Arquivo da tag: Salário

13º salário: Termina nesta quarta-feira prazo para pagamento da 2ª parcela

Termina nesta quarta-feira (20) o prazo para o pagamento do 13º salário de 2017. Segundo o Ministério do Trabalho, mais de 83 milhões de brasileiros devem receber o 13º salário neste ano, o que irá injetar mais de R$ 200 bilhões na economia. Os dados incluem os empregados com carteira assinada e os aposentados e pensionistas, que também têm direito ao benefício.

O prazo de pagamento para a primeira parcela do benefício para os trabalhadores com carteira assinada terminou no dia 30 de novembro. Já os aposentados e pensionistas em todo o país começaram a receber a antecipação da primeira parcela do 13º salário no dia 25 de agosto.

Cada trabalhador assalariado deverá receber, em média, R$ 2.758,70 até dezembro, enquanto o valor médio a ser pago a aposentados e pensionistas é de R$ 1.923,14.

Dinheiro da 2ª parte do 13º deve ser depositado até o dia 20 (Foto: ´Rafael Neddermeyer / Fotos Públicas)

Dinheiro da 2ª parte do 13º deve ser depositado até o dia 20 (Foto: ´Rafael Neddermeyer / Fotos Públicas)

Planos para o benefício

Pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) aponta que a grande maioria das pessoas que irão receber o 13º diz que pretende usar o recurso para pagar dívidas que já possuem. Outros afirmam que vão usar o dinheiro para despesas de início de ano, compras ou investimentos.

O levantamento mostra ainda que, entre as pessoas que vão usar o dinheiro para pagar dívidas, em mais de 90% dos casos a pendência é de cartão de crédito ou de cheque especial.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Aumento do salário mínimo e novo piso para professores preocupa municípios

O anúncio de que o Congresso Nacional aprovou o orçamento de 2018 com o novo valor estipulado pelo Governo Temer para o mínimo de R$ 965 foi encarado com preocupação pela Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup). Ciente da importância do valor para a economia e o bolso dos trabalhadores, o presidente da entidade, Tota Guedes, lembrou que as prefeituras precisarão ter reservas para arcar com o aumento na folha.

“Com certeza tem um impacto, mas os municípios devem se adequar e pagar pois isso é esperado todo ano”, lembrou. A Famup ainda não tem o levantamento de quanto será o impacto nas 223 cidades da Paraíba, mas disse aguardar uma melhora na situação do país. “A única coisa que pode acontecer é esperar economia crescer e melhorar as finanças dos municípios, mas o aumento vai dar um impacto significativo na folha e já em fevereiro vai vir o aumento do piso dos professores”, salientou.

O piso vai passar dos atuais R$ 2.298,00 para R$ 2.412,00. “O que nos deixa preocupados é que o Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) não sofre o reajuste na mesma proporção do piso. Nos últimos cinco anos, o aumento foi de 98% do Fundeb e o piso teve 145%”, explicou.

O que poderia dar um alívio aos cofres municipais seria o pagamento dos R$ 2 bilhões anunciados pelo Governo Federal o que, segundo Tota, deve ocorrer até o final do mês, de acordo com informações passadas para os gestores durante encontro em Brasília esta semana. Mesmo assim, o recurso está comprometido com a folha de dezembro e do décimo terceiro, garante.

blogdogordinho

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

‘Povo não tem que pagar Imposto de Renda sobre salário’, afirma Lula

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato do PT à Presidência, disse neste sábado, 18, em Diadema, região do ABC, que “salário não é renda” e, portanto, o “povo” não deve pagar Imposto de Renda sobre seus vencimentos. Para o petista, a tributação deve recair sobre os “ricos”.

“Salário não é renda, portanto o povo não tem que pagar Imposto de Renda sobre salário. Quem tem que pagar Imposto de Renda é rico”, disse o ex-presidente no início da tarde de hoje. Lula não entrou em detalhes sobre a proposta mas citou como exemplos categorias profissionais que conseguem negociar aumentos salariais, mas viram alvo da Receita.

