Arquivo da tag: recorde

Covid-19: PB bate recorde e registra quase 1.300 novos casos em 24h

A Paraíba bateu um novo recorde nesta quarta-feira (27) ao registrar 1.290 novos casos em apenas 24h. De acordo com boletim epidemiológico do Governo do Estado, emitido através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), a Paraíba tem agora 10.209 casos da doença.

De acordo com a SES, o aumento de casos nos últimos dias é resultado da ampliação da capacidade de testagem e diagnóstico da população. Até o momento, a Paraíba já realizou 35.566 testes para diagnosticar a população em todos os municípios.

Segundo o órgão, entre os casos já notificados, 2.232 pessoas que já se recuperaram e 298, infelizmente, faleceram. Nas últimas 24h, foram registradas mais 12 mortes decorrentes da contaminação pelo novo coronavírus.

Nesta quarta-feira, a Covid-19 chegou a mais 4 cidades, totalizando 185 municípios com registros da doença. Confira o número de pacientes por cidade:

Água Branca (2); Aguiar (1); Alagoa Grande (48); Alagoa Nova (16); Alagoinha (92); Alcantil (1) Alhandra (124); Amparo (15); Aparecida (2); Araçagi (29); Arara (8); Araruna (2); Areia (43); Areia de Baraúnas (1); Areial (8); Aroeiras (16); Assunção (2); Baia da Traição (43); Bananeiras (16); Barra de Santa Rosa (4); Barra de Santana (12); Barra de São Miguel (2); Bayeux (196); Belém (27); Belém do Brejo do Cruz (1);Boa Ventura (1); Boa Vista (20); Bom Jesus (1); Boqueirão (10); Borborema (1); Brejo do Cruz (4); Caaporã (278); Cabaceiras (4); Cabedelo (517); Cachoeira dos Índios (3); Cacimba de Dentro (14); Cacimbas (2); Caiçara (19); Cajazeiras (60); Cajazeirinhas (1); Caldas Brandão (11); Campina Grande (1025); Capim (33); Carrapateira (1); Casserengue (4); Catingueira (5), Catolé do Rocha (31); Caturité (12); Conceição (4); Condado (39); Conde (92); Congo (11); Coremas (13); Coxixola (4); Cruz do Espírito Santo (101); Cuité (9); Cuité de Mamanguape (3); Cuitegí (50); Curral de Cima (7); Damião (1); Desterro (4); Dona Inês (2); Duas Estradas (15); Emas (1); Esperança (46); Fagundes (5); Gado Bravo (22); Guarabira (466); Gurinhém (25); Gurjão (3); Ibiara (9); Igaracy (6); Imaculada (5); Ingá (31); Itabaiana (122); Itaporanga (4); Itapororoca (31); Itatuba (39); Jacaraú (7); Jericó (1); João Pessoa (3232); Joca Claudino (1); Juarez Távora (15); Juazeirinho (50); Junco do Seridó (6); Juripiranga (61); Juru (8); Lagoa (3); Lagoa de Dentro (6); Lagoa Seca (32); Lastro (1); Logradouro (8); Lucena (52); Mãe d’Água (2); Malta (9); Mamanguape (84); Manaíra (2); Mari (81); Marizópolis (4); Massaranduba (16); Mataraca (24); Matinhas (8); Mato Grosso (3); Matureia (7); Mogeiro (1); Montadas (4); Monteiro (27); Mulungu (14); Natuba (7); Nova Floresta (1), Nova Olinda (3); Olho D´Água (6); Olivedos (1); Ouro Velho (1); Passagem (4); Patos (469); Paulista (15); Pedras de Fogo (171); Pedro Régis (1); Piancó (15); Picuí (10); Pilar (39); Pilões (6); Pilõezinhos (43); Pirpirituba (14); Pitimbu (67); Pocinhos (4); Pombal (30); Princesa Isabel (5); Puxinanã (18); Queimadas (54); Quixaba (5); Remígio (32); Riachão do Bacamarte (53); Riachão do Poço (1); Riacho de Santo Antônio (3); Riacho dos Cavalos (2); Rio Tinto (42); Salgadinho (7); Salgado de São Felix (23); Santa Cecília (3); Santa Helena (1); Santa Luzia (45); Santa Rita (552); Santa Terezinha (10); Santana dos Garrotes (1); São Bentinho (8); São Bento (92); São Francisco (2); São João do Cariri (1); São João do Rio do Peixe (7); São João do Tigre (1); São José da Lagoa Tapada (13); São José de Caiana (22); São José de Espinharas (3); São José de Piranhas (4); São José do Bonfim (10); São José do Sabugi (54); São José dos Cordeiros (4); São José dos Ramos (5); São Mamede (11); São Miguel de Taipu (16); São Sebastião de Lagoa de Roça (9); São Vicente do Seridó (16); Sapé (163); Serra Branca (2); Serra da Raíz (6); Serra Redonda (23); Serraria (8); Sertãozinho (8); Sobrado (12); Solânea (31); Soledade (6); Sousa (100); Sumé (10); Tacima (9); Taperoá (36); Tavares (6); Teixeira (13); Tenório (1); Uiraúna (4); Umbuzeiro (18); Várzea (1); Vieirópolis (2); Vista Serrana (1).

