Arquivo da tag: sexual

Suspeito de matar jovem que teria praticado abuso sexual contra criança é preso, na PB

Um homem foi preso neste sábado (9), em Queimadas, na Paraíba suspeito de matar um jovem de 26 anos que teria cometido abuso sexual contra uma criança de um ano e três meses. A criança é sobrinha da companheira do suspeito preso, que negou o crime.

A equipe do Núcleo de Homicídios da 11ª Delegacia Seccional com sede em Queimadas prendeu em flagrante um dos autores do homicídio. Após receber a notícia do crime, os policiais civis do Núcleo de Homicídios entraram em diligências que culminaram com a prisão do suspeito, de 23 anos.

Após a prisão em flagrante o preso foi recolhido na carceragem da Central de Polícia Civil de Campina Grande, onde aguardará a audiência de custódia. “As investigações continuam para se identificar as demais autorias”, concluiu Ilamilton Simplício, Delegado Seccional da 11ª DSPC-Queimadas.

Qualquer pessoa pode fazer uma denúncia sobre qualquer tipo de crime. Para isso, basta ligar para Disque-Denúncia da Polícia Civil pelo número 197 ou para a Polícia Militar, em caso de urgência, pelo 190. A denúncia pode ser anônima e mesmo que o denunciante queira se identificar, todas as informações serão mantidas em absoluto sigilo e sua identidade será preservada.

G1

 

Homem é preso em Araçagi suspeito de importunação sexual contra adolescente

Um homem foi preso por policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) na noite dessa quarta-feira (1º), na cidade de Araçagi, suspeito de importunação sexual praticado contra uma adolescente de 16 anos de idade. O suspeito, de 26 anos, que trabalha com frete, teria sido contratado pela vítima para fazer o transporte de alguns objetos dela.

Depois de entrar na residência, ao colocar uma caixa no chão, teria apalpado as nádegas da adolescente e ainda usado palavras pejorativas com ela. Em seguida, ele deixou o local e foi para a sua residência. Após manter contato com a vítima, a guarnição comandada pelo cabo Pontes realizou buscas e localizou o suspeito, que foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Leve seu assédio para longe da gente! ALPB lança campanha contra importunação sexual no carnaval

A Assembleia Legislativa da Paraíba lançou, nesta sexta-feira (14) uma campanha contra a importunação sexual durante o período carnavalesco. Com o lema “Leve seu assédio para longe da gente”, a iniciativa tem o objetivo de empoderar as mulheres sobre os seus direitos e alertar toda a sociedade que é crime fazer qualquer tipo de abordagem às mulheres que extrapolem o respeito e a vontade delas.

Para o presidente Adriano Galdino, a campanha é uma forma do Poder Legislativo Paraibano ecoar ainda mais esse assunto, que cotidianamente se vê nos festejos de carnaval, mas que sua prática é inaceitável. “As mulheres têm o direito de escolher, desde as roupas que vestem até quem paquerar. O respeito é a porta de entrada para quem quer estabelecer qualquer tipo de diálogo e só com esse nível de educação podemos construir uma sociedade mais justa e igualitária”, defendeu.

Outras ações legislativas também estão sendo desenvolvidas pela ALPB, desde produções de matérias em defesa dos direitos da mulher até a realização de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar os feminicídios no Estado.

Essa produção atinge as necessidades mais elementares da mulher, que vão desde a inserção no mercado de trabalho, passando pelo combate ao feminicídio e demais violências doméstica e familiar, defendendo a equidade de gênero e garantindo atendimento eficaz às gestantes na rede pública de saúde, tanto no pré-natal quanto no parto e pós-parto.

agenciaalpb

 

Menina de 13 anos acusa marido da prima de abuso sexual na Grande JP

A menina de 13 anos, residente da cidade de Curral Velho, passava as férias na casa da tia em Bayeux, local onde também mora o suspeito, que é marido da sua prima.

De acordo com o relato da adolescente, ela acordou no meio da noite com o rapaz de 18 anos, que é serralheiro, se esfregando nela.

A menina contou o fato à mãe, que ao avistar uma viatura da Polícia Militar passando na rua, acionou os policiais. Os agentes de segurança foram até o trabalho do suspeito e ao chegar ao local, ele informou que já sabia do que se tratava. De lá, o jovem foi levado para a delegacia da mulher em Bayeux para prestar esclarecimentos. O caso será encaminhado para a delegada Conceição Casado.

A mulher do suspeito também foi avisada pela prima e ao questionar o marido, ele teria negado. Os dois estão juntos há um ano e uma filha dela, de seis anos, mora com eles. A mulher afirmou, a princípio, que acreditava na inocência do marido, por ele nunca ter feito nada com a afilhada, de acordo com ela. Porém, na delegacia, a esposa ficou em dúvida sem saber se acreditava na prima ou no marido.

