Arquivo da tag: situação

Prefeito de Bananeiras decreta situação de emergência para prevenção da COVID-19

O Prefeito Douglas Lucena decretou, nesta segunda-feira (16), situação de Emergência no município de Bananeiras para prevenir a disseminação da doença viral respiratória (COVID-19), também conhecida como Coronavírus. O Decreto nº 002/2020 leva em consideração o estado de emergência em Saúde Pública, decretado pelo Ministério da Saúde, e da condição de pandemia anunciada pela Organização Mundial de Saúde OMS. Além de seguir as recomendações decretadas pelo Estado da Paraíba acerca da prevenção e combate ao vírus para que seja evitado a disseminação.

A Situação de Emergência autoriza o Poder Executivo à adoção de todas as medidas necessárias para a prevenção e combate ao vírus, como aquisição de produtos/materiais, equipamentos, insumos, medicamentos, contratação de pessoal técnico especializado na área da saúde para contenção/combate da doença e quaisquer outras medidas, caso sejam necessárias como alterar o horário de expediente dos servidores, suspender aulas, proibição de eventos públicos ou privados com grande aglomeração de pessoas, entre outras medidas administrativas com o objetivo de diminuir a propagação.

Aulas na rede municipal estarão suspensas a partir do dia 23 de março, eventos com aglomerações estão cancelados a partir da publicação do decreto pelo período de 30 dias.

O Prefeito Douglas esteve na tarde de hoje (16) reunido com o grupo de trabalho criado pela Secretaria Municipal de Saúde para estabelecer o protocolo de procedimento em caso de pacientes com suspeitas de Coronavírus.

A gestão municipal também promoverá ações emergenciais de conscientização da população, nos moldes das normatizações do Ministério da Saúde.

Ascom- PMB

 

 

Prefeito de Solânea, Kayser Rocha, decreta “Situação de Emergência” no município devido disseminação de Coronavírus no país

O decreto autoriza o prefeito alterar o horário de expediente dos servidores municipais, realizar a suspensão de aulas e vedar eventos públicos e privados.

O prefeito de Solânea, Kayser Rocha decretou hoje, 16, em divulgação no Diário Oficial Situação de Emergência no município devido à pandemia da doença infecciosa viral respiratória (COVID-19) causada pelo agente Coronavírus. Segundo o prefeito, um dos objetivos do decreto é a necessidade de estabelecer, no âmbito municipal, planos de ações efetivos contra disseminação do vírus, além da urgência em adotar medidas administrativas necessárias e cuidados preventivos de proteção para a coletividade.

“Precisamos agir com cautela, mas de forma efetiva para cuidar e conscientizar cada um da nossa comunidade nesse momento de enfrentamento da disseminação da doença”, explicou o prefeito. Entre as medidas estão a possibilidade de alteração de horário de expediente dos servidores municipais, suspensão de aulas, a prioridade em regime de urgência – em todos os órgãos e entidades da Prefeitura – para a resolução de assuntos relacionados à situação atual.  E a dispensa de licitação para aquisição de bens, serviços e insumos de saúde necessários ao enfrentamento da emergência em saúde que vivemos atualmente.

Decreto segue posicionamentos dos Governos Estadual e Federal.

Em nota, a gestão municipal justificou a decisão devido a necessidade de acolher o entendimento Nacional do Ministério da Saúde quanto a decretação de Emergência em Saúde Pública e os posicionamentos do Governo do Estado e da Organização Mundial da Saúde (OMS) que na última quarta, 11, anunciou a pandemia da doença.

Assessoria de Comunicação

 

João Azevêdo decreta situação de emergência na Paraíba por conta do coronavírus

O governador João Azevêdo determinou, nesta sexta-feira (13), a decretação de situação de emergência em saúde pública em virtude da epidemia de coronavírus (Covid-19) no Brasil com potenciais repercussões na Paraíba. A medida, que será publicada no Diário Oficial do Estado deste sábado (14), tem caráter preventivo e objetiva assegurar estruturas necessárias para o enfrentamento de possíveis casos no Estado, que possui 13,32% de sua população acima de 60 anos de idade, grupo mais vulnerável à doença.

