Arquivo da tag: Salvador

Marcelinho-PB retorna ao Treze e anuncia: “Aceitei Jesus como meu salvador”

“Agora eu sou um novo homem. Mais do que nunca estou me sentindo melhor”.

Foto: Reprodução / Instagram

A frase é do meia Marcelinho Paraíba, prestes a completar 44 anos. Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (09), durante seu primeiro treino no retorno ao Treze, o filho de Pedrinho Cangula anunciou que se converteu a Deus e trocou as noitadas pela igreja.

Foto: Bruno Rafael / CBN

– Muita coisa mudou na minha vida. Há algum tempo eu me converti e aceitei Jesus como meu único salvador. Isso tem sido maravilhoso na minha vida.  As coisas têm melhorado muito, até mesmo na convivência em casa, com a família, questão de descanso, tudo isso. Antes eu era do mundo, vivia em farra, em festa, e isso me atrapalhava. Não sei como consegui jogar até essa idade fazendo tudo que eu fazia. Mas daqui para frente é só bênção – declarou o jogador, vice-campeão estadual em 2017 e da Série D ano passado com o Galo.

Principal contratação do Alvinegro, Marcelinho se prepara junto com seus companheiro para mais uma edição de Série C de Campeonato Brasileiro.

A estreia da equipe está marcada para Recife, no final de semana do dia 27 de abril, contra o Santa Cruz.

A CBF ainda não divulgou a tabela detalhada da competição, documento que define data e hora exatas da peleja.

 

paraibaonline

 

 

Aposta única feita em Salvador ganha R$ 32,6 milhões da Mega-Sena

Uma aposta única feita em Salvador ganhou o prêmio de R$ 32,6 milhões da Mega-Sena na noite dessa quarta-feira (20). O sorteio ocorreu em Cravinhos (SP). O resultado é válido para o concurso 2135.

As dezenas sorteadas foram: 09 – 23 – 28 – 40 – 48 – 59.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, responsável pela administração das loterias, no mesmo concurso, 50 apostas levaram R$ 58,3 mil ao acertarem a quina (cinco dos seis números sorteados). Também foram registradas 4,5 mil apostas ganhadoras da quadra (quatro dos seis números sorteados), que foram premiadas com R$ 916,96.

O próximo sorteio da Mega-Sena será realizado sábado (23). O prêmio estimado é de R$ 3 milhões.

Agência Brasil

 

 

Inter passa pelo Bahia em Salvador e encosta na liderança

Mostrando maturidade e segurança, o Internacional foi a Arena Fonte Nova enfrentar o Bahia e confirmou a boa fase: Gol de Patrick e triunfo sobre o Bahia por 1 a 0. Com o resultado e o empate em 1 a 1 do Paraná contra o São Paulo, agora o Colorado está a apenas um ponto dos paulistas na tabela do Brasileirão.

Por sua vez, o resultado interrompeu uma série sem derrotas na competição do Tricolor Baiano que durava desde antes da Copa do Mundo. Além disso, a equipe nordestina fica na 12ª posição continuando com 22 pontos.

Patrick comemora gol do Internacional
Patrick comemora gol do Internacional

Foto: Tiago Caldas / Fotoarena / Estadão Conteúdo

O jogo

A primeira grande oportunidade do jogo favoreceu a equipe que conseguia ser mais constante no campo de ataque como era o caso do Internacional. Depois de passe espirrado na zaga baiana, Camilo apareceu frente a frente com Anderson, mas bateu cruzado tirando demais da meta e a bola passou do lado esquerdo.

Os erros de passe do Bahia frente a uma marcação tão acertada como se posicionava o time Colorado. Com isso, cada vez mais se tornava raro ver a equipe da casa efetivamente ter a posse e conseguir espaços para armar uma jogada de ataque.

Foi somente em um erro na saída de bola do time visitante que o Tricolor da Boa Terra conseguiu levar bastante perigo a meta de Lomba. Roubando a bola na intermediária, Zé Rafael teve campo para arrumar o corpo e bater forte para ver a bola raspar o travessão.

