Arquivo da tag: responder

Pai de criança atropelada por caminhão na PB vai responder por homicídio culposo, diz delegada

O pai que atropelou o filho acidentalmente na manhã desta quinta-feira (29), em Monte Horebe, no Sertão da Paraíba, vai responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, conforme a delegada de homicídios de Cajazeiras, Yvina, responsável pelo caso. O menino, de 1 ano e dois meses, morreu após ser atropelado por um caminhão caçamba conduzido pelo pai, quando corria para abraçá-lo.

“O pai vai responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, o que a gente trata também como negligência, imprudência e imperícia. Mas é preciso salientar que, em casos como esse, em análise judicial, o juiz pode aplicar um perdão judicial se o sofrimento do pai for muito mais intenso do qualquer penalidade que ele possa ter”, explicou a delegada.

Menino foi atingido por pneu traseiro de caminhão

De acordo com a delegada, a vítima, Márcio Ryan, foi atingida na cabeça por um dos pneus traseiros do caminhão caçamba conduzido pelo pai, de 54 anos. “Antes de entrar no caminhão, o pai estava brincando com o filho dentro de casa, se despedindo para ir trabalhar. Quando ele entrou no caminhão, a criança correu ao encontro dele novamente, mas ele não percebeu”.

Conforme Yvina, o pai precisou dar marcha à ré no caminhão caçamba para sair de casa. Foi nesse momento que o menino estava atrás do veículo e o pai acabou não percebendo que o filho estava no local.

“Infelizmente, na hora que ele saiu com o caminhão de ré, o menino estava atrás do veículo e acabou sendo atingido na cabeça por um dos pneus traseiros do veículo. O pai ainda pegou o menino nos braços e acionou o Samu ao local, mas a criança já estava morta”, contou a delegada.

Mãe pediu para verificar corpo do filho

Ainda conforme relato da delegada ao G1, a mãe da criança, que está em choque, fez um único pedido à polícia. “Todos estão em choque com o que aconteceu. A mãe da criança, que não acredita no que aconteceu, pediu pra que a gente verificasse o corpo do filho, pra saber se o menino havia sofrido muito na hora da morte”, disse Yvna.

De acordo com a delegada, a perícia analisou o caminhão caçamba e no veículo não há nenhuma marca do acidente. “Pelo que a gente analisou no local, a criança pode ter ido à óbito com a pancada que sofreu na cabeça. No local não há nenhum sinal do acidente, não há marcas ou restos encefálicos da criança no pneu do caminhão”, salientou.

Caso é investigado na Delegacia de Homicídios de Cajazeiras — Foto: Beto Silva/TV Paraíba

Caso é investigado na Delegacia de Homicídios de Cajazeiras — Foto: Beto Silva/TV Paraíba

Testemunhas serão ouvidas na terça-feira (3)

A delegada informou que a família da criança e testemunhas serão ouvidas no dia 3 de setembro. “As oitivas estão marcadas pra próxima terça-feira. Todos da família e testemunhas que estavam no local vão prestar esclarecimentos do caso na delegacia”, pontuou.

G1

 

Avô de menina baleada na PB vai responder por negligência e porte ilegal de arma

O avô da menina de quatro anos que foi baleada em Baraúna nessa segunda-feira (26) vai responder por porte ilegal de arma e negligência, conforme informou a Polícia Civil ao Portal Correio. O tiro foi acidental e disparado pelo tio da vítima, outra criança, de 11 anos, que está sendo acompanhado pelo Conselho Tutelar.

De acordo a Polícia Civil em Picuí, que recebeu o caso, o avô da menina e proprietário da arma conta que não estava em casa no momento do incidente. O disparo aconteceu no momento em que o tio da menina a viu segurando uma espingarda e tentou tirá-la das mãos dela. A arma foi apreendida e passará por perícia em Campina Grande. As investigações continuarão depois que os resultados forem divulgados.

“O avô da menina foi trazido aqui para a delegacia e estava transtornado, chegando a dizer que queria se matar. Mas explicamos que a criança está bem, que o tiro foi só de raspão e ele se acalmou. Ele pagou fiança e foi liberado, mas responderá pelo porte ilegal e por negligência”, informou uma agente de investigação.

