Arquivo da tag: Sindicato

Motoristas de coletivos podem deflagar a partir amanhã, alerta presidente de sindicato

O  presidente do Sindicato dos Motoristas da Paraíba  Antônio de Pádua,  alertou na tarde desta segunda-feira (21) que se o pagamento dos condutores não for  feito até a meia noite de hoje a categoria vai deflagrar uma greve até que a situação seja resolvida.

Antônio de Pádua disse que caso a greve de amanhã seja confirmada serão instalados piquetes   em frente às garagens para evitar a saída dos ônibus. No entanto, segundo o sindicalista, a categoria vai liberar 30% da frota conforme determina a Justiça.

” É preciso que as empresas digam  à sociedade o que está acontecendo e qual é o motivo para que o pagamento dos motoristas não seja efetuado. A População cobra uma explicação urgente”, destacou Antônio de Pádua.

De antemão, o presidente do Sindicato dos Transportes Coletivos Urbanos de João Pessoa (Sintur-JP), Isac Júnior  já adiantou que essa resposta sobre o pagamento dos motoristas nesta segunda-feira será impossível.

paraiba.com.br

 

 

Trabalhadores dos Correios da Paraíba entram em greve por tempo indeterminado, diz sindicato

Os trabalhadores dos Correios da Paraíba entraram em greve por tempo indeterminado a partir desta quarta-feira (11). Uma assembleia do Sindicato dos Trabalhadores de Correios e Telégrafos da Paraíba (Sintect), realizada na noite desta terça-feira (10), definiu o posicionamento dos trabalhadores.

De acordo com o diretor do sindicato, Fael Paiva, desde julho os trabalhadores estão em campanha salarial, no entanto, ele informou que não houve negociação. O G1entrou em contato com a assessoria de comunicação dos Correios e aguarda um posicionamento sobre os impactos que foram gerados na execução das atividades.

A principal reivindicação, segundo o sindicato, é a reposição salarial de acordo com a inflação e os benefícios integrais no valor acumulado da inflação do período agosto de 2018 a julho de 2019. Além disso, os trabalhadores pedem manutenção de cláusulas sociais e aumento de salário no valor de R$ 300 linear.

Conforme o Sintect, a proposta da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) reduziria a reposição salarial para 0,8% de reajuste, o que representa R$ 13 no salário-base de carteiro.

G1

 

Preço do gás de cozinha na Paraíba sobe pela quarta vez em 2019, diz sindicato

O preço do botijão do gás de cozinha de 13 quilos subiu pela quarta vez em 2019, na Paraíba. O produto que até esta quinta-feira (5) é comercializado, em média, por R$ 65, custará entre R$ 70 e R$ 75 na sexta-feira (6).

De acordo com o presidente do Sindicato dos Revendedores de Gás de Cozinha da Paraíba (Sindigás), Antônio Marcos Bezerra, o aumento é de 3,8%. Mas no percentual não foram contabilizados os impostos sobre o produto.

Ainda de acordo com Antônio Marcos, o valor do botijão do gás de cozinha também foi reduzido durante o ano, mas não soube dizer por quantas vezes. Ele garantiu ainda que o preço comercializado a partir da sexta-feira é igual ao do mês de setembro de 2018.

O presidente do Sindigás contou também que algumas das reduções não chegaram ao consumidor. “Algumas das baixas praticadas nas refinarias não foram repassadas pelas distribuidoras para os revendedores. Então também não pudemos passar para o cliente. Foi o caso de uma queda de preço que aconteceu em julho”, disse Antônio Marcos.

G1

 

Sindicato sinaliza paralisação após anúncio de privatização dos Correios

O anúncio do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), sobre a privatização dos Correios caiu como uma bomba na cabeça dos servidores da estatal. E, uma das consequências dessa medida pode ser uma paralisação geral, o que deixaria milhões de brasileiros sem receber correspondências.

O presidente Jair Bolsonaro deverá anunciar nesta quarta-feira (17) a lista de privatizações que pretende fazer. Ao todo, são 17 empresas públicas que deverão ser privatizadas até o final do ano, incluindo os Correios, a Casa da Moeda, a CBTU, a Telebras e a Eletrobras.

Para o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telegráfos (Sintect-PB), Tony Sérgio, vários ações já estão sendo desenvolvidas pelos líderes sindicais e servidores na tentativa de impedir que a privatização aconteça.

“Aqui na Paraíba já temos uma audiência pública agendada para o próximo dia 30 onde discutiremos a situação atual dos Correios. Também estamos coletando assinaturas para fazermos um abaixo-assinado contra essa medida, isso já em âmbito nacional. Vamos fazer assembleias e a paralisação também está na pauta. Pode sim acontecer”, informou Tony.

