Arquivo da tag: ressaca

Chape vence, amplia ressaca do Palmeiras e põe São Paulo na zona

(foto: Marcello Fim/Raw Image)

A ressaca do Palmeiras continua. Neste domingo, em um Allianz Parque gelado, chuvoso e menos cheio que o habitual (21 mil pagantes), o time de Cuca teve atuação sonolenta e perdeu por 2 a 0 para a Chapecoense, gols de Fabrício Bruno e Túlio de Melo.

Foi o primeiro jogo do Verdão em casa após a eliminação na Libertadores. A torcida apoiou enquanto a bola rolou, mas reclamou no intervalo (quando o primeiro gol da Chape já havia saído) e nos acréscimos, depois do segundo gol: “Muito dinheiro para pouca obrigação”, “time sem vergonha” e “time medíocre” foram os gritos ouvidos no estádio alviverde.

Ironicamente, o maior prejudicado pelo resultado acabou sendo o São Paulo, que voltou para a zona do rebaixamento ao ser ultrapassado pela Chapecoense e é justamente o próximo adversário do Palmeiras, domingo que vem, no Allianz Parque.

A Chape saiu do 17º para o 15º lugar, com 25 pontos (dois a mais que o São Paulo) e ainda com um jogo a menos. Esta partida atrasada será disputada na quarta-feira, contra o Corinthians, na Arena Condá.

A vitória tranquiliza o time de Vinicius Eutrópio, que nas últimas duas semanas foi jogar amistosos na Espanha, na França e no Japão, em uma maratona que terminou na quinta, após viagem de 27 horas.

O Palmeiras também vinha sufocado, com uma série de decisões, mas desta vez teve uma semana inteira para se preparar. Não adiantou: outro jogo ruim, com gol sofrido em uma bola parada e pouquíssima lucidez ofensiva. Moisés e Guerra formaram a dupla de meias que a torcida tanto queria ver, mas pouco trabalharam juntos. Faltou efetividade.

A Chape jogou recuada, “por uma bola”, e ela apareceu ao 38 minutos do primeiro tempo: foi quando Fabrício Bruno apareceu incrivelmente livre para marcar após uma falta cobrada por Apodi. Mas houve outras bolas, como um chute de Penilla, na etapa inicial, e um de Apodi, já no fim, ambos defendidos por Prass.

Keno, que substituiu Róger Guedes no intervalo, teve a primeira grande chance do Palmeiras aos oito minutos do segundo tempo. Era um gol quase imperdível, mas ele perdeu… Deyverson, de cabeça, parou em Jandrei aos 43 minutos. Borja, que substituiu Willian, chutou sem direção no lance seguinte. Foram os últimos suspiros do Verdão antes de Túlio de Melo aproveitar passe de Wellington Paulista e ampliar.

O Verdão somou só um dos últimos nove pontos disputados no Brasileirão e já não tem mais folga no quarto lugar: o Flamengo, quinto colocado, está um ponto atrás (33 a 32).

FICHA TÉCNICA 
PALMEIRAS 0 X 2 CHAPECOENSE 

Local : Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/Hora : 20/8/2017 (domingo), às 19h
Árbitro : Dyorgines Jose Padovani de Andrade (ES)
Assistentes : Fabiano da Silva Ramires (ES) e Vanderson Antonio Zanotti (ES)
Renda e público: 21.261 pessoas / R$1.071.429,69
Cartões amarelos: Moisés (PAL); Reinaldo, Moisés Ribeiro, Roberto e Grolli (CHA)
Cartões vermelhos: – 
Gols : Fabrício Bruno 38′ 1ºT (0-1); Túlio de Melo 49′ 2ºT (0-2)

PALMEIRAS : Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Luan e Michel Bastos; Thiago Santos (Tchê Tchê – intervalo), Moisés e Alejandro Guerra; Róger Guedes (Keno – intervalo), Deyverson e Willian (Borja 24′ 2ºT) Técnico : Cuca

CHAPECOENSE : Jandrei; Apodi, Douglas Grolli, Fabrício Bruno e Reinaldo (Roberto 28′ 2ºT); Moisés Ribeiro, Lucas Mineiro e Luiz Antonio; Penilla (Júlio César 20′ 2ºT), Túlio de Melo e Arthur (Wellington Paulista – intervalo).
Técnico : Vinícius Eutrópio

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Aviso de ressaca na PB é prorrogado e Capitania alerta para ondas de até 2,5m

(Foto: Walter Paparazzo/G1)

A Capitania dos Portos prorrogou o aviso de ressaca do mar no litoral da Paraíba e alertou a população para a ocorrência de ondas de até 2,5 metros de altura. O aviso é válido até a quinta-feira (13), às 9h.

