Arquivo da tag: Radialista

‘Xeque-Mate’: ex-prefeitos, empresário e radialista viram réus por compra de mandato na PB

A Justiça da Paraíba aceitou o pedido do Ministério Público e tornou réus sete pessoas no processo que investiga a compra do mandato do ex-prefeito de Cabedelo, José Maria de Lucena Filho (Luceninha), na Operação Xeque-Mate – que desarticulou um esquema de corrupção que teria comprado o mandato do ex-prefeito por R$ 5 milhões.

Os ex-prefeitos Leto Viana e Luceninha, o empresário Roberto Santiago, o radialista Fabiano Gomes, o ex-vereador Lucas Santino, o ex-secretário Olívio Oliveira dos Santos e Fabrício Magno Marques de Melo Silva teriam comprado o mandato do então prefeito Luceninha por R$ 5 milhões.

Conforme a investigação, o aporte financeiro para compra do mandato partiu do empresário Roberto Santiago. Com a renúncia de Luceninha, Roberto Santiago e Leto Viana teriam sido beneficiados. Roberto com interesses empresariais garantidos pelo novo chefe do Executivo e Leto com a eleição ao posto de prefeito da cidade.

Ainda são citados na ação Lucas Santino da Silva, enquanto presidente da Câmara de Vereadores de Cabedelo; Olívio Oliveira dos Santos, enquanto secretário municipal de comunicação e Fabiano Gomes da Silva, responsável pelo marketing da campanha eleitoral de Luceninha.

De acordo com o processo, a pressão para a renúncia do então prefeito eleito teria acontecido em novembro de 2013 e teria sido feita por parte de empresários que financiaram a campanha dele, no sentido de reaverem o dinheiro investido no pleito eleitoral.

A juíza da 3ª Vara Mista de Cabedelo, Giovanna Lisboa Araújo de Souza, destacou que pela “compra e venda” do mandato de Luceninha houve um faturamento de, pelo menos, R$ 5,3 milhões. Deles, R$ 800 mil em espécie e R$ 1.713.000 na emissão de 18 cheques pré-datados.

O restante seria obtido através de indicações de pessoas para preenchimento de cargos públicos na Prefeitura de Cabedelo, entre os anos de 2013 e 2017, em que os salários totalizavam mensalmente o valor aproximado de R$ 70 mil, conforme demonstrativos de remunerações, trechos de delação e canhotos dos cheques acostados na inicial.

A magistrada ressaltou, ainda, que a verificação da concreta existência ou não das ações denunciadas de também o exercício da defesa por partes dos denunciados.

Operação ‘Xeque-Mate’

A operação Xeque-Mate foi deflagrada no dia 3 de abril de 2018 com objetivo de desarticular um esquema de corrupção na administração pública do município de Cabedelo, localizado na região da Grande João Pessoa. A operação moveu algumas peças na gestão da cidade e modificou, rapidamente, a administração da cidade, atingido a Prefeitura e a Câmara de Vereadores.

O grupo envolvido na operação desviou, pelo menos, R$ 30 milhões. Cerca de R$ 4,8 milhões foram utilizados em cargos fantasmas. Cada funcionário recebia até R$ 20 mil e entregava a maior parte para as autoridades locais, ficando com valores residuais.

O que dizem os citados

A defesa de Leto Viana informou que ainda não foi notificada pela Justiça e que quando tiver acesso aos autos emitirá um posicionamento oficial.

Já a defesa de Roberto Santiago disse ao G1 que embora também não tenha sido notificada, garante que ele não cometeu atos ilícitos e que terá a inocência provada no momento próprio.

Olívio Oliveira dos Santos declarou que confia “no trabalho sério do Ministério Público e da Polícia Federal”.

O G1 também tentou entrar em contato com Fabiano Gomes e José Maria de Lucena Filho. Até as 15h40, as ligações não foram atendidas. A reportagem não conseguiu contato com Lucas Santino.

