Arquivo da tag: segredos

Lojas virtuais: quais os segredos das que têm sucesso?

Você sabia que abrir uma loja virtual é um dos negócios mais promissores dos últimos tempos? Isso mesmo!

Os números não mentem e o Relatório Webshoppers 2019 traz notícias quentíssimas e animadoras. A pesquisa, realizada e parceria com a e-Bit e o Nielsen, representa o mais confiável relatório do setor. Desse modo, descobrimos a taxa de crescimento do e-commerce, que em 2018 foi nada mais, nada menos que 12%.

Isso, sem levar em consideração que 2018 foi um ano turbulento, em meio a uma recessão, instabilidades econômicas e políticas. E mais: com Copa do Mundo e Eleições no calendário, ou seja, dadas as condições, esse foi um enorme avanço.

Portanto, para quem deseja abrir ou investir mais em seu e-commerce, a hora é essa! E uma boa prática que trazemos nesse artigo é aprender com quem já faz. Nos próximos tópicos você vai descobrir os segredos dos maiores e-commerces para alavancar suas vendas. Vamos lá!

O que define uma loja virtual de sucesso?

É certo que sucesso é um termo bastante relativo, pois está diretamente ligado aos anseios de cada empreendedor. Por exemplo, se você abriu sua loja virtual para não ter emprego fixo e consegue ter uma boa renda com ela, aí reside o seu sucesso.

Já se o seu objetivo é ser reconhecido pelos amigos e parentes como o dono de um negócio, ter uma marca com destaque é a garantia do seu sucesso pessoal.

Como não temos a possibilidade de avaliar os diversos conceitos pessoais de sucesso, vamos considerar um que parece ser o mais universal de todos: muitas vendas!

Porque algo que não dá negar é que mesmo com status, horário flexível e um bom nome na praça, não dá para levar uma loja virtual por muito tempo sem faturamento e lucro líquido, certo?

Esse também é o critério empregado pela A Sociedade Brasileira do Varejo e Consumo que divulga anualmente o Ranking com as 50 maiores empresas do e-commerce brasileiro.

Fonte: SBVC (2018)

Então, com esse conceito de vendas e geração de caixa em mente, fomos pesquisar os segredos das lojas que vendem muito na internet.

1) Agilidade na entrega – B2W Digital

A rede campeã em vendas no Brasil é não somente uma loja virtual, mas uma união de marcas como Americanas, Submarino, Shoptime e ainda o outlet SouBarato.

O segredo da empresa, segundo matéria publicada no Portal Exame, está na integração entre lojas físicas e online. E isso tende a crescer com iniciativas click and collect, em que o consumidor pode comprar pela internet e retirar na loja mais próxima.

Atenta para a importância de velocidade e custos de transportes em vendas no varejo online, a empresa integra a própria cadeia logística, sendo dona ainda de transportadoras especializadas.

2) Aposta no modelo de marketplace – Via Varejo

O conglomerado de marcas de propriedade da Via varejo inclui os e-commerces e lojas físicas de Casas Bahia, Ponto Frio e Extra. Mais uma vez, alternativas multicanais têm se destacado como sucesso no e-commerce.

O grupo, que é uma S.A. controlada pelo Grupo Pão de Açúcar, aposta no modelo marketplace, em que mais de 3 mil lojistas oferecem seus produtos.

Além disso, a gigante das vendas ainda tem como vantagem a multiplicidade de canais e de mercados atendidos. São vários ovos em várias cestas que garantem o resultado final.

3) Tecnologia e Inovação – Magazine Luiza

Luiza Helena Trajano é reconhecida como uma visionária, mesmo entre os colegas mais descrentes. Afinal, seu e-commerce foi um dos primeiros do país, inaugurado em 1995. Em um tempo que a internet era só um rascunho do que poderia ser um dia, a jovem apostou em colocar o negócio de família em um canal de vendas totalmente novo.