A recomendação da Capitania do Portos é que, durante esse período, praticantes de esportes náuticos evitem a prática de esportes no mar.

Além disso, é recomendado que embarcações de pequeno e médio porte e pescadores evitem navegar e que embarcações de médio e grande porte redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores e casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Em caso de emergência, deve-se entrar em contato com 0800-281-30-71 (Disque Segurança da Navegação), 185 (Salvamar Nordeste), (83) 3241-2805 (Capitania dos Portos) ou (83) 9 9302-9294 (WhatsApp Denúncia).

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Ressaca atinge Litoral da Paraíba com ondas de três metros de altura

ressaca_do_marOndas de até três metros de altura continuam atingindo o litoral paraibano. O alerta de ressaca com ondas Sudeste-Leste  é da Capitania dos Portos e deve durar até às 9h de quarta-feira (07).

A Marinha recomenda que esportistas e pescadores evitem entrar no mar durante o período. Também não é recomendado navegar com embarcações pequenas.

O aviso também é válido para as embarcações de transportes de médio e grande porte, os tripulantes devem ficar atentos quanto ao estado geral de motores e casco, equipamentos de rádio e outros itens de segurança para evitar problemas com a ressaca.

Em caso de emergências, a Capitania dos Portos orienta que sejam usados os telefones 0800-281-3071, 185 ou 3241-2805.

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Descoberta a substância que combate a ressaca

ressacaO ser humano bebe há milênios, mas ainda não conhece de forma plena os efeitos provocados por alguns goles a mais. Por exemplo, qual é o dano ao cérebro de uma noite de bebedeira rápida e desenfreada? Uma pesquisa encabeçada por cientistas espanhóis acaba de revelar novos dados a respeito do que pode estar se passando em nosso encéfalo nas noites etílicas. E também sinaliza com um promissor antídoto contra os danos neuronais do álcool –incluindo a ressaca.

A história começa no início da década passada, com a descoberta da oleoletanolamina (OEA), composto presente no chocolate amargo. A molécula aumenta a sensação de saciedade. Depois se descobriu que o próprio intestino libera OEA. Por isso, há anos são feitas pesquisas com ela relacionadas ao controle do apetite e de algumas dependências de drogas, como o alcoolismo. Agora, uma nova pesquisa, dirigida por Laura Orío, da Universidade Complutense de Madri (UCM), mostra que a OEA também tem interessante efeito neuroprotetor.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Numa noite de bebedeira, o nível de álcool no sangue aumenta de forma drástica em curto intervalo. Orío reproduziu isso em ratos, aplicando-lhes o equivalente ao consumo de cinco unidades padronizadas de álcool em poucas horas. “De forma aproximada, isso seria o equivalente a beber cinco taças em três horas, consumo típico em uma noite no bar, por exemplo”, explica a pesquisadora.

Seu estudo mostra que, pouco depois de iniciada a ingestão de álcool, o sistema imunológico é disparado, dando início a um rápido efeito inflamatório no cérebro. Isso, por sua vez, provoca danos nos neurônios – incluindo sua morte. Esses neurônios danificados continuam emitindo sinais que agravam o processo inflamatório. O que ficou demonstrado por Orío é que aquele composto presente no chocolate amargo protege contra essa inflamação e contra os danos provocados pelo álcool. Quando se mistura oleoletanolamina ao álcool dado aos ratos, os danos cerebrais e a inflamação diminuem. Orío já tinha recebido o Prêmio Jovem Pesquisador, da Sociedade Internacional de Pesquisa sobre Abuso de Drogas, pela descoberta das propriedades anti-inflamatórias e neuroprotetoras da OEA. No longo prazo, afirma, a molécula pode se tornar uma promissora “pílula” contra os efeitos maléficos do álcool e, possivelmente, da ressaca.

Dependência

“O que notamos nos ratos com alto nível de álcool é que se comportavam como se estivessem doentes, com declínio generalizado”, diz Orío. “Neste trabalho também observamos que a molécula melhorava um pouco seu estado geral”, acrescenta. Esses estudos estão em processo de revisão para sua publicação na revista Addiction Biology, explica a pesquisadora. O trabalho também será apresentado no Congresso da Sociedade Internacional de Pesquisa sobre Abuso de Drogas, que será realizado em Sidney, Australia, a partir de 18 de agosto. Orío também fez pesquisas preliminares com cerca de 50 alunos da UCM para verificar se o mesmo mecanismo se repete nos seres humanos.

