Arquivo da tag: repudia

Deputado Chió (REDE) repudia cortes em universidades e desmonte do “Mais Médicos”

O deputado Estadual Chió (REDE) não economizou o tom do discurso ao utilizar a tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba, durante o pequeno expediente, nesta terça-feira, 07 de Maio, repudiando os severos cortes nas universidades públicas, especialmente, no tocante ao que atinge à Universidade Federal da Paraíba.

“Só no Ensino Superior são R$ 2,2 bilhões de cortes e o pretexto do Governo Federal é que esses recursos serão destinados à Educação Básica. No entanto, só na Educação Básica são mais R$ 2,4 bilhões de cortes. O momento é de luta, de mobilização. A Assembleia Legislativa deve juntar-se e apoiar os movimentos estudantis, as Universidades e Institutos Federais, que já sofrem com péssimas condições e não resistirão aos novos cortes “, reivindicou Chió (REDE).

Contra cidadania à Bolsonaro

Chió desaprovou qualquer possibilidade da Assembleia Legislativa aprovar título de cidadania paraibana ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), diante da tramitação de um projeto de lei na Casa. “Cidadania se concede a quem contribui, a quem soma para o desenvolvimento e qualidade de vida dos paraibanos. Não se pode conceder cidadania a quem corta da educação e da saúde dos paraibanos, a quem não se importa em deixar o nosso povo sem conhecimento e doente”, completou Chió.

O deputado reivindicou ainda, o desmonte do programa Mais Médicos no estado. “Só em João Pessoa são menos 48 médicos. Quem mais sofre com ausência desses profissionais são os mais humildes, os mais pobres. O que temos testemunhado todos os dias são questões ideológicas se sobrepondo a questões humanitárias e isso é absurdo”, concluiu Chió.

Fonte: Ascom Dep. Chió (REDE)

 

 

Pedrinho Batista repudia declaração do vereador Nicodemos contra base aliada ao prefeito Douglas em Bananeiras

pedrinhoNa noite da última terça-feira (18) o vereador Pedrinho Batista, fez uso da tribuna e em seu discurso fez alusão a rede social do vereador líder da oposição Nicodemos Costa. O vereador Pedrinho Batista (foto 1), inicia sua fala relatando sua trajetória: – “Eu trabalho desde os 16 anos, eu construí uma família, eu tenho curso superior com meu esforço meus estudos, hoje tenho uma profissão, fruto de meu esforço”… Falando também que se propôs a ser vereador de Bananeiras e é vereador pela vontade soberana do povo, e que estar na Câmara Municipal para representar os bananeirenses, através dos votos que obteve no último pleito e não por um coeficiente.

Nicodemos Costa
Nicodemos Costa

No auge do discurso Pedrinho Batista, diz que acompanha as redes sociais dos colegas vereadores da “Casa Odom Bezerra”. Declarando que muitos brasileiros não estão preparados para usar as sociais, uma ferramenta importante de divulgações de seus feitos e apresentação da vida social. Em meio ao discurso fala da infelicidade que o reportou na última semana ao observar a rede social e ver como o vereador Nicodemos Costa, vem tratando os oito vereadores da situação que tiveram o desprazer de dá-lhes o codinome de “Vereadores lagartixa”.

Pedrinho Batista indaga a Nicodemos e demais presentes se votar projetos importantes para a população, lutar para que escola não caia em decadência que ela se mantenha, uma escola que é referência, votar no município tenha um departamento de trânsito e que esse seja municipalizado no futuro, isso é ser Lagartixa? _”Ai eu pergunto a população de Bananeiras… eu lhes contei uma parte da minha trajetória, eu não cheguei aqui para ser chamado de lagartixa, de forma alguma e nem para estar embaixo dos pés do perfeito. Quem me colocou aqui, foi a vontade soberana do povo de Bananeiras, então eu PEÇO o respeito, eu EXIGO respeito, essa é a minha Educação, é assim que eu os tratos, então é assim que eu quero ser tratado. Eu não admito de forma alguma ser taxado de lagartixa, eu não faço isso. Quando eu voto aqui um projeto, um requerimento, eu voto com responsabilidade, eu lembro dos 674 votos que tive, eu os carrego aqui em meus ombros, então não posso ser “IRRESPONSÁVEL”.

