Arquivo da tag: sarampo

Sobe para 40 o número de casos de sarampo confirmados na Paraíba, diz secretaria

Subiu para 40 o número de casos de sarampo confirmados na Paraíba até esta segunda-feira (18), de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Quinze casos foram confirmados em João Pessoa, três em Campina Grande, três em Bayeux, três em Santa Rita, dois em Santa Cecília, dois em Sousa, dois em Barra de São Miguel, dois em São Miguel de Taipu, um em Imaculada, um em Cabedelo, um no Congo, um em Guarabira, um em Lagoa Seca, um em Bananeiras, um no Conde e um em Santa Cruz. Até o dia 31 de outubro, o número de casos confirmados era 30.

Ao todo, 317 casos já foram notificados, com o descarte de 172 casos. Outros 105 casos seguem em investigação. Dos 40 casos confirmados, nove foram registrados em crianças com menos de 1 ano de idade.

A segunda etapa da vacinação contra o sarampo começou nesta segunda-feira em todo o estado. De acordo com a SES, o objetivo desta fase é imunizar jovens e adultos entre 20 e 29 anos que não estejam com a caderneta de vacinação em dia. Já a primeira etapa foi destinada às crianças de 6 meses a menores de 5 anos.

Ainda conforme a secretaria, no dia 30 de novembro deve ocorrer o “dia D” de vacinação para o público-alvo. A vacina contra o sarampo está disponível gratuitamente na rede pública de saúde.

Vacina está disponível em USFs

Em João Pessoa, de acordo com a prefeitura, a vacina está disponível em todas as Unidades de Saúde da Família (USF), Policlínicas Municipais e no Centro Municipal de Imunizações, localizado no bairro da Torre, de segunda à sexta-feira.

Já em Campina Grande, 15 unidades de saúde funcionam durante o horário do almoço para oferecer o serviço de vacinação. O objetivo da ação é atender as pessoas que trabalham em horário comercial e não têm tempo para tomar a vacina.

G1

 

Adultos entre 20 a 29 anos podem se vacinar contra o sarampo a partir desta segunda

Nesta segunda-feira (18), terá início a segunda etapa da Campanha de Vacinação contra o Sarampo, que segue até o dia 30, quando acontecerá o Dia D. Serão vacinadas as pessoas com idade entre 20 e 29 anos.

A meta de 95% de vacinação estabelecida pelo Ministério da Saúde, para crianças com idade de um ano, foi atingida na capital paraibana.

Em 2019 já foram administradas 47.631 doses da vacina tríplice viral, que também combate contra caxumba e rubéola.

Segundo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde (MS), divulgado no dia 7 de novembro, em 2019, foram notificados 49.613 casos suspeitos de sarampo no Brasil. Desses, foram confirmados 10.429 (21,0%) casos, sendo 8.235 (79,0%) por critério laboratorial e 2.194 (21,0%) por critério clínico epidemiológico. Foram descartados 19.647 (39,6%) casos e permanecem em investigação 19.537 (39,4%).

Em João Pessoa houve casos de sarampo nos anos de 2010, 2013 e 2019. Em 2010 foram 50 casos confirmados e 2013, seis casos da doença. Já em 2019 foram notificados 84 casos suspeitos, com 13 (15,47%) confirmados, com amostras positivas no Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba e Laboratório de referência nacional – FIOCRUZ). Sendo, um caso para crianças menor de um ano; dois casos com idades de um a quatro anos; dez casos entre a faixa etária de 15 a 49 anos.

Também devem tomar a vacina: As crianças de seis meses a 11 meses devem tomar a chamada ‘dose zero’. Com 12 meses a criança irá tomar a tríplice viral e com 15 meses a tetra viral. Crianças menores de 5 anos (4 anos 11 meses e 29 dias), terão o cartão de vacinas atualizado e será ofertado a vacina conforme situação vacinal encontrada. Caso a pessoa comprove as duas doses, não é necessário tomar nenhuma a mais, já sendo considerada imunizada.

