Arquivo da tag: Sales

MPE manda PF instaurar inquérito policial sobre “caso do trote” de Sales Dantas

mpe-manda-pf-instaurar-inquerito-policial-sobre-caso-do-trote-de-sales-dantasO Ministério Público Eleitoral (MPE) decidiu instaurar inquérito policial para esclarecer a “farsa da compra do voto”, como ficou conhecida a armação de responsabilidade da Coligação “A Força do Povo”, que tem como candidato à reeleição o governador Ricardo Coutinho (PSB). Através do ex-secretário de Estado da Pesca, Sales Dantas, tentou incriminar o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), candidato a governador pela Coligação A Vontade do Povo, em julho deste ano.

Passando-se por um assessor do senador Cássio, Sales Dantas chegou a oferecer dinheiro ao prefeito do município de Caiçara, Cícero Francisco da Silva, em troca de votos. Ato contínuo, não levando em consideração que cometeu vários crimes, requisitou a instauração de um inquérito policial para desvendar o caso.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo o documento assinado pela promotora de Justiça Eleitoral Gláucia Maria de Carvalho Xavier, o MPE “requer que sejam procedidas investigações acuradas e criteriosas a respeito dos fatos narrados e promovidas diligências como audição de testemunhas, juntadas de documentos, tomadas de depoimentos de outras pessoas arroladas no curso das investigações policiais e outras cabíveis ao caso. Pugnando, desde logo, pela remessa dos autos para o Superintendente da Polícia Federal”.

Entenda o caso

No dia 24 de julho de 2014, a Coligação “A Força do Trabalho”, encabeçada por Ricardo Coutinho, apresentou em entrevista coletiva na sede da Associação Paraibana de Imprensa (API), um áudio de uma conversa em que ex-secretário da Pesca, Sales Dantas, se passa por um assessor do senador Cássio Cunha Lima oferecendo dinheiro para comprar o apoio político do prefeito de Caiçara, Cícero Francisco da Silva.

No diálogo, o ex-funcionário do atual governo, oferece R$ 500 mil ao político para ter o seu apoio nas eleições do dia 05 de outubro. A farsa montada pelos adversários, que tinha como objetivo atingir a candidatura ao governo de Cássio (PSDB), “saiu pela culatra” e agora, o MPE pede instauração de inquérito policial para investigar os responsáveis pelo ato.

Assessoria 

Episcopado brasileiro lamenta a morte do cardeal dom Eugênio Sales

 

dom-eugenio-sales1-268x300Cardeal arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da CNBB, dom Raymundo Damasceno Assis, cardeal arcebispo de Sâo Paulo (SP), dom Odilo Pedro Scherer, o arcebispo de Salvador (BA), Primaz do Brasil, dom Murilo S.R. Krieger e dom Jaime  Vieira Rocha, arcebispo de Natal (RN)se manifestam, com pesar, pelo falecimento do cardeal dom Eugênio Sales.

Cardeal dom Raymundo Damasceno anunciou que participa nesta quarta-feira, 11 de julho, do velório e sepultamento do Cardeal Eugênio. O velório será realizado na Catederal do Rio de Janeiro, a partir do meio-dia desta terça-feira. A missa de corpo presente será celebrada nesta quarta-feira`(11), às 15h e, em seguida, o sepultamento.

Cardeal dom Odilo Pedro Scherer enviou mensagem ao arcebispo do Rio de Janeiro: “Estimado Dom Orani. Tendo recebido a notícia do falecimento do Eminentíssimo Cardeal Dom Eugênio de Araújo Salles, Arcebispo Emérito do Rio de Janeiro, quero expressar minha pessoal solidariedade ao senhor e a toda a estimada Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. Dom Eugênio foi um grande Arcebispo, um Pastor que amou profundamente a Cristo e sua Igreja e, por ela, se dedicou inteiramente. Como Cardeal teve grande solicitude pela Igreja no mundo inteiro, sempre unido ao Papa, Sucessor de Pedro, zelando pela unidade da Igreja e pela fidelidade no cumprimento de sua missão. Como Arcebispo do Rio de Janeiro deixou uma marca indelével de seu pastoreio nessa Arquidiocese que amou e serviu sem reservas. Seu testemunho de homem da Igreja também marcou profundamente a Igreja no Brasil. Por isso, agora, elevo minha prece de gratidão a Deus pela vida e pela ação pastoral e evangelizadora de Dom Eugênio, pedindo ao Pastor dos pastores que o acolha nos “prados eternos” e lhe conceda a vida plena na Casa do Pai”.

