Arquivo da tag: sofre

Preço do gás de cozinha sofre reajuste de 9,8% a partir desta terça-feira

botijaoA Petrobrás anunciou no fim da última semana que o preço do gás de cozinha sofrerá um reajuste de 9,8% a partir desta terça-feira (21). O reajuste passa a vigorar nas refinarias da Petrobrás em relação aos preços do gás liquefeito de petróleo para uso residencial vendido em botijões de até 13 kg (GLP P-13).

Como o botijão passa por revendedores e distribuidores antes de chegar ao consumidor, é possível que o reajuste seja maior no preço final do botijão.

Atualmente na Paraíba, o preço do botijão de gás de 13 quilos está em torno de R$ 60. De acordo com a Petrobrás, o último reajuste aconteceu em 1º de setembro de 2015.

A correção atual não será aplicada ao GLP destinado ao uso industrial.

A Petrobrás ainda informou que o reajuste anunciado será aplicado sobre os preços praticados sem incidência de tributo. A companhia ainda estima que, se o ajuste for repassado integralmente para o consumidor, o botijão de gás poderá subir 3,1% ou cerca de R$ 1,76.

 

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Idoso sofre tentativa de homicídio em Solânea

sireneO aposentado de 62 anos, Jacinto Moreira da Silva, foi vítima de uma tentativa de homicídio, na noite desse domingo (23), no Centro de Solânea.

A guarnição da polícia foi solicitada pelo COPOM da 7ª CIPM, e na ligação afirmaram que estava ocorrendo uma briga no local do fato. Aos policiais, a vítima informou que o acusado bateu na sua porta e ao abrir foi surpreendido com vários golpes de faca, que atingiram o peito esquerdo, o ombro, braços e dedos cortados superficial.

A vítima relatou, ainda, que na ocasião correu para cozinha de sua casa e se armou com um facão e veio a desferir golpes no acusado lesionando no braço e mãos.

As armas foram encontradas na casa da vítima, como também uma espingarda de calibre desconhecido. O aposentado  foi socorrido para o hospital local e em seguida para o hospital de Trauma de Campina Grande. Já o acusado foi atendido no hospital local.

Compareceu ao local a guarnição da viatura 6009, que depois do atendimento do acusado no hospital local o conduziu à delegacia local, deixando a disposição da autoridade competente para as providências necessárias.

Focando a Notícia

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Corinthians vence, mas sofre gol em casa e vê confronto com Cruzeiro aberto

Foi bom, mas poderia ter sido melhor. Foi esse o resumo da vitória do Corinthians por 2 a 1 em cima do Cruzeiro na partida que abriu a disputa por uma vaga na semifinal da Copa do Brasil na noite desta quarta-feira (28), em Itaquera.

Com gol contra de Léo e outro de Romero, os corintianos fizeram o baixo público da arena vibrar como há tempos não conseguia, mas parou de ameaçar o adversário e acabou punido com um gol de Robinho, que mantém a disputa completamente aberta.
Na volta, no dia 19 de outubro no Mineirão, o time de Belo Horizonte precisa de uma vitória simples por 1 a 0 para avançar e pegar o vencedor do confronto entre Palmeiras e Grêmio. Pelo Brasileirão, a equipe paulista vai até o Rio de Janeiro para desafiar o Botafogo, às 16h30 de sábado, enquanto que os cruzeirenses recebem o Grêmio no mesmo dia e horário.
Cruzeiro cria a melhor chance do primeiro tempo
Rubens Cavallari/Folhapress

O jogo mostrou as equipes se estudando bastante e tendo dificuldade de passar da intermediária. Não à toa, as melhores jogadas foram criadas com chutes de longe e levantamento na área de ambas equipes. A melhor chance do sonolento primeiro tempo veio dos pés de Willian. Conhecido como “Bigode”, o atacante disparou e acertou o travessão. A bola ainda bateu nos pés de Walter e foi para a linha de fundo, para o suspiro de alívio dos corintianos e de lamentação dos cruzeirenses.
Acorda aí, corintiano!
O torcedor que terminou reclamando da se uma primeira etapa sonolenta já “acordou” logo aos 2 minutos do primeiro tempo. Rodriguinho deu bom chute de longe e forçou a Rafael dar rebote para o meio da área. Romero e Léo se jogaram na bola, e o zagueiro cruzeirense acabou colocando contra a própria meta para abrir o placar para os donos da casa.
Romero é o artilheiro da Arena
Rubens Cavallari/Folhapress

O Corinthians não se satisfez com o primeiro gol e manteve a pressão em cima do Cruzeiro. Marlone veio da esquerda e chutou para o gol. Apesar de errar, o meio-campista foi salvo por Romero, que apareceu no meio do caminho e desviou para ampliar a vantagem, para o delírio da Fiel. O gol do paraguaio o coloca como o maior artilheiro do estádio, ao lado de Guerrero, com 15 gols.
Vitória tem novo recorde negativo de público
O Corinthians vinha de duas derrotas nas últimas três partidas em sua arena, para Fluminense e Palmeiras pelo Brasileirão, e o poder de Itaquera começava a ser contestado. O time voltou a vencer dentro de casa e alegrou os pouco menos de 19 mil corintianos no palco de jogo. O ponto negativo, no entanto, foi para o novo público baixo: 18.796 pagantes para o pior público da história da arena. O último recorde negativo neste sentido havia sido registrado no domingo, quando 18.838 assistiram ao jogo.
Cruzeiro vai para cima e diminui placar
Marcello Zambrana / Light Press / Cruzeiro

