Arquivo da tag: ritmo

Mercado de crédito no Brasil cresce 11,3% em 2014, menor ritmo em 11 anos

mercado-de-creditoO mercado de crédito no Brasil fechou 2014 com expansão de 11,3 por cento sobre o ano anterior, menor ritmo em 11 anos em meio ao cenário de juros elevados para domar a inflação e maior endividamento das famílias.

Apenas em dezembro, o estoque total de crédito no Brasil subiu 2,0 por cento sobre novembro, informou o Banco Central nesta terça-feira. A variação no ano é a menor desde 2003, quando o mercado cresceu 8,8 por cento.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Com o resultado, o mercado total somou 3,022 trilhões de reais em 2014, a primeira vez neste patamar, ou 58,9 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

Segundo o BC, o estoque do crédito direcionado foi que o puxou o mercado, ao subir 19,6 por cento no ano passado, impulsionado pelos financiamentos imobiliários e créditos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Em 2013, no entanto, esse segmento havia crescido 24,5 por cento.

Já o crédito livre avançou bem menos em 2014, 4,7 por cento no ano passado, após avançar 7,8 por cento em 2013, num sinal de maior restrição dos bancos diante do cenário de fraca atividade e confiança dos agentes econômicos.

A política monetária apertada também ajudou a desacelerar o crédito, ainda mais com o início de um novo ciclo de aperto em outubro passado e que já elevou a Selic para o atual patamar de 12,25 por cento ao ano para tentar domar a alta dos preços.

Para 2015, o BC ainda projeta que o mercado de crédito crescerá 12 por cento, mesmo com as recentes medidas de restrição.

INADIMPLÊNCIA

No mês passado, informou o BC, a inadimplência no segmento de recursos livres ficou em 4,8 por cento, ante 4,9 por cento em novembro e 4,7 por cento dezembro de 2013. No segmento de recursos totais, incluindo os direcionados, a inadimplência fechou o ano passado em 2,9 por cento, praticamente em linha aos 3 por cento vistos um ano antes.

Ainda segundo o BC, o spread bancário –diferença entre o custo de captação e a taxa efetivamente cobrada do consumidor final– foi de 20,4 pontos percentuais em dezembro no segmento de recursos livres, abaixo dos 21,1 pontos vistos no mês anterior, mas bem acima de 17,5 pontos percentuais em dezembro de 2013.

Considerando o crédito total, o spread ficou em 12,1 pontos percentuais no ano passado, também maior do que os 11,1 por cento vistos em dezembro de 2013.

A taxa média de juros no segmento de recursos livres chegou a 32,4 por cento em dezembro, inferior aos 32,9 por cento de novembro mas acima dos 29 por cento verificado em dezembro de 2013. No crédito total, os juros ficaram em 20,9 por cento no mês passado, maior do que os 19,7 por cento apurados um ano antes.

(Reportagem de Luciana Otoni)

Reuters

Alteração no ritmo do coração deve ser sinal de alerta

coraçãoO coração tem um ritmo que deve ser mantido na maior parte do tempo. Ele funciona como um instrumento musical mesmo, com uma cadência bem definida. Este foi o tema do Bem Estar desta quinta (18), que teve a participação dos cardiologistas Roberto Kalil e Denise Hachul.

Os problemas em que o coração sai dessa batida normal são conhecidos como arritmias, que é o termo mais amplo. A aceleração fora de hora é chamada de taquicardia, e a batida mais lenta é a bradicardia.

Palpitações, tontura e falta de ar são sintomas das arritmias cardíacas. Elas precisam ser identificadas e controladas, porque representam um risco para o funcionamento do coração.

Quaanto às atividades físicas, que são essenciais para a saúde, é preciso saber respeitar os limites do corpo. Atividades extenuantes, principalmente para pessoas sedentárias, devem ser evitadas, porque também são um risco para o coração.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O programa mostrou também a relação entre as pedras nos rins e doenças como o infarto e o AVC. Não é que a pedra no rim cause os problemas cardiovasculares; o que acontece é que os dois podem ter uma origem em comum. Quando o metabolismo do cálcio no corpo é alterado, o excesso da substância pode provocar as pedras e também endurecer as veias e artérias, o que pode levar ao infarto e ao AVC.