*Dados Oficiais (fonte e-sus VE e SIVEP) extraídos às 10h do dia 27/05

A SES confirmou mais 12 óbitos em consequência da contaminação pela Covid-19:

BARRA DE SÃO MIGUEL
– Homem, 61 anos.

BAYEUX
– Homem, 61 anos.

CATOLÉ DO ROCHA
– 2 homem, 87 e 85 anos.

LUCENA
– Homem, 76 anos.

JOÃO PESSOA
– Mulher, 59 anos; Homem, 34 anos.

MAMANGUAPE
– Mulher, 24 anos.

REMÍGIO
– Mulher, 95 anos.

SANTA RITA
– Mulher, 60 anos.

SÃO BENTO
– Homem, 78 anos.

SERRARIA
– Homem, 57 anos.

A ocupação de leitos de UTI em todo o estado é de 72%. De acordo com a SES, caso seja feito um um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, 85% estão ocupados. O órgão faz um alerta para a ocupação de leitos adultos para Covid-19 em Campina Grande, com ocupação de 80% de leitos de UTI e 85% das enfermarias. No sertão, 49% dos leitos de UTI estão ocupados.

Apenas, 43% da população seguiu a recomendação de Isolamento Social.

 

PB Agora

 

 

Covid-19: Paraíba tem recorde de mortes em 24h e já registra mais de 100 óbitos

A Paraíba registrou a morte de 9 pessoas nas últimas 24h vítimas da Covid-19. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e foram divulgados no início da noite desta quarta-feira (6). No mesmo período, o órgão confirmou a 164 novos casos de pacientes contaminados pelo novo coronavírus.

Com as mortes confirmadas hoje, a Paraíba chega ao número de 101 vítima letais da doença. Os óbitos foram registrados em seis municípios:

ALHANDRA
– Homem com 84 anos.

BAYEUX
– Mulher com 70 anos.

ITAPOROROCA
– Homem com 43 anos.

JOÃO PESSOA
– Dois homens com 51 e 48 anos; Mulher com 44 anos.

PATOS
– Homem com 57 anos; Mulher 67 anos.

SANTA RITA
– Homem com 68 anos.

Ainda de acordo com os dados fornecidos pela SES, a Paraíba atinge 1.657 casos de Covid -19. Destes 320 já se recuperaram.

Em relação aos leitos destinados a pacientes acometidos pela doença, dos 370 leitos de UTI previstos no plano de Contingência para Coronavírus, 197 já estão ativos, 51% deles ocupados.