O Cruzeiro foi para cima do Corinthians e fez três substituições. A que mais fez a diferença foi a de Ábila no lugar de Rafael Sóbis. O jogador começou a segurar a bola na área adversária e incomodou a zaga corintiana. Em chutão do goleiro Rafael, Yago afastou mal e colocou a bola nos pés de Ábila. Ele viu muito bem a entrada de Robinho e rolou para o ex-palmeirense chutar e diminuir o placar.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 2 X 1 CRUZEIRO
Competição: Copa do Brasil (quartas de final)
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Público: 18.796
Renda: R$ 961.342,00
Data: 28 de setembro de 2016 (quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva e Bruno Raphael Pires (ambos de GO)
Gols: Léo (contra), aos dois, e Romero, aos oito, e Robinho, aos 32 minutos do segundo tempo.
CORINTHIANS: Walter; Fagner, Yago, Balbuena e Guilherme Arana; Camacho; Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto, Rodriguinho (Willians) e Marlone (Rildo); Romero (Lucca). Técnico: Fábio Carille
CRUZEIRO: Rafael; Lucas, Léo, Manoel e Edimar; Henrique, Ariel Cabral (Arrascaeta) e Robinho; Rafinha, Rafael Sóbis (Ábila) e Willian (Alisson). Técnico: Mano Menezes.
Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Santos sofre, mas bate Santa Cruz com golaço no fim em jogo de dois apagões no Pacaembu

© GazetaPress
© GazetaPress

A partida entre Santos e Santa Cruz não mostrou a facilidade imaginada se fosse levado em conta apenas a tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. Com muito sofrimento, o time paulista derrotou o pernambucano por 3 a 2, com gols marcados por Copete, Jean Mota e Vitor Bueno. Keno balançou as redes duas vezes pelos visitantes.

O duelo foi realizado no Pacaembu, estádio escolhido pelo alvinegro praiano e que já havia recebido Flamengo 2 x 0 Figueirense nesta rodada. A chuva que atingiu São Paulo no começo da noite, contudo, fez com que a iluminação sofresse dois problemas e atrasou o fim da partida em quase 30 minutos.

Com a vitória, o Santos segue próximo dos líderes do Brasileiro. O time de Dorival Júnior, quarto colocado, tem 45 pontos, estando a seis do líder Palmeiras. Já o Santa Cruz está no penúltimo lugar, com 23 pontos, a seis do primeiro time que está fora da zona de rebaixamento, que é o Vitória.

Domínio santista no 1 º tempo

Nem bem o jogo começou, o Santos já pulou na frente do placar. Vitor Bueno cruzou da direita, Ricardo Oliveira cabeceou, a bola bateu na zaga e sobrou para Copete, que, de voleio, mandou para o fundo do gol.

O time mandante manteve o domínio a partir daí, mas a próxima chance clara ocorreu somente aos 31 minutos. Lucas Lima acionou Zeca, que deixou Ricardo Oliveira na cara do gol. Tiago Cardoso saiu bem e conseguiu fazer a defesa.

Aos 40, o Santa Cruz assustou pela primeira vez. João Paulo cobrou falta e Danny Morais cabeceou por cima do gol.

Reviravoltas (nos refletores e no jogo)

A segunda etapa começou com atraso de alguns minutos, já que, quando o Santa Cruz retornou a campo, as luzes se apagaram. Na volta da iluminação, o time pernambucano mostrou que voltou de forma diferente para o confronto. Aos 10 minutos, Léo Moura cruzou da direita e Victor Ferraz rebateu no pé de Keno, que cortou e bateu de esquerda para empatar o duelo.

As luzes se apagaram novamente e o jogo ficou paralisado 15 minutos. Na volta, o Santos se mostrou mais ofensivo, com Jean Mota no lugar de Thiago Maia. A alteração mostrou resultado aos 26 minutos, quando Ricardo Oliveira ajeitou e Jean Mota bateu para o fundo do gol.

Grafite, jogador mais experiente do Santa Cruz, entrou em campo no lugar de Bruno Morares e quase deixou tudo igual aos 36 minutos, quando ganhou de cabeça de Gustavo Henrique e parou em Vanderlei. Aos 39, Tiago Cardoso fez linda defesa em cabeçada de Copete. No contra-ataque seguinte, Grafite tocou e Keno bateu na saída de Vanderlei, deixando tudo igual novamente.

Se enganou, porém, quem pensa que acabou por aí. O Santos deu a saída de bola, Vitor Bueno recebeu pela direita, cortou para a canhota e mandou uma bomba no ângulo. Golaço, que decretou a sofrida vitória do alvinegro.

