Arquivo da tag: renegociar

Prazo para renegociar dívidas do Fies termina nesta segunda

O prazo para renegociação de dívidas com Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) termina nesta segunda-feira (29). A vantagem é que os valores podem ser parcelados por, no mínimo, 48 meses. Antes de abril, quando foi aberto o período para renegociação, só era possível o pagamento à vista.

Para pedir a renegociação, os estudantes precisam: ter firmado o contrato com o Fies até o segundo semestre de 2017; estar com as parcelas atrasadas em, no mínimo, 90 dias; e ter contratos em fase de amortização. Além disso, os contratos não podem ser objeto de ação judicial. A depender do tipo contrato, a renegociação também poderá ser feita pelo prazo de amortização.

De acordo com o Ministério da Educação, mais de 500 mil alunos estão com os contratos de financiamento na fase de amortização e com atraso no pagamento das prestações. O saldo devedor total alcança o valor de R$ 11,2 bilhões.

Para regularizar a situação, os interessados devem procurar a instituição bancária onde o contrato foi assinado. O valor da parcela resultante da renegociação não pode ser inferior a R$ 200. Há ainda a parcela de entrada. O estudante deve pagar ou 10% da dívida consolidada vencida, ou R$ 1.000.

 

Agência Brasil

 

 

Serasa dá dicas para consumidor renegociar dívidas e limpar o nome em feirão

serasaO Super Feirão Limpa Nome da Serasa – que acontece entre os dias 28 de abril e 2 de maio, na versão presencial, e se estende até o dia 8 de maio na internet – tem como proposta aproximar consumidor e credor e facilitar a renegociação de dívidas atrasadas, contribuindo para diminuir a inadimplência e reabilitar o crédito do cidadão.

Para obter uma negociação de sucesso, o consumidor precisa fazer as contas e verificar quais são as sobras mensais que podem ser destinadas à renegociação, tirando os valores empenhados em despesas fixas e em dívidas já assumidas ou previstas. “Muitos clientes esquecem que, ao assinar uma renegociação, estão assumindo um novo débito que terá prazos a ser cumprido. O não pagamento gerará mais transtornos, além de uma nova restrição”, diz o superintendente do SerasaConsumidor, Júlio Leandro.

O consumidor deve ouvir a proposta e, se não estiver de acordo, fazer uma contraproposta, considerando as contas feitas previamente. “O importante é que, depois de renegociada, a dívida caiba no bolso do cidadão”, diz Leandro.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Segue o passo a passo sugerido pelos especialistas do SerasaConsumidor:

1. Não tenha receio de olhar para as dívidas que saíram do controle: quanto você já pagou? Qual o valor devido?

2. No caso do Feirão Limpa Nome em São Paulo, não esqueça de levar seu CPF e um documento de identificação com foto.

3. Tenha clara sua real condição financeira no momento da renegociação: quanto pode ser disponibilizado de seu orçamento para quitar a dívida atrasada? Existe alguma renda extra (venda de algum bem, bonificação salarial etc.) que lhe permita fazer uma proposta à vista?

4. Não assuma uma nova conta, com a qual você não poderá arcar, contando com verba de terceiros, que ainda não está disponível ou com a venda de bens ainda não comercializados.

5. Cumpra os novos prazos de pagamento até o final.

Todas as instituições participantes do Super Feirão Limpa Nome oferecem vantagens exclusivas a seus clientes para a negociação de pendências financeiras.

Nesta edição, o feirão presencial, realizado em São Paulo, oferecerá serviços de cidadania, orientação jurídica e ao cidadão, acesso a vagas de empregos, documentação e outros.

Para isso, estarão presentes no evento: o Centro de Apoio ao Trabalho (CAT), que realizará emissão de carteira de trabalho, inscrição em cursos de capacitação profissional, habilitação ao seguro-desemprego, entre outros; e o Centro de Integração da Cidadania (CIC), que fará a emissão segunda via das certidões de nascimento, casamento e óbito e carteira de trabalho

Ainda no Feirão de São Paulo, o consumidor terá palestras gratuitas: de educação financeira, com dicas e orientações para não se endividar além da capacidade de pagamento, ministradas por voluntários da Serasa, e sobre quando a compra vira doença, ministrada por especialistas do Hospital das Clínicas (HC) de São Paulo.

