Arquivo da tag: Sargento

Sargento que levou cocaína em voo da FAB pode pegar 15 anos de prisão na Espanha

Se for julgado na Espanha, e não no Brasil, o segundo sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues poderá ficar preso por 15 anos.

Quem afirma é o advogado espanhol Jesus Santos, que já foi promotor público espanhol e hoje trabalha no escritório Baker McKenzie.

Sargento que levou cocaína em voo da FAB vai responder a dois inquéritos

O sargento foi detido na terça-feira (25) no aeroporto de Sevilha, na Espanha, por transportar 39 quilogramas de cocaína em sua bagagem. O avião da FAB faz parte da comitiva do presidente Jair Bolsonaro ao Comitê do G20 no Japão.

“Por ser um delito grave, a pena pode ser de 10 a 15 anos. A [prisão] preventiva pode chegar a 2 anos.”

Trata-se de uma investigação global, porque o crime tem ramificações em diferentes países e, assim, há a possibilidade de ele ser julgado no Brasil ou na Espanha, afirma ele.

Mesmo se o Brasil pedir para que Manoel seja retornado, a Espanha deverá querer julgá-lo, diz Santos.

Existem prisões específicas para militares na Espanha, mas, se for julgado lá, Rodrigues não deverá ser encaminhado a uma delas. “Como é um delito de natureza comum, ainda que o acusado seja um militar, ele vai para uma jurisdição ordinária, e não especializada”, diz Santos.

Interesse dos dois países

Como o militar estava a serviço, e não a passeio, o Brasil tem um forte argumento para pedir para que ele seja repatriado e julgado aqui, diz o advogado Amado Faria, sócio do escritório Marchini que foi desembargador e, antes disso, promotor de Justiça Militar.

“Ele não estava na Espanha a passeio e, a rigor, deve ser apresentado às autoridades brasileiras com toda a documentação elaborada pelos espanhóis para ser julgado aqui, e de acordo com o código penal militar. A regra é essa. Mas eu não sei se os governos do Brasil e da Espanha vão tratar isso dessa maneira.”

Uma condenação na Justiça comum brasileira pode ser de até 15 anos, já na militar, é uma pena única, de 5 anos, segundo Faria.

Os dois países, em teoria, têm interesse em investigar como Rodrigues conseguiu a droga e qual seria o destino dela.

“Não se produz cocaína no Brasil, ela passa por aqui. A Espanha, que é um dos destinos, também quer saber como a droga sai de outros países, é levada ao Brasil e depois para fora.”

Espanha é o segundo país com mais brasileiros presos por tráfico

Até o fim de 2018, havia 761 brasileiros cumprindo pena por tráfico internacional ou posse de drogas em outros países.

Número de brasileiros presos no exterior Contingente aumenta desde 2015Quantidade2013201420152016201720182600280030003200340036003800Fonte: Itamaraty

A quantidade total de brasileiros presos em outros países do mundo aumenta desde 2015.

No fim de 2018, eles eram 3.579. Cerca de 10% do total, 343, eram brasileiros presos somente na Espanha.

Desses, 107 cumpriam pena por tráfico internacional de drogas, tráfico ou posse, de acordo com o Itamaraty.

G1

 

 

Preso por morte de sargento presta depoimento na Central e é liberado

A Polícia Militar prendeu na tarde desta quinta-feira (30) um dos homens que teria participado da execução do sargento do Corpo do Bombeiros, Joselho de Souza Leite, assassinado no final da manhã com um tiro no rosto no Batalhão da corporação.

Ao Portal MaisPB, o major Sidney informou que o suspeito foi conduzido para a Delegacia de Homicídios. Acreditava-se que ele é o suspeito de pilotar a moto usada no crime. Mas, o homem foi ouvido pela Polícia Civil e em seguida liberado.

O homem foi localizado após denúncias anônimas através do Centro Integrado de Operações Policiais (CIOP).

