Arquivo da tag: Renato

Bolsonaro escolhe Renato Feder para ser novo ministro da Educação

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) escolheu, nesta sexta-feira (3), o secretário de educação do Paraná, Renato Feder, para assumir o Ministério da Educação. O anúncio oficial da Presidência deverá ocorrer ainda hoje.

A decisão pelo nome de Feder confirma, conforme antecipou o R7, que o nome do secretário estava no radar antes de Carlos Decotelli ser nomeado.

O currículo de Feder, de acordo com informações que constam da página da Secretaria de Educação e Esportes do Paraná, possui graduação e mestrado em instituições de ensino de São Paulo.

Feder se formou em Administração pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e fez mestrado em Economia na USP (Universidade de São Paulo). Ainda foi professor da EJA (Educação de Jovens e Adultos), deu aulas de matemática por 10 anos e foi diretor de escola por 8 anos. O currículo inclui ainda assessoria voluntária da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo.

Aos 24 anos, em 2003, assumiu uma empresa de tecnologia, que se tornou bilionária. Deixou o cargo de CEO da empresa para assumir a secretaria do Paraná.

Agora, como titular do ministério, terá que assumir uma frente para coordenar uma resposta educacional em relação à pandemia do novo coronavírus. Entre os principais desafios, estão a realização das provas do Enem (Exame Nacional de Ensino Médio) e volta às aulas.

Ministério da Educação
O último titular da pasta foi resultado de uma articulação feita pelos ministros militares do Planalto. A seleção do novo ministro, inclusive, se transformou numa nova disputa entre a ala militar e ideológica.

Carlos Decotelli, o último a exercer a função de ministro da Educação, deixou o cargo na última terça-feira (30) após cinco dias. A demissão foi a maneira avaliada para encerrar a crise com as inverídicas informações no currículo dele.

Bolsonaro anunciou Decotelli para a Educação no dia 25, por meio de redes sociais. Na ocasião, escreveu que o nomeado era bacharel em Ciências Econômicas pela UERJ, mestre pela FGV, doutor pela Universidade de Rosário (Argentina) e pós-doutor pela Universidade de Wuppertal (Alemanha).

No entanto, o próprio reitor da Universidade Nacional de Rosário negou que Decotelli tenha obtido o título. Depois, a Universidade de Wuppertal também negou que o nomeado possuía a certificação de pós-doutor.

Em seguida, mais uma incoerência, desta vez, com instituições brasileiras. A FGV informou que Decotelli não foi professor da fundação, como o próprio registrou em seu currículo, além de abrir investigação para apurar suspeita de plágio em sua tese de mestrado. Decotelli, após as contestações, alterou o próprio currículo.

As incoerências em sua formação profissional ameaçaram o titular na pasta, que caiu após cinco dias, antes mesmo de tomar posse. Decotelli foi o terceiro ministro da Educação no governo de Jair Bolsonaro, após problemáticas gestões de Ricardo Vélez e Abraham Weintraub – sendo este último investigado pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

*Com a colaboração de Plínio Aguiar, do R7

 

 

Renato fala sobre reencontro com Flamengo: ‘O que o Vasco fez, minha equipe também faz’

Renato Gaúcho quebrou o protocolo habitual e concedeu entrevista coletiva após o treino desta sexta-feira, antes da partida do fim do de semana. O motivo? O reencontro com o Flamengo, algoz do Grêmio nas semifinais da Libertadores, e rival de domingo, na Arena, pelo Campeonato Brasileiro.

O treinador, que costuma pedir a palavra nesses momentos para tirar o peso dos jogadores, negou qualquer clima de revanche após a goleada por 5 a 0 e disse que sua equipe tem condições de repetir a boa atuação do Vasco no empate de quarta-feira contra os rubro-negros.