Assessoria para o Focando a Notícia

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Amidi repudia campanha ofensiva contra mídia digital

jornalismoA Associação de Mídia Digital (Amidi) emitiu, na manhã desta segunda-feira, uma nota repudiando a campanha veiculada pelo Jornal Correio da Paraíba através das redes sociais. A Amidi considera a campanha ofensiva e pejorativa contra o jornalismo digital.

Confira a Nota

A Amidi, através de sua Diretoria, lamenta a equivocada postura adotada pelo Jornal Correio da Paraíba contra a mídia e jornalismo digital paraibano, perpetrada em deformada campanha publicitária assinada pela agência Sala 10, com conteúdo pejorativo e ofensivo às empresas legitimamente constituídas e aos profissionais/jornalistas do segmento.

A campanha em questão – personificada com peças para redes sociais baseada em deboches e insinuações maldosas – não encontra eco nos números do consistente crescimento do nosso setor e nem amparo no acesso em tempo real dos nossos milhões de leitores, o que atesta o alcance, a credibilidade e o profissionalismo de todos os que militam de forma digna e honrada nesse campo do novo jornalismo.

Repudiamos a vã tentativa de desqualificação ou diminuição dos valores, compromisso ético e responsabilidade no tratamento adequado da notícia, desde a sua apuração à rápida divulgação, prática e mandamento maior de nossos associados.

Eventuais desvios existem em qualquer meio, mas não dão o direito, por exemplo, que o nosso aponte o jornal impresso como adepto da prática de noticiar fatos incompletos, disseminar boatos ou cometer erros. Aí está o pecado central das peças produzidas contra o meio digital: a pouco inteligente e indecente generalização.

A sociedade conectada pelo digital tem o devido senso crítico para perceber que esse tipo de ofensiva transita na contramão da realidade prática na forma de se comunicar e interagir das pessoas no mundo contemporâneo. Graças à Internet, hoje o público já não é mais refém de um ou outro veículo. Porque tem todo o conteúdo na palma da mão e de graça.

Luiz Fábio Targino
Presidente

Confira trechos da campanha do Jornal Correio da Paraíba através do perfil Sala 10 Comunicação no Facebook:

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Advogado repudia exposição de rapazes filmados em banheiro fazendo sexo no Espaço Cultural

videoNos últimos dias um vídeo viralizou nas redes sociais, especialmente no WhatsApp, a partir da filmagem feita por um segurança da Fundação Espaço Cultural. Nele, dois rapazes são flagrados em ato sexual em um dos banheiros da Funesc. Os funcionários ameaçam chamar a polícia e dizem que não são homofóbicos, mas que o pai de uma criança os teria chamado, incomodado com a situação e citam que os jovens estariam cometendo “atentado ao pudor”.

O advogado José Neto, ex-presidente da Comissão de Diversidade Sexual da OAB-PB, avaliou que a conduta dos seguranças foi correta ao reprimir o ato sexual no banheiro do prédio público, mas repudiou a exposição do vídeo, que viralizou nas redes sociais:

“Eles agiram de maneira correta ao impedir que se use o banheiro de um órgão público para um ato sexual. Mas, a filmagem dos rapazes foi uma violação da privacidade e uso desautorizado da imagem, com a finalidade clara de execração pública. Os dois rapazes tiveram uma conduta socialmente inapropriada, mas o que fizeram não foi crime, não é atentado ao pudor. Ao serem expostos nas redes sociais, eles ficam vulneráveis a um constrangimento muito grande”, disse o advogado.

O vídeo que viralizou está abaixo, desfocado, para não identificar os rapazes ou os seguranças responsáveis pela filmagem.

 

Fonte: http://www.parlamentopb.com.br

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Fenabrave repudia ato do DETRAN que pode inviabilizar 85% das vendas de veículos na PB

detran-pbA Fenabrave emitiu nesta quarta-feira (16) uma carta aberta aos paraibanos para repudiar a atuação do Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB) que culminou com o aumento da carga tributária do ICMS e a criação de um Fundo que deverá encarecer o preço dos veículos novos e usados no Estado.