 

clickpb

 

 

Sarampo: Segunda etapa da campanha de vacinação começa segunda-feira

Na próxima segunda-feira (18), terá início a segunda etapa da Campanha de Vacinação contra o Sarampo, que segue até o dia 30, quando acontecerá o Dia D. Serão vacinadas as pessoas com idade entre 20 e 29 anos. Este tema esteve em pauta na reunião do Grupo Técnico de Vigilância das Coberturas vacinais, nesta quinta-feira (14) pela manhã, na sede da Secretaria de Estado da Saúde (SES). O Grupo é formado por representações da Comissão Intergestores Regionais – CIR; coordenadores regionais de imunização; técnicos da Vigilância em Saúde; Atenção Básica e representantes do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde – Cosems.

Além de debater a Campanha de Vacinação, o Grupo avaliou, comparativamente, a cobertura vacinal dos anos 2017/2018/2019, em todo estado, por regiões, bem como fez uma avaliação da condução do processo de trabalho do grupo por dentro das CIR e houve um momento para discutir a Portaria de nº 2722, de 15 de outubro de 2019, que estabelece incentivo financeiro para implementação e fortalecimento das ações de ampliação da cobertura vacinal da Tríplice Viral e de prevenção, controle do surto e interrupção da cadeia de transmissão do sarampo e outros agravos imunopreveníveis (aqueles que podem ser evitadas de forma eficaz através de vacinas), no âmbito da Vigilância em Saúde e Atenção Primária à Saúde.

De acordo com a Portaria, o Ministério da Saúde está enviando recursos, diretamente, para os municípios. O valor é definido pela quantidade de habitantes do local (IBGE 2016). Para cada habitante o valor definido é de um real.

O Grupo foi formado em 2017 e se reúne a cada três meses. O objetivo é discutir temas ligados à vacinação. “Em pouco tempo de formação, temos feito grandes debates e, a partir disso, têm surgido bons resultados, a exemplo da cobertura vacinal em todo estado, com destaque para o ano de 2018”, disse a chefe do Núcleo de Imunização da SES, Isiane Queiroga.

“É importante frisar que, para que os frutos do grupo aconteçam, precisamos que as discussões em CIR fortaleçam o processo de trabalho da vigilância das coberturas vacinais em cada território”, concluiu.

 

Secom-PB

 

 

Número de casos de sarampo sobe de 21 para 30 na PB

Os casos confirmados de sarampo subiram de 21 para 30 na Paraíba, conforme novo boletim divulgado nesta quinta-feira (31) pela Secretaria de Saúde do Estado. Os casos estão em 13 cidades da Paraíba. De modo geral, foram 286 casos notificados, 30 casos confirmados, 112 descartados e 144 em investigação.

Os casos confirmados da doença estão nas cidades de Bayeux, Santa Cecília, Barra de São Miguel, Cabedelo, Imaculada, Lagoa Seca, Congo, Sousa, João Pessoa, Guarabira, Santa Rita, São Miguel de Itaipu. Conforme o boletim, a idade predominante é de adultos jovens de 20 a 29 anos. Nesta última atualização, seis casos confirmados foram em crianças menores de 1 ano.

A paraíba atingiu, durante a campanha nacional de vacinação contra o sarampo, 95,25% de cobertura vacinal das crianças de um ano de idade. De acordo com a Secretaria de Saúde, a próxima fase da campanha de intensificação da vacina será de 18 a 30 de novembro para adultos de 20 a 29 anos sem comprovação da vacina.

Vacina

A Saúde do Estado reafirma que a vacina é a única medida preventiva eficaz contra o sarampo. “No entanto, se você já é um caso suspeito, é importante reduzir o risco de espalhar a infecção para outras pessoas. Para isso, deve-se evitar o trabalho ou escola por pelo menos quatro dias a partir de quando desenvolveu a primeira erupção, além de evitar o contato com pessoas que são as mais vulneráveis à infecção, como crianças pequenas e mulheres grávidas, enquanto estiver doente”, diz a SES.

Em João Pessoa, cidade com o maior número de casos da doença em todo o estado, seis unidades de referência para vacinação contra o sarampo foram definidas pela Secretaria de Saúde da Capital.

Para tomar a vacina tríplice viral, a população deve procurar as seguintes unidades: USF Integrada Cruz das Armas, USF Integrada Estação Saúde (Ernesto Geisel), USF Integrada Mangabeira, USF Integrada Viver Bem (Treze de Maio), USF Integrada Santa Clara (Castelo Branco) e Centro Municipal de Imunizações (Torre).