Entenda o caso

Um bombeiro militar foi assassinado dentro do Batalhão, no início da tarde desta quinta-feira (30), no bairro de Mangabeira, em João Pessoa. O crime foi praticado por um homem armado que entrou no batalhão caminhando e executou a vítima.

De acordo com informações da Polícia Militar, o homem chegou na área da guarita e atirou contra o militar. A vítima, identificada como sargento Josélio, foi atingida com disparos de arma de fogo na região do tórax.

Após executar o militar, o autor do disparo e um outro suspeito, que aguarda do lado de fora do Batalhão em uma moto, fugiram do local levando a arma do sargento. Ainda não há informações sobre a identidade dos suspeitos, nem a motivação.

MaisPB 

Sargento da Polícia Militar é assassinado durante festa em Coremas

Foto:Reprodução
Sargento assassinado

O sargento da Polícia Militar, José Gomes da Silva, de 47 anos, foi assassinado na madrugada deste domingo (23), durante uma festa no município de Coremas, no Sertão, a 387 quilômetros de João Pessoa.

José Gomes era natural da cidade de Diamante e chegou a ser socorrido ainda com vida para o hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos.

O sargento foi morto com quatro tiros, dois deles, na cabeça. O corpo de José Gomes foi encaminhado ao IML de Patos.

Segundo informações da polícia, ele se desentendeu com um homem, que voltou armado para a festa e efetuou os disparos.

O acusado fugiu do local, mas foi localizado em seguida e preso. Conforme a polícia, ele já responde por prática de outro homicídio também na região de Coremas.

Portal Correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Sargento da PM é agredido a pauladas e tem arma roubada em Santa Rita

casos de policiaNa madrugada deste sábado (18), um sargento da Polícia Militar foi alvo de bandidos na Região Metropolitana de João Pessoa. Ele foi abordado por quatro homens que logo em seguida o espancaram.

O crime aconteceu no distrito de Várzea Nova, em Santa Rita e, de acordo com a Polícia Militar, a vítima declarou que voltava para sua residência em sua motocicleta quando ao passar pela comunidade Bela Vista foi surpreendido pelo bando.

Segundo a vítima, o sargento José Cosme, ao parar o veículo, foi agredido com uma paulada na cabeça e em seguida espancado. Os elementos fugiram levando a bolsa do sargento, documentos, o capacete, o relógio e sua arma, uma pistola.

Várias viaturas foram ao local auxiliar no socorro da vítima e na busca pelos suspeitos. Os acusados foram capturados no início da manhã e conduzidos até a 6ª DD com parte dos objetos pessoais da vítima.

PB Agora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Sargento da PB é preso no RN suspeito de homicídio e troca de tiros com a PM

sireneUm sargento policial militar da Paraíba foi preso, na noite desse domingo (23), em Natal, Rio Grande do Norte, suspeito de ter participado de um homicídio na capital potiguar. Conforme apuração da TV Tropical, afiliada da Rede Record em Natal, a vítima tinha antecedentes criminais e passou cinco meses preso recentemente. O crime aconteceu em uma festa no bairro Bom Pastor, Zona Oeste da cidade.

Mais quatro suspeitos foram presos junto com o sargento da Paraíba. Três deles estavam em um carro próximo ao local do crime. O policial e outro cúmplice corriam a pé em direção ao veículo quando foram flagrados por uma equipe da PM que fazia rondas. Eles reagiram à ordem de parada dos policiais e iniciaram troca de tiros, mas todos acabaram detidos e um ainda ficou ferido.

O sargento da Paraíba só teria dito que pertence à corporação depois de se render e entregar a arma aos colegas de profissão. O policial aguarda audiência de custódia que vai definir se ele responderá o processo em liberdade ou permanecerá preso.

Procurado pelo Portal Correio, o assessor da Polícia Militar, major Cristovão Lucas, disse que ainda levantava informações sobre o caso e não deu detalhes do que pode acontecer com o sargento daqui para frente.