Feirão Limpa Nome Online
Data: de 28 de abril a 08 de maio
Horário: 24 horas
Para participar, basta entrar no http://www.serasaconsumidor.com.br/limpa-nome-online e preencher um simples cadastro.

Catraca Livre

Agricultores familiares podem renegociar dívidas do Pronaf até outubro

Divulgação/Gov. AL
Divulgação/Gov. AL

Termina no dia 15 de outubro o prazo para os agricultores renegociarem dívidas do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). A data é a oportunidade para quem aderiu à renegociação dos débitos até 28 de fevereiro deste ano – prazo limite para saldar pendências e reestruturar o crédito. A medida faz parte da Resolução nº 4.028 que prevê um maior prazo para saldar a dívida e, também, a redução dos juros.

Em fevereiro de 2013, foi encerrado o prazo para que agricultores familiares com operações contratadas até 30 de junho de 2010 aderissem à renegociação. Agora, essas pessoas devem procurar as agências para resolver sua situação.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Os agricultores familiares que se enquadram nas condições estabelecidas na Resolução podem renegociar pendências com juros de até 2% ao ano, com até dez anos de prazo para pagamento. Para requerer a renegociação do seu contrato, o agricultor precisa comparecer a uma agência do Banco do Brasil com documento de identidade e CPF. O limite de crédito para renegociação da dívida é de R$ 30 mil.

Segundo o coordenador do Departamento de financiamento e proteção da produção do Ministério, Mauri Andrade, uma vez inadimplente, o agricultor perde acesso a qualquer um dos financiamentos disponíveis do Pronaf. “É uma grande oportunidade para que o produtor consiga regularizar sua situação e volte a ter acesso aos financiamentos e às outras políticas públicas como o Programa de Aquisição de Alimentos, o Seguro da Agricultura Familiar e o PGPAF, porque muitos destes serviços estão relacionados ao crédito”, afirma.

 

Pronaf

O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), financia projetos individuais ou coletivos, que gerem renda aos agricultores familiares e assentados da reforma agrária. O programa possui as mais baixas taxas de juros dos financiamentos rurais, além das menores taxas de inadimplência entre os sistemas de crédito do País.

Para ter acesso ao Crédito Pronaf, o agricultor deve estar com o CPF regularizado e livre de dívidas. As condições de acesso ao crédito, formas de pagamento e taxas de juros correspondentes a cada linha são definidas, anualmente, a cada Plano Safra da Agricultura Familiar, divulgado entre os meses de junho e julho.

 

Fonte:
Ministério do desenvolvimento Agrário

Agricultores familiares poderão renegociar dívidas

Divulgação / Gov. Piauí
Divulgação / Gov. Piauí

Agricultores familiares de todo o País podem renegociar dívidas com juros menores e condições mais favoráveis até o dia 28 de março. O governo federal disponibilizou o processo de renegociação para aqueles que tenham utilizado o Crédito Fundiário, o Banco da Terra e a Cédula da Terra, mas não conseguiram cumprir os prazos de pagamento das parcelas.

Os agricultores já vêm sendo orientados por meio de encontros, oficinas, seminários e videoconferências sobre o processo de adesão e sobre os próximos passos para a renegociação das dívidas de financiamento. Além disso, já existe um conjunto de medidas para ajudar os agricultores familiares que acessam esses programas do governo a desenvolverem seus projetos e a diminuir as chances de endividamento.

Esse processo está sendo conduzido em todo o Brasil pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e pela rede de parceiros do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF).

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Locais de adesão

O processo já teve início em alguns estados, com resultado positivo. No Maranhão, por exemplo, 98% dos beneficiários inadimplentes já aderiram à renegociação. Ainda neste mês estão previstos eventos de mobilização para adesão à renegociação na Bahia, Ceará, Paraíba e Paraná.

Na avaliação do secretário de Reordenamento Agrário do MDA, Adhemar Almeida, há por parte de todos os envolvidos empenho em reduzir, ao máximo, o número de famílias inadimplentes que hoje é de 16 mil. “É importante frisar que 60% desses 16 mil são contratos que estão em municípios que decretaram estado de emergência ou calamidade pública em decorrência de fenômenos climáticos (seca ou enchente)”, afirma Almeida.