Próxima rodada

O Santos volta a campo no próximo sábado, às 18h30, quando enfrenta o Sport fora de casa. Já o Santa Cruz enfrenta o Figueirense em Santa Catarina, no domingo, às 11h.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 3 X 2 SANTA CRUZ

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)

Data: 18 de setembro de 2016, domingo

Horário: 18h30 (de Brasília)

Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)

Assistentes: Pedro Jorge Santos de Araújo (AL) e Rondinelle dos Santos Tavares (AL)

Público: 24.586 pagantes

Renda: R$ 884.000,00

Cartões amarelos: Luiz Felipe (SAN); Wellington Cezar (STA)

Gols:

SANTOS: Copete, aos 4 minutos do 1º tempo, Jean Mota, aos 26 minutos do 2º tempo, e Vitor Bueno, aos 41 minutos do 2º tempo

SANTA CRUZ: Keno, aos 10 e aos 39 minutos minutos do 2º tempo

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Luiz Felipe e Zeca; Renato, Thiago Maia (Jean Mota), Lucas Lima (Yuri) e Vitor Bueno; Copete e Ricardo Oliveira (Rodrigão)

Técnico: Dorival Júnior

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Léo Moura, Néris, Danny Morais e Allan Vieira (Luan Peres); Derley, Jadson (Wellington Cezar) e João Paulo; Pisano, Keno e Grafite Bruno Moraes (Grafite)

Técnico: Doriva

ESPN

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Em Pilõezinhos: Homem sofre tentativa de homicídio na tarde desta sexta-feira

vitimaUm homem identificado por “Zezito Moura”, residente na cidade de Pilõezinhos, foi atingido um golpe de faca pexera no início da tarde desta sexta-feira (9).

As primeiras informações dão conta de que a vítima “Zezito Moura” havia se desentendido com sua ex-companheira e que, ao presenciar a cena, o filho da mulher, identificado por Dil, desferiu o golpe contra o Zezito, atingido-o na região das costelas.

A vítima foi socorrida para o Hospital Regional de Guarabira onde recebeu os primeiros atendimentos.

Até o fechamento desta matéria, Zezito estava respondendo bem aos procedimentos realizados e não apresentava risco de vida.

portalindependente

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Brasil sofre, mas bate Colômbia e sobe para 2º lugar com Tite

neymarO Brasil sofreu, chegou a ver a Colômbia ameaçar a virada, mas conseguiu vencer o jogo e manter o aproveitamento de 100% sob o comando de Tite. Com gols de Miranda e Neymar, os donos da casa fizeram a festa do público presente em Manaus, na noite desta terça-feira (6), na 8ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. Marquinhos fez gol contra no fim do 1º tempo.

A segunda vitória consecutiva já fez a arquibancada voltar a gritar que “o campeão voltou”, assim como aconteceu na final olímpica. A equipe de Tite mostrou um futebol ofensivo durante todo o primeiro tempo e sofreu um pouco mais no segundo tempo porque desperdiçou chances de matar a partida ainda no primeiro tempo. Vale destacar que a seleção pentacampeã ainda não havia vencido duas partidas seguidas na busca por uma vaga na Rússia.

Além de ter feito o gol no segundo tempo, Neymar apareceu bem e sofreu muito com a dura marcação colombiana. No intervalo, inclusive, se irritou com os adversários. Jesus, destaque do jogo contra o Equador, não foi tão acionado e acabou substituído por Taison. Essa foi a primeira vez que um técnico vence as duas primeiras partidas comandado a seleção desde 1981, quando Telê Santana conseguiu o feito.

O resultado faz o Brasil chegar aos 15 pontos e dividir a vice-liderança com a Argentina, que só empatou com a Venezuela. A Colômbia, por sua vez, cai para a 5ª colocação, com 13 pontos. O líder é o Uruguai, que tem 16 e atropelou o Paraguai.

O Brasil volta a se concentrar no início de outubro para enfrentar a Bolívia, em Natal, pela 9ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. Depois, vai para a Venezuela enfrentar os donos da casa no dia 11 de outubro.

Treino reflete no primeiro minuto

“Nem o mais otimista torcedor imaginava um começo de jogo assim”. A frase de Galvão Bueno reflete bem o que foi o início da seleção brasileira. Nos primeiros 15 minutos, a seleção sufocou a Colômbia. Não só com o gol de bola parada com a cabeçada de Miranda, insistentemente treinada por Tite, mas pelo domínio de bola. Os colombianos não conseguiram chegar perto de assustar o Brasil, que, por sua vez, exibiu um futebol leve, de toque de bola e de fácil chegada no ataque adversário.

Neymar volta a sofrer com a marcação colombiana

Após quatro faltas duras sofridas no primeiro tempo, tendo sido aplicada a lei da vantagem em uma delas, Neymar não demorou a se irritar com os já antigos rivais colombianos. No final do primeiro tempo, o atacante foi se proteger de uma entrada da defesa adversária com a perna mais alta e acabou agredindo o adversário. Ao sair do campo no intervalo, ainda de cabeça quente, bateu boca com o quarto árbitro na entrada do túnel que dá acesso aos vestiários.. Vale lembrar que na Copa do Mundo ele teve a lesão na vértebra contra o mesmo rival. Na Copa América, se envolveu em outra confusão que o suspendeu por quatro partidas.

