioca e também o Mineiro. Com a seleção, Luxemburgo levou a Copa América de 1999. Seu trabalho de maior expressão no exterior foi no Real Madrid, em 2005.

iG

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Bahia bate o Sport e é campeão da Copa do Nordeste após 15 anos

Nos últimos 15 anos, o torcedor do Bahia só viu sua equipe conquistar títulos Estaduais. Nessa quarta, esse tabu foi quebrado em grande estilo. Com uma vitória por 1 a 0, graças a gol de Edigar Junio, o Tricolor repetiu os feitos de 2001 e 2002 e se sagrou campeão da Copa do Nordeste na Arena Fonte Nova, em Salvador. A taça coroa uma campanha que tem como destaque o fato do Esquadrão não ter levado nenhum gol diante de seu torcedor durante toda a competição. Ao Leão, que buscava o Tetra, fica a lamentação por ter feito um jogo muito abaixo do que se esperava. A expulsão infantil de Rogério ainda no primeiro tempo também dificultou a missão dos pernambucanos fora de casa.

E se a Copa do Nordeste é carinhosamente chamada de “Lampions League” pelos torcedores nordestinos em alusão ao principal torneio europeu, nessa quarta todo o cerimonial de abertura lembrou os protocolos das tradicionais competições do Velho Continente. Com direito e jogo de luzes, música, hino nacional e mosaico nas arquibancadas, Bahia e Sport entraram em campo cientes da responsabilidade que carregavam.

A pressão, no entanto, parece ter abatido o time do Sport. Ney Franco surpreendeu ao escalar seu time com três zagueiros e com Raul Prata no lugar de Everton. O problema é que parece não ter dado tempo de seus comandados assimilarem bem a nova postura. O Leão não se encontrou na primeira etapa.

Por outro lado, o Bahia sobrou. À vontade e com o apoio da massa, o Tricolor ignorou a vantagem de jogar pelo empate sem gols e partiu para cima. Aos 11 minutos, o estádio explodiu. Edigar Junio recebeu de Armero, girou em cima de Durval e cavou por cobertura de Magrão, a lá Romário. Um golaço.

Só dava Bahia. Régis estufou a rede pelo lado de fora e enganou metade do estádio. Edigar Junio, endiabrado nessa quarta, aproveitou bola alçada na área e cabeceou na trave.

E não bastasse o Sport mal chegar ao ataque, Rogério ainda piorou as coisas ao tentar enganar o árbitro e simular um pênalti aos 32 minutos. O atacante já tinha recebido um cartão amarelo pouco antes. Mesmo assim, o árbitro Francisco Carlos do Nascimento não perdoou, aplicou a segunda advertência e expulsou o jogador, que sequer ameaçou reclamar.

Apesar das substituições ofensivas, até desesperadas de Ney Franco, no segundo tempo, os últimos 45 minutos foram de ainda mais tensão para a equipe pernambucana. Com dez jogadores, o Leão não conseguiu segurar a veloz equipe de Guto Ferreira. Mas o clima de tensão predominou por causa da ineficiência do Esquadrão.

Foram chances atrás de chances e nada de gol. O Bahia desperdiçou pelo menos seis oportunidades claríssimas de gol. Nenhuma delas, porém, balançou as redes. O Sport manteve a esperança viva até os últimos momentos do jogo, mas também não apresentou força suficiente para reagir na Fonte Nova.

Dessa forma, foi só espera o apito final. Se de um lado a lamentação imperava, para os baianos aquele foi o estopim para a festa, que só terminou depois da volta olímpica. Já eram 15 anos sem um título que não fosse o Estadual.

FICHA TÉCNICA

BAHIA 1 X 0 SPORT

Local: Fonte Nova, em Salvador (BA)

Data: 24 de maio de 2017, quarta-feira

Horário: 21h45 (Brasília)

Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)

Assistentes: Esdras de Lima Albuquerque (AL) e Rondinelle dos Santos Tavares (AL)

Cartões amarelos: BAHIA: Régis, Edson e Renê Júnior. SPORT: Rogério (2), Ronaldo, Marquinhos

Cartão vermelho: SPORT: Rogério

Público: 41.175 torcedores

Renda: R$ 1.620.453,00

GOL:

BAHIA: Edigar Junio, aos 11 minutos do 1T.

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Armero; Edson, Renê Júnior (Juninho) e Régis (Matheus Sales); Zé Rafael (Gustavo), Allione e Edigar Junio.

Técnico: Guto Ferreira

SPORT: Magrão; Matheus Ferraz, Henriquez e Durval; Raul Prata (Marquinhos), Ronaldo (Leandro Pereira), Fabrício (Everton Felipe), Diego Souza e Mena; André e Rogério.

Técnico: Ney Franco

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br