“Os coitados dos metalúrgicos, químicos, gráficos, fazem um acordo para receber um aumento de salário e, quando vem o aumento, a Fazenda leva tudo”, disse o petista. O ex-presidente fez o comentário imediatamente depois de prometer revogar feitos da gestão Michel Temer como a mudança do modelo de concessão do pré-sal. “Eu vou voltar e se eu ganhar a gente vai revogar tudo isso”, disse Lula que também não especificou quais atos da atual administração pretente revogar.

Lula participou neste sábado de um ato em comemoração aos 35 anos da vitória do PT na eleição para a prefeitura da cidade de Diadema. Em 1982, quando o partido tinha apenas um ano de existência, o então petista Gilson Menezes, egresso do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, venceu as eleições levando o PT a ocupar pela prmeira vez um posto no Executivo.

Estadão

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Com salários atrasados, servidores em Aroeiras podem ficar até mesmo sem 13º salário

Apesar da choradeira e do insistente pedido de socorro financeiro ao governo federal, os prefeitos dos 223 municípios da Paraíba vão receber hoje R$ 123,05 milhões na cota do Fundo de Participação dos primeiros dez dias de novembro, segundo comunicado feito pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), esse valor que entra nas contas das prefeituras no Banco do Brasil é 0,87% maior do que o que foi depositado no mesmo período de 2016.

A noticia parece não ser boa porém para os servidores municipais de Aroeiras, as notícias . Muitos estão com dois meses de salários atrasados e o 13º, nem em sonho sairá no mês de dezembro. A não ser que o prefeito atrase mais um mês e pague o equivalente ao 13º. Seria cobrir um santo para descobrir outro. Segundo a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), o valor bruto destinado aos municípios da Paraíba em 10 de novembro de 2016 foi de R$ 121,9 milhões.

Já o valor bruto creditado hoje é de R$ 123,05 milhões. Com os descontos de 20% do Fundeb, 15% da saúde e 1% do Pasep, o valor líquido chega a R$ 78,75 milhões. Pelo menos 21 municípios receberão R$ 287.093,98. Mais 15 terão R$ 358.867,48 e 25 terão R$ 430.640,97. Nove municípios terão em suas contas a importância de R$ 502.414,47 e quatro terão R$ 574.187,97.

Dois receberão, respectivamente, R$ 645.961,46 e R$ 717.734,96. Outros dois receberão R$ 789.508,45. Três também receberão R$ 861.281,95. Um receberá R$ 1.076.602,44; outro ficará com R$ 1.148.375,93 e outros com R$ 1.291.922,92. Campina Grande terá R$ 2.348.765,48. A Capital receberá R$ 8.615.337,53.

pbagora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Prefeito reduz o próprio salário, o do vice e demite todos os comissionados no Sertão

Reprodução / Facebook / Diogo Richelle
Prefeito Diogo Richelle, do PSDB

O prefeito de Nova Olinda, Diogo Richelle (PSDB), baixou decreto no início do mês e reduziu o próprio salário, o do vice e de secretários que integram a sua gestão. Além dos cortes, Diogo também demitiu todos os cargos comissionados da prefeitura.


De acordo com o decreto, o salário do prefeito que era de R$ 18 mil passou a ser R$ 11 mil, enquanto que o do vice-prefeito ficou em R$ 5,5 mil. Antes, a remuneração paga ao vice-prefeito era de R$ 9 mil. Os salários dos secretários também foram reduzidos, ficando em R$ 1,8 mil.

Segundo o prefeito, o enxugamento da máquina também atinge todas as áreas da gestão. Ele lembrou que a crise é uma realidade, por isso as medidas foram necessárias para garantir o equilíbrio fiscal e financeiro município.

Até o momento, outros gestores também adotaram medida semelhante, a exemplo dos prefeitos de Juru, São José da Lagoa Tapada, Princesa Isabel, Pocinhos e Lagoa Seca.

 Portal Correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Paraibanos terão o terceiro pior 13º salário do país este ano, diz Dieese

Foto:Reprodução
Imagem Ilustrativa

O pagamento do 13º salário deve injetar mais de R$ 200 bilhões até o mês de dezembro na economia do país. Na Paraíba, o incremento pode chegar a R$ 2,3 bilhões, valor que representa em torno de 4% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado. A estimativa é do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

De acordo com o Dieese, o contingente que receberá o benefício no estado ultrapassa 1,3 milhão de pessoas. Cada paraibano receberá, em média, um 13º salário de R$ 1.541,30, valor superior em 3,34% a 2016. Essa é a terceira menor média do país, ficando à frente apenas dos estados do Maranhão e Piauí, ambos no Nordeste.