Fernando Rodríguez de Fonseca, coordenador da Rede de Transtornos Aditivos do Instituto Carlos III, destaca a importância dessa pesquisa. O especialista esteve ligado às primeiras pesquisas subsequentes à descoberta da OEA e atualmente estuda seu potencial como tratamento para aliviar o alcoolismo. De certa forma, diz, grande parte da pesquisa nesse campo padece de um “neurocentrismo”, ou seja, concentra-se apenas nos mecanismos com os quais o cérebro controla o resto do corpo. Nesse caso, acontece o contrário, porque é o intestino que, logo após o início do consumo de álcool, secreta uma substância que estimula o cérebro a parar a ingestão e a tentar ignorar seu efeito prazeroso.

“O que vimos é que o que acontece com os ratos é o mesmo que acontece com o ser humano”, explica Rodríguez de Fonseca. “A OEA é um fator natural do corpo para nos proteger”, completa. É possível que nos alcoólatras ela seja “desativada”, e um tratamento adicional com ela poderia funcionar. “Além disso, é um componente inócuo”, salienta o pesquisador, que trabalha no Instituto de Pesquisa Biomédica de Málaga e que trabalhou com Orío nesse mesmo campo. “Evidentemente”, diz, “é possível conseguir com isso uma pílula contra a ressaca”.

El País

Bebeu demais? Saiba o que ajuda na ressaca

Getty Imagens
Getty Imagens

Quem errou a mão no álcool e está sofrendo com a ressaca precisa, antes de tudo, descansar.

Repousar depois de beber é altamente recomendado, pois o fígado – e o resto do corpo – precisa de um tempo para processar e eliminar o álcool da corrente sanguínea. Quem fica de molho no dia seguinte à bebedeira, no entanto, pode incorrer num erro perigoso: o jejum.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Mesmo que o estômago não esteja muito bem, é importante comer alguma coisa. Quem jejua pode ter hipoglicemia e esse quadro pode gerar tonturas, tremores e até desmaios”, explica a nutricionista Erika Almeida, da consultoria Vital&Nutri.

Para não ficar com o estômago vazio, a nutricionista Natália Colombo sugere priorizar alimentos leves, como carnes magras grelhadas, verduras e frutas. Uma sopa de legumes com folhas verde-escuras também é boa opção, pois esses vegetais são ricos em fibras e vitaminas que o corpo vai precisar para se recompor.

Não dá para esquecer a hidratação. O corpo precisa repor líquidos. Vale água, suco, isotônico, enfim, qualquer líquido que não contenha álcool – a ideia de que para curar a ressaca é bom seguir bebendo é um mito.

Recorrer a chás – eles podem ser tomados frios – também pode ajudar. O chá de dente-de-leão, ensina Natália, estimula a eliminação de toxinas pelo fígado e o de hortelã tem ação digestiva.

“Gengibre é muito bom para a náusea da ressaca. Quem estiver enjoado pode tentar misturar na água com uma rodela de gengibre e folhas de hortelã. A mistura hidrata e ainda ajuda no enjoo.”

A nutricionista e gastrônoma Felisbela Pino dá outra dica interessante: morder e mastigar uma fruta, em vez de comê-la picada ou batida.

“Maçã é uma boa opção. Morder e mastigar estimula o organismo. Assim, o trato digestório se movimenta mais e ajuda o corpo a trabalhar para eliminar os excessos.”

Outras dicas que podem ajudar:

– Soluções ricas em eletrólitos, como isotônicos, caldos e sopas, são boas opções para substituir o sal e o potássio perdidos na bebedeira

– A ressaca geralmente desaparece em 24 horas, mas tenha em mente que os efeitos duradouros do álcool podem reduzir a performance em qualquer atividade no dia seguinte

– Evite tomar qualquer medicação para ressaca que contenha paracetamol. Combinado com álcool, essa substância pode causar danos ao fígado.

 

iG

Veja cinco dicas para aliviar os sintomas da ressaca do réveillon

ressacaMuita gente vai passar o primeiro dia do ano procurando uma cura para a ressaca. O excesso de álcool pode provocar aumento da sede, tontura, irritação no estômago, náusea, dilatação dos vasos sanguíneos, além de queda da taxa de açúcar no sangue, que pode levar a fraqueza e cansaço.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A ciência ainda não descobriu uma cura definitiva para a ressaca, mas algumas medidas podem aliviar o desconforto de quem bebeu demais no dia anterior. Veja cinco dicas:

1 – Beba muito líquido
Um dos principais problemas provocados pelo excesso de álcool é a desidratação. Além de o álcool ser diurético, outros efeitos relacionados a ele, como o suor e o vômito, podem agravar ainda mais a desidratação. Por isso, quem exagerou no réveillon deve tomar muita água e outros líquidos como água-de-coco, sucos naturais e bebidas isotônicas.