A decisão teve como base o Estado de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) decretado pelo Ministério da Saúde; a declaração da condição de transmissão pandêmica sustentada da infecção humana pelo coronavírus, anunciada pela Organização Mundial de Saúde (OMS); a necessidade de se estabelecer um plano de resposta efetivo para esta condição de saúde de ampla repercussão populacional, no âmbito do Brasil e da Paraíba; e a confirmação de casos de coronavírus nos Estados vizinhos de Pernambuco e Rio Grande do Norte.

O decreto também determina a criação do Comitê de Gestão de Crise, que será coordenado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) e pelo Gabinete do Governador e contará com a participação de representantes das Secretarias de Planejamento, Orçamento e Gestão; Fazenda; Segurança e Defesa Social; Administração Penitenciária; Educação; Administração; Comunicação Institucional; Desenvolvimento Humano; Procuradoria Geral do Estado; e Controladoria Geral do Estado. O grupo já tem sua primeira reunião agendada para a próxima segunda-feira (16), ocasião em que serão discutidas questões relacionadas a eventos com aglomeração de pessoas na Paraíba, dentre outros assuntos relacionados ao coronavírus.

Durante reunião realizada nesta sexta-feira (13) com secretários de Estado, o governador João Azevêdo já determinou o adiamento do início das plenárias do Orçamento Democrático e de atividades do Governo do Estado que envolvam a aglomeração de mais de 100 pessoas. Outra medida anunciada pelo chefe do Executivo estadual foi o pedido de antecipação, junto ao Ministério da Saúde, de vistoria de equipamento para que o Estado realize os testes de virologia que detectam, em até 24 horas, a incidência do coronavírus. Já a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh) reforçará sua atuação nas instituições de longa permanência da Paraíba para orientar nos cuidados e visitações aos idosos.

O governador João Azevêdo assegurou que a Paraíba está adotando todas as medidas necessárias para o enfrentamento da doença, já registrada em estados vizinhos, e garantiu que a gestão manterá e ampliará parcerias com o Ministério da Saúde e sistemas municipais de Saúde para se antecipar a prováveis situações ocasionadas pela disseminação do coronavírus.

Orientação à população – O Governo do Estado disponibilizou um plantão telefônico, que funcionará 24 horas, para a população tirar as dúvidas acerca das primeiras providências em casos de suspeita do coronavírus. Os números são: 99146-9790/99146-9250/99147-0810.

A SES também divulgou uma série de orientações à população acerca da conduta de isolamento domiciliar para casos suspeitos da Covid-19 a exemplo da limitar as atividades fora de sua casa, exceto para obter assistência médica; usar máscaras quando estiver na mesma sala com outras pessoas; lavar as mãos frequentemente e completamente com água e sabão por pelo menos 20 segundos; uso de álcool gel a 70% se não houver água e sabão e se as mãos não estiverem visivelmente sujas; evitar tocar olhos, nariz e boca; evitar compartilhar itens domésticos; e limpar superfícies como balcões, mesas, maçanetas, louças, banheiros, telefones, teclados, tablets e mesas de cabeceira pelo menos uma vez por dia. Em caso de desconforto respiratório (falta de ar) é recomendado que se procure assistência médica.

A Paraíba segue sem casos confirmados da Covid-19. Até o momento, 20 casos foram notificados, seis foram descartados, 13 estão em investigação e um foi excluído.

Rede hospitalar preparada – Hospitais da rede pública da Capital estão prontos para acolher possíveis casos de coronavírus. No Hospital Clementino Fraga, estão disponíveis, no primeiro momento, 18 leitos convencionais e 10 leitos de UTI; o Hospital Universitário Lauro Wanderley possui três leitos de isolamento para crianças; e o Hospital Municipal Santa Isabel reservou 12 leitos convencionais e até 10 leitos de UTI.

Secom-PB

 

 

Paraíba começa 2020 com um açude sangrando e 33 em situação crítica, diz Aesa

Um levantamento feito com base nos últimos volumes registrados em açudes localizados na Paraíba mostra que o estado começou o ano de 2020 com um açude sangrando e outros 33 em situação crítica, com menos de 5% da capacidade total. Os dados são da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), responsável pelo monitoramento de 134 reservatórios.

