Arquivo da tag: quarto

Corpo de um homem foi encontrado em quarto de motel em Mamanguape

O corpo de um homem, sem vida, foi encontrado dentro de um quarto de motel na cidade de Mamanguape. O motel Planalto. O homem foi identificado pelo prenome de Diego, aproximadamente 30 anos, natural do interior de São Paulo.

De acordo com as primeiras informações, ele trabalhava na Usina Miriri, como piloto, e havia junto com outros colegas, alugado quartos no motel para suas estadias. Pela manhã, quando o amigo foi chamar o encontrou sem vida em cima da cama.

 

portalmidia

 

 

Paciente do quarto caso de malária na Paraíba recebe alta médica do Hospital Universitário

O paciente do quarto caso de malária confirmado na Paraíba, em 2019, recebeu alta médica no fim da tarde desta quarta-feira (8), de acordo com a assessoria de comunicação do Hospital Universitário (HU) de João Pessoa. O paciente foi diagnosticado no dia 2 de maio, no município do Conde, na Região Metropolitana de João Pessoa.

A malária foi identificada em um idoso, de 64 anos, que mora no bairro Village Jacumã, no Conde. Após o diagnóstico, o tratamento foi iniciado no município, mas devido a outras doenças, ele foi transferido para o Hospital Universitário Lauro Wanderley, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa.

De acordo com a assessoria do hospital, nenhum outro caso de malária está sendo tratado na unidade de saúde.

A Secretaria do Estado e a Secretaria Municipal do Conde informaram que investigam possíveis casos. Uma comissão especial foi formada com trabalhadores da Atenção Básica e Vigilância Epidemiológica da cidade para elaborar um relatório sobre o assunto, no prazo de 60 dias desde a data da descoberta da primeira paciente.

Outros três casos confirmados

O primeiro caso da doença no estado, este ano, foi constatado em uma mulher, de 35 anos, moradora do município do Conde, na Região Metropolitana da capital paraibana. Ela foi internada no mesmo hospital no dia 29 de março e, após passar por tratamento, recebeu alta no dia 9 de abril.

Já o segundo caso foi diagnosticado em um homem, de 53 anos, que deu entrada inicialmente no Hospital de Ortotrauma de Mangabeira e, depois, foi transferido para o HU no dia 5 de abril, quando exames confirmaram a suspeita. Ele mora no município de Tavares, mas trabalha no Conde, segundo a Secretaria de Estado da Saúde e a Secretaria de Saúde do Conte. Ele recebeu alta médica no dia 12 de abril.

O terceiro caso foi identificado em uma mulher, de 40 anos,moradora do bairro de Jacumã, no Conde. Ela deu entrada no HU no dia 11 de abril, quando a confirmação de malária foi feita por meio de um teste rápido, e recebeu alta no dia 22 do mesmo mês.

Malária

As secretarias chamam a atenção para os seguintes casos suspeitos:

  • toda pessoa residente ou que tenha se deslocado para área endêmica para malária, no período de 8 a 30 dias anterior à data dos primeiros sintomas, e que apresente febre alta e intermitente (periódica entre 42 a 72 horas) acompanhada ou não de cefaleia, calafrios, sudorese, cansaço ou mialgia;
  • diante da suspeita, avaliar a clínica e solicitar teste rápido para malária e/ou gota espessa (lâmina);
  • importante também investigar outras arboviroses como dengue, zika e chikungunya;

A malária não é uma doença comum no estado, mas é transmitida pela fêmea do mosquito Anopheles, que pode ser encontrado na Paraíba nas espécies An.aquasalis; An. albitarsis; An.bellator e An. Argyritarsis.

É necessário que o mosquito esteja infectado pelo protozoário Plasmodium nas espécies P. vivax, P. falciparum e P. malariae, que age na corrente sanguínea para causar a doença.

Além da transmissão por mosquito, a doença pode ser difundida por contato de uma corrente sanguínea com o sangue contaminado.

G1

 

Quarto adolescente suspeito de estupros no Geo segue foragido após quase um mês de buscas

No dia 8 de março de 2019, três adolescentes foram apreendidos suspeitos de participação de estupros dentro de um banheiro do colégio Geo Tambaú, em João Pessoa. Os supostos sexuais teriam acontecido entre janeiro e maio de 2018, contra três crianças, segundo denúncias encaminhadas à Polícia Civil e ao Ministério Público da Paraíba (MPPB). Contudo, um quarto menor ainda segue foragido e o mandado de busca e apreensão sobre ele está em aberto.