De acordo com a instituição, o ato do Detran deve inviabilizar 85% das vendas do setor, “alcançando todas as formas de fomento realizadas por instituições financeiras de caráter nacional, que vão desde as compras parceladas a até mesmo os consórcios”.

Segundo a Fenabrave, o Detran teria contratado sem licitação uma empresa para gerir e controlar os financiamentos de veículos comprados na Paraíba, de modo que não iria mais interagir com o Sistema Nacional de Gravames, do qual estaria se desligando de imediato.

“O Detran, desprovido de qualquer lei, através de um contrato, criou obrigações de fazer e de pagar, para serem cumpridaspelos bancos, sem que estes sequer tenham participado da discussão e muito menos da contratação”, diz a carta.

Mais adiante, a Federação promete esforços para regularizar a situação e permitir que os consumidores voltem a ter o direito de financiar automóveis no estado.

Confira a carta na íntegra:

Carta Aberta à Sociedade Paraibana,
A FENABRAVE – Regional Paraíba, entidade representativa da categoria econômica das concessionárias de veículos automotores nesse Estado, vem expor, ao público em geral, sua posição diante da atuação do Departamento Estadual de Trânsito – DETRAN/PB referente ao obstáculo por este gerado no tocante aos financiamentos de vendas de automóveis, motocicletas, caminhões e ônibus, novos ou usados.
Em tempos modernos, o papel do “estado” tem sido cada vez mais ser provedor de condições de desenvolvimento social, proporcionar um ambiente adequado ao amplo desenvolvimento econômico e, por fim, gerir, de forma ampla, o bem estar da sociedade civil. Em contexto paralelo, porém indissociável, cabe à iniciativa privada ser o motor que gera emprego e renda, sem os quais não haveria como se fomentar tributos e dar sustentabilidade adequada a esse “estado”, que se coloca como “democrático de direito”.
Em pleno século XXI, e em meio a uma crise econômica sem precedentes, nossa categoria econômica tem enfrentado desafios enormes, com decréscimo vertiginoso no volume de vendas e com redução significativa de empregos, havendo diversas empresas já com suas atividades paralisadas ou definitivamente encerradas.
E neste momento pelo qual o Brasil atravessa, temos na Paraíba um cenário ainda mais complexo, difícil e desanimador.
Nas últimas semanas, em diversas e seguidas atitudes, o Governo do Estado, através de sua Secretaria de Receita, bem como do DETRAN, estabeleceu normas e procedimentos que afetam por demais o dia a dia da rede de concessionárias e, por conseguinte, do público consumidor.
Partiu da Secretaria de Receita o aumento da carga tributária do ICMS e a criação de um Fundo que, de logo, encarecerão o preço dos veículos novos e usados nesse Estado. Tais fatos, obviamente dificultam o desenvolvimento de nossa atividade e diminuem a perspectiva do consumidor paraibano adquirir seuautomóvel, motocicleta, ônibus ou caminhão.
Do DETRAN adveio um ato sem aviso e sem precedentes, que alcançou o inimaginável objetivo de inviabilizar de vez nossa atividade. Esse ato teve a capacidade de impossibilitar o financiamento da venda de veículos no Estado da Paraíba (onde 85% das compras de veículos são financiadas), alcançando todas as formas de fomento realizadas por instituições financeiras de caráter nacional, que vão desde as compras parceladas a até mesmo os consórcios.
Explica-se. As instituições financeiras brasileiras mantêm e custeiam uma única base de dados, de abrangência nacional, para o controle e gestão de financiamentos de veículos. Esta base de dados é chamada de SNG – Sistema Nacional de Gravames, e serve para dar segurança e confiabilidade aos contratos de financiamento sempre queos DETRAN’s realizarem a anotação da alienação fiduciária (gravame) nos documentos dos veículos financiados, novos ou usados.
Esse sistema é gerido por uma empresa privada registrada no Banco Central do Brasil e por este autorizada a funcionar na custódia e guarda de informações do Sistema Financeiro Nacional.
Na prática, o sistema é alimentado a partir da informação inserida pelo DETRAN quando da anotação do financiamento no certificado de propriedade do veículo. E sem esse sistema nenhuma, nenhuma instituição financeira de caráter nacional se propõe a financiar a compra de veículos.
