Arquivo da tag: Radialista

Sogro tenta matar radialista Jota Carlos na cidade de Sapé

O radialista Jota Carlos da Rádio Sapé FM, que também é socorrista do Samu do município de Sapé, Zona da Mata da Paraíba, sofreu uma tentativa de homicídio no início da tarde desta quinta-feira (25).

Jota Carlos é bastante conhecido da imprensa da grande João Pessoa e logo o assunto ganhou as telas da TV, nos programas policiais.

O autor do sinistro é o sogro da vítima, segundo o mesmo afirma, que foi conduzido para a delegacia.

Em entrevista à TV Correio, o radialista disse que o sogro estava embriagado quando chegou na casa do agressor para deixar seu filho de 3 anos para ficar com a avó. O sogro, de acordo com Jota Carlos, costuma ficar valente quando está sob efeito de bebida acoólica e sacou uma faca peixeira o ameaçando de morte.

A residência onde ocorreu a confusão fica perto do pelotão da Polícia Militar, que foi acionada e rapidamente conseguiu impedir que o sogro atentasse contra a vida do genro.

Ele foi encaminhado á delegacia de Polícia Civil para ser ouvido pleo delegado.

portal25horas

 

 

Campanha solidária: radialista Jean Gomes precisa de sua ajuda agora

O radialista Jean Gomes, o ‘Ganso’, funcionário da Rádio Guarabira FM, continua sua luta em tratamento de saúde e esta semana voltou a ser internado no Hospital Regional de Guarabira, onde encontra-se numa enfermaria e tendo os devidos cuidados médicos.

Jean estava no Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa, teve alta médica e retornou para casa. Essa semana teve alteração no quadro clínica e precisou voltar a ser internado, desta feita numa unidade hospitalar de Guarabira.

Nesta sexta-feira (22), o radialista Rafael San, colega de Jean em programa matutino da Guarabira FM, iniciou uma campanha para ajudar no tratamento do comunicador, para fazer face a pagamentos de exames, medicamentos e outras necessidades.

Quem quiser doar qualquer quantia deve depositar no Banco Bradesco
Agência: 2007
Conta Corrente: 8492-1
Jean Gomes de Souza

Ganso sofre de pancreatite. A pancreatite pode começar subitamente e durar dias ou pode ocorrer ao longo de muitos anos. Ela tem várias causas, incluindo cálculos biliares e consumo intenso e crônico de álcool.

Os sintomas incluem dor na parte superior do abdômen, náuseas e vômitos.
Normalmente, o tratamento requer hospitalização. Depois de estabilizarem o paciente, os médicos tratam a causa subjacente.

Jean também trata uma leucemia e precisa tomar dores regulares de insulina, que é um medicamento de preço elevado.

No rádio

Com mais de 20 anos de profissão, Jean Gomes iniciou no rádio como motorista da unidade móvel da Rádio Rural. Com sua desenvoltura, foi convidado pelo empresário João Rafael para fazer um programa na Rádio Cultura e a partir daí não parou mais. Fez programas musicais de grande audiência na Rural, fez jornalismo na Rádio Cultura e depois contratado pela Guarabira FM, divide bancada com Rafael San.

De estilo próprio, ganhou popularidade com matérias na área policial e faz sucesso no rádio. No programa, uma de suas marcas é a solidariedade com as pessoas necessitadas que procuram a emissora precisando de ajuda e fez inúmeras campanhas de arrecadação de donativos e de valores financeiros para ajudar famílias de Guarabira e da região.

 

portal25horas

 

 

Operação Calvário: radialista tem prisão mantida e vai para presídio do Róger, na PB

O radialista Fabiano Gomes teve a prisão temporária mantida após audiência de custódia nesta quarta-feira (11). Ele será encaminhado ao Presídio do Róger, onde deve ficar preso, pelo menos, até o sábado (14), caso a prisão não seja revogada ou convertida em preventiva. Fabiano Gomes foi preso nesta terça-feira (10) na oitava fase da Operação Calvário, em João Pessoa. Ele é suspeito de atrapalhar as investigações solicitando dinheiro aos investigados para não divulgar informações sigilosas.