Questionado se o Flamengo estava “engasgado” na garganta do Grêmio, o treinador gremista lembrou que a única coisa que tinha a lamentar a atuação do próprio time na fatídica goleada no Maracanã. Mas ressaltou que o Tricolor tirou lições da derrota e soube reagir rápido no Campeonato Brasileiro. Desde então, o Grêmio emendou cinco vitórias consecutivas na competição e entrou no G-4.

– Não. Nós estamos entalados com o nosso desempenho. O Flamengo fez a parte dele. O Flamengo jogou futebol como fez isso muito bem nos últimos cinco meses. Nos atropelou porque demos oportunidade. Não está entalado não. Nós é que infelizmente não estivemos numa noite que a gente costuma estar em uma semifinal de Libertadores. O Flamengo fez o que vinha fazendo, jogou futebol, aproveitou as oportunidades e venceu. Não tem nada de revanche agora pelo Brasileiro. Espero que minha equipe esteja numa noite melhor do que aquela no Maracanã. Uma tarde, melhor dizendo, do Gre-Nal, que jogamos bem. Nada de revanche – afirmou Renato.00:00/10:39

Relembre os melhores momentos de Flamengo 5 x 0 Grêmio pela semifinal da Taça Libertadores

Relembre os melhores momentos de Flamengo 5 x 0 Grêmio pela semifinal da Taça Libertadores

O técnico gremista também falou sobre o empate em 4 a 4 entre Flamengo e Vasco na última quarta-feira, no Maracanã, em um jogo marcado por muitos gols e reviravoltas no placar. Teria o time de Vanderlei Luxemburgo mostrado o caminho para enfrentar esse Flamengo de Jorge Jesus? Não para Renato. Renato disse que o Vasco teve uma grande atuação, assim como sua equipe teve em outros momentos, mas que não vai mudar a maneira do Grêmio atuar.

– O Vasco jogou muito bem, grande jogo. O que o Vasco fez minha equipe faz. Infelizmente não fizemos contra o Flamengo no Maracanã, no primeiro tempo da Libertadores aqui. No mais minha equipe vem fazendo. Importante é fazer o que estamos acostumados a fazer há muito tempo. As palavras que sempre peço. Estar focado e concentrado e competir. Essas três palavras sempre coloco. Eles têm feito. Não é porque o Vasco fez e fez muito bem, que minha equipe não faz. A gente faz sim. Pode ter certeza que o exemplo do Grêmio é o exemplo para outras equipes – declarou.

Por fim, o técnico também falou sobre Jorge Jesus. Se a prévia dos duelos pela Libertadores foi marcada por declarações polêmicas e provocações de lado a lado, desta vez o treinador gremista adotou um discurso mais comedido, com elogios ao treinador português e também o argentino Jorge Sampaoli, técnico do Santos. Os dois estrangeiros vêm fazendo grandes trabalhos nos seus clubes, reconheceu Renato.

– Tem espaço para todo mundo desde que seja competente, seja brasileiro ou estrangeiro. Os dois estrangeiros são competentes. Até o ano passado tivemos outros estrangeiros aqui no Brasil que não estiveram tão bem. Não significa que não sejam bons. Às vezes não têm sucesso no trabalho não porque são ruins. Tem espaço para todo mundo. Cada um mostra seu trabalho. Jesus vem fazendo um belíssimo trabalho, Sampaoli no Santos. Tem que dar os parabéns. Como outros treinadores brasileiros têm sucesso nos seus clubes. Não vejo lado de ciúmes. Não vejo por isso. Tem espaço para todo mundo. Quem é competente é competente, no futebol ou fora dele. A competência no trabalho mais cedo ou mais tarde vai aparecer – completou.

Globo Esporte

 

 

Renato é apresentado e afirma: “O Grêmio tem um bom grupo”

Foto: Adriano de Carvalho
Foto: Adriano de Carvalho

Renato está de volta a casa. O técnico gremista recebeu, das mãos do presidente Romildo Bolzan Júnior, a camiseta com o número 113 (alusivo ao aniversário do clube) e logo passou a responder às perguntas dos jornalistas. Apesar de recentes críticas à qualidade do grupo de jogadores, tratou de elogiar as peças que tem à disposição.