Os casos confirmados estão em 79 municípios paraibanos, 4 novos desde o último boletim:

Alagoa Grande (3); Alagoa Nova (1); Alagoinha (1); Alhandra (15); Araçagi (3); Areia (3); Barra de São Miguel (1); Bayeux (58); Bom Jesus (1); Boqueirão (1); Brejo do Cruz (1); Caaporã (13); Cabedelo (57); Caiçara (2); Cajazeiras (14); Campina Grande (78); Capim (1); Casserengue (1); Catingueira (1); Condado (2); Conde (19); Congo (1); Coremas (3); Coxixola (3); Cruz do Espírito Santo (9); Esperança (2); Guarabira (36); Gurinhém (2); Igaracy (1); Imaculada (3); Itabaiana (3); Itaporanga (2); Itapororoca (4); João Pessoa (907); Juazeirinho (1); Junco do Seridó (3); Lagoa Seca (2); Lucena (9); Mamanguape (4); Mari (13); Marizópolis (3); Massaranduba (1); Mataraca (1); Matinhas (1) Monteiro (2); Mulungu (3); Nova Floresta (1) Patos (40); Pedras de Fogo (15); Piancó (3); Pilar (4); Pilões(1); Pilõezinhos (2); Pirpirituba (2); Pitimbu (6); Pombal (2); Princesa Isabel (2); Queimadas (2); Remígio (1) Riachão Poço (1); Riacho dos Cavalos (1); Rio Tinto (7); Santa Helena (1); Santa Luzinha (1); Santa Rita (162); São Bento (5); São João do Rio do Peixe (6); São José de Espinharas (1); São José de Piranhas (1); São José do Bonfim (1); São Sebastião de Lagoa de Roça (1); Sapé (55); Serra Branca (1); Serra da Raíz (1); Serra Redonda (1); Sousa (19); Taperoá (13); Uirauna (1); Umbuzeiro (2).

Os dados epidemiológicos e de ocupação de leitos podem ser acompanhados em paraiba.pb.gov.br/coronavirus

 

PB Agora

 

 

EUA têm recorde mundial de mortos por Covid-19 em um dia, com 1.169

Os Estados Unidos registraram 1.169 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo contagem de referência realizada nesta quinta-feira (2) pela Universidade Johns Hopkins. Com esta cifra, o país teve o maior número de mortes em 24 horas, desde o início da pandemia, em todo o mundo.

O pico anterior para um dia aconteceu na Itália, onde 969 pessoas morreram em 27 de março. O país europeu somou mais de 13,9 mil mortos, enquanto a Espanha superou os 10 mil.

A contagem dos EUA foi baseada em dados colhidos entre quarta (1) e quinta-feira. Na manhã de sexta-feira (3) o país já registrava mais de 6 mil mortes e ao menos 245 mil casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus, segundo a Johns Hopkins.

Mais cuidados

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, recomendou na quinta-feira aos moradores da cidade cobrir o rosto quando estiverem em público, mesmo se for com uma máscara caseira.

“Quando se coloca a cobertura de rosto, todos são protegidos”, ele afirmou.

Na quarta-feira, o prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, já havia pedido para que os residentes da cidade usassem máscara quando estivessem em público.

1 milhão de casos no mundo

Também na quinta-feira, o número de casos confirmados de Covid-19 no mundo superou a marca de 1 milhão. O total de mortos pelo novo coronavírus Sars-Cov-2, passou dos 50 mil.

Os diagnósticos da nova doença explodiram no último mês: em 2 de março, o mundo registrava cerca de 92 mil casos. Ou seja, o número de registros de Covid-19 aumentou quase 1.000% em 31 dias.

Entretanto, o número real de casos pode ser bem maior porque nem todos são diagnosticados e reportados. Por isso, a Organização Mundial de Saúde (OMS) tem reforçado a necessidade de testar o máximo de pessoas possível.

Foto: Joe Raedle/Getty Images/AFP

G1

 

Itália tem quase mil mortes causadas pela Covid-19, o recorde diário

O número de mortes na Itália por causa do Covid-19, a doença causada pelo coronavírus aumentou em 919, disse a agência de proteção civil nesta sexta-feira (27). Até agora, 9.143 pessoas morreram por conta da epidemia no país.