As unidades de saúde da família funcionam de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h e das 12h às 16h. Já o Centro de Imunizações funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h.

Sarampo

Os sintomas iniciais de sarampo são febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular, coriza e congestão nasal e mal-estar intenso. Após estes sintomas, há o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias. São comuns lesões muito dolorosas na boca.

A doença pode ser grave, com acometimento do sistema nervoso central e pode complicar com infecções secundárias como pneumonia, podendo levar à morte. As complicações atingem mais gravemente os desnutridos, os recém-nascidos, as gestantes e as pessoas portadoras de imunodeficiências.

 

 

portalcorreio

 

 

PB supera meta de vacinação contra sarampo, aponta boletim

Um levantamento sobre a vacinação contra o sarampo divulgado, no último dia 29, pelo Ministério da Saúde, mostra que o Brasil superou a meta de vacinação com 95% de cobertura vacinal em crianças de um ano. Segundo o boletim, a Paraíba atingiu 95,25% de cobertura. Em todo o Brasil, 14 estados conseguiram atingir o índice ideal de vacinação.

O relatório do Ministério apresenta que dos 223 municípios da Paraíba, 106 estão igual ou superior dos 90% de cobertura vacinal. Os dados foram levantados após primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação, quando crianças de seis meses a menores de cinco anos tiveram a caderneta de vacinação avaliada.

Já a Secretária Estadual de Saúde da Paraíba, apresentou o último boletim no dia 24 de outubro que confirmou 21 casos de sarampo. E foram notificados 273 casos suspeitos em 74 municípios.

Outros estados e nova campanha contra sarampo

Os estados que atingiram a meta de vacinação são: Alagoas, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Espírito Santo, Ceará, Paraná, Santa Catarina, Sergipe, Rio Grande do Sul, Tocantins, Goiás, São Paulo e Paraíba. Em relação aos municípios, 34,5% (1.923) precisam reforçar os esforços para atender a meta de vacinação. A partir de 18 de novembro, a segunda etapa da campanha se inicia. Um novo grupo, composto por adultos de 20 a 29 anos que não estão com a caderneta de vacinação em dia, terão a oportunidade de se vacinarem até 30 de novembro, quando termina a campanha.

Levantamento da situação vacinal

O Ministério da Saúde fez um levantamento de 6,5 milhões de registros da situação vacinal de crianças para análise. Os dados são de crianças de seis meses a menores de cinco anos. Na lista, consta o quantitativo de doses aplicadas da tríplice viral, que protege contra o sarampo, rubéola e caxumba, de cada registro. O documento servirá para que os gestores locais definam estratégias para realização de busca ativa das crianças com o esquema vacinal incompleto.

“A lista das crianças não vacinadas é uma iniciativa do Ministério da Saúde para potencializar o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias na busca ativa dessas crianças. A medida vai apoiar os municípios no alcance da meta de cobertura vacinal contra o sarampo, para que eles consigam receber o restante dos R$ 206 milhões liberados pela pasta para ações locais de vacinação. Com esse reforço financeiro e a estratégia da busca ativa, os municípios terão fôlego para organizar e implantar mais ações de imunização a quem mais precisa”, destacou o secretário de Atenção Primária à Saúde, Erno Harzheim.

Verificação do cartão de vacina

A orientação do Ministério é que os profissionais de saúde deverão checar se o número de doses aplicadas da vacina é o recomendado pelo Ministério da Saúde para a idade da criança, de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação. O objetivo, além de aumentar a cobertura vacinal, é estimular que os gestores atualizem suas bases de dados de vacinação.

Os municípios que contam com o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e os Agentes de Combate às Endemias (ACE) podem utilizar os profissionais para a ação, já que eles conhecem as famílias e crianças da sua região. Os municípios que não contam com esses profissionais podem utilizar o serviço das Equipes de Saúde da Família (ESF) e os profissionais que atuam nas unidades de Atenção Primária à Saúde.

 

portalcorreio

 

 

Sobem para 16 os casos confirmados de sarampo na Paraíba

Continua a crescer o número de casos confirmados de sarampo na Paraíba. Agora são 16 confirmações, além de 142 casos em investigação. No total, foram 252 notificações, mas 94 casos já foram descartados de acordo com dados informados ao ClickPB nesta quinta-feira (17) pela Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB).