Fabiano Gomes denunciou ao juiz que, em prisão anterior, houve problemas com agentes penitenciários no presídio do Róger. Como medida de cautela, o juiz definiu que ele não tenha contato pessoal com o diretor do presídio. O radialista ficará, durante os cinco dias, na cela do seguro no Róger. Ele só poderá receber visita da esposa, dos filhos, pais e avós.

Segundo o blog de Matheus Leitão, do G1, o radialista também vai responder por porte ilegal de arma. Outros nove mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em João Pessoa e Bananeiras, na Paraíba. Um auditor também é investigado.

A defesa do radialista Fabiano Gomes informou que via estudar nesta quarta-feira a necessidade ou não de um recurso, já que o radialista só deve ficar preso, por enquato, até o sábado.

Arma apreendida na casa do radialista Fabiano Gomes; ele foi preso na oitava fase da Operação Calvário e também vai responder por porte ilegal de arma — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Arma apreendida na casa do radialista Fabiano Gomes; ele foi preso na oitava fase da Operação Calvário e também vai responder por porte ilegal de arma — Foto: Polícia Federal/Divulgação

A 8ª fase da Operação Calvário e investiga a lavagem de dinheiro de recursos desviados de organizações sociais da área da saúde, por meio de jogos de apostas autorizados pela Loteria do Estado da Paraíba (Lotep).

De acordo com as investigações, parte dos recursos teriam sido desviados com a participação do auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Richard Euler Dantas de Souza. Ele teria recebido uma valor para atrapalhar a fiscalização nas organizações sociais. O TCE-PB não se posicionou sobre o caso.

Além disso, também com o objetivo de impedir a investigação da Operação Calvário, o radialista Fabiano Gomes estaria utilizando canais da imprensa para constranger os investigados ou potenciais investigados. Ele teria solicitado a eles uma quantia em dinheiro para não revelar nenhum conteúdo sigiloso sobre eles.

Ao todo, 55 policiais federais e cinco auditores da Controladoria Geral da União participaram do cumprimento dos mandados, que aconteceram nas residências dos investigados e no Tribunal de Contas do Estado da Paraíba.

As ordens foram expedidas pelo Desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba.

Outros envolvidos na oitava fase

Foram alvos de busca e apreensão na oitava fase da Operação Calvário o irmão do ex-governador da Paraíba, Coriolano Coutinho, acusado de ser sócio oculto do Paraíba de Prêmios (jogo de oposta); Mayara de Fátima Martins de Souza, chefe de gabinete de Estela Izabel, e secretária-geral da Cruz Vermelha Brasileira (CVB); e Denylson Oliveira Machado, um dos responsáveis pelo Paraíba de Prêmios.

A defesa de Coriolano Coutinho disse que não sabe ainda do que se trata, pois não teve acesso a informações da operação. O G1 não conseguiu contato com as outras defesas.

Gaeco e Polícia Federal desencadeiam 8ª Fase da Operação Calvário

Gaeco e Polícia Federal desencadeiam 8ª Fase da Operação Calvário

Vídeo mostra negociação de propina feita por auditor

Um vídeo, que faz parte do processo da Operação Calvário, mostra o que seria um encontro entre o auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Richard Euler Dantas de Souza, e o ex-superintendente da Cruz Vermelha, Ricardo Elias Antônio, ambos denunciados pelo Ministério Público. No encontro os dois, segundo o Ministério Público, tratariam do pagamento de R$ 200 mil ao auditor para “esfriar” as fiscalizações em contratos da Saúde do Estado. O vídeo faz parte da denúncia.

