Arquivo da tag: recorrer

Estado diz que vai recorrer da decisão judicial que manda reabrir sete delegacias de JP

reuniãoO Governo do Estado informou nessa sexta-feira (29) que vai recorrer da decisão da justiça que mandou reabrir sete delegacias que estavam fechadas durante plantões em João Pessoa.

O secretário de Comunicação do Estado, Luis Torres, disse que “a PGE recorrerá face à impossibilidade e a inadequação administrativa e técnica de se cumprir a decisão do jeito que a sentença impõe”. A informação consta na coluna do jornalista Heron Cid, publicada no jornal Correio da Paraíba deste sábado (30).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com a decisão do juiz Antônio Carneiro, 1ª DD, 2ªDD, 3ªDD, 4ªDD, 8ªDD, 10ªDD e 11ªDD devem ser reabertas no período noturno e também nos fins de semana e feriados.

 

portalcorreio

RC diz que não tem como demitir servidores e avisa que vai recorrer para manter codificados

ricardo-coutinhoO governador  Ricardo Coutinho disse nesta sexta-feira (30) que vai recorrer à Justiça para não demitir os mais de 7 mil codificados na área da saúde. A deterninação partiu do Tribunal de Contas do Estado ao negar um recurso de apelação do governo do Estado.

O TCE deu prazo de 120 dias para o restabelecimento da legalidade, através da admissão de pessoal pela regra do concurso público, e por excepcional interesse público nas hipóteses previstas em lei. Além disso, foi fixado prazo de 30 dias para o secretário de Estado da Saúde, Waldson de Souza, disponibilizar no Sagres a relação dos servidores ‘codificados’ ou sem vínculo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Com isso, será possível para o tribunal, inclusive, verificar se esses servidores estão relacionados na despesade pessoal para fins de contabilização para o limite previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal de despesas com folha de pessoal.

O governador Ricardo Coutinho disse que sem os codificados o Estado não tem como manter aberto os hospitais. “Respeito a posição do Tribunal de Contas, mas dentro do estado democrático de direito nós temos a condição de recorrer ao Poder Judiciário para manter os empregos e manter o funcionamento dos hospitais”.


pbagora com JP Online

Ricardo anuncia que estado irá recorrer contra redução de bancada, mas alfineta Assembleia Legislativa

ricardoO governador Ricardo Coutinho (PSB) anunciou em entrevista ao programa ‘Paraíba Verdade’, da Arapuan FM, que o governo do estado irá recorrer contra a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que decidiu reduzir a bancada paraibana na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa.

“Isso é muito ruim para a democracia. O estado da Paraíba está recorrendo novamente, através da Procuradoria, para garantir a quantidade de representação”, disse.

Apesar de manifestar interesse em manter a bancada paraibana com 12 deputados federais e 36 deputados estaduais, o governador não deixou de alfinetar os parlamentares ao afirmar que a qualidade dos parlamentares fica a critério da população.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ricardo Coutinho se mostrou indignado com o comportamento dos parlamentares da atual legislatura ao dizer que os deputados fazem oposição ao povo da Paraíba e não a ele. “A Assembleia deveria estar discutindo as ampliações dos aeroportos de João Pessoa e de Campina Grande, acompanhando o processo de industrialização do estado, mas preferem fazer a política menor”, alfinetou.

O chefe do executivo estadual também voltou a afirmar que é ‘vacinado’ contra as pesquisas eleitorais manipuladas e assegurou que existe uma ‘distância falsa’ entre o índice de aprovação de seu governo e o índice de intenções de voto.

Ele ainda classificou de ‘mesquinhez’ as declarações de políticos paraibanos contra a intenção do estado de promover o ‘Circuito do Forró’, em Campina Grande. “O São João de Campina é tão grande para mentalidades tão pequenas e ele não precisa ser compreendido com algo que não é propriedade de alguém, de algum grupo. Estamos oferecendo uma alternativa antes de começar o Parque do Povo em seis bairros com as melhores atrações que serão anunciadas por Chico Cesar e Rômulo Gouveia. Quem em sã consciência pode dizer que isso prejudica o maior São João do mundo, isso é uma visão oligárquica de posse sobre as coisas e que precisa acabar no estado”.

 

blogdogordinho

 

Congresso vai recorrer ao STF contra decisão do TSE que alterou bancadas

tabela-camara_1O presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou nesta quarta-feira (28) que entrará com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar derrubar a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de alterar o número de deputados em 13 estados brasileiros.