Gol contra foi única tentativa da Colômbia

A Colômbia tentou o gol em uma ocasião. E conseguiu com um gol contra. Em cruzamento na área, Marquinhos desviou e colocou contra a própria meta, sem nenhuma chance para Alisson defender. Durante os 45 minutos, foi só assim que os adversários tiveram a chance. A resposta foi imediata. Gabriel Jesus fez pivô para Neymar, que deu belíssimo chute, mas viu Ospina fazer defesa melhor ainda.

Neymar: “Eu estou aqui!”

O Brasil sofreu no segundo tempo. Chegou a se ver envolvido por toque de bola do adversário, especialmente após a entrada de Cuadrado. Tite resolveu responder com a escalação de Giuliano no lugar de Paulinho. A solução foi prender a bola e trabalhar vbastante até a hora de finalizar. Foi assim que Neymar chutou cruzado do lado esquerdo para o direito e não dar chances para a defesa de Ospina. Foi o gol a da vitória e a comemoração copiada de Cristiano Ronaldo: “Eu estou aqui!”. A Colômbia pressionou nos momentos finais e assutou a torcida, mas não fez o suficiente para empatar.

Paulinho suspenso

Paulinho foi a surpresa da lista de Tite para as Eliminatórias da Copa do Mundo. E já não poderá estar na próxima rodada, contra a Bolívia. Ele tomou um cartão amarelo contra o Equador e outro nesta terça contra a Colômbia. Daniel Alves e Miranda, que também estavam pendurados, não sofreram cartão amarelo.

Cadeiras vazias

Apesar de todo o carinho da torcida durante os dias em Manaus, a seleção não teve estádio lotado nesta terça. Muitas cadeiras, especialmente no setor superior atrás dos gols estavam vaziais. Mais de cinco mil ingressos “encalharam” nas bilheterias. O fato é algo incomum nos jogos do Brasil em casa. Com ingressos mais baratos a R$ 200 (meia a R$ 100), a CBF foi alvo de críticas e chegou a correr o risco de levar o jogo para a Arena Amazônia por conta de uma ação judicial que determinava a redução dos preços – o que não ocorreu.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 2 x 1 COLÔMBIA

Data e hora: 06/09/2016 (terça-feira)
Local: Arena da Amazônia, em Manaus (AM)
Árbitro: Patricio Lostau (Argentina)
Auxiliares: Ivan Núñez e Gustavo Rossi (ambos da Argentina)
Cartões amarelos: Medina (COL); Paulinho, Neymar, Marcelo e Giuliano (BRA)
Gols: Miranda, no 1º min do 1º T; Marquinhos, contra, aos 36 min do 1º T; Neymar, aos 28 min do 1º T

BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Miranda, Marquinhos e Marcelo; Casemiro, Renato Augusto, Paulinho (Giuliano), Willian (Philippe Coutinho) e Neymar; Gabriel Jesus (Taison)
Técnico: Tite

COLÔMBIA: Ospina; Stefan Medina, Óscar Murillo, Jeison Murillo e Farid Díaz; Carlos Sánchez, Macnelly Torres (Cuadrado), Wilmar Barrios e James Rodríguez; Muriel e Bacca (Martínez)
Técnico: Jose Pékerman

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Atlético-MG sofre, mas se recupera em duelo direto com o Atlético-PR e pressiona líderes

© Vinnicius Silva/Raw Image/Gazeta Press
© Vinnicius Silva/Raw Image/Gazeta Press

Depois de perder por 3 a 0 para o Santos, o Atlético-MG se recuperou no Campeonato Brasileiro. Na manhã deste domingo, no Independência, a equipe mineira fez novo confronto direto, contra o xará paranaense, e levou a melhor com vitória por 1 a 0, com gol marcado por Robinho.

O resultado garante o Atlético-MG no G-4 e ainda pressiona os líderes da Série A, que ainda jogam nesta 21ª rodada. Os mineiros subiram para 38 pontos com a vitória, apenas um a menos que o Palmeiras, que encara a Ponte Preta às 16h, e dois acima do Santos, que enfrenta o Coritiba às 18h.

O primeiro e único gol do jogo foi marcado aos 39 minutos de partida. Carlos invadiu a área pela direita, colocou entre as pernas de Thiago Heleno, que o derrubou. O árbitro Braulio da Silva Machado marcou o pênalti, apesar da reclamação paranaense, e Robinho converteu, deslocando o goleiro Santos.

A arbitragem, por sinal, foi controversa. Antes do pênalti, o trio já havia errado ao anotar impedimento em lance que, com a jogada já parada, acabou em gol do Atlético-MG. Do outro lado, o Atlético-PR reclamou de duas supostas penalidades, em lances de bola na mão dentro da área mineira.