Apesar dos visitantes preferirem a troca de passes no chão, foi por um lançamento que surgiu o lance do gol. Depois de bola lindamente dominada por Rossi dentro da área, na base da habilidade e velocidade o camisa 22 girou na marcação e cruzou na medida para a chegada de Patrick concluir de cabeça para as redes.

No trecho final da primeira etapa, o Bahia passou a ter mais atitude, empurrado também por estar atrás do marcador e apostando bastante nas bolas aéreas, porém, sem a efetividade necessária para alterar novamente o marcador.

Disputa de bola em Bahia x Inter
Disputa de bola em Bahia x Inter

Foto: Tiago Caldas / Fotoarena / Estadão Conteúdo

Segundo tempo

Assim como foi no primeiro tempo, quem inaugurou as chances perigosas foi o time dirigido por Odair Hellmann. Em cobrança de falta vindo da ponta esquerda feita por Camilo, o volante Rodrigo Dourado testou para o chão e forçou Anderson a fazer uma complicada intervenção.

O Bahia até tentava tomar as rédeas da partida com a posse de bola superior, mas continuava esbarrando na postura retraída bem organizada do time gaúcho e não criava. Quem mais sofria nesse panorama eram Edigar Junio e Gilberto, pouco acionados diante do intenso acompanhamento dos zagueiros e volantes do Inter.

A entrada de Régis melhorou a “inspiração” da ofensiva de Salvador, criando dois bons lances onde o chute de Léo encontrou a boa defesa de Marcelo Lomba e Gilberto, em cruzamento muito preciso, cabeceou por cima em lance claro de gol.

Mesmo melhorando por alguns momentos, em via de regra o time de Enderson Moreira não conseguiu implementar um alto e constante nível de pressão sobre o Inter.

FICHA TÉCNICA
BAHIA 0 X 1 INTERNACIONAL

Data-hora: 22/08/2018 – 19h30
Local: Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
Árbitro: Rodrigo D’Alonso Ferreira (CBF-SC)
Assistentes: Helton Nunes e Alex dos Santos (ambos CBF-SC)
Público-renda: 18.671 pessoas – R$ 339.261,00
Cartões amarelos: Lucas Fonseca (BAH), Willian Pottker, Edenílson (INT)
Cartões vermelhos: 
Gols: Patrick (22’/1°T) (0-1)

BAHIA: Anderson; Bruno (Clayton, aos 38’/2°T), Tiago, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Elton, Vinícius (Marco Antonio, aos 28’/2°T), Zé Rafael e Edigar Junio (Régis, aos 13’/2°T); Gilberto. Técnico: Enderson Moreira.

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Dudu (Zeca, aos 24’/2°T) Victor Cuesta, Rodrigo Moledo e Iago; Rodrigo Dourado, Edenilson e Patrick; Camilo (Brenner, aos 28’/2°T), Rossi (Juan Alano, aos 22’/2°T) e William Pottker. Técnico: Odair Hellmann.

 

Lance

Musicas que incentivam a violência estão proibidas no carnaval de Salvador

Vingadora-Kannario-e-afinsMúsicas, danças ou coreografias que incentivem a violência estão proibidas no carnaval de Salvador. Em recomendação enviada ao governo da Bahia e à prefeitura de Salvador, o Ministério Público Estadual adverte que artistas, bandas, blocos e entidades carnavalescas contratadas com recursos públicos devem se enquadrar às exigências legais. Um dos casos a serem observados é o da banda Vingadora, que aposta na canção “Metralhadora” como um dos hits da folia.

A medida tem como base o cumprimento das leis Estadual n° 12.573/12 e Municipal 8.286/12, que proíbem o uso de recursos públicos para contratação de artistas que incentivem a violência, exponham as mulheres a situação de constrangimento ou contenham manifestação de homofobia, discriminação racial e apologia ao uso de drogas ilícitas. A documentação foi enviada pelo Grupo de Atuação em Defesa da Mulher e da População LGBT do MP (Gedem).

