Arquivo da tag: respiratória

Internações por síndrome respiratória aumentam 43% na PB em uma semana, diz secretaria

A Paraíba tem convivido com uma média de 100 novos casos confirmados do novo coronavírus desde o fim de abril. O reflexo do avanço da Covid-19 no estado também pode ser visto no aumento gradual de internações de pacientes notificados por Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag). O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, afirmou nesta segunda-feira (4) que estado passa por um momento de pico dos casos.

Embora o cenário seja de estado crítico e de proximidade com um colapso dos leitos hospitalares para tratamento de pacientes infectados pelo coronavírus, os níveis de isolamento social na Paraíba tem oscilado para baixo, chegando a 41% no fim de abril.

Um levantamento das informações fornecidas pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) e dos dados fornecidos pela In Loco, empresa pernambucana que tem ajudado os governos estaduais e municipais a monitorar o deslocamento de pessoas a partir da movimentação dos aparelhos celulares em relação ao posicionamento por GPS, apontou que um relaxamento do isolamento social na Paraíba pode ter interferido no aumento dos casos.

Para Geraldo Medeiros, secretário de Saúde, o aumento da ocupação dos leitos exclusivos para Covid-19 tem relação direta com a promoção de aglomerações por parte, principalmente dos moradores de João Pessoa. Ele explicou que os números de um dia refletem o comportamento da população 15 dias atrás.

“Essa ocupação célere dos leitos é em decorrência de que há 15 dias a população de João Pessoa ocupou a orla e produziu aglomeração e se contaminou. É um momento preocupante, já havíamos alertado a população na semana passada na Grande João Pessoa da probabilidade de um colapso na rede pública estadual, essa probabilidade ela existe”, lamentou o secretário

Ainda de acordo com Geraldo Medeiros, se população não colaborar a Paraíba pode entrar em colapso em um espaço de 15 dias. “Isso é terrível, porque você pode precisar de um leito de UTI e não ter isso. É isso que estamos querendo evitar, alertando a população principalmente de Santa Rita, Bayeux, Cabedelo”, completou.

Praias, calçadinha e parques fechados

A Prefeitura de João Pessoa decretou o fechamento do acesso às praias ao calçadão das avenidas da orla e aos parques municipais, até o dia 18 de maio, como mais uma medida restritiva de circulação como forma de combate à disseminação do novo coronavírus no município.

Com o decreto, fica vedado o acesso a todas as praias de João Pessoa, ao calçadão da orla, ao Parque da Lagoa e ao Parque Parahyba, locais, que segundo o decreto, são de habitual concentração de pessoas, mesmo com os alertas emitidos pelas autoridades sanitárias.

“Nós só podemos voltar às atividades e acabar com o isolamento de maneira progressiva se a gente subir o grau de isolamento social na cidade de João Pessoa. Quem quiser voltar a ter alguma atividade na capital tem que colaborar com isso. Se todo mundo tivesse colaborado desde o começo, talvez estivéssemos hoje anunciando medidas de flexibilizar o retorno às atividades de cultura, lazer, educação e comércio. Como parte das pessoas não colaborou, os casos subiram e isto significa que estamos adiando ainda mais o retorno à normalidade na capital”, disse Luciano Cartaxo.

G1

 

Mais de 2 mil casos de síndrome respiratória ou gripal estão sob investigação para Covid-19 na PB

Mais de 2 mil casos de síndrome respiratória aguda grave (Srag) e de síndrome gripal leve estavam sob investigação das autoridades de Saúde na Paraíba por suspeita de Covid-19 até a terça-feira (21). A informação, presente no boletim epidemiológico 10 divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), divulgado na terça-feira, apontou que 2.224 casos notificados por suspeita clínica para o novo coronavírus (Sars-Cov-2).

Ainda de acordo com o boletim epidemiológico 10, 19 mortes notificadas por suspeita de Covid-19 em 15 municípios paraibanos também estão sendo investigados. Segundo informações repassadas pela SES, a chegada do lote de 200 mil testes rápidos para o coronavírus, prevista para os próximos dias, vai dar maior celeridade aos casos notificados como suspeitos.

