Arquivo da tag: secretário

“Teremos um olhar mais aguçado para os anos finais” ressalta secretário de Educação sobre retorno das aulas presenciais

Mesmo diante de todos os obstáculos causados pela pandemia da covid-19 para a Educação, o secretário de Educação da Paraíba, Cláudio Furtado, reforçou que os alunos matriculados na rede estadual de ensino estão tendo o acompanhamento necessário e que as aulas presenciais não devem retornar sem que haja a segurança necessária tanto para alunos quanto para servidores.

”O retorno depende da avaliação dos casos de covid-19, ainda não temos uma data”, disse.

O auxiliar do governador João Azevêdo destacou ainda que na volta às aulas, cada escola fará uma avaliação da situação do conteúdo e a expectativa é que o ano letivo seja estendido até janeiro de 2021.

O olhar mais criterioso da Educação será para os anos finais, que estão se preparando para o vestibular, pontuou Cláudio.

”Claro que teremos um olhar mais aguçado para os anos finais”, declarou, acrescentando que o Estado estuda inclusive a possibilidade de adotar um 4º ano do ensino médio.

PB Agora

 

 

Guarabira: secretário Elias Asfora vence a Covid-19 e se emociona

Ex-prefeito da cidade de Serraria e atual secretário de Desenvolvimento Humano da Prefeitura de Guarabira, Elias Asfora conseguiu vencer a batalha contra a Covid-19 e recebeu alta médica nesta segunda-feira (6).

Ele estava internado havia algumas semanas e precisou de toda assistência da equipe médica para superar os graves sintoma da doença. Na saída do hospital a equipe que cuidou de Elias fez uma homenagem e ele agradeceu emocionado a todos.

Muito querido na cidade de Guarabira e na região, Elias foi secretário na gestão da ex-prefeita Léa Toscano e voltou a ocupar a mesma pasta na gestão de Zenóbio Toscano (falecido), de que era amigo há mais de 30 anos.que deram um pouco de amor por sua vida.

Ele é pai do suplente de vereador Elias Asfora Filho, que ocupou uma cadeira na Câmara de Guarabira durante mais de 3 anos e teve de sair que que o titular ocupasse sua vaga, em fase do prazo de desincompatibilização.

Nas redes sociais muitas pessoas publicaram mensagens de agradecimento a Deus pela saúde de Elias Asfora, que já se encontra em sua residência.

portal25horas

Secretário prega cautela em flexibilização e cita cidades com explosão de casos após reabertura do comércio

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, comentou neste sábado o processo de flexibilização do isolamento social na Paraíba, que já está na sua segunda etapa, segundo calendário programado pelo Governo do Estado.

À rádio Educativa, de Sousa, ele pontuou que não é possível fazer uma flexibilização ‘atabalhoada’ e citou exemplos de cidades que voltaram atrás na reabertura do comércio após explosão de casos e mortes por Covid-19.

“Estamos iniciando na Paraíba um processo lento e gradual e não há espaço para atropelamento e flexibilização atabalhoada. Vocês estão vendo os exemplos de Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, interior de São Paulo e Rio Grande do Sul, em que as pessoas abriram rapidamente comércio, bares e restaurantes, produziram aglomerações e estão tendo avalanche de casos novos e mortes”, disse

Ele lembrou que os resultados dos esforços da Secretaria de Saúde colocaram a Paraíba com bons índices no combate à doença causada pelo novo Coronavírus.

“Todo esse controle, cautela e cuidado que a Secretaria de Saúde da Paraíba tem tido ao longo desses 100 dias é com objetivo de preservar a vida dos paraibanos. Por isso, a Paraíba hoje é o estado do Nordeste com menor ocupação de leitos, menor taxa de letalidade e um dos estados com maior testagem”, declarou.

 

Secretário Daniel Beltrammi alerta para interiorização da covid-19 na Paraíba e diz que é cedo para pensar que situação melhorou

O Secretário Executivo de Gestão da Rede de Unidades de Saúde, Daniel Beltrammi, afirmou ao ClickPB que ainda é prematuro dizer que a situação da covid-19 está melhorando no estado. Isso porque, apesar de uma redução na ocupação de leitos e na taxa de contágio do estado, ainda há um número muito grande de pessoas contaminadas todos os dias.

”A gente chega a detectar o vírus em 1.500 pessoas por dia com os testes rápidos”, comentou Beltrammi. Ele explicou ainda que, embora a taxa de contágio tenha reduzido no estado como um todo, alguns municípios permanecem com taxas muito altas, próximas de 2, como é o caso de Campina Grande, Guarabira e Patos. ”Isso também mostra a interiorização da doença”.

Por isso, o secretário não acredita que haverá grande avanço na flexibilização quando for realizada a próxima avaliação, em uma semana. ”Se a gente pensar no que aconteceu entre a primeira e a segunda avaliação, a gente vai ver que não melhorou, piorou na verdade, porque mais cidades entraram na bandeira laranja, que prevê mais restrições”, disse.