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

De acordo com a promotora de Justiça Márcia Teixeira, coordenadora do Gedem, Estado e Município devem ainda incluir nos contratos com os artistas cláusulas de advertência conforme determinação das normas mencionadas. Ainda segundo ela, as instituições e órgãos públicos devem também observar o conteúdo da Portaria n° 11/2015 do Conselho Municipal do Carnaval e outras Festas Populares (Comcar), que chama a atenção quanto à necessidade do uso em trios elétricos e carros de som de mensagem determinando “que fica terminantemente proibido aos associados, artistas ou agremiações carnavalescas a utilização de quaisquer objetos que incitem a violência física, moral e psicológica ou a desvalorização das mulheres, LGBT e negros”.

Kannario – Ao tomar conhecimento de que o cantor Igor Kannário teria sido contratado para comandar o bloco infantil Ibeji, a promotora enviou ofício à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia para recomendar cuidado especial na avaliação das solicitações de patrocínio público para as atrações de entidades voltadas para crianças. O alerta foi feito porque no documento em que solicita patrocínio oficial,o bloco omite o nome do polêmico artista,”mesmo sendo este divulgado como principal atração do bloco”, salienta Márcia Teixeira.

Kannario se notabiliza por envolvimento em situações controversas, já esteve preso por porte de drogas e se assume como usuário de maconha.

 

 

Bahia.ba

Empresário de Belém-PB é destaque em Salvador-BA

juniorEm um café descontraído, o empresário José William Júnior reuniu clientes e fornecedores nesta quinta-feira, 5, para apresentar a nova Pão de Mel, resultado do acompanhamento do programa Agentes Locais de Inovação (ALI). Apesar do intenso processo de mudança, o sócio-diretor garante que é a mesma empresa, em funcionamento desde 1997, no Largo Dois de Julho, em Salvador, só que ainda mais profissional e o nome de Panille Delicatessen. “O Sebrae foi uma peça fundamental para esse crescimento, no sentido de ganhar esse formato diferente”, conta Júnior sobre o resultado da primeira experiência de qualificação junto à entidade.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Desde o início do trabalho, em maio de 2013, a agente local de inovação, Fabiana Dias, constatou a disposição do empresário em aderir às orientações do “radar da inovação”, o diagnóstico primário do negócio, que já havia apontado uma dificuldade da empresa com relação à marca.

A mudança para Panille representou mais do que um novo layout, traduzindo, de fato, o conceito que o empresário quis dar de família e proximidade com o cliente e os fornecedores. “A criação gerou um registro de marca, reinvestimento em toda sinalização da loja, mudança no fardamento, plano de marketing, entre outras. Ou seja, uma ação pontual mobilizou vários atores e setores da economia”, enumerou Fabiana.

O passo seguinte foi a ampliação do espaço físico, criando um escritório confortável e uma moderna vitrine dos pães, doces e salgados à disposição dos seus clientes. A empresa, inclusive, já está no processo de embalagem e rotulagem para iniciar a comercialização em outros locais.

O firmamento de parcerias com grandes representantes do ramo de alimentos e bebidas e o aumento no mix de produtos integram o extenso rol de modificações da Panille. “Só oferecíamos o café da manhã e a sopa à noite, em espaço com cinco mesas. Hoje, já servimos o almoço, no total de 20 mesas, que, por sinal, já nem dão conta de tanta gente”, afirmou Júnior, pontuando que a adição no cardápio já responde por 30% do faturamento. Os serviços de delivery e buffet externo seguiram a tendência de crescimento da loja.

Neste segundo ano de atendimento do ALI, Júnior quer investir ainda mais na qualificação dos seus 30 colaboradores, oferecendo oportunidade de uma graduação ou especialização, e garantir a estrutura necessária a fim de franquear a nova marca.

 

Sebrae

 

Exposição com obras de Salvador Dalí vira ao Brasil pela 1ª vez

O Teatro-Museu Dalí de Figueras, na Espanha, tem algo de fantasmagórico. Até sua morte, em 1989, o pintor surrealista Salvador Dalí tinha o costume de caminhar pelos espaços da instituição, quando vazia. E pelas tardes, mesmo que o museu estivesse repleto de visitantes, o artista, teatral, fechava as portas da sala do Palácio do Vento para descansar na cama de colchas amarelas e pés de cobras que representa seu dormitório. “Ele dizia que o Teatro-Museu era sua última grande criação”, afirma Montse Aguer, diretora do Centro de Estudos Dalinianos da Fundação Gala-Salvador Dalí. Entre 1970 e 1974, Dalí refez o local destruído em um incêndio de 1939, durante a Guerra Civil Espanhola, para que se tornasse “o maior objeto surrealista do mundo” em sua cidade natal na Catalunha.