Dom Murilo S.R. Krieger divulgou nota: “A Arquidiocese de São Salvador da Bahia cumpre o doloroso dever de comunicar o falecimento do Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales, 23º Arcebispo desta Arquidiocese Primaz (1968 – 1971) e Arcebispo Emérito da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. Ao fazer esta comunicação, a Arquidiocese de São Salvador da Bahia pede a todos os seus filhos que elevem preces a Deus pelo seu descanso eterno e rende seu tributo de gratidão àquele que aqui trabalhou e que tanto amou esta terra e esta gente”.

Dom Jaime Vieira Rocha apresentou a seguinte Nota:

“A Igreja de Jesus Cristo que está e é presença viva na Arquidiocese de Natal, por seu pastor e guia, Arcebispo Metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha, em comunhão com toda a Igreja do Rio Grande do Norte, publicamente, vem manifestar sua solidariedade e pesar pelo falecimento do Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales, Arcebispo Emérito da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, filho desta terra potiguar, nascido em Acari, formado padre e bispo no seio de nossa querida Arquidiocese, onde serviu com amor e criatividade pastoral.

Dom Eugênio, sem dúvida, deixa para toda a Igreja e sociedade, um inesgotável legado, de homem de fé, de homem Igreja, firme nos propósitos e convicções, amante da verdade, que é Deus, atuante da Caridade, servidor da Justiça, comprometido com a promoção e defesa da dignidade da pessoa humana, especialmente, dos mais necessitados e excluídos.

À família de Dom Eugênio, na pessoa do nosso venerável irmão no episcopado Dom Heitor de Araújo Sales, a sempre atual gratidão pela oferenda de tão grande servidor da Igreja de Cristo, insigne benfeitor da Igreja Católica no Rio Grande do Norte, em especial, da Arquidiocese de Natal.

Recomendamos aos padres de todas as paróquias e comunidades eclesiais pertencentes à Igreja particular de Natal, a celebrarem a Missa de Exéquias em sufrágio da alma de Dom Eugênio de Araújo Sales.

Por fim, convido todo o clero, autoridades, agentes de pastoral e fiéis católicos e homens e mulheres de boa vontade para, conosco, celebrarmos a Santa Missa de Exéquias em sufrágio da alma de Dom Eugênio, no 7º dia de sua partida para a Casa do Pai Eterno, a se realizar no dia 14 de julho, às 1l horas, na Catedral Metropolitana de Nossa Senhora da Apresentação”.

OUTROS BISPOS

Dom Frei Diamantino Prata de Carvalho, bispo de Campanha (MG): “Neste momento em que a Igreja eleva a Deus o seu hino de ação de graças pela vida, obra e ministério de Sua Eminência Reverendíssima Dom Eugênio Araújo, Cardeal Sales, quero em meu nome pessoal, e da Diocese da Campanha, MG, apresentar ao Excelentíssimo e Reverendíssimo Senhor Dom Orani João Tempesta, O. Cist, DD. Arcebispo Metropolitano, aos Senhores Bispos Auxiliares e ao Reverendíssimo Clero do Rio de Janeiro, e a todos os irmãos e irmãs desta amada Parcela do Povo de Deus, as minhas orações pela páscoa de Dom Eugênio.

Eu trabalhei, como frade franciscano, na Paróquia Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, de 1978 a 1983, quando pude testemunhar o carinho do Senhor Cardeal Sales para com os sacerdotes e o povo de Deus. Sinto-me recompensado pelo seu ministério, de quem fui seu modesto colaborador como Padre. Rogo ao Bom Pastor Jesus Cristo dar-lhe a felicidade eterna no céu”.

Dom Pedro Fedalto, arcebispo emérito de Curitiba (SC): “Associo-me fraternalmente ao meu amigo Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, a Dom Heitor de Araújo Sales, seu irmão, aos seus familiares e a todos da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, para exprimir-lhes meus sentimentos de pesar pela morte do eminentíssimo cardeal dom Eugênio.

Logo que tive conhecimento de sua morte, elevei a Deus preces por sua alma. Sempre o considerei amigo. Sou-lhe gratíssimo pelo convite que me fazia para participar do curso de formação anual dos bispos no Rio de Janeiro, por ele promovido, e pelas diversas vezes que esteve em Curitiba a meu convite.

