Arquivo da tag: Rafinha

Rafinha deixa o jogo com um afundamento no crânio e é levado ao hospital

Rafinha, do Flamengo, deixou a Arena da Baixada neste domingo ainda com a partida contra o Athletico-PR em andamento. Substituído no intervalo, o lateral-direito do Flamengo, com um afundamento no crânio, foi encaminhado a um hospital em Curitiba.

O jogador levou a pior em dividida com Rony no primeiro primeiro tempo do jogo. O atacante do Furacão acertou a cabeça de Rafinha em disputa pelo alto. O lateral foi ao chão, ficou caído por alguns minutos, recebeu atendimento médico e seguiu em campo até o fim da primeira etapa.

De acordo com o departamento médico do Flamengo, o jogador está consciente. Após o trauma, ainda antes dos exames, Rafinha entrou em contato para tranquilizar os familiares e afirmou que não acredita que seja algo mais grave.

O jogo

Em mais uma atuação consistente e convincente, o Rubro-Negro venceu o Atheltico-PR em Curitiba, neste domingo, pela 25ª rodada do Brasileirão, e quebrou um tabu de 45 anos. Bruno Henrique foi o herói com dois gols que mantêm a equipe com oito pontos de vantagem para Palmeiras, segundo colocado.

Xô, tabu!

O triunfo deste domingo se torna ainda mais representativo se levado em conta a pedra no sapato que o Athletico é para o Flamengo historicamente no Brasileirão. Desde 1974, com um 2 a 1 no Couto Pereira, gols de Zico e Paulinho, os cariocas não venciam o Furacão como visitante pela competição.Gol do Flamengo! Éverton Ribeiro faz grande jogada, Renê cruza e Bruno Henrique marca, aos 45 do 2º tempo

Na Arena da Baixada, o feito é inédito. Até então, o Flamengo tinha vencido apenas um jogo: 1 x 0, em 2011, pela Copa Sul-Americana, gol de Ronaldinho. Na ocasião, os dois times usaram times reservas.

Na tabela

Com a vitória, o Flamengo segue nadando de braçada no Brasileirão. Agora, são 58 pontos e 18 vitórias contra 50 e 14 vitórias do Palmeiras. O Santos, que começou a rodada na segunda posição, empatou com o Inter e tem 48. Já o Furacão caiu para décimo, com 35 pontos.

Na próxima rodada, as duas equipes jogam fora de casa. O Flamengo visita o Fortaleza, quarta-feira, às 20h (de Brasília), no Castelão, enquanto o Athletico vai até o Rio de Janeiro encarar o Fluminense, quinta-feira, às 21h, no Maracanã.

Foto: Alexandre Vidal/CRF

Globo Esporte

 

 

Fla assina com Rafinha, e multa para clubes de fora é de R$ 130 milhões

Imagem reprodução TV Globo
Imagem reprodução TV Globo

A prorrogação do contrato de Rafinha com o Flamengo foi sacramentada nesta quarta-feira. O atacante, de 19 anos, assinou com o clube por cinco anos. O novo vínculo vai vigorar de 1º de fevereiro de 2013 a 31 de janeiro de 2018. Com a renovação, o clube estabeleceu uma multa rescisória para clubes do exterior de € 50 milhões (quase R$ 130 milhões). Para equipe brasileiras, o valor é de R$ 23 milhões.

Rafinha é o destaque do Rubro-Negro neste início de temporada. Titular absoluto do técnico Dorival Júnior, o jovem tem dois gols na Taça Guanabara e é a principal revelação do campeonato. O contrato anterior terminaria em março de 2014. O Flamengo é dono de 50% dos direitos econômicos. A outra metade é da MFD.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

No próximo domingo, o novo xodó da torcida rubro-negra vai disputar a primeira semifinal dele como profissional do clube. O Flamengo enfrenta o Botafogo em busca da vaga na decisão do primeiro turno. A partida será às 16h (de Brasília), no Engenhão.

Acerto com Rodolfo praticamente definido

O meia Rodolfo, de 19 anos e emprestado pelo Madureira até o dia 27 de março, será contratado. O Flamengo já definiu que irá firmar um contrato de quatro anos com o jogador e o valor do novo salário, que atualmente é de R$ 1.500. O Rubro-Negro pretende adquirir 50% dos direitos econômicos do meia, mas o percentual ainda está em discussão. O valor da negociação giraria em torno de R$ 600 mil. A assinatura vai ocorrer nos próximos dias.

