Arquivo da tag: situações

Situações traumáticas na infância aceleram o envelhecimento

traumaUm estudo realizado mostrou que as dificuldades e o estresse vivido na infância podem acelerar o envelhecimento na idade adulta. A descoberta aconteceu após estudiosos medirem o comprimento dos telômeros, estruturas do DNA protetoras dos cromossomos, cujo encurtamento ao envelhecer está vinculado à maturidade celular e às doenças.

De acordo com os pesquisadores, foi medido o comprimento dos telômeros das glândulas salivares de 4.598 homens e mulheres de mais de 50 anos nos Estados Unidos, que responderam entre 1992 e 2008 a perguntas sobre as experiências traumáticas vividas ao longo de suas vidas.

Para o período prévio aos 18 anos, como situações estressantes foram consideradas as dificuldades financeiras no lar, o fato de a família ter sido despejada, o pai perder seu emprego ou um dos progenitores ser alcoólico ou dependente químico.

O resultado foi que a redução dos telômeros depois dos 50 anos aumentava 11% por cada experiência traumática vivida na infância.

Segundo os investigadores, este estudo reafirma os resultados de análises anteriores que sugeriam que uma infância difícil poderia ter um impacto no envelhecimento celular na idade adulta.

Fonte: PavBlog

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Aprenda a driblar 10 situações irritantes que só acontecem no WhatsApp

Getty Images
Getty Images

Se você usa o aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp com frequência, com certeza já se viu irritado em alguns momentos. Pode ter sido por causa daquela mensagem do chefe em pleno domingo à noite, com aquele amigo descontrolado que não parava de criar grupos ou até mesmo com seu par, que resolveu ter uma D.R. com você por mensagem.

“O WhatsApp pode ser extremamente útil e eficaz quando bem usado, ou extremamente invasivo”, diz a consultora de marketing pessoal e comportamento profissional Maria Aparecida Araújo, autora de “Etiqueta Empresarial – Ser Bem Educado é…” (Ed. Qualitymark).

Contornar essas situações irritantes sem perder a educação não é difícil. Veja, a seguir, dicas de especialistas.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

1

Quando o chefe vem falar sobre trabalho a qualquer hora

Desde que todos passaram a ter celulares, ser contatado pelo chefe a qualquer hora do dia se tornou algo comum. Com o WhatsApp, a falta de limites se tornou ainda pior. Para a consultora de etiqueta empresarial Maria Aparecida Araújo, o melhor a se fazer é combinar com o chefe como será o contato fora do ambiente de trabalho. “Se ele não te der abertura para conversar e as mensagens não forem sobre algo urgente, tente não responder imediatamente, assim você mostra que está ocupado”, diz ela. Mas, se você visualizou a mensagem, não responder pega muito mal, segundo a publicitária e palestrante Carolina Lima, autora do livro “Como Acabar com sua #empresa em Apenas 140 Caracteres” (Ed. Novatec). Nesse caso, é melhor dizer que não tem a informação no momento e que irá resolver tudo assim que chegar ao escritório.

2

Quando contatos profissionais decidem falar pelo WhatsApp

Você está em horário de almoço, aproveitando seu descanso até voltar ao trabalho, e surge no seu celular uma mensagem daquele cliente te fazendo pedidos ou explicando demandas. “Isso é uma invasão do horário de folga. Todos têm o direito de fazer uma refeição em paz. Você se sente compelido a responder”, diz a consultora de marketing pessoal e etiqueta empresarial e social Maria Aparecida Araújo. Segundo ela, o melhor a se fazer para que esta situação não se repita é dizer que você se organiza melhor com as informações importantes no e-mail.

3

Quando alguém que mal te conhece pede para adicionar o contato

Você acabou de ser apresentado a alguém com quem mal sabe se terá afinidade e já ouve a pergunta: “Me passa seu número para eu te adicionar no ?Whats??” Mesmo se a vontade for responder com um “não”, as boas maneiras te obrigam a dar aquele sorriso amarelo e dizer “claro”. Minutos depois, já surge a mensagem daquela pessoa querendo bater papo ou te convidar para algum evento. Segundo a consultora de etiqueta empresarial e social Maria Aparecida Araújo, há como não passar o número sem ficar com fama de mal-educado. “Você pode dizer que não costuma usar o aplicativo com tanta frequência e que prefere falar pelo Facebook, por exemplo”, diz. Agora, se você já foi adicionado e se sentir incomodado, a solução é ignorar as mensagens, recomenda a psicóloga Miriam Barros.