 

 

G1

Governador Ricardo Coutinho diz que está feliz com ritmo de trabalho na Paraíba e faz projeção para 2015

ricardo-coutinhoO governador Ricardo Coutinho (PSB) concedeu entrevista ao PB Agora  e fez um prognostico interessante para o seu segundo mandato a frente da administração pública da Paraíba: enfrentará dificuldades, porém tais percalços não atrapalharam o ritmo de obras e ações em prol da população.

“Não será fácil, 2015 vai ser um ano muito difícil para o Brasil. Todos os governos estão extremamente preocupadas e tem uma carga de inaugurações. Fico feliz com isso que me fez esta semana inaugurar quatro estradas”, frisou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Coutinho também disse que continuará a respeitar o dinheiro público e que o fundamental na Paraíba é: a continuidade administrativa.

“Começamos o governo fazendo obras, inaugurando, ampliando serviços e ações e vamos terminar esse primeiro governo com um volume ainda maior de realizações”, explicou,

TREVO DE MANGABEIRA: Segundo dados disponibilizados pela gestão socialista hoje está trabalhando na obra do Trevo de Mangabeira 200 operários, num investimento de R$ 22 milhões com previsão de entrega para o inicio do próximo ano.

“Essa obra é essencial para João pessoa. O Trevo de Mangabeira é essencial. O Shopping foi aberto ontem com quatro mil servidores, com no mínimo 10 mil pessoas se deslocando diariamente para esse empreendimento. A nossa previsão é que na segunda quinzena de fevereiro o trânsito na parte de cima já esteja aberto, para que quem vem direto dos bancários passe direto. Vamos ficar trabalhando na parte de baixo que é uma drenagem profunda. Com um túnel que vai fazer as tesouras para fazer com que esse espaço ganhe em muito no paisagismo, na funcionalidade e na necessidade de ter obra de mobilidade urbana como nós estamos fazendo”, frisou Coutinho.

PB Agora

Vídeo com alunos dançando hino em ritmo de funk ganha repercussão nacional

extraO vídeo que mostra alunos de Cacimba de Dentro, dançando o hino nacional em ritmo de funk ganhou repercussão na mídia nacional. O site Extra, do Globo.com, destacou a polêmica gerada pela apresentação e que foi noticiada inicialmente no Focando a Notícia.

 

Veja o vídeo

 

Confira a reportagem do Extra na íntegra:

 

Apresentação escolar com hino nacional em ritmo de funk gera polêmica na web
Uma apresentação dos alunos da Escola Senador Humberto Lucena, em Cacimba de Dentro, interior da Paraíba, tem gerado polêmica nas redes sociais. Durante a abertura de um evento cultural da institução, a turma fez uma coreografia de funk. O detalhe é que a parte instrumental da música era composta pelo hino nacional. Ao compartilhar o vídeo no Facebook, o professor Alan Oliveira, de 25 anos, tornou-se alvo de críticas, agressões verbais e até mesmo ameaças.— São mensagens de racismo, coisas absurdas. Acionei o Ministério Público por conta de um comentário que dizia que os paraibanos são analfabetos. Meu advogado está cuidando disso. Inclusive, quando ele tentou argumentar no Facebook, o chamaram de corno, usaram palavras de baixo calão. É um absurdo, está muito dificil. 

Foto: Reprodução/Facebook

 

Alan explica que a ideia de realizar uma apresentação com o hino partiu da coordenação da escola, inspirada em uma coreografia de 2013, com o forró. Na época, não houve nenhuma reclamação sobre o gênero musical associado à canção. Para ele, há preconceito relacionado ao funk.