Portal Correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Sargento da PM é suspeito de matar primo após discussão por terras, na PB

Reprodução/Diário do Sertão
Reprodução/Diário do Sertão

Uma disputa por terras entre família acabou em morte, na tarde desse sábado (22), na Zona Rural do município de São João do Rio do Peixe, no Sertão paraibano, a 475 km de João Pessoa. A vítima foi um agricultor de 63 anos, que atirou em um sargento da reserva da Polícia Militar e em seu filho, mas foi assassinado após o policial revidar.

De acordo com o 6º Batalhão da Polícia Militar em Cajazeiras (6º BPM), responsável pelo policiamento na região, a vítima e o sargento eram primos e vizinhos, mas estavam brigados após discussões por delimitação de terras e retirada de uma árvore do terreno de um deles.

“O policial estava com o seu filho em uma carroça quando foi abordado pelo primo, que não disse nada e efetuou diversos disparos. O sargento foi ferido de raspão na cabeça e, momentos depois, o seu filho também foi atingido de raspão após entrar em confronto com o agricultor. O sargento conseguiu revidar e matou o agricultor a tiros”, confirmou um policial do 6º BPM.

Ainda segundo a polícia, o sargento e o filho foram socorridos e encaminhados ao Hospital de Cajazeiras, onde estão internos em estado regular. Acionada, a Polícia Civil vai investigar o caso.

Ao Portal Correio, o comandante do 6º BPM, tenente-coronel Cunha Rolim, informou que o sargento teve alta do hospital, foi atuado em flagrante e se encontra preso no batalhão.

“O sargento é policial da reserva e não teve, durante seus anos de serviço nem durante seu tempo de reserva, nenhuma conduta que manche o seu nome. É uma fatalidade que deve ser esclarecida no decorrer das investigações”, disse o comandante.

Portal Correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Sargento da PM/PB defende que Plano Estadual de Segurança Pública seja colocado em prática

 
sargento pereiraO Governo quer resolver a questão dos roubos a bancos, violência e criminalidade na Paraíba? O que acha de começar pela efetivação do “Plano Estadual de Segurança Pública”?
 
O Plano Estadual de Segurança Pública foi construído a partir do “Fórum Paraíba Unida pela Paz”, ocorrido na primeira gestão do governador Ricardo Coutinho no ano de 2010.  Ao termino do Fórum, deu-se início 07 (sete) Câmaras Temáticas para discutir a problemática da violência na Paraíba.
 
Durante quatro meses, especialistas, entidades de classes, instituições, segmentos sociais e policiais coletaram inúmeras informações a respeito da violência, criminalidade, as necessidades das instituições que compõem o sistema policial na PB, e de seus profissionais. Desta forma, apresentaram alternativas para estas demandas. A partir destas informações, foi montada uma equipe de especialistas, mestres e doutores, objetivando construir teoricamente uma “Política de Segurança Pública Estadual” para ser entregue ao governante.
 
Participaram desde o Fórum, passando pelas Câmaras Temáticas, até o documento final, a doutora em Psicologia Social – professora Maria Nazaré Tavares Zenaide da UFPB; o ex-subcomandante Geral da PM/PB – coronel Washington França; advogada e mestre Valdenia Aparecida Paulino Lanfranchi (Ouvidora de Polícia); o sargento Astronadc Pereira PM/PB (Psicólogo, especialista em  Criminologia e Psicologia Criminal); Almir Lauriano (Movimento Sou da Paz e titular do CONASP (Conselho Nacional de Segurança do Brasil); coronel PM/PB Francisco de Assis Castro; João Bosco Francisco do Nascimento (presidente do Conselho dos DH/PB); e o secretário executivo da Segurança Pública da PB – delegado Jean Francisco Bezerra Nunes, conforme publicação no Diário Oficial 15.243, de 24 de maio de 2013 (página 9). Todos têm vasta experiência e são especialistas nos temas, além de serem estudiosos das demandas do Fórum. 
 