G1

 

Morre o radialista Paulo Costa, da Guarabira FM

Morreu nesta segunda-feira (23) o radialista Paulo Costa, diretor da rádio Guarabira FM, Sistema Correio de Comunicação. Paulo estava bastante debilitado enfrentando sérios problemas de saúde.

De acordo com informações ele estava passando por problemas cardíacos, além de uma forte diabetes. Veterano do rádio, Paulo, além de excelente comunicador foi um dos maiores narradores esportivos do Nordeste brasileiro. Atuou como profissional na rádio Tabajara da Paraíba, chegando a ocupar o maior posto, diretor administrativo(Superintendente).

Comunicador versátil, Paulo começou sua exitosa carreira, na década de 80, na Rádio Cultura de Guarabira. Atuou de forma esplêndida no rádio, nas áreas do jornalismo, entretenimento e esporte.

portalmidia

 

 

Suspeito de matar radialista para esconder relacionamento homossexual é preso em Itaporanga

O radialista Denisvaldo Mendes Pacheco, que estava desaparecido há pelo menos 24 horas, foi encontrado morto a cerca de dois quilômetros da região central da cidade de Itaporanga, no Sertão da Paraíba, na noite da quinta-feira (29).

Nesta sexta-feira (30), a polícia capturou um homem suspeito de ter assassinado o radialista. Investigações apontam que ele teria um relacionamento amoroso com a vítima.

A polícia acrescenta ainda que o crime teria sido motivado após Denisvaldo supostamente ter feito chantagens ameaçando revelar o relacionamento. O suspeito, que é casado, teria feito ameaças à vítima através das redes sociais.

Fonte: PBAgora

 

 

PM reformado é preso suspeito de envolvimento na morte de radialista em Campina Grande

Um policial militar reformado de 50 anos de idade foi preso suspeito de envolvimento na morte do radialista Joacir Oliveira Filho, 34 anos. O crime aconteceu em maio deste ano em um restaurante no Centro de Campina Grande. O empresário Roberto Vicente Correia do Monte foi preso como autor dos disparos. Tudo foi registrado por câmeras de segurança.

O militar reformado foi preso na manhã desta terça-feira (9), enquanto trabalhava como segurança em um posto de combustíveis. A prisão dele ocorreu por força de uma mandado de prisão preventiva. Além desse mandado, o militar reformado também foi autuado por porte ilegal de arma de fogo. Ele foi flagrado com uma arma, mas com o porte vencido.

O mandado de prisão foi expedido pelo 1º Tribunal do Juri de Campina Grande e justifica a prisão para garantir que testemunhas do crime não sejam ameaçadas pelo militar reformado. Além disso, ele foi denunciado por omissão de socorro e por favorecimento pessoal.

O inquérito foi instaurado pela Delegacia de Homicídios da Polícia Civil e mostra que o militar reformado estava como motorista do empresário Roberto Vicente Correia do Monte que efetuou os tiros no dia do crime.

Depois que o empresário atira no radialista, o militar aparece ajudando o suspeito a sair do local. Nas imagens, o empresário Roberto Vicente Correia do Monte aparece aparentemente embriagado, cambaleando.

Segundo a Polícia Civil investigou, o crime ocorreu depois que o empresário e o radialista começaram a discutir por causa de um relógio. O que chamou a atenção da Polícia Civil foi que, ao se encontrarem, suspeito e vítima se abraçaram. E antes de matar o radialista, o empresário pagou a conta dele no restaurante.

G1

 

Em depoimento, Leto afasta vínculo com radialista Fabiano Gomes

Continuar a colaborar com a justiça. É essa a decisão do ex-prefeito de Cabedelo, Leto Viana, ao término do depoimento na audiência da Operação Xeque-mate que acontecia desde às 8h30 desta terça-feira (09) e terminou por volta das 15h30.

“Não estou aqui para me defender, mas para colaborar com a Justiça. Estou à disposição para o que precisarem de mim”, disse Leto, em última declaração durante o depoimento.