Em sessão desta terça (27), os ministros do TSE decidiram por unanimidade ratificar resolução de 2013 que altera o tamanho das bancadas na Câmara dos Deputados já para as eleições de outubro deste ano. A medida foi confirmada pelo tribunal mesmo após os congressistas terem aprovado, em novembro do ano passado, projeto de decreto legislativo que anulava a decisão anterior do TSE.

Segundo Renan, após aprovação das Mesas Diretoras da Câmara e do Senado, será protocolada no STF uma Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC) com o objetivo de validar o decreto legislativo e manter o número atual de deputados federais. Para o presidente do Congresso, a decisão do TSE é uma “usurpação” das prerrogativas do Congresso e “amplia a insegurança do processo político”.

“Vamos entrar com uma Ação Declaratória de constitucionalidade. Há uma clara usurpação da competência do congresso. A democracia perde com isso e é importante que tenhamos reação proporcional. Essas coisas apequenam”, enfatizou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Renan Calheiros afirmou que se reunirá nesta quarta com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), para discutir o assunto, mas destacou que a “decisão política” de recorrer da posição do TSE está tomada.

“É uma intromissão indevida, usurpação de competência. Só por lei complementar você pode refazer a decisão política do Congresso Nacional. Alagoas perde um deputado, mas mesmo se ganhasse o TSE estaria usurpando a competência do Congresso Nacional”, disse.

Mais cedo nesta quarta, o presidente da Câmara também criticou a decisão do TSE e reclamou da falta de “diálogo” da Justiça eleitoral com o Legislativo. “Uma medida dessa, se tivesse sido conversada antes conosco, [com a possibilidade de] abrir um diálogo… Mas tomada assim, de repente, sem ter nenhuma noção do que aconteceria, uma decisão por unanimidade do Congresso Nacional cria realmente um mal-estar”, disse Alves.

Novo cálculo
O novo cálculo do número de deputados federais de cada unidade da federação foi feito com base em dados do Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A última alteração nas bancadas federais, que estabeleceu o total de 513 cadeiras na Câmara, havia ocorrido em 1993.

Pela resolução do TSE, os estados de Alagoas, Espírito Santo, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul perderão uma cadeira na Câmara dos Deputados. Já Paraíba e Piauí perderão dois deputados.

Por outro lado, Amazonas e Santa Catarina irão ganhar mais uma cadeira no parlamento. Ceará e Minas Gerais passarão a ter mais dois deputados. O Pará foi o maior beneficiado pela mudança nas regras: o estado do Norte irá aumentar sua representação de 17 para 21 deputados. O estado de São Paulo continuará com 70 cadeiras.

G1

 

Farmacêutico poderá prescrever remédio que não exige receita médica; CFM vai recorrer

remedioO Conselho Federal de Farmácia (CFF) publicou resolução nessa quarta-feira (25) que permite ao profissional prescrever medicamentos que não necessitam de receita médica, como analgésicos e antitérmicos. De acordo com o conselho, a regulamentação será publicada nesta quinta (26). O farmacêutico poderá dar uma receita ao paciente orientando-o sobre qual remédio deve usar, a partir dos sintomas relatados, como febre, dor de cabeça e cólica. O Conselho Federal de Medicina (CFM) anunciou que vai questionar a medida na Justiça.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Prescrever, conforme legislação específica, no âmbito de sua competência profissional”, diz a resolução publicada nessa quarta. Segundo Walter Jorge João, presidente do CFF, a medida é um avanço para a população, que em vez de ir comprar o medicamento sem nenhuma orientação vai contar com a ajuda de um profissional, que também será responsabilizado pelas consequências de uma prescrição inadequada.

A resolução publicada nesta quarta reforça o papel do farmacêutico nos cuidados à saúde do paciente, determinando que é função desse profissional participar de discussões de casos clínicos “de forma integrada com os demais membros da equipe de saúde” e analisar a prescrição de medicamentos nos aspectos legais e técnicos. A regulamentação, que será divulgada amanhã, prevê ainda que o farmacêutico poderá renovar a receita médica para pacientes da rede pública em situações específicas, como aqueles com doenças crônicas que precisam de medicação de uso contínuo. Esse dispositivo dependerá de regras e normas definidas pelo Ministério da Saúde.