 

Crédito Fundiário

O Ministério do Desenvolvimento Agrário, por meio da Secretaria de Reordenamento Agrário, desenvolve o Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) que oferece condições para que os trabalhadores rurais sem terra ou com pouca terra possam comprar um imóvel rural por meio de um financiamento. O recurso ainda é usado na estruturação da infra-estrutura necessária para a produção e assistência técnica e extensão rural. Além da terra, o agricultor pode construir sua casa, preparar o solo, comprar implementos, ter acompanhamento técnico e o que mais for necessário para se desenvolver de forma independente e autônoma.

O PNCF é composto de um conjunto de ações que promovem o acesso à terra e aos investimentos básicos e produtivos, que permitem estruturar os imóveis rurais. O Programa apóia-se nos princípios da participação, controle social, transparência e descentralização.

O programa possui condições diferenciadas de acordo com o valor do financiamento e o prazo de pagamento é de até 20 anos, com 36 meses de carência.

Quem se enquadra nos critérios do Programa, deve procurar o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais ou da Agricultura Familiar de seu município ou entrar em contato com a Unidade Técnica Estadual.

 

Fonte:
Ministério do Desenvolvimento Agrário

Agricultores afetados pela seca poderão renegociar dívidas e contratar crédito

Divulgação/Governo de Alagoas
Divulgação/Governo de Alagoas

Produtores rurais e agricultores familiares afetados pela seca, na área de atuação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), terão até o dia 31 de maio de 2013 para contratar a linha especial de crédito, que soma R$ 2,4 bilhões e já teve R$ 1,9 bilhão emprestado aos produtores. A outra medida do Conselho Monetário Nacional (CMN) autoriza a renegociação de dívidas pelos agricultores afetados pela seca. O prazo  vai até 1º de julho.

As medidas foram anunciadas na noite da quinta-feira (28) pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. Segundo o ministro, poderão ser renegociados aproximadamente R$ 3 bilhões.

“Estamos colocando à disposição dos agricultores um volume de recursos muito grande. A seca está diminuindo, mas muitos perderam a safra e com o auxílio do governo, conseguirão se recuperar”, afirmou Mantega.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Devido o prolongamento da estiagem e os produtores rurais continuarem a sofrer os efeitos dos prejuízos dela decorrentes, o CMN autorizou as seguintes medidas adicionais de apoio aos produtores rurais e agricultores familiares do Nordeste:

Para pagamento das dívidas vencidas, ou que ainda não venceram, entre 2 de janeiro de 2012 e 30 de junho de 2013, a concessão de prazo adicional irá até 1º de julho de 2013 (ou 15 de julho de 2013, para operações com recursos do BNDES). Assim, podem ser objeto da renegociação as parcelas com vencimento previsto para o 1º semestre de 2013, inclusive das operações de custeio da safra 2012/2013;

O prazo final para formalização da renegociação passou de 31 de março de 2013 para 31 de outubro de 2013.

Além disso, para facilitar o acesso dos produtores rurais ao processo de renegociação, o CMN autorizou a instituição financeira a definir a metodologia para comprovação da perda superior a 30% na renda e incluiu a possibilidade de utilização de “carimbo texto” para formalização da prorrogação e renegociação, ao invés de aditivo contratual.

 

Linhas de Crédito 

Com a criação de Linhas Especiais de Crédito de custeio e de investimento para agricultores familiares enquadrados no Pronaf afetados pela seca na área de atuação da Sudene, os recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste contam com bônus de adimplência de 40% sobre o valor da parcela paga até a data do vencimento. Diante do prolongamento da seca na região Nordeste, considerada a pior dos últimos 30 anos, o CMN autorizou que o prazo de contratação seja estendido de 28 de fevereiro de 2013 para 31 de março de 2013.

 

Plano Agrícola 2012/13

Também nesta quinta-feira (28), foi anunciada durante a primeira reunião da Cadeia Produtiva de Culturas de Inverno a liberação de R$ 66 bilhões para os agricultores financiarem a produção por meio do Plano Agrícola Pecuário 2012/13, entre julho e janeiro.

No lançamento do Plano, em julho de 2012, o Governo Federal disponibilizou R$ 115,2 bilhões para o setor.

Outro assunto que esteve em pauta foram os leilões dos estoques de grãos do governo. Os representantes da Cadeia solicitaram o adiamento do primeiro evento para depois de abril.

 

 

Fonte:
Ministério da Fazenda
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento