Arquivo da tag: seqüestra

Dupla sequestra homem e faz assaltos com ele na mala do carro; houve perseguição

Portal Correio
Portal Correio

Dois menores abordaram um motorista e o sequestraram na mala do próprio carro no bairro Renascer, em Cabedelo, na Grande João Pessoa, no fim da tarde desta segunda-feira (7). Segundo a Polícia Militar, com a vítima presa, a dupla praticou uma série de assaltos no bairro, chamando a atenção de uma guarnição local, que deu início a uma perseguição.

De acordo com o capitão Clecitoni Francisco, da PM, os menores suspeitos pelo sequestro são conhecidos da polícia por praticarem roubos na região.

“Eles seguiram no Corsa preto do rapaz e roubaram o celular de outras vítimas. A guarnição viu e entrou em perseguição dentro do bairro, indo na direção de uma área de mangue, onde a dupla abandonou o veículo”, contou o capitão.

Após os menores fugirem a pé para dentro do mangue, a PM abriu o porta-malas e libertou a vítima, que não se feriu no trajeto. O veículo também não ficou danificado. A partir de fotografias exibidas pelos policiais, o homem sequestrado reconheceu os suspeitos.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O caso foi registrado na 7ª Delegacia Distrital de Cabedelo, onde a vítima prestou depoimento. As pessoas que foram assaltadas enquanto os suspeitos trafegavam no carro não foram localizadas.

Clecitoni explicou que a área por onde os sequestradores fugiram é de difícil acesso. A PM fez buscas, mas, até as 19h50 desta segunda, ninguém havia sido detido.

 

portalcorreio

Grupo sequestra ônibus escolar na Paraíba e um dos bandidos esquece o celular ao liberar vítimas

Divulgação/ Polícia Militar/ Coronel Livio
Divulgação/ Polícia Militar/ Coronel Livio

Um ônibus escolar da cidade de Esperança, no Agreste do estado, foi sequestrado por bandidos na noite dessa quarta-feira (29), na cidade de Campina Grande. O veículo, que estava com cerca de 30 estudantes, foi levado da porta de uma faculdade particular. Celulares foram roubados.

Segundo o coronel Lívio Delgado, comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar, um dos bandidos esqueceu o celular dentro de um carro que teria sido deixado pelos bandidos após liberar as vítimas. “Encontramos um celular dentro carro e quando fomos averiguar o conteúdo do equipamento, várias fotos existiam no aparelho. Quando mostramos as vítimas, todas reconheceram ele como um dos assaltantes”, disse.

Conforme consta no relatório do Centro Integrado de Operações da Polícia Militar ( Ciop) de Campina Grande, por volta das 21h, o transporte escolar estava estacionado na frente da instituição de ensino superior quando quatro assaltantes invadiram o veículo e deram início a ação criminosa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

As vítimas disseram que o ônibus percorreu alguns bairros da cidade. Segundo a Polícia Militar, apesar da grande quantidade de ocupantes, apenas quatro estudantes tiveram celulares e pertences roubados.

O sequestro do ônibus ocorreu no bairro da Liberdade e o transporte foi localizado nas proximidades de um restaurante de comida regional no bairro do Catolé. As vítimas foram levadas para a Central de Polícia Civil onde prestaram depoimento e deram informações sobre os suspeitos.

A Polícia Militar encontrou um carro foi deixado perto do ônibus, que segundo levantamento da PM, é roubado e estaria dando o suporte aos criminosos. “Nossas viaturas estão em campo para prender os assaltantes. Um já foi reconhecido pelas vítimas assim fica mais fácil de prender todos”, falou Lívio Delgado.

 

 

Por Hyldo Pereira

Bando sequestra família de gerente e leva mais de um milhão do BB

banco-do-brasilMais de um milhão de reais foram roubados do Banco do Brasil, agência de Mangabeira, nesta sexta-feira (18), após o gerente e a família dele passar a noite inteira na mira de uma quadrilha de assaltantes, em João Pessoa.