Segundo ele, na última avaliação mais cidades passaram para uma bandeira mais restritiva do que para uma bandeira mais aberta. Beltrammi explicou que o planejamento não prevê a progressão das bandeiras da vermelha até a verde, sendo que elas podem melhorar ou piorar a cada avaliação.

 

clickpb

 

 

Secretário: Campina Grande é a cidade com maior poder de propagação do coronavírus

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) está de olho nos municípios que não estão cumprindo o alerta das bandeiras determinadas pelo decreto do governo do Estado, em relação ao que deve e o que não deve ser flexibilizado pelos prefeitos como forma de conter a contaminação do coronavírus.

Um dos municípios advertido é Campina Grande, além de Patos e Guarabira.

O secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros informou que a maioria dos prefeitos tem seguido as orientações da Secretaria Estadual de Saúde, mas em algumas cidades os gestores, desde o início, não seguem as determinações e hoje são as que têm maior R, ou seja, com poder de propagação e transmissibilidade do coronavírus.

“Campina Grande hoje é a cidade de maior poder de propagação do vírus, infelizmente, e nós teremos, ao longo de 15 dias, um aumento substancial no número de casos novos confirmados e de mortes”, disse.

Em relação à região de João Pessoa, o secretário afirmou que esta área deverá passar por um decréscimo no número de casos, mas poderá voltar a crescer se a população não obedecer as regras de isolamento e de higiene, que precisam ser contínuas.

“É preciso que as pessoas entendam que essa pandemia ocorre no país inteiro e no Estado em ondas alternantes nos municípios. Elas não ocorrem simultaneamente”, disse acrescentando que este fato já aconteceu na Grande João Pessoa, que foi o centro da pandemia por várias semanas e depois o vírus se alastrou pelo interior do Estado.

Segundo ele, na região metropolitana, principalmente na Capital, há uma tendência de estabilização e, brevemente, haverá um decréscimo no número de casos, porque já atingiu muitas pessoas que agora estão imunizadas.

“Nesse momento de flexibilização lenta e gradual, eu gosto de enfatizar que as pessoas não devem entender que todos já podem circular pelas ruas, pela orla marítima e liberar tudo, não é isso. Se isso acontecer, vamos ter que retroagir, como está acontecendo em Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte e no interior do Rio Grande do Sul, e é isso que estamos tentando evitar na Paraíba”, alertou.

 

paraibaonline

 

 

Paraíba deve apresentar decréscimo da covid-19 nos próximos 15 dias, revela secretário de Saúde

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, declarou nesta segunda-feira (22) que o estado chegou ao platô da transmissão da Covid-19, com perspectiva de redução no número de casos e de ocupação dos leitos de UTI pelos próximos 15 dias.

De acordo com Geraldo foi identificado através de gráficos, que em João Pessoa, epicentro da covid-19 na Paraíba, é possível ver claramente o decréscimo de novos casos.

“O que nós identificamos, através de gráficos, é que João Pessoa está atingindo um platô com tendência a haver um decréscimo no número de leitos de UTI adultos ocupadas e de casos”, disse.

Entretanto o secretário ressaltou que é preciso manter os cuidados.

“É fundamental que as pessoas entendam que flexibilização lenta e gradual não é para todo mundo ir par a rua, provocar aglomerações. Nesse momento não vamos ser como era antes, temos que usar máscaras, manter distância, não produzir aglomerações, manter cuidados com a lavagem das mãos, uso do álcool em gel”, pontuou.

Geraldo ainda declarou que só haverá o combate total do vírus quando a vacina for descoberta.

“É preciso lembar que só conseguiremos combater o vírus através do isolamento social e que o vírus só vai desaparecer a partir do momento em que tivermos uma vacina” concluiu.

PB Agora

 

Empresa devolve R$ 7,5 milhões após respiradores não serem entregues, diz secretário de saúde da PB

O secretário de saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, informou nesta quarta-feira (10), que o estado vai receber R$ 7,5 milhões que foram empregados na compra de 75 respiradores pela Paraíba por meio do Consórcio Nordeste. Segundo o secretário, a empresa inglesa que vendeu os equipamentos não conseguiu cumprir o prazo de entrega e por isso o valor foi devolvido.

“O Consórcio Nordeste adquiriu estes respiradores e como não foram entregues, entrou com uma ação. O secretário de saúde da Bahia me informou que o valor foi devolvido ao consórcio na noite da terça-feira (9) e que ainda nesta quarta deve repassar a parte que é da Paraíba”, disse Geraldo.

Conforme a Secretaria de Saúde da Paraíba, o valor devolvido dos respiradores vai ser depositado no Fundo Estadual de Saúde. Geraldo não informou, entretanto, se este dinheiro vai ser investido na compra de equipamentos.

A Paraíba havia feito duas compras de equipamentos em empresas do exterior por meio Consórcio Nordeste, totalizando 105 respiradores a um custo de pouco mais de R$ 12 milhões. A compra foi feita com dispensa de licitação e destinada ao atendimento de pacientes em estado grave infectados pela Covid-19

O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) instaurou um procedimento para apurar as circunstâncias dos contratos firmados pela Secretaria de Saúde, uma vez que o respiradores não foram entregues pelos fornecedores da China e Inglaterra.