No intervalo, o técnico do Atlético-PR, Paulo Autuori, se mostrou bastante irritado com a atuação do trio de arbitragem e perdeu alguns minutos reclamando com Braulio no centro do gramado. Enquanto isso, era vaiado pela torcida alvinegra, que não tem boas recordações de sua passagem pela equipe.

Já na segunda etapa, se os visitantes tiveram alguma coisa para reclamar foram de sua ineficiência no ataque, com direito a boas chances perdidas logo nos dez minutos iniciais, com André Lima e Lucas Fernandes. Vale lembrar, que o Atlético-PR perdeu Walter, que retornou para o Goiás.

Na reta final do confronto, inclusive, os presente no Independência demonstraram certa insatisfação com o rendimento da equipe, pressionada pelos visitantes – Victor, por exemplo, precisou fazer ótima intervenção para evitar gol de cabeça de Thiago Heleno aos 37 minutos da segunda etapa.

Embora não tenha empolgado seu torcedor, o Atlético-MG comemora uma vitória importante mesmo desfalcado. Fred e Rafael Carioca estiveram suspensos, e Cazares, Marcos Rocha, Erazo, Luan e Júnior Urso estão no departamento médico – fora Douglas Santos e o reserva Uilson, na seleção olímpica.

Enquanto os mineiros sonham com a liderança, o Atlético-PR se distancia cada vez mais do G-4. Com três derrotas seguidas, após perder também para Flamengo e Palmeiras, o time estaciona nos 30 pontos e pode até perder o sétimo lugar, sendo ultrapassado por Ponte, Chapecoense ou Fluminense.

Pela 22ª rodada do Brasileiro, o Atlético-PR tenta se reabilitar na Arena da Baixada, contra o Botafogo, na próxima segunda-feira (29), enquanto o Atlético-MG enfrenta mais um concorrente direto pelas primeiras posições da tabela, contra o Grêmio, em Porto Alegre, domingo (28).

ESPN

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Brasil sofre virada para França em jogo decisivo e cai no basquete feminino

À espera de um milagre, o Brasil entrou em quadra em busca de uma luz no fim do túnel. Embora improvável, ainda havia uma esperança de classificação, no entanto, era preciso derrubar a França, atual vice-campeã olímpica, nesta quinta-feira, na Arena da Juventude, em Deodoro. Apesar do bom começo no jogo de vida ou morte, a seleção brasileira desperdiçou a vantagem de sete pontos no primeiro quarto e sofreu outra virada, desta vez, por 74 a 64, sendo eliminada da Olimpíada. O time comandado por Antonio Carlos Barbosa ainda faz a sua despedida contra a Turquia, neste sábado, as 15h30 (de Brasília), apenas para cumprir tabela pelo grupo A. Respirando por aparelhos na fase preliminar, o Brasil poderia se classificar dependendo de uma combinação de resultados, porém, tinha a obrigação de vencer as duas últimas partidas chave.

Brasil x França - Basquete feminino - Rio 2016 (Foto: Marko Djurica/Reuters)Brasil precisava vencer a França para sonhar com chances de classificação (Foto: Marko Djurica/Reuters)

Embora tenha amargado mais um revés na Rio 2016, Damiris foi a cestinha da partida, com 21 pontos. Jogando como ala, a paulista de Ferraz pegou quatro rebotes, teve quatro roubadas de bola e dois tocos, sendo um dos maiores destaques do Brasil, ao lado de Clarissa, com um duplo-duplo: 16 pontos e 10 rebotes. Iziane começou bem, mais caiu de rendimento no segundo tempo e anotou seis pontos. As cestas de três poderiam ter feito a diferença, contudo, a equipe acertou apenas três em 10 tentativas (30%) – e 18 entre 40 para as de dois (45%).

As francesas fizeram do jogo coletivo a sua grande arma. Lideradas pela craque Gruda, com um duplo-duplo (17 pontos e 10 rebotes), as vice-campeãs em Londres 2012 contaram com boas atuações de outras peças fundamentais no ataque, como Gaelle Skrela (17), Isabelle Yacoubou (10) e Endy Miyem (10), com 100% de aproveitamento nos chutes de longa distância.

O JOGO

A pressão pelas derrotas para Austrália, Japão e Belarus parecia não pesar para Iziane. Em um início promissor, a ala anotou os quatro primeiros pontos do Brasil. Damiris acertou da linha dos três, e a seleção surpreendeu a França com 7 a 0. O time comandado por Barbosa trabalhava bem a bola e fechava a defesa. As vice-campeãs olímpicas demoraram quase quatro minutos para marcar a primeira, com Endy Miyem, de três. Com a mão quente, Damiris ampliou para 9 a 3, porém, as francesas reagiram e encostaram: 12 a 10. As brasileiras voltaram a abrir sete pontos (17 a 10), e a técnica Valerie Garnier colocou a craque Sandrine Gruda, no banco desde o começo. A pivô chamou a responsabilidade, anotou quatro pontos, e contou com a ajuda de Miyem, que anotou outra cesta de três para colar nas adversárias: 20 a 17. No estouro do cronômetro, Bouderra acertou de longe e empatou por 20 a 20 no fim do primeiro quarto.