‘El Pie de Gala’ (1975-76)

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Do lado de fora, a fachada do Teatro-Museu Dalí, que recebeu, no ano passado, 953.291 visitantes, é ladeada de reproduções de gigantescos ovos. Do lado de dentro, 11 pinturas a óleo, peças gráficas, livros, objetos, fotografias, filmes e documentos pertencentes à coleção de obras do artista na instituição catalã estão sendo preparados para logo viajarem ao Brasil. Serão apresentados, juntamente com mais 10 óleos do Museu Reina Sofia de Madri e 9 pinturas do Museu Dalí da Flórida, nos EUA, na primeira grande mostra dedicada ao surrealista na América do Sul, a ser inaugurada em 29 de maio no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro e depois, em outubro, no Instituto Tomie Ohtake de São Paulo.

‘El sentimiento de velocidad’ (1931)

 

Foram cinco anos de negociações, como afirma Ricardo Ohtake, diretor do Instituto Tomie Ohtake, para que se realizasse a exposição Dalí no Brasil. Joan Manuel Sevillano, diretor da Fundação Gala-Salvador Dalí, sediada em Figueras, disse que já está “salivando” para ver as cifras de público da mostra – desde 2002, vêm sendo apresentadas retrospectivas do artista em Taipei, Xangai, Tóquio, Moscou e Paris (nesta última, em 2012, no Centro Pompidou, foram 790 mil visitantes).

‘Composición Surrealista con figuras invisibles’ (1936)

 

As exibições do artista espanhol no Rio e em São Paulo (que não receberá as pinturas do museu da Flórida) foram preparadas especialmente para os brasileiros. “Queríamos apresentar no Brasil todo Dalí, mas, sobretudo, o Dalí surrealista dos anos 1930, a época mais valorizada de sua produção, a que o fez famoso, conhecido”, diz Aguer, curadora da exposição. Para se ter uma ideia, o orçamento da mostra é de cerca de R$ 9 milhões e as obras que a integram estão avaliadas em US$ 170 milhões.

‘Figuras tumbadas en la arena’ (1926)

 

Direito à loucura. Mistério, beleza compulsiva, desejo e fantasmas são algumas das “ideias dalinianas”, diz a curadora, a se tornarem segmentos temáticos importantes da exposição, que terá sentido cronológico e será permeada por frases do artista. Em uma de suas várias provocações, por exemplo, Dalí afirmou: “O surrealismo sou eu”, conta a curadora, que conheceu o artista, em 1986 (ele, então, com 79 anos) e se lembra até hoje de seu “olhar potente”. “Se você perguntar a uma pessoa ‘Diga-me um artista surrealista’, a resposta popular será Dalí. E ele dizia: ‘Não esqueçamos que as massas sabem valorizar o sentido da poesia’”, afirma ainda a pesquisadora, que se “encanta” com o absoluto Manifesto do Direito do Homem à Loucura escrito pelo pintor, que preferia se definir como “máquina de pensar”.

Personalidade complexa, excêntrico, criador de uma obra que não se despende da autobiografia, Dalí se autopromovia muito antes do artista pop americano Andy Warhol, mas “seus valores eram os de Leonardo (Da Vinci) e Michelangelo”, diz a curadora. “Queria ser como um artista do renascimento, refletir sobre a arte em um conceito geral e por isso desenhou joias também, publicidade e outras coisas”, defende Aguer. Não à toa, Salvador Dalí colocou 14 bustos esculpidos coloridos do compositor Richard Wagner, seu preferido e associado ao conceito de “arte total”, incrustados na fonte neoclássica do jardim do Castelo Gala Dalí em Púbol, que, de origem no século 11, se tornou casa de veraneio que deu de presente à esposa na região de Figueras.