O documento foi concluído, mas Infelizmente a Paraíba não tomou conhecimento. Um documento que nasceu dá própria sociedade organizada e que deve ser apresentado à Paraíba como Política de Estado.
 
 
 
Focando a Notícia, com sargento Astronadc Pereira

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Suspeitos da morte de sargento são presos

PrisãoEm menos de 12h, as polícias Militar e Civil prenderam três suspeitos de participar da morte do sargento Beclaute Belo Correia, de 45 anos, registrado na manhã do sábado (6), durante assalto em uma estrada que dá acesso ao município de Pedras de Fogo, na Paraíba.

Eraldo Tomé da Silva Júnior, de 23 anos, Paulo Manoel da Silva, 26 anos, e Willamis Silva Santana, 21, foram presos no fim da tarde. Um adolescente de 17 anos também foi apreendido após ser encontrado com os suspeitos.

De acordo com o comandante da 1ª Companhia Independente da PM, capitão Kelton Pontes, os três adultos já eram suspeitos de praticar vários assaltos na região onde foi cometido o latrocínio (roubo seguido de morte) contra o policial militar.

“Primeiro conseguimos prender o Eraldo Júnior, dentro do canavial, perto do local onde aconteceu o crime, e através dele chegamos aos outros dois, que estavam em uma casa juntamente com o adolescente, na comunidade do buracão, na cidade de Itambé, em Pernambuco. Os três vinham sendo apontados como autores de diversos assaltos nas cidades de Pedras de Fogo e Itambé”, destacou.

Eraldo já tem passagem pela polícia por homicídio. Paulo Manoel e Willamis Silva são suspeitos de atuar no tráfico de drogas da comunidade onde foram presos.

O capitão contou que a moto e a arma levadas do policial no assalto ainda não foram localizadas. “Continuaremos com as buscas na área do canavial, já que eles costumam deixar veículos e objetos roubados escondidos lá para dias depois irem buscar”, detalhou.

Os presos foram levados para a Delegacia de Polícia Civil, em Alhandra.

O crime – Beclaute Belo Correia foi morto quando estava a caminho da Cadeia Pública de Pedras de Fogo, onde trabalhava. Durante o trajeto, em uma estrada vicinal, ele, que estava à paisana (sem farda) foi surpreendido pelos suspeitos que anunciaram o assalto e, de acordo com as primeiras informações, teriam começado a atirar quando descobriram de que se tratava de um policial.

Últimas homenagens – O 3º sargento Beclaute tinha 26 anos de serviço, era casado e deixa dois filhos. O velório ocorre na Igreja Batista de Caaporã. O sepultamento está marcado para a tarde deste domingo (7), no cemitério da cidade.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Sargento da PM/PB publica artigo ‘Aqueologia Política da Violência’; confira

sargento pereiraBRASIL: ROUBOS E EXPLOSÕES A BANCOS E A REAÇÃO DA POLÍCIA

1. As ações da polícia precisam ser legítimas e para isso é preciso dotar os policiais com as condições necessárias.

2. O que leva os policiais a terem dúvidas e receio de como agir nas ocorrências policiais contra quadrilhas armadas e que roubam bancos na madrugada? Poderia sugerir: a inócua formação, treinamento e capacitação descontinuada existentes nas corporações, falta de normas gerais de ação, ausência de procedimentos operacional padrão policial em ocorrências, falta de seleção com perfil profissiográfico, inexistência de tecnologias e recursos humanos, carência dos meios para treinamento dos policiais, ausência de uma política de valorização policial, péssimos salários. Falta equipamentos e recursos matérias adequado ao enfrentamento a este tipo de crime. Exatamente por que falta uma política Criminal e de Segurança Pública.