  • Ricardo Elias: Eu só deixa… Se tá no meu bolso, vamos lá. Isso aqui é o…
  • Richard: (inaudível) aquele negócio.
  • Ricardo Elias: (inaudível) aquele negócio lá.
  • Richard: Beleza.
  • Ricardo Elias: Você me pediu, tá! Tá resolvido.
  • Richard: (inaudível)
  • Ricardo Elias: Aí… Deixa… É que eu tô hoje… Nem tô com muito tempo de folga, tô ferrado de correria. Só mau notícias (inaudúvel) que que aconteceu? Você…
Policiais federais cumpriram mandado de busca e apreensão no Palácio da Redenção, durante sétima fase da Operação Calvário, em João Pessoa — Foto: Divulgação/PF

Policiais federais cumpriram mandado de busca e apreensão no Palácio da Redenção, durante sétima fase da Operação Calvário, em João Pessoa — Foto: Divulgação/PF

Operação Calvário

A Operação Calvário foi desencadeada em dezembro de 2018 com o objetivo de desarticular uma organização criminosa infiltrada na Cruz Vermelha Brasileira, filial do Rio Grande do Sul, além de outros órgãos governamentais. A operação teve oito fases, resultando na prisão de servidores e ex-servidores de alto escalão na estruturado governo da Paraíba.

A investigação identificou que a organização criminosa teve acesso a mais de R$ 1,1 bilhão em recursos públicos, para a gestão de unidades de saúde em várias unidades da federação, no período entre julho de 2011 até dezembro de 2018.

Na sétima fase, o governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), e o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), se tornaram alvos, no dia 17 de dezembro de 2019. Um mandado de prisão foi expedido contra o ex-governador. Em relação ao atual governador, houve somente mandados de busca e apreensão, determinados para o palácio de governo e para a residência oficial.

Também foram expedidos mandados de prisão contra a deputada estadual Estela Bezerra (PSB) e a prefeita do município paraibano de Conde, Márcia Lucena (PSB). Ao todo, a “Operação Calvário – Juízo Final” expediu 17 mandados de prisão preventiva e 54 de busca e apreensão.

O ex-governador Ricardo Coutinho foi preso no fim da noite do dia 19 de dezembro e teve a prisão preventiva mantida no dia 20 de dezembro após audiência de custódia. Ele foi encaminhado para a Penitenciária de Segurança Média Juiz Hitler Cantalice, no bairro de Mangabeira, na capital paraibana, onde também foram os demais presos na sétima fase da Operação Calvário com prerrogativa de prisão especial. Ele deixou o presídio no dia 21 de dezembro de 2019.

G1

 

Agenda de ex-governador da PB registra supostos pagamentos ilícitos feitos por radialista, diz MP

O radialista Fabiano Gomes, preso na oitava fase da Operação Calvário, teria relação com pagamentos ilícitos de propina, de acordo com a denúncia do Ministério Público da Paraíba (MPPB). Durante a sétima fase da operação, foi encontrada uma agenda do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) onde existem registros dos pagamentos supostamente realizados por Fabiano Gomes.

A 8ª fase da Operação Calvário e investiga a lavagem de dinheiro de recursos desviados de organizações sociais da área da saúde, por meio de jogos de apostas autorizados pela Loteria do Estado da Paraíba (Lotep).

Conforme o documento, nos manuscritos da agenda pessoa de Ricardo Coutinho, Fabiano Gomes teria relação com “tanques com dinheiro”; “dois cartões de gasolina” que totalizam o montante de mais de R$ 11 milhões; “devolução de R$ 460 mil”, como uma suposta propina que teria retornado a Fabiano sob o controle de Ricardo Coutinho; e um repasse de R$ 100 mil para um jornalista feito por Ricardo Coutinho a pedido de Fabiano Gomes.

Além disso, de acordo com as informações do MPPB, Fabiano Gomes está vinculado ao quadro de sócios de sete empresas. Uma dela teria recebido do Governo do Estado um valor superior a R$ 9 milhões.

Para comprovar o envolvimento de Fabiano Gomes com Ricardo Coutinho, o MP mostra que são mencionados manuscritos contidos agenda pessoal e que evidenciam repasses sistemáticos de propina ao radialista como R$ 30 mil, os quais teriam relação com os desdobramentos da Operação Xeque-Mate.