Em nota, o CFM alega que os farmacêuticos não têm a autorização legal para receitar remédios. Na avaliação dos médicos, apesar de aparentemente simples, uma dor de cabeça pode ser o sintoma de um problema mais grave, como um acidente vascular cerebral, e portanto, é mais seguro que o paciente seja atendido por um médico.

Sobre renovação de receita médica, o CFM defende que o procedimento deve ocorrer somente após uma conversa entre médico e paciente, quando o médico saberá se o remédio, indicado em um momento anterior, pode ser interrompido, ter a dosagem alterada ou seguir com a prescrição inicial.

Para alguns conselheiros do CFM, a resolução do CFF incentivará a automedicação, pois leva o doente a não procurar o médico, resolvendo os sintomas no balcão da farmácia, sem procurar saber as causas.

A entidade médica citou, na nota, pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisa e Pós-Graduação no Mercado Farmacêutico mostra que 61% dos entrevistados discordaram da possibilidade de farmacêuticos receitarem remédios e 58% não confiam em prescrições feitas por farmacêuticos.

O levantamento, feito de 5 a 10 de agosto deste ano, entrevistou 2.560 pessoas, 53% mulheres e 47% homens, maiores de 18 anos, em Aracaju, Brasília, Belo Horizonte, Campo Grande, Curitiba, Florianópolis, Goiânia, João Pessoa, Maceió, Manaus, Porto Alegre, Salvador, São Paulo, no Recife e Rio de Janeiro.

 

 

Agência Brasil

Advogados vão recorrer ao TSE na tentativa de tirar Anderson Monteiro da prefeitura de Esperança

carlos fabioOs advogados que atuam na defesa do candidato Nilber Almeida (PSB), que ficou em segundo lugar nas eleições em Esperança, irão recorrer da decisão do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) que, nessa quinta-feira (14), deferiu o registro de candidatura do primeiro colocado, Anderson Monteiro, e determinou a sua posse imediata a frente da prefeitura do município. Antes de julgar o deferimento da candidatura, a Corte julgou e anulou o processo que gerou a inelegibilidade de Anderson.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Carlos Fábio Ismael, um dos advogados que atuam no caso em defesa de Nilber, disse que cabem recursos nos dois processos que foram julgados pelo TRE. Segundo ele, houve confusão e contradições nos dois casos que foram apreciados.

 

– É por isso que pedi que os acórdãos fossem disponibilizados. Vou pegar a certidão de julgamento e vê o que posso fazer até a segunda-feira – revelou. Para Carlos Fábio, as decisões tomadas pelo TRE-PB no julgamento de ontem vão contra ao que determina a Lei da Ficha Limpa e apresenta uma série de fragilidades processuais passíveis de anulação.

Fonte: NICE ALMEIDA, COM INFORMAÇÕES DO JORNAL CORREIO

Candidatos a prefeito de Esperança vão recorrer ao TRE-PB para evitar novas eleições

Os candidatos a prefeito que disputaram às eleições municipais 2012 em Esperança-PB não concordaram com a decisão da juíza titular da 19ª Zona Eleitoral, Laua Yamaoka Mariz Maia Pitanga, que indeferiu o registro dos dois candidatos e determinou a realização de um novo pleito na localidade em 40 dias. Em contato com a nossa reportagem nesta manhã, eles garantiram que vão recorrer da decisão junto ao Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) ao longo desta semana.

O deputado estadual Arnaldo Monteiro (PSC), que é pai do prefeito eleito de Esperança Anderson Monteiro, com 50,93% dos votos, disse que até respeita a decisão da juíza local, mas que ainda esta semana vai recorrer da decisão em primeira instância, que indefere a candidatura de seu filho e determina a realização de novas eleições na localidade.

“Respeito a decisão da juíza, mas estamos no nosso direito e nossa assessoria jurídica vai recorrer junto ao Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba até a próxima quarta-feira pedindo uma reformulação dessa sentença, visto que não há necessidade de haver novas eleições, porque é o resultado do pleito foi a real vontade da população de Esperança”, afirmou ele.

O assessor jurídico, Wanderson Azevedo, do atual gestor da cidade de Esperança, Nobinho Almeida (PSB) e do seu sobrinho, Nilber Almeida, segundo colocado no pleito com 49,07% dos votos, afirmou que eles também não concordam com a realização de novas eleições na cidade e que também vão recorrer no TRE-PB da decisão da juíza já nesta terça-feira (20).