O ClickPB entrou em contato com a superintendente da Polícia Civil em João Pessoa, delegada Roberta Neiva, a qual informou que em todas as tentativas os policiais não encontraram o quarto adolescente nos endereços indicados.

O caso dos supostos estupros no colégio Geo Tambaú vieram à tona no dia 8 de março quando foram apreendidos três dos quatro adolescentes suspeitos dos abusos sexuais. A denúncia inicial foi feita por uma mãe que soube por uma professora que o filho estava indo muito ao banheiro. A educadora enviou comunicado perguntando se o menino, que tinha 8 anos na época, estava com problemas fisiológicos.

Os pais da criança denunciaram o caso à Polícia Civil e, desde maio de 2018, os detalhes do processo correm em segredo de Justiça. Depois, houve a denúncia sobre estupros de mais duas crianças.

Nesta primeira semana do mês de abril foram finalizadas as audiências de instrução do caso, no Fórum da Infância e Juventude de João Pessoa. Foram ouvidas testemunhas de defesa e acusação e as três supostas vítimas. O advogado Aécio Farias, que faz a defesa de dois dos três adolescentes, de 13 e de 17 anos, informou ao ClickPB que os menores negam envolvimento nos abusos sexuais e que as provas contra eles são frágeis. Além disso, ele aponta que o exame sexológico feito na primeira criança, ainda em maio de 2018, teve resultado negativo para indícios de abuso sexual.

O processo judicial sobre os três adolescentes já recolhidos ao Centro de Educação do Adolescente (CEA) da Capital está, até esta sexta-feira (5), na fase de alegações finais da defesa e da acusação.

Em menos de 15 dias, o juiz Luiz Augusto Souto Cantalice, do Fórum de Infância e Juventude de João Pessoa dará a sentença sobre os meninos acusados de ato infracional semelhante a estupro, como é tipificada a ação quando tratam-se de menores de idade.

 

clickpb

 

 

Empresário paraibano é encontrado morto em quarto de motel no Sertão

O empresário paraibano Marcos Guedes, dono da empresa de Laticínios Belo Vale (Isis), foi encontrado morto, na tarde desta segunda-feira (18), em um dos quartos de um motel na cidade de Sousa, Sertão do Estado.

A informação foi confirmada pela Polícia Militar de Sousa, que está no local. De acordo com as primeiras informações, Equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) estiveram no local e constataram o óbito.

O motel fica localizado na BR 230 na saída de Sousa para a cidade de Cajazeiras. O local foi isolado à espera da perícia, e serão realizados os procedimentos cabíveis ao caso e encaminhar o corpo ao NUMOL de Patos.

Diário do Sertão

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Polícia apreende corda em quarto de motel onde padre foi encontrado ferido

padre-cleverUma corda que pode ter sido usada na agressão contra o padre Cléver Geraldo de Souza, de 55 anos, encontrado ferido no quarto de um motel em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas Gerais, nesta segunda-feira, foi apreendida por agentes da Polícia Militar Rodoviária e encaminhada para perícia. A suspeita é de que ela tenha sido usada pelo suspeito de ferir o religioso, já que ele tinha marcas de enforcamento no pescoço, segundo o boletim de ocorrência da corporação.

O padre está internado no Hospital Santa Mônica, também em Divinópolis. Não há informações sobre seu estado de saúde. Em nota, a Arquidiocese local repudiou a agressão contra o padre, afirmando ainda que caberá a ele esclarecer todas as circunstâncias “do evento”.

O religioso foi achado ferido no quarto do Motel Êxtase, no bairro Jardim Real, por volta das 6h de segunda. De acordo com o depoimento de funcionários do local aos PMs, ele chegara ao estabelecimento com outro homem às 22h50m de domingo, em um automóvel modelo Siena, da marca Fiat. Depois de 40 minutos, a conta foi paga e o carro deixou o motel em alta velocidade.