Brasil x França - Basquete feminino - Rio 2016 (Foto: Marko Djurica/Reuters)Jogadora brasileira cai em quadra em partida contra a França (Foto: Marko Djurica/Reuters)

A seleção brasileira voltou a abrir uma diferença graças aos arremessos certeiros de Clarissa, Érika e Damiris (29 a 24). A resposta não demorou. Skrela, de três, e Yacoubou, de dois, deixaram tudo igual e voltaram a complicar o Brasil: 29 a 29. Ganharam moral e, pela primeira vez, assumiram a frente do placar com Gruda, que virou por 31 a 29, levando Barbosa a pedir tempo. O jogo mudou, e as francesas assumiram o controle, com as brasileiras sem pontuar por 5m48s. No fim do segundo quarto, uma falha na defesa deixou Ayayi totalmente livre para marcar: 35 a 23. Damiris foi responsável por 14 pontos do Brasil no primeiro tempo e carregava o time nas costas. Uma das poucas que a ajudava era Iziane (5), mas, não o suficiente. Clarissa e Érika até iam bem nos rebotes, contudo, não traziam grande poder ofensivo. A França, por sua vez, era mais constante e mantinha o bom nível de jogo com as titulares e as reservas.

As francesas faziam do jogo coletivo o seu diferencial, ampliando aos poucos a vantagem, seja com Gruda, Epoupa ou Skrela. Inspirada, Damiris virava tudo e tentava reverter o prejuízo como podia, porém, as companheiras continuavam apáticas. Érika contribuiu um pouco, mas a diferença era cada vez maior. E foi para 14 pontos nos chutes de três de Kamba e Ayayi: 53 a 39. A torcida tentou levantar a moral do time da casa e puxou o coro de: “Eu acredito!”. As brasileiras ainda esboçaram uma reação, liderada por Clarissa, diminuindo para 57 a 48, após uma cesta de Kelly. Na sequência, Joice cresceu diante das rivais, infiltrou bem no garrafão e acertou um belo arremesso, mas o tempo havia se esgotado no terceiro quarto e a jogada não valeu.

No último quarto, a torcida era o sexto jogador e se dividia entre os gritos de apoio às brasileiras e as vaias para as francesas. Sem a presença da armadora Céline Dumerc, cortada às vésperas dos Jogos por conta de uma lesão no tornozelo, a estrela Gruda ia ditando o ritmo da partida e tornando o caminho do Brasil cada vez mais dramático. Damiris e Clarissa tentavam melhorar a situação, mas a distância parecia não ter fim. Os arremessos de três, que poderiam fazer a diferença, como o de Iziane no minuto final, não entravam. Na beira da quadra, Barbosa batia palmas e dizia palavras de motivação, mas nada adiantava. Nos últimos segundos, a torcida francesa comemorava a vitória. Clarissa e Érika ainda marcaram, mas já era tarde, e a França fechou o placar com 10 pontos de diferença: 74 a 64.

TURQUIA DERROTA BELARUS

Depois um início complicado na Olimpíada, as turcas e as bielorrussas se recuperaram com uma vitória e entraram em quadra para medirem forças em um jogo-chave pela classificação. Em uma batalha de nervos, marcada pelo equilíbrio,a Turquia deu um passo adiante ao vencer as rivais por 74 a 71. Com o segundo triunfo no torneio de basquete, o time deixou Belarus em uma situação difícil, com três derrotas e apenas um resultado positivo. As bielorrussas abriram logo 8 a 0 no placar, fechando o primeiro quarto por 19 a 13. As trucas se recuperaram com as bolas precisas de três pontos de Sebnem Nezahat Kimyacioglu, que empatou em 33 a 33 antes de irem aos vestiários para o intervalo. O equilíbrio deu o tom da disputa até o fim. As jogadoras de Belarus falharam arremessos importantes na reta final, e as turcas selaram a vitória.

globoesporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Brasil sofre mais que previsto, mas vence México em estreia na Rio-2016

imagem: Marcelo del Pozo/Reuters
imagem: Marcelo del Pozo/Reuters

A seleção masculina de vôlei estreou nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro neste domingo (07), contra seleção mexicana, e teve mais dificuldade do que estava previsto antes da partida, mas conquistou sua primeira vitória no torneio.

Agora, o Brasil volta a jogar na terça-feira (09), quando enfrentará o Canadá.

Wallace lidera retomada da seleção brasileira

Matt Rourke/AP
Wallace teve boa atuação contra a seleção mexicanaimagem: Matt Rourke/AP

O oposto Wallace foi o ponto de equilíbrio da seleção brasileira na partida contra o México. No primeiro set, o atleta teve atuação apagada e não conseguiu contribuir ofensivamente. Entretanto, o atleta do Sada-Cruzeiro acordou nos sets seguintes e foi o principal atleta da seleção com 18 pontos marcados, que lhe tornaram o maior pontuador em quadra pelo lado brasileiro.