A policial civil alertou sobre a importância de guardar armas em locais seguros e fora do alcance de crianças. “O ideal seria um cofre, mas como muita gente não tem condições de possuir um equipamento desses, deve-se procurar ao menos um local mais seguro. De preferência um cômodo mais alto e com chaves”, orienta.

Conselho Tutelar

Procurado pela redação, o Conselho Tutelar em Baraúna disse que está acompanhando o tio da criança ferida. O conselheiro que atendeu o caso, Wellington Santos, reforçou que o menino não teve culpa da situação.

“Mesmo assim, ele está bastante abalado. O levamos à delegacia para contar o que houve, pois o pai [e avô da vítima] estava detido e a mãe estava no hospital com a menina. Depois ele foi atendido por um psicólogo e esse acompanhamento continuará diariamente porque a gente precisa saber como vai ser a evolução desse quadro traumático”, contou o conselheiro.

Ainda conforme Wellington Santos, o responsável pela arma tem histórico de depressão e o Conselho Tutelar solicitou que haja acompanhamento psicológico para ele também.

Portal Correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Aécio entrega passaporte e é notificado a responder pedido de prisão

O senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) entregou nesta quarta (24) ao Supremo Tribunal Federal (STF) o passaporte dele em cumprimento à decisão do ministro Luiz Edson Fachin, que determinou o recolhimento do documento na semana passada. No mesmo despacho, o ministro relator da Lava Jato ordenou o afastamento de Aécio das funções no Senado.

Além disso, na noite de terça (23), Fachin mandou intimar a defesa de Aécio Neves para que responda ao recurso apresentado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que pede a prisão do senador ao Supremo.

“Intime-se a defesa do Senador da República Aécio Neves da Cunha para, no prazo de lei, responder ao agravo regimental interposto pelo Procurador-Geral da República”, afirmou o ministro. De acordo com o Código de Processo Civil, em caso de agravo, o prazo para resposta ao recurso é 15 dias corridos.

Na decisão que determinou o afastamento de Aécio, Fachin negou o pedido de prisão do senador. A PGR então recorreu. A defesa de Aécio terá agora que rebater por escrito o pedido de prisão.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

PRF apreende “amarelinho” transportando time de futebol; prefeito vai responder

onibusUm ônibus do Programa “Caminhos da Escola” foi flagrado neste domingo, (29), durante uma fiscalização na BR 230 em Mamanguape, sendo utilizado de forma irregular.

Além de estar realizando trajeto não autorizado, o condutor não possuía autorização para condução de escolares, o que é obrigatório de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Diversas outras irregularidades foram encontradas.

O ônibus da Prefeitura Municipal de Jacaraú, estava circulando fora dos limites da cidade e levava cerca de 22 pessoas, sendo elas 18 crianças para participar de uma competição de futebol. A identificação dos passageiros precisaria constar em um lista, previamente confeccionada, mas essa lista não foi apresentada.

Além de todas as desconformidades, a PRF ainda extraiu multas baseadas no CTB como passageiros sem cinto de segurança, para-brisa trincado, além do equipamento chamado cronógrafo estar com aferição vencida. O aparelho mede a velocidade no trajeto percorrido, a quantidade de horas trabalhadas pelo condutor e os momentos de parada.

Após todos os registros, o ônibus foi liberado. O relatório com a respectiva denúncia será remetido ao Ministério Público Federal, órgão responsável pela apuração das irregularidades.

Rafael San

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Cinco perguntas que você deve saber responder antes de se casar

casamentoDe acordo com a ‘Psychology Today’, hoje há menos razões racionais para se casar do que nas décadas passadas. Já não temos mais vergonha de ter filhos e sermos pais separados, apesar de milhões de casais ainda contemplarem o casamento. É claro, no fim das contas, essa é uma decisão parcialmente emocional; mas vamos te ajudar a torná-la mais racional com as dicas do psicólogo e autor de sete livros Marty Nemko. Tudo o que você deve fazer é responder as perguntas abaixo e avaliar se vale a pena oficializar seu relacionamento ou terminar de vez por todas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