Oitava fase da Operação Calvário investiga desvio de dinheiro por meio de jogos de aposta, na Paraíba — Foto: Divulgação/PF-PB

Oitava fase da Operação Calvário investiga desvio de dinheiro por meio de jogos de aposta, na Paraíba — Foto: Divulgação/PF-PB

O que dizem os citados

  • Fabiano Gomes: A defesa do radialista Fabiano Gomes ainda não teve acesso a decisão do desembargador Ricardo Vital, mas acompanha a busca e apreensão e a prisão temporária. No entanto, informou estar surpresa com ação, pois, segundo a defesa, “Fabiano até então não era investigado, citado ou sequer foi ouvido antes pelo Gaeco na Operação Calvário, a quem sempre se colocou e novamente se coloca à disposição para todo e qualquer esclarecimento”.
  • Ricardo Coutinho: de acordo com a defesa, como Ricardo não é alvo da operação, apenas foi citado, e a defesa não teve acesso ao conteúdo da denúncia, não haverá posicionamento no momento.

Oitava fase da Operação Calvário

O radialista Fabiano Gomes foi preso na manhã desta terça-feira (10) na oitava fase da Operação Calvário, em João Pessoa. Ele é suspeito de atrapalhar as investigações solicitando dinheiro aos investigados para não divulgar informações sigilosas. Segundo o blog de Matheus Leitão, do G1, o radialista também vai responder por porte ilegal de arma. Outros nove mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em João Pessoa e Bananeiras, na Paraíba. Um auditor também é investigado.

De acordo com as investigações, parte dos recursos teriam sido desviados com a participação de um auditor do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB). Ele teria recebido uma valor para atrapalhar a fiscalização nas organizações sociais.

Além disso, também com o objetivo de impedir a investigação da Operação Calvário, o radialista Fabiano Gomes estaria utilizando canais da imprensa para constranger os investigados ou potenciais investigados. Ele teria solicitado a eles uma quantia em dinheiro para não revelar nenhum conteúdo sigiloso sobre eles.

Também foram alvos de busca e apreensão o irmão do ex-governador da Paraíba, Coriolano Coutinho, acusado de ser sócio oculto do Paraíba de Prêmios (jogo de oposta); Mayara de Fátima Martins de Souza, chefe de gabinete de Estela Izabel, e secretária-geral da Cruz Vermelha Brasileira (CVB); e Denylson Oliveira Machado, um dos responsáveis pelo Paraíba de Prêmios.

G1

 

Calvário: radialista Fabiano Gomes é preso acusado de atrapalhar investigações

O radialista e empresário Fabiano Gomes é um dos alvos da 8ª Fase da Operação Calvário, da Polícia Federal, deflagrada nesta terça-feira (10). O comunicador é acusado de tentar atrapalhar investigações para obter vantagens.

De acordo com a Polícia Federal, o profissional de imprensa se valia de seus canais de comunicação para constranger investigados ou potenciais investigados da operação a lhe pagarem vantagem indevida, sob pena de revelar conteúdo sigiloso, ofendendo, por via reflexa, a honra objetiva de autoridades responsáveis pela apuração, referidas indevidamente como fontes do acesso privilegiado.

As ordens para cumprimentos dos mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidas pelo Desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba.

Ao todo, 55 policiais federais e cinco auditores da Controladoria Geral da União participaram da operação, que aconteceram nas residências dos investigados e no Tribunal de Contas do Estado da Paraíba.

 

PB Agora

 

 

DECIDIDO: radialista Nilvan Ferreira vai para o MDB e deve disputar a PMJP nas próximas eleições

Neste sábado (07), o senador e presidente estadual do MDB na Paraíba, José Maranhão, anunciou a filiação do radialista e pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Nilvan Ferreira, aos quadros da legenda.

“É com grande satisfação que eu quero trazer essa boa nova para o eleitorado, para os cidadãos paraibanos, aos pessoenses em especial; a filiação de Nilvan Ferreira. Jornalista, custo prestigio na imprensa fala sobre tudo”, disse o senador em vídeo no Instagram.