 

 

Globoesporte.com

À la Neymar, Rafinha cita perseguição e recebe alerta de Dorival

Imagem reprodução TV Globo
Imagem reprodução TV Globo

Na vitória por 4 a 2 sobre o Vasco pela 4ª rodada do Carioca, Rafinha deu assistências e marcou um belo gol depois de arrancada de 53 metros. Na goleada por 4 a 0 sobre o Friburguense, fez um golaço com toque de cobertura sobre o goleiro. Foi a senha para a torcida rubro-negra brincar e cantar que “Rafinha é melhor que Neymar”. Na noite do último sábado, logo após o resultado de 2 a 0 sobre o Olaria, em Volta Redonda, a jovem promessa lembrou o craque santista, mas em outro aspecto: reclamou da perseguição dos adversários e questionou a arbitragem.

Dorival Júnior destaca que o jogador terá que encontrar soluções para a nova realidade, com marcações mais duras e maior atenção do adversário. A primeira prova de fogo de Rafinha será diante do Botafogo, domingo, pela semifinal da Taça Guanabara.

– Fatalmente, ele será responsável por tudo que cativou, que buscou, vai merecer uma atenção maior de todos em razão da velocidade e rapidez com que parte para cima. Naturalmente, as marcações serão mais difíceis, mais próximas, Rafinha vai ter que buscar soluções para resolver dentro de campo como vinha fazendo. Ele tem que buscar afirmação a cada rodada. É um trabalho moroso, acaba tendo oscilação, o que é natural. Mudou-se completamente o foco em cima desse garoto – disse o treinador do Flamengo.

Diante do Olaria, Rafinha sofreu faltas marcadas pelo juiz. Em outros momentos em que foi derrubado no gramado, o árbitro Philip Georg Bennett  deixou o jogo seguir. Durante a partida, de braços abertos, o jogador questionou alguns lances, mas sem se exasperar. Em algumas jogadas, o atacante perdeu a disputa no corpo a corpo, muito por conta da estrutura franzina.

Na saída de campo, com um corte abaixo do olho direito resultado de uma cotovelada, Rafinha desabafou pela primeira vez desde que passou a ser o centro das atenções:

– Toda hora os jogadores batem, me perseguem. Vou tentar um drible, o juiz não marca falta e fala que não posso fazer porque vão me bater. Fica difícil.

Rafinha, Flamengo x Olaria (Foto: Alexandre Vidal/Fla Imagem)Diante do Olaria, Rafinha reclamou da postura do
árbitro (Foto: Alexandre Vidal/Fla Imagem)

Rafinha foi titular nas oito partidas do Flamengo no ano, marcou dois gols e teve suas atuações destacadas.

Dorival se queixou da badalação em cima do jovem depois de um brilho repentino.

– Nesse período de transição, temos que ter muita paciência, não cabe exaltação rápida como aconteceu. Por isso, sempre alerto que esse jogadores têm um ápice rápido e a busca pela regularidade é dificultada em razão da própria atenção que ele chama – disse o treinador.

No dia a dia, Rafinha tem sido orientado por jogadores mais experientes, como Léo Moura. Antes do jogo contra o Olaria, quando o placar eletrônico do estádio Raulino de Oliveira anunciou a escalação do Flamengo, o atacante foi o mais saudado pela torcida quando teve seu nome citado, em mais uma prova de que o foco mudou. Para o bem e para o mal.

 

 

g1

Com dois gols de Hernane e Rafinha ‘seleção’, Fla goleia o Friburguense

Hernane “brocou” duas vezes, Rafinha fez um golaço, Cleber Santana ampliou e o Flamengo goleou o Friburguense por 4 a 0 na noite desta quarta-feira, no estádio Moacyrzão, em Macaé. Com boa atuação, o Rubro-Negro chegou a 16 pontos, manteve a invencibilidade e a liderança do Grupo B, e deixou a classificação para a semifinal da Taça Guanabara bem encaminhada. O Frizão, por sua vez, ocupa a quarta colocação do Grupo A, com sete pontos.

O Rubro-Negro só volta a campo no dia 17, quando enfrentará o Botafogo. Já o Friburguense encara o Resende na próxima rodada do Carioca.

Rafinha, com um golaço por cobertura, foi ovacionado pela torcida presente ao Moacyrzão. Foram 7.306 pagantes (9.236 presentes). A renda somou R$ 123.620,00.

Hernane, que disse que gostaria de ser chamado de “Brocador” pelos gols que tem feito no Carioca, deu ainda motivos para ganhar de vez o apelido. Antes da partida com o Frizão, o atacante já garantira as vitórias diante do Quissamã (2 a 0), Volta Redonda e Nova Iguaçu (ambos 1 a 0), além de deixar sua marca no 4 a 2 sobre o Vasco. O camisa 9 chegou a sete gols e disparou na artilharia do Carioca.