No dia seguinte, por volta das 6h, uma faxineira foi até o quarto para arrumá-lo, mas encontrou a porta trancada, que só foi aberta após a chegada de um chaveiro. Os funcionários viram o padre no local, bastante ferido. Eles se ofereceram para chamar socorro e PMs, mas o padre Cléver se recusou, alegando que não querer acionar a polícia. Ele, então, pediu um táxi por telefone.

O taxista, após ver os ferimentos do padre, se recusou a fazer a corrida e alegou ter sido “convencido por funcionários do motel”, que disseram que o religioso era “um cliente antigo e de confiança”. Segundo o motorista, o religioso primeiro pediu para ir ao bairro de Ermida.

Mas no meio do caminho ele teria pedido para mudar o trajeto e ir até São Sebastião do Oeste. Lá, ainda de acordo com o taxista, o padre saltou em frente à sede da paróquia local – onde, segundo a Arquidiocese de Divinópolis, exerce a função de Administrador Paroquial. Souza, então, teria entrado na igreja e retornado com o dinheiro para pagar a corrida. Assustado, o taxista decidiu procurar a PM e relatar o caso.

A equipe da Polícia Militar Rodoviária acabou localizando padre Clever no hospital. O religioso contou que não se lembra de nada que aconteceu. Segundo o boletim de ocorrência, ele alegou que dirigia pela Rodovia MG 50 quando, ao passar por quebra-molas, foi abordado por bandidos que roubaram seu carro, um Siena. De acordo com o relato, o padre “se recorda apenas de ter reduzido a velocidade”. Além do carro, a carteira com documentos e cartões de crédito de Clever também foram levados.

O caso foi registrado na delegacia de plantão de Divinópolis.

Bispo repudia agressão

Em nota, o Bispo Diocesano de Divinópolis, Dom José Carlos Campos, repudiou a agressão e disse lamentar “imensamente notícias desta natureza, pois revelam e atraem as atenções e os ânimos sobre as mazelas dos membros da Igreja Católica. Esta não é a primeira nem será a última vez, infelizmente. Isso incomoda, mesmo sabendo que estas fraquezas estão por toda parte”.

“SOBRE OS EVENTOS ENVOLVENDO PE. CLÉVER GERALDO DE SOUSA.

Soube dos acontecimentos, como narrados pela imprensa local e segundo o BO lavrado na ocasião, estando eu numa reunião da CNBB Leste II, em Belo Horizonte, na tarde da terça-feira (07). Diante dos relatos, temos a declarar:

1) Repudiamos toda e qualquer forma de violência, independentemente de quem sejam seus autores, seus alvos e suas circunstâncias;

2) Lamentamos imensamente notícias desta natureza, pois revelam e atraem as atenções e os ânimos sobre as mazelas dos membros da Igreja Católica. Esta não é a primeira nem será a última vez, infelizmente. Isso incomoda, mesmo sabendo que estas fraquezas estão por toda parte, mas não deveriam marcar a vida de quem desejou e escolheu livremente um caminho de vida exemplar e testemunhal no seguimento de Jesus;

3) Sobre as circunstâncias, as motivações e os detalhes do evento, nada temos a dizer. Estes esclarecimentos, justificativas e informações cabem ao padre;

4) Em se tratando de comportamento comprovadamente ilícito e imoral, haveremos de tomar as medidas e aplicar as penalidades cabíveis, mas fora do ímpeto do momento, das solicitações externas e depois de ouvirmos suficientemente o padre. Certamente, o padre não estará à frente de alguma paróquia por ora. E será ajudado diante das suas demandas humanas e vocacionais.

5) Peço a todos orações pelo sacerdote e pela nossa Igreja. Que a oração de uns pelos outros nos converta a todos.

Divinópolis, 07 de fevereiro de 2017.

Dom José Carlos Campos.

Bispo Diocesano de Divinópolis-MG”.
Extra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Empresário de Guarabira morre após se jogar do quarto andar de prédio

empresário-de-guarabiraUm homem de 41 anos morreu após se jogar do quarto andar de um prédio em João Pessoa na manhã desta sexta-feira (4). A vítima era proprietário da Valtec Refrigeração, que tem sede em Guarabira.

Valdomiro Júnior teria ido a João Pessoa se submeter a exames médicos. Após a consulta, o homem se jogou do Edifício Síntese, na Avenida Dom Pedro II.

