Arquivo da tag: RJ

TRE-RJ barra candidatura de Rosinha com base na Ficha Limpa

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) indeferiu nesta quinta-feira o registro de candidatura da prefeita de Campos dos Goytacazes, Rosinha Garotinho, que tenta a reeleição pelo PR, com base na Lei Complementar 135 (Lei da Ficha Limpa). A candidatura de Rosinha havia sido aprovada em primeira instância, mas o Ministério Público Eleitoral recorreu. A prefeita de Campos teve o registro negado pela Corte pelo placar de 4 a 1. A defesa afirmou que vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O MP eleitoral sustentou que a liminar do TSE que manteve Rosinha na prefeitura de Campos não suspendeu a inelegibilidade dela e de seu candidato a vice, Francisco Arthur de Souza Oliveira, o Dr. Chicão. Já a defesa afirmou que a liminar suspendia todos os efeitos da decisão do TRE-RJ, que havia condenado Rosinha por abuso de poder econômico.

— Ela recebeu a decisão com serenidade e confiante no recurso – disse o advogado de Rosinha, Francisco de Assis Pessanha Filho, que avisou a prefeita por telefone da decisão da corte.

Em nota divulgada nesta tarde, o TRE-RJ informou que negou o registro por conta de duas decisões colegiadas contra Rosinha, proferidas pelo próprio Tribunal.

O Globo

RJ: Complexo do Alemão ganha rádio comunitária feita por mulheres

 

 

O Complexo do Alemão ganhou no último dia 10 a Rádio Mulher – Um ambiente comunitário, projeto que faz parte do Programa “Nas Ondas do Ambiente”, promovido pela Secretaria do Ambiente, em parceria com a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos. A 98,7 FM fica no Casarão da Cultura, na comunidade, e é coordenada por seis moradoras locais, que fazem a produção, locução e transmissão dos programas.
Cada uma das moças recebe uma bolsa de R$ 178 mensais, pagos pelo Governo do Estado do Rio.
O secretário de Meio Ambiente, Carlos Minc, visitou o local e assistiu os eventos que marcaram o início oficial da atuação da rádio, entre eles uma apresentação infantil de dança. A equipe da rádio aborda temas como a Lei Maria da Penha, assuntos relativos à saúde da mulher, como prevenção de DSTs e de gravidez na adolescência, e assuntos de utilidade pública e serviço para todo o entorno do Complexo do Alemão.
– Vejo com muita alegria essa iniciativa, que mostra que as mulheres detêm o poder de se comunicar bem e de emitir ideias, conceitos e problemas de sua própria comunidade. O Estado ajudou, mas não interferimos nem no conteúdo nem na linguagem dos programas. A cultura é a base de tudo, porque motiva e mobiliza as pessoas, mudando comportamentos – afirmou Minc.
Até o momento, a Rádio Mulher conta com três programas fixos: o “Sabadão Comunitário” (das 10h às 12h), com a divulgação de eventos e ações sociais na comunidade; o “Som da Tarde” (segunda, quarta e sexta, das 14h às 16h), com músicas que vão do forró ao axé; e o informativo “Manhã do Complexo” (de segunda a sexta, das 10h30m ao meio-dia).
– A gente veio para botar um cor-de-rosa no ‘clube do bolinha’ que á a comunicação do Complexo do Alemão. Nossa rádio é um canal que permite às mulheres se expressarem – disse Scheila Santos, presidente da Associação de Mulheres do Complexo do Alemão e coordenadora da rádio.
Segundo a superintendente de Educação Ambiental da Seam (Superintendência de Educação Ambiental), Lara Moutinho da Costa, as rádios comunitárias são, reconhecidamente, um instrumento de mobilização social.

Fonte: Jornal do Brasil
Focando a Notícia

Sindicato promove encontro entre jornalistas no RJ

Em 14 de agosto, às 19h, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro (SJPMRJ) promoverá o encontro “Na Pauta: Encontro com Jornalistas Escritores”.
O encontro terá a participação dos jornalistas Altamir Tojal e Sidney Rezende. Terezinha Santos, diretora do SJPMRJ e presidente do Clube de Comunicação, será a mediadora.
Altamir Tojal é diretor da SPS Comunicação e autor de dois livros. Sidney Rezende é apresentador da GloboNews e tem dois livros publicados.
Portal IMPRENSA

FAMUP reclama que PB não tem interesse de discutir royalties do petróleo; ‘governo já fez acordo com RJ’

O presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (PAMUP), Buba Germano comentou nesta segunda-feira (06) a distribuição dos royalties do petróleo brasileiro. Segundo Buba, o governo estadual paraibano não tem interesse em discutir o assunto porque tem um acordo anterior com o governo do Rio de Janeiro.