Ainda conforme os volumes extraídos do site da instituição na quinta-feira (2), o único manancial paraibano que está sangrando é o São José II, localizado em Monteiro, no Cariri do estado. O reservatório possui capacidade para 1.311.540 m³ de água e conta com 1.311.540 m³.

Outros 47 mananciais estão em observação, com menos de 20% do volume total. Outros 53 estão com volume maior que 20% da capacidade total.

De acordo com a Aesa, os períodos chuvosos da Paraíba ocorrem geralmente no primeiro semestre do ano, dependendo da região. Segundo a meteorologista Marle Bandeira, a previsão do tempo para o primeiro trimestre de 2020 favorece a ocorrência de chuvas.

“As chuvas devem se comportar dentro da média. Mas a previsão diária é que vai dizer em que bacias elas vão se concentrar”, explicou Marle.

Veja a lista de açudes com menos de 5% do volume

  • Algodão, em Algodão de Jandaíra
  • Arrojado, em Uiraúna
  • Capivara, em Uiraúna
  • Caraibeiras, em Picuí
  • Chupadouro I, em São José do Rio do Peixe
  • Covão, em Areial
  • Curimataú, em Barra de Santa Rosa
  • Emídio, em Montadas
  • Felismina Queiroz, São Vicente do Seridó
  • Gamela, em Triunfo
  • Jandaia, em Bananeiras
  • Jatobá II, em Princesa Isabel
  • Mamuleco, em Ibiara
  • Manguape, em São Sebastião de Lagoa de Roça
  • Milhã (Evaldo Gonçalves), em Puxinanã
  • Nova Camará, em Alagoa Nova
  • Olivedos, em Olivedos
  • Ouro Velho, em Ouro Velho
  • Pocinhos, em Monteiro
  • Poleiros, em Barra de Santa Rosa
  • Prata II, na Prata
  • Riacho de Santo Antônio, em Riacho de Santo Antônio
  • Sabonete, em Teixeira
  • Santa Rosa, em Brejo do Cruz
  • Serra Branca II, em Serra Branca
  • Serrote, em Monteiro
  • Soledade, em Soledade
  • Sumé, em Sumé
  • São Mamede, em São Mamede
  • São Paulo, na Prata
  • Tapera, em Brejo do Cruz
  • Várzea, em Várzea
  • Várzea Grande, em Picuí

Veja a lista de açudes com menos de 20% do volume

  • Acauã (Argemiro de Figueiredo), em Itatuba
  • Bastiana, em Teixeira
  • Bom Jesus, em Carrapateira
  • Bom Jesus II, em Água Branca
  • Boqueirão do Cais, em Cuité
  • Bruscas, em Curral Velho
  • Cacimbinha, em São Vicente do Seridó
  • Camalaú, em Camalaú
  • Campos, em Caraúbas
  • Canafístula II, em Borborema
  • Carneiro, em Jericó
  • Chupadouro II, em Serra Redonda
  • Cochos, em Igaracy
  • Cordeiro, no Congo
  • Coremas, em Coremas
  • Coronel Jueca, em Cacimbas
  • Engenheiro Arcoverde, no Condado
  • Engenheiro Ávidos, em Cajazeiras
  • Epitácio Pessoa, em Boqueirão
  • Escondido, em Belém do Brejo do Cruz
  • Frutuoso II, em Aguiar
  • Glória, em Juru
  • Gurjão, em Gurjão
  • Jenipapeiro (Buiú), em Olho D`Água
  • José Rodrigues, em Campina Grande
  • Lagoa do Arroz, em Cajazeiras
  • Livramento (Russos), em Livramento
  • Mucutu, em Juazeirinho
  • Mãe D’água, em Coremas
  • Namorado, em São João do Cariri ]
  • Novo II, em Tavares
  • Paraíso (Luiz Oliveira), em São Francisco
  • Pilões, em São João do Rio do Peixe
  • Pirpirituba, em Pirpirituba
  • Poções, em Monteiro
  • Riacho das Moças, em Teixeira
  • Riacho dos Cavalos, em Riacho dos Cavalos
  • Riacho Verde, em Boa Ventura
  • Santa Luzia, em Santa Luzia
  • Serra Branca I, em Serra Branca
  • Serra Vermelha I, em Conceição
  • São Domingos, em São Domingos do Cariri
  • São Francisco II, em Teixeira
  • São José IV, em São José do Sabugi
  • São Sebastião, em São Sebastião de Lagoa de Roça
  • Timbaúba, em Juru
  • Vaca Brava, em Areia