Mauricio Borges tem atuação abaixo da média 

Marcelo del Pozo/Reuters
Mauricio Borges contribuiu pouco na vitória da seleção brasileira sobre o Méxicoimagem: Marcelo del Pozo/Reuters

O ponteiro Mauricio Borges teve desempenho abaixo da média diante dos mexicanos. O atleta fez um jogo fraco na parte ofensiva, e teve performance apenas regular em suas funções defensivas.

Torcida incentiva Brasil mesmo em momentos adversos e vaia Luciano Huck

Johannes Eisele/AFP Photo
Torcedores apoiaram bastante a seleção brasileira contra o Méxicoimagem: Johannes Eisele/AFP Photo

A torcida que compareceu ao Maracanãzinho para acompanhar a seleção brasileira não deixou de torcer em nenhum momento, especialmente no primeiro set, quando o Brasil perdeu para os mexicanos. Fazendo bastante barulho, a torcida incendiou os atletas em quadra a todo instante e não deixou que o desânimo abatesse os brasileiros mesmo nos momentos adversos. A empolgação da torcida era tanta que sobrou até para o apresentador da TV Globo, Luciano Huck. O astro estava no local e, enquanto concedia entrevista que foi exibida no telão, foi vaiado pelo público presente no ginásio.

Seleção brasileira

 MARCELO DEL POZO/REUTERS
Seleção brasileira comemora ponto marcado contra o Méxicoimagem: MARCELO DEL POZO/REUTERS

A seleção brasileira entrou em quadra desatenta e com ritmo abaixo do esperado. No primeiro tempo técnico, o Brasil já perdia por 8 a 5. Mesmo após as orientações de Bernardinho, a seleção voltou rendendo pouco e acabou superada por 25 a 23. Já na etapa seguinte, a seleção cresceu de produção graças aos ataques de Wallace. O oposto passou a ter melhor aproveitamento nos ataques e liderou a seleção na vitória por 25 a 19. No terceiro set, a equipe teve a tranquilidade que era esperada no começo da partida e não teve dificuldades para fechar o período em 25 a 14. No último set, novamente a seleção mexicana ameaçou o domínio brasileiro, mas acabou derrotada após bons ataques de Lucarelli.

Seleção mexicana

Matt Rourke/AP Photo
Seleção mexicana deu trabalho para o Brasil no primeiro setimagem: Matt Rourke/AP Photo

A seleção mexicana aproveitou a desatenção da seleção brasileira no primeiro set e conseguiu vencer por 25 a 23. No segundo set, com a seleção brasileira mais ligada na partida, os mexicanos tiveram dificuldade de conter as investidas de Wallace e acabaram derrotados por 25 a 19. No terceiro set, a seleção mexicana sentiu o forte ritmo brasileiro e não ofereceu resistência, sendo derrotada por 25 a 14. No último período, o México retomou o ritmo do primeiro set, em que venceu a seleção, mas não conseguiu repetir o feito e viu o Brasil vencer a partida.

Bernardinho

Marcelo del Pozo/Reuters
Bernardinho observa desempenho do Brasil contra o Méxicoimagem: Marcelo del Pozo/Reuters

Apesar do primeiro set ruim de seu time, Bernardinho manteve uma postura calma do lado de fora da quadra. A derrota na parcial, após um desafio errado, não tirou o treinador do sério. Ao final da partida, o técnico chamou seus jogadores no centro da quadra para um rápido bate-papo.

“Jogo foi tenso, por mais que a gente trabalhe isso, existe a tensão da estreia. O México jogou solto, bem, tem estilo diferente, mas a adaptação foi difícil no início. Claro que existe (a ansiedade), é natural da estreia. A gente tem os grandes pela frente, mas se o México jogar com o entusiasmo que jogou, pode complicar a vida de alguém. Agora, é acertar alguns erros de saque e ataque. O Canadá já é a segunda partida e é de altíssimo nível. A estreia nos permitiu uma equipe menos experiente, qualificada e rodada. O que precisamos é ser muito mais consistentes que fomos na primeira partida”, declarou o treinador em entrevista ao canal “Sportv”

Brasil entra em quadra ao som de “liberar geral”

AP Photo/Matt Rourke
Torcida faz festa antes do início da partida entre Brasil e Méxicoimagem: AP Photo/Matt Rourke

Os comandados por Bernardinho inovaram ao entrar em quadra ao som de “Liberar geral”, do grupo de Terra Samba. O som divertiu os torcedores que compareceram ao ginásio, que dançaram enquanto os atletas se posicionavam em quadra.

 Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Atlético-MG sofre diante do Coritiba, mas Robinho garante os três pontos

Após 15 rodadas o Atlético-MG aparece na 7ª colocação do Campeonato Brasileiro. São três pontos de distância para o G4 e que fazem a torcida acreditar que a equipe mineira vai conseguir chegar entre os primeiros colocados. Pelo elenco que tem e pela quantidade de jogos que restam, é possível. Mas o Atlético precisa jogar. Apesar do triunfo por 2 a 1 sobre o Coritiba, a equipe mineira sofreu.