Os casos estão mais concentrados na região metropolitana da Capital paraibana. Foram sete confirmações em João Pessoa, três em Bayeux, dois em Santa Rita, um em Cabedelo, um em Santa Cecília e um em Barra de São Miguel.

Os principais sintomas do sarampo são febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido, mal-estar intenso. Em torno de três a cinco dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo.

Para a pessoa que apresentar esses sintomas, a recomendação é não fazer uso de nenhum medicamento sem orientação médica e procurar o serviço de saúde mais próximo.

O dia D é sábado (19), são cerca de mil postos de vacinação em todo estado abertos durante todo o dia para vacinar crianças de 6 meses a menores de 5 anos.

O sarampo é uma doença grave que pode deixar sequelas por toda a vida ou causar o óbito. Algumas das complicações que podem decorrer da doença em crianças são otite média aguda, pneumonia, encefalite aguda e morte. Em adultos, complicação mais comum é a pneumonia. Em gestantes, a doença pode fazer que o bebê nasça prematuramente e com baixo peso.

 

clickpb

 

 

Paraíba recebe R$ 3,9 milhões para ações contra o sarampo

O Ministério da Saúde liberou R$ 3,99 milhões para os municípios paraibanos reforçarem ações e medidas locais, no âmbito da Atenção Primária e da Vigilância à Saúde para mais de 57 mil crianças com menos de um ano, público-alvo da campanha contra o sarampo. O objetivo é ampliar a cobertura vacinal, o controle de surtos e a interrupção da transmissão do sarampo, e outras doenças possíveis de imunização, em todo o país. A portaria com a lista com os valores, por cidade, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (16).

Para serem beneficiados com o reforço financeiro, os municípios precisam cumprir duas metas: alcançar 95% de cobertura vacinal, da primeira dose da tríplice viral, que previne sarampo, rubéola e caxumba, em crianças de 12 meses de idade; e informar o estoque das vacinas de poliomielite, tríplice e pentavalente às Secretarias de Saúde dos Estados e ao Ministério da Saúde.

De acordo com os últimos dados do boletim epidemiológico de sarampo, na Paraíba, já são onze casos confirmados de vítimas de sarampo, relatados pela Secretaria de Estado da Saúde, em seis cidades.

Para alcançar as metas estabelecidas pelo Ministério da Saúde, os estados e municípios deverão ampliar e garantir o acesso às ações de vacinação nos serviços da Atenção Primária à Saúde, a partir da implantação dos dez passos essenciais para vacinação, lançado na semana passada pela pasta. Os dez passos consistem em implantar procedimentos operacionais padrão, além de manter atualizada as listas da população-alvo do Calendário Nacional de Vacinação, e realizar a busca ativa dessa população.

Ainda no âmbito da Atenção Primária é necessário registrar os dados de aplicação de vacinas e de outros imunobiológicos nas Unidades de Atenção Primária à Saúde, no Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC), na Coleta de Dados Simplificada (CDS) ou nos sistemas próprios ou de terceiros devidamente integrados ao Sistema de Informação em Saúde para a Atenção Básica (SISAB). Por fim, registrar, também, os seguintes dados: movimentação de imunobiológicos nas salas de vacinas; eventos adversos pós-vacinação; e monitoramento rápido de coberturas vacinais no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI).

Metas municipais

Os gestores que alcançarem cobertura vacinal contra o sarampo de 90% a 94,9% para a primeira dose da tríplice viral, em crianças de até 12 meses, receberão 75% do incentivo federal. Já os municípios que atingirem cobertura igual ou superior a 95% para a primeira dose, em crianças de até 12 meses, receberão 100% do total do repasse. Metade do reforço financeiro (R$ 206 milhões), R$103 milhões, será repassado independente das metas, de acordo com o tamanho da população de cada município.

Em relação à segunda meta, os municípios também terão que preencher formulário informando o estoque das vacinas poliomielite, tríplice viral e pentavalente às Secretarias de Saúde dos Estados e ao Ministério da Saúde.

A apuração das duas metas será realizada a partir de 2 de dezembro de 2019, após o encerramento da segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, em 30 de novembro, sendo o recurso repassado na competência financeira seguinte ao encerramento. A primeira metade do recurso será repassado nos próximos 30 dias a todos os municípios.