Veja a lista de açudes com mais de 20% do volume

  • Albino, em Imaculada
  • Araçagi, em Araçagi
  • Baião, em São José do Brejo do Cruz
  • Bartolomeu I, em Bonito de Santa Fé
  • Bichinho, em Barra de São Miguel
  • Brejinho, em Juarez Távora
  • Cachoeira da Vaca, em Cachoeira dos Índios
  • Cachoeira dos Alves, em Itaporanga
  • Cachoeira dos Cegos, em Catingueira
  • Cacimba de Várzea, em Cacimba de Dentro
  • Cafundó, em Serra Grande
  • Capoeira, em Santa Terezinha
  • Catolé I, em Manaíra
  • Chã dos Pereiras, em Ingá
  • Condado, em Conceição
  • Duas Estradas, em Duas Estradas
  • Emas, em Emas
  • Farinha, em Patos
  • Gavião, em Fagundes
  • Gramame, no Conde
  • Jangada, em Mamanguape
  • Jatobá I, em Patos
  • Jenipapeiro, em São José de Lagoa Tapada
  • Jeremias, em Desterro
  • Lagoa do Matias, em Bananeiras
  • Lagoa do Meio, em Taperoá
  • Lancha I, em Aguiar
  • Marés, em João Pessoa
  • Massaranduba, em Massaranduba
  • Olho D’água, em Mari
  • Pedra Lisa, em Imaculada
  • Pimenta, em São José de Caiana
  • Piranhas, em Ibiara
  • Pitombeira, em Alagoa Grande
  • Poço Redondo, em Santana de Mangueira
  • Queimadas, em Santana dos Garrotes
  • Riacho Fundo, em Tenório
  • Roçado, em Conceição
  • Saco, em Nova Olinda
  • Santa Inês, em Santa Inês
  • Santo Antônio, em São Sebastião do Umbuzeiro
  • Saulo Maia, em Areia
  • Sindô Ribeiro, em Massaranduba
  • Suspiro, em Serra da Raiz
  • São Gonçalo, em Sousa
  • São José I, em São José de Piranhas
  • São José III, em São José dos Cordeiros
  • São Salvador, em Sapé
  • Taperoá II (Manoel Marcionilo), em Taperoá
  • Tauá, em Cuitegi
  • Tavares II, em Tavares
  • Vazante, em Diamante
  • Video, em Conceição

 

G1

 

 

Governo Federal reconhece situação de emergência em 177 cidades

O Governo Federal reconheceu situação de emergência em 177 municípios paraibanos em decorrência da seca. A informação foi publicada nesta sexta-feira (1º) no Diário Oficial da União.

O reconhecimento aconteceu por meio de portaria assinada pelo secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves. A lista dos 177 criticamente afetados pela estiagem havia sido divulgada pelo Governo do Estado há um mês.

Para emitir o decreto, o governador da Paraíba, João Azevêdo, considerou, entre outras questões, que persiste a escassez de água nos municípios, causando danos à subsistência e à saúde da população; que a estiagem prolongada tem gerado prejuízos importantes e significativos às atividades produtivas do Estado da Paraíba, principalmente a agricultura e pecuária dos municípios afetados; que a escassez pluviométrica prejudicou a recarga dos mananciais, caracterizando assim um desastre que vem exigir a ação do Poder Público Estadual; e que há a necessidade de prover a subsistência da população afetada pelo fenômeno da estiagem.

 

portalcorreio

 

 

Governo decreta situação de emergência em 177 municípios da PB afetados pela estiagem

O Governo da Paraíba decretou situação de emergência em 177 municípios afetados pela estiagem. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (1º). A situação de emergência é pelo período de 180 dias.