— O papel do treinador é sempre procurar fazer com que o time jogue bem em busca de vitórias. Tem muitos times que jogam bem e os resultados não aparecem. Um treinador, em um grande clube como o Grêmio, se não obtiver os resultados, infelizmente sobra para ele. O Grêmio tem um bom grupo, acho que merecia estar bem melhor colocado no Brasileirão — afirmou, antes de completar:

— Vou procurar contribuir, junto com o grupo, para que a gente comece a buscar as vitórias. O treinador, em grande clube, vive de vitórias. Faltam menos de três meses para acabar o ano. Não é porque está chegando o final do campeonato que não precisa correr, se doar. Se eles são pagos, é para trabalhar.

O treinador garantiu que tem se informado sobre a situação do Grêmio, mas afirmou que conversará com Roger para obter mais detalhes sobre o grupo de jogadores. Renato foi técnico de seu antecessor na casamata gremista quando comandou o Fluminense em 2007, ano em que Roger marcou o gol do título da Copa do Brasil para a equipe carioca.

No momento mais descontraído da apresentação, Renato foi questionado sobre trabalhar novamente com Espinosa, “o homem que lhe deu um título mundial”, segundo a descrição do repórter. De imediato, o novo técnico rebateu:

— Quem deu o título fui eu. Eu que corri no campo — afirmou, provocando gargalhadas e aplausos de conselheiros no auditório da Arena.

— Fora a brincadeira, o Espinosa sempre foi como um pai para mim — completou Renato.

Sobre seus planos para o Grêmio, Renato destacou que não pretende desperdiçar o entrosamento da equipe e ressaltou que a situação do time “não é tão ruim assim”. Fez questão, também, de defender o trabalho em sua passagem anterior pelo clube, em que montou uma equipe com bons resultados, mas criticada pela postura excessivamente defensiva:

— Eu era criticado por escalar três volantes, mas equipes com quatro, cinco atacantes, não chegaram nem perto dos resultados que o Grêmio conseguiu. O técnico tem de montar o time de acordo com o que tem à disposição,

Renato chega ao Grêmio para sua terceira passagem pelo clube como treinador. Na primeira, fez boa campanha no segundo semestre de 2010, levando a equipe à Libertadores. No ano seguinte, porém, os resultados não foram os mesmos e ele foi demitido. A segunda passagem foi em 2013, quando o ídolo comandou a campanha do vice-campeonato brasileiro.

Zero Hora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

À espera de Renato, Grêmio perde para o Flu e chega a 7º jogo sem vitória

jogoNo primeiro jogo sem Roger Machado, o Grêmio perdeu de novo. Neste domingo (18), à espera da oficialização do retorno de Renato Gaúcho, o time de Porto Alegre foi derrotado pelo Fluminense, em casa. A atuação foi pobre ofensivamente e fez o clube chegar a sete partidas sem vitória no Campeonato Brasileiro.

A última vitória foi em cima do Corinthians, por 3 a 0, em 14 de agosto. De lá para cá, cinco derrotas e dois empates. Como resultado da série, o Grêmio segue com 37 pontos.

Já o Fluminense chegou aos 40 pontos e segue sua perseguição ao G4. O time de Levir Culpi ainda quebrou o tabu de não vencer na Arena do Grêmio. Nas outras cinco partidas, o melhor resultado carioca foi empate.

Na próxima rodada, o Grêmio recebe a Chapeconese e o Fluminense visita o Corinthians, os dois jogos dono domingo (25), às 16h (Brasília). Os dois times, contudo, voltam a campo na quarta-feira (21), pela Copa do Brasil. O tricolor gaúcho encara o Atlético-PR e o tricolor carioca o Corinthians.

Scarpa estreia com a 10 e brilha

Gustavo Scarpa fez seu primeiro jogo com o número 10, antes ele usava a camisa 40, e justificou a novidade. Com uma bela arrancada e boa finalização, marcou o gol do jogo. Além disso, durante todo o duelo esbanjou técnica para ajudar o Fluminense nas raras vezes que pintou perto do gol.

