Arquivo da tag: reabertura

Secretário prega cautela em flexibilização e cita cidades com explosão de casos após reabertura do comércio

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, comentou neste sábado o processo de flexibilização do isolamento social na Paraíba, que já está na sua segunda etapa, segundo calendário programado pelo Governo do Estado.

À rádio Educativa, de Sousa, ele pontuou que não é possível fazer uma flexibilização ‘atabalhoada’ e citou exemplos de cidades que voltaram atrás na reabertura do comércio após explosão de casos e mortes por Covid-19.

“Estamos iniciando na Paraíba um processo lento e gradual e não há espaço para atropelamento e flexibilização atabalhoada. Vocês estão vendo os exemplos de Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, interior de São Paulo e Rio Grande do Sul, em que as pessoas abriram rapidamente comércio, bares e restaurantes, produziram aglomerações e estão tendo avalanche de casos novos e mortes”, disse

Ele lembrou que os resultados dos esforços da Secretaria de Saúde colocaram a Paraíba com bons índices no combate à doença causada pelo novo Coronavírus.

“Todo esse controle, cautela e cuidado que a Secretaria de Saúde da Paraíba tem tido ao longo desses 100 dias é com objetivo de preservar a vida dos paraibanos. Por isso, a Paraíba hoje é o estado do Nordeste com menor ocupação de leitos, menor taxa de letalidade e um dos estados com maior testagem”, declarou.

 

Com reabertura de atividades, população faz fila para entrar no Shopping Edson Diniz em Campina Grande

Nesta segunda-feira (29), shoppings centers e galerias,  além das lojas acima de 200 metros quadrados estão autorizados a abrir no município de Campina Grande, na Paraíba. Com a reabertura, a população fez fila para entrar no Shopping Edson Diniz.

Uma imagem gravada por um cinegrafista amador mostra, várias pessoas em uma fila para entrar no estabelecimento. Na porta do local um funcionário está com álcool em gel para colocar nas mãos dos clientes.

Nesta chamada fase laranja do Plano, elaborado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Campina Grande, os shoppings estão proibidos de reabrir equipamentos como praça de alimentação, cinemas e salões de jogos.

Os estabelecimentos reabrem sob rigorosos protocolos sanitários e com restrições de horários e acesso ao número de clientes.

 

clickpb

 

 

Retomada do comércio em Cabedelo inclui reabertura de lojas, bares, restaurantes, salões de beleza e academias a partir de segunda-feira

O prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo, anunciou a reabertura do comércio e serviços marcada para segunda-feira (29). O município terá reabertura de lojas de comércio varejista e atacadista, bares e restaurantes, academias e salões de beleza.

Segundo o prefeito, essa retomada ocorre “mediante a todo protocolo de segurança que está disponível no site da Prefeitura de Cabedelo”. “Cabedelo vive esse novo normal mediante a números de estabilização da doença. Chegamos no platô. Cabedelo começa a sua curva de descendência. Há mais de 15 dias, não tivemos nenhum óbito na nossa cidade. E o número de recuperados passou dos 80%. Então Cabedelo, a partir de segunda-feira, começa a viver o seu novo normal.”

Poderão funcionar, a partir do dia 29 de junho, os seguintes segmentos e com as seguintes condições:

– comércio de varejo com 50% da capacidade de funcionamento;

– comércio atacadista com 70% da capacidade de funcionamento;

– construção civil com 100% da capacidade de funcionamento;

– bares e restaurantes com 30% da capacidade de funcionamento;

– academias e salões de beleza somente com horário marcado.

clickpb

Infectologista destaca medidas que devem ser adotadas na reabertura de estabelecimentos para evitar contágio da Covid-19

Municípios paraibanos, a exemplo de João Pessoa, começam a flexibilizar as medidas de isolamento social, implementadas em decorrência da pandemia do novo coronavírus, e alguns estabelecimentos comerciais, serviços e instituições foram liberados para retomar as atividades. Entre os espaços que podem ser reabertos, com uma série de cuidados e restrições, estão salões de beleza e barbearias, concessionárias, igrejas e templos religiosos.

Apesar de estarem liberados para atendimento ao público, medidas precisam ser adotadas para garantir segurança aos colaboradores e clientes, pois ainda vivenciamos uma pandemia, conforme afirma o médico infectologista do Hospital do Hapvida, Fernando Chagas.  “Os profissionais precisam usar máscaras, inclusive, é recomendado que o cliente também use, na medida do possível dentro do procedimento que esteja sendo realizado. Outro fator importante é a lavagem das mãos entre o atendimento de um cliente e outro, o que evita a transmissão cruzadas entre as pessoas”, alerta.