“Vamos recorrer em segunda instância pedindo a reformulação da sentença da juíza local por três razões. A primeira é porque no nosso entendimento o candidato adversário teve sua candidatura indeferida por está enquadrado na Lei da Ficha Limpa. A segunda razão se dá porque não há necessidade de realização de um novo pleito, pois nosso candidato teve votação expressiva, e precisa apenas ter seus votos validados. E a terceiro motivo é porque, diferente do entendimento da juíza, nosso candidato protocolou sim toda a documentação necessária em tempo hábil para deferimento da sua candidatura”, justificou o assessor.

De acordo com informações do cartório da 19ª Zona Eleitoral de Esperança, a decisão da juíza titular Laua Yamaoka Mariz Maia Pitanga, que indeferiu o registro dos dois candidatos e determina a realização de novas eleições na localidade, foi publica na tarde do último dia 14 de novembro no circular Átrio do Fórum Eleitoral da cidade.

Entenda o caso: Na véspera das eleições municipais em primeiro turno, mais precisamente no sábado (06/10), temendo um impedimento futuro por parte da justiça eleitoral, as duas coligações que disputavam o pleito eleitoral na localidade, substituíram seus candidatos a prefeito e vice-prefeito na cidade de esperança.

A coligação “Frente Esperança Popular”, substituiu o nome do atual prefeito Nobinho que tentaría a reeleição pelo o do seu sobrinho Nilber, temendo que futuramente Nobinho fosse enquadrado na Lei da Ficha Limpa e se caso ganhasse não pudesse assumir ao cargo de prefeito.

Já no caso da coligação “Progressistas de Esperança”, o candidato Arnaldo Monteiro renunciou a disputa e substituiu sua candidatura pelo nome do filho Anderson.

Passadas às eleições o candidato da coligação “Progressistas de Esperança”, Anderson Monteiro venceu o pleito. Então, a coligação “Frente Esperança Popular”, se sentiu prejudicada com o resultado da eleição, e entrou junto à 19ª Zona com um pedido de impugnação do registro do candidato substituto da coligação adversária. Logo em seguida, a coligação “Progressistas de Esperança” conseguiu junto ao (TRE-PB) uma liminar com efeito de suspensão da sentença da 19 Zona.

Fonte: Adaucélia Palitot – PolíticaPB

A menos de três meses para o fim do mandato, prefeito de Solânea é cassado; advogado vai recorrer

 

A menos de três meses para o fim do mandato, o prefeito e o vice-prefeito do município de Solânea, respectivamente, Francisco de Assis Melo (PMDB) e Jucimar Cândido da Costa (Nicinho-PR), tiveram seus mandatos cassados pelo juiz da 48ª Zona Eleitoral, Osenival dos Santos Costa, pela acusação de suposta compra de votos, as eleições de 2008. Também foi cassado o mandato da vereadora Miriam.

O magistrado determina o afastamento imediato do gestor e a realização de eleições suplementares, na modalidade indireta, pela Câmara Municipal.

O advogado Marcos Souto Maior Filho disse que vai entrar com uma liminar para que os gestores permaneçam nos cargos e com um recurso para que a decisão seja revista.

Vice-Prefeito Nicinho e sua esposa a vereadora Miriam

“Estou tomando conhecimento dessa decisão agora, mas com certeza iremos entrar com um recurso para que essa decisão seja reformulada, além claro, de uma liminar para que o prefeito seja mantido no cargo. Até porque os dados apresentados no processo contra os gestores são frágeis e as provas trazidas não compravam compra de votos”, afirmou o advogado.

A decisão sobre a cassação do prefeito e do vice-prefeito de Solânea foi publicada nesta quinta-feira (11) no Diário de Justiça do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba. “Pelo exposto, julgo procedente a presente Ação de Impugnação de Mandato Eletivo para, em consequência: Decretar a cassação do diploma, a destituição do mandato eletivo e o afastamento imediato dos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereadora, respectivamente, o que faço com fulcro no art. 14, §§ 10 a 11, da Constituição Federal c/c o art. 41-A da Lei nº 9.504/97”, diz a decisão do magistrado.