Na manhã de hoje, os criminosos foram até o estabelecimento bancário fizeram o gerente abrir o cofre e fugiram levando todo o dinheiro. Ele foi surpreendido pelos assaltantes ao chegar a sua residência e foi feito refém, juntamente com sua família, durante toda a noite.

No banco, os assaltantes rederam os vigilantes e, após pegarem o dinheiro, trancaram todos em uma sala e fugiram no carro do gerente. um Renault Sandero vermelho. O veículo foi abandonado em frente à Escola Pedro Lins no bairro de Mangabeira.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A mulher e os dois filhos foram liberados na BR-230, no sentido de Campina Grande, onde funcionava antiga Operação Manzuá, em Santa Rita. Os assaltantes não ainda não foram identificados. A agência está fechada.

 

 
MaisPB

 

Condor: operação militar que mata, tortura e sequestra pessoas

condorEm ‘Condor’, documentário de Roberto Mader (2007), sobre uma operação conjunta dos governos militares dos países do Cone Sul nos anos 1970: Brasil, Argentina, Chile, Bolívia, Paraguai e Uruguai, com o apoio dos Estados Unidos, a fim de neutralizar e reprimir qualquer ação que se opunha aos regimes e que vitimou mais de 30 mil pessoas, segundo dados das comissões de Direitos Humanos na América Latina, Jarbas Passarinho pede para que esqueçamos os mortos durante o período militar e que o Brasil vire logo essa página da história.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Passarinho, ex-coronel do exército brasileiro, foi ministro de três governos militares durante a ditadura (1964-1985), senador da República e ainda comandou a pasta da Justiça na gestão Fernando Collor (1990-1992). Em outro depoimento no filme, ele admite que houve um golpe de Estado no Brasil em 1964. “Nos tivemos que almoçá-los antes que eles nos jantassem”, diz, como justificativa para a conduta dos militares.

O coronel também admite a existência da operação Condor, afirmando que ela foi muito mais do que apenas uma troca de informações. Durante duas décadas negou-se a existência dessa operação, sendo tratada como um exagero paranóico, um revanchismo por parte das vítimas e de seus familiares oprimidos pelos governos militares.

A operação foi instituída em novembro de 1975 no Chile, onde os militares dos seis países assinaram um documento que estabelecia uma aliança na troca de informações sobre os ativistas de esquerda, práticas contra alvos suspeitos e ações em países estrangeiros. Curiosamente, o Brasil participou da aliança mas não assinou o acordo.

A operação tinha como função principal combater o terrorismo internacional, que era representado pelos comunistas. Mas a ação não distinguia os meros opositores políticos e ideológicos dos que pegaram em armas para derrubar as ditaduras, mas sendo da mesma maneira, presos, sequestrados, torturados e assassinados brutalmente.

O filme de Mader não fala das estatísticas de mortos e desaparecidos, ou entrevista especialistas sobre o assunto. O diretor preferiu apresentar histórias humanas de pessoas cuja vidas mudaram para sempre em decorrência do acordo firmado em 75. Como é o caso da uruguaia Sara Mendez, que foi seqüestrada com seu filho Simón, que tinha poucas semana de vida. Depois de torturada e solta, ela começou uma incansável procura pelo filho e só o reencontrou 25 anos depois. Simón havia sido criado por um pai policial.

A também uruguaia Victoria Larraberti, teve seus pais presos e torturados. A família fugiu para a Argentina, quando Victoria tinha um ano e meio de idade e seu irmão, Anatole, quatro anos de vida. Os pais foram capturados e assassinados na frente dos filhos. Victoria e seu irmão foram levados de volta ao Uruguai e mantidos em centros de detenção até que finalmente foram levados para um terceiro país, o Chile de Pinochet. Lá, foram adotados e mesmo depois de encontrados pela família biológica continuaram vivendo no Chile.