Gala conheceu Salvador Dalí em Cadaqués, em 1929. Russa e 10 anos mais velha que o artista, ela largou o marido, o poeta francês Paul Éluard, e a filha, Cécile, para se juntar ao espanhol. É impossível dissociar a figura da “mulher-mãe-musa” da vida e obra do pintor surrealista. Como também muitas vezes se faz presente no universo daliniano as menções à amizade do artista catalão com o poeta Federico Garcia Lorca e sua admiração por Picasso e Velázquez.

Mas, mais ainda, não é possível falar da produção de Dalí sem tratar da paisagem de montanhas e rochas e mar mediterrâneo da região da Costa Brava catalã, especialmente, de Port Lligat, onde o artista viveu e criou seu ateliê permanente. A construção, como o castelo de Gala, foram transformados em Museus-Casa Dalí. “A violência da força das rochas de Creus e a luz nostálgica e limpa englobam todo o discurso surrealista de suas criações”, afirma Jordi Artigas, responsável pelos espaços museológicos. O surrealismo “sempre lisonjeou presenças turbulentas”, escreveu a filósofa Susan Sontag. Vamos, então, dar boas-vindas a Dalí no Brasil.

 

Estadão

 

Belém: Receberá Troféu Gestor nota 10 nos dias 17 a 19 de Outubro em Salvador-Bahia

O Secretário Municipal de Educação do município de Belém-PB, Joseli Gama da Costa, foi convidado para receber o “Troféu Gestor Nota 10” por ter sido eleito um dos secretários de destaque em nível nacional, prêmio este, que é dado aos 50 melhores secretários municipais de educação do Brasil entre os 5.570 municípios.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Entre os critérios avaliados para a escolha dos gestores estão questões relacionadas ao bom uso dos recursos da educação, valorização dos profissionais, igualdade de condições, promoção e elaboração de projetos que visem o pleno desenvolvimento da educação em seus diversos níveis.
Emocionado o Secretário Joseli, agradeceu aos que colaboram com sua gestão. “Tudo isso só é possível com a dedicação e compromisso de cada um de vocês companheiros de trabalho e do Prefeito por nos conceder total apoio naquilo que queremos e devemos fazer para engrandecer nosso município no tocante a educação, agradeço também aos gestores, professores, coordenadores e funcionários em geral que fazem parte da educação de Belém, que não medem esforços trabalhando e garantindo aos nossos munícipes o que lhe é de direito”, destacou Joseli Gama.
O Secretário foi convidado a participar do evento de homenagem, a ser realizado entre 17 e 19 de Outubro de 2013, na capital Soteropolitana de Salvador – Bahia, onde receberá e trará para Belém o “Troféu Gestor Nota 10”, como prova de que Belém além de estar entre os Cinqüenta (50) melhores avaliados municípios do Brasil, prova também que aqui a Educação é tratada com respeito aos profissionais da educação e aos alunos.
Revista Novo Perfil Online
Fonte: Secom

1º Encontro Regional de Jornalismo Investigativo será realizado em Salvador em agosto

jornalismoA Faculdade Social da Bahia (FSBA) e a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) realizarão no dia 8 de agosto 1º Encontro Regional de Jornalismo Investigativo, que terá como tema “Cobertura Política e Fiscalização de Governos”. Os jornalistas Marcelo Moreira presidente da Abraji e editor-chefe do RJ-TV da Rede Globo, e Angelina Nunes, editora de O Globo, diretora da Abraji e uma das profissionais mais premiadas do Brasil participarão como palestrantes do evento.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Também participarão do debate o repórter especial de A Tarde, Biaggio Talento, e o editor de política do Correio*, Jairo Costa Júnior.

As inscrições são gratuitas e os participantes terão oportunidade de conhecer como é feita a cobertura política nos principais veículos do país, assim como tomar conhecimento das mais eficientes técnicas de apuração (RAC – Reportagem com Auxílio do Computador, busca de documentos, utilização de bancos de dados etc.). As inscrições devem ser feitas no link http://bit.ly/1cs9szy. Todos os participantes receberão certificado.

 

giropb

Blogueiro acusa dona da Globo na PB de ameaçá-lo caso insista em apurar viagem de Cartaxo a Salvador

empresário Eduardo CarlosO empresário Eduardo Carlos, além de outros negócios, é dono da Globo na Paraíba. Somente isso o faz achar que é dono do mundo. Porém, apesar de ser dono da Globo, revela não poder conviver com um blog como este nosso, que tem alguns milhares de acessos diários, mesmo não exibindo novelas.