Hernani gol Flamengo (Foto: André Mourão / Ag. Estado)Hernane marcou duas vezes e chegou a sete gols no Carioca (Foto: André Mourão / Ag. Estado)

O Friburguense teve um problema minutos antes de a bola rolar. O goleiro Adilson sofreu uma crise alérgica e foi vetado da partida. Afonso assumiu a vaga de titular e, em 12 minutos, sofreu dois gols de Hernane. No primeiro, o arqueiro falhou ao tentar socar um cruzamento e a bola acabou limpa para o Brocador abrir o placar. Depois, Hernane aproveitou um cruzamento de Rafinha e só desviou, cara a cara com Adilson.

Com a vantagem rubro-negra no placar logo no início, o ritmo do jogo caiu. O forte temporal em Macaé também atrapalhou. Ainda assim, o Flamengo manteve o domínio da partida. Nixon saiu machucado (posterior da coxa esquerda) e deu lugar a Adryan. O Friburguense tentava se lançar ao ataque, mas de forma desordenada e sem dar sustos no goleiro Felipe. Nada que preocupasse a torcida presente ao Estádio Moacyrzão, que gritava e pedia: “mais um”.

Torcida pede Rafinha na Seleção

Rafinha gol Flamengo (Foto: André Mourão / Ag. Estado)Rafinha celebra o belo gol que marcou
(Foto: André Mourão / Ag. Estado)

E o Rubro-Negro ampliou logo no início da etapa final. Rafinha, recebeu bom passe de Ibson e penetrou livre. Com um belo toque de cobertura na saída do goleiro, fez um golaço: 3 a 0. Foi o suficiente para a torcida cantar: “Ah, Rafinha é melhor que Neymar” e “Rafinha é Seleção”.

Sem ser incomodado, o Flamengo ampliou com Cleber Santana. O meia, que entrara no lugar de Hernane, que teve uma torção simples no tornozelo direito, recebeu passe de Rafinha e soltou a bomba para selar o placar de 4 a 0. O Friburguense pouco incomodava, e o Rubro-Negro ainda desperdiçou chances de fazer mais gols.

No fim, Dorival Júnior foi expulso por questionar uma marcação do árbitro.

 

 

Globoesporte.com

Na velocidade de Rafinha, Fla bate o Vasco e retoma liderança do grupo B

Coube a um jovem de 19 anos ser o protagonista de seu primeiro clássico entre os profissionais. Veloz, Rafinha mostrou que também tem estrela: além de marcar seu primeiro gol pelo Flamengo, ele infernizou a defesa adversária e ajudou o Rubro-Negro a vencer o Vasco por 4 a 2, na noite desta quinta-feira, no Engenhão. Nixon, de peito, Cleber Santana, numa pancada no ângulo, e Hernane, que agora é artilheiro do Carioca ao lado do vascaíno Bernardo – ambos com quatro gols -, completaram o placar elástico do Fla sobre um rival que ofereceu espaço demais em sua defesa.

– É uma emoção muito grande. Como já disse muitas vezes, muitos falaram que eu não ia conseguir, que não ia chegar por causa do meu tamanho, do porte físico. E, se Deus quiser, matando um leão por dia, vou derruba muito mais aí – vibrou Rafinha, na saída de campo.

Rafinha gol Flamengo x Vasco (Foto: Bruno Turano / Ag. Estado)Após arrancada de 53m, Rafinha comemora seu primeiro gol pelo Fla (Foto: Bruno Turano / Ag. Estado)

O Vasco, que tinha a melhor campanha do estadual, em momento algum conseguiu ser superior ao rival no seu primeiro grande desafio no ano. Mas o time pecou demais na marcação. Tenorio estreou na temporada, mas quando já era tarde demais. Pedro Ken e Dakson – que também balançou a rede pela primeira vez no clube -, descontaram o placar para o Cruz-Maltino, diante de 15.669 presentes no estádio (12.423 pagantes). A renda da partida foi de R$ 403.545,00.

– Ninguém quer perder um clássico, mas isso é futebol. Acho que o Vasco não jogou mal, mas no futebol quando você é cobrado, é cobrado pelos erros. Mas estou tranquilo. O mais importante é que o time está bem, ninguém saiu machucado. Estamos tranquilos, vamos esquecer e pensar à frente – ponderou Tenorio.

Com a vitória, o Rubro-Negro somou 10 pontos, passou a ter a melhor campanha do Carioca e retomou a liderança do Grupo B. Na próxima rodada, o time recebe o Nova Iguaçu no domingo, às 17h (de Brasília), no Engenhão. Já o Vasco perdeu os 100% de aproveitamento, mas segue em primeiro lugar da Chave A, com nove pontos. O Cruz-Maltino enfrenta agora o Bangu, no domingo, às 19h30m, em São Januário.