Para o dirigente, a privatização não trará benefícios para o Brasil, já que a empresa é autossustentável e poderia sobreviver, se o governo tivesse interesse em investir. Ele diz que o presidente criou um factóide para justificar a privatização da estatal. “Nós temos 35% da população que não tem acesso a internet e depende dos Correios para se comunicar. As pessoas dos municípios mais distantes sofrerão com essa medida. Dos mais de 5 mil municípios, apenas 324 são lucrativos, e será nesses locais que a empresa compradora investirá deixando o restante de lado”, garantiu.

Tony Sérgio ressaltou que o sucateamento dos Correios tem prejudicado os servidores e os usuários. “Nós estamos trabalhando num regime que as ruas ficam recebendo correspondências dia sim, dia não, porque o número de funcionários já é limitado. Se houvesse investimento, se o governo devolvesse os mais de sete bilhões que foram retirados dos Correios, teria como funcionar”, finalizou.

 

clickpb

 

 

Sindicato dos Servidores de Solânea abre edital para eleição da nova diretoria 

O Sindicato dos Servidores de Solânea (SINDSOL) abriu edital para a realização de eleição que escolherá a nova diretoria da entidade. De acordo com o publicado, qualquer integrante pode apresentar chapas para disputarem o pleito.

As apresentações das chapas devem ser feitas a partir desta segunda-feira (15) até o dia 25 deste mês, das 13h30 às 16h30. Nesse período deverão ser entregues toda a documentação necessária para disputar a eleição, na sede do SINDSOL, que fica na Ria São José, número 224, próximo e Escola Ernestina Pinto.

Após análise desses documentos, a Comissão Eleitoral emitirá um parecer sobre os pedidos e a viabilidade, ou não, dos requerimentos.

Os que desejarem concorrer deverão apresentar suas chapas com os nomes de todos os membros que comporão a Diretoria.

A eleição será no dia 31 deste mês das 8h às 16h.

 

Redação FN

 

UEPB reduziu 100% dos vigilantes no campus, afirma Sindicato

O presidente do Sindicato dos Vigilantes de Campina Grande, Edmir Bernardo, mostrou preocupação com a diminuição dos postos de trabalho para a categoria na cidade.

Segundo ele, em entrevista nesta quinta-feira, 4, as empresas estão optando por trocar os vigilantes por porteiros, por ser mais barato, já que o vigilante recebe 30% do risco de vida, um salário de $R 1.050 e ticket alimentação em cartão, e o porteiro só recebe de benefício a cesta básica.

Além disso, conforme Edmir, há uma diferença entre a função do porteiro do o vigilante. Enquanto o porteiro/vigia não pode portar armas e não tem treinamento de proteção, o vigilante tem o treinamento no Centro de Formação da Polícia Federal e possui o porte de armas.

Em relação ao ocorrido no campus da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) esta semana, quando um bando armado assaltou um carro-forte, que iria abastecer uma agência bancária no local, e que resultou em um tiroteio, Edmir frisou que o vigilante que foi baleado na ação foi um herói.

Ele destacou que a diminuição no número de vigilantes da UEPB foi de 100%, pois antes havia cerca de 18 vigilantes no campus, mas que hoje só há apenas seis.

– Tinha 18 vigilantes no turno, hoje apenas seis. Na Central de Aulas [onde ocorreu o assalto] só ficam três. Havia vigilante na UAMA, na parte de trás do campus, na guarita principal, na reitoria, mas agora houve uma redução. Com todo respeito que eu tenho ao reitor Rangel Júnior, pois toda vez que o Sindicato o procurou ele nos atendeu, mas houve uma redução sim. Eles tiraram os vigilantes e houve uma seletiva para colocar o vigilante desarmado, que o pessoal chama lá de ‘azulzinho’. Inclusive, o Sindicato entrou na Justiça pedindo que fosse cancelada a contratação, pois não havia nenhum vínculo e eles não recebiam nenhum benefício, mas foram contratados como vigilantes. A decisão saiu após dois anos, eles cancelaram, mas ano passado eles fizeram outra modalidade e contrataram porteiros. E nós entramos na Justiça novamente – explanou.

Por fim, Edmir frisou que na Paraíba há cerca de 26 empresas de vigilância regulamentadas e alertou às pessoas que forem contratar esse tipo de serviço, afirmando que estas devem pesquisar o CNPJ junto à Polícia Federal, que é o órgão fiscalizador.

*Informações da Correio FM.

paraibaonline

Foto: Paraibaonline

 

Profissionais de segurança privada da PB adoecem por causa da profissão, diz sindicato

Pelo menos 18% dos trabalhadores que atuam em empresas privadas de segurança de valores na Paraíba estão afastados dos seus postos por conta de doenças relacionadas à profissão, segundo um levantamento feito pelo sindicato que representa a categoria no estado (Sindesforte-PB). De acordo com o presidente da instituição, Laudisvan Gonçalves, a maioria das licenças e atestados médicos emitidos são por problemas psicológicos provocados pelo estresse na profissão.

Funcionários também são afastados por causa de ferimentos causados em ações de assaltantes (Foto: Antonio Junior/Divulgação/Arquivo)

Funcionários também são afastados por causa de ferimentos causados em ações de assaltantes (Foto: Antonio Junior/Divulgação/Arquivo)

Segundo o presidente do Sindesforte-PB, além dos atestados médicos por problemas psicológicos, os trabalhadores também se afastam da profissão por causa de danos físicos relacionados a crimes contra agências bancárias, carros-fortes, caixas eletrônicos e outras ações de assaltantes.

Um funcionário de uma empresa, que não quis se identificar, foi baleado duas vezes durante ações de assaltantes. Um dos tiros foi nas costas e o outro no cotovelo, fazendo com que ele perdesse os movimentos do braço.

“A minha fisioterapia, eu liguei para a empresa para saber se eles pagavam, né? A empresa falou que não tinha o direito de pagar, que não pagava, então paguei do meu bolso. Fiz algumas sessões, mas a médica falou que não adianta mais fazer, que meu braço não chega mais ao normal. Perdi dois movimentos”, diz o segurança.

Para Laudisvan Gonçalves, a recorrência dos casos acaba prejudicando os funcionários. “O trabalhador de uma empresa dessas trabalha o tempo inteiro pressionado psicologicamente e por causa disso temos essa média de funcionários afastados por problemas de saúde. E grande parte destes trabalhadores que entram com atestado médico se recuperam pouco, voltam a trabalhar, mas em menos de um mês voltam a colocar atestado. Eles são vistos com outros olhares pelas empresas e na primeira oportunidade, acabam sendo demitidos”, completa.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Solânea convoca população para paralisação geral

O sindicato dos Trabalhadores Rurais de Solânea está convocando a sociedade em geral para a Marcha dos Trabalhadores de Solânea e Região, que vai acontecer nessa sexta-feira (28). A concentração vai acontecer na sede do sindicato ao lado da Igreja Matriz, no Centro da cidade, e seguir até o Ginásio de Esportes onde vai ocorrer a plenária do orçamento democrático estadual.

O presidente do sindicato o vereador Josenildo Jota comentou que essa mobilização é aliada a Greve Geral que vai acontecer em todo país. “Essa é a hora de nos mobilizarmos mostrando a esse presidente que ai está que nós trabalhadores não aceitamos as medidas que ele pretende tomar prejudicando a todos nós trabalhadores, vamos pra rua mostrar que o povo não aceita as reformas propostas pelo governo federal e contra nossos representantes paraibanos que estão lá em Brasília prontos para votar contra o povo”, explicou.

Focando a Notícia

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Por suspeita de corrupção, sindicato pede quebra de sigilos bancário e telefônico de árbitros da PB

Genildo Januário, vice-presidente do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado da Paraíba (Sinafep) (Foto: Larissa Keren / Globoesporte.com/pb)
Genildo Januário, vice-presidente do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado da Paraíba (Sinafep) (Foto: Larissa Keren / Globoesporte.com/pb)

As suspeitas sobre um possível esquema de corrupção na arbitragem de futebol na Paraíba – que surgiram há duas semanas – estão sendo investigadas, mas ainda não foram esclarecidas. E nesta semana o caso ganhou uma nova repercussão.

O Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado da Paraíba (Sinafep) solicitou que o Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba (TJD-PB) quebre os sigilos bancário e telefônico de todos os árbitros que prestam serviços à Federação Paraibana de Futebol (FPF). O pedido foi enviado por escrito, através de ofício, assinado pelo vice-presidente do Sinafep, Genildo Januário, e endereçado ao presidente do TJD-PB, Lionaldo Santos.

No documento, enviado à FPF nessa terça-feira, Genildo Januário explica que o pedido para que sejam quebrados os sigilos bancário e telefônico de todos os árbitros é um meio de fazer com que “não pairem dúvidas de imparcialidades no exercício da função”. O vice-presidente do Sindicato dos Árbitros ainda se coloca à disposição para também passar pelo procedimento de quebra de sigilos.

O dirigente afirma ter confiança de que os árbitros estão dispostos a ajudar a esclarecer todos os pontos que rondam as suspeitas sobre corrupção no futebol paraibano: “certo estou que todos os nossos árbitros estão fazendo o possível para dirimir quaisquer dúvidas que pairem em vossos nomes”.

Vale lembrar, no entanto, que os tribunal de Justiça Desportiva não têm poder de determinar a quebra de sigilos bancários e telefônicos. Para isso, teria que recorrer à Justiça Comum, esta sim com poder para isso.