No estado, os empregados do mercado formal, celetistas ou estatutários, representam 45,9%, enquanto pensionistas e aposentados do INSS equivalem a 52,5%. O emprego doméstico com carteira assinada participa com 1,5%.

O levantamento também identificou que o montante previsto para ser pago este ano supera em 1,8% o valor apurado em 2016.

 Portal Correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Banco do Brasil oferece vantagem a servidores estaduais que mantiverem conta-salário

Os servidores do estado da Paraíba que mantiverem seus salários no Banco do Brasil (via portabilidade do salário – LOB) terão uma série de vantagens e benefícios, que vão além do que é oferecido por outras instituições financeiras.

São benefícios exclusivos, como isenção de pacotes de serviços e de anuidade de cartão de crédito por 12 meses ou pelo mesmo período que eventualmente outra instituição financeira oferecer.

A taxa do crédito consignado já é a menor do mercado e continuará sendo. Ao optar pelo recebimento de salário no BB, os servidores terão também acesso a condições diferenciadas no crédito imobiliário, em seguros, consórcios e no CDC Salário.

As condições e todos os detalhes estão disponíveis no site bb.com.br/servidorparaiba.

Mantendo o recebimento de salário no BB, o servidor não precisará se preocupar em cancelar e autorizar débitos automáticos de contas de luz, telefone e convênios, por exemplo.

Foto: Reprodução/ Internet

Foto: Reprodução/ Internet

Tampouco precisará migrar contratos de crédito e recontratar seguros e previdências em novas condições e carências.

E não precisa ficar com duas contas correntes. Basta optar pela conta salário no outro banco, que é um direito do trabalhador, não há tarifas e ele pode optar pela portabilidade.

O BB conta com a maior rede de atendimento do estado da Paraíba. O app Banco do Brasil é melhor entre os bancos, de acordo com avaliação nas lojas de aplicativos do Google e da Apple.

É o quinto aplicativo preferido pelos brasileiros, de acordo com resultado da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box.

O BB ficou atrás apenas de grandes empresas de tecnologia ou redes sociais. A pesquisa é feita semestralmente e se encontra no seu terceiro ano de realização.

O Banco do Brasil respeita a lei da Livre Opção Bancária (LOB) e o servidor tem o direito de escolher o seu banco.

Veja as orientações aos servidores que desejam receber salário no BB:

a) Solicitar abertura de conta salário (que não cobra tarifa) em outra instituição financeira e pedir a esse banco a portabilidade do salário para o BB, conforme previsto nas resoluções nº 3.402, de 06/09/2006 e 3.424, de 21/12/2006, do Conselho Monetário Nacional;

b) O salário será creditado no BB na mesma data e com o mesmo valor que seria em outra instituição financeira.

paraibaonline

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Governo reduz para R$ 969 proposta para o mínimo de 2018

O governo baixou em R$ 10, de R$ 979 para R$ 969, a previsão para o salário mínimo em 2018. A redução, se confirmada, deve gerar uma economia de R$ 3 bilhões ao governo no ano que vem (veja mais abaixo neste texto).

A mudança foi divulgada pelo Ministério do Planejamento. Atualmente, o salário mínimo está em R$ 937.

Na terça, o governo propôs elevar o teto para o rombo das contas públicas em 2017 e 2018 para até R$ 159 bilhões e anunciou uma série de medidas para aumentar a arrecadação e reduzir custos, entre elas o adiamento de reajustes a servidores e a criação de um teto salarialpara o serviço público.

De acordo com o governo, as medidas são necessárias porque a arrecadação com impostos e tributos está mais baixa que a prevista, reflexo da recuperação da economia que é mais lenta que a esperada.