Ramiro e Pedro Rocha erram muito e fracassam

Ramiro na direita e Pedro Rocha na esquerda, na linha de três armadores, foi a grande aposta do Grêmio. Só que os erros do primeiro afundaram o setor. Passes curtos e longos equivocados geraram vaias ainda no primeiro tempo. Já o atacante perdeu duas boas chances, em falha de domínio e conclusão, e também afetou a atuação coletiva.

Grêmio repete erros e virtudes

O Grêmio foi mais do mesmo. Com marcação alta, conseguiu ter o domínio do jogo e volume no primeiro tempo. Voltou a ter problemas para entrar na área do Fluminense, mas tentou compensar com finalizações de média e longa distância. A carência ofensiva, tanto para infiltrar como concluir, cobrou seu preço e estourou em uma defesa exposta. Na etapa final, a pressão não foi a mesma e o Grêmio passou a trocar passes sem objetividade.

Flu suporta pressão e é cirúrgico

Com linhas recuadas, o Fluminense soube segurar a pressão do Grêmio. A frente da área não ficou exposta e impôs dificuldade para o time gaúcho infiltrar. Além da segurança, foi efetivo. Ao roubar a bola na defesa, depois de erro de passe, deixou Scarpa em condições de marcar. E ele marcou, na única chance em todo o primeiro tempo.

Interino usa Ramiro e desloca Pedro Rocha

James Freitas manteve a filosofia de Roger Machado. Um time que tenta se impor em casa, com pressão e troca de passes. Uma equipe com circulação, volume. A grande novidade foi a escalação de Ramiro como meia pela direita. A escolha deslocou Pedro Rocha para esquerda e espetou Luan – compensando as baixas de Negueba e Bolaños.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 X 0 FLUMINENSE

Data e hora: 18/09/2016 (domingo), às 16h (Brasília)
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre
Público: 13.879 pessoas (12.136 pagantes)
Renda: R$ 383.424,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Edson Antonio de Sousa (GO)
Cartões amarelos: Edilson, Maicon, Geromel, Kannemann (GRE); Henrique Dourado, Wellington Silva, Pierre (FLU)
Gol: Gustavo Scarpa, aos 39 minutos do primeiro tempo (FLU)

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edilson, Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Ramiro (Henrique Almeida), Douglas (Batista) e Pedro Rocha (Guilherme); Luan
Técnico: James Freitas

FLUMINENSE: Júlio César; Wellington Silva, Henrique, Gum e Giovanni; Pierre, Cícero, Gustavo Scarpa, Marcos Jr. (Richarlison) e Wellington (Edson); Henrique Dourado (Marquinho)
Técnico: Levir Culpi

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Ney, Renato, Tite… Flu corre para acertar com técnico nesta semana

(Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Vitória)
(Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Vitória)

Com a contratação de Felipe Ximenes para comandar o departamento de futebol das Laranjeiras, o Fluminense volta suas atenções para o substituto do técnico Dorival Júnior. Após o julgamento que puniu Portuguesa e Flamengo com aperda de quatro pontos no Campeonato Brasileiro, e acabou beneficiando o Tricolor com a permanência na Série A (ainda cabe recurso), os dirigentes puderam focar apenas na reformulação da equipe para a temporada 2014. E o objetivo principal do momento é anunciar o novo treinador ainda nessa semana. Os principais nomes na disputa são Ney Franco, atualmente no Vitória, e Renato Gaúcho, ex-Grêmio. Tite corre por fora.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Renato, como de costume, é o desejo de Celso Barros, presidente da patrocinadora do clube. O mandatário da Unimed tenta impor a contratação do comandante do Fluminense na campanha do vice-campeonato da Libertadores de 2008, mas a diretoria é contra. Ximenes e o presidente Peter Siemsen preferem Ney Franco, que tem contrato com o Vitória até dezembro de 2014. Tite, que recentemente deixou o Corinthians, também é uma opção.

O enredo é parecido com o que foi visto nas Laranjeiras após a demissão de Abel em julho passado. Daquela vez, no entanto, a diretoria aceitou a contratação de Vanderlei Luxemburgo por imposição de Celso e se arrependeu. Coincidentemente, Ney Franco também era uma das opções naquela ocasião. Agora, a diretoria cogita acertar com Ney mesmo sem a participação do patrocinador no pagamento do salário. A contratação de Ximenes, que assinou por dois anos, foi feita nesse molde.

– Não podemos e não queremos correr riscos em 2014. O Fluminense vai ser fiscalizado a cada metro depois do erro da Portuguesa e da possível volta à Série A. Precisamos de uma equipe que se entenda e seja competente – resumiu uma pessoa ligada à diretoria tricolor.

Só após a contratação do novo treinador é que a reformulação do elenco será realizada. No entanto, é praticamente certo que os jogadores que ficam sem contrato no fim de dezembro serão liberados: caso do zagueiro Anderson, do volante Edinho, do meia Felipe e do atacante Marcelinho. Rhayner, por exemplo, deixou o clube antes mesmo do fim do Brasileirão.

 

Globoesporte.com

O retorno de Renato: camisa 11 faz dois e dá vitória ao Fla sobre o Olaria

A camisa 11 do Flamengo voltou a brilhar na noite deste sábado, mas desta vez não foi com Rafinha. Como não há numeração fixa neste início de temporada, o novo xodó da torcida cedeu o número que vinha usando para Renato, o antigo dono. De volta ao time titular na vaga de Elias, o meia retornou inspirado e, em lances de bola parada, fez os dois gols da vitória por 2 a 0 sobre o Olaria, em Volta Redonda. O primeiro teve assistência de Carlos Eduardo, que cobrou falta em direção à área – e se mostrou melhor fisicamente em seu segundo jogo. O outro saiu em uma bela cobrança de falta, com muito efeito.

A partida, que nada valia para o Flamengo em termos de classificação, teve a estreia de Gabriel e Alex Silva. Ambos entraram no segundo tempo para atuar diante de 4.712 pagantes (6.653 presentes) no Raulino de Oliveira – a renda foi de R$ 60.840. O meia-atacante, que passou por um longo trabalho de reforço muscular, movimentou-se bastante, mas não teve chance de gol. Já o zagueiro, de volta ao clube depois de passar por uma séria lesão no Cruzeiro, jogou ao lado de Wallace, mas ainda demonstra falta de ritmo e entrosamento.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

– A gente consegue corresponder àquilo que o treinador pede. E, ainda mais com dois gols, é maravilhoso. Sei que o Elias vai voltar à equipe. Acho que dá (para jogar junto com Elias), mas o técnico é que sabe a melhor formação para a equipe. Se puder jogar 90 minutos, ou 15 minutos, ou dar uma palavra no vestiário, quero ajudar. Pude contribuir e fico feliz. Sei que posso sempre dar mais. É bom saber que, quando entra, pode corresponder – comemorou Renato.

Já classificado com a melhor campanha do turno para a semifinal da Taça Guanabara, o Flamengo chegou a 22 pontos e agora aguarda a conclusão da rodada neste domingo para saber seu adversário no mata-mata. O Olaria, por sua vez, é o oposto do Rubro-Negro até agora: tem a pior campanha entre os 16 participantes Soma três pontos e terá o segundo turno para lutar contra o risco de rebaixamento. O primeiro adversário na Taça Rio será o Madureira, no dia 17 de março, às 16h (de Brasília), na Rua Bariri.

– Ainda temos sete jogos. Vamos agora para uma intertemporada com o professor Luiz Antônio. Perdemos o jogo com duas bolas paradas. Tivemos chances de empatar, mas perdemos as oportunidades – observou Calisto, ex-Vasco, lateral-esquerdo do Olaria.