Foto: Divulgação/SES

G1

 

Número de casos de sarampo confirmados na Paraíba sobe para onze

Subiu para onze o número de casos de sarampo foram confirmados na Paraíba até esta segunda-feira (14), de acordo com o Secretaria de Estado da Saúde. Um caso foi confirmado na cidade de Barra de São Miguel, quatro em João Pessoa, dois em Bayeux, dois em Santa Rita, um em Santa Cecília e um em Cabedelo. Até a o dia 27 de setembro, o número de casos confirmados era oito.

Ao todo, 239 casos já foram notificados, com o descarte de 79 casos. No entanto, 149 casos seguem em investigação.

A vacina tríplice viral – que protege contra sarampo, caxumba e rubéola – é ofertada nas salas de vacinação distribuídas entre as Unidades de Saúde da Família (USF), as policlínicas municipais e o Centro Municipal de Imunização. A dose é direcionada para crianças de seis meses de vida até adultos de 49 anos de idade.

As crianças de seis meses devem tomar a chamada “dose zero”. A vacina deve ser ministrada em duas doses a partir de um ano de idade até 29 anos, 11 meses e 29 dias de vida do cidadão, respeitando o intervalo das doses do calendário vacinal. Caso a pessoa comprove as duas doses, não é necessário tomar nenhuma a mais, já sendo considerada imunizada.

Já para adultos com idade de 30 a 49 anos, 11 meses e 29 dias, basta uma dose da vacina para que seja considerado imunizado. Os profissionais da área de saúde, independentemente da idade, devem tomar duas doses. Caso comprove que tomou as duas doses, não é necessária nenhuma outra.

 — Foto: Arte/G1

— Foto: Arte/G1

 

G1

 

 

Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo começa segunda-feira

Em parceria com os governos estaduais, distrital e municipais, o Ministério da Saúde inicia, na próxima segunda-feira (7), a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. Na primeira fase, que vai até o dia 25 de outubro, o público-alvo serão as crianças com idade entre 6 meses e 4 anos e 29 dias.

A segunda etapa, de 18 a 30 de novembro, terá foco na população com idade entre 20 e 29 anos. Em entrevista coletiva, o ministro titular da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a prioridade para este grupo justifica-se porque, como provavelmente não receberam a segunda dose da vacina, seus filhos acabam apresentando um sistema imunológico mais vulnerável à doença. Além dos dois períodos, a campanha também destaca o dia 19 de outubro como o Dia D, para mobilização nacional.

Levantamento do governo federal mostra que, até o dia 28 de agosto, 5.404 casos de sarampo foram confirmados em todo o país. Além disso, houve o registro de seis óbitos, sendo quatro deles de pacientes menores de 1 ano.

A unidade federativa com maior incidência é São Paulo (15,11 a cada 100 mil habitantes), que concentra 97% dos casos e é seguida por Bahia (6,64) e Sergipe (5,86). Embora apresente índice de 0,21, o Pará preocupa, devido à sua cobertura vacinal, que é, atualmente, de 76%, disse Mandetta. O Amapá apresenta a segunda cobertura mais baixa, de 77%, perdendo para a Bahia, com 80%, e o Maranhão e o Piauí, ambos com 83%.

De acordo com informações da pasta, foram adquiridos, para este ano, 60,2 milhões de doses da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Para o ano que vem, a encomenda foi de 65,4 milhões de doses.

Em 2020, o ministério dará continuidade à campanha. A imunização será dividida em três etapas e incluirá pessoas com idade de 50 a 59 anos. Ao todo, espera-se que a vacinação atinja 39 milhões de brasileiros, que equivalem a 20% da população.

“Nós sabemos que as crianças de 6 meses a 1 ano de idade são as que respondem clinicamente pior ao sarampo. Acabam desenvolvendo um quadro de pneumonia muito grave, e os óbitos acabam tendo uma prevalência maior nessa faixa etária. Então, o clássico é vacinar aos 12 meses e aos 15 meses. Quem fez isso com seus filhos abaixo de 5 anos fez o correto, a criança está coberta e não há necessidade de aplicar mais uma dose. Aqueles que só deram uma dose aos 12 meses e não deram a segunda devem ir agora para fazer a segunda dose, porque uma dose só não dá sistema imunológico competente para enfrentar um surto de sarampo”, afirmou o ministro.