Na primeira compra, foram investidos R$ 4,5 milhões em 30 respiradores fabricados por uma empresa chinesa. Segundo a Secretaria de Saúde da Paraíba, os respiradores não foram entregues e até esta quarta-feira o valor não foi devolvido, mesmo após o Consórcio solicitar o bloqueio judicial das contas da empresa.

Consórcio Nordeste

O Consórcio Nordeste é um convênio entre os nove estados do Nordeste, criado em março de 2020, para aquisições centralizadas ou compartilhadas de bens e serviços de saúde, para assistência à população durante a pandemia de Covid-19.

Foto: Francisco França/Governo da Paraíba

G1

 

‘Número de mortes pela Covid-19 vai aumentar se a população não obedecer o isolamento’, diz secretário

O secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, fez um alerta, no início da tarde desta segunda-feira (8), que o número de casos e mortes pela Covid-19 será muito maior na Paraíba, caso a população continue desobedecendo as medidas de isolamento social.

Geraldo alertou também que, uma possível flexibilização no isolamento social a partir do dia 14, pode fazer com que o Estado enfrente o mesmo problema da Itália que, de acordo com o secretário, relaxou no isolamento social e teve que voltar atrás devido ao aumento no número de casos e mortes no país pelo coronavírus.

“É uma cultura da população não querer obedecer normas”, lamentou Geraldo Medeiros, acrescentando que a Paraíba pode enfrentar um efeito “sanfona”, ao flexibilizar no isolamento social e ter que voltar atrás por conta do aumento nos números de casos e mortes, provocadas pela Covid-19.

paraiba.com.br

 

 

“Não tem ajudado nem nos casos leves, nem nos mais graves” diz secretário sobre o uso da cloroquina para a covid-19

O secretário executivo de Saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, voltou a não recomendar o uso indiscriminado da cloroquina no tratamento da covid-19.

De acordo com Daniel, a recomendação expedida por ele tomou por base estudos científicos que não apontaram benefícios no uso do medicamento no tratamento dos pacientes acometidos da covid-19.

“Não tem ajudado nem os casos leves, nem os mais graves. É hora de abandonar uma recomendação completamente equivocada” pontuou.

A recomendação da secretária de Saúde da Paraíba, que de acordo com Daniel foi baseada em estudos científicos, contraria a recomendação do presidente Bolsonaro que liberou o uso da cloroquina contra o novo coronavírus.

PB Agora

 

 

Secretário de Saúde aponta abertura do comércio como uma das causas do aumento da Covid-19 em Guarabira

Secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros participou nesta terça-feira (19) de sessão remota da Câmara de Guarabira, a convite do presidente Marcelo Bandeira (PDT).

Tratando sobre o elevado de número de casos de infectados pelo novo coronavírus em Guarabira, o secretário falou sobre a abertura do comércio, apontado que essa medida pode ter contribuído com o aumento dos casos na cidade, que chegaram a 205 nesta terça-feira.

“Recentemente alertamos a população e fomos acusados de estar fazendo politicagem, mas alertamos que Guarabira seria penalizada com esse grande número de casos. As medidas restritivas foram flexibilizadas e o comércio foi aberto, as pessoas não estavam usando máscara. Veja que a Guaraves teve de ser interditada por ter 50 casos num total de 200 testados”, pontuou o secretário.

Vereadores da base governista rebateram a afirmativa do secretário e creditaram ao grande número pessoas que a Guarabira recebe diariamente para serviços como bancos, sobretudo para recebimento do auxílio emergencial, como principal foco de disseminação.

Quando o secretário fez o alerta o prefeito em exercício Marcus Diogo (PSDB), que cedeu às pressões do segmento empresarial para autorizar a abertura do comércio, ironizou, dizendo que só assim o secretário lembrava de Guarabira.

Na condição de médico, o secretário reforçou que a única forma encontrada para combater o vírus até agora é o distanciamento social e rechaçou o uso da cloroquina de forma indiscriminada como tem sido defendida por algumas autoridades políticas.

“Só temos uma maneira de combater esse vírus, o distanciamento social. A panaceia da cloroquina que muita gente está se iludindo com isso, é preciso muita cautela para indicar o tratamento como alguns estão indicando. Nós podemos estar adotando uma medida muito temerária, pois os estudos não mostram eficiência do remédio contra o vírus. Eu não indico o uso indiscriminado da cloroquina”, alertou Geraldo.

Geraldo Medeiros disse que a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade foi classificada para atender apenas casos da Covid-19 e que os leitos de UTI estão praticamente todos ocupados, com 75% ocupados.

Sobre as razões de não se ter leitos de UTI para receber pacientes graves do coronavírus em Guarabira, o secretário disse que é necessário dispor de equipe qualificada e não existe disponibilidades de profissionais para isso.

 

portal25horas