Pois bem, contrariando toda e qualquer lógica, inclusive legal, no último dia 24 de outubro o DETRAN-PB comunicou à Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento – ACREFI, que havia contratado com outra empresa a gestão e o controle dos financiamentos de veículos comprados na Paraíba, de modo que não iria mais interagir com o Sistema Nacional de Gravames, do qual estaria se desligando de imediato.
Essa nova empresa foi contratada pelo DETRAN sem qualquer licitação e, pasmem, para ser obrigatoriamente utilizada e custeada pelas instituições financeiras que queiram operar no mercado paraibano. Sim, o DETRAN, desprovido de qualquer lei, através de um contrato, criou obrigações de fazer e de pagar, para serem cumpridaspelos bancos, sem que estes sequer tenham participado da discussão e muito menos da contratação.
Isso mesmo, o DETRAN-PB inventou um sistema local e paralelo ao Sistema Nacional de Gravames, contratando uma empresa, não registrada e não reconhecida pelo Banco Central do Brasil e cujos sócios respondem a ações de improbidade noutras unidades da federação, para gerir os financiamentos realizados em nosso Estado por instituições financeiras de todo o Brasil.
O que aconteceu? Os bancos simplesmente não aceitaram e deixaram todos os consumidores de veículos novos e usados, na Paraíba, sem perspectiva de adquirirem tais bens através de financiamento.
E tudo isso apenas veio a ser comunicado ao nosso setor no último dia 07 de novembro, quando o Sistema Nacional de Gravames já não mais funcionava. Ou seja, desde então não se procede mais a nenhuma inclusão ou baixa de alienação fiduciária. Isto é, o consumidor paraibano que quitou o seu financiamento e quiser vender ou trocar seu respectivo veículo, encontra-se impedido de fazê-lo, pois a instituição financeira não consegue mais operacionalizar a baixa do gravame.
Importante dizer que não cabe à FENABRAVE (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores – Regional Paraíba) nem ao SINCODIV-PB (Sindicato das Concessionárias da Distribuição de Veículos Automotores na Paraíba) julgar o mérito de tal decisão do DETRAN-PB. O que nos cabe é buscar com veemência condições de atender o consumidor paraibano, de proporcionar condições legais adequadas à venda de nossos produtos, e por fim gerar condições mínimas para que nossa atividade continue a existir e gerar emprego, desenvolvimento e renda em nosso Estado.
Assusta-nos a maneira como tal medida foi tomada, pois em nenhum momento, nossa categoria, que é responsável por uma considerável fatia da arrecadação do Estado, foi consultada. Fomos simplesmente ignorados nesse proceder do DETRAN-PB, que parece ter esquecido o significado e a importância do nosso setor.
Encerramos essa carta aberta informando aos consumidores, que estamos envidando todos os esforços para que essa situação se regularize com a maior brevidade possível, para que nossos clientes possam efetuar suas compras com todas as condições de pagamento disponíveis, inclusive e especialmente através de financiamento. E aqui repetimos, que o “estado” deveproporcionar condições para que a economia e a sociedadese desenvolvam, e pelo que se extrai desta carta, nosso Estado vem contrariando essa  lógica, impondo obstáculosdemais, alguns quase instransponíveis.
Sem mais para o momento, renovamos nossa estima erespeito pela sociedade paraibana, da qual todos nós fazemos parte.

José Carneiro de Carvalho Neto
Vice-Presidente Executivo da FENABRAVE-BRASIL
Diretor-Presidente da  Fenabrave – Regional

blogdogordinho

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

OAB repudia discriminação a nordestinos e estimula denúncia

marcusA Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) repudiou nesta segunda-feira 27 as manifestações de discriminação contra nordestinos após a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

“O Brasil é uma nação plural, tolerante e respeitosa. Essas manifestações preconceituosas contra nordestinos advêm de uma minoria e merece ser repudiada pela sociedade brasileira”, disse o presidente nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho.

As redes sociais foram tomadas de comentários preconceituosos e racistas depois da vitória de Dilma. Eleitores do PSDB publicaram ofensas contra quem seriam, segundo eles, responsáveis por um novo governo do PT. “A OAB, como voz constitucional do cidadão, repudia de forma veemente essas manifestações, contrárias ao conceito exposto na Carta Maior da construção de uma sociedade justa, solidária e fraterna”, diz nota da Ordem.