1) Existe compatibilidade sexual?
Observe a curva do seu relacionamento sexual. Depois de um período inicial, a frequência e intensidade sexual diminuem e isso é normal. Mas a questão é quanto diminui — o declínio é maior ou menor com essa pessoa? E o mais importante, você ainda se sente igualmente excitada por ele e ele por você após um ou dois anos de relacionamento? Se um dos parceiros se sente tão atraído como no início do relacionamento, mas o outro está cada vez mais apático, aí sim há um problema. Terapia de sexo e mais comunicação podem ajudar, mas não há garantias, até porque alguns casais reclamam que seus apetites sexuais são muito diferentes.

2) Há compatibilidade não-sexual?
Quanto vocês aproveitam um ao outro fora da cama? Isso inclui conversar ou simplesmente estar no mesmo ambiente juntos. Talvez mais importante que isso seja uma análise sobre se o tempo que vocês passam juntos aumentou, ficou estável ou diminuiu ao longo do tempo? A tendência provavelmente irá continuar.

3) Cadê a gentileza?
Não conte com mudar a personalidade do seu parceiro. Isso até pode acontecer, mas pode ser tão difícil quanto mudar seus desejos e inteligência. Portanto, pense muito bem em quão gentil é seu parceiro e se ele (a) fica feliz de verdade com o seu sucesso, ou fica enciumado (a) quando você se dá bem. Além disso, vale observar como ele (a) trata outras pessoas e até animais.

4) Você tolera os devastadores de relacionamento?
Os devastadores de relacionamento mais comuns são: temperamento difícil, dependência de substâncias, vício em jogos e compras, doença mental significativa, baixas perspectivas de emprego remunerado ou falta de capacidade ou desejo. Observe a gravidade do problema e quão bem você acha que pode lidar com essas questões ao longo de muitos anos.

5) Ele (a) ama mesmo você? Celebra suas conquistas, minimiza suas fraquezas e simplesmente se importa profundamente com você?
E você? Se sente assim em relação a seu parceiro? O amor pode ajudar as pessoas a sobreviverem problemas inevitáveis da vida.

 

Yahoo

Pizzolato vai responder por uso de documentos falsos, diz polícia da Itália

Pizzolato em foto feita pela polícia italiana após sua prisão (Foto: Divulgação/Polícia de Modena)
Pizzolato em foto feita pela polícia italiana após sua
prisão (Foto: Divulgação/Polícia de Modena)

O ex-diretor de marketing do Banco do Brasil (BB) Henrique Pizzolato, preso na quarta-feira (5), na Itália, vai responder no país pelo uso de documentos falsos, informou a polícia italiana nesta quinta-feira (6). Diversos documentos falsificados, além do passaporte, foram encontrados com Pizzolato no momento da prisão, segundo a polícia.

O código penal italiano prevê uma pena de até três anos para o crime.

Pizzolato era o único foragido dos 25 condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão. Ele foi preso na manhã de quarta-feira em Maranello, na província de Modena, norte da Itália, após a expedição de um mandado de prisão internacional.

Segundo Stefano Savo, comandante provincial da polícia de Modena, Pizzolato foi preso em uma vila de casas em Pozza, bairro de Maranello, comuna a 320 km de Roma, conhecida por abrigar a fábrica de carros esportivos da Ferrari.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo Savo, o ex-diretor do Banco do Brasil ficava sempre dentro de casa, com o imóvel – que aparentava estar vazio – sempre fechado. Apesar disso, os relógios de energia e de água continuavam funcionando – o que poderia indicar que havia pessoas dentro.

Pizzolato tinha a companhia da mulher. Segundo o comandante da polícia, a decisão de se esconder no local foi bem planejada: o ex-diretor e a mulher tinham consigo 14 mil euros (R$ 45,4 mil) – inicialmente, a polícia havia informado que a quantia era de 15 mil euros –, uma grande quantidade de comida e vários documentos emitidos por diferentes Estados e entidades internacionais.

