Arquivo da tag: sinal

Record, SBT e RedeTV! preparam corte de sinal e armam guerra contra a TV paga

silvio e edirA briga entre a Sky e a Fox foi só um aperitivo do que executivos de três das maiores redes do país preveem para os próximos meses. Unidas na Simba, uma empresa criada no ano passado após aprovação do Cade, Record, SBT e RedeTV! planejam começar a cortar seus sinais das operadoras de TV por assinatura em abril, após o apagão analógico em São Paulo, maior mercado do país. Advogados de ambas as partes já se preparam para uma guerra que deve terminar nos tribunais.

Nesta semana, a Simba começou a enviar às operadoras uma proposta comercial. No documento, informa que, com o fim da TV analógica, a legislação permitirá às redes abertas cobrarem pelos seus sinais digitais e que, por isso, já quer abrir negociações em nome de Record, SBT e RedeTV!.

Juntas, as três redes detêm 19,7% da audiência de todos os canais, entre abertos e pagos, no cabo e no satélite, de acordo com dados de dezembro. Mais relevantes do que elas, só a Globo (30,7%). Os canais da Fox, que geraram centenas de ameaças de cancelamento de assinatura à Sky na semana passada, tiveram 3,43% da audiência da TV por assinatura em dezembro.

As emissoras de TV já sabem que as operadoras irão recusar qualquer negociação para pagar pelos sinais abertos, que são gratuitos. As operadoras estão dispostas a pagar para ver o que acontecerá, uma vez que estar na casa do assinante de TV por assinatura, quase 30% da população do país (e justamente a mais rica e educada), também é importante para as redes abertas, que vivem de publicidade.

Todas as operadoras, das gigantes Net e Sky às nanicas, foram contra a aprovação da Simba, joint venture das três redes, durante processo no Cade (Conselho Administrativo de Direito Econômico), no ano passado. Seus argumentos vão do caráter gratuito da TV aberta, que são concessões públicas, ao desequilíbrio econômico e ameaça à concorrência.

As emissoras abertas também estão dispostas a pagar para ver se as operadoras resistem à perda de clientes, que exigirão seus sinais. Elas se sentiram fortalecidas com a posição da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) de que, para compensar a saída da Fox, a Sky deveria oferecer novos canais similares ou reduzir o preço da mensalidade paga pelo assinante.

Executivos da Record, SBT e RedeTV! dão como certo que não haverá acordo com as operadoras e que, em abril, suas frequências serão cortadas em São Paulo, onde opera a Net, a maior do país. A Net, uma das maiores opositoras da aprovação da Simba no Cade, já sinalizou que não aceita pagar pelos sinais abertos.

O corte na TV paga ocorrerá assim que o sinal de TV analógico, cuja distribuição é obrigatória e gratuita no cabo, for desligado na Grande São Paulo, o que está previsto para 29 de março. Depois virão Goiânia (31 de maio) e as regiões metropolitanas de Recife, Salvador, Fortaleza e Belo Horizonte (26 de julho). Em um primeiro momento, o corte de sinal será apenas na Grande São Paulo.

Os dirigentes das TVs abertas têm um “padrinho” muito forte: o bispo Edir Macedo. O dono da Record, segundo altas fontes, está convencido de que é justo as operadoras pagarem por seus sinais de alta definição, uma vez que já remuneram a Globo, e de que essa receita é relevante _as redes estimam que podem faturar de R$ 360 milhões a R$ 1 bilhão por ano.
noticiasdatv

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

‘Não teve nenhum sinal’, diz padre após tragédia em gruta no Tocantins

(Foto: CIOPAER/SSP)
(Foto: CIOPAER/SSP)

“Foi tudo muito rápido não pudemos fazer nada. Não teve nenhum sinal, nenhum tremor, apenas despencou.” As palavras são do padre Rivonaldo da Silva Santos, que rezou uma missa momentos antes de pedras que faziam parte do teto de uma gruta em Santa Maria do Tocantins começarem a cair. Dez pessoas morreram e outras sete ficaram feridas no desmoronamento, na manhã desta terça-feira (1°).