“O cidadão que se sentir ofendido ou que testemunhe atos de preconceito pode entrar com uma representação no Ministério Público Federal. O procedimento pode ser feito pela internet, neste link“, estimula a entidade.

 

brasil247

Barbosa repudia matéria da revista ‘Época’: grave desvio de ética jornalística

(Foto: ABr/Arquivo)
(Foto: ABr/Arquivo)

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, enviou carta à revista Época repudiando a publicação da matéria com o título “Não serei candidato a presidente”, divulgada na edição nº 823. Segundo Barbosa, a matéria traz em si um grave desvio de ética jornalística, com artifícios e subterfúgios utilizados pelo repórter, que solicitou à Secretaria de Comunicação do STF para ser recebido pelo ministro, apenas para cumprimentos e apresentação.

“Fora o condenável método de abordagem, o texto é repleto de erros factuais, construções imaginárias e preconceituosas, além de sérias acusações contra a minha pessoa”, diz a carta enviada por Barbosa à revista.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Confira a carta na íntegra:

Sr. Diretor de Redação,

A matéria “Não serei candidato a presidente” divulgada na edição nº 823 dessa revista traz em si um grave desvio da ética jornalística. Refiro-me a artifícios e subterfúgios utilizados pelo repórter, que solicitou à Secretaria de Comunicação Social do Supremo Tribunal Federal para ser recebido por mim apenas para cumprimentos e apresentação. Recebi-o por pouco mais de dez minutos e com ele não conversei nada além de trivialidades, já que o objetivo estabelecido, de comum acordo, não era a concessão de uma entrevista. Era uma visita de cunho institucional do Diretor da Sucursal de Brasília da Revista Época. Fora o condenável método de abordagem, o texto é repleto de erros factuais, construções imaginárias e preconceituosas, além de sérias acusações contra a minha pessoa.

A matéria é quase toda construída em torno de um crasso erro factual. O texto afirma que conheci o ministro Celso de Mello na década de 90, e que este último teria escrito o prefácio do meu livro “Ação Afirmativa e princípio Constitucional da Igualdade”. Conheci o ministro Celso de Mello em 2003, ano em que ingressei no STF. Não é dele o prefácio da obra que publiquei em 2001, mas sim do já falecido professor de direito internacional Celso Duvivier de Albuquerque Melo,que de fato conheci nos anos 90 e foi meu colega no Departamento de Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Mais grave, porém, é a acusação de que teria manipulado uma votação,impedindo deliberadamente que um ministro do STF se manifestasse. O objetivo seria submeter o ministro a pressões da “mídia” e de “populares”. Isso não é verdade. Ofensiva para qualquer cidadão, a afirmação ganha contornos ainda mais graves quando associada ao Chefe do Poder Judiciário. Portanto, antes de publicar informação dessa natureza, o repórter tinha a obrigação de tentar ouvir-me sobre o assunto, o que pouparia a revista de publicar informação incorreta sobre minha atuação à frente da Corte.

No campo pessoal, as inverdades narradas na matéria são ainda mais ofensivas e revelam total desconhecimento sobre a minha biografia. Minha mãe nunca foi faxineira. Ela sempre trabalhou no lar, tendo se dedicado especialmente ao cuidado e à educação dos filhos. O texto,que me classifica como taciturno, áspero, grosseiro, não apresenta fundamentos para essas afirmações que, além de deselegantes, refletem apenas a visão distorcida e preconceituosa do repórter. O autor da matéria não apresenta elementos que sustentem os adjetivos gratuitos que utiliza.

Também desrespeitosa é a menção aos meus problemas de saúde. Ao afirmar que a dor causou “angústia e raiva”, o jornalista traçou um perfil psicológico sem apresentar os elementos que lhe permitiram avaliar o impacto de um problema de saúde em uma pessoa com a qual ele nunca havia sequer conversado.

Outra falha do texto é a referência à teoria do “domínio do fato”. Em nenhum momento a teoria foi evocada por mim para justificar a condenação dos réus no julgamento da Ação Penal 470. Basta uma rápida leitura do meu voto para verificar esse fato.