O ex-gestor chegou ao local com um colete a prova de balas e permaneceu com ele até o fim da audiência.

VÍNCULO COM FABIANO GOMES

Ainda durante o depoimento, Leto negou qualquer vínculo como radialista Fabiano Gomes, que também foi um dos alvos da Operação Xeque Mate.

Segundo o ex-prefeito, Fabiano era consultor do empresário Roberto Santiago antes mesmo dele assumir a gestão de Cabedelo. O comunicador seria o responsável pelas estratégias de marketing para barrar a construção do Pátio Shopping Intermares. Ainda segundo o ex-prefeito, o elo financeiro de Fabiano seria apenas com Roberto Santiago.

As declarações convergem com o depoimento prestado pelo ex-prefeito Luceninha à Polícia Federal. Na oportunidade, Luceninha negou ter sofrido pressão por parte de Fabiano para renunciar ao cargo de prefeito e disse que o procurou apenas para pedir ajuda para a redação de sua carta-renúncia.

ESPOSA DE LETO NÃO QUIS FALAR

A esposa dele, a vereadora afastada Jaqueline França também depôs nesta terça-feira (09). Diferentemente do marido, Jaqueline preferiu permanecer calada.

“Uso meu direito de ficar calada”, respondeu a parlamentar a todas as indagações recebidas na audiência.

PB Agora

 

 

Luto na imprensa: morre a radialista Greice Sampaio no HU, em João Pessoa

A cidade de Guarabira está de luto com a notícia da morte da radialista Greice Sampaio, que estava internada na UTI do Hospital Universitário, em João Pessoa. Ela faleceu na manhã desta quinta-feira (4).

Ela passou mau, foi socorrida inicialmente para o Hospital Regional de Guarabira e depois encaminhada ao Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa. De acordo com informações de pessoas próximas, a radialista teria sido vítima de um tipo de leucemia agressiva, que foi descoberta já em estado avançado, tirando a vida de Greice.

Ela foi funcionário da Rádio Rural de Guarabira por muitos anos e atualmente estava trabalhando na Rádio Comunitária Pilõezinhos FM.

Familiares informaram que o velório acontecerá a partir das 17h de hoje, na casa de velórios Rosa Master, e o sepultamento será amanhã às 16h na cidade de Guarabira.

 

portal25horas

 

 

Morte de radialista em Campina Grande foi motivada por briga envolvendo relógio, diz polícia

Uma briga por causa de um relógio teria sido o motivo que levou o empresário Roberto Vicente Correia do Monte a matar o radialista Joacir Oliveira Filho, de 34 anos em Campina Grande. Essa informação foi divulgada pela Polícia Civil, durante uma entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (31).

Jorcir Oliveira Filho foi morto a tiro na noite desta quinta-feira (30), em um restaurante no centro de Campina Grande. O suspeito foi preso no início da tarde desta sexta-feira, em flagrante.

Segundo a Polícia Civil, vítima e suspeito estavam embriagados no momento do crime. Imagens colhidas pelos policiais mostram que os dois se encontraram no restaurante, se cumprimentaram e começaram a beber juntos. Segundo o relato de testemunhas à Polícia Civil, enquanto bebiam, os dois começaram a discutir por vários assuntos.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a briga ficou mais intensa quando os dois começaram a discutir por causa do relógio que o empresário estava usando. De acordo com a delegada de homicídios da Polícia Civil, Suelane Guimarães, o autor do crime saiu do local, pagou a conta dele e da vítima, e depois voltou já atirando.

Depois de atirar na vítima, o suspeito fugiu. Segundo a Polícia Civil, o motorista do empresário estava esperando do lado de fora. O motorista assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). O suspeito do crime seguia detido na carceragem da Central de Polícia, até as 17h30, aguardando audiência de custódia.

A vítima ainda foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no caminho do hospital.