Marília Domingues / Flávio Fernandes

 

 

Justiça do Trabalho anula multa aplicada à Igreja Católica da Paraíba por exploração sexual

A Justiça do Trabalho anulou, nesta quinta-feira (7), a multa de R$ 12 milhões aplicada contra a Arquidiocese da Paraíba através de uma ação civil pública, que acusa a instituição religiosa de exploração sexual. De acordo com a decisão, não há provas suficientes no processo. O julgamento do recurso aconteceu no Tribunal Regional do Trabalho, em João Pessoa. A procuradoria afirmou que vai recorrer da decisão.

A multa foi aplicada em janeiro de 2019, mas o caso vem sendo investigado desde 2014. Conforme a acusação, um grupo de sacerdotes pagava por sexo a flanelinhas, coroinhas e seminaristas.

A denúncia feita pelo procurador do Ministério Público do Trabalho, Eduardo Varandas, também afirma que o pagamento aos jovens explorados era feito com dinheiro e até mesmo com comida. Os padres envolvidos negam a acusação. Eles foram afastados da função.

Conforme explicou Varandas no mês de janeiro, a indenização de R$ 12 milhões – R$ 1 milhão para cada ano de dom Aldo Pagotto à frente da Arquidiocese – seria revertida “para o fundo da infância, da adolescência e instituições congêneres que trabalham com crianças sexualmente exploradas e atuam na recuperação psicóloga e na reinserção social”.

O julgamento começou à tarde e terminou pouco antes das 20h. Mais informações sobre o processo não foi divulgado, pois o caso corre em segredo de justiça.

G1

 

Homem é preso por estupro após adolescente afirma relação sexual e gravidez, em Guarabira

Um homem de 26 anos foi preso na tarde desta segunda-feira (21) acusado por estupro de vulnerável, desacato, desobediência, resistência e lesão corporal, no município de Guarabira, no Agreste da Paraíba. O fato foi registrado por volta das 12h, no Conjunto Ana Kelly.

Segundo a polícia militar, o acusado estava agredindo uma adolescente e teria tirado o bebê à força do colo dela. “Ele pegou sem minha autorização e levou o bebê para um local impróprio”, disse a menor de 14 anos, que ao tentar impedir, foi empurrada e derrubada ao chão.

Durante ocorrência, os policiais militares Tenente Danilo e Cabo Rogério foram agredidos e desacatados pelo acusado e a irmã do mesmo. “Ele estava muito agressivo, resistiu à prisão e desobedeceu às determinações legais da polícia, tentando fugir pelo quintal da casa”, relatos da polícia.

A irmã do acusado, tentando impedir sua prisão veio a jogar uma cadeira na direção da guarnição, atingindo o braço e o pescoço de um dos policiais. A adolescente de 14 anos relatou que mantém relações sexuais com o acusado desde os seus 12 anos de idade, vindo a engravidar do mesmo e dar a luz, aos 13 anos.

Diante dos fatos, as partes envolvidas foram encaminhadas até a delegacia de Polícia Civil para as devidas providências.

Blog do Pedro Júnior

 

 

Organizadores de festa na Paraíba com suposta exploração sexual de adolescentes são identificados

Três pessoas foram identificadas nesta segunda-feira (21) como responsáveis pela festa que foi cancelada pela Vara da Infância e da Juventude por suspeita de exploração sexual de adolescentes no bairro do Bessa, em João Pessoa. De acordo com o juiz da infância e da juventude, Adhailton Lacet, afirmou que ainda vai ouvir os suspeitos e definir o que vai ser feito posteriormente aos depoimentos.

Agentes da 1ª Vara da Infância e da Juventude acabaram na noite de sábado (19) com uma festa que iria acontecer em uma casa no bairro do Bessa, em João Pessoa, por suspeita exploração sexual de adolescentes e consumo de bebida alcoólica. Os organizadores da festa fugiram do local com a chegada dos agentes.

A festa no bairro do Bessa cobrava R$ 15 de entrada e dava direito à bebida alcoólica, preservativo e quarto por 30 minutos, começando às 17h até meia-noite. Justiça encontrou mais de 100 adolescentes no local no momento da chegada dos agentes da infância e juventude.

“Ainda precisamos identificar se os responsáveis apontados são adolescentes ou adultos, se houve de fato algum tipo de exploração sexual de adolescentes. A apuração dos fatos pode levar o Ministério Público a oferecer denúncia”, comentou o juiz.

De acordo com o juiz, caso sejam identificados os crimes de exploração sexual de adolescente, os autores podem receber uma pena de 4 a 10 anos. Adhailton Lacet comentou que os pais de adolescentes precisam ficar vigilantes às festas que os filhos frequentam.

Um dos adolescentes que assumiu ter sido um dos organizadores da festa usou seu perfil em uma rede social para esclarecer que o dinheiro dado para realização da festa cancelada pela Vara da Infância e Juventude não seria devolvido. Ele conta que o grupo que organizou a festa arcou com muitas dívidas que ainda precisam ser pagas.

Um dos organizadores da festa postou no Instagram uma mensagem sobre a devolução do dinheiro — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

Um dos organizadores da festa postou no Instagram uma mensagem sobre a devolução do dinheiro — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

Outra festa

De acordo com informações enviadas para produção da TV Cabo Branco, uma segunda festa com o mesmo formato da fechada pela Justiça da Infância e Juventude aconteceu também no sábado e no bairro do Bessa. Nesta, a entrada custava R$ 10 e dava direito a tomar banho de piscina, quartos e bebidas liberados. Vídeos feitos na festa mostravam vários jovens, aparentemente adolescentes, na festa.