É o recorde para um único dia. Antes, havia sido o 21 de março, quando 793 pessoas haviam morrido. No entanto, 50 delas são referentes à mortes de quinta-feira, na região do Piemonte, que foram contabilizadas nesta sexta-feira.

Nos últimos dias, os números foram os seguintes:

  • 23 de março: 602
  • 24 de março: 743
  • 25 de março: 683
  • 26 de março: 712
  • 27 de março: 919
Na Itália, muita gente ainda segue desrespeitando a quarentena

Na Itália, muita gente ainda segue desrespeitando a quarentena

Prefeito de Milão

A região mais atingida é a da Lombardia, onde fica a cidade de Milão. Lá, houve 5.402 mortes.

No dia 22 de março, durante uma entrevista à TV RAI, o prefeito de Milão, Giuseppe Sala, afirmou que errou ao divulgar, no fim de fevereiro, um vídeo que dizia que a cidade não pode parar.

“Muitos se referem àquele vídeo que circulava com o título ’Milão não Para’. Era 27 de fevereiro, o vídeo estava explodindo nas redes, e todos o divulgaram, inclusive eu. Certo ou errado? Provavelmente, errado”, ele afirmou à RAI no domingo (22).

Ainda não chegou o pico

As infecções de coronavírus na Itália não atingiram seu pico, disse Silvio Brusaferro, chefe do Instituto Superior de Saúde do país nesta sexta-feira (27).

“Não atingimos o pico e não passamos dele”, disse Brussaferro.

Ele disso que há, no entanto, sinais de uma desaceleração no número de pessoas que estão ficando infectadas, o que sugere que o pico não está longe. Depois disso, os novos casos vão entrar em tendência visível de queda.

“O nosso comportamento vai influenciar em quão íngreme vai ser a queda, quando ela começar”, afirmou ele, em uma referência à aderência dos italianos às restrições ao movimento impostas pelo governo.

Mortes na Espanha

A Espanha é o segundo país da Europa mais atingido pela pandemia. Lá, foram 769 mortes nas últimas 24 horas. Ao todo, são 4.858 mortes.

Foto: Claudio Furlan/LaPresse via AP

G1

 

Flamengo quebra outro recorde e tem o ataque mais positivo em uma edição desde que Brasileirão passou a ter 20 clubes

O Flamengo de 2019 vem pulverizando marcas no futebol brasileiro. Neste domingo, o time precisou de apenas quatro minutos para conseguir quebrar outro recorde. Com o gol de Arrascaeta, contra o Palmeiras, a equipe chegou a 78 gols no Brasileirão, superou os números do Cruzeiro em 2013 (77) e tem o ataque mais positivo em uma edição na era dos pontos corridos, desde que a competição passou a ter 20 clubes, em 2006.

Ainda no primeiro tempo, em São Paulo, o Flamengo ampliou com Gabigol. No segundo tempo, novamente com o seu artilheiro, o time de Jorge Jesus marcou mais um e soma 80 gols na competição.

Na última quarta-feira, na goleada por 4 a 1 sobre o Ceará, o Flamengo atingiu a melhor campanha da era dos pontos corridos, desde que o Campeonato Brasileiro passou a ser disputado por 20 clubes. Com 84 pontos, o Rubro-Negro superou o Corinthians, que em 2015 atingiu 81 pontos.

GE

 

Flamengo bate recorde de melhor campanha do Brasileirão em pontos corridos com 20 clubes

Mesmo com o título brasileiro já assegurado desde domingo, o Flamengo venceu o Ceará por 4 a 1, nesta quarta-feira, no Maracanã, e quebrou o recorde de melhor campanha do Brasileirão de pontos corridos com 20 clubes. A marca pertencia ao Corinthians em 2015.

O Flamengo chegou a 84 pontos, três a mais do que a equipe paulista fez há quatro anos. Faltando três rodadas para acabar a competição, o Rubro-Negro venceu 26 jogos, empatou seis e perdeu três.

Além disso, o Flamengo igualou a marca de melhor ataque do Brasileirão em pontos corridos, com 77 gols. O recorde era do Cruzeiro de 2013, que também tinha Everton Ribeiro como um dos destaques.