“As negociações estão totalmente paralisadas. E um absurdo que todas as 27 unidades dependam do RJ e ES”, disse Buba.

Para o presidente, que também é prefeito de Picuí, a situação atual prejudica os pequenos municípios e afirmou que a única solução é fazer um novo Pacto Federativo para que a receita global do Brasil não fique tão centralizada na União.

“Nós queremos que o governo mude as regras para que haja uma melhor participação dos municípios”, contou o prefeito.

Yves Feitosa

Sambista Dicró morre aos 66 anos; enterro será nesta quinta no RJ

Foto Reprodução Globo

O sambista Dicró, conhecido por compor sambas bem-humorados, recheados de sátira e brincadeiras com as sogras, morreu na noite de quarta (25) em Magé e será enterrado nesta quinta em Mesquita, também na Baixada Fluminense.

Dicró tinha 66 anos e sofria de diabetes e de insuficiência renal. Depois de uma sessão de hemodiálise, ele passou mal em sua casa e foi levado para o hospital, onde sofreu um infarto e não resistiu. Em novembro passado, ele chegou a ser submetido a uma cirurgia para tratar uma inflamação na vesícula.

O velório começou às 10h no cemitério Parque Jardim Mesquita, em Édson Passos. O enterro está marcado para as 16h no mesmo local.

Por volta das 12h, dezenas de amigos, parentes e fãs acompanham o velório. “Era muito família, não deixava ninguém se desviar. Bobo com os filhos, amoroso com minha mãe. Vai deixar muita saudade. Ele fazia todo mundo rir, sem precisar se pintar”, disse Jorge Luiz, o caçula de três filhos de Dicró e pai de uma das duas meninas entre os três netos.

saiba mais

  • VÍDEOS: veja participações de Dicró no Fantástico

Carreira
Nascido em 14 de fevereiro de 1946, Carlos Roberto de Oliveira era conhecido por compor sambas bem-humorados, recheados de duplos sentidos, sátira e brincadeiras com as sogras, como nas músicas “A vaca da minha sogra” e “Bingo da sogra”. “Eu adoro sogra. Se eu pudesse, tinha 10, minha mulher é que não deixa”, costumava dizer.

O apelido veio da época em que era compositor de um bloco carnavalesco em Nilópolis e assinava as composições com as iniciais de seu nome “CRO”. Ao darem o crédito dos sambas, diziam: “é de CRO”, o que em pouco tempo se transformou em Dicró.

Na década de 1990, formou parceria com os sambistas Moreira da Silva (1902-2000) e Bezerra da Silva (1927-2005), encontro que resultou no álbum “Os 3 malandros in concert”, em 1995.

O sambista nasceu em Mesquita, na Baixada Fluminense, mas sempre teve um carinho muito especial pelo bairro de Ramos, no subúrbio do Rio. Segundo ele, quando era pequeno, ia a pé de Mesquita até a praia de Ramos, pois não tinha dinheiro para pagar a passagem.

Para o sambista, essa era a razão pela qual incluiu Ramos em algumas de suas músicas. Quando a praia começou a ficar suja, Dicró chegou a organizar um abraço simbólico da população no entorno da praia.

O sambista lançou 12 discos em sua carreira. Um dos últimos CDs lançados por Dicró era vendido na rua, de mão em mão. O projeto, que é chamado “CD rua” e é de autoria do cantor Aguinaldo Timóteo, dá a possibilidade de o artista vender o disco a preço popular, o que, segundo Dicró, era mais justo com os seus fãs.

Em 2010, ele fez uma série de participações especiais no Fantástico como “supercorrespondente no mundo dos bacanas” (veja os vídeos).

Em março daquele ano, teve uma crise de hipertensão e foi internado. Depois de ter alta, declarou ao Canal F do Fantástico: “Não morri, não. Estou aí, duro na queda. Só estranhei uma coisa: andei de jatinho, de navio luxuoso, de limusine, de Ferrari e, de repente, quando eu me dou conta estou dentro de uma ambulância. Sabia que eu era gordo, cachaceiro e mentiroso, e diabetes eu descobri há pouco tempo. Cheguei no hospital, e os caras me internaram. Forçando uma barra: parei de beber e parei de fumar. Eu só nao consigo parar de mentir”.

G1

Tempo melhora em Teresópolis após temporal que deixou 5 mortos no RJ

Tempo está nublado, mas sem chuva em Teresópolis, neste sábado (Foto: Tássia Thum/G1)

Depois de um temporal que deixou cinco mortos e vários desabrigados, a cidade de Teresópolis, na Região Serrana do Rio, amanheceu com tempo nublado, mas seco, sem chuva neste sábado (7). O sol chegou a reaparecer e há uma leve neblina na entrada da cidade. Segundo o quartel do Corpo de Bombeiros do município, não chove na região desde as 2h30.