4

Quando começam a te colocar em dezenas de grupos

Todos nós conhecemos algum louco por grupos de WhatsApp. Às vezes, eles até ajudam a unir pessoas com afinidades. Mas, em excesso, se tornam um problema. Para a psicóloga Miriam Barros, não é falta de educação sair dos grupos que te incomodam, desde que você dê uma explicação, como dizer que não tem tempo para acompanhar as mensagens e que prefere falar em conversas particulares. “A pessoa tem direito de sair. Pode até ser que alguém torça o nariz e diga que você é antipático, mas, se está sendo excessivo e chato, não é sua obrigação ficar”, diz. Segundo ela, se o amigo louco por grupos for alguém próximo, vale dar um toque para que ele entenda que está sendo inconveniente.

5

Quando não param de te enviar vídeos e fotos

Para a consultora de etiqueta empresarial e social Maria Aparecida Araújo, o ideal seria que as pessoas perguntassem se o outro gostaria de receber um vídeo ou foto. “Vídeo é um problema, demora para abrir. E ninguém tem tempo de ver todos?, afirma. Há também quem resolva enviar fotos de tudo que faz durante o dia. Nestas situações, não há muito que fazer. Apenas ignorar o que não achou interessante e esperar que o outro se toque.

6

Quando alguém resolve criar um grupo da família

Se você ainda não tem um grupo de WhatsApp com familiares, não se preocupe, pois terá em breve. A ideia é excelente para se aproximar daquelas pessoas que lamentava encontrar somente nas festas de fim de ano, mas a diferença de idade e de interesses entre os membros pode ser um problema. “Podem acontecer brigas se cada um interpretar o que foi dito de um jeito. O melhor é pensar bem antes de escrever alguma coisa e evitar fazer brincadeiras que possam magoar”, diz a psicóloga Miriam Barros, psicoterapeuta de casal e família. Se o grupo começar a te incomodar, jamais saia sem falar nada. O melhor, segundo Carolina Lima, que trabalha com planejamento e comunicação digital, é tirar as notificações ou, se optar por sair, avisar antes que você não está conseguindo acompanhar as conversas e que isso está te atrapalhando no trabalho, por exemplo.

7

Quando começam a enviar correntes e frases motivadoras

As correntes e montagens com fotos de bichinhos fofos e frases inspiradoras já haviam migrado dos emails para o Facebook e, agora, estão pipocando nos grupos de WhatsApp. Se você se incomoda com este tipo de comportamento, a melhor coisa a fazer é ignorar as mensagens. “Se fingir que não viu, a pessoa se toca do quanto isso é chato”, diz a psicóloga Miriam Barros. E, claro, silencie as notificações.

8

Quando você recebe áudios infinitos

Nem sempre você está em um local adequado ou com tempo suficiente para ouvir áudios de WhatsApp. Se eles tiverem mais de um minuto, então, nem pensar. Ao mesmo tempo, ignorá-los pode parecer falta de educação. Por isso, seja sincero. “Diga que não consegue ouvir no momento e peça para que a pessoa escreva, caso seja algo urgente”, diz a psicóloga Miriam Barros.

9

Quando começa uma conversa paralela entre duas pessoas do grupo

Você ficou três horas completamente concentrado em um projeto no trabalho e, quando foi checar seu grupo de amigos no WhatsApp, já havia mais de duzentas mensagens não lidas. Quando começa a ler, percebe que o papo nada tinha a ver com você: eram apenas dois amigos tendo uma conversa paralela. Se já percebeu que esta é uma dinâmica comum neste grupo, a melhor atitude é silenciar as notificações. Para a publicitária e palestrante Carolina Lima, vale também falar, de forma bem humorada, para seus amigos abrirem uma janela privada para conversarem.

10

Quando você se vê em uma D.R.