Segundo informou a polícia nesta quinta-feira, foram encontrados com Pizzolato diversos documentos de identidade (RG) emitidos em diferentes regiões da Itália. Ele usava um sobrenome similar ao original. Também foram achados documentos de identidade brasileiros e italianos já vencidos e um documento falsificado espanhol, feito antes de sua condenação no processo do mensalão.

Segundo a polícia local, que já monitorava Pizzolato, inicialmente ele negou ser quem era, mas depois confirmou a identidade ao perceber que havia sido reconhecido. O ex-diretor do BB foi levado para a prisão de Sant’Anna de Modena. A polícia afirma que ele está em uma cela com outros detentos e apresenta bom estado de saúde.

De acordo com Savo, Pizzolato já tem um advogado que o representa em Modena.

A polícia italiana falou sobre a prisão de Pizzolato nesta quinta-feira (6) em Modena (Foto: Paolo Tomassone/Especial para o G1)A polícia italiana falou sobre a prisão de Pizzolato nesta quinta-feira (6) em Modena (Foto: Paolo Tomassone/Especial para o G1)

Prisão
Os “carabinieri” (polícia italiana) seguiram a pista da localização de Pizzolato durante dois dias. Segundo as investigações, ele não trabalhava nem saía de casa.

Por volta das 11h (8h no horário de Brasília) de quarta-feira, um grupo formado por 10 policiais entrou no apartamento do ex-diretor, situado no andar térreo de um prédio no centro de Maranello.

Mapa fuga Pizzolato (Foto: Arte/G1)

Os policiais encontraram 14 mil euros – em notas de euros e dólares e um passaporte falso, em nome de Celso Pizzolato, irmão mais velho de Henrique e que morreu em um acidente de carro em 1978.

Com 570 pessoas, atualmente a prisão de Sant’Anna de Modena enfrenta superlotação. Sua capacidade total é de 450 pessoas.

Considerado culpado pelos crimes de formação de quadrilha, peculato (crime cometido por um funcionário público ao se apropriar de dinheiro, valor ou outro bem que possui em função do cargo, ou ao desviá-lo em proveito próprio ou alheio) e lavagem de dinheiro, o antigo dirigente do Banco do Brasil foi condenado pelos ministros do STF a 12 anos e 7 meses de prisão.

Fuga pela Argentina
A Polícia Federal (PF) afirmou na quarta-feira que Pizzolato fugiu do Brasil pela fronteira com a Argentina, dois meses antes de ser decretada sua prisão, em 15 de novembro de 2013.

Ele saiu de carro da cidade de Dionísio Cerqueira, em Santa Catarina, e ingressou no território argentino provavelmente no dia 12 de setembro. Depois, percorreu 1,3 mil quilômetros até a capital argentina, Buenos Aires.

As investigações da PF demonstraram que o ex-diretor de marketing do BB embarcou para Barcelona, na Espanha, em um voo da Aerolíneas Argentinas. Da cidade espanhola, segundo os policiais federais, ele seguiu em direção à Itália. A PF não sabe de que forma Pizzolato chegou ao território italiano.

 

G1

Responder mensagens durante o sono pode ser nova ‘doença’, diz pesquisa

Você é do tipo que não larga o celular nem na hora de dormir e acorda a qualquer som de notificação? Uma pesquisa da Villanova University, nos Estados Unidos, revelou que é cada vez mais comum jovens responderem mensagens enquanto dormem. O texto pode não fazer sentindo ou a pessoa sequer lembra-se de tê-lo enviado, mas o “Sleep Texting” já é um fenômeno entre a nova geração de universitários.

Pesquisa diz que jovens mandam mensagens dormindo (Foto: Reprodução)Pesquisa diz que jovens mandam mensagens dormindo (Foto: Reprodução)

A coordenadora do estudo, Elizabeth Dowdell, ficou intrigada com o relato de uma aluna que disse ter o hábito de acordar para responder mensagens de madrugada. A professora selecionou 300 estudantes e os entrevistou para ver se esse comportamento era um padrão. Cerca de 35% dos alunos disseram já ter mandado mensagens dormindo e 50% confessaram que o smartphone já atrapalhou o sono deles.

Para o especialista no EOS Sleep Centers, Josh Werber, o mais preocupante são os jovens que acordam para responder notificações: “Quando não estamos totalmente entregues ao sono, não descansamos o suficiente e isso pode afetar nossas habilidades cognitivas”, explica.

