Arquivo da tag: regalias

Em postagem, filho de Cássio defende terceirização: “Não adianta ter as regalias na Lei, se não vira realidade”

pedro cunha limaA Câmara aprovou na noite de ontem (22) o projeto de lei que permite às empresas a terceirização de todas suas atividades. Nove paraibanos estavam presentes e votaram. Dentre um dos cinco Deputados Federais da Paraíba que votaram favoravelmente, estava o filho do Senador Cássio Cunha Lima, o tucano Pedro Cunha Lima que usou suas redes sociais para mandar um recado aos trabalhadores: “Não adianta ter as regalias na Lei, se na pratica não vira realidade. Prefiro o risco da mudança, do que deixar tudo como está”, disse.

A modificação na lei, uma das prioridades do governo Michel Temer (PMDB), foi confirmada com a aprovação do relatório do deputado Laercio Oliveira (SD-SE), que apresentou parecer favorável ao projeto. A aprovação foi por 231 votos a favor e 188 contra. Após a votação numa reposta ao amigo de Pedro @AdrianoBustorff o parlamentar tucano disse: “A Lei reivindica direitos. A economia viabiliza. Não adianta ter todas as regalias na Lei, se na prática não vira realidade. Uma votação complexa, mas prefiro o risco da mudança do que deixar tudo como está. Não tá funcionando assim”, disse Pedro em resposta ao amigo.

Apenas PT, PDT, PCdoB, PSOL, Rede e PMB orientaram voto contra a terceirização total. Todos os partidos da base aliada de Temer votaram a favor do texto. Porém, mesmo com orientação para aprovar, Veneziano Vital (PMDB) e Wilson Filho (PTB) votaram contra. Hugo Motta (PMDB), Wellington Roberto (PR) e Efraim Filho (DEM) não votaram.

O deputado federal Benjamin Maranhão (SD) foi outro que também se acostou favorável ao projeto.  Benjamin explicou que a matéria já tinha sido votado isso na Câmara.

“É um projeto que não fala em retirada de direito de ninguém, pelo contrário, não mexe em nada com a CLT. Apenas está regulamentando uma situação que já existe no Brasil. Temos quase 15 milhões de trabalhadores terceirizados que não têm direito nenhum e com esse projeto, permanece a responsabilidade subsidiária da empresa que contrata, como também cria uma série de exigências, entre elas, a necessidade de haver um fundo para o pagamento das verbas indenizatórias dos funcionários, bem como a questão previdenciária”, disse. De acordo com o deputado, o projeto estabelece também que a empresa tem que dar o mesmo tratamento de alimentação, transporte, saúde, de segurança do trabalho ao terceirizado. “Como já falei, é um projeto que apenas regulariza uma situação de milhares de trabalhadores brasileiros”, destacou.

Veja a lista:

Votaram a favor da terceirização total

Aguinaldo Ribeiro PP

Benjamin Maranhão SDD

André Amaral PMDB

Rômulo Gouveia PSD

Pedro Cunha Lima PSDB

Votaram contra a terceirização total

Luiz Couto PT

Veneziano Vital do Rêgo PMDB

Damião Feliciano PDT

Wilson Filho PTB

PB Agora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Fim de regalias motivou rebeliões, diz secretário

Inaê Telles/G1
Inaê Telles/G1

O secretário de Administração Penitenciária, Wallber Virgolino, declarou ontem que as rebeliões ocorridas na última segunda-feira na Penitenciária Flósculo da Nóbrega, o presídio do Róger, em João Pessoa, e no Presídio João Bosco Carneiro, em Guarabira, não teriam ligações. No entanto, conforme o secretário, o conflito ocorrido durante a manhã no presídio da capital, pode ter estimulado uma reação ocorrida horas mais tarde entre os detentos da penitenciária do Brejo. O choque de gestões nos comandos das unidades e a consequente retirada de “regalias” também foram motivos apontados por Wallber Virgolino.

Dois detentos morreram em decorrência de ferimentos durante o tumulto nos dois presídios. Segundo o secretario, as vítimas foram atingidas por espetos e golpes de estilete e não teriam sido vítimas das ações de policiais durante o processo de contenção do conflito.

O secretário revelou, ainda, que pretende apurar se houve conspiração entre os diretores que saíram recentemente. Até a manhã de ontem, com a situação controlada, a polícia realizou uma operação pente-fino no presídio do Róger e conseguiu localizar mais de 100 espetos, 50 aparelhos de celular e ainda aproximadamente 1 quilo de droga, entre maconha e crack. Os números da operação em Guarabira não foram divulgados, mas a Polícia Militar informou que foram encontrados diversos aparelhos e baterias de celular, espetos, facas artesanais e pequenas quantidades de droga.

“No Róger, ainda existem as brigas entre gangues rivais, um conflito que gerou o princípio de tumulto. Em Guarabira, não existem as facções, apenas os conflitos entre bairros, o que também provoca confusão entre os presos. Lá também constatamos que havia presos com televisão de plasma e TV a cabo, uma regalia que foi tirada”, explicou Wallber Virgolino.

TRANSFERÊNCIA
A Secretaria de Estado da Administração Penitenciária informou, através da assessoria, que cerca de dez homens foram transferidos ontem do Presídio do Róger para outras unidades prisionais. Detalhes sobre a operação só vão ser informados hoje, através de nota oficial divulgada pela secretaria.

 

 

jornaldaparaiba.