Conforme a publicação, a estiagem prolongada tem gerado prejuízos importantes e significativos às atividades produtivas do Estado da Paraíba, principalmente a agricultura e pecuária dos municípios afetados. Além disso, também prejudicou a recargas dos mananciais.

A situação de emergência vale apenas para áreas dos municípios comprovadamente afetados pelo desastre. Dessa forma, o Poder Executivo Estadual fica autorizado a abrir crédito extraordinário relativo à situação.

De acordo com o decreto, ficam dispensados de licitações os contratos de aquisição de bens e serviços necessários às atividades de resposta ao desastre, locação de máquinas e equipamentos, de prestação de serviços e de obras relacionadas com a reabilitação do cenário do desastre, desde que possam ser concluídas no prazo estipulado em lei.

G1

 

Assembleia debate situação do transporte alternativo na Paraíba

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta segunda-feira (26), audiência pública para debater questões e soluções relacionadas a categoria de trabalhadores de transporte alternativo no estado. O evento, proposto pelos deputados Júnior Araújo (Avante), Buba Germano (PSB), Pollyanna Dutra (PSB), Cabo Gilberto Silva (PSL), Chió (Rede) e Anísio Maia (PT), aconteceu no plenário da ALPB.

Para Júnior Araújo, o debate é importante porque atinge o transporte entre todas as regiões da Paraíba. “A Lei 10.340 regulamenta o transporte intermunicipal de passageiros no nosso estado desde 2014, mas, infelizmente, ela não alcança a expectativa de todos os transportes alternativos. Então, em função das últimas decisões e movimentações do Governo Federal, que coloca em vigor uma lei que aumenta as restrições e a fiscalização em torno desses trabalhadores, não seria justo que a Assembleia ficasse de braços cruzados num tema tão importante”, afirmou.

Entre os temas levantados na audiência, os parlamentares e representantes de sindicatos da categoria discutiram a derrubada da restrição do transporte alternativo entre os cinco polos de convergência da Paraíba: João Pessoa, Campina Grande, Guarabira, Patos e Cajazeiras; a ampliação da quantidade de passageiros transportados; e o aumento de tempo para renovação de permissão para o transporte; atribuições atualmente do Conselho Gestor do Serviço de Transporte Público Complementar de Passageiros da Paraíba (STPC-PB).

“Espero que possam sair daqui providências pontuais para melhorar o dia a dia desses trabalhadores e para que haja mais tranquilidade na sua labuta diária tendo, uma vez que hoje existe um clamor e uma insegurança muito grande no segmento dos transportes alternativos do nosso estado”, completou Júnior Araújo.

O deputado Buba Germano ressaltou que a audiência visou a desburocratização dos serviços do STPC, intermediando junto ao Departamento de Estradas de Rodagens da Paraíba (DER-PB). “Acho que o papel da gente é tranquilizar os trabalhadores, pois são pais de família, que prestam serviço a sociedade. O importante é dar a garantia a eles que, na Paraíba, nós iremos lutar para que o transporte alternativo seja, além de regulamentado, melhorado para atender aos cidadãos de bem e a sociedade paraibana”, declarou.

De acordo com Flávio Oliveira, um dos representantes do Sindicato dos Transportes Alternativos do Sertão da Paraíba, a situação atual inviabiliza o trabalho da categoria. “Lá no Alto Sertão, as linhas regulares praticamente não existem. Se não fosse o transporte alternativo, o pessoal não teria acesso de um município ao outro. Embora exista a regulamentação, colocaram alguns artigos na lei que não temos condições de seguir, pois não somos empresas de ônibus. A gente sobrevive do trabalho da gente. Não temos incentivo fiscal, nem para comprar carros novos”, alertou.

O diretor de Planejamento e Transporte do DER, José Arnaldo, destacou que as alterações reivindicadas pela categoria precisam ser aprovadas através de lei, na Assembleia, e que o órgão responsável pelo transporte complementar é o STPC. “O Conselho Gestor, composto por 16 membros que representam o Governo e a sociedade civil, é que tem a competência para fazer toda a gestão do transporte complementar. O DER cumpre as ordens do Conselho. Tudo que é decidido lá, nós passamos a cumprir”, concluiu.