Na atual edição, o campeão brasileiro tem os dois artilheiros do torneio: Gabigol, com 22 gols, e Bruno Henrique, com 21.

O Flamengo já é dono do maior número de vitórias em uma mesma edição.

O Brasileirão passou a ser disputado em pontos corridos em 2003, mas com 24 clubes. O torneio tem o formato atual, com 20 equipes, desde 2006.

G1

 

Pedidos de aposentadoria batem recorde de 1 milhão em 1 mês

Pela primeira vez, os pedidos de aposentadoria do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) ultrapassaram a marca de um milhão em um mês. Foram registrados 1.150.953 requerimentos de benefícios em setembro deste ano, um aumento de 15,46% em relação a agosto, quando foram feitos 996.831 pedidos. A informação é do último Boletim Estatístico da Previdência Social.

O recorde ocorreu dois meses antes de as novas regras da aposentadoria entrarem em vigor. Após tramitar no Congresso Nacional por nove meses, a reforma da Previdência foi promulgada na última terça-feira (8).

Desde o início de 2019, o número vem aumentando. Em maio e agosto passaram de 900 mil (928.938 e 996.831, respectivamente). Os estados que mais tiveram pessoas querendo se aposentar foram São Paulo, com 21,08% dos pedidos, Distrito Federal (16,23%), Minas Gerais (9,43%) e Rio de Janeiro (6,88%).

Já o número de benefícios concedidos em setembro foi de 451,9 mil benefícios, no valor total de R$ 656,2 milhões. Em relação ao mês anterior, a quantidade de benefícios concedidos diminuiu 10,76% e o valor de benefícios concedidos caiu em 12,53%. O tempo médio de concessão em setembro de 2019 foi de 80 dias.

Direito adquirido

Embora tenha havido uma “corrida” para obter o benefício, quem já tinha condições para se aposentar antes da promulgação pode escolher entre as regras antigas e ou as regras novas, dependendo do que for mais vantajoso para a pessoa.

Segundo o advogado João Badari, especialista em direito previdenciário e sócio do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, a tramitação da reforma acabou incentivando os trabalhadores a se adiantar para pedir o benefício. “Mas quem já tem direito adquirido pode se aposentar pelas regras antigas, mesmo depois da entrada em vigor, evitando as mudanças da reforma”, afirma Badari.

O que mudou

A principal medida da reforma da Previdência é a fixação de uma idade mínima (65 anos para homens e 62 anos para mulheres) para a aposentadoria. As novas regras também determinam o valor da aposentadoria a partir da média de todos os salários (em vez de permitir a exclusão das 20% menores contribuições), elevam alíquotas de contribuição para quem ganha acima do teto do INSS (hoje em R$ 5.839,00) e estabelecem regras de transição para os trabalhadores em atividade.

Cumprida a regra de idade, a aposentadoria será de 60% do valor recebido com o mínimo de 15 anos de contribuição. Cada ano a mais de trabalho eleva o benefício em dois pontos percentuais, chegando a 100% para mulheres com 35 anos de contribuição e 40 anos para homens.

O objetivo do governo federal é reduzir o déficit nas contas da Previdência Social. A estimativa de economia é de cerca de R$ 800 bilhões em 10 anos.

Arte/R7

R7

 

Deputado Chió condena licenciamento recorde de novos agrotóxicos e propõe leis de proteção ao meio ambiente 

Em demonstração prática do quanto cada brasileiro consome de agroquímicos, por ano, através de alimentos, o deputado Estadual Chió (REDE) realizou duro pronunciamento na Assembleia Legislativa, sobre a atual política de liberação de agrotóxicos no país, propondo leis para disciplinar a aplicação em território paraibano.

“O brasileiro ingere, por ano, 7,3 litros de agroquímicos através dos alimentos. O Brasil é o maior consumidor de agrotóxico do mundo. Diversos problemas de saúde, sejam neurológicos, motores e mentais, estão diretamente associados ao consumo de agrotóxicos, além de vários tipos de câncer”, explicou o Chió.