O governo do Tocantins decretou luto oficial de três dias por causa das mortes. O grupo de católicos, cerca de 50 pessoas, estava no local participando de uma celebração em comemoração ao Dia de Todos os Santos.

As vítimas são duas crianças e oito adultos, sendo sete mulheres e três homens. Um dos mortos era de Babaçulândia, três de Pedro Afonso, quatro de Itacajá e duas de fazendas da região. Os corpos foram levados para o IML de Pedro Afonso, também na região central do estado, mas serão encaminhados para Palmas, onde passarão por exames.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, os feridos foram transferidos para o Hospital Regional de Pedro Afonso e Hospital Geral de Palmas (HGP). A gravidade dos ferimentos ainda não foi informada.

“Tinha terminado a missa fora do local. Os fiéis entraram lá para rezar o terço, eu ainda estava perto, mas estava de saída para outra comunidade. A gente fica triste porque é uma tragédia e não tem explicação, mas temos a convicção de que essas pessoas se encontram com o senhor. Foram acolhidas por Deus”, disse o padre.

Segundo o religioso, a tradição de rezar no local começou há cerca de 50 anos. “As pessoas vão ao local para pagar promessas e rezar o terço.” Ele disse ainda que não sabe se o local continuará sendo utilizado pelos fiéis, mas que pretende rezar a missa do sétimo dia nas proximidades da gruta, conhecida como Casa de Pedra e que fica em uma propriedade privada.

“O que resta é dar o conforto o consolo às famílias e a vida continua. Queremos fazer a missa próximo do local porque tem todo um significado. Sobre a devoção popular no local, a gente precisa ver a perícia e o relatório que serão feitos. Pode ser que o local corra risco e seja isolado”, completou.

Local foi escorado pelos bombeiros após desabamento (Foto: CIOPAER/SSP)Local foi escorado pelos bombeiros após desabamento (Foto: CIOPAER/SSP)

Entenda
Dez pessoas morreram no desabamento de rochas que formavam o teto uma gruta em Santa Maria do Tocantins, região central do estado, de acordo com o Corpo de Bombeiros. O acidente foi registrado na manhã desta terça-feira (1°). De acordo com a corporação, pelo menos 50 pessoas estavam na hora do desabamento celebrando o Dia de Todos os Santos.

A prefeita da cidade, Helen Rute de Freitas, disse que a gruta fica numa região conhecida como Casa de Pedra, a cerca de 10 quilômetros da cidade, e que a celebração é tradição entre os moradores. A missa, segundo ela, é realizada na frente da gruta, mas muitas pessoas entram no local para rezar e acender velas.

“Estavam todos rezando. Aí caiu o pedaço do teto em cima do povo. Tinha cerca de 15 pessoas no local onde caiu. Todo mundo saiu correndo e os parentes das vítimas ficaram lá gritando socorro”, relatou Wilson Mendes Rodrigues, testemunha que estava no local.

Vista área do local onde fica a gruta, em Santa Maria do Tocantins (Foto: CIOPAER/SSP)Vista área do local onde fica a gruta, em Santa Maria do Tocantins (Foto: CIOPAER/SSP)
Gruta desabou na região central do estado (Foto: Divulgação)Gruta desabou na região central do estado nesta terça-feira (Foto: Divulgação)
Fiéis na gruta no ano de 2005; celebração é tradição há mais de 50 anos na cidade (Foto: Unitins/NUTA/Divulgação)Fiéis na gruta no ano de 2005; celebração é tradição há mais de 50 anos na cidade (Foto: Unitins/NUTA/Divulgação)
G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Dores nas costas podem ser sinal de estenose

A Organização Mundial de Saúde e as Nações Unidas declararam os anos de 2000 a 2010 como a década comprometida a melhorar a qualidade de vida para as pessoas com doenças musculoesqueléticas ao redor do mundo.

dor-nas-costas

 

Segundo estimativas da Associação Americana (AANS) e do Congresso de Neurocirurgiões (CNS), cerca de 400 mil americanos com mais de 60 anos sofrem de sintomas de estenose de canal lombar. E a tendência é que haja aumento de portadores, já que a cada ano há aumento da população idosa.