Há informações de que ele estava com depressão, no entanto, ainda não existe, oficialmente, por parte da família, uma informação que tenha levado Júnior a cometer o suicídio.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O empresário tinha filhos e era casado com com a senhora Fátima, que chegou a atuar como comerciante quando possuía uma loja de bijuterias (Criart), mas atualmente trabalha como vendedora em uma loja de móveis de Guarabira.

 

manchetepb

Bebê tem pés queimados ao ser levado de UTI para quarto de hospital

Bebê de 1 ano com queimaduras de segundo grau nos dois pés (Foto: Fernanda Aguiar/Arquivo Pessoal)
Bebê de 1 ano com queimaduras de segundo grau nos dois pés (Foto: Fernanda Aguiar/Arquivo Pessoal)

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga as circunstâncias em que um bebê de 1 ano sofreu queimaduras de segundo grau nos dois pés dentro do Hospital Brasília, no Lago Sul. Segundo a mãe, a publicitária Fernanda Aguiar, de 34 anos, o incidente aconteceu quando Miguel era transferido da UTI para o quarto, após 18 dias de internação por causa de uma otite. O menino foi levado em pé em um berço junto com uma garrafa térmica, que vazou água quente. O líquido atingiu o menino. A unidade de saúde instalou comitê interno para apurar os fatos.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A mãe afirma que uma série de erros aconteceu nos dias em que Miguel esteve internado, desde alimentação errada até má prestação de serviços. “Ele tem alergia à proteína do leite e era sempre oferecido mingau com lactose, por exemplo. Eu trazia a mamadeira de casa e não deixavam a gente esterilizar lá. Pedia todos os dias um raio X e nada era feito. Nos últimos dias, fomos descobrir que ele estava com pneumonia e que a otite tinha se agravado. Só não transferimos ele de lá porque não havia outras vagas.”

O garoto foi levado para o quarto na última quinta-feira (22). Ele tomaria os últimos antibióticos e seria liberado para tratamento em casa, na véspera da festa de aniversário do 1 ano. Fernanda e o marido, deixaram o garoto aos cuidados da avó materna para poder limpar a casa.

Após queimadura, bolhas se formaram no pé de Miguel, de 1 ano (Foto: Fernanda Aguiar/Arquivo Pessoal)Bolhas que se formaram no pé de Miguel, de 1 ano (Foto: Fernanda Aguiar/Arquivo Pessoal)

“A medicação foi feita e tudo estava correndo como previsto. Às 23h17, a minha mãe me liga, desesperada ao telefone com o nosso menino aos berros, informando que Miguel estava com os pés queimados. Eu fiquei desesperada, só pensava coisas ruins. Quando cheguei até o hospital e vi o jeito que as queimaduras estavam, entrei em choque. Ele estava desfalecido, todo molinho e suado de tanto  chorar”, conta Fernanda.

Às 23h17, a minha mãe me liga, desesperada ao telefone com o nosso menino aos berros, informando que Miguel estava com os pés queimados. Eu fiquei desesperada, só pensava coisas ruins. Quando cheguei até o hospital e vi o jeito que as queimaduras estavam, entrei em choque. Ele estava desfalecido, todo molinho e suado de tanto  chorar”
Fernanda Aguar,
mãe do bebê

Segundo a publicitária, o transporte do paciente dentro do berço é um procedimento do Hospital de Brasília. A medida ocorre porque carregar a criança no colo pode colocá-la em risco de queda. A mãe diz que Miguel foi transportado em pé, com todos os objetos pessoais – mala, sacola de brinquedos e caixa de fraldas – e a garrafa térmica.

“O berço virou um caminhão de mudanças. As coisas dele estavam há 18 dias no chão, porque não havia lugar para colocar. A garrafa térmica, que era o único jeito de esterilizar as mamadeiras, estava fervendo. A enfermeira responsável pela UTI Pediátrica autorizou e acompanhou a transferência nessas condições. Foi uma sessão de terror, erros primários que ocasionaram em queimaduras de 2° grau.”

Após o episódio, um cirurgião plástico conversou com os pais e fez curativos. Porém, segundo Fernanda, o Hospital Brasília não se pronunciou e nem pediu desculpas pelo erro. Ela registrou um boletim de ocorrência e pretende entrar na Justiça contra a empresa.