Sofreu para criar jogadas, sofreu para manter a bola sob controle e sofreu para se defender. Se o conjunto ainda está devendo, o Atlético conta com as individualidades. Dessa vez foi Robinho, autor dos dois gols atleticanos.

Robinho vai mal como 10 e bem como 9

Sem Cazares e Dátolo machucados, além de Carlos Eduardo sem as melhores condições físicas, Marcelo Oliveira escolheu Robinho para jogar centralizado, como o armador do Atlético. Estratégia que foi logo abandonada, já que o atacante caiu bastante pela esquerda e teve dificuldades para organizar o time. Se Robinho não foi bem fazendo a função do camisa 10, ele apareceu muito bem como um camisa 9. Marcou de cabeça o primeiro gol e apareceu dentro da pequena área para fazer o segundo.

Atlético-MG/Divulgação

Robinho marcou os dois gols do Atlético-MG na vitória diante do Coritiba

Ronaldo apresenta cartão de visita ruim

Foi somente a segunda partida de Ronaldo pelo Atlético, mas a primeira com possibilidade de avaliação do zagueiro. E ele foi muito mal. Escolhido para fazer dupla com Leonardo Silva, o defensor atleticano perdeu praticamente todas as disputas com Kléber, além de erra passes e também no posicionamento. O desastre para o Atlético só não foi maior por causa da boa partida de Leonardo Silva.

Maicosuel tem bom retorno como titular

Sem começar uma partida desde maio, quando acabou a temporada profissional nos Emirados Árabes Unidos, Maicosuel foi escalado de início por Marcelo Oliveira. Desde o retorno à Cidade do Galo foram pouco mais de duas semanas de treino e um tempo em campo na derrota para o Flamengo. E o retorno de Maicosuel como titular foi aprovado. O camisa 70 se movimentou bastante e conseguiu fazer boas jogadas na frente, além de ser muito importante na recomposição, especialmente pelo fato de o Coritiba ter a dupla Juan e Carlinhos pelo lado esquerdo de ataque.

Entrada de Lucas Pratto anima a torcida

Empolgada no começo da partida, a torcida do Atlético foi diminuindo o barulho com o passar dos minutos e a boa atuação do Coritiba, que ameaçou o gol defendido por Victor em algumas oportunidades. Mas aos 35 minutos do primeiro tempo o atacante Carlos pediu para sair e a torcida pediu por Lucas Pratto. E Marcelo Oliveira atendeu, o que fez a torcida voltar a incentivar o time com muita intensidade. Se em alguns momentos o atacante que não atuava há dois meses mostrou alguma falta de ritmo, Pratto compensou com a vontade e raça de sempre.

Torcida perde raça, mas falta é organização

Já nos minutos finais de jogo, a torcida do Atlético pediu raça. Mas algo que não faltou em campo foi raça. Pratto dando carrinho, Fred cortando bola na defesa e Maicosuel fazendo a cobertura de lateral. Teve tudo isso, mas faltou jogar bem. Novamente o Atlético faz uma partida muito ruim neste Campeonato Brasileiro, muito abaixo do que pode produzir. Na semana em que completa dois meses de clube, o técnico Marcelo Oliveira segue em busca de uma organização tática ainda não vista. E como a noite foi de sofrimento, quase o Coritiba empata no último lance da partida. Por sorte do Atlético, a bola cabeçada pelo ataque rival foi para fora.

Juan dá bronca no técnico do Coritiba

Logo após empatar a partida, o técnico Pachequinho fez uma alteração para buscar a virada. Aos 32 minutos da etapa final entrou Bernardo no lugar de Juan. E o camisa 55 não gostou nada da decisão do técnico. Juan deixou o gramado xingando Pachequinho, deixando o clima entre eles ruim. Peça importante do Coritiba neste Brasileiro, Juan poder ser punido pela diretoria ou até mesmo pelo treinador.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2 x 1 CORITIBA

Data: 18/07/2015 (segunda-feira)
Horário: 20h (de Brasília)
Motivo: 15ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Público: 20.891 pagantes
Renda: R$ 639.656,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (FIFA/RS)
Assistentes: Carlos Berkenbrock (SC) e Elio Nepomuceno de Andrade Júnior (RS)
Cartões amarelos: Ronaldo e Eduardo (CAM) Edinho e Kazim (CTB)
Gols: Robinho aos 40 min do primeiro tempo; Carlinhos aos 30 min e Robinho aos 38 min do segundo tempo

ATLÉTICO-MG
Victor, Carlos César, Leonardo Silva, Ronaldo e Douglas Santos; Rafael Carioca, Eduardo e Robinho; Maicosuel (Clayton, aos 37 do 2º), Carlos (Lucas Pratto, aos 37 do 1º) e Fred (Lucas Cândido, aos 42 do 2º).
Treinador: Marcelo Oliveira.

CORITIBA
Wilson; Ceará, Luccas Claro, Juninho e Carlinhos; Edinho (Felipe Amorim, aos 41 do 2º), Alan Santos (Leandro, aos 41 do 2º), João Paulo e Juan (Bernardo, aos 32 do 2); Kazim e Kleber.
Treinador: Pachequinho

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br