Um dos segredos do sucesso é exatamente esse: um alto investimento em tecnologia e interação com o cliente. Suas ofertas e promoções levaram o nome da empresa a destaque nacional. Já a tecnologia, carro chefe da administração de Frederico Trajano, amplia sua presença no varejo.

Embora sempre concorrendo com conglomerados de empresas, seus resultados são expressivos. Foi a primeira empresa e implementar a estratégia omnichannel, muito antes de a mesma ser tão divulgada.

Inovação para a empresa é tão importante que eles mantêm um centro de inovação, onde desenvolve tecnologias que ampliam ainda mais sua larga contribuição no mercado.

4) “Preço mais baixo, sempre” – Walmart Brasil

A marca de varejo de Sam Walton, em sua representação nacional, ganhou novas cores e novas práticas. No entanto, o que se mantém inalterado é exatamente o segredo do sucesso da varejista americana.

Uma cultura forte de redução de custos e despesas, que contempla toda a cadeia de suprimento. Esse esforço reflete diretamente nos preços apresentados, tanto em seu e-commerce quanto nas lojas físicas.

5) Resiliência e coragem – Grupo NetShoes

Uma empresa que nasceu para vender sapatos e com a aposta na internet, se tornou a maior loja virtual de artigos esportivos do Brasil. Essa é a Netshoes, que em 2018 abocanhou a quinta maior fatia entre as vendas das lojas virtuais.

Em uma trajetória marcada pela tentativa e erro, a resiliência de seus donos foi seu maior segredo. Criada pelos primos Marcio Kumruian e Hagop Chabab em 2000, o e-commerce levou três meses até realizar a primeira venda. O que para muitos seria motivo para desistir, foi o combustível da dupla. Desse modo, seu crescimento inicial lento, foi se acentuando e em pouco tempo a Netshoes tornou-se um fenômeno nacional.

Sem modelos de empresa a seguir, foram pavimentando seu caminho com as experiências vividas. Sua principal decisão foi a de fechar toda a parte física das lojas, dedicando-se totalmente à loja virtual.

Conclusão

Ter uma loja virtual de sucesso não é trabalho para um ou dois dias. No entanto, com foco e dedicação é possível construir um verdadeiro império.

Em resumo, apresentamos exemplos nacionais e internacionais de empresas que começaram pequenas e hoje são grandes marketplaces. Pode-se aprender com a trajetória de cada uma delas.

Entretanto, o grande segredo não é copiar estratégias, mas saber o que funcionou e pode, de alguma forma, ser adaptado ao tamanho e modelo de seu negócio.

Gostou desse artigo? Comente aqui embaixo qual dos segredos você mais gostou de conhecer.

 

 

Segredos revelados! Seis fatos sobre a ereção que eles não te contam

ZURIJETA/ISTOCK
ZURIJETA/ISTOCK

Quando o assunto é sexo todos têm aquele segredinho para uma performance incrível, e com os homens não é diferente: eles têm truques que vão desde a redução da excitação até o prolongamento da relação. Para você ficar por dentro de tudo, o DAQUIDALI desvendou tudo que eles não te contam sobre a ereção.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A PARADINHA

Você já reparou que ele para alguns segundos durante a penetração? Esse é um hábito muito comum para evitar chegar ao orgasmo antes de te satisfazer. “Praticamente todos os homens usam esse tipo de recurso para conseguir segurar mais tempo a ejaculação. ESSA PARADINHA SERVE PARA DIMINUIR A EXCITAÇÃO QUE LEVA AO ORGASMO, e na maioria dos casos eles aprendem esse recurso ainda na adolescência, com a masturbação”, explica a fisioterapeuta sexual DÉBORA PÁDUA.