Finalmente, não tenho definição com relação ao momento de minha saída do Supremo e de minha aposentadoria. Muito menos está definido o que farei depois dessa data, embora a matéria tenha afirmado – sem que o jornalista tenha sequer tentado entrevistar-me sobre o tema – que irei dedicar-me ao combate ao racismo. Triste exemplo de jornalismo especulativo e de má-fé.

Joaquim Barbosa

Presidente do Supremo Tribunal Federal

JB Online

OAB repudia concurso que exige virgindade

policial mulherA obrigatoriedade de comprovação de virgindade para candidatas aos postos de delegada, escrivã e investigadora, constante no edital de concurso público promovido pelo governo baiano, levou a seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil a emitir “nota de repúdio” contra a norma.

“Essa exigência nos dias atuais é extremamente abusiva e desarrazoada em virtude da grave violação ao inciso III do Art. 1º da Constituição Federal de 1988, que consagra o princípio da dignidade da pessoa humana, bem como ao Art. 5º do citado diploma legal, que dispõe sobre o princípio da igualdade e o direito à intimidade, vida privada, honra e imagem”, diz trecho da nota, cuja origem é a Comissão de Proteção aos Direitos da Mulher da OAB-BA.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O item polêmico do edital pede “avaliação ginecológica detalhada, contendo os exames colposcopia, citologia e microflora” às candidatas. Mas, esses exames são dispensados para as mulheres “com hímen íntegro”. No entanto, nesta situação a candidata terá que comprovar que é virgem, através de atestado médico, com assinatura, carimbo e CRM do profissional que o emitiu.

Constrangimento – A OAB alega ainda que “a imposição legal de critérios de admissão baseados em gênero, idade, cor ou estado civil configura uma forma gravosa de intervenção no âmbito da proteção à igualdade jurídica (CF, Art. 5º, caput) e da regra que proíbe quaisquer desses requisitos como critério de admissão (Art. 7º, XXX, CF), além das violações à Lei 9.029/95” e pontua: “Exigir que as mulheres se submetam a tamanho constrangimento é, no mínimo, discriminatório, uma vez que tal exigência não tem qualquer relação com as atribuições do cargo, além de tornar mais oneroso o concurso para as candidatas do gênero feminino”.

O presidente da OAB-Bahia, Luiz Viana Queiroz, disse que a seccional estuda se vai patrocinar alguma ação judicial contra a norma da virgindade do concurso para novos policiais do Estado.

“Consideremos o episódio um absurdo. Nossa nota de repúdio vai chegar ao Ministério Público, que pode tomar alguma providência se achar conveniente. Do nosso lado, a Comissão de Proteção aos Direitos da Mulher está estudando o assunto”, disse Queiroz assinalando que a Ordem não podia deixar de se manifestar de forma veemente contra o concurso público.

A Secretaria de Administração da Bahia explicou que o caso “não se configura uma cláusula restritiva, mas sim uma alternativa para as mulheres que, porventura, queiram se recusar a realizar os exames citados no edital”. Diz ainda que esse item seria recorrente em vários concursos públicos realizados no País.

A Tarde

Dilma repudia ‘tentativas de desgastar imagem de Lula’

Dilma participou na Europa da abertura de um seminário promovido pelo Instituto Lula (Foto: Ricardo Stuckert. Instituto Lula)

A presidenta Dilma Rousseff declarou em Paris, onde participa da abertura do Fórum pelo Progresso Social, que rejeita as investidas que visam a desgastar a imagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “É sabida a minha admiração, o meu respeito e a minha amizade pelo presidente Lula. Portanto, eu repudio todas as tentativas – e esta não será a primeira vez – de tentar destituí-lo da imensa carga de respeito que o povo brasileiro lhe tem”, disse ela a jornalistas na capital francesa. “Essa é uma questão que eu devo responder no Brasil, mas eu não poderia deixar de assinalar que acho lamentável essas tentativas de desgastar a imagem do ex-presidente Lula”, acrescentou a presidenta, segundo reportagem da Folha Online.