2 – Faça refeições leves
Especialistas aconselham evitar o jejum e fazer refeições leves, escolhendo alimentos que ajudem na reposição de líquido como frutas e legumes cozidos. Um dos problemas do excesso de álcool é a hipoglicemia (diminuição do nível de glicose no sangue), por isso carboidratos e doces também podem ajudar.

Ao contrário do que muitos pensam, o consumo de comida gordurosa pode piorar os efeitos da ressaca. Esse tipo de alimento, mais difícil de digerir, faz com que o organismo leve mais tempo para metabolizar e absorver o álcool, mas não diminui seus efeitos. Por isso, evite leite de vaca, carnes vermelhas e frituras.

3 – Café e aspirina
Em um estudo publicado oportunamente no dia 31 de dezembro de 2010, cientistas da Universidade Thomas Jefferson, nos Estados Unidos, concluíram que uma xícara de café e uma aspirina podem tornar menos dolorosa a manhã seguinte à bebedeira.

Em um experimento feito com ratos, a combinação foi bem sucedida em eliminar a dor de cabeça típica dos dias de ressaca. Os resultados foram publicados na revista científica “Plos One”.

4 – Bebida com taurina
No ano passado, cientistas chineses testaram 57 bebidas herbais e refrigerantes para checar que efeito tinham sobre a ressaca. A conclusão foi que o refrigerante de limão testado pela equipe, que continha taurina, foi o mais eficaz em combater os sintomas.

A taurina em sua composição ajuda a quebrar o acetaldeído, substância tóxica produzida quando o álcool é metabolizado pelo organismo. A pesquisa chinesa foi publicada na revista científica “Food & Function”. Portanto, refrigerantes ou outras bebidas não-alcoólicas que tenham taurina na fórmula podem ser uma boa opção para quem exagerou no réveillon.

5 – Descanse
A eliminação total do álcool pelo organismo pode levar até 12 horas, dependendo da quantidade de álcool ingerida, do peso, do sexo e da capacidade do metabolismo de cada um. Enquanto o organismo trabalha para eliminar o álcool o ideal, segundo especialistas, é descansar o corpo.

Bem Estar/G1

Dirigir de ressaca é tão perigoso quanto dirigir bêbado, aponta estudo

dirigirUm estudo afirma que dirigir de ressaca é tão perigoso quando guiar o carro bêbado. Os cientistas descobriram que o efeito do álcool dura até a última gota, o que afeta a concentração da pessoa.
Motoristas com ressaca cometeram erros mais significantes em 20 minutos de direção. “Situações como a velocidade de reação são diminuídas.
A forma como eles dirigiam era mais irregular”, afirmou o professor Chris Alford, que coordenou a pesquisa na University of the West of England. Voluntários consumiram cerca de dez drinques alcoólicos e eram conduzidos a guiar um carro.
Depois que o nível da substância chegava a zero no organismo, o teste era repetido. O estudo chegou à conclusão que o estilo de direção era muito similar nos dois casos.
oparalelocampestre

Ressaca moral: sete itens para aliviar a culpa feminina após uma noite a dois

ressaca_moralDesde que o mundo é mundo, a ressaca moral existe. É que ela só recebeu essa alcunha por uma configuração do universo contemporâneo, porque hoje em dia tudo precisa ser designado, com conceito aprofundado e vantagens/desvantagens que canonizam a medida exata do que você faz hoje para moldar o seu futuro, e coisa e tal.

Pois bem, não importa a sua linhagem. Se você ainda não acordou, olhou pro lado da cama e tomou um susto com um completo desconhecido roncando tal qual um suíno, você ainda não completou a lista de coisas para fazer antes de morrer. E o álcool, ah, o álcool, o mérito é todo dele. Ou você também não acha que a princesa britânica Caroline Mathilde tomou umas bicadas de champanhe quando cedeu à formosura do médico do seu marido? Aquela galera era mais etilista que a geração Y inteira junta.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O QUE FAZER AO ACORDAR?

1. Antes de acordar o rapaz, certifique-se de que você é solteira, livre e desimpedida. E, principalmente, de que você estava disponível para uma aventura quente na noite anterior.