Com relação a salões de beleza e barbearias, o infectologista sugere ainda que é preciso ter um cuidado redobrado com as cadeiras de lavagem de cabelos. “É importante que seja feita a higienização dessas cadeiras, isso de um cliente para outro”, sugere, orientando a utilização de materiais descartáveis.

Apesar das medidas que precisam ser adotadas por estabelecimentos comerciais e de serviços, Fernando Chagas orienta que a população, ao frequentar qualquer um dos estabelecimentos, atente para alguns cuidados. “O interessante é que se busque sempre saber quais medidas estão sendo tomadas nesses lugares; questionar acerca da disponibilidade de álcool em gel, utilização de máscaras por parte dos colaboradores, se está atendendo por agendamento, o que evita aglomerações. Esses cuidados podem fazer a diferença no processo”, orienta.

Apesar de todas essas orientações, o infectologista Fernando Chagas lembra que o distanciamento é o melhor método para diminuir o risco de transmissão. “Não há medicamento que evite isso. Mas o isolamento tem impacto real, demonstrado por inúmeros estudos”, finaliza.

Retomada – No Estado foi implementado o plano ‘Novo Normal Paraíba’ que estabelecem a matriz de orientação para a retomada gradual das atividades e divide as localidades de acordo com o número de casos, atribuindo bandeiras, sendo que 126 (56%) municípios estão enquadrados na bandeira laranja; 82 (37%) na bandeira amarela; 14 (6%) na bandeira vermelha; e um (1%) na bandeira verde. Nos municípios sinalizados com bandeira laranja e vermelha, poderão funcionar atividades essenciais. Todos os segmentos da economia e da sociedade podem retomar suas atividades quando há a sinalização da bandeira verde

As recomendações de prevenção à COVID-19 do Ministério da Saúde são as seguintes:

·         Use máscara;
·         Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%;
·         Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos;
·         Evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
·         Ao tocar, lave sempre as mãos como já indicado;
·         Mantenha uma distância das pessoas;
·         Evite abraços, beijos e apertos de mãos;
·         Higienize com frequência o celular e os brinquedos das crianças;
·         Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos;
·         Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados;
·         Evite circulação desnecessária;
·         Se estiver doente, fique em casa até melhorar.

 

Assessoria de Imprensa

 

 

Juiz proíbe reabertura do comércio em Sousa; confira a decisão

O Juiz Natan Figueiredo concedeu liminar ao Sindicato dos Comerciários e proibiu a reabertura do comércio na cidade de Sousa.

A notícia foi dada em primeira no Programa Arapuan Verdade do Sistema Arapuan de Comunicação.

Na decisão, que saiu no final da manhã desta terça-feira, 92)  o juiz alegou um aumento nos casos de coronavírus no município.

Para o magistrado, a reabertura do comércio irá colocar em risco a saúde dos comerciários.

paraiba.com.br

 

 

Reabertura do comércio terá horários restritos e medidas de prevenção à Covid-19 obrigatórias em Belém, PB

Foi publicado neste domingo, 31, na Edição Extraordinária do Diário Oficial do Município, o Decreto nº 41/2020 sobre a reabertura temporária do comércio e de serviços em Belém, com horário restrito, das 8h às 17h, pelo prazo de quinze dias, a partir desta segunda-feira, 1º de junho, além de medidas obrigatórias de prevenção à Covid-19.

A medida leva em consideração a Escala NEW-FAST-COVID sobre casos suspeitos e confirmados de Covid-19, em Belém, apresentar pontuação menor ou igual a 2, entre outras considerações no âmbito jurídico.

Os estabelecimentos que não cumprirem as determinações poderão sofrer sanções administrativas e os seus proprietários poderão responder criminalmente por violação do Art. 268 e 330 do Código Penal Brasileiro.

MEDIDAS OBRIGATÓRIAS PARA COMÉRCIOS E SERVIÇOS:

* Manter álcool 70% na entrada dos estabelecimentos para a devida higienização dos clientes;

* Não permitir o acesso dos clientes ao interior dos estabelecimentos sem o uso de máscara;

* Limitar o acesso a uma pessoa por família, evitando assim aglomeração;

* No caso de restaurantes, deverá manter distância de 2 (dois) metros entre as mesas, vedando mais de três pessoas por mesas;