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o empresário Marcos Valério afirmou, em depoimento prestado em setembro à Procuradoria-Geral da República, para se valer do benefício da delação premiada, que o chamado esquema do “mensalão” ajudou a bancar “despesas pessoais” do ex-presidente.

Também em Paris, onde participa de seminário promovido pelo Instituto Lula, o presidente da entidade, Paulo Okamotto, colocou em dúvida a versão do diário, responsável por difundir ainda a informação de que Valério teria sido ameaçado de morte pelo assessor do ex-presidente caso divulgasse qualquer coisa a respeito do caso. “Por que eu vou ameaçar ele de morte? Duvido que ele tenha falado isso”, afirmou Okamotto a jornalistas. “Não tenho nenhum motivo para desejar mal ao Marcos Valério. Conheci ele depois do episódio do mensalão. (…) Eu me sinto tranquilo.”

Na Câmara dos Deputados, partidos de oposição cobraram explicação sobre a denúncia. O líder do PPS, Rubens Bueno (PR), disse que a legenda já apresentou uma representação ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, para investigar as novas denúncias de Valério.

Segundo a Agência Câmara, o líder do PSDB, deputado Bruno Araújo (PE), quer a divulgação do depoimento de Valério. “Queremos que o Ministério Público dê transparência e divida com o Brasil e com a imprensa as denúncias feitas por Marcos Valério. Não há nada do ponto de vista legal que proteja essas informações”, disse. Se não houver maioria para aprovar um convite para Valério depor no Congresso, defende Araújo, ele deveria ir ao Parlamento “informalmente”.

Perguntado se acha que há necessidade de invesitgações, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, relator da Ação Penal 470 (mensalão) na Suprema Corte, disse apenas: “Eu creio que sim”, segundo a Agência Brasil.

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, declarou, por meio de sua assessoria, que não fará nenhum comentário sobre o assunto. Ele disse que só falará depois da conclusão do julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal.

José Dirceu

Em seu blog, o ex-ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, postou nota de seu advogado, José Luis Oliveira Lima, refutando as informações divulgadas pelo jornal paulistano. “A prova testemunhal e documental produzida na Ação Penal 470 (mensalão) demonstrou de maneira cabal que a nova declaração de Marcos Valério não tem qualquer procedência”, diz Oliveira Lima.

Segundo o advogado, “o ex-ministro José Dirceu jamais se reuniu com Marcos Valério, com o ex-presidente Lula e Delúbio Soares no Palácio do Planalto, bem como nunca conversou qualquer assunto com ele (Valério), muito menos a respeito de financiamentos de campanhas”. Oliveira Lima também afirma que “Dirceu jamais foi ameaçado por Ronan Maria Pinto. A quebra do sigilo fiscal e telefônico do ex-ministro deixou patente a ausência de relação com Marcos Valério”.

O Partido dos Trabalhadores divulgou nota oficial, assinada pelo presidente da legenda. O comunicado também refuta as informações do Estadão: “Caso essas declarações efetivamente tenham sito feitas em uma tentativa de ‘delação premiada’, deveriam ser tratadas com a cautela que se exige nesse tipo de caso. Infelizmente, isso não aconteceu”. No comunicado, Rui Falcão diz que “é alvo constante de setores da sociedade que perderam privilégios” durante o dois mandatos de Lula e o atual, de Dilma Rousseff.

redebrasilatual

Deputada estadual repudia violência contra colega de partido na Paraíba

A deputada estadual, Gilma Germano (PPS) prestou solidariedade neste domingo (30) ao ex-vereador e secretário estadual do PPS, Durval Lira, que sofreu um atentado na noite da última sexta-feira (28).

Durante a tentativa de assassinato, Durval chegou a ser ferido com um tiro na boca.

Em sua página no Twitter, a parlamentar repudiou a violência contra o companheiro de partido. “Minha solidariedade ao companheiro do PPS, Durval, pelo atentado que sofreu, ao tempo que revelo minha indignação contra este ato! Absurdo!”, postou a legisladora.

Insinuando que a violência contra o ex-parlamentar tenha acontecido por motivação política, Gilma Germano disse a política se faz no campo do debate e que assegure vida melhor para todos. “A violência deve ser repudiada”, repetiu.

MaisPB