Renato Abreu comemora gol do Flamengo sobre o Olaria (Foto: Ernesto Carriço/Agência Estado)Renato teve seu nome gritado pela torcida e uma noite de herói (Foto: Ernesto Carriço/Agência Estado)

Renato assume papel de Rafinha, tem nome gritado e vira destaque

A troca dos números não confundiu a torcida, que ovacionou o camisa 8 Rafinha logo em seu primeiro toqure na bola. Arisco como de costume, o atacante caiu pelos dois lados do campo, tabelou, mas sofreu com uma marcação mais forte, principalmente do lateral-esquerdo Calisto. Em compensação, sobrava mais espaço para Carlos Eduardo. Melhor fisicamente, o meia-atacante voltava para marcar no campo de defesa e apertava a saída de bola dos zagueiros adversários. Em uma delas, aproveitou falha de Cleberson e arriscou seu primeiro chute, defendido por Moreno.

Se na finalização o meia-atacante não teve sucesso, ele mostrou qualidade no passe. Aos 21 minutos, cobrou falta e cruzou na medida para Renato cabecear por baixo do goleiro, abrindo o placar numa conclusão atípica do camisa 11. Três minutos depois, o meia repetiu a dose, mas agora em sua especialidade: a cobrança de falta. Relembrando os velhos tempos, teve o nome gritado pela torcida, soltou uma pancada e colocou a bola no ângulo esquerdo de Moreno. O goleiro, que com a exceção dos dois gols não foi muito exigido no primeiro tempo, impediu a única chance que teve o artilheiro Hernane no jogo, na pequena área, após tabela de calcanhar de Rafinha e João Paulo.

Carlos Eduardo, Flamengo x Olaria (Foto: Alexandre Vidal/Fla Imagem)Em seu segundo jogo, CE10 foi melhor e deu uma assistência (Foto: Alexandre Vidal/Fla Imagem)

Olaria para em Felipe e na trave. Gabriel e Alex Silva estreiam

O Flamengo voltou do intervalo com Alex Silva no lugar de González, promovendo a reestreia do zagueiro que voltou ao clube para esta temporada. O Olaria retornou com mudança de postura e aproveitou o desentrosamento da zaga do Fla. A equipe, que na etapa inicial teve oportunidade de marcar apenas num chute de Leozinho – que Felipe defendeu com o pé – e numa finalização com perigo de Waldir para fora, criou duas chances claras logo de início. E sempre nas costas de João Paulo, que dava espaços na marcação. Sorte do lateral que Felipe estava inspirado. O goleiro fez uma defesa incrível no chute de Lenine, no cantinho da trave, e saiu no abafa para dividir com Leozinho no mano a mano e salvar o Fla.

O Rubro-Negro demorou 15 minutos para acordar. Em dois chutes cruzados de Rafinha e Ibson, da direita, quase saiu o terceiro gol. Dorival, então, promoveu a estreia de Gabriel no lugar de um já exausto Carlos Eduardo. E logo depois colocou Igor Sartori na vaga de um apagado Hernane. A nova dupla de ataque aumentou a movimentação, mas com poucas chances de conclusão. A bola parada continuou sendo a melhor arma do Fla, mas Moreno impediu que Renato fizesse o seu terceiro. O Olaria, que ainda viu um cruzamento de Emílio carimbar a trave direita de Felipe, já não tinha mais forças para nada.

 

 

Globoesporte.com

Apresentado, Renato Augusto mira Paulistão para retomar ritmo de jogo

Horas depois de participar de seu primeiro treino com a camisa do Corinthians, o meia Renato Augusto foi apresentado à imprensa no fim da tarde desta terça-feira, no CT Joaquim Grava, e mostrou ânimo com o novo desafio na carreira. Ao lado do diretor de futebol Roberto de Andrade, o jogador vestiu a camisa de seu novo clube – ainda sem número – e mostrou uma postura séria e decidida, de quem pretende se readaptar logo ao futebol brasileiro.