Na próxima sexta-feira (13), na sede do partido haverá um ato convocado pelo senador para a militância dar boas vindas a Nilvan.

“Com muito prazer convidamos à todos para festejarmos na próxima sexta-feira (13), a partir das 9h da manhã, na sede do MDB da Paraíba, em João Pessoa, a filiação do jornalista Nilvan Ferreira, e outras lideranças”, disse Maranhão.

Nos bastidores as especulações eram de que Nilvan iria para o PSL, já que foi visto diversas vezes com o deputado federal Julian Lemos, um dos principais nomes na sigla na Paraíba, mas a escolha do comunicador foi pelo MDB.

Em entrevista recente Maranhão já havia dito que a sigla poderia vir com um nome novo para a disputa pela PMJP.

PB Agora

 

 

‘Xeque-Mate’: ex-prefeitos, empresário e radialista viram réus por compra de mandato na PB

A Justiça da Paraíba aceitou o pedido do Ministério Público e tornou réus sete pessoas no processo que investiga a compra do mandato do ex-prefeito de Cabedelo, José Maria de Lucena Filho (Luceninha), na Operação Xeque-Mate – que desarticulou um esquema de corrupção que teria comprado o mandato do ex-prefeito por R$ 5 milhões.

Os ex-prefeitos Leto Viana e Luceninha, o empresário Roberto Santiago, o radialista Fabiano Gomes, o ex-vereador Lucas Santino, o ex-secretário Olívio Oliveira dos Santos e Fabrício Magno Marques de Melo Silva teriam comprado o mandato do então prefeito Luceninha por R$ 5 milhões.

Conforme a investigação, o aporte financeiro para compra do mandato partiu do empresário Roberto Santiago. Com a renúncia de Luceninha, Roberto Santiago e Leto Viana teriam sido beneficiados. Roberto com interesses empresariais garantidos pelo novo chefe do Executivo e Leto com a eleição ao posto de prefeito da cidade.

Ainda são citados na ação Lucas Santino da Silva, enquanto presidente da Câmara de Vereadores de Cabedelo; Olívio Oliveira dos Santos, enquanto secretário municipal de comunicação e Fabiano Gomes da Silva, responsável pelo marketing da campanha eleitoral de Luceninha.

De acordo com o processo, a pressão para a renúncia do então prefeito eleito teria acontecido em novembro de 2013 e teria sido feita por parte de empresários que financiaram a campanha dele, no sentido de reaverem o dinheiro investido no pleito eleitoral.

A juíza da 3ª Vara Mista de Cabedelo, Giovanna Lisboa Araújo de Souza, destacou que pela “compra e venda” do mandato de Luceninha houve um faturamento de, pelo menos, R$ 5,3 milhões. Deles, R$ 800 mil em espécie e R$ 1.713.000 na emissão de 18 cheques pré-datados.

O restante seria obtido através de indicações de pessoas para preenchimento de cargos públicos na Prefeitura de Cabedelo, entre os anos de 2013 e 2017, em que os salários totalizavam mensalmente o valor aproximado de R$ 70 mil, conforme demonstrativos de remunerações, trechos de delação e canhotos dos cheques acostados na inicial.

A magistrada ressaltou, ainda, que a verificação da concreta existência ou não das ações denunciadas de também o exercício da defesa por partes dos denunciados.

Operação ‘Xeque-Mate’

A operação Xeque-Mate foi deflagrada no dia 3 de abril de 2018 com objetivo de desarticular um esquema de corrupção na administração pública do município de Cabedelo, localizado na região da Grande João Pessoa. A operação moveu algumas peças na gestão da cidade e modificou, rapidamente, a administração da cidade, atingido a Prefeitura e a Câmara de Vereadores.

O grupo envolvido na operação desviou, pelo menos, R$ 30 milhões. Cerca de R$ 4,8 milhões foram utilizados em cargos fantasmas. Cada funcionário recebia até R$ 20 mil e entregava a maior parte para as autoridades locais, ficando com valores residuais.

O que dizem os citados

A defesa de Leto Viana informou que ainda não foi notificada pela Justiça e que quando tiver acesso aos autos emitirá um posicionamento oficial.