 EREÇÃO MATINAL


A ereção matinal acontece com praticamente todos os homens. Foto: Mark Bowden/iStock

A grande maioria dos homens tem ereções ao acordar, e é por isso que muitos estão dispostos para a relação sexual logo pela manhã: “Existe um pico hormonal da testosterona que faz com que as ereções ocorram não só pela manhã, mas também em outros momentos durante a noite. O corpo é muito perfeito e ESSE MECANISMO FAZ COM QUE PÊNIS SEJA IRRIGADO EM VÁRIOS MOMENTOS DURANTE O SONO. Muitos acreditam que a bexiga cheia contribui, mas alguns estudos tentam mostrar que essa não é a causa real”.

PENSAMENTO DISTANTE

Para fazer o sexo durar mais os homens costumam ter pensamentos aleatórios durante a penetração, o que desvia a atenção e evita o clímax: “Isso é muito comum entre eles e pode funcionar mesmo, pois TENTA-SE TIRAR O FOCO DA EXCITAÇÃO PARA QUE ELA DIMINUA E A EREÇÃO PERMANEÇA POR MAIS TEMPO”.

Apesar de ser um truque bastante popular entre eles, nem sempre dá certo. “Como os pensamentos são incompatíveis com a situação erótica corre-se o risco de comprometer a transa. Portanto, é preferível não desfocar do erotismo e usar mesmo a paradinha ou troca de posição sexual”, alerta a sexóloga VÂNIA BRESSANI.

PREPARO

Assim como você se prepara para um encontro que pode terminar em sexo, eles também têm seus truques para arrasar, mas não é nada ligado à beleza: é comum que eles assistam a um filme pornô horas antes. “Os homens se masturbam ATÉ QUE OCORRA A EJACULAÇÃO PARA QUE NO MOMENTO DA RELAÇÃO A EXCITAÇÃO JÁ ESTEJA MENOR e a ereção permaneça por mais tempo”, conta Débora.

TEMPO MÉDIO DA EREÇÃO


Ereções costumam ser rápidas, mas homens aprendem a controlar. Foto: View Stock

Não existe um tempo cronometrado para a duração de uma ereção, mas os homens precisam de técnicas para fazê-la durar mais por um motivo fisiológico, como explica a fisioterapeuta: “A FISIOLOGIA DOS HOMENS É QUE ELES TENHAM EREÇÕES RÁPIDAS E EJACULEM RÁPIDO, mas com o tempo eles percebem que poderiam sentir mais prazer caso ela fosse mais demorada”.

SEMPRE PRONTOS?

Dizem que os homens nunca negam sexo e que pensam mais nele do que as mulheres e, apesar dele não te contar, isso quase pode ser considerado uma verdade: “Eles se permitem pensar em sexo muito mais vezes durante o dia que as mulheres, isso FAZ COM QUE ELES ESTEJAM PREPARADOS PARA O SEXO MAIS RAPIDAMENTE QUE ELAS, até porque a excitação deles é mais rápida, mas para que isso ocorra existem outros fatores como disponibilidade, cansaço, estresse e nervosismo, que podem prejudicar a vontade de transar”. De acordo com um ESTUDO, eles pensam em sexo cerca de 19 vezes ao dia.

 

daquidali

Internet oculta: conheça os segredos de um universo paralelo

escuroMilhares de pedófilos estão usando a chamada dark web, (internet obscura, em tradução livre), para compartilhar, vender ou acessar imagens de crianças sofrendo abuso sexual. Um britânico que disse ter fundado um desses sites disse à BBC disse que a página chegava a receber 500 visitantes por segundo. Segundo ele, o site não está mais em funcionamento.

Em um relatório publicado neste ano, a agência de combate ao crime na Grã-Bretanha disse que criminosos estão cada vez mais se voltando para uma internet paralela, por onde passeiam de forma anônima, para realizar atividades ilegais. No Brasil, “boa parte dos usuários são curiosos, que querem apenas ver o que existe por lá e ter a sensação de adentrar em um território da internet que é cercado de tabus”, disse o advogado e especialista em tecnologia e mídia Ronaldo Lemos, diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS Rio).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo ele, uma fração menor de pessoas entra na dark web para praticar atividades ilícitas. E outra fração entra em busca de privacidade, de um canal de comunicação que não seja monitorado ou espionado. A BBC Brasil conversou com a especialista em ciência da computação Juliana Freire, que faz pesquisas na New York University, nos Estados Unidos. Freire está prestes a embarcar em um projeto que deve revolucionar a forma como fazemos buscas na internet, permitindo, inclusive, que identifiquemos conteúdos “escondidos” na dark web.