Atualmente, cerca de 45 milhões de pessoas no Brasil recebem salário mínimo, entre elas aposentados e pensionistas, cujos benefícios são, ao menos em parte, pagos pelo governo federal, já que a Previdência é deficitária (arrecada menos do que gasta).

Com o salário mínimo menor, portanto, o governo economiza nas despesas com o pagamento desses benefícios.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Valor do novo salário mínimo é reduzido para 2018

A revisão das projeções econômicas para 2018 levaram o governo a reduzir o salário mínimo para o próximo ano. O valor de R$ 979 que consta na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) passará para R$ 969 durante a elaboração do Orçamento.

A redução ocorreu por causa da diminuição da projeção de inflação, que caiu de 4,5% para 4,2% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Por lei, até 2019, o salário mínimo é definido com base no crescimento da economia de dois anos antes mais a inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), índice próximo ao IPCA. Como o PIB recuou 3,6% em 2016, a variação negativa não se refletirá no salário mínimo de 2018.

De acordo com o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, o valor do salário mínimo pode mudar até o início do próximo ano. Segundo ele, o Orçamento trabalha apenas com estimativas. “O salário mínimo só será conhecido em janeiro. Até lá, várias coisas podem mudar”, declarou.

Agência Brasil

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Reajuste de salário de servidores públicos do Executivo federal é adiado em um ano

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo de Oliveira, anunciou hoje (15) o adiamento em 12 meses do reajuste de salário para os servidores públicos do Executivo federal. Pelo acordado inicialmente, as categorias teriam aumento a partir de agosto deste ano ou janeiro do ano que vem.

Com a postergação dos aumentos, o governo espera economizar R$ 5,1 bilhões em 2018. Os reajustes para o Executivo federal foram negociados em 2015, ainda durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Quando Michel Temer assumiu, em 2016, manteve os acordos.

Extinção de cargos

O ministro do Planejamento afirmou que também serão extintos 60 mil cargos do Executivo Federal. A medida não terá impacto econômico, já que esses postos estão desocupados. Mas, segundo Dyogo de Oliveira, “com isso, no futuro, evitamos a ampliação da despesa”.

Previdência

O pacote de medidas direcionadas ao funcionalismo ainda inclui aumento da alíquota previdenciária dos atuais 11% para 14%, no caso de servidores que recebem acima de R$ 5,3 mil, atual teto do Regime Geral da Previdência Social (RGPS). Com isso, o governo espera arrecadar R$ 1,9 bilhão em 2018.

Auxílio-moradia

A equipe econômica anunciou ainda o cancelamento do reajuste para cargos e comissões do Poder Executivo e a redução da ajuda de custo a servidores no caso de transferência e auxílio-moradia.

O auxílio de custo para transferência, que hoje pode chegar a três remunerações mensais, será reduzido para no máximo uma, o que deve gerar economia de R$ 49 milhões por ano. Já o auxílio-moradia ficará limitado a no máximo quatro anos e seu valor decrescerá 25% a cada ano, o que proporcionará economia de R$ 35 milhões. Hoje, o tempo de concessão do auxílio-moradia é ilimitado.

Salário em início de carreira

Dyogo de Oliveira anunciou ainda uma redução dos salários iniciais de todas as categorias do serviço público, diminuindo o número de patamares na escala de progressão na carreira de 12 para 30 níveis.

“Em dez anos, isso trará uma redução acumulada de R$ 70 bilhões com despesas de pessoal”, afirmou o ministro. Ele informou também que o governo pretende fazer uma implantação efetiva do teto remuneratório do serviço público (atualmente em R$ 33,7 mil), o que, apenas no âmbito da União, proporcionará economia de R$ 725 milhões.

Segundo Dyogo de Oliveira, todas as medidas dependem de aprovação do Congresso Nacional. O pacote foi lançado há pouco, durante o anúncio da mudança da meta fiscal para 2017 e 2018. Este ano, em lugar do déficit previsto de R$ 139 bilhões para o Governo Central (Banco Central, Tesouro e Previdência Social), a meta de déficit foi ampliada para R$ 159 bilhões. Para o ano que vem, a previsão de déficit R$ 129 bilhões subiu para saldo negativo igualmente de R$ 159 bilhões.

Agência Brasil

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br


INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627