Estenose do canal é a condição causada pelo estreitamento dentro e ao redor do canal medular na coluna, pressionando os nervos e estruturas nervosas ali presentes. Ela pode causar dores lombares frequentes, dor nas nádegas, dificuldade ao andar, diminuição de sensibilidade nos membros inferiores e diminuição das atividades físicas. Há muitos tipos de estenose do canal medular, que podem afetar todas as regiões da coluna (cervical, torácica e lombar).

Ela pode causar dores lombares frequentes, dor nas nádegas, dificuldade ao andar, diminuição de sensibilidade nos membros inferiores e diminuição das atividades físicas.

Tipos comuns de estenose do canal

Os tipos mais comuns de estenose são as degenerativas, que acometem praticamente toda a população adulta como um processo natural de envelhecimento. É um estreitamento degenerativo do canal medular, dos canais por onde os nervos passam e/ou do orifício por onde os nervos saem, causados por hipertrofia dos ossos e/ou ligamentos nestes locais. Esse estreitamento pode ser segmentado (apenas em uma região da coluna) ou generalizado e resulta na compressão dos nervos da coluna ou mesmo na medula. As consequências são uma diversidade de sintomas, incluindo dores lombares e claudicação neurogênica, que gera dores intensas nas pernas ao andar e só melhoram caso o paciente se sente. Em casos mais graves, o problema pode vir acompanhado de alteração do hábito urinário, com retenção da urina ou falta de controle ou até mesmo intestinal. Além disso, pode ocorrer uma sensação de diminuição da sensibilidade na região da virilha e parte interna da coxa, nestes casos chamada de “anestesia em cela”, em alusão à cela usada nos cavalos.

Quando a região cervical é acometida, pode causar diminuição de força nos braços e principalmente dos movimentos finos das mãos, com dificuldade para escrever, segurar objetos e abotoar as roupas, além de causar alterações na forma de andar, pois a pessoa sente suas pernas mais presas.

Quando congênita, é relativamente rara e geralmente presente em idades mais precoces, entre 30 e 40 anos. Já a estenose de canal adquirida é mais comum e eventualmente se desenvolve quando os pacientes chegam ao redor dos 60 anos ou mais. É uma condição desafiante e não pode ser prevenida ou premeditada. Não distingue entre sexo, raça ou etnia, além de não estar relacionada a qualquer tipo de ocupação ou tipo físico.

Tratamento

Atualmente a tendência mundial para o tratamento da estenose de canal é optar por procedimentos menos agressivos e que resolvam o problema dos pacientes. Para isto, o planejamento detalhado do procedimento é muito importante, após um prognóstico físico muito minucioso e com auxílio de alguns exames de imagem como ressonância, tomografias e radiografias, entre outros.

O intuito de uma avaliação minuciosa é tentar encontrar mais especificamente o fator causal da dor. Assim, sendo mais preciso, podemos resolver o problema com uma cirurgia menos invasiva.

Na maioria dos casos nem todos os níveis são os responsáveis pelos sintomas dos pacientes, pois a alteração de desgaste e presença de proeminências ósseas estão presentes nos casos de envelhecimento sadio, ou seja, indivíduos podem apresentar os desgastes e proeminências ósseas nos exames de imagem, mas não sentem dor e levam uma vida normal. No caso de pacientes com estenose de canal, se abordados todos os problemas e desgastes na coluna, será necessário uma cirurgia muito grande, que muitas vezes pode gerar instabilidade, necessitando de muitos implantes e parafusos, e consequentemente um pós-operatório que tende a ser muito mais complicado.