E apesar de sua determinação em conhecer e explorar os conteúdos desse universo, a pesquisadora não parece preocupada com a existência dessa internet obscura, fora do alcance das ferramentas de busca comuns – e das autoridades. “Tráfico humano, pedofilia, esssas coisas aconteciam. Pelo menos, se está lá e você conseguer ver o conteúdo, você sabe que elas existem”.

Definições
A internet visível, ou surface web (internet de superfície), é uma porção minúscula de uma rede gigantesca, a deep web (internet profunda). Esta rede profunda engloba bancos de dados cujo conteúdo não está indexado e, portanto, não pode ser acessado por ferramentas de busca como o Google. Imagine, por exemplo, um site de venda de carros de segunda mão. As informaçõe sobre os carros estão dentro do site, mas você só tem acesso a elas quando preenche um formulário dizendo que tipo de carro está procurando.

Também podemos incluir nessa web profunda uma porção da rede onde a publicação de conteúdos, bem como o acesso a eles, acontecem de forma anônima. Essa é a dark web, ou internet obscura. A dark web inclui, por exemplo, redes como a Tor Network. Para acessá-la, é preciso baixar o Tor Browser.

Esse browser torna o endereço do seu computador indetectável. Você viaja anônimo, tanto pela internet regular, quanto pela rede obscura. Da mesma maneira, se você cria um site na rede Tor, o conteúdo fica lá, mas sua identidade não. “Se crio um site, tenho de registrá-lo e criar um IP address, para identificação”, explica Freire. “Mas essas redes criam o IP address e ninguém sabe quem eu sou”.

Essa internet anônima é usada para todo tipo de atividade ilícita, como tráfico humano e tráfico de drogas. Um desses sites, o supermercado de drogas Silk Road, operou na rede Tor durante mais de dois anos, até ser fechado pelo FBI. Mas a Tor também é usada por militantes, intelectuais e outros grupos que precisam permanecer anônimos para sua segurança pessoal. “No Irã, muitos usam o Tor para acessar a internet, na China acontece a mesma coisa”, diz Freire.

Passeio Perigoso?
A ideia de uma internet secreta, co-existindo com a rede visível, porém inacessível à maioria de nós, habitada por criminosos e libertários, parece coisa de ficção científica. Freire diz que já passeou por essas terras sem lei. Não são necessariamente perigosas, ela diz. Mas contêm armadilhas onde podem cair os viajantes menos experientes.

“Já brinquei com isso. Fiz buscas sobre tráfico humano e não vi nada. Então, digitei a palavra cocaína e encontrei vários sites de venda. Mas meus colegas me disseram que muitos desses sites são armadilhas que o governo coloca lá para pegar você”. “Você não sabe se é o governo ou se é um traficante de verdade – mas também é assim no mundo aqui fora”.

A rede profunda inclui, ainda, sites desativados que permanecem ali no cyber space, como prédios fantasma. Alguns especialistas tentaram, ao longo dos anos, quantificar, dar uma dimensão à internet profunda. Os resultados variam. Em 2001, o acadêmico americano Michael K. Bergman publicou um estudo sugerindo que a deep web seria entre 400 e 550 vezes maior do que a internet de superfície e que ferramentas de busca convencionais estariam alcançando apenas 0,03% do total de páginas disponíveis.

Projeto proporciona encontro do idoso com a tecnologiaClique no link para iniciar o vídeo

Projeto proporciona encontro do idoso com a tecnologia

Juliana Freire, no entanto, desconfia desses números. “Alguns tentaram medir isso mas não consigo acreditar nos estudos mais recentes que li, não estou convencida. É difícil de estimar o tamanho dessas coisas”.