Falhas de marcação, muitos espaços e três gols

Sonolento na marcação, o Vasco começou o jogo dando muito espaço para o Flamengo, que atacava com mais homens do que o Cruz-Maltino defendia. Mas as muitas opções de jogadores, em alguns lances, acabaram atrapalhando os rubro-negros, que batiam cabeça e desperdiçavam a vantagem numérica. Aos poucos, o ataque foi se acertando: com frequentes inversões entre Rafinha e Nixon nos lados do campo, o Fla começou a assustar e logo encontrou seu gol. Com muita liberdade pelo meio, Ibson deu um bolão para Rafinha. O atacante dividiu com o goleiro Alessandro, e a bola sobrou limpara para Hernane só empurrar para o gol vazio, aos 24 minutos.

Ao se lançar ao ataque e sem ter um primeiro volante de muita marcação, o Vasco pagou caro mais uma vez pelos vários buracos na defesa que não há Dedé que dê jeito. Seis minutos depois, em contra-ataque armado por Ibson, Elias tabelou com Rafinha e cruzou na medida para Nixon, sozinho na área, escorar com o peito para a rede. Pedro Ken, que falhou ao não acompanhar Nixon no segundo gol, se redimiu aos 32 e recolocou o Cruz-Maltino no jogo. Bernardo cobrou falta cometida por Ibson na direita, e foi a vez de o volante aproveitar o erro do Fla: sem ser marcado em momento algum, entrou pelo meio da área e subiu livre para marcar.

A bola aérea, aliás, foi a melhor arma do Vasco, que antes só havia conseguido assustar o adversário numa falha de Renato Santos, que deixou Leonardo na cara do gol, mas González impediu o chute. O Cruz-Maltino quase empatou em dois cruzamentos. No primeiro, a zaga rubro-negra cortou mal, e a bola ficou pingando na pequena área, na frente dos vascaínos, que não conseguiram finalizar. E no segundo, Wendel cabeceou à queima roupa, mas Felipe defendeu no susto. A velocidade de Eder Luis também foi uma ótima opção na direita, mas o sistema de cobertura do Fla impediu que o atacante passasse por todos os marcadores.

Dedé e Rafinha Vasco x Flamengo (Foto: Rudy Trindade / VIPCOMM)Arma do Fla, Rafinha deu trabalho a Dedé e foi o destaque do clássico (Foto: Rudy Trindade / VIPCOMM)

Rafinha chama o jogo, e golaços saem de cada lado

Na volta do intervalo, as duas equipes mexeram: com a vantagem, Dorival Júnior sacou o esquema com três atacantes e entrou com Cleber Santana no lugar de Nixon. Já Gaúcho manteve o time no 4-4-2, mas trocou Jhon Cley por Dakson. Mas a substituição que fez efeito foi a rubro-negra. Após grande jogada de Rafinha, que passou por Abuda, tirou Dedé e rolou para o meio, Cleber Santana pegou de primeira, de três dedos, e acertou uma bomba a 127km/h no ângulo. Um golaço. A alteração cruz-maltina teve sua chance logo depois, mas desperdiçou. Felipe não conseguiu cortar um cruzamento de Wendel, e a bola sobrou para Dakson com o gol aberto. De fora da área, ele bateu de primeira, mas mandou por cima do travessão.

Gaucho, então, chamou Tenorio. O atacante equatoriano, que ainda não está no melhor de sua condição física, entrou no lugar de Leonardo e melhorou o Vasco. Em dois chutes, ele colocou Felipe para trabalhar. Quando o goleiro falhou, Bernardo por pouco não diminuiu. Na pequena área, ele soltou uma bola nos pés do meia, que chutou na rede pelo lado de fora. Preocupado, Dorival colocou Renato Abreu no lugar de Ibson para melhorar a marcação, e o Fla seguiu impiedoso nos contra-ataques com o veloz Rafinha. Aos 19 minutos, o jovem atacante pegou a bola no meio de campo e levou até a área, percorreu 53m, deixou André Ribeiro na saudade e bateu no cantinho esquerdo de Alessandro.

O destaque do jogo cansou e saiu para a entrada de Thomás, aos 23 minutos. E o Flamengo parou. Quatro minutos depois, Dakson mostrou que também sabe fazer golaço: soltou uma pancada a 105km/h, do lado direito, e acertou o ângulo de Felipe. Foi o primeiro do meia com a camisa cruz-maltina. O gol animou o Vasco, que sequer fez sua terceira substituição e foi para cima, mas esbarrou em Felipe e na trave, e a reação parou por aí. Aos 32, Eder Luis telegrafou o chute e perdeu grande chance cara a cara com o goleiro. No fim, a zaga do Fla falhou mais uma na bola aérea, e André Ribeiro testou no poste. Foi a última chance do jogo, que só foi comemorada pelos flamenguistas.

 

 

Globoesporte.com