20 MEDIDAS OBRIGATÓRIAS PARA O FUNCIONAMENTO DE ACADEMIAS:

  1. Horário de Funcionamento: 5h às 20h;
  2. Limitar o acesso ao local, considerando a área comunitária para prática de exercícios, limitando a quantidade de clientes que entram na academia: ocupação simultânea de 1 usuário a cada 4m²;
  3. Disponibilizar álcool 70 % (setenta por cento) em gel ou líquido na entrada e saída do local para higienização dos frequentadores;
  4. Limpeza dos aparelhos com álcool 70% (setenta por cento) líquido ou em gel, água e sabão com limpeza eficaz ou hipoclorito a cada troca de usuário;
  5. Uso obrigatório de máscara facial (proteção respiratória) de acordo com a norma da Anvisa para uso de máscara para não profissionais da saúde;
  6. Higienizar, preferencialmente após cada utilização e sempre quando do início das atividades da manhã, da tarde e da noite os pisos, as paredes, o forro e o banheiro, preferencialmente com água sanitária ou outro produto adequado;
  7. Respeitar à distância de 2 (dois) metros entre os aparelhos e equipamentos;
  8. Vedar o uso compartilhado de aparelhos e equipamentos pelos usuários antes da higienização;
  9. Instruir os usuários para que permaneçam a 2 (metros) de distância um do outro;
  10. Proporcionar a ventilação do ambiente, deixar portas e janelas abertas, objetivando a circulação de ar;
  11. Disponibilizar lixeira exclusiva para materiais contaminados (máscaras descartáveis e luvas se for o caso), o lixo pode ser descartado fechado junto ao lixo dos sanitários;
  12. Não promover atividades que envolvam aglomeração como aulas de dança ou ginástica;
  13. Só permitir o acesso de usuários após realizar a lavagem de mãos ou assepsia com álcool 70% na entrada do estabelecimento e a cada troca de aparelho e na saída deste;
  14. Só permitir o acesso de usuários fazendo uso da máscara facial de acordo com o item acima mencionado;
  15. Só permitir o acesso de usuários que portar a sua própria garrafa com água, de uso individual, não deve ser compartilhado com os demais;
  16. Só permitir o acesso de usuários que portar a toalha para secar o suor durante e após o treino;
  17. Não permitir o acesso de usuários antes do horário da aula/treino, vedando a permanência após o treino/aula;
  18. Não permitir em qualquer hipótese o acesso de usuários às academias se estes apresentarem sintomas gripais, ficando a academia obrigada a avisar aos serviço de saúde sobre tal fato;
  19. Para usuários de idade igual ou superior a 60 anos, deverá ser ofertado obrigatoriamente os horários de menor fluxo;
  20. Em obediências ao manual do CREF, deve as academias, realizar a verificação da temperatura dos usuários, bem como, manter gráfico que mostre aos clientes mesmos os horários de maior fluxo.

CLICK AQUI E CONFIRA NA ÍNTEGRA DECRETO-041.2020-REABERTURA-1

Assessoria

 

 

Azevêdo pondera sobre reabertura do comércio, escolas e shoppings em meio à pandemia: “É uma conta que não fecha”

O governador João Azevêdo  (Cidadania) falou nesta quarta-feira, 29, na TV Cabo Branco, sobre a reabertura de comércios e shoppings da Paraíba mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus e reforçou que essa medida é praticamente impossível de ser realizada de imediato, assim como o fim do isolamento social.

O gestor estadual citou o exemplo de Florianópolis que flexibilizou a abertura de shoppings e os casos do covid-19 crescerem exponencialmente após isso.

Azevêdo disse ainda que o estado tem analisado, porém o prazo para que o comércio, escolas e shoppings voltem a funcionar sem restrições não pode ainda ser definido.

“Não vejo com muita possibilidade de retomar esse processo. Vemos que em estados que fizeram isso o número de casos aumentou. Não se tem previsão de se fazer uma abertura geral. Sabemos que é impossível. Florianópolis abriu os shoppings e os números triplicaram. É uma conta que não fecha. O Brasil passou 40 dias para ter mil mortes e hoje temos mil mortes a cada dois dias” pontuou.

Vale lembrar que ainda hoje o governador se reunirá virtualmente com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, o de Campina Grande, Romero Rodrigues e o presidente da Famup George Coelho para tratar justamente sobre essas medidas restritivas no estado.

PB Agora

 

 

Comerciantes fazem protesto pela reabertura do comércio, em Campina Grande

Comerciantes, lojistas e trabalhadores de Campina Grande protestaram pela reabertura do comércio na cidade usando máscaras e cartazes, nesta segunda-feira (27). De acordo com decreto municipal, o comércio deve ficar fechado até o dia 3 de maio, podendo ter o prazo prorrogado.

O protesto aconteceu na rua Maciel Pinheiro, centro da cidade. Segundo Eliézio Bezerra, lojista que participou do ato, os comerciantes e trabalhadores se uniram por entender a fragilidade da economia nesse momento.