2. Caso você lembre o nome do sujeito, faça uma busca rápida no facebook e certifique-se o quanto antes se ele também está solteiro. Em caso positivo, risque a opção “peguei um cara comprometido” da sua lista de inquietações. Agora, se você não lembra nem o nome da figura já que tomou oito cervejas Amsterdam Maximator a 11,6%, abra a carteira do cara e dê uma conferida em seu RG. Solteiro? Maravilha. Casado, com três filhos e um labrador? We’ve got a problem.

3. A gente sabe que, quanto mais a gente bebe, mais bonitas e legais são as pessoas. Amamos todo mundo, abraçamos todo mundo, a vida é uma festa, um eterno deleite e nossa palavra de ordem é hedonismo. Uhu! Se você jurou que levou pra casa um cara gato e muito gente boa, mas ao acordar percebeu que ele é um mondrongo que ronca tal qual um suíno e você ainda tem alguns flashes na memória onde ele citou frases de livros de auto ajuda boa parte da noite, passe um café para digerir a situação, acorde o cara, diga que ele errou o caminho de casa e mande-o embora. Lembre-se de não aceitar a sua solicitação de amizade no facebook.

4. Mas se o cara é, de fato, boa pinta (cabe aqui a sua interpretação) e você lembra do dito cujo interagindo bem com os seus amigos e com um papo tão interessante que levaria qualquer garota para o altar, agende em seu celular um lembrete para as 16h, com a frase: “fulano, adorei a noite, podemos nos encontrar no final de semana?”. Também corte uma frutinhas, abra um iogurte, passe um café e leve na cama pra ele, mesmo que você não faça isso nem pra você mesma. Seja fofa uma vez na vida e não esqueça de escovar os dentes antes.

5. Procure quaisquer resquícios de preservativo pelo cômodo, para riscar mais um item da sua lista de inquietações. Encontrou a camisinha ao lado da cama? Se deu bem! Não encontrou absolutamente nada que configure proteção contra gravidez e doenças sexualmente transmissíveis? Ligue para a sua médica e agende uma consulta com o máximo de urgência. E peça para ele fazer o mesmo.

6. Enquanto ele toma o iogurte, diga que seu celular caiu na privada na noite anterior e que você precisa fazer uma ligação para o seu chefe. Rapidamente, vasculhe o álbum de fotos e o álbum de vídeos com o objetivo de atestar que ele não te clicou em momentos de intimidade a dois. Se encontrar alguma coisa, delete todas as imagens, e ainda delete o álbum inteiro com fotos que ele guarda desde 2010, só pra descontar. Se não tiver nada, finja que está falando com o seu chefe sobre algo muito importante e que “em dez minutos estará na sala de reunião”. Lembre-se: só libere o cara depois desse baculejo.

7. Você toma um banho, se arrasta até o trabalho e, às 11h, quando já está completamente sóbria, se dá conta da cagada que fez. Não se preocupe. Às 11h do dia seguinte, tudo estará no mesmo lugar, como sempre esteve, e até a sua lista de compras de supermercado torna-se uma preocupação muito maior do que ter dormido com um cara que você só viu uma vez na vida.

 

 

portaltagit

Estudo revela que refrigerante de limão ajuda a curar a ressaca

ressacaPesquisadores chineses descobriram uma nova arma para aliviar as náuseas e dores de cabeça que aparecem depois da bebedeira: o consumo de refrigerante de limão. Os resultados foram publicados no periódico Food and Function do Royal Society of Chemistry.

Pesquisadores da Universidade Sun Yat- Sen, em Guangzhou, na China, analisaram como 57 bebidas diferentes, dentre elas chás e refrigerantes, afetaram a metabolização do álcool pelo organismo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O trabalho afirma que os sintomas da ressaca não são causados pelo álcool em si, mas pelo trabalho do organismo para decompor o álcool ingerido.

O organismo passa por um processo metabólico composto por dois estágios para decompor o álcool ingerido. Primeiro, o fígado metaboliza o etanol em acetilaldeído e depois transforma esse produto em acetato. Enquanto o acetato não faz mal ao organismo, o acetilaldeído é prejudicial ao fígado e causa os principais sintomas da ressaca: náusea, vômito e dor de cabeça.

Enquanto alguns chás de ervas abrandaram a metabolização, prolongando a ressaca, uma bebida gaseificada conhecida como Xue bi, equivalente na China ao Sprite, acelerou o processo. De acordo com o estudo, o refrigerante de limão alivia a ressaca, pois reduz a exposição do corpo ao acetilaldeído.

Os pesquisadores planejam realizar outro estudo independente para garantir resultados conclusivos.

Uol