Desafio
E à medida que a internet cresce e se transforma, cresce também o desejo de cientistas como Juliana Freire de explorá-la. Governos e autoridades, por outro lado, querem domá-la. Até 2011, Freire trabalhava para a University of Utah, em Salt Lake City. Lá, esteve envolvida no projeto Deep Peep, que se propunha a desenvolver ferramentas para indexar conteúdos armazenados em bancos de dados na internet profunda.

“A ideia era indexar todos esses bancos de dados para que a gente pudesse ter acesso a eles usando um sistema de buscas comum, como o Google”, explica Freire. “Uma ferramenta como essa é útil se você está interessado em conteúdos que vêm de fontes diferentes”. Ou seja, ela evita que você tenha de entrar individualmente em cada um dos sites para procurar a informação. Fazendo um paralelo, Freire cita sites de comparação de preços, que coletam dados de várias empresas oferecendo um determinado serviço.

“Encontrar os dados necessarios para sites de comparação, e para engenhos de busca verticais, requer um processo laborioso. O nosso objetivo era criar uma forma mais rápida, eficiente e automática de descobrir os sites que serviam de ponto de entrada para bancos de dados online”. Parte da tecnologia usada no Deep Peep foi patenteada pela University of Utah.

Agora, Freire se prepara para um novo desafio. Ela é uma entre vários pesquisadores participando do programa Memex, a convite da Defense Advanced Research Project Agency (Darpa), uma agência do Exército americano. O programa tenta criar um novo paradigma para buscas na internet, explica Freire.

 

“Grupos foram convidados a criar um conjunto de ferramentas que nos permitam fazer buscas sob medida. Por exemplo, estou interessada em um tópico e quero fazer uma busca na internet profunda. Então eu digo, me faz uma busca e um relatório desse assunto de acordo com as especificações tais”. “Ou seja, são ferramentas que te ajudam a encontrar e analisar dados”.

Um detalhe importante é que essa nova tecnologia permitirá fazer buscas na internet obscura. “O Memex quer ver tudo, quer ver dark web, surface web, deep web”, ressalta Freire. “Essa tecnologia tem várias aplicações. Vai ajudar governos a encontrarem conteúdo que está escondido na darkweb – por exemplo, conteúdo sobre tráfico humano. Vai ser útil no jornalismo investigativo, em pesquisas… para a ciência, (uma tecnologia como essa) é fundamental”.

Efeito Snowden
Em maio de 2013, um consultor da NSA (Agência Nacional de Segurança) dos EUA, Edward Snowden, denunciou para o mundo que o governo dos Estados Unidos vinha secretamente arquivando comunicações entre cidadãos feitas pela internet e por telefone. Na época, Snowden disse ao jornal britânico The Guardian que não queria viver em um mundo onde “tudo o que faço e digo é gravado”.

Nesse contexto, a ideia de que exista uma rede de comunicações fora do alcance de governos e autoridades ganha um atrativo a mais. “Apesar do intenso preconceitos contra as chamadas deep web e dark web, são canais que surgiram a partir de ferramentas de proteção à privacidade”, diz Ronaldo Lemos.

“Em vários países do mundo, especialmente em regimes autoritários onde a rede é controlada e as liberdades civis ameaçadas, esse tipo de de espaço torna-se um dos poucos ambientes públicos onde é possível manifestar pensamentos e opiniões de forma livre”. E acrescenta: “não existe apenas uma dark net, mas várias. Elas são uma consequência da estrutura aberta da internet. Apesar dos inúmeros problemas que elas trazem e que devem ser combatidos, eles são o preço a se pagar por manter a internet com uma arquitetura descentralizada, livre e aberta”.