O documentário descreve com detalhes a operação, mostrando as evidências dos assassinatos políticos de Orlando Letelier, em Washington (Estados Unidos), e de Carlos Prats, em Buenos Aires (Argentina), ambas figuras de destaque no governo Salvador Allende, presidente deposto por Augusto Pinochet em 1973. Mostra também a dimensão da operação, que, em determinados momentos, chegou a eliminar simultaneamente mais de uma centena de opositores do regime militar chileno.

Patrício Polanco, dirigente do MIR – Movimento de Esquerda Revolucionário –, que defendia a luta armada, mesmo enquanto ocupava um posto no governo Allende, fala de como resistiu às humilhações e às degradações num campo de concentração criado pelo governo Pinochet exclusivamente para torturar e matar seus opositores. O filme revela as únicas imagens feitas num campo de concentração chileno dessa época.

A operação fechou o cerco sobre toda a esquerda latino-americana. Quando do golpe em 1964 no Brasil, muitos esquerdista fugiram para o Chile, mas com a queda de Allende e a Condor em execução, Pinochet passou a perseguir os brasileiros em seu país e a informar o governo brasileiro.

A opção de muitos foi se refugiar na Argentina. Mas a partir de 1976, com o governo do general Jorge Videla, já não era tão seguro viver no país, que com os militares no poder viveu uma das ditaduras mais sangrentas na região.

O documentário traz ainda uma entrevista com John Dinges, escritor e jornalista, autor do livro Os anos Condor. Ele conta como foi a participação do general Manoel Contreras, braço direito de Pinochet e comandante da polícia secreta do Chile durante a pior fase de terror do estado chileno.

Contreras foi um dos idealizadores da operação Condor e de 1973 a 1978 comandou a Dina – Direção Nacional de Inteligência – apontada como responsável pelo assassinato e desaparecimento de 3. 200 pessoas. No filme, ele diz que nos quartéis da Dina nunca se torturou ninguém. Segundo ele, isso não passava de propaganda comunista.

Atualmente Contrares está em prisão militar, onde cumpre 400 anos de pena por desaparecimentos, execuções e torturas de pessoas quando comandava a polícia política de Pinochet.

 

 

cartamaior

Ex-namorado sequestra adolescente e força relações sexuais por três dias

Paulo Sérgio da Silva, 27 anos, foi preso no final da manhã desta quarta-feira (14), por raptar, abusar sexualmente e manter em cárcere privado a ex-namorada, uma adolescente de apenas 14 anos. O caso foi registrado na Unidade de Polícia Solidária do Bairro de Mandacaru.

De acordo com capitão Antônio de Souza, que está acompanhando o caso, a menor de idade foi seqüestrada na tarde do último domingo (11), quando saia de casa com o sobrinho. Paulo raptou a ex-namorada e a levou para uma pousada localizada no Bairro Alto do Mateus, onde a manteve até a manhã da segunda-feira (12). Eles estavam separados há dois meses, pois segundo a vítima, seu ex-companheiro a agredia constantemente.

“A jovem nos informou que ele forçou relação sexual com ela, para que a adolescente engravidasse”, afirmou a autoridade policial.  “Ela nos disse ainda, que na segunda-feira, Paulo a levou da pousada para uma casa que estava funcionando como cativeiro, localizada no Distrito Industrial”, concluiu capitão Antônio.

A adolescente foi mantida no cativeiro até a manhã de hoje, quando ela se aproveitou do momento em que o ex-namorado a deixou sozinha para ir a uma agência bancária sacar dinheiro. “Ele disse que ia me levar para Patos”, declarou a menor. Após se libertar do cativeiro, a vítima acionou a família por telefone.

Ela foi encontrada nas proximidades do Cemitério Senhor da Boa Sentença, localizado no Centro da cidade. Já Paulo Sérgio foi pego pela polícia quando retornou ao cativeiro onde pretendia encontrar a ex-namorada. O acusado foi encaminhado a UPS em Mandacaru e posteriormente será levado à Delegacia do Menor.