Além de discutir o relacionamento com seu parceiro, você percebe que está fazendo isso pelo pior meio possível: mensagens de celular. “Escuto muitos casos de pessoas que tiveram D.Rs. por WhatsApp. Isso acontece porque, muitas vezes, elas se articulam melhor escrevendo ou não têm coragem de falar pessoalmente”, afirma a psicóloga Miriam Barros, terapeuta de casal e família. Por mais que a intenção seja boa, a D.R. tem tudo para dar errado. Se, pessoalmente, já é comum que aconteçam alguns mal-entendidos, já pensou por WhatsApp? ?O olho no olho é sempre melhor. Mas, se não houver mais saída e a pessoa precisar continuar a conversa, pare de escrever e, pelo menos, ligue para o outro?, afirma Miriam.
Uol

Sete situações em que mulheres reforçam o machismo contra elas

O machismo faz mulheres terem sua intimidade invadida nas ruas, receberem salários menores que os homens e ter oportunidades desiguais no mercado de trabalho, entre outros problemas. Arraigado na sociedade, esse fenômeno inclusive leva as próprias vítimas a reproduzirem falas e atitudes preconceituosas contra elas mesmas.

Para a psicóloga e sexóloga Ana Canosa, a cultura machista faz com que mulheres tenham comportamentos machistas sem se dar conta. Com ideias que entram nas cabeças delas ainda na infância

“É uma questão cultural, relacionada ao papel de gênero construído para mulheres. Todas as situações contadas nos contos de fadas diziam: os homens é que escolhem as mulheres. Por isso, para conseguir um príncipe, faça como Cinderela: seja boa, bonita, casta, generosa e prendada. Isso é fruto de uma ideologia machista, que converteu as mulheres em submissas que se estapeavam para competir por serem ‘as escolhidas’ de um homem”, avalia a sexóloga.

Muitas vezes, sem ter consciência disso, mulheres reproduzem comportamentos machistas
Thinkstock Photos

Muitas vezes, sem ter consciência disso, mulheres reproduzem comportamentos machistas

Tica Moreno, socióloga da Sempreviva Organização Feminista, entende que esse comportamento dificulta a luta por igualdade de gênero. “É fundamental que as mulheres se unam, uma mulher sozinha não vai conseguir fazer muitas mudanças na sociedade”, argumenta. “É preciso deixar de olhar as amigas como possíveis rivais, não reforçar antigas crenças e chavões”, acrescenta Ana.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A seguir, Ana e Tica comentam comportamentos que as mulheres precisam parar de reproduzir para não reforçar o machismo.

1 – Criticar mulheres com vida sexual ativa
A edição atual do “Big Brother Brasil”, o reality show mais popular do País, traz um dos casos mais comuns de machismo. No programa, dois casais praticaram sexo frequentemente e sem falsos pudores. Porém, o público majoritariamente feminino da atração eliminou as mulheres que faziam parte dos pares e manteve os homens no confinamento.

O programa reproduziu um julgamento comum que a sociedade faz das mulheres que têm uma vida sexual ativa e com diferentes parceiros, sendo tachadas por isso como promíscuas. Essa culpabilização é conhecida pelo termo ‘slut shaming’. Enquanto isso, homens que têm a mesma atitude são celebrados com garanhões.

“Devemos parar de criticar as mulheres que assumem seus desejos e conquistas”, propõe Ana.

No
Divulgação/TV Globo

No “BBB15”, as mulheres que fizeram sexo no confinamento foram eliminadas e os homens foram mantidos

2 – Por a responsabilidade da traição só na mulher
É comum quando um homem comprometido trai sua namorada ou esposa com outra a responsabilidade cair apenas sobre a mulher, que seduziu o rapaz indefeso. Até a traída é criticada por deixar o parceiro ir ‘procurar na rua’ o que não encontra em casa.

“No caso em que um homem comprometido em uma relação monogâmica trai a mulher com outra, a responsabilidade é do homem. Esse tipo de ponto de vista [culpabilização da mulher] acaba tirando a responsabilidade dele”, pondera Tica.

3 – “Ela não é mulher pra casar”
A separação preconceituosa e machista que se faz entre ‘mulheres para casar’ e ‘mulheres para transar’ muitas vezes é repetida pela própria mulher, que quer assim se diferenciar das chamadas ‘piriguetes’.

 “As mulheres acabam reproduzindo a lógica da sociedade machista. A culpa [desses atos] não é das mulheres individualmente, mas do patriarcado que se reproduz segundo esse sistema”, aponta Tica.