— Tomou uma proporção absurda. Vi comentários dizendo que eu deveria ser metralhado. Pensei no funk porque os alunos amam o funk. Fiz para atrair os alunos, para que eles participassem. A coordenação da escola me deu carta branca porque conhece meu trabalho. Na cidade, só umas duas ou três pessoas foram contra. Críticas são normais, agora não pode acontecer o que estão fazendo comigo, fazer montagem do Bin Laden (terrorista) com a minha cara. Isso me entristece. Estou mais sereno porque tem muita gente do meu lado, estou vendo que não cometi um crime. Com certeza, é preconceito — lamentou Alan.

No Facebook, o vídeo já foi compartilhado mais de 15 mil vezes. Entre os comentários, há até quem defenda a volta da ditadura militar no Brasil.

“Façam isso na Rússia, Japão, Estados Unidos e Alemanha, que vocês verão o que é “liberdade de expressão” eles vão ser livres em “expressar” a vontade de fuzilar vocês em praça pública”, escreveu um homem no perfil de Alan. “Pra dançar e rebolar a bunda aprende rapidinho, agora estudar, que é bom, nada”, comentou outro.

 

Volta da ditadura militar?
Volta da ditadura militar? Foto: Reprodução/Facebook

 

Apesar das críticas, a apresentação dos alunos também tem recebido apoio nas redes sociais.

“Legal a iniciativa. Que a escola brasileira possa cada vez mais se sincronizar com o ambiente na qual ela está inserida, afinal de contas, é muito mais didático ensinar com meios pelos quais os alunos sintam-se mais à vontade e livres para se expressar. E cultura significa o estilo de vida que levamos, se associando o hino ao ritmo de funk tem mais relação com a cultura local (e assim com estilo de vida das pessoas), que assim eles sejam ensinados. (…) Não gosto de funk, mas vejo o funk como mais um estilo popular brasileiro, e se o hino fosse tocado em ritmo de forró? Ou talvez mpb? Seria isso diferente? Enfim, que se possa associar o hino ao axé, funk, sertanejo e assim por diante”, afirmou um jovem.

“Não há crime”

Muitas pessoas têm argumentado que a atitude de apresentar o hino nacional em ritmo de funk seria desrespeitosa e até mesmo ilegal. Uma campanha para denunciar o vídeo à Polícia Federal foi iniciada, acusando Alan de ferir a Lei 5.700, que dispõe sobre a forma e apresentação dos símbolos nacionais.

Mas de acordo com o presidente da Comissão de Direito Constitucional da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB-RJ), Leonardo Vizeu, a interpretação está equivocada e a apresentação dos alunos não pode ser caracterizada como desrespeito ao hino nacional.

— Os símbolos nacionais só podem ser utilizados em cerimônias oficiais. No caso de eventos não oficiais, precisam ser apresentados de forma respeitosa. Mas o que seria desrespeito ao hino? Eu mesmo não gosto de funk, mas vi o vídeo e não tem ato de desrespeito nenhum. Se fosse em ritmo de forró, não falariam nada. O que vi ali é que dentro do gosto deles, fizeram uma homenagem ao hino. É um exercício de liberdade, que evoca a liberdade cultural também.

 

Segundo advogado, a lei não pode ser aplicada a este caso
Segundo advogado, a lei não pode ser aplicada a este caso Foto: Reprodução/Facebook

 

O advogado afirmou ainda que os comentários se baseiam no preconceito contra o gênero musical e as mensagens de ódio devem ser analisadas com cuidado.

— O professor pode ficar despreocupado. Você pode não gosta de funk, mas ouvir funk ainda não é crime no país. Tocar o hino em ritmo de funk não difere em nada do que já foi feito no passado em outros ritmos. Preocupante é ver as pessoas veiculando mensagens de ódio nas redes sociais. Intolerância e falta de respeito com a opinião alheia. Querem o monopólio da verdade e do bom gosto para si. O sentimento de patriotismo é seletivo. A polêmica é resultado da carga de marginalização que o ritmo carrega — finalizou.