Agradeço a Deus por todo o bem que Dom Eugênio realizou em Natal, Salvador e Rio de Janeiro. Que Deus o tenha na glória do Paraíso!”

Fonte: cnbb

Focando a Notícia

Nota oficial de pesar da CNBB pelo falecimento de dom Eugênio Sales

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulga Nota Oficial de pesar pela morte do cardeal dom Eugênio de Araújo Sales, arcebispo emérito do Rio de Janeiro. O secretário geral da Conferência, dom Leonardo Steiner, manifesta solidariedade com o povo e o arcebispo da arquidiocese do Rio de Janeiro e com os familiares de dom Eugênio, particularmente com seu irmão, dom Heitor de Araújo Sales, arcebispo emérito de Natal (RN).

Leia a Nota:

Nota de condolência pelo falecimento

do Cardeal dom Eugenio de Araújo Sales

A Conferência Nacional dos Bispos (CNBB) recebe, com profundo pesar, a notícia da morte do Cardeal dom Eugênio de Araújo Sales, arcebispo emérito do Rio de Janeiro (RJ), ocorrida no final da noite desta segunda-feira, 9 de julho de 2012.

Dom Eugênio é uma verdadeira página da história da Igreja no Brasil. Seu caminho de vida percorrido como padre e bispo está associado aos marcos do trajeto feito pela comunidade dos discípulos missionários de Cristo neste país. Ordenado padre em 1943, desempenhou trabalho pastoral na então diocese de Natal (RN) onde veio a ser bispo auxiliar da já arquidiocese de Natal, em 1954, por nomeação do Papa Pio XII. Nomeado como arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, em 1968, criado Cardeal no Consistório de 1969, dom Eugênio ficou na Bahia até ser transferido pelo Papa Paulo VI para a arquidiocese do Rio de Janeiro, em 1971, lugar onde exerceu seu pastoreio até a renúncia aceita pelo Papa João Paulo II, em 2001.

Inspirado pelo seu lema episcopal, “Impendam et Superimpendar” (alusão a 2Cor 12, 15: “Quanto a mim, de muito boa vontade gastarei o que for preciso e me gastarei inteiramente por vós”), dom Eugênio foi Padre Conciliar do Vaticano II, criador da Campanha da Fraternidade e também apoiou o Movimento de Educação de Base e as Comunidades Eclesiais de Base. Homem de vasta cultura, sempre teve admiração por parte da sociedade brasileira. Por tudo isso e pela sua expressão de pastor, dom Eugênio foi uma permanente referência da Igreja nos momentos mais significativos da vida social e política no Brasil. Ele jamais se recusou a dar sua palavra firme, ortodoxa, clara a respeito dos mais importantes princípios da vida moral tanto da pessoa quanto da sociedade.

Era um comunicador que chegava, com facilidade, ao entendimento da opinião pública, mesmo depois de se tornar arcebispo emérito do Rio de Janeiro, dom Eugênio manteve publicação regular de seus textos em um blog na internet. Recentemente, por ocasião da Páscoa deste 2012, ele mesmo determinou que seria publicado um último artigo no qual ele escreveu: “Ao passo que a alegria, presságio do transcendente, faz-nos sentir algo superior às experiências comuns, ela, todavia, acorda em nós o mais próprio, o mais íntimo de nós mesmos. Será que não está inscrita na experiência pura e honesta da alegria uma tênue e todavia forte certeza de que a mais profunda realidade de nosso ser é imagem do eterno? Este estado de alma é como uma atmosfera jubilosa de nossa mente, que se reflete em nossos sentimentos e que se irradia em nossos relacionamentos humanos”.

Despedimos-nos de dom Eugênio com este sentimento que ele antevia em sua reflexão, isto é, com “presságio de transcendência”. Agradecemos a Deus pela sua caminhada cheia de frutos para a vida da Igreja e do povo e nos solidarizamos com seus familiares, especialmente com seu irmão dom Heitor Araújo Sales, arcebispo emérito de Natal, com a arquidiocese do Rio de Janeiro e com dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro. Nossa oração nos consola na certeza de sua páscoa e na esperança de que esse nosso irmão compartilhava da convicção que nos foi deixada pelo apóstolo de que a “a coroa da justiça” está reservada para ele pelo Senhor, o justo juiz, que dará essa coroa, “não somente a ele, “mas a todos os que tiverem esperado com amor a sua manifestação”( 2 Tm 4,8).

Dom Leonardo Ulrich Steiner

Bispo Auxiliar de Brasília

Secretário Geral da CNBB