E não é que, por intermédio de um amigo comum, ele dirigiu ameaças a este blogueiro que vos escreve. Ameaçou desferir calúnias e usar o poderio do seu sistema contra mim caso o blog mantivesse a responsável missão de apurar a história, ainda obscura, da viagem do prefeito Luciano Cartaxo (PT) a Salvador.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Chamado a um eventual processo judicial, o nosso amigo em comum, principal prova viva do tema, mas não a única, dirá se houve ou não ameaça. Homem de bem, deverá ficar dividido entre os dois amigos que possui. E poderá até optar pelo mais financeiramente poderoso, embora eu considere que, pelo seu caráter, optará pela verdade.

O fato é que Eduardo Carlos esqueceu que eu não fujo à luta. Nem no âmbito jornalístico, nem judicial, nem em qualquer outro. E que ameaças, no lugar de acalmarem, me soltam o sangue pelas veias, estimulando a buscar o que ainda não foi devidamente explicado.

Por que Eduardo Carlos não quer que essa história da viagem de Luciano Cartaxo venha a público? Do que ele tem medo?

Já se sabe que o convite pra viagem de Cartaxo partiu dele. Resta saber se foi no Seneca, de propriedade do dono da Globo na Paraíba, ou no Phenom 100, do empresário Júnior Evangelista, dono de um dos tantos cartórios beneficiados pela anistia de 30%.

Aliás, Evangelista já deveria ter enviado nota à imprensa esclarecendo o tema, colocando seu avião, adquirido em sociedade com outros empresários paraibanos, fora desta discussão.

Porque se não foi no avião de dono de cartório qual o problema da prefeitura dizer que voou no avião de um empresário de comunicação do Estado? A não ser que seja pra evitar fazer ciúmes nos demais empresários.

Ou porque tem mais coisa entre o céu e a terra do que possa imaginar nossa vã filosofia.

O fato é que nenhum dos citados no caso, incluindo especialmente o prefeito Luciano Cartaxo, quis encerrar o assunto no nascedouro. Coisa simples de fazer. A facilidade de ser colher informações sobre a movimentação aérea deste final de semana impede que se minta. Talvez por isso a cautela. E as ameaças.

Eduardo Carlos pode vir com o poder incomensurável da Globo contra mim. Contra ele, terei apenas a verdade esperando, com dentes afiados. Porque uso calças abaixo da cintura. Mas são calças.

 

 

 

Luís Tôrres

Wellington Silva nega ser salvador e revela bronca: ‘Tá doido, Bernardo?’

bernardoApontado pela polícia como salvador de Bernardo no caso do espancamento do jogador do Vasco no complexo de favelas da Maré, no último domingo, Wellington Silva negou que tenha encontrado o meia vascaíno na comunidade, mas confirmou que esteve no local para visitar a sua família que mora na região. O lateral-direito do Fluminense, porém, admitiu que, em contato telefônico com o meia, soube de toda história. Wellington disse ainda que, ao contrário do que foi divulgado, o problema teria acontecido na terça-feira e não no domingo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

– Nasci no Complexo da Maré, meus familiares ainda moram lá. No domingo, fui visitá-los e me falaram que o Bernardo estava lá. Tinha tempo que não falava com ele, queria encontrá-lo, fiquei esperando para ver se conseguia conversar com ele, o pessoal falou que ele estava por lá. Mas fui embora e ele não apareceu. Ele me ligou depois e disse o que aconteceu. Eu falei: “Tu é doido, Bernardo?!” Ele disse que ainda estava muito abalado e depois conversaríamos pessoalmente. Ontem (quinta), ele me ligou novamente e disse que não sabia porque meu nome estava envolvido, já que não estive com ele e soube (que era apontado como salvador de Bernardo) pela imprensa – afirmou Wellington Silva ao GLOBOESPORTE.COM, por telefone, na manhã desta sexta.