Confira a decisão na íntegra na página 09:https://www.tre-pb.jus.br/djepb-consulta/downloadPdf/diario-2012-188.pdf?ido=20815

Redação/Focando a Notícia

TIM vai recorrer na Justiça Federal contra bloqueio das vendas de chips em 19 Estados

A operadora TIM comunicou que entrará com mandado de segurança na Justiça Federal nesta sexta (20/07) contra a decisão da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) de bloquear a venda de seus chips em 19 Estados. Além da TIM, as operadoras Oi e Claro também sofreram sanções da agência e ficarão proibidas de comercializar novos chips a partir da 0h de segunda-feira (23/07). Ao contrário da TIM, Claro e Oi afirmaram que não vai recorrer da decisão da agência.

Em reunião com a Anatel na tarde desta quinta, representantes da TIM questionaram os indicadores que a agência utiliza sobre o aumento de reclamações.

Já para a agência, a operadora não cumpre com a oferta anunciada aos usuários. “A TIM não está entregando para os usuários o que eles desejam: que as chamadas não caiam e que as ligações se completem”, afirmou Bruno Ramos, Superintendente de Serviços Privados da Anatel.

Segundo ele, o aumento no tráfego registrado pela companhia precisa de investimento na melhora de equipamentos, de antena e na capacidade de transmissão.

“A TIM cresceu muito com o tráfego interurbano, e a instalação de equipamentos de longa distância é algo demorado, que vamos cobrar da TIM. É preciso um aumento da rede para suportar essa capacidade que, de alguma forma, vem crescendo com a expectativa do brasileiro. O usuário quer acessar sites e falar um pouco mais”, disse Ramos.

[B]Claro[/B]

A Claro entregou ontem para a Anatel um plano preliminar de ação de melhorias. Segundo a assessoria de comunicação da agência, no entanto, o documento entregue é um “esboço” e ainda não atende ao que foi pedido, pois não se trata de um plano formal.

Ao final da reunião com a Anatel, Carlos Zenteno, presidente da Claro, pediu desculpas aos consumidores que tiveram problemas com os call centers da empresa, nas últimas semanas, nos três Estados em que a Claro sofreu a sanção. Segundo ele, tratam-se de problemas pontuais. “A suspensão que temos é de vendas, mas os nossos clientes continuarão a ser atendidos com toda normalidade.”

Foram feitas mais solicitações após a apresentação do plano preliminar. “Exigimos outros itens, como por exemplo dados sobre o aumento da capacidade mensal, que estejam dentro de três dimensões: melhorias de rede e investimento em equipamentos, diminuição de interrupção de serviço e melhoria de atendimento ao usuário”, afirmou Ramos.

A Oi tem reunião agendada com a Anatel nesta sexta (20), às 11h. Juntas, as três operadoras detêm 70,12% do mercado de telefonia celular no Brasil, com 179,4 milhões de acessos móveis.

Entenda a proibição

Na quarta (18/07), a Anatel anunciou a suspensão de da venda de novos chips da TIM (19 Estados), Oi (cinco Estados) e Claro (três Estados), sob pena de multa diária de R$ 200 mil. Apesar disso, as companhias podem manter os anúncios de seus serviços nos Estados onde estão proibidas de atuar. Todas as operadoras do Brasil (afetadas ou não pela medida) terão prazo de 30 dias para apresentar o chamado Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel, com previsão para os próximos dois anos.

O conteúdo dos planos entregues será analisado e, dependendo do que apresentarem, as empresas poderão retomar as vendas. De acordo com João Rezende, presidente da agência, a decisão teve como base uma análise nacional dos últimos 12 meses, que usou como indicadores os problemas com rede, interrupção de chamadas e má qualidade no atendimento.

[B]Veja a lista dos Estados afetados[/B]

Claro – Santa Catarina, Sergipe e São Paulo

Oi – Amazonas, Amapá, Mato Grosso do Sul, Roraima e Rio Grande do Sul

TIM – Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato
Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia e Tocantins

A Claro ficará proibida de vender novos chips em Santa Catarina, Sergipe e São Paulo. A Oi, em Amapá, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Roraima e Rio Grande do Sul. A TIM não poderá realizar vendas no Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhã, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia e Tocantins.

O ministro interino das Comunicações, Cezar Alvarez, disse que o relatório da Anatel servirá de base para as empresas de telefonia móvel melhorarem o serviço. “Houve descompasso, que é fruto de erro de cálculo dessas empresas. É evidente que houve falha das empresas, descasaram o arrojo dos planos com a infraestrutura. Se alguém vai tipificar essa falha, fazer juízo de mérito, ou adjetivar boa fé ou má fé, não é responsabilidade nossa \[governo]. A empresa é punida pelo próprio mercado. Pela capacidade do cidadão reclamar e consumir”, disse, segundo a Agência Brasil.