Já a defesa de Roberto Santiago disse ao G1 que embora também não tenha sido notificada, garante que ele não cometeu atos ilícitos e que terá a inocência provada no momento próprio.

Olívio Oliveira dos Santos declarou que confia “no trabalho sério do Ministério Público e da Polícia Federal”.

O G1 também tentou entrar em contato com Fabiano Gomes e José Maria de Lucena Filho. Até as 15h40, as ligações não foram atendidas. A reportagem não conseguiu contato com Lucas Santino.

G1

 

Morre o radialista Paulo Costa, da Guarabira FM

Morreu nesta segunda-feira (23) o radialista Paulo Costa, diretor da rádio Guarabira FM, Sistema Correio de Comunicação. Paulo estava bastante debilitado enfrentando sérios problemas de saúde.

De acordo com informações ele estava passando por problemas cardíacos, além de uma forte diabetes. Veterano do rádio, Paulo, além de excelente comunicador foi um dos maiores narradores esportivos do Nordeste brasileiro. Atuou como profissional na rádio Tabajara da Paraíba, chegando a ocupar o maior posto, diretor administrativo(Superintendente).

Comunicador versátil, Paulo começou sua exitosa carreira, na década de 80, na Rádio Cultura de Guarabira. Atuou de forma esplêndida no rádio, nas áreas do jornalismo, entretenimento e esporte.

portalmidia

 

 

Suspeito de matar radialista para esconder relacionamento homossexual é preso em Itaporanga

O radialista Denisvaldo Mendes Pacheco, que estava desaparecido há pelo menos 24 horas, foi encontrado morto a cerca de dois quilômetros da região central da cidade de Itaporanga, no Sertão da Paraíba, na noite da quinta-feira (29).

Nesta sexta-feira (30), a polícia capturou um homem suspeito de ter assassinado o radialista. Investigações apontam que ele teria um relacionamento amoroso com a vítima.

A polícia acrescenta ainda que o crime teria sido motivado após Denisvaldo supostamente ter feito chantagens ameaçando revelar o relacionamento. O suspeito, que é casado, teria feito ameaças à vítima através das redes sociais.

Fonte: PBAgora

 

 

PM reformado é preso suspeito de envolvimento na morte de radialista em Campina Grande

Um policial militar reformado de 50 anos de idade foi preso suspeito de envolvimento na morte do radialista Joacir Oliveira Filho, 34 anos. O crime aconteceu em maio deste ano em um restaurante no Centro de Campina Grande. O empresário Roberto Vicente Correia do Monte foi preso como autor dos disparos. Tudo foi registrado por câmeras de segurança.

O militar reformado foi preso na manhã desta terça-feira (9), enquanto trabalhava como segurança em um posto de combustíveis. A prisão dele ocorreu por força de uma mandado de prisão preventiva. Além desse mandado, o militar reformado também foi autuado por porte ilegal de arma de fogo. Ele foi flagrado com uma arma, mas com o porte vencido.

O mandado de prisão foi expedido pelo 1º Tribunal do Juri de Campina Grande e justifica a prisão para garantir que testemunhas do crime não sejam ameaçadas pelo militar reformado. Além disso, ele foi denunciado por omissão de socorro e por favorecimento pessoal.

O inquérito foi instaurado pela Delegacia de Homicídios da Polícia Civil e mostra que o militar reformado estava como motorista do empresário Roberto Vicente Correia do Monte que efetuou os tiros no dia do crime.

Depois que o empresário atira no radialista, o militar aparece ajudando o suspeito a sair do local. Nas imagens, o empresário Roberto Vicente Correia do Monte aparece aparentemente embriagado, cambaleando.

Segundo a Polícia Civil investigou, o crime ocorreu depois que o empresário e o radialista começaram a discutir por causa de um relógio. O que chamou a atenção da Polícia Civil foi que, ao se encontrarem, suspeito e vítima se abraçaram. E antes de matar o radialista, o empresário pagou a conta dele no restaurante.

G1