Em entrevista à TV Paraíba, o empresário contou que já fechou uma de suas unidades e demitiu 22 de pessoas. O lojista acredita que o comércio da cidade tem condições de abrir e que não haverá aglomeração.

“As pessoas hoje não estão com dinheiro suficiente pra vir consumir aos montes. Então tanto a abertura vai ser gradual como o consumo. A parte das empresas já fez toda as providências necessárias, todas as lojas estão adequadas para dar segurança para o colaborador como também a toda população”, disse.

Comerciantes protestaram na rua Maciel Pinheiro, em Campina Grande — Foto: TV Paraíba/Reprodução

Comerciantes protestaram na rua Maciel Pinheiro, em Campina Grande — Foto: TV Paraíba/Reprodução

Segundo o decreto estadual, as cidades com casos de coronavírus confirmados devem continuar com isolamento social até o dia 3 de maio. Desde o último boletim epidemiológico, de 26 de abril, a cidade conta com 39 casos confirmados.

A Prefeitura de Campina Grande pretendia reabrir o comércio de forma gradual a partir de 20 de abril, mas, após recomendação feita pelo Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério Público da Paraíba (MPPB), decidiu manter a suspensão das atividades até 3 de maio.

G1 tentou falar com a Prefeitura de Campina Grande sobre o protesto desta segunda-feira (27), mas as ligações não foram atendidas.

G1

 

Após prefeito autorizar reabertura de comércio, Areia registra primeiro caso de coronavírus

Dez dias após o prefeito João Francisco (PSDB) autorizar a reabertura do comércio, a cidade de Areia, na Paraíba, registrou o primeiro caso de coronavírus, é o que confirma a secretaria de saúde do município. Trata-se de um homem de 33 anos que está em isolamento domiciliar e sendo monitorado pela saúde.

O prefeito de Areia permitiu a reabertura do comércio no último dia 15, o decreto autorizou também o funcionamento da feira livre na cidade, situação que resultou em aglomerações e foi alvo de várias criticas.

A população reclama ainda que não há fiscalização por parte da gestão municipal e que o prefeito é dono da metade do comércio da cidade, por isso decretou o funcionamento dos estabelecimentos, pois estava tendo prejuízo no seu supermercado, cartório, hotel e lojas de sua propriedade.

Moradores também cobram assistência da Prefeitura na distribuição de alimentos às famílias dos alunos que estão sem aulas e não tem acesso a merenda escolar.

A Prefeitura informou que além do caso confirmado, duas pessoas com sintomas de Covid-19 estão em isolamento domiciliar aguardando resultado dos exames e 22 pessoas estão sendo monitoradas.

 

portaldolitoralpb

 

 

Prefeito de Areia autoriza aglomerações com reabertura do comércio e mantém igrejas fechadas

Ao assinar na quarta-feira (15) o novo decreto que permite a reabertura do comércio e da feira livre na cidade de Areia, Brejo da Paraíba, o prefeito João Francisco desafia o Ministério Público Estadual (MPE), do Trabalho (MPT) e Ministério Público Federal (MPF) que recomendaram a manutenção de fechamento do comércio dos municípios, além de desobedecer o protocolo internacional de enfrentamento ao coronavírus determinado pelo Conselho Nacional de Saúde.

Mesmo reabrindo o comércio, o prefeito João Francisco não atendeu aos apelos de pastores e da comunidade católica e optou por manter as igrejas e templos fechados.

O gestor está recebendo muitas críticas da população. Neste sábado (18) imagens enviadas à nossa redação mostram aglomerações nas ruas e a maioria sem usar máscaras. A reabertura do comércio expõe os trabalhadores e clientes a riscos.

No Decreto é alertado aos comerciantes que sigam uma série de exigências para evitar a proliferação do coronavírus, como por exemplo, manter os ambientes arejados, distância mínima dos clientes, controle do número de pessoas nos estabelecimentos, uso de álcool em gel e doação de máscaras, porém os moradores informam que 90% dos estabelecimentos que reabriram não doaram as máscaras e não se mantém a distância indicada no decreto, conforme mostram as imagens.

A população reclama ainda que não há fiscalização por parte da gestão municipal e que o prefeito é dono da metade do comércio da cidade, por isso decretou o funcionamento dos estabelecimentos.

“Como é que um prefeito abre o comércio e deixa as igrejas e templos fechados? Isso mostra que ele só quer saber de lucro dos supermercados dele e do hotel de sua propriedade, pois quanto mais gente na rua, mais dinheiro circula e não existe fiscalização, não houve entrega de uma máscara pelo comércio”, informou um popular.

 

blogdoandersonsoares