Ainda de acordo com a agência, Alvarez ressaltou que a medida “extrema” é resultado da gravidade da situação, “que se deteriorava, com cidadão usando \[o serviço], querendo e com disposição para consumir mais”. Ele destacou ainda, que mesmo em momento de instabilidade financeira, esse é um tipo de serviço que não deixa de ser utilizado. “A economia pode desacelerar ou não, mas este bem tem consumo, não é supérfluo, é necessidade”.

Em nota divulgada nesta quinta, o Ministério Público Federal declarou apoio à decisão da Anatel. “A medida vai ao encontro de diversas ações extrajudiciais e judiciais de autoria do MPF, que visam à melhoria dos serviços prestados pelas operadoras de telefonia móvel.”

[B]O que dizem as operadoras[/B]

Em notas divulgadas na quarta-feira, as operadoras afetadas pela decisão questionaram os parâmetros utilizados pela agência, que segundo elas não condizem com investimentos feitos pelas empresas nem com indicadores de qualidade da própria Anatel.

A Oi afirmou que manterá o diálogo com a Anatel. No entanto, divulgou: “A companhia entende \[…] que o parâmetro que fundamenta a análise da agência não reflete os investimentos maciços realizados em melhorias de rede. O entendimento da Oi é que a análise está defasada em relação à evolução recente percebida na prestação dos serviços. Os dados não consideram o esforço e a concentração de investimentos realizados nos últimos 12 meses”.

Já a TIM afirmou que recebeu com bastante surpresa o que chamou de “medida tão extrema adotada pela Anatel” e disse em nota que vai tomar todas as medidas necessárias para restabelecer o quanto antes a normalidade de suas atividades. A empresa cita no comunicado indicadores de qualidade da própria Anatel, nos quais afirma possuir “posição de destaque” entre as melhores operadoras. “Tal medida desproporcional da Anatel certamente afetará a competição no setor de telecomunicações no País em beneficio de alguns concorrentes e em prejuízo aos mais de 200 milhões de usuários”, ressalva a operadora.

A Claro também relatou em nota ter sido surpreendida pela decisão da Anatel. A operadora disse fazer fortes investimentos em rede no Brasil: “Como resultado a Claro apresenta um dos melhores indicadores de rede medidos pela própria Anatel”. O plano de investimentos da companhia será apresentado “prontamente” à agência.

“A Claro esclarece que o critério que impactou essa determinação da Anatel está relacionado a problemas pontuais de atendimento no Call Center que atende esses estados, cujas ações de melhorias já apresentaram resultados nos indicadores da Anatel do mês de junho”, continuou a Claro.

No Brasil, a Vivo é operadora de telefonia móvel com maior participação de mercado, com 29,56%. Em segundo lugar está a TIM, com 26,89%. Na sequência ficam Claro, com 24,58%, e Oi, com 18,65%. CTBC (0,28%) e Sercomtel (0,03%) completam a lista.

Portal Uol

TRF mantém eleição na UFPB e Lucia Guerra vai recorrer da decisão ao STJ em Brasília

A Câmara Recursal do Tribunal Regional Federal da 5ª Região sediado em Recife, rejeitou o recurso pedindo a suspensão do segundo turno marcado para esta quarta-feira (dia 6) e a eleição deve acontecer, mas a professora Lúcia Guerra, candidata a reitora da UFPB, revelou que vai recorrer contra a decisão junto Superior Tribunal de justiça em Brasília.

A decisão da Câmara recursos aconteceu na tarde desta terça-feira (dia 5) e logo após a divulgação do resultado, a professora Lúcia Guerra reuniu o comitê de campanha e ficou decidido recorrer ao STJ.

A Professora Lucia Guerra disse que o comitê de campanha também vai decidir o que fazer algum tipo de protesto nesta quarta-feira, quando esta marcado o segundo turno da eleição. Ela considerou um despeito a autonomia da universidade a postura adotada pela professora Margareth Diniz, quando procurou a justiça contra a decisão do Conselho Universitário, que havia adiado o segundo turno por causa da greve.

Jonas Batista