Entenda o caso

As suspeitas sobre um suposto esquema de corrupção na arbitragem surgiram há duas semanas, quando um áudio – supostamente gravado pelo zagueiro Walter, ex-Botafogo-PB e atualmente no Rio Claro – se tornou público através das redes sociais e rapidamente ganhou repercussão. No áudio, a acusação é de que, em 2015, o Botafogo-PB teria pago para que árbitros lhe favorecessem em campo, e que essa seria uma prática recorrente.

De acordo com o que é dito na gravação atribuída a Walter, o repasse do dinheiro (R$ 50 mil) do clube aos árbitros era feito pelo então vice-presidente do Belo, Breno Morais, que hoje é diretor de futebol do Alvinegro. O árbitro João Bosco Sátiro é mencionado no áudio como sendo um dos que teriam recebido para favorecer o Botafogo-PB em um jogo contra o Auto Esporte no hexagonal final do Campeonato Paraibano de 2015.

Após esse áudio ganhar repercussão, o zagueiro Walter foi a público através de outro áudio, para garantir que a primeira gravação não era dele e que não tinha qualquer informação sobre esquemas de corrupção na arbitragem da Paraíba. O Botafogo-PB, sentindo-se vítima de uma calúnia, foi à Polícia Civil para que a veracidade do áudio atribuído a Walter fosse analisada.

Posteriormente, foi a vez de o Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba entrar na jogada. O TJD-PB abriu inquérito para investigar o suposto esquema de corrupção. Tão logo soube da abertura do inquérito, o departamento jurídico do Botafogo-PB definiu o posicionamento do TJD-PB como sendo precipitado, já que a perícia sobre o primeiro áudio, atribuído a Walter, ainda não havia sido concluída e, portanto, não havia objeto de acusação.

O resultado final da perícia da Polícia Civil sobre o áudio deve sair em mais uma semana.

Ofício, Sinafep, Sindicato dos Árbitros (Foto: Divulgação / Sinafep)

Globo Esporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Crimes contra agências bancárias caem 20% em 2016, aponta sindicato

 (Foto: Reprodução / TV Cabo Branco)
(Foto: Reprodução / TV Cabo Branco)

As agências bancárias paraibanas foram alvos de 105 ataques criminosos em 2016, de acordo com levantamento do Sindicato dos Bancários da Paraíba. O número é 20% menor que o registrado em 2015, quando foram 132 ataques. Mais da metade dos casos, 64 ao todo, foram explosões, seguido de 31 arrombamentos.

A cidade com maior concentração de ocorrências foi João Pessoa, onde aconteceu 23,1% dos casos – 22 registros, sendo seis deles em agências na avenida Epitácio Pessoa. Além disso, foram 14 arrombamentos e quatro ocorrências por explosões, três por assalto e um crime de abordagem fora do ambiente bancário, a famosa “saidinha” de banco.

Já em Campina Grande, no Agreste, os incidentes com agências bancárias foram em menor número e com perfil de atuação diferente por parte dos criminosos. Sete casos foram registrados, mas cinco deles foram por conta de explosões em caixas bancários e o principal alvo dos bandidos foi o Aeroporto João Suassuna, que registrou duas ocorrências, em que três caixas eletrônicos foram explodidos.

O mais recente foi no mês de novembro, quando um trio de criminosos rendeu o vigilante e explodiu o caixa eletrônico que fica dentro do Aeroporto. Os bandidos levaram o dinheiro que havia no caixa e a explosão ainda danificou parcialmente o teto e uma porta de desembarque do local.  O outro caso em que dois caixas foram explodidos aconteceram em julho.

Os registros de explosão a caixas eletrônicos, aliás, lideram as ocorrências em todo o Estado. Ao todo foram 64 casos, o que corresponde a 67,2% dos crimes praticados contra agências bancárias. Logo em seguida vieram as ocorrências por conta de arrombamentos com 31 casos (32,5%).

Riacho dos Cavalos e Caaporã chamam atenção
Dois incidentes em particular chamaram a atenção da população em 2016. Na cidade de Caaporã, no Litoral Sul paraibano, os assaltantes explodiram dois caixas eletrônicos e parte do prédio da prefeitura municipal desabou. O caso aconteceu no mês de dezembro. O detalhe é que quatro meses antes, em agosto, o prédio do banco já havia desabado depois que uma quadrilha explodiu um caixa eletrônico e o cofre do local.

Outro caso de destaque foi o município de Riacho dos Cavalos, no Sertão paraibano, onde os bandidos explodiram o cofre do banco, levaram o dinheiro e na fuga ainda atiraram contra o destacamento da Polícia Militar. Os criminosos ainda atiraram para cima, assustando os moradores da cidade.

Estrutura da agência bancária em Soledade dicou parcialmente destruída (Foto: Reprodução/TV Paraíba)Estrutura de agência bancária em Soledade ficou parcialmente destruída (Foto: Reprodução/TV Paraíba)

 

G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br