Extra

Vídeo com alunos de Cacimba de Dentro dançando o hino nacional em ritmo de funk gera polêmica

 

COMENTÁRIOUm vídeo onde aparecem alunos do município de Cacimba de Dentro, na Paraíba, dançando o hino nacional em ritmo de funk gerou polêmica nas redes sociais, nesta quinta-feira (11). A repercussão se deu de forma positiva e também negativa. Muitos dos que assistiram a apresentação elogiaram a iniciativa e parabenizaram a idéia. Porém, alguns não concordaram com a expressão da dança.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O fato de discordar não chamaria atenção se não fosse a forma preconceituosa com que alguns internautas se pronunciaram na rede. Em um dos casos, um rapaz comenta: “Essa turma de analfabetos somente mesmo podiam ser da Paraíba”.

Confira o vídeo

Os comentários preconceituosos chamaram a atenção do professor Alan Oliveira, criador da coreografia, que prometeu acionar o Ministério Público contra os protestos que revelam certa agressividade para com a dança apresentada.

“Nunca imaginei que o vídeo tivesse tamanha repercussão. Houve até comentários racistas (nos vídeos compartilhados). Um do tipo: Bando de analfabetos, só poderia ser da Paraíba. Entrarei em contato com o Ministério Público para tomar as devidas providências”, informou o professor.

Ele explicou que a ideia foi apresentar algo diferente na X Amostra Cultura Científica e Tecnológica (ACCTEC ), realizada de 09 a 12 de setembro, na Escola Estadual Senador Humberto Lucena , em Cacimba de Dentro.

“Fiquei responsável por toda a parte cultural do evento como já faço desde a edição do ano passado, quando teve a dança do hino nacional, só que na versão forró, e ninguém criticou”, completou Alan.

 

Redação/Focando a Notícia

Homem altera ritmo da voz em conversas com mulher atraente

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Um estudo da universidade britânica Stirling concluiu que as pessoas alteram sutilmente o tom da voz quando conversam com futuros pares. Os homens tendem a falar com mais ritmo e aumentando e diminuindo a entonação quando se aproximam de alguém que consideram atraente. Já quando interagem com uma mulher que não acham tão bonita, eles tendem a engrossar a voz para parecerem mais másculos. As informações são do site inglês Daily Mail.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Pesquisas anteriores já mostraram que as pessoas emitem vários sinais quando têm interesse romântico por algúem, incluindo comunicação não-verbal, linguagem corporal, contato visual, toques eventuais. E agora descobrimos que a voz também muda de acordo com o interesse em alguém, e faz isso na tentativa do locutor parecer mais atraente aos olhos do suposto par”, afirma Juan David Leongomez, autor do estudo.

Ele explica ainda que essa alteração tem uma razão, já que a voz mais grave é uma maneira de os homens mostrarem masculinidade, mas que exagerar a dose pode dar a impressão de que são “agressivos e promíscuos” diante da opinião feminina. Justamente por isso, eles tendem a aumentar a entonação e equilibrar entre a voz mais grossa e outra mais suave, especialmente quando conversam com uma mulher que consideram atraente, para então passarem a imagem de que são “confiáveis e bons pares”.

A pesquisa, que ouviu 110 pessoas heterossexuais, concluiu ainda que as parceiras respondem às alterações da voz masculina também mudando o tom para parecerem mais atraentes. “Estas variações são muito sutis e provavelmente não produzidas conscientemente pelo locutor”, explica o especialista.

 

Terra

Obras de reconstrução da Nova Camará estão em ritmo acelerado

barragemAs obras de reconstrução da Nova Camará estão em ritmo acelerado. No canteiro, trabalham 80 operários, além de duas escavadeiras hidráulicas, quatros caminhões caçambas e uma máquina de corte a fio. A obra também inclui a implantação de uma adutora que vai levar água de qualidade às torneiras de cerca de 20 cidades e localidades das regiões do Brejo e da Borborema.