Aos 24 anos, ele vem de uma passagem pelo Bayer Leverkusen e custou 3,5 milhões de euros (R$ 9,4 milhões) aos cofres alvinegros. Mesmo vindo de recentes lesões, ele se diz muito próximo da forma física ideal.

Renato Augusto coletiva Corinthians (Foto: Mauro Horita / Ag. Estado)Renato Augusto, em sua apresentação no CT do Corinthians (Foto: Mauro Horita / Ag. Estado)

– Estou bem perto da minha forma física ideal, pelos testes que fiz, acredito que estou bem. Ainda preciso ser lapidado, mas acredito que dentro de pouco tempo estarei pronto – disse o reforço corintiano.

– Fisicamente, estou muito bem. Já conversei com a parte médica para fazer um trabalho especial para não ter lesões. Espero que esse casamento dê certo – completou.

Renato Augusto vai trabalhar com um grupo intermediário de jogadores, que foi convocado para o Mundial de Clubes, no Japão, mas não atuou. Esses atletas se apresentaram na segunda-feira e formam a base que vai começar o Campeonato Paulista. O meia quer disputar o estadual para completar seu processo de preparação para o objetivo principal: a Taça Libertadores.

– Minha estreia depende da comissão técnica. Estou precisando de ritmo de jogo, pois vim de alguns problemas no fim da temporada passada na Alemanha. Espero ter a chance de jogar para pegar esse ritmo e ficar pronto para a Libertadores – explicou Renato Augusto.

– Gostei muito daqui, apesar de ainda não estar o elenco inteiro, já vi um time que tem qualidade. Sobre a estrutura não preciso falar, é excelente – completou.

Renato Augusto foi o primeiro reforço apresentado para a atual temporada. Além dele, o Timão já acertou com o atacante Alexandre Pato, que chega até o fim da semana, e está perto de fechar com o zagueiro Gil, do Valenciennes, da França. A princípio, esses três jogadores devem fechar o elenco para este primeiro momento da temporada. O zagueiro Dedé, do Vasco, também voltou à mira do Corinthians.

Renato Augusto no treino do Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)Renato Augusto deixou boa impressão nos primeiros treinos (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)
Globoesporte.com

Renato Augusto se despede e chega na sexta para assinar com o Timão

 

despedida de Renato Augusto, do Bayer Leverkusen (Foto: Reprodução / Instagram)Renato augusto postou fotos do Instagram
(Foto: Reprodução / Instagram)

O meia Renato Augusto se despediu do Bayer Leverkusen, da Alemanha, neste sábado, e chega ao Brasil na próxima sexta-feira para assinar contrato com o Corinthians. Ele disputou seu último jogo pelo clube alemão contra o Hamburgo. Entrou no segundo tempo da vitória por 3 a 0 e foi às lágrimas com a homenagem que recebeu.[bb]

A torcida do Bayer iluminou o estádio com isqueiros. Os outros jogadores o pegaram no colo e o jogaram para cima.

– Foi uma das maiores emoções da minha vida. Uma despedida inesquevícel. Estou sem palavras – escreveu o jogador em sua página no Facebook.

O Corinthians está investindo cerca de € 4 milhões (cerca de R$ 11 milhões) por 50% dos direitos do meio-campista de 24 anos. As partes conversam desde outubro. Sem espaço no clube alemão no início da temporada, ele concordou com a ideia de voltar ao Brasil para aparecer mais. No ano passado, chegou a ser convocado pelo técnico Mano Menezes para a Seleção Brasileira, mas não se firmou em virtude de seguidos problemas físicos.

Revelado nas categorias de base do Flamengo, Renato Augusto chega para brigar diretamente com Danilo e Douglas por uma vaga na armação.

despedida de Renato Augusto, do Bayer Leverkusen (Foto: Divulgação)Meia vai às lágrimas com homenagem que recebeu em sua despedida (Foto: Divulgação)
Globoesporte.com