Logo, para o tratamento com menores chances de complicações e retorno mais rápido aos nossos afazeres do dia-a-dia, as cirurgias de descompressão minimamente invasivas -, bem planejadas com equipamentos que permitam uma menor lesão nos músculos, menor possibilidade de sangramento e necessidade de UTI -, são a melhor opção para aqueles que necessitam de cirurgia para tratar a estenose de canal.

minhavida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Veja quatro truques para melhorar o sinal do Wi-Fi em casa

wifiVocê tem uma rede de internet sem fio em casa mas não consegue acessá-la na sala de estar? O computador fica lento demais em determinado cômodo do domicílio?

Problemas assim são muito comuns. No entanto, é possível melhorar a cobertura da rede doméstica fazendo algumas mudanças e revendo algumas decisões tomadas para preparar a conexão.

Aqui estão alguns conselhos que você pode adotar para melhorar o acesso Wi-Fi na sua casa.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

1) Confira se o roteador está em um lugar adequado

 Foto: BBC Mundo / Copyright

Foto: BBC Mundo / Copyright

Faz alguns anos que você instalou a rede de internet sem fio na sua casa, mas é preciso parar e analisar qual é o melhor lugar da sua casa para colocar o roteador.

Talvez você tenha escolhido um canto meio escondido para não interferir muito na decoração da casa, nem na disposição dos móveis.

Os obstáculos interferem na qualidade do sinal

Mas o roteador funciona com ondas, como as de rádio ou as do seu celular, ou seja, qualquer obstáculo no meio do caminho – uma cortina, um livro, etc – pode interferir na sua cobertura.

A melhor estratégia é colocá-lo em um lugar alto, pois assim o sinal se expande para baixo e para os lados e ele fica livre de objetos ao redor.

Como o sinal se espalha em todas as direções, o melhor é colocar o roteador no centro do cômodo. Também é importante que você o coloque no local da casa onde mais irá utilizá-lo.

Alguns dispositivos, como telefone sem fio e micro-ondas, podem interferir no sinal, por isso o ideal é não colocar o roteador perto desses itens.

2) Mudança de canal

 Foto: BBC Mundo / Copyright

Foto: BBC Mundo / Copyright

É possível que, se você é o único da vizinhança com uma rede Wi-Fi no seu prédio, seu sinal seja bom. Mas sendo realista, isso é muito pouco provável. Muita gente tem conexão de internet sem fio atualmente e, com certeza, a sua rede está funcionando no mesmo canal que a de alguns dos seus vizinhos.

Se a casa for grande, é possível que o sinal não chegue a todos os cômodos

Fazendo algo simples – escolher o canal que está mais livre -, você pode melhorar muito a cobertura do seu Wi-Fi.

Existe uma variedade de aplicativos que te permitem saber qual canal você deve escolher.

Um dos mais usados é o Wi-Fi Analyzer, para Android, que proporciona gráficos para ver qual canal está utilizando cada roteador para depois recomendar os melhores. Para mudar o roteador de canal, você pode perguntar à empresa fornecedora do roteador ou usar o manual de instruções, se o aparelho for seu.

3) Proteja-se dos ladrões

 Foto: BBC Mundo / Copyright

Foto: BBC Mundo / Copyright

Se, apesar de tudo isso, sua rede continuar funcionando com lentidão, pode ser que estejam ‘roubando’ seu Wi-Fi. Sua rede também pode estar sendo ‘roubada’ pelos vizinhos

Para verificar isso, você pode usar alguns dos programas ou aplicativos que existem no mercado para indicar quais dispositivos estão conectados à sua rede em um determinado momento.

Se houver alguém usando sua rede, você deve ir às configurações do seu roteador para bloquear o acesso e limitar quem pode se conectar ao seu Wi-Fi por meio do MAC (controle de acesso à mídia) – para fazer isso, existem muitos tutoriais disponíveis na internet.

