Arquivo da tag: reivindica

Deputado Chió reivindica instalação de câmeras de segurança no Brejo, Curimataú e Seridó

O deputado Estadual Chió (REDE) reivindicou a ampliação do Sistema de Monitoramento de Segurança do Estado, com a instalação de câmeras de segurança nas regiões do Brejo, Curimataú e Seridó.

De acordo com o parlamentar, recentemente o governador João Azevedo (PSB) anunciou a instalação de 1.500 câmeras de segurança, através de um Sistema de Monitoramento com Centros Integrados de Comando e Controle (CICC), junto a Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, nas cidades de João Pessoa, Campina Grande e Patos.

“Através de requerimento, solicitei ao Estado que essas câmeras de segurança chegassem também ao Brejo, Curimataú e Seridó. Que o monitorando eletrônico e todo esse trabalho de inteligência contemplasse de Picuí a Juarez Távora, de Lagoa Seca a Bananeiras, tanto nas entradas, saídas, e dentro dos Municípios”, solicitou Chió.

O deputado destacou ainda, a necessidade de um monitoramento eletrônico na PB 079, PB 105 e BR 104. “O governo anunciou tecnologia de última geração para monitoramento em longo alcance. Esse recurso contra o crime precisa chegar o mais rápido possível a toda Paraíba”, completou o deputado.

Fonte: Ascom Dep. Estadual Chió (REDE)

 

 

Tovar reivindica ramal da Ferrovia Transnordestina para a Paraíba

TovarO deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB), apresentou requerimento na Assembleia Legislativa da Paraíba, que faz apelo aos Deputados Federais e Senadores da Paraíba, no sentido de incluírem na pauta de reivindicações ao Governo Federal um ramal da ferrovia Transnordestina para atender a Paraíba.

Iniciada em 2006 e prevista, à época, para ser finalizada em 2010, a ferrovia Transnordestina está com aproximadamente 50% das obras concluídas. A expectativa atual é que o restante seja executado até o fim de 2016, com a inauguração de todos os trechos da obra rodoviária, a qual ligará a cidade de Eliseu Martins, no sertão do Piauí, aos portos de Pecém, no Ceará, e Suape, em Pernambuco.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Tovar comentou que a obra que estava praticamente paralisada. Esperada pelo setor produtivo cearense, que aguarda soluções para gargalos ligados à logística, a ferrovia terá 1.753km e vai passar por 29 municípios no Ceará, 19 no Piauí e 35 em Pernambuco.

“A Paraíba não pode ficar de fora da Transnordestina, visto que o projeto vai trazer sustentabilidade ao estado e o desenvolvimento de nossa economia. Será o vetor estruturante e logístico que trará desenvolvimento do Nordeste, e, particularmente para a Paraíba”. Justificou Tovar.

 iParaiba com Ascom

PSB reivindica direito “exclusivo” de decidir sobre substituto de Campos

roberto amaralUm dia depois da morte do candidato à Presidência da República e presidente do PSB, Eduardo Campos, o Partido Socialista Brasileiro divulgou um comunicado oficial no qual ressalta que a decisão a respeito do processo político-eleitoral será tomada pela direção pessebista de acordo com seus critérios. Este direito é do partido, conforme determina a Justiça Eleitoral.

“A direção do PSB tomará, quando julgar oportuno, e ao seu exclusivo critério, as decisões pertinentes à condução do processo político-eleitoral”, diz o texto.

O comunicado, que começa falando em “luto pela trágica morte de seu presidente nacional”, é assinado por Roberto Amaral. O ex-ministro da Ciência e Tecnologia [e colunista do site de CartaCapital] era até então vice-presidente da legenda, mas assina a carta se firmando como novo “presidente nacional do PSB”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Além de frisar a posição já assumida dentro da direção da legenda, Amaral deixa claro no texto que o PSB é quem decidirá se a vice de Campos, Marina Silva, deverá ou não ser a nova candidata à Presidência pelo partido. Nesta quinta-feira 14, os cinco partidos coligados ao PSB na chapa “Muda Brasil”,PPS, PHS, PSL, PPL e PRP, declararam apoio a Marina como substituta de Campos na disputa eleitoral. Além disso, o advogado Antonio Campos, irmão de Eduardo Campos, também disse que batalhará pela candidatura de Marina.

O comunicado divulgado pelo PSB deixa ainda mais evidente a disputa dentro do próprio partido e, principalmente, o desafio de Marina Silva em conciliar seus interesses com os da máquina do PSB. Líder da Rede Sustentabilidade, um partido ainda não fundado oficialmente e alojado dentro do PSB, Marina enfrenta muitas resistências dentro da sigla. Sua tarefa, ao que parece, não será nada simples.

 

CartaCapital

MST ocupa quatro agências da Caixa Econômica na PB; Movimento reivindica 5 mil casas no estado

mstO Movimento dos Sem Terra (MST) está ocupando quatro agências da Caixa Econômica Federal na Paraíba. A ação acontece também em outras regiões do país. A idéia é pressionar o Governo Federal para que libere verbas para a construção de casas de movimentos sócias. Entre os movimentos envolvidos estão o próprio MST, Quilombolas, Indígenas, Movimento de Ação Popular (MAP), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), entre outros.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

As cidades do estado que estão sofrendo ação do MST nesta sexta-feira (25) são João Pessoa, Esperança, Patos e Souza. Segundo informações de Augusto Arimateia Lima, coordenador do MST na Paraíba, 500 pessoas estão ocupando a agência da Capital, 600 em Souza e 300 pessoas em Patos e Esperança.

 

“Reivindicamos mais de 5 mil casas em reforma e construção na Paraíba pelo programa Minha Casa, Minha Vida”, explicou Lima, lembrando que na última ocupação em maio ficou definido que a União iria fazer o aporte financeiro para as construções, mas nada foi feito até o momento. “Não avançou nada e nenhuma casa foi construída. Desde o último acordo, já protocolamos todos os projetos em assentamentos para que pudessem começar as construções”, desabafa.

 

Ainda segundo o MST, em todo estado da Paraíba são mais de 360 assentamentos e a solicitação para construção das casas foi feito há cinco anos em audiência entre a Caixa e o Instituto Nacional da Colonização e Reforma Agrária (Incra).

 

 

Questionado a quê se atribuía a demora para a liberação das verbas, Lima apontou: “A demora é atribuída à burocratização do programa, que a cada semana cria novas normas. O Governo Federal aprovou 40 mil casas para serem construídas para os movimentos sociais em todo o Brasil, dessas aprovadas só há verbas para 20 mil. Na Paraíba estão previstas a construção de 600 casas, enquanto reivindicamos 5 mil. Mas esse dinheiro (para as 600 casas) nem chegou na Caixa econômica da Paraíba”, argumentou.

 

Sobre até quando o movimento deve manter a ocupação, o coordenador garante: “Vamos ficar até quando chegarem os recursos”.

 

Paulo Dantas