Rua em Teresópolis (Foto: Tássia Thum/G1)Canteiros ficaram destruídos na Rua Flávio
Bertoluzzi de Souza (Foto: Tássia Thum/G1)

Também na chegada à cidade, na localidade conhecida como Soberbo, próximo ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos, há um deslizamento, mas sem interdição da Rodovia Rio-Teresópolis, que está suja de barro. A cachoeira próxima ao parque está com o fluxo de água aparentemente normal.

Nesta manha, ainda é possível ver os sinais de destruição provocados pela força da água. Na Rua Flávio Bertoluzzi de Souza, próxima a feirinha do alto, os canteiros ficaram destruídos e as pedras ocupam as calçadas.

No caminho para o bairro Santa Cecília, onde uma mulher morreu, é possível ver ruas sujas de barro e lama. A região foi uma das mais atingidas pelos deslizamentos.

Cinco mortes
Na sexta-feira (6), o mau tempo alagou as ruas da cidade e causou oito deslizamentos de terra. Além das cinco vítimas, várias estão desabrigadas. Os bairros mais afetados pelo temporal foram Perpétuo, Pimentel e Rosário. Durante a madrugada, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, coronel Sérgio Simões, que esteve na cidade, informou que o número de pessoas fora de casa era estimado em 800. Todas as vítimas foram levadas para creches e escolas do município.

A Rio-Teresópolis, principal ligação entre a capital e a cidade da região serrana, que chegou a ficar quase 3 horas fechada nos dois sentidos, reabriu na noite de sexta. De acordo com a CRT, concessionária responsável pela via, a interdição ocorreu por medida preventiva, por causa da chuva forte.

O prefeito de Teresópolis informou também que os dois hospitais da cidade, além da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) estão de prontidão para atender as vítimas dos deslizamentos.

“A prefeitura está toda em alerta. Caiu umas barreiras no Rosário, mas a prefeitura já está tirando. Na Fonte Santa, onde teve muita água, o acesso já está sendo liberado”, explicou o prefeito, na sexta.

As vítimas
A quinta vítima localizada é uma mulher, que estava sob os escombros de uma casa no bairro de Santa Cecília. O filho dela, de 5 anos, foi resgatado com vida, de acordo com o coronel Simões.

Segundo as primeiras informações, uma vítima teria 14 anos, moradora do bairro Quinta Lebrão. Um casal teria sido retirado sem vida em um desabamento em Bom Retiro e ainda uma outra vítima morreu em um deslizamento na comunidade Pimentel.

Anteriormente, os bombeiros informaram que a vítima de 14 anos era do sexo masculino, porém, às 23h41, a corporação afirmou que era uma menina.

Segundo a Secretaria de Estado da Defesa Civil, o sistema de alerta sonoro da cidade foi acionado nos bairros de Perpétuo e Rosário, e moradores estão sendo orientados a seguir para os pontos de apoio.

Friburgo
Em Nova Friburgo, também na Região Serrana, a chuva forte do fim da tarde de sexta provocou um deslizamento de terra na RJ-142, estrada que liga os distritos de Mury a Lumiar.

Mapa copm a localização de Teresópolis (Foto: Arte/G1)

Segundo a Defesa Civil do município, em quatro horas choveu mais do que o esperado no município para o mês inteiro. Mais cedo, o Rio Bengalas, no Centro da cidade, chegou a transbordar, mas as águas já retornaram ao nível normal.

Todos os rios da Região Serrana estão em estágio de atenção, ainda de acordo com o Inea. A Defesa Civil do estado informou que as equipes estão mobilizadas nos dois municípios.

Em janeiro de 2011, a chuva que devastou municípios da Região Serrana deixou mais de 900 mortos.

G1

Aposta do RJ leva a Mega-Sena

Uma aposta feita no Rio de Janeiro acertou as dezenas do concurso 1377 da Mega-Sena, cujo sorteio foi realizado nesta quarta-feira (4) em Rio Grande (RS). Cabe ao bilhete a bolada de R$ 5.600.981,17.

As dezenas: 02 – 05 – 12 – 13 – 25 – 35

A Quina premiou 175 apostas, com R$ 9.128, 17. A Quadra distribuirá R$ 184,75 para 12.352 bilhetes.

Segundo a Caixa Econômica Federal (CEF), a estimativa de prêmio do concurso de sábado (7) é de R$ 2 milhões.

G1