Outra coisa que você deve fazer é mudar a sua senha imediatamente. O melhor é sempre combinar letras e números e evitar senhas óbvias que, apesar de fáceis de lembrar, são muito simples para que outros possam roubar.

4) Melhore o alcance do seu roteador

 Foto: BBC Mundo / Copyright

Foto: BBC Mundo / Copyright

Se você já tentou todas as opções anteriores e não conseguiu solucionar o problema, talvez não reste outra alternativa que não a de instalar um dispositivo adicional – especialmente se você vive em uma casa com vários pisos ou paredes muito grossas.

Instale um repetidor para aumentar o alcance do sinal. A primeira opção são os repetidores de Wi-Fi, que se conectam ao roteador por meio de um cabo Ethernet e reenviam o sinal a dispositivos mais remotos.

Esses repetidores devem estar sempre conectados por cabo com o roteador, o que pode causar uma inconveniência. Por isso, outra opção seria utilizar um dos chamados dispositivos PLC, ligados ao cabeamento da rede elétrica.

BBC Brasil

Tremor nas pálpebras é sinal de que é preciso desacelerar, dizem médicos

tremor-nas-palpebrasQuem nunca sentiu aquele famoso tremor nas pálpebras? Algo tão irritante quanto impossível de ser controlado. Pior: pode durar dias, com direito a curtos intervalos. Mas por que isso é tão comum e, ao mesmo tempo, difícil de ser evitado?

A oftalmologista Andrea Lima Barbosa, diretora médica da Clínica dos Olhos São Francisco de Assis (RJ), conta que é extremamente comum pessoas chegarem a seu consultório com essa queixa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“É sempre preocupante para a pessoa e o correto é procurar um especialista, mesmo. Esse tremor palpebral em episódios é uma luz vermelha avisando que algo não vai bem não só no seu corpo, mas em sua vida”, alerta a médica.

Ela conta que o tremor é um sinal de que a pessoa pode estar no auge do estresse. “Pode ser  fadiga, ansiedade, resultado de noites mal dormidas ou problemas pessoais , por exemplo”.

SAIBA AS CAUSAS E COMO TENTAR EVITAR:

  • Como as causas são diversas, para evitar o tremor involuntário das pálpebras deve-se identificar a mais importante e agir nela:

    – Fadiga: pode ser causada pelo uso contínuo de computadores ou monitores (síndrome da visão do computador). Nestes casos há necessidade de se intercalar períodos de trabalho com períodos de descanso dos olhos, ou seja, a mudança de foco durante 15 minutos, antes de prosseguir no uso;

    – Estresse: deve-se tentar evitar ou resolver as condições ou as situações do ambiente de trabalho ou familiar que estejam ligadas ao aumento da ansiedade; pode-se tentar a utilização de medicação relaxante muscular leve, sob indicação médica;

    – Secura nos olhos: também pode estar relacionada ao uso contínuo de computadores. Usar colírios lubrificantes preventivamente é indicado, assim como aumentar a umidificação do ambiente de trabalho;

    – Cafeína: se a causa for associada ao consumo excessivo de cafeína, de bebidas energéticas ou de cigarro, deve-se reduzir ou suspender seu consumo;

    – Não identificadas: sugere-se a consulta oftalmológica completa com objetivo de se avaliar a função muscular das pálpebras, a superfície ocular, erros refracionais ou fundo de olho.

    Fonte: Norma Allemann, Professora Adjunta do Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de Medicina – UNIFESP.

Estresse

Barbosa explica que o tremor, quase sempre unilateral, aparece porque liberamos hormônios ligados ao estresse que vão para o sistema nervoso autônomo. Estes hormônios levam estímulos para as pálpebras, que passam a ter contrações involuntárias, ou seja, impossíveis de se controlar.