3. Os constantes confrontos armados têm levado os policiais a se depararem com infinitas penalidades, tais como: As possibilidades de terem suas vidas ceifadas; a execração pública e continuada que o faz perder a energia para trabalhar e produzir na defesa da sociedade quando supostamente cometem erros, como se assim o fosse uma regra, e não o é; e a possível condenação na justiça, esperando o tribunal que o policial, antes morresse. Estes eventos tem tomado de refém até mesmos os mais insistentes policiais.

4. No Brasil, são constantes as explosões em agências bancarias ou unidades financeiras, e ocorrem geralmente nos períodos noturnos, exatamente onde os poucos policiais que ficam na rua, se sentem sem apoio, enquanto todo sistema criminal “está dormindo”. Como enfrentar bandos armados com fuzis e armas com calibres bem superiores ao da Polícia? Em viaturas sem equipamentos, sem tecnologia, sem apoio policial e com comunicação deficiente? O que espera a sociedade e o governo, que os policiais façam?

5. Desta forma os constantes confrontos, mortes de policiais e perseguições sofridas pelos agentes da Lei têm levado os policiais do Brasil a reclamar da falta de apoio e proteção do Estado e da sociedade. Sendo assim quando e como agir frente a criminalidade? Bandidagem que se utiliza de armas bélicas (Rifle de Assalto Kalashnikov AK-47, Sub metralhadora USE, Fuzil Cal. ponto .50 e até granadas), além de estratégias criminosas!

6. 59.5 mil mortes violentas em único ano, neste caso em 2014, segundo o Mapa da Violência do Brasil, construído pelo IPEA, e o que dizer das mortes de policiais em detrimentos de suas profissões, fato este que revela bem a fragilidade da profissão e a omissão do Estado.

7. A verdade é que os policiais também estão sendo vítimas da violência e do preconceito violento e dá criminalidade sem controle.

8. Parte significativa da Polícia brasileira padece com a falta de uma Política Nacional de Segurança Pública. Desta forma, o estado brasileiro é o maior responsável pela Violência e Insegurança no Brasil.

Astronadc Pereira de Moraes

I Sargento Pereira da Polícia Militar da PB, é Psicólogo. Tem especialização em Criminologia e Psicologia Criminal. Atualmente trabalha no 5º BPM/PB. Contato (83) 98831 2855. Pagina Face: sargento Pereira

 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Sargento da PM mata ex-namorada e é flagrado por câmera de vigilância em MG

A educadora infantil Veridiana Rodrigues Carneiro, 36, foi morta pelo sargento da Polícia Militar de Minas Gerais Clóvis Durade Cândido, 46. O crime ocorreu às 10h50 desta terça-feira (27) em uma movimentada avenida do bairro Santa Mônica, em Uberlândia (a 537 km de Belo Horizonte), e foi registrado pelas câmeras de vigilância instaladas na via.

O vídeo detalha o homicídio. Cândido perseguiu Veridiana, sua ex-namorada, com uma pistola .40 na mão, a mesma que usava na corporação. Ela tentou fugir, mas foi atingida por dez tiros nas costas, que perfuraram o peito da educadora. Veridiana foi socorrida, mas morreu a caminho do pronto-socorro da Universidade Federal de Uberlândia.

Segundo testemunhas, o sargento saiu caminhando do local e parou em um bar próximo à casa dele, a 20 quadras de distância do crime. Equipes do Grupo de Ações Táticas Especiais da PM e do Corpo de Bombeiros acompanharam a ocorrência. Cândido tentou resistir à prisão, dizendo que era PM, mas um dos policiais o convenceu a se entregar. Ele depôs na Delegacia de Polícia Civil da cidade e seria encaminhado para o 32º Batalhão de Policia Militar, onde ficará preso.

Veridiana era educadora infantil da rede municipal de educação e trabalhava em uma escola do bairro Tibery, em Uberlândia. O sargento, segundo a assessoria de imprensa da corporação, estava havia 20 anos na PM e integrava a banda de música. Não havia registros de desvio de conduta.

 

Uol