Arquivo da tag: roteador

Desligar o roteador quando não está usando é errado? Tire sua dúvida

Desligar o roteador/modem quando não estiver em uso pode causar algum tipo de problema? Essa é uma questão que pode gerar dúvidas em usuários iniciantes. Se por um lado existe a preocupação com a conta de luz, por outro há o medo de que o aparelho perca as configurações.

Mas será que tudo isso é verdade ou não passa de uma lenda? Para ajudar, confira a seguir os prós e contras de manter o roteador ligado durante a noite ou quando for viajar e saiba qual a melhor opção para sua casa e seu bolso.

Por que deixar ligado?

Manter roteador ligado oferece mais praticidade (Foto: Carol Danelli/TechTudo)Manter roteador ligado oferece mais praticidade (Foto: Carol Danelli/TechTudo)

O principal motivo para manter o roteador ligado é a praticidade. Ter internet sempre que precisar é muito mais cômodo do que chegar em casa e ligar o modem; acordar, ter que conferir os e-mails e ligar o aparelho.

Além disso, a ação é mais vantajosa para casos de emergência, como em mensagens e ligações de madrugada. A maioria dos roteadores, ao serem desligados, demoram um tempo para sincronizar o sinal e estar apto para o uso. Esses minutos offline podem fazer a diferença.

Outra questão apontada por quem defende que o aparelho seja desligado quando ficar um tempo sem uso é a economia de energia. Isso pode até ser verdade, já que qualquer aparelho plugado na tomada consome eletricidade. Mas, se colocar na ponta do lápis, essa economia não passa de poucos reais. No geral, roteadores doméstico são dispositivos que consomem muito pouco.

Além disso, há o problema de diferentes dispositivos conectados ao mesmo tempo. Com cada vez mais aparelhos precisando de internet – de TVs a geladeiras -, desligar o modem com o passar dos anos não será mais uma opção se quiser que tudo funcione com todos os recursos.

Por que desligar?

Desligar roteador pode economizar alguns trocados na conta de luz (Foto: Luciana Maline/TechTudo)Desligar roteador pode gerar economia na conta de luz (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

Economizar energia está entre os primeiros motivos para quem defende desligar o roteador quando não estiver em uso. Para muita gente, como aqueles que passam muito tempo fora de casa, tirar o aparelho da tomada é uma questão de consciência ambiental. E é claro que alguns reais a menos na conta de luz sempre é bom.

Outro fator está na própria conservação do aparelho. Desligá-lo pode prevenir que sofra com picos de luz e assim queime ou sofra com algum dano durante uma tempestade de madrugada, por exemplo.

Um dos motivos mais apontados para deixar o roteador ligado é que o dispositivo pode sofrer problemas de configuração ao ser desligado. Isso pode até acontecer em alguns modelos mais básicos, mas é muito pouco provável. A maioria dos roteadores contam com uma memória interna justamente para isso:  quando for religado, a última configuração será ativada. Ou seja, é muito difícil um roteador dar problemas de configuração ao ser desligado.

A segurança também é um motivo para deixar o modem desligado quando não está em uso. Uma pesquisa de uma desenvolvedora de antivírus constatou que mais da metade dos roteadores no Brasil usam as configurações de fábrica. Ou seja, estão vulneráveis a invasões. Assim, se você não entende muito de redes a melhor opção pode ser desligar o aparelho quando não estiver em uso para prevenir ataques e zelar pela segurança do seu Wi-Fi.

techtudo

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Qual é o roteador Wi-Fi ideal para sua casa? Veja dicas e descubra

Em uma casa diversos dispositivos podem se conectar à Internet simultaneamente, desde notebooks, smartphones, videogames, TVs e, em alguns casos, até geladeiras. O grande responsável pelo bom funcionamento da rede wireless é o roteador Wi-Fi. Além de fazer com que todos esses aparelhos possam “conversar” entre si, ele distribui o sinal de Internet sem precisar de fios.

Há uma infinidade de modelos no mercado, com diferentes especificações e preços. Com a ajuda de especialistas, o TechTudo preparou algumas dicas para que você escolha o melhor roteador Wi-Fi para sua casa.

Roteador Airport Express, da Apple, pode ser usado em computadores com Windows  (Foto: Divulgação) (Foto: Roteador Airport Express, da Apple, pode ser usado em computadores com Windows  (Foto: Divulgação))AirPort da Apple é compatível com os dispositivos mais comuns do mercado (Foto: Reprodução/Apple)

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Padrões

A primeira pergunta que se fazer ao pensar em montar uma rede sem fio, é que tipo de dispositivos vai se conectar a ela e a velocidade da Internet contratada pelo provedor.

Roteadores atuais são compatíveis com os padrões G, N e em alguns caso até com o AC, este mais recente com capacidade de transmitir dados até 1.300 Mbps. Modelos mais antigos utilizam os padrões A e B, com uma taxa de transferência menor.

Para saber qual roteador escolher é preciso saber quais são os padrões usados pelos dispositivos que vão se conectar a rede sem fio. Para saber qual o tipo de conexão do seu dispositivo, é preciso consultar o manual do fabricante.

Uma confusão comum de acontecer, na hora de comprar o roteador, é pensar que a velocidade, muitas vezes estampadas na caixa com destaque, é a banda de conexão com a Internet. Essa velocidade é a de transmissão de troca de arquivos dentro da própria rede. A conexão de Internet depende da velocidade contratada junto ao provedor.