Nesta terça-feira (17), o secretário executivo da Interiorização da Ação do Governo, Moacir Barbosa Rodrigues, visitou o local e foi acompanhado pelo engenheiro Eudes Pedrosa, da construtora responsável pela obra. “Como a obra é complexa, a orientação do governador Ricardo Coutinho é que seja realizada com todos os cuidados para que não venha a romper novamente. Ao mesmo tempo, a ideia do Governo do Estado é que a barragem caminhe junto com o sistema adutor, a fim de assegurar água tratada para mais de 175 mil habitantes da região e levar desenvolvimento com inclusão social”, ressaltou Moacir, acrescentando que a capacidade do reservatório será de 26 milhões de metros cúbicos d’água.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A barragem Nova Camará terá um custo de quase R$ 100 milhões, sendo R$ 29 milhões para a construção da barragem, R$ 62 milhões para o sistema de abastecimento de água com adutoras e estações, e mais R$ 7 milhões para a construção da barragem de nível Pitombeira/Serra Grande, que reforça o sistema de abastecimento de Alagoa Grande.

Municípios – Depois de concluída, a barragem vai beneficiar os municípios e localidades de Algodão de Jandaíra, Alagoa Nova, Areial, Campinote, Cepilho, Esperança, Chã de Marinho, Floriano, Jenipapo, Puxinanã, Lagoa Seca, Matinhas, São Tomé, Lagoa do Mato, Pocinhos, Remígio, São Miguel e São Sebastião de Lagoa de Roça.

Secom-PB

Apresentado, Renato Augusto mira Paulistão para retomar ritmo de jogo

Horas depois de participar de seu primeiro treino com a camisa do Corinthians, o meia Renato Augusto foi apresentado à imprensa no fim da tarde desta terça-feira, no CT Joaquim Grava, e mostrou ânimo com o novo desafio na carreira. Ao lado do diretor de futebol Roberto de Andrade, o jogador vestiu a camisa de seu novo clube – ainda sem número – e mostrou uma postura séria e decidida, de quem pretende se readaptar logo ao futebol brasileiro.

Aos 24 anos, ele vem de uma passagem pelo Bayer Leverkusen e custou 3,5 milhões de euros (R$ 9,4 milhões) aos cofres alvinegros. Mesmo vindo de recentes lesões, ele se diz muito próximo da forma física ideal.

Renato Augusto coletiva Corinthians (Foto: Mauro Horita / Ag. Estado)Renato Augusto, em sua apresentação no CT do Corinthians (Foto: Mauro Horita / Ag. Estado)

– Estou bem perto da minha forma física ideal, pelos testes que fiz, acredito que estou bem. Ainda preciso ser lapidado, mas acredito que dentro de pouco tempo estarei pronto – disse o reforço corintiano.

– Fisicamente, estou muito bem. Já conversei com a parte médica para fazer um trabalho especial para não ter lesões. Espero que esse casamento dê certo – completou.

Renato Augusto vai trabalhar com um grupo intermediário de jogadores, que foi convocado para o Mundial de Clubes, no Japão, mas não atuou. Esses atletas se apresentaram na segunda-feira e formam a base que vai começar o Campeonato Paulista. O meia quer disputar o estadual para completar seu processo de preparação para o objetivo principal: a Taça Libertadores.

– Minha estreia depende da comissão técnica. Estou precisando de ritmo de jogo, pois vim de alguns problemas no fim da temporada passada na Alemanha. Espero ter a chance de jogar para pegar esse ritmo e ficar pronto para a Libertadores – explicou Renato Augusto.

– Gostei muito daqui, apesar de ainda não estar o elenco inteiro, já vi um time que tem qualidade. Sobre a estrutura não preciso falar, é excelente – completou.

Renato Augusto foi o primeiro reforço apresentado para a atual temporada. Além dele, o Timão já acertou com o atacante Alexandre Pato, que chega até o fim da semana, e está perto de fechar com o zagueiro Gil, do Valenciennes, da França. A princípio, esses três jogadores devem fechar o elenco para este primeiro momento da temporada. O zagueiro Dedé, do Vasco, também voltou à mira do Corinthians.

Renato Augusto no treino do Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)Renato Augusto deixou boa impressão nos primeiros treinos (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)
Globoesporte.com