4 – Criticar o corpo de outras mulheres
Tica critica parte das revistas femininas que usam análises de moda para fomentar preconceitos. De acordo com a socióloga, essas avaliações embutem julgamentos estéticos. “Ela é muito gorda pra usar essa saia curta e deixar as pernas de fora’”, exemplifica a socióloga.

Não só a gordofobia, mas qualquer outra desvalorização por conta da estética é muito presente na vida de muitas mulheres. Por isso, comentar com uma amiga que ela tem muito peito, pouco bumbum, ou que ela é magra demais, só vai deixá-la mais triste e colaborar com a falta de união. “A mulher tem que valorizar outras questões, sair do papel de deusa sedutora”, defende Ana

5 – Dar mais valor às roupas do que às conquistas
Seja na posse de uma presidente ou na cerimônia do Oscar, as roupas das mulheres tendem a ser mais valorizadas do que suas conquistas profissionais. Por conta disso, atrizes de Hollywood como Reese Witherspoon, Cate Blanchett e Julianne Moore têm apoiado uma campanha para combater essa conduta.

Batizada como #AskHerMore, a campanha pede que repórteres façam perguntas mais criativas sobre a profissão e as conquistas das atrizes, e não apenas sobre o que elas vestem.

Campanha usa a hashtag #AskHerMore para pedir que jornalistas façam perguntas mais inteligentes às atrizes
BBC

Campanha usa a hashtag #AskHerMore para pedir que jornalistas façam perguntas mais inteligentes às atrizes

Ana acredita que ainda estamos longe do momento “quando roupa, cor de cabelo, tamanho de bunda, de peito, de cintura, idade, sobrenome e aliança no dedo não farão a menor diferença no valor que alguém possa ter como pessoa humana”.

6– Invejar conquistas das outras mulheres
“Freud já dizia, no começo do século 20 sobre “a inveja do pênis”. Não do pênis como órgão, mas do poder que ele representava em uma cultura machista e moralista. Nasceu com pênis, o mundo estava aberto, em todas as dimensões. Nasceu com vulva e vagina, todas as proibições. Então, quando uma mulher tem poder legitimado culturalmente, no trabalho, na beleza, entre outros, os olhos invejosos se voltam para ela”, assinala Ana, acrescentando que é necessário evitar mais esta ferramenta de reprodução do machismo.

7 – Criar filhos de modo diferente
Não só dentro nas escolas e na rua, mas dentro de casa a educação na maioria das vezes ainda é muito sexista. As mães têm parte da responsabilidade de desconstruir o machismo desde cedo, segundo as especialistas. Muitas delas dividem as tarefas de casa de forma desigual. Assim, meninas lavam a louça do jantar enquanto os meninos assistem TV com os pais. Estes afazeres não dependem de sexo ou gênero para serem feitos.

 

iG

8 situações em que o mimo não faz mal

mãe e filhaAfinal, criança mimada é diferente de criança mal-educada? Para a psicóloga e colunista da Pais & Filhos Betty Monteiro, o excesso de mimo dos pais com seus filhos pode gerar uma criança mal-educada que não aprendeu a ouvir ‘não’ e acha que as coisas funcionam da forma como ela quer. Mas isso só quando o mimo é exagerado, um pouco faz bem para a criança, vai.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

E isso não quer dizer que você deve criar a criança debaixo de mimo, é só que carinho de pai e mãe é bom demais e faz bem para os filhos. E têm situações em que o mimo é essencial. Veja algumas dessas situações:

– Quando a criança se sente rejeitada;

– Luto pela perda de uma pessoa querida ou até mesmo de um animal de estimação;

– Traumas pelos quais a criança pode ter passado;

– Algum momento de violência;

– Separação dos pais;

– Situação em que os pais vão viajar por um tempo ou vão se distanciar por um tempo dos filhos;

– Quando a criança ganha um irmão;

– Quando ela passa por uma situação de falta de realização ou de muita frustração, com um sofrimento psíquico, como, por exemplo, quando participa de um campeonato e perde. O mimo vem quando os pais mostram que ganhar nem sempre é importante, que vale competir.