O parlamentar criticou a liberação em larga escala de agroquímicos no país, sobretudo, pelo impacto ambiental. “Em menos de seis meses de gestão, o Ministério da Agricultura e o Governo Federal já liberaram 166 tipos de agroquímicos. Um movimento oposto ao que acontece em todo o mundo, quando países buscam eliminar completamente o uso deste recurso”, ponderou Chió.

Meio Ambiente   

O parlamentar alertou o fato de que os agrotóxicos representam a segunda maior causa de contaminação de rios no Brasil. “Além de alcançar nossos lençois subterrâneos, a aplicação desenfreada de agroquímicos é responsável pela matança de diversas espécies da nossa fauna e flora, pela infertilização do solo e intoxicação do ar”, completou Chió.

Contribuição Parlamentar

Na tribuna, o deputado relacionou Projetos de Lei pela preservação do meio ambiente e controle do uso de agroquímicos em território paraibano. “Estamos propondo uma proibição à pulverização aérea de agrotóxicos e químicos em geral em todo o estado. Estamos propondo também, a obrigação da procedência legal da madeira nativa utilizada em obras, serviços e aquisições da administração pública Estadual, além da proibição da distribuição gratuita de sacos plásticos descartáveis em supermercados, entre outros projetos”, destacou o parlamentar.

Fonte: Ascom Deputado Estadual Chió (REDE) 

 

 

Sem Lula, soma de brancos e nulos pode ser recorde histórico

As eleições presidenciais de 2018 podem bater o recorde de votos nulos e brancos. Nas pesquisas em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não é apresentado como opção, aproximadamente um em cada quatro eleitores diz que não votará em nenhum candidato no 1º turno.

No último levantamento do Datafolha, 22% dos entrevistados indicaram que vão anular ou votar em branco se Lula estiver fora do páreo. No Ibope, esta taxa foi ainda maior: 29%. Nos cenários em que Lula aparece, os números caem para 11% e 22%, respectivamente.

Lula é o candidato do PT à Presidência, mesmo preso em Curitiba desde 7 de abril
Lula é o candidato do PT à Presidência, mesmo preso em Curitiba desde 7 de abril

Foto: Estrela / Getty Images

Há um elemento imponderável que é a possível transferência de votos de Lula para Fernando Haddad, vice da chapa do PT que substituirá o ex-presidente se o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) impugnar sua candidatura.

Até o momento, o ex-prefeito de São Paulo aparece com apenas 4% das intenções de voto, de acordo com os dados do Ibope e do Datafolha. As pesquisas indicam que uma parte dos votos de Lula está sendo distribuída entre todos os candidatos, mas a maioria está migrando para brancos e nulos somados.

TSE e discurso dos candidatos

Para o professor de Ética e Filosofia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Roberto Romano, a adesão do eleitor quanto à escolha de um candidato vai depender de dois fatores: o caminho que irá tomar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no caso Lula e a capacidade dos presidenciáveis de atrair os eleitores com seus discursos.

“Podemos até fazer prognósticos sobre aumento ou redução do número de eleitores que vão às urnas com um nome definido, mas as decisões dependem das definições da Justiça e de um posicionamento mais claro dos candidatos”, avalia Romano.

Segundo ele, o único partido com uma estratégia clara até o momento é o PT, que pretende manter Lula como candidato até uma eventual e provável impugnação para aumentar a capacidade de transferência de votos para Haddad. “Fora a estratégia do PT, com o Lula até o último momento, todos os demais candidatos estão na fase de ensaio e erro”, afirma.

Candidatos à presidência que participaram dos dois primeiros debates, sem a presença do PT: Cabo Daciolo (Patriotas), Jair Bolsonaro (PSL), Guilherme Boulos (PSOL), Ciro Gomes (PDT), Alvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (REDE)
Candidatos à presidência que participaram dos dois primeiros debates, sem a presença do PT: Cabo Daciolo (Patriotas), Jair Bolsonaro (PSL), Guilherme Boulos (PSOL), Ciro Gomes (PDT), Alvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (REDE)

Foto: Paulo Whitaker / Reuters

Por enquanto, segundo ele, “exceto por Lula e Bolsonaro, nenhuma campanha decolou”. Por isso, “o mais provável é que o eleitor do Lula, não podendo votar nele, deságue no voto nulo”.