 

Outra pesquisa, do Pew Internet & American Life Project, indica que os adolescentes nos Estados Unidos passam cerca de uma hora e meia por dia trocando mensagens pelo celular. Um em cada três jovens manda mais de 100 mensagens diárias. Pelo menos 4 em cada 5 estudantes dormem com o celular ao lado da cama.

Para aqueles que já perderam o sono por causa do smartphone, Dowdell recomenda deixá-lo longe da cama, tirar o som ou mesmo desligar. “Pelo menos no fim do dia, você deve se permitir ter uma boa noite de sono. As mensagens não precisam ser respondidas imediatamente. Não precisamos ficar conectados 24 horas por dia”, argumenta a professora.

Via Business Insider

Delegados envolvidos na Operação Squadre vão responder processo disciplinar

policia federalOs delegados da Polícia Civil Edilson Araújo de Carvalho, Alberto Jorge Diniz e Silva e o motorista policial Milton Luiz da Silva vão responder a processo administrativo disciplinar. A portaria da Comissão de Disciplina da Corregedoria de Polícia Civil da Secretaria da Segurança e Defesa Social foi publicada no Diário Oficial do Estado.

Edilson Araújo, Alberto Jorge e o motorista Edson Luiz foram presos no dia 9 de novembro do ano passado, juntamente com policiais militares e agentes penitenciários pela Polícia Federal durante a Operação Squadre que investigou denúncia que eles integravam três milícias armadas que atuavam em atividades típicas de grupos de extermínio, comércio ilegal de armas e munições, segurança privada armada clandestina, lavagem de dinheiro, prática de extorsão, corrupção policial e tráfico de armas e drogas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A comissão de Disciplina da Corregedoria da Polícia Civil que vai investigar os policiais é composta pelos delegados Manoel Neto Magalhães, Antônio de Pádua Alves Pereira e Edson Francisco Silva.

Os dois delegados permaneceram presos no Centro de Educação da Polícia Militar, mas já foram postos em liberdade por determinação da Justiça. Por determinação do juízo da 7ª Vara Criminal de João Pessoa, devem permanecer afastados por 180 dias.

O afastamento dos policiais envolvidos com a Operação Squadre foi publicada no Diário Oficial. Eles foram apontados pela Polícia Federal como integrantes de grupos de extermínio.

Da Redação com Diário Oficial
WSCOM Online

Motorista envolvido em acidente por uso de celular deve responder por crime intencional

O motorista que provocar um acidente ou atropelar alguém por estar falando ao celular enquanto dirige deve responder por crime doloso, ou seja, intencional. Na prática, a decisão do Tribunal Federal Regional da 1ª Região (TRF-1), em Brasília, significa que, nesses casos, os réus serão julgados por um júri popular e estarão sujeitos a penas mais severas do que se condenados por um crime culposo, quando não é intencional.

Ao julgar o recurso do administrador de empresas Márcio Assad Cruz Scaff, acusado de ter atropelado e matado a policial rodoviária federal Vanessa Siffert, o juiz da 3ª Turma do TRF-1, Tourinho Neto, considerou que “as provas produzidas até o momento sugerem que o réu assumiu o risco de produzir o resultado [morte da policial]”, mesmo estando dentro dos limites de velocidade permitida.

Se for condenado pelo crime de homicídio simples, o administrador pode pegar de seis a 20 anos de prisão, em regime fechado. Caso respondesse por crime culposo, estaria sujeito a pena que varia de um a três anos. Além disso, em 2011, o Instituto Nacional do Seguro Social anunciou que passaria a cobrar judicialmente dos motoristas que provoquem acidentes de trânsito dolosos os gastos com benefícios previdenciários pagos às vítimas que tiverem que se afastar do trabalho. A primeira “ação regressiva” de ressarcimento por acidente de trânsito foi ajuizada na Justiça Federal em 3 de novembro, pelo próprio ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves.

Para o presidente da Comissão de Direito de Trânsito da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Mato Grosso, Thiago França Cabral, a decisão, “inflexível”, contribui para combater a impunidade no trânsito.