Mas atente-se, o mimo nunca deve ter um valor financeiro. Pode ser desde um afago no colo dos pais a um doce, mas não algo com um valor que não sentimental. “O mimo é aquele momento mais especial, por exemplo, quando você passa um tempo fora, trabalhando, é uma delícia mimar o filho quando volta. A criança vai gostar de receber esse tratamento diferente”. O carinho dado pelos pais é que faz toda a diferença e a psicóloga lembra nunca é demais.

 

 

revistapaisefilhos

Veja 7 situações que indicam quando o ciúme faz sentido

Todo mundo tem seus momentos de ciúme extremo, até mesmo as mais lindas modelos internacionais. O truque é saber lidar com eles, por isso, o site da revista Cosmopolitanconversou com especialistas em buscas de soluções. Confira em quais situações o ciúme é aceitável e quando ele de fato pode indicar algo errado na relação.

 

1. Você pega o seu parceiro olhando para outra
É um instinto natural comer com os olhos alguém muito bonito –até mesmo para as mulheres. E isso não quer dizer que ele quer sair com ela. Mas ainda assim é uma atitude grosseira, então, diga a ele que isso incomoda você.

 

2. A nova colega de trabalho dele poderia ser gêmea da Gisele Bündchen

 

Partindo do princípio que o ambiente de trabalho é um terreno fértil para novos relacionamentos, esta é uma situação perigosa em potencial. Mas antes de enlouquecer, tome a frente da situação e admita a ele que está se sentindo um pouco insegura. Então, avalie a forma como ele responde: se for sensível e te tranquilizar, essa sua sensação não passa de uma ideia. Agora, se ele alimentar suas preocupações, isso pode sim ser uma bandeira vermelha.

 

3. Ele conta que encontrou a ex para alguns drinques
Se o relacionamento parece não oferecer mais riscos, fique tranquila com relação a isso – embora você possa sugerir que ele almoce ou tome um café no lugar de sair para beber. E mantenha o seu radar atento aos sinais: se ele não te apresentar para ela, se eles terminaram recentemente, se ele deixa escapar que ainda tem sentimentos por ela ou se ele expressa raiva ou ciúme com relação a você. Tudo isso pode indicar que pode haver algo por trás dessa suposta amizade.​

Em algumas situações, o ciúmes não passa de ilusão Foto: Getty Images
Em algumas situações, o ciúmes não passa de ilusão
Foto: Getty Images

 

4. A despedida de solteiro do amigo é em um clube de strippers
Algumas mulheres não têm problemas com strippers, mas se isso te incomoda, trate do assunto com cuidado. Você deve ser honesta com relação às suas preocupações, sem fazer parecer que você o está privando da diversão com os amigos. Sem confrontá-lo, explique que você não é fã da ideia. Ele conseguiu garantir que te ama e que você não precisa se preocupar? Então deixe-o ir e relaxe. Ele ficou bravo e agiu na defensiva? Isso não é bom. Uma opção seria discutir condições, como por exemplo, impedir que ele permita mulheres sentando no colo dele durante a festa.

 

5. Ao digitar uma mensagem, ele não te conta o que é
Existem três possibilidades para um homem estar fazendo isso. 1) Você exagera na intromissão, então ele se rebela. 2) Ele pode estar tentando te irritar por algum motivo. 3) Ele é burro suficiente para estar falando com outra mulher na sua frente. Sendo assim, tente investigar e saber qual é o real motivo dessa atitude.

 

6. Ele sai sozinho com amigas próximas
Se você já se encontrou com essas amigas e vocês saem todos juntos de tempos em tempos, então não há motivo para estresse. Mas se ele compra presentes para elas, se encontra com elas no meio da semana, ou a voz dele muda e fica suave quando fala com elas ao telefone, algo está errado.

 

7. Ele comenta que acha sua melhor amiga atraente
Isso não é tão relevante desde que o comentário seja feito no meio de uma discussão, por exemplo, sobre o quanto a pessoa em questão é bonita. Mas se este assunto surgir do nada, e se repetir por muitas vezes, pode ser que ele esteja mesmo atraído por ela. Isso é totalmente normal, desde que o desejo não migre para a vida real, obviamente.  Se isso te incomoda, não perca a oportunidade de falar sobre o quanto o amigo dele te atrai também. Isso provavelmente o fará ficar em silêncio.

 

 

Terra