Com relação a Haddad, Romano diz que o eventual sucesso de sua candidatura dependerá do poder de articulação política do ex-presidente, mesmo preso desde o dia 7 de abril em Curitiba, e da liberdade que ele terá para debater estratégias com membros do partido e da campanha. “Se o Lula conseguir a proeza de transferir 60% dos votos para o Haddad, com certeza o número de brancos e nulos cairá”.

A evolução dos votos brancos e nulos

As eleições de 1º turno para presidente com a maior quantidade de votos nulos e brancos desde a redemocratização foi a de 1994, seguida de perto pela de 1998, de acordo com dados do TSE. Em cada uma delas, a soma de nulos e brancos foi de 18,8% e de 18,7%, respectivamente. Nas duas, o eleito foi o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

De 2002 a 2014, a preferência do eleitor por algum candidato se manteve razoavelmente estável, oscilando entre 8% e 11%. Em ordem cronológica, a soma de nulos e brancos em cada uma delas foi de 10,4%, 8,4%, 8,6% e 9,6%. Em todas elas, o PT saiu vencedor, sendo as duas primeiras com Lula e as outras com Dilma Rousseff, que acabou sofrendo o processo de impeachment no segundo mandato, em 2016.

Para o professor da Unicamp Roberto Romano, a desconfiança da população nas instituições representativas e até na própria democracia se intensificou nos últimos anos. “Essa situação estrutural pode se manifestar em uma situação conjuntural da eleição”, acredita.

De uma forma geral, Romano acredita que a tendência do eleitorado é de não se mobilizar para as eleições. “Temos uma histórica divergência de perspectiva entre a sociedade brasileira e os partidos políticos. Há uma espécie de divórcio entre a opinião pública e a política, que tende a se agravar. Nessa eleição, isso está cada vez mais evidente”.

Terra

Com 41 mil casos, Europa registra recorde de infectados com sarampo

Cais de 41 mil crianças e adultos foram infectados com sarampo nos primeiros seis meses de 2018 na Europa, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O número é maior que o verificado em todos os outros anos desta década. Desde 2010, 2017 foi o ano com maior número de casos: 23.927. Ao menos 37 pessoas morreram devido à doença neste ano.

“Após o menor número de casos da década, em 2016, estamos vendo um aumento significativo de infecções e surtos estendidos”, diz Zsuzsanna Jakab, diretora regional da OMS para a Europa.

“Pedimos a todos os países que implementem imediatamente medidas abrangentes e adequadas ao contexto para impedir a propagação dessa doença. A boa saúde para todos começa com a imunização e, enquanto o sarampo não for eliminado, não cumpriremos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.”

Sete países da região tiveram mais de 1 mil infecções em crianças e adultos este ano (França, Geórgia, Grécia, Itália, Federação Russa, Sérvia e Ucrânia). A Ucrânia foi a mais atingida, com mais de 23 mil pessoas afetadas; isso representa mais da metade do total regional. Mortes relacionadas ao sarampo foram relatadas em todos esses países, com a Sérvia registrando o maior número (14).

Segundo o órgão, 43 dos 53 países da região interromperam a propagação endêmica do sarampo e 42 interromperam a disseminação da rubéola (com base nos relatórios de 2017).

Campanha no Brasil

No Brasil, a Campanha Nacional contra a Poliomielite e o Sarampo atingiu a metade do público-alvo, de acordo com o Ministério da Saúde. O esforço para vacinar crianças de 1 a 5 anos segue até 31 de agosto.

No total, mais de 11 milhões de doses das vacinas contra a pólio e sarampo (cerca de 5,5 milhões de cada) foram aplicadas até esta segunda-feira (20), alcançando 50% das crianças de um ano a menores de cinco em todo o país.

G1