“Casos como esses, além de um grande absurdo, são frequentes em nosso país. Por isso, a importância de se ter um [Poder] Judiciário forte, inflexível e implacável em suas decisões. Não só por uma questão de justiça, como também como forma de combater a impunidade no que diz respeito à violência no trânsito”.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, entre 2000 e 2008, mais de 300 mil brasileiros perderam a vida em acidentes de trânsito, situação que, em 2009, levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a apontar o Brasil como o quinto  país em mortes no trânsito

Scaff atropelou Vanessa na noite de 26 de outubro de 2006, na BR-316, em Ananindeua, no Pará. Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, o administrador dirigia conversando ao celular quando ultrapassou os carros parados em uma barreira da Polícia Rodoviária Federal, avançou sobre os cones de sinalização e atingiu a policial de 35 anos, que estava em serviço e morreu em razão dos ferimentos. Consta do processo que Scaff também estava visivelmente embriagado e admitiu ter usado substâncias entorpecentes na véspera da ocorrência. Três cigarros de maconha e mais 4,7 gramas da substância foram encontradas no interior do veículo.

Em agosto de 2010, a 4ª Vara Federal Federal Criminal do Pará decidiu que Scaff seria julgado por um Tribunal de Júri por crime doloso, já que havia assumido o risco ao dirigir de forma desatenta e por ter consumido drogas na véspera. O réu então recorreu ao TRF-1, que negou o pedido para que a denúncia fosse alterada de crime doloso para culposo.

Agência Brasil

País terá de responder a 170 críticas e sugestões sobre direitos humanos em sabatina da ONU

Depois de ser submetido a uma longa sabatina no Conselho de Direitos Humanos (CDH) da ONU em Genebra, no mês de maio, o Brasil volta no dia 20 ao Palácio das Nações, onde responderá, em plenário, quais das 170 recomendações e críticas recebidas há quatro meses pretende aceitar ou rejeitar. Pontos sensíveis como a violação de direitos humanos em grandes obras de infraestrutura serão abordados neste exercício chamado Revisão Periódica Universal (RPU), além dos problemas recorrentes da tortura no sistema prisional e da violência policial.

Conectas – organização internacional de direitos humanos que possui status de observadora no CDH da ONU – participou da sabatina de maio realizando encontros bilaterais com a missão brasileira e subsidiando as 78 delegações de países membros que interpelaram o Brasil. Agora, uma delegação da entidade acompanhará o segundo momento da RPU, para cobrar compromisso do País com respostas efetivas aos problemas apontados.

No dia 19, às 16h (horário de Genebra), a organização co-organizará um evento paralelo no local para tratar das recomendações recebidas pelo Brasil, com foco na situação prisional e no impacto das grandes obras de infraestrutura e dos mega-eventos na garantia de direitos humanos.

“Queremos saber, efetivamente, o que é discurso e o que é prática para o Brasil. Há na mesa 170 pontos muito concretos sobre direitos humanos, um verdadeiro ‘mapa do caminho’ que o País precisa seguir se quiser aliar desenvolvimento e respeito aos direitos das pessoas, principalmente dos grupos mais vulneráveis”, disse Camila Asano, coordenadora de Política Externa e Direitos Humanos da Conectas.

Entre os pontos, destacam-se o respeito aos direitos humanos diante de mega projetos de infraestrutura e mega eventos, questão prisional, violência policial, trabalho escravo e infantil, violência contra as mulheres, igualdade de gênero e racial, combate a pobreza, ameaças a defensores de direitos humanos, direito das pessoas com deficiência e direitos dos migrantes, entre outros. Há questões relevantes que marcam o quadro de violações no Brasil que não estiveram de forma adequada presentes nas recomendações, como a violência contra população LGBT e o precário acesso a medicamentos no Brasil.

Ao mesmo tempo, recomendações recebidas pelo Brasil neste processo deveriam, do ponto de vista da Conectas, ser rejeitadas, como a sugestão de que o País afirme que a família é formada exclusivamente por pessoas de sexos diferentes e que o ensino religioso seja dado nas escolas públicas.

Adital