“O que é a novidade à qual as pessoas devem estar atentas? De 6 meses a 1 ano, quando não era recomendada a primeira dose, estamos fazendo a chamada dose 0. Vacinar os bebês e depois, aos 12 meses, fazer a dose regulamentar, como se fosse a primeira, e a segunda. Essas crianças a gente vai blindar mais, porque elas são as principais vítimas fatais do sarampo”, acrescentou, ressaltando que o governo está cogitando voltar a aplicar a vacina oral contra sarampo, que ficou vulgarmente conhecida como a “vacina de gotinha”.

 

Jornal do Brasil

 

 

Adultos de 50 a 59 passam a ser vacinados na campanha contra o sarampo em 2020

A campanha nacional de vacinação contra o sarampo começa nesta segunda-feira (7) e vai durar até 2020. Serão cinco fases de campanha, uma para cada faixa etária da população. A primeira fase será focada na população mais vulnerável: crianças com entre seis meses e cinco anos de idade. Porém, a população com entre 50 e 59 anos também terá uma fase específica no ano que vem.

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Kleber, afirma que o motivo pelo qual esse grupo de adultos também será incluído nos esforços da campanha é a necessidade de garantir que toda a população brasileira esteja vacinada e eliminar o surto atual da doença, que já provocou seis mortes.

No período de 90 dias até 28 de setembro, 242 municípios de 19 estados brasileiros tinham registrado pelo menos 1 caso de sarampo; 173 desses municípios e 97% dos casos estão em São Paulo — Foto: Ana Carolina Moreno/G1

No período de 90 dias até 28 de setembro, 242 municípios de 19 estados brasileiros tinham registrado pelo menos 1 caso de sarampo; 173 desses municípios e 97% dos casos estão em São Paulo — Foto: Ana Carolina Moreno/G1

Marco de 1963

Mesmo que nenhuma das mortes tenha sido registrada na faixa etária de quem tem entre 50 e 59 anos, Kleber diz que os profissionais da área de saúde usam o ano de 1963 como um marco para planejar as ações de cobertura vacinal.

“Na saúde pública, nós consideramos o ano de 1963 como marco da maior circulação do vírus de sarampo do mundo. Pessoas que nasceram em 63 estão hoje com 57 anos.” – Wanderson Kleber (secretário de Vigilância em Saúde)

De acordo com a Organização Panamericana de Saúde (Opas), foi em 1963 que se introduziu a vacinação em larga escala contra o sarampo. Antes disso acontecer, a instituição diz que o mundo era atingido por epidemias de sarampo a cada dois ou três anos, já que o vírus é altamente contagioso.

De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde , a pasta está produzindo uma “coorte que deve ser atualizada dos 50 aos 59 anos”. Termo usado na estatística, a coorte reúne um conjunto de pessoas que compartilham de um mesmo evento temporal em comum – nesse caso, pessoas de uma mesma faixa etária.

“Passa a ser, no próximo ano, recomendação de vacinação [contra o sarampo]”, disse o secretário.

Brasil registrou mais de cinco mil casos de sarampo, segundo Ministério da Saúde

Brasil registrou mais de cinco mil casos de sarampo, segundo Ministério da Saúde

Datas da campanha de vacinação contra o sarampo

Realizada em caráter nacional, a campanha vai realizar pela primeira vez a oferta da chamada “dose zero” aos bebês de seis meses a um ano de idade.

A iniciativa será realizada em diversas fases, cada uma destinada a uma faixa etária:

7 a 25 de outubro

  • Público-alvo: crianças de seis meses a 5 anos de idade
  • “Dia D”: 19 de outubro

18 a 30 de novembro

  • Público-alvo: jovens de 20 a 29 anos que não tomaram uma ou duas doses da vacina
  • “Dia D”: 30 de novembro

Fases de 2020

Públicos-alvo: crianças de 6 a 19 anos, adultos de 30 a 49 anos e adultos de 50 a 59 anos

A pasta diz que, neste anos, a meta é vacinar 2,6 milhões crianças na faixa prioritária e 13,6 milhões adultos.

Para incentivar que os municípios cumpram as metas, o Ministério da Saúde anunciou uma verba extra condicionada aos números de pessoas vacinas.

G1