G1

 

Inquérito investiga denúncia de suposto assédio sexual cometido por conselheiro tutelar

O promotor de Justiça de Pilar, Fernando Cordeiro Sátiro Júnior instaurou inquérito civil público para investigar denúncia de suposto assédio sexual praticado por um conselheiro tutelar da cidade de São Miguel de Taipu. A denúncia foi formulada
pelo próprio Conselho Tutelar de São Miguel de Taipu “de que o Conselheiro José Alexandre estaria com comportamento impróprio para o cargo em que ocupa, assediando sexualmente adolescente que buscam atendimento no órgão”.

A portaria foi publicada no diário eletrônico do MPPB, na edição dessa quinta-feira (29).

O Ministério Público observa, no documento, que é “dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão”. As garantias estão na Constituição Federal e na Lei Federal nº 8.069/90 (Estatuto da Criança e do Adolescente).

Para zelar pelos direitos e garantias legais assegurados às crianças e adolescentes, o MPPB vai promover as medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis.

O promotor de Justiça determinou a autuação e o registro da portaria, bem como a notificação de José Alexandre para apresentar defesa no procedimento no prazo de 15 dias.

Além disso, foi determinada a expedição de recomendação ao presidente do CMDCA de São Miguel de Taipu recomendando a abertura de procedimento administrativo disciplinar contra o Conselheiro Tutelar José Alexandre.

 

 

clickpb

 

 

Operação contra exploração sexual prende proprietária de prostíbulos na PB e RN

Foi presa na madrugada do domingo (25), em virtude de uma operação do Ministério Público do Trabalho (MPT), Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Militar da Paraíba contra a exploração sexual de crianças e adolescentes, entre a Paraíba e Rio Grande do Norte, a proprietária de três prostíbulos entre PB e RN.

Segundo a PRF, foram identificados três ambientes nos municípios de Araruna (PB), Tacima (PB) e Passa e Fica (RN). Em cada uma das três cidades as equipes estiveram no estabelecimento comercial chamado “Amazonas Bar”, os três pertencentes a mesma proprietária, de 34 anos.

Segundo as investigações, durante a abordagem, as equipes confirmaram que se travam de prostíbulos, com a presença de mulheres trajando roupas íntimas, algumas grávidas (ao menos três) e grande quantidade de homens consumindo bebidas alcoólicas. Os imóveis se dividiam basicamente em um salão contendo mesas e cadeiras, um palco com baixa iluminação e várias portas para acesso a pequenos quartos, sem ventilação, com vasos sanitários dentro. Nos três locais as condições insalubres chamaram a atenção, pois era constante a presença de baratas, cheiro de urina e fezes.

Um adolescente, de 17 anos, foi encontrada no estabelecimento do Rio Grande do Norte após revistas ao local. Neste momento foi dada voz de prisão para a proprietária por exploração sexual de adolescente.

A vítima foi encaminhada para o Conselho Tutelar da região.
Uma pequena quantidade de maconha nos pertences de umas das jovens foi apreendida também no Rio Grande do Norte. A droga foi apreendida e a mulher foi liberada após prestar depoimento.

A PRF reforça a importância de qualquer cidadão ao combate ao crime. A denúncia, anônima, pode ser feita pelo Disque 100, cujo atendimento é direcionado para o enfrentamento da violência contra crianças e adolescentes, ou pelo 191, número de emergência da PRF.

pbagora

 

 

Homem é preso suspeito de tentar trocar televisão por relação sexual com adolescente, na PB

Um homem de 68 anos foi preso nesta quinta-feira (27) suspeito de oferecer uma televisão em troca de relações sexuais com uma adolescente de 13 anos, em Santa Rita, na Grande João Pessoa. De acordo com a Polícia Civil, o homem manteve contato físico com a jovem e deve ser indiciado por estupro.

A adolescente é filha da mulher presa na terça-feira (26) por aliciar sexualmente as três filhas de treze, nove e seis anos. A polícia constatou que vários homens frequentavam intensamento a casa onde moravam, em Cicerolândia, Zona Rural de Santa Rita, para ter relações sexuais com a mulher ou com as meninas.

Ela passou por audiência de custódia nesta quinta-feira e vai permanecer presa. A mulher foi encaminhada para o Centro de Reeducação Feminina Maria Júlia Maranhão, no bairro de Mangabeira, em João Pessoa. As meninas foram encaminhadas para um abrigo e a Polícia Civil procura o pai delas, na cidade de Mari, ou algum parente que assuma a responsabilidade.

De acordo com a Polícia Civil, o exame realizada em uma das meninas constatou que uma das crianças sofreu abuso sexual recentemente. Ela informou que já mantinha relações sexuais com um parceiro fixo de 17 anos, a quem chamou de marido. Segundo ela, o jovem cedia R$ 50 por mês, que eram repassados para a mãe.

G1