Também participaram da audiência pública os deputados Anderson Monteiro, Anísio Maia, Camila Toscano, Cabo Gilberto Silva, Chió, Delegado Wallber Virgolino, Dr. Érico, Jeová Campos, João Henrique, Lindolfo Pires, Nabor Wanderley, Pollyanna Dutra, Raniery Paulino, Ricardo Barbosa, Taciano Diniz e Tião Gomes.

agenciaalpb

 

Aumento do Diesel: representante de caminhoneiros diz que situação pode sair de controle

O novo aumento no preço do óleo diesel, de 2,57%, anunciado pela Petrobras na sexta-feira (3), gerou uma nova onda de insatisfação entre os caminhoneiros autônomos. Um dos principais representantes da categoria, Wanderlei Alvez, diz que “teme uma revolta”, mas tenta acalmar os ânimos.

“Tenho conversado com o ministro Tarcísio [Gomes, da Infraestrutura], e ele tem se mostrado comprometido com a fiscalização da tabela de frete, cumprido com a promessa dele. Eu estou mostrando isso para os colegas. Mas é muita indignação. O ministro está se esforçando, dá pra notar. Mas não sei até quando o pessoal vai se controlar”, afirmou Dedeco, como é conhecido, ao Congresso em Foco, em conversas pelo WhatsApp entre a noite sexta-feira (3) e este sábado (4).

“Vão parar?”, perguntou a reportagem. “O que a classe, que já se revoltou, decidir, estaremos juntos. Não é fácil segurar a insatisfação de milhares de profissionais. Os caminhoneiros estão impulsivos”, respondeu ele.

De forma recorrente, Dedeco diz que o governo Bolsonaro “erra” ao não “agradar os caminhoneiros” e afirma que é “perigoso a situação sair do controle”. Ele tem mais de 90 grupos no WhatsApp, cada um com mais de 150 integrantes, cada um deles com outros grupos também por trás. Um dos grandes segredos do seu poder de mobilização.

Aos colegas, porém, ele tem dito que, ao decretar uma greve, a categoria fecha as portas de diálogo que conseguiram abrir com o governo. “O que vamos fazer? Boa parte da categoria não fez campanha e colocou o [Jair] Bolsonaro lá como presidente? Vamos segurar um pouco, gente”, afirmou em áudio encaminhado aos grupos, em que relata as conversas com o ministro da Infraestrutura e as medidas de intensificação da fiscalização do frete mínimo nas estradas.

Dedeco é o principal representante do grupo que havia convocado a paralisação dos caminhoneiros para o último dia 29 de abril. Ele ficou conhecido na greve geral que parou o país no ano passado e gerou transtorno em todos os estados, com corridas a supermercados, postos de combustíveis e longas filas em todos os cantos.

A classe voltou atrás da decisão após uma reunião no Ministério da Infraestrutura em 22 de abril quando o próprio chefe da pasta, Tarcísio Gomes, garantiu uma maior fiscalização nas estradas sobre a tabela do frete mínimo, uma das reclamações da categoria.

Na ocasião, foram firmados os seguintes compromissos: estudar a eliminação de multas desnecessárias aos caminhoneiros; transferir o custo do diesel para a tabela do frete; fiscalização efetiva da referência de custo do piso mínimo do frete; celebração de um termo de compromisso com as entidades representantes da categoria para tornar mais efetiva a fiscalização.

No dia 30 de abril, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou uma resolução em que alterou a resolução que trata da Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas, a tabela de frete proibindo que autônomos sejam multados por carregarem cargas no valor abaixo do piso mínimo de frete estabelecido.

No meio de abril, o governo anunciou a abertura de uma linha de crédito no valor de R$ 500 milhões para caminhoneiros autônomos manterem seus veículos e o emprego de R$ 2 bilhões no término de obras e manutenção de rodovias.

 

Congresso em Foco

 

 

Grêmio perde e fica em situação delicada na Libertadores

Em Santiago, a Universidad Católica derrotou o Grêmio por 1 a 0 e deixou o time tricolor em situação delicada na Libertadores da América. Agora, o time chileno é o vice-líder, com seis pontos. Já os comandados de Renato Gaúcho amargam a lanterna da chave, com um ponto.