Miguel com os dois pés enfaixados (Foto: Fernanda Aguiar/Arquivo Pessoal)Miguel com os dois pés enfaixados (Foto: Fernanda Aguiar/Arquivo Pessoal)

“Ele [o hospital] me disse que as queimaduras não afetaram nenhum tecido, nenhuma articulação e que não irá comprometer os movimentos dele. Eu só queria um pedido de desculpas, um telegrama. Eles não entraram em contato comigo para nada”, lamentou.

Meu filho está de volta em casa, mas em condições que jamais pensei trazê-lo de um hospital, ainda mais sendo particular e renomado. Olho para ele e não consigo não pensar na dor que sentiu. Fico imaginando como seria bom tê-lo de volta andando e brincando”
Fernanda Aguiar,
mãe do bebê

Por nota, o Hospital de Brasília informou ao G1 que está prestando todo o atendimento para tornar a recuperação de Miguel mais breve possível. Segundo a empresa, a criança está sendo acompanhada por equipe de cirurgia plástica e permanecerá com estes cuidados até recuperação total.

“Sobre o episódio ocorrido no dia 22 de outubro nas dependências do Hospital Brasília, informamos que a criança estava internada para tratamento de uma síndrome infecciosa. No dia da alta da UTI para o apartamento ocorreu um incidente, e desde então o hospital está prestando todo o atendimento. O Hospital Brasília informa que instaurou um comitê interno para apuração dos fatos.”

A mãe de Miguel diz que a única coisa que resta é rezar para que o filho se recupere rapidamente e possa voltar a andar normalmente, sem problemas físicos. Segundo ela, mantê-lo tranquilo tem sido uma missão difícil. Ela diz que a  criança está assustada, com medo até de pessoas conhecidas e extremamente sensível.

“Meu filho está de volta em casa, mas em condições que jamais pensei trazê-lo de um hospital, ainda mais sendo particular e renomado. Olho para ele e não consigo não pensar na dor que sentiu. Fico imaginando como seria bom tê-lo de volta andando e brincando. Tenho fé que suas feridas vão curar e que Deus vai derramar suas bênçãos para que ele não fique com nenhuma cicatriz nem sequela.”

G1

Vídeo mostra momento chocante em que aluno de 11 anos pula do quarto andar de prédio escolar

Imagens do circuito interno de uma escola flagraram o momento em que um aluno saltou do quarto andar do prédio onde estuda.

O clipe mostra o exato momento em que um aluno de 11 anos pula de uma altura superior a 12 metros.

Ele aparece correndo em direção à sacada do quarto andar enquanto outros alunos podem ser vistos brincando por perto.

O incidente ocorreu em uma escola de Zhoushan, na província de Zhejiang, na China.

De acordo com relatos, a criança sobreviveu à queda e recebe tratamento médico em um hospital local.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Vídeo mostra momento chocante em que aluno pula do quarto andar de prédio escolar

Ainda não está claro o motivo que levou o estudante a se jogar do prédio.

Fonte: Mirror

Garota de programa é encontrada morta em quarto de pousada na capital

vitimaUma garota de programa foi encontrada, neste domingo (12), morta dentro de um quarto de uma pousada de João Pessoa.

De acordo com informações preliminares, a jovem apresentava sinais de estrangulamento, o que indica possível luta corporal no local.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ao ser encontrada, a garota de programa foi vista com o corpo completamente despido e caído ao lado da cama com a cabeça sobre um travesseiro.

Todos os pertences da vítima também estavam próximos ao corpo.

A Polícia está em diligência para apurar o ocorrido.

MaisPB com ClickPB

Mulher evita o estupro da própria filha ao trancar o marido dentro de quarto

Padrasto tentou abusar sexualmente da enteada em pousada da cidade (Foto: Jéssica Bitencourt / G1)
Padrasto tentou abusar sexualmente da enteada em pousada da cidade (Foto: Jéssica Bitencourt / G1)

Uma mulher salvou a própria filha, de 11 anos, de uma tentativa de estupro em São Vicente, no litoral de São Paulo, no início da noite deste domingo (6). A mulher, que é moradora de Cotia, no interior do estado, e visitava o litoral a passeio, encontrou o marido, que é padrasto da criança, tentando abusar da menina dentro de um quarto em