Considerado os casos descartados e os confirmados até a terça-feira (21), a Paraíba já realizou a testagem de 1.462 casos para o novo coronavírus, sendo 301 confirmados e 1.161 descartados para Covid-19.

Ainda conforme a SES, há outras formas de confirmação além dos testes, como a confirmação clínica por vínculo de contato. Se uma pessoa testa positivo para Covid-19 e outras pessoas que moram na mesma casa são notificadas com os sintomas da doença, esses casos tidos como suspeitos já podem ser configurados como casos confirmados da doença causada pelo novo coronavírus.

Problemas de notificação

Outro problema apontado pelo boletim epidemiológico é a não atualização de informações de pacientes hospitalizados por Srag por parte das autoridades de saúde dos municípios paraibanos e também dos hospitais. Dos 567 casos hospitalizados por Srag, 539 deles, quase 95% do total, não apresentam informações suficientes dos pacientes.

São 382 pacientes hospitalizados por Srag com a classificação “em branco” e outros 157 casos de Srag com “etiologia não especificada”, contra 15 casos notificados como Covid-19, oito casos notificados como Influenza e outros cinco casos por outros vírus respiratórios.

A gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares, explica que esse grande volume com informações incompletas prejudicam na atualização dos dados da Paraíba no Sistema de Informação de Vigilância de Gripe (Sivep), mantido pelo Ministério da Saúde.

“O boletim mostra justamente que existem instituições, municípios, que não alimentam o sistema com as informações. Por isso que fizemos uma avaliação técnica e indicamos o que precisa ser fortalecido dentro do sistema de vigilância”, explicou

Lacen-PB tem realizado testagem diária para o novo coronavírus — Foto: Francisco França/Secom-PB

Lacen-PB tem realizado testagem diária para o novo coronavírus — Foto: Francisco França/Secom-PB

De acordo com o boletim, cerca de 70% dos casos notificados por municípios e hospitais estavam em aberto no Sivep. É papel dos municípios abrir as notificações, acompanhar e encerrar os casos em um prazo de 30 dias.

Conforme a SES, todos os casos hospitalizados por síndrome respiratória são testados para Covid-19 e os laudos emitidos pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (Lacen-PB) a partir dos exames nos pacientes internados são encaminhados para municípios e instituições de saúde.

“A SES recomenda que a partir da liberação do resultado do exame pelo Lacen os casos sejam imediatamente encerrados no sistema da informação para permitir que todas as esferas de gestão tenham acesso a dados atualizados e consistentes, evitando o uso de planilhas paralelas”, informa o boletim epidemiológico.

A falta de atualização no sistema pode acarretar em uma discrepância entre os dados reais monitorados e os dados contabilizados, podendo, inclusive prejudicar no repasse de verbas a partir do Ministério da Saúde, tendo em vista que os dados do Sivep são considerados para o envio de ajuda financeira para os governos estaduais.

G1

 

Secretaria de Saúde da Paraíba investiga 12 mortes suspeitas de síndrome respiratória

Após o anúncio da morte de Mateus Carlos, filho do presidente da Rede Paraíba de Comunicação, com suspeita de covid-19, em João Pessoa, a Secretaria de Estado da Saúde informou que atualmente investiga 12 mortes suspeitas de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

A covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, é um tipo de SRAG, assim como os outros tipos de influenza (gripe) já conhecidos.

Até o momento, nenhuma morte por covid-19 foi confirmada no estado, que já tem 15 casos da doença.