Quantos equipamentos vão usar a rede sem fio?

Esta é uma demanda que a maior parte dos roteadores encontrado nas lojas consegue atender. A maioria dos roteadores wireless atuais suportam um número satisfatório de dispositivos conectados simultaneamente. A não ser que você dê uma festa e chame muitos convidados, este é um item com o qual não deve se preocupar.

e2500 (Foto: Reprodução/Linksys)E2500, da Linksys/Cisco, tem duas antenas internas e trabalha simultaneamente em 2,4 GHz e 5 GHz (Foto:Reprodução/Linksys)

 

Tamanho da casa

Outro item determinado pelos padrões de conexão A, B, G e N é o alcance do sinal propagado pelo roteador. A maioria dos aparelhos têm o limite de mais de 100 metros, porém paredes e outros obstáculos diminuem o alcance.

Se sua casa for muito grande ou possuir mais de um andar é aconselhável usar um repetidor de sinal Wi-Fi.

Outra questão é o melhor lugar para colocar o seu roteador. Para maximizar a eficiência, é aconselhável que instale o aparelho em um ponto alto onde esteja mais próximo a todos os cômodos da casa, como em um corredor que dá acesso à sala e aos quartos, por exemplo.

Quantidade de Antenas 

Gadgets e smartphones mais novos, como o iPhone 5S e o Galaxy S5, vêm com uma tecnologia que amplia a capacidade de recepção dos sinal Wi-Fi. O MIMO, do inglês Multiple Input/Multiple Output, é o responsável por captar o sinal de múltiplas antenas de uma mesma rede para garantir uma transferência de dados mais “limpa”.

Se você possui dispositivos com essa tecnologia, pode ser uma vantagem comprar um roteador sem fio com mais de um antena. Vale lembrar que todos os roteadores possuem pelo menos uma antena, mesmo nos quais elas não estejam à mostra.

Também com antenas externas, TP-Link TL-WR941ND é opção econômica e eficiente (Foto: Divulgação/TP-Link) (Foto: Também com antenas externas, TP-Link TL-WR941ND é opção econômica e eficiente (Foto: Divulgação/TP-Link))Também com antenas externas, TP-Link TL-WR941ND é opção econômica e eficiente (Foto: Divulgação/TP-Link)

 

Frequência

A grande maioria dos roteadores encontrados nas lojas trabalham com a frequência de 2,4 GHz. Isso pode ser um problema para as pessoas que moram em prédios que possuam muitas redes Wi-Fi. Em média, cada roteador pode trabalhar em 16 canais diferentes mas, se vários roteadores trabalharem no mesmo canal, poderá ocorrer interferência e o sinal da rede será prejudicado.

Para que isso não ocorra é recomendável escolher roteadores que trabalham em duas frequências: 2,4 GHz e 5 GHz. Apesar de serem um pouco mais caros eles evitam que o sinal perca eficiência e seja prejudicado por interferências de outros roteadores ou aparelhos domésticos, como o micro-ondas e telefones sem fio.

Outra dica é rodar um software, como o Wireless Wizard, que faz uma varredura em todas as redes Wi-Fi disponíveis. Com ele é possível saber a frequência e qual canal cada rede detectada está trabalhando. Sabendo essas informações, basta configurar o roteador para trabalhar no canal que possui menos roteadores em funcionamento, para reduzir as interferências externas.

Segurança

Modelos de roteadores mais antigos possuem uma tecnologia de segurança defasada. O WEP, lançado junto com os primeiros padrões de redes sem fio, nos anos 90, está em desuso por ser mais vulnerável a uma invasão. Na ho Continue lendo Qual é o roteador Wi-Fi ideal para sua casa? Veja dicas e descubra

Secretaria de Administração Penitenciária divulga saldo de ‘pente fino’ que encontrou roteador de internet sem fio

Pente finoA Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) realizou nessa terça-feira (5) mais uma Operação “Pente Fino” no Presídio Desembargador Flósculo da Nóbrega, mais conhecido como Presídio do “Róger”. O trabalho foi realizado por 30 policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope), 15 agentes do Grupo Penitenciário de Operações Especiais (Gpoe) e mais 30 agentes penitenciários plantonistas.

De acordo com a Seap, foram apreendidos 24 chips de celular, 50 aparelhos celulares, um pé de cabra, um cachimbo artesanal conhecido como marica, 19 facas, 13 espetos artesanais e uma tesoura, além de um cartão de memória e um roteador de internet. A operação, que se estendeu durante todo o dia na unidade prisional, teve como alvo principal o pavilhão 1, mas varreduras também foram realizadas nos pavilhões 2 e 3.

O secretário Walber Virgolino, que acompanhou o trabalho dos militares e dos agentes, informou que esse tipo de operação vai acontecer ininterruptamente em todas as unidades prisionais da Paraíba, de acordo com um cronograma agendado previamente. Ainda na tarde desta terça-feira (5), a Seap realizou a transferência de 16 detentos com a autorização do juiz da Vara de Execuções Penais da Capital para a Penitenciária Dr. Romeu Gonçalves de Abrantes (PB1/PB2).

As visitas íntimas na Penitenciária Flósculo da Nóbrega estão suspensas até o término da reconstrução que está sendo feita depois do motim ocorrido na semana passada.


MaisPB com Secom PB