Na próxima rodada, a Universidad Católica recebe o Libertad, em casa. O Grêmio mede forças com o Rosario Central, na Arena.

O jogo

No embalo da torcida, a Católica iniciou o jogo trocando passes e no campo do Grêmio. Sem deixar o time de Renato Gaúcho respirar, o primeiro gol não demorou a sair. Aos 16, Magnasco cruzou e Sáez completou para o fundo das redes.

Assim que conseguiu o tento, o time chileno diminuiu o ritmo do jogo e tentou atrair o time tricolor para explorar as contra-ataques, mas a falta de inspiração gremista era assustadora.

Com Luan e Everton abaixo da expectativa, o Grêmio não criava e viu Puch quase ampliou, mas o meio-campista errou o alvo.

Na etapa final o panorama era o mesmo. O time tricolor trocava passes e não conseguia aprofundar as jogadas. Insatisfeito, Renato promoveu a entrada de André no lugar de Luan e deu uma referência no ataque. Em seu primeiro lance, o camisa 9 deixou Cortez em ótima condição para finalizar na grande área. Bem colocado, Dituro salvou.

Diante de um sistema defensivo gremista bagunçado, a Católica explorava as jogadas laterais. Aos 31, Cornejo avançou sem nenhum incômodo, ajeitou o corpo e mandou na cabeça de Sáez, que testou a bola e levou perigo ao gol de Paulo Victor.

Se no campo o Grêmio pouco apresentava, no banco de reservas era a grande atração do time brasileiro. Por diversos momentos, o comandante levava a mão ao rosto, olhava para o céu e não acreditava no que acontecia dentro das quatro linhas.

Na última chance do jogo, a Universidad Católica levou perigo com Riascos em cobrança de escanteio. Paulo Victor se esticou todo e conseguiu espalmar.

FICHA TÉCNICA

UNIVERSIDAD CATÓLICA 1 X 0 GRÊMIO

Local: San Carlos de Apoquindo , Santiago (CHI)

Data-Hora: 4/4/2019 – 19h00

Árbitro: Wilmar Roldán (COL)

Auxiliares: John León (COL) e Dionísio Ruiz (COL)

Público/renda: pagantes/R$

Cartões amarelos: Magnasco, Conejo, Aued (CAT), Geromel, Jean Pyerre (GRE)

Cartões vermelhos: –

Gols: Sáez (16’/1ºT)

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Dituro; Magnasco, Kusevic, Lanaro e Cornejo; Fuentes, Pinares e Aued; Fuenzalida, Sáez (Riascos, aos 43/2ºT) e Puch (Lobos, aos 29/2ºT). Técnico: Gustavo Quinteros.

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez; Michel, Maicon, Luan (André, aos 18/2ºT) e Montoya (Alisson, aos 28/2ºT); Everton e Tardelli (Jean Pyerre, aoos 18/2ºT). Técnico: Renato Gaúcho.

(Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação)

Lance

 

 

Situação de emergência de 176 cidades da PB é prorrogada por causa da seca

O decreto de emergência por conta de estiagem foi prolongado por mais 180 dias em 176 cidades da Paraíba. A publicação que prorrogou a situação de emergência dos municípios consta no Diário Oficial do Estado da Paraíba (DOE). A lista dos municípios consta nas páginas 1 e 2 do DOE.

Ainda de acordo com a publicação, esta situação de anormalidade é válida apenas para as áreas dos municípios comprovadamente afetados pelo desastre, conforme prova documental estabelecida pelo formulário de informação de desastre (FIDE) e pelo croqui das áreas afetadas.

Com o decreto, o governo do estado fica autorizado “a abrir crédito extraordinário para fazer face à situação existente”, assim como convocar voluntários para reforço das ações para tentar reparar os problemas decorrentes da situação.

Por sua vez, os municípios ficam liberados também ficam dispensados de licitações os contratos de aquisição de bens e serviços necessários para amenizar o desastre, tais como locação de máquinas e equipamentos, e os de prestação de serviços e de obras relacionadas com a reabilitação do cenário do desastre, desde que possam ser concluídos no prazo estipulado em lei.

G1