 

clickpb

 

 

EUA investigam possível epidemia de doença respiratória rara em crianças

criancas-gameCentenas de crianças com sintomas de uma rara doença respiratória deram entrada em hospitais de dez Estados americanos nas últimas semanas, informou o CDC (Centro para Controle e Prevenção de Doenças) nos Estados Unidos. A instituição investiga a possibilidade de uma epidemia do enterovírus D68, conhecido também como EVD68.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com um relatório divulgado nesta segunda-feira (8), aproximadamente 475 crianças receberam tratamento no Hospital da Misericórdia Infantil de Kansas City, no Missouri, após demonstrar sintomas do que parecia uma forte gripe. Pelo menos 60 crianças ainda estão em tratamento intensivo, de acordo com um porta-voz do hospital.  O CDC registrou 19 casos do enterovirus D68.

O Hospital Infantil do Colorado, na cidade de Denver, no Estado americano do Colorado, informou a um jornal local que mais de 900 crianças já receberam tratamento para doenças respiratórias nas últimas três semanas, incluindo 86 que tiveram de dar entrada no hospital. No Hospital Rocky Mountain, também no Colorado, cinco crianças ficaram em tratamento intensivo, mas ainda não houve confirmação oficial de que o mal esteja relacionado.

O CDC confirmou, porém, o registro de 11 casos do vírus em Chicago, com pacientes na faixa de 20 meses até 15 anos. O hospital da cidade vem tratando dezenas de crianças com problemas respiratórios, o que levou um porta-voz da Universidade de Chicago a afirmar que é “como se a gripe de inverno começasse mais cedo”.

De acordo com Mark Pallansch, diretor da divisão de doenças virais do CDC, o número de casos relatados poderiam ser “apenas a ponta do iceberg”. Em entrevista à CNN, ele informou que os Estados que já entraram em contato com o CDC são Missouri, Illinois, Colorado, Kansas, Oklahoma, Iowa, Kentucky, Ohio, Carolina do Norte e Georgia. A diretora para doenças respiratórias e imunização, Anne Schuchat, afirmou que “a situação está evoluindo muito rapidamente”.

O vírus EVD68

Enterovírus são extremamente raros e a maioria não apresenta sintomas ou, quando é o caso, parece uma gripe comum. Não é o que acontece com o EVD68. Conhecido desde 1962, esse enterovírus é relativamente raro e seus sintomas mais pronunciados são dificuldade para respirar e tosse. Febre, espirros, obstrução nasal e coriza também podem ser relatados.

O EVD68 acaba sendo um problema maior para quem sofre de asma ou já tem algum outro problema respiratório, cujos sintomas são agravados pela sua presença no organismo.

O vírus é facilmente transmitido através de contato com pessoas doentes, tosse ou com alguma superfície que poderia conter o EVD68. Para se prevenir, bastam os cuidados básicos, como lavar as mãos, manter superfícies de fácil contato sempre limpas, cobrir o nariz e a boca na hora de tossir e espirrar, evitar contato direto com indivíduos possivelmente infectados.

A maioria dos pacientes atacados pelo EVD68 recupera-se rapidamente. Os tratamentos normalmente dispensados a gripes podem ajudar, mas é o próprio sistema imunológico do indivíduo afetado que acaba combatendo o vírus. A maioria das crianças se recupera em uma semana. Os adultos não são afetados.

Não há vacinas e os antibióticos encontrados em farmácias não têm efeito no vírus. Os especialistas do CDC afirmam, entretanto, que vacinas contra gripe e outras medidas preventivas podem ajudar.

Uol

Idoso tem parada respiratória e morre em motel

 

No início da tarde da quinta-feira (30/8), um idoso sofreu uma parada respiratória e morreu em um motel de Cabedelo, na Grande João Pessoa. No local, nenhum representante do estabelecimento quis se pronunciar.

De acordo com os socorristas que foram ao local, a vítima tinha 83 anos e morreu antes que o Samu chegasse ao local para prestar os primeiros socorros.
Ainda de acordo com as informações dos paramédicos, o idoso estava acompanhado de uma jovem. A polícia foi chamada, mas como o Samu confirmou a morte como natural, os policiais nem chegaram ao local.

Fonte: G1/PB
Focando a Notícia