Com ela concorda o oftalmologista Luiz Carlos Portes, ex-presidente e membro do conselho consultivo da Sociedade Brasileira de Oftalmologia. Ele acrescenta alguns outros fatores que podem desencadear o problema: ingestão excessiva de cafeína, carência de vitaminas, idade avançada, excesso de horas em frente ao computador etc.

Ambos enfatizam que o oftalmologista deve ser consultado para descartar qualquer doença, mas o comum é mesmo que tudo não passe de estresse.  Porém, se for algo além disso, o paciente será encaminhado para um neurologista, por exemplo.

Portes, porém, avisa que algumas doenças como conjuntivite e olho seco também podem provocar os espasmos. Isso sem contar que pessoas com mal de Parkinson e Síndrome de Tourette (desordem neurológica ou neuroquímica caracterizada por tiques, reações rápidas, movimentos repentinos  ou vocalizações que ocorrem repetidamente) também sofrem com esses espasmos.

Procurar o médico

“Por isso é importante consultar um oftalmologista”, enfatiza o médico. Porém, como na maioria dos casos o problema advém mesmo do estresse, ele comenta: “Há pessoas que ao ficarem estressadas, sentem azia. Outras têm dor nas costas e algumas têm este tremor. É difícil, mas é preciso achar um caminho para não sentir tudo isso”.

“Você tem de se perguntar: o que vai fazer da sua vida? Como anda o trabalho e os relacionamentos. Eu indico relaxamento, ioga, meditação, algo para acalmar mesmo. E, na medida do possível, evitar se estressar”, alerta Barbosa.

A médica insiste que é preciso tomar cuidado porque, se a pessoa não se cuidar, poderá desenvolver doenças cardíacas, depressão, ansiedade ou hipertensão, por exemplo.

“É preciso mesmo repensar a vida”, ressalta, acrescentando que ela própria já passou por isso: “Quando eu fazia plantão médico, eu mesma tinha isso com frequência. Era uma época bem estressante para mim”. Portes também já teve o mesmo problema, quando se preparava para o vestibular: “Eram menos opções de faculdades e a pressão era ainda maior. Estudava muito!”.

Como fazer parar?

Uma receita caseira dá conta de que compressas de chá de camomila ajudariam a parar o tremor.  “Melhor tomar o chá”, brinca a médica.  Porém, ela ensina que gelo é bom, porque anestesia a musculatura.

Já o médico conta que indica ao paciente um relaxante muscular, mas também aconselha a pessoa a ir ao cinema, praticar exercícios e descansar, pois o comum é que o tremor passe quando ela conseguir relaxar.  “Se notamos que é algo de ordem pessoal ou depressão mesmo, o correto é encaminhar a um psicólogo ou psiquiatra”.

Botox

Se a pessoa tiver o tremor de forma crônica, pode ser algo mais grave. “Existe a doença do espasmo essencial, blefarospasmo, que é rara. É o famoso tique nervoso, a pálpebra fica tremendo o tempo todo. Daí é preciso tratamento com um neuro-oftalmologista que usará injeções de Botox”, conta a médica. A indicação ocorre porque a toxina botulínica paralisa o músculo.

Norma Allemann, professora adjunta do Departamento de Oftalmologia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), conta que, em alguns desses casos, após diagnóstico diferencial adequado com doenças neurológicas que podem estar associadas, a toxina botulínica é aplicada em forma de injeções e tem duração variável de efeito, entre três e seis meses.  “O blefarospasmo é uma condição rara, um tipo de distonia facial, geralmente bilateral e associado a contraturas de outros músculos da face e caracterizado pela impossibilidade de controle voluntário.  Pode ser um sintoma de doenças neurológicas e deve ser acompanhado de consulta especializada para diagnóstico”, encerra.