As informações da polícia dão conta de que Wellington teria sido “chamado” quando os traficantes começaram a espancar Bernardo e convencido os traficantes a pouparem Bernardo argumentando que se o jogador morresse “a favela teria UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) no dia seguinte”.

wellington silva fluminense treino (Foto: Edgard Maciel de Sá)Wellington Silva treinou normalmente nesta sexta
(Foto: Edgard Maciel de Sá)

Criado e conhecido no Complexo da Maré, Wellington Silva disse que, caso estivesse com o jogador não teria problemas em ajudá-lo. Pelo contrário:

– Se eu estivesse, seria um prazer dar uma ajuda, ele é meu amigo. Mas eu nem sabia de nada. Estou assustado, pois me envolve em uma coisa de que não participei – garante.

Visivelmente nervoso com todo o caso, Wellington Silva garantiu repetidas vezes que não encontrou Bernardo nem atuou como intermediário para salvá-lo do poder dos traficantes.

– Não teve isso (conversa com traficantes), comigo nada, eu não estava no momento, soube bem depois, não falei nada com ninguém. Não o encontrei. Deu minha hora e tinha que voltar para minha casa, no Recreio. Fui embora e não vi o Bernardo. Ainda quero falar com ele pessoalmente. E acho que o problema não foi domingo nem segunda, e sim na terça-feira.

Nesta sexta-feira, Wellington Silva, que se recupera de fratura no pé esquerdo, treinou normalmente nas Laranjeiras.

Segundo a polícia, os jogadores que estariam acompanhando Bernardo quando ele foi espancado no complexo de favelas da Maré, no último domingo, seriam Wellington Silva, do Fluminense, e Charles, ex-Cruzeiro, hoje no Palmeiras, ambos criados na comunidade. As informações da polícia dão conta de que Wellington Silva estaria na favela – e foi “chamado” quando os traficantes começaram a espancar Bernardo.

O GLOBOESPORTE.COM também conversou com Charles por telefone. O volante primeiro soou evasivo:

– Estão aumentando muito isso aí. Não foi nada demais.

Não aconteceu nada disso. Não sei de onde está surgindo isso (…). O Bernardo vai lá normal, a minha vida toda foi lá… ele vai lá de vez em quando, mas desconheço isso aí. Se teve algo, eu não estava, mas acredito que não porque fico sabendo das coisas. Se teve… não estou sabendo de nada”
Charles, volante do Palmeiras

Depois, mudou um pouco o tom e negou saber de algum problema:

– Não aconteceu nada disso. Não sei de onde está surgindo isso. Não estou botando a mão na cabeça de ninguém mas não houve nada disso. O Bernardo vai lá normal, a minha vida toda foi lá… ele vai lá de vez em quando, mas desconheço isso aí. Se teve algo, eu não estava, mas acredito que não porque fico sabendo das coisas. Se teve… não estou sabendo de nada.

Atletas terão que depor

Segundo informações da polícia, no último domingo, Bernardo foi sequestrado e agredido por traficantes dentro do Complexo da Maré. O motivo teria sido o seu envolvimento com Dayana Rodrigues, supostamente uma das mulheres de Marcelo Santos das Dores, o Menor P, líder do tráfico no local.

menor p procurado bernardo (Foto: Divulgação)Dique- Denúcia oferece R$ 2 mil pela prisão de
Menor P (Foto: Divulgação)

Bernardo e Dayana teriam sido flagrados por bandidos na Favela Salsa e Merengue, e de lá levados para uma casa na Vila do João, onde teriam sido deixados nus, amarrados com fita crepe, torturados com choques elétricos e espancados.

Dayana levou sete tiros nas pernas, foi libertada e atendida no Hospital Santa Maria Madalena, na Ilha do Governador. De lá seguiu para o Hospital Souza Aguiar, onde permaneceu até esta quinta-feira. O caso foi registrado na 37ª DP (Ilha do Governador) sob o registro de ocorrência 037-02705/2013 e está sendo investigado pela 21ª Delegacia Policial (Bonsucesso).

O delegado José Pedro Costa, titular da 21ª DP (Bonsucesso), intimou Bernardo e Wellington Silva a prestarem depoimento na delegacia. Além deles, a irmã de Daiane Rodrigues também será chamada.

 

 

Globoesporte.com