Para Juliana Freire, no entanto, a vigilância pelo governo é um problema menor. “O Google, o Facebook, o Twitter, sabem de tudo. O Google está lendo todos os seus e-mails. “Você querer privacidade e ficar preocupada com o governo é bobagem porque tem companhias que provavelmente sabem mais do que o governo”. “Imagina o tanto que você revela ao Google só ao fazer buscas?”, questiona. “A privacidade é impossível. O que é necessário é regulamentação, porque agora não dá mais para parar esse processo”.

BBC Brasil

Seis segredos para o abdominal perfeito

Getty Images
Getty Images

iG Saúde consultou dois experts em exercícios físicos e nutrição para desvendar os segredos do abdominal perfeito, aquele que garante a barriga chapada.

 

Vinicius Zacarias, fisioterapeuta e instrutor de pilates do Zahra Spa & Estética, e Ricardo Zanuto (nutricionista, educador físico, especializado em fisiologia humana e proprietário da clínica Zanuto Saúde e Bem-Estar), revelam seis lições para não perder tempo com abdominais errados e ainda turbinar os efeitos no fortalecimento de dorso, costas e barriga.

1) Associe os abdominais à aeróbica

Segundo Vinícius Zavariais, o abdome perfeito é resultado entre abdominal e exercícios aeróbicos, como corridas e caminhadas.

“Os exercícios abdominais, na verdade, vão apenas enrijecer a musculatura, enquanto os aeróbicos, por sua vez, são responsáveis por queimar a gordura localizada nesta região”, explica o especialista.

 

2) Cautela nos abdominais com as pernas levantadas

“Deixar as pernas elevadas ao fazer abdominais, para quem não tem os músculos desta região tão fortalecidos, poderá gerar maior sobrecarga nos músculos da coxa, e da lombar, deixando de favorecer os músculos abdominais”, explica Zanuto. “Assim como posicionar as mãos atrás da cabeça para auxiliar no movimento pode acarretar sobrecarga da coluna cervical e possível lesão”, complementa ele.

3) Faça a postura perfeita e não esqueça da respiração, que turbina o fortalecimento

“A respiração e a postura, quando não executadas de forma harmoniosa durante o abdominal, podem comprometer a eficácia do exercício e causar dores em diversas regiões do corpo, como lombar, costas e pescoço”, alerta Vinicius.

“Por isso, quando for realizar o abdominal, fique atento: os pés devem se manter afastados e alinhados com o quadril, os cotovelos devem ficar bem abertos e o queixo afastado do peito e alinhado à coluna. Sempre expire no momento de mais força e inspire nas ocasiões mais relaxadas.”

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

 

4) Não espere emagrecer para só então começar os abdominais

Normalmente, as pessoas que estão acima do peso tendem a acumular gordura na região abdominal, o que sobrecarrega a lombar e também causa dores. Com o abdome fortalecido, a postura melhora e deixa as costas protegidas, desde que os exercícios sejam bem executados”, afirma Vinicius.

5) Escolha os alimentos certos e acelere os efeitos para chapar a barriga

“A principal dica para quem quer ter uma abdome definido é consumir carboidratos com baixo índice glicêmico, aumentar o consumo de proteínas e evitar o consumo de refrigerantes, doces e alimentos gordurosos”, indica Zanuto. Legumes e verduras, em especial as mais verdes, têm baixo índice glicêmico. Já as carnes e os derivados de leite com pouca gordura são as proteínas mais indicadas.

 

6) Faça séries curtas, com 30 repetições

Não existe um número limite de abdominais e o ideal é que o exercício não provoque dor. Apesar disso, Vinicius Zacarias orienta uma quantidade ideal para quem está em busca da barriga perfeita.

“O ideal é que se faça 3 séries de 30 repetições para cada grupo muscular (reto, oblíquo e inferior), sempre respeitando o tempo de descanso do músculo, que é de 48 horas”, orienta.

“Caso contrário você poderá acarretar um stress no músculo podendo causar lesões”, ensina o professor.

 

iG