Uol Saúde

Pesquisa revela que colocar imagem ao lado do parceiro no perfil do Facebook é sinal de insegurança na relação

selfUm novo relatório divulgado por cientistas psicólogos afirmou que o fato das pessoas colocarem fotos de perfil no Facebook juntamente com o parceiro pode ser um sinal de que o casal está se sentindo inseguro no relacionamento.

O relatório “Can You Tell That I’m in a Relationship” foi divulgado por cientistas do Canadá e dos EUA, que descobriram que quando as pessoas estão preocupadas com o afeto de seu parceiro, elas tendem a tornar a relação mais visível publicamente.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Os pesquisadores mediram as mudanças diárias de sentimentos das pessoas, contando o quanto eles postavam sobre os relacionamentos no Facebook. Nos dias em que as pessoas se sentiam mais inseguras do que o habitual, elas expunham ainda mais a relação na rede.

Cientistas revelaram o motivo pelo qual os casais postam fotos juntos nos perfis do Facebook, relatando a insegurança como principal causa para o fato.

A pesquisa revelou, porém, que pessoas geralmente não muito carinhosas tendem a postar muito menos sobre seus relacionamentos quando se sentem preocupadas com seu parceiro, preferindo o silêncio.

88

Fonte: Mirror

Alteração no ritmo do coração deve ser sinal de alerta

coraçãoO coração tem um ritmo que deve ser mantido na maior parte do tempo. Ele funciona como um instrumento musical mesmo, com uma cadência bem definida. Este foi o tema do Bem Estar desta quinta (18), que teve a participação dos cardiologistas Roberto Kalil e Denise Hachul.

Os problemas em que o coração sai dessa batida normal são conhecidos como arritmias, que é o termo mais amplo. A aceleração fora de hora é chamada de taquicardia, e a batida mais lenta é a bradicardia.

Palpitações, tontura e falta de ar são sintomas das arritmias cardíacas. Elas precisam ser identificadas e controladas, porque representam um risco para o funcionamento do coração.

Quaanto às atividades físicas, que são essenciais para a saúde, é preciso saber respeitar os limites do corpo. Atividades extenuantes, principalmente para pessoas sedentárias, devem ser evitadas, porque também são um risco para o coração.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O programa mostrou também a relação entre as pedras nos rins e doenças como o infarto e o AVC. Não é que a pedra no rim cause os problemas cardiovasculares; o que acontece é que os dois podem ter uma origem em comum. Quando o metabolismo do cálcio no corpo é alterado, o excesso da substância pode provocar as pedras e também endurecer as veias e artérias, o que pode levar ao infarto e ao AVC.

 

 

G1

TVs têm prazo de um ano para informar o fim do sinal analógico

tvdigitalPortaria publicada hoje (1º), pelo Ministério das Comunicações, determina que emissoras, geradoras e retransmissoras de televisão comecem a informar seus telespectadores sobre o desligamento do sinal analógico com um ano de antecedência. O cronograma de desligamento varia de acordo com cada região e cidade do país.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

As informações terão de ser veiculadas nas emissoras de sinal aberto e nos sinais veiculados nas emissoras de canal fechado, por meio de uma logomarca com o símbolo da televisão analógica. Todas terão de informar a data do desligamento e o número do canal digital para o qual migrará a programação.

A portaria define, também, os números mínimos de inserções diárias na programação, começando com três e chegando a 187 no último mês que precede o desligamento. Está previsto, inclusive, a utilização de tarja ao pé da tela, por pelo menos 30 segundos, com texto fixo ou texto em movimento.

Na tarja deverão constar informações como data do desligamento, cidades afetadas, e o número do canal digital que passará a operar a programação, bem como a divulgação de site e telefone de uma central destinada a esclarecer eventuais dúvidas sobre o desligamento.

De acordo com o Ministério das Comunicações, as emissoras terão de fixar, no alto da tela, a contagem regressiva para o desligamento do sinal analógico. Com o novo padrão, as TVs passarão a ser interativas e com qualidade superior da imagem e do som. A expectativa é que o cronograma seja concluído ao final de 2018.

O Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre (SBTVD-T) foi criado em 2006, pelo governo federal, com o intuito de estabelecer as diretrizes para a migração do sistema de transmissão analógico para o digital, previstas para começarem em abril de 2016, no Distrito Federal e nos municípios da Região do Entorno da capital federal. Em seguida, abrangerá capitais e cidades dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e do Rio de Janeiro.

Fonte: Agência Brasil

Cólica menstrual com diarreia pode ser sinal de endometriose

colicaA cólica é uma das principais queixas femininas durante o ciclo menstrual. Normalmente, ao realizar alguns procedimentos caseiros e tomar alguns remédios as dores melhoram. Porém, quando as dores vêm acompanhadas de crises de diarreia, dores na região pélvica antes, durante ou após a menstruação e até mesmo durante a relação sexual, a mulher pode ter endometriose.

De acordo com o ginecologista responsável pelo setor de Histeroscopia Ambulatorial do Hospital Sírio Libanês, Joji Ueno, a doença atinge 10% das brasileiras em idade reprodutiva e é ocasionada por uma afecção inflamatória provocada pelas células do endométrio.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

― Algumas dessas células não são expelidas corretamente, pois mudam seu percurso e caem nos ovários, chegando à cavidade abdominal. Com isso, elas se grudam em órgãos como bexiga, ovário, intestino e vagina.

Ao ficarem instaladas em outros órgãos, essas células desencadeiam um processo inflamatório dentro do organismo, causando dores e sangramentos.

― Quando o endométrio se aloja nas trompas pode levar a diminuição da fertilidade feminina.

Segundo o ginecologista, isso não significa que a mulher deixará de ser fértil, mas quer dizer que as chances de engravidar naturalmente são drasticamente reduzidas.

― Um dos tratamentos indicados para reverter a endometriose é a cirurgia laparoscópica. Mas este é um procedimento que deve ser realizado mediante a gravidade da doença. Outro recurso é o uso de medicamentos que suspendem o menstruação como a pílula anticoncepcional tomada sem intervalos, que tenta impedir ou protelar a endometriose.

R7

LEI: Operadoras de telefonia têm até sexta para entregar mapas da qualidade do sinal de celulares na Paraíba

celularAté a próxima sexta-feira (27), todas as operadoras de telefonia móvel que atuam na Paraíba deverão apresentar ao Procon-PB mapas e relatórios sobre a qualidade de sinal em cada municípios paraibano. O prazo foi definido nesta sexta-feira (20), durante reunião realizada no órgão de defesa do consumidor com representantes das empresas prestadoras do serviço de telefonia móvel.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A exigência, segundo o secretário executivo do Procon-PB, Marcos Santos, observa o disposto na lei estadual 10.058/2013, que estabelece que as empresas operadoras do serviço de telefonia móvel ficam obrigadas a disponibilizar ao consumidor, quando solicitado pelo interessado, informações sobre a área de cobertura e a qualidade de sinal. “A lei entra em vigor em outubro e nós nos antecipamos em convocar as empresas de telefonia para garantir que o consumidor tenha acesso às informações corretas de imediato”, comentou.

O secretário executivo do Procon-PB acrescentou ainda que as informações serão uma forma de oferecer ao consumidor segurança no momento das compras. “De posse dos dados sobre a cobertura e a qualidade no sinal, o consumidor poderá escolher a operadora de acordo com a localidade onde vive”, ressaltou. “Além disto, acredito que estas informações sobre a área de cobertura irão despertar uma competitividade mais nas empresas, gerando aumento nos investimentos para a melhoria do sinal”, acrescentou.

A lei estadual 10.058/2013 foi publicada no último dia 16 de julho e prevê ainda que a área de cobertura do sinal da operadora, em todo o Estado, deverá ser indicada em painel nas lojas, exposto em local visível.

MaisPB com Secom PB