G1

 

Empresário é preso suspeito de matar radialista por causa de política

Foi preso no começo da tarde desta sexta-feira (31) um empresário suspeito de matar o radialista Joacir Rocha de Oliveira Filho, de 35 anos, dentro de um restaurante do Centro de Campina Grande.

Conforme imagens de segurança, um homem armado atira na vítima dentro do local e foge amparado por outra pessoa. Segundo a delegada Suelane Guimarães, à TV Correio, não houve latrocínio porque nenhum pertence da vítima foi roubado.

Às 13h16, o empresário, que é do ramo da construção civil e tem 42 anos, estava sendo ouvido pela delegada e teria confessado o crime. Segundo apuração da TV Correio, o motivo seria uma discussão política.

Políticos lamentam

O deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) lamentou a morte do radialista. “Que o nosso bom Deus conforte o coração dos familiares e amenize tanto sofrimento. Sei o tamanho da dor de perder alguém que amamos”, destacou.

Joacir era filho do jornalista Joacir Oliveira (já falecido) e irmão do apresentador de uma emissora de TV local, Cléber Oliveira. Tovar destaca que apesar de novo, ele era um profissional dedicado e que deixa um legado como comunicador.

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, também divulgou nota de pesar pela morte do radialista. “O prefeito encaminhou apelo à Polícia Civil para o máximo empenho na elucidação do caso. E também prestou solidariedade e votos de pesar à família, também vítima dessa tragédia”, diz a nota divulgada pela prefeitura.

 

 

portalcorreio

 

 

Livro conta trajetória de jornalista e radialista paraibano famoso em São Paulo

Foi lançado nessa terça-feira (23) o livro “Mano Véio”, que conta a trajetória do jornalista e radialista Amorim Filho, figura reconhecida por ser responsável pela difusão das manifestações culturais nordestinas em todo o Brasil e um dos grandes nomes que já passaram pela Rádio Bandeirantes. O paraibano já está em São Paulo há mais de cinco décadas.

O também radialista paraibano Luís Almeida esteve no lançamento da obra e falou sobre a importância de Mano Véio. “Ele é uma verdadeira referência para todos nós que fazemos comunicação. E é uma felicidade muito grande está fazendo parte desse momento”, contou.

Clique aqui e veja um pouco da trajetória de Mano Véio

Redação FN

 

 

Radialista Gil Gomes morre aos 78 anos

O apresentador e radialista Gil Gomes morreu nesta terça-feira, 16, aos 78 anos. Ele passou mal na segunda-feira e foi levado ao Hospital São Paulo, na zona sul da cidade, mas não resistiu. A causa da morte ainda não foi divulgada, tampouco informações sobre velório.

O jornalista e radialista Gil Gomes, durante reportagem para o programa Aqui e Agora, levado ao ar pelo Sistema Brasileiro de Televisão (SBT)
O jornalista e radialista Gil Gomes, durante reportagem para o programa Aqui e Agora, levado ao ar pelo Sistema Brasileiro de Televisão (SBT)

Foto: ARI VICENTINI / Estadão Conteúdo

Ele sofria com mal de Parkinson desde 2005.

Gil Gomes iniciou sua carreira na extinta Rádio Marconi, na década de 1960.

Os gestos, a voz e o visual do jornalista foram características que o marcaram como o repórter policial do jornal diário Aqui Agora, exibido pelo SBT entre 1991 e 1997.

“Sempre gostei de roupas de cores fortes e estampadas por causa da alegria que elas passam”, comentou em 2011.

Em entrevista em 2011 ao Estado, Gomes rememorava com saudosismo os tempos de televisão, em que diz ter trabalhado com “a seleção brasileira de repórteres”. Da equipe do programa, destacam-se os jornalistas César Tralli e Sônia Abrão. “Quando eu falei do PCC pela primeira vez, chamaram de jornalismo lixo. O que eu falava naquela época está acontecendo agora”, dizia o jornalista.

Estadão