Portal Correio

PALMEIRAIS/PI – Irmão de prefeito invade rádio comunitária e sequestra mesa de som

 

Adalgiso teria tirado a rádio do ar e subtraiu os equipamentos de transmissão do veículo

O Delegado Geral da Polícia Civil do Piauí, James Guerra, confirmou as informações sobre o incidente ocorrido na tarde do dia 7 deste mês, na Rádio Comunitária da cidade de Palmeirais, localizada 108 quilômetros de Teresina (PI).
O irmão do atual Prefeito Macim Teixeira (PSB), Adalgisio Teixeira filiado ao PCdoB, invadiu o estúdio da rádio comunitária Riacho do Cadoz FM,durante o programa Ligou Tocou (segunda edição), apresentado pelo radialista Walnei Souza.
Adalgiso teria tirado a rádio do ar e subtraiu os equipamentos de transmissão do veículo. Depois de um bate-boca envolvendo o prefeito e o radialista. O  irmão do prefeito fugiu do local, levando alguns equipamentos da rádio.
Segundo o delegado, o irmão do prefeito, agiu dessa forma alegando senti-se ofendido com a entrevista que estava sendo concedida no programa. “ Tenho poucas informações a respeito deste caso, o que sei é que o rapaz denominado de Adalgisio entrou na rádio e levou uns equipamentos, após sua família está bastante abalada com a informações que eram transmitidas para a população da cidade”, disse.
Ainda de acordo com o delegado, um inquérito policial foi aberto para apurar o caso. O Portal da Clube entrou em contato com o delegado da cidade, para obter saber mais informações, mas não obteve êxito.
Assessoria de Comunicação do Prefeito
Em entrevista ao Portal da Clube, Walcy Vieira, assessor de comunicação do prefeito de Palmeirais, Macim Teixeira,. afirmou que houve um mal entendido e  apenas  uma parte da história foi divulgada.
“Algumas pessoas cederam equipamentos para montar a estrutura do veiculo de comunicação, entres estas, o Adalgisio. Ele cedeu uma mesa de som e durante muito tempo esse equipamento esteve na rádio. Tudo estaria bem se durante a entrevista do  secretário de comunicação Sindicato dos Servidores Públicos Municipal, professor Paulo Roberto (Vulgo Dibeto),  o prefeito de Palmeiras e sua família não tivessem sidos ofendidos com algumas palavras de baixo calão usadas na entrevista. Revoltado, com a situação, Adalgisio entrou na rádio e pegou o equipamento, que estava apenas cedido para a rádio”, informou o assessor.

Texto: Gilcilene Araújo
Por radiozumbijp – Focando a Notícia

Ex-namorado sequestra menor e diz que só entrega segunda-feira

A mãe de uma adolescente de 14 anos denunciou a polícia nesta sexta-feira (13), que a filha foi seqüestrada pelo ex-namorado de 17 anos, após sair da escola na tarde da quinta (12), na comunidade Muçum Mago, no bairro do Valentina Figueiredo em João Pessoa.

De acordo com Francilene Lima de Sousa, a filha Jeniffer Paula Lima de Souza namorou com Mateus da Silva Quirino por cerca de um ano. No entanto, após o término do relacionamento, o jovem ficou revoltado e começou a perseguir a adolescente.

‘Na semana passada ele arrastou minha filha para a casa dele em Mangabeira e a violentou sexualmente’, declarou a mãe. De acordo com Francilene, a filha foi abordada após sair da Escola Estadual José da Paixão em Muçum Mago.

Ainda segundo Francilene, a última notícia que ela teve da filha, foi dada pela mãe do seqüestrador: ‘Ela disse que Mateus estava com Jeniffer e só iria devolvê-la segunda-feira’, concluiu.

Policiais do Serviço de Inteligência do 5º Batalhão da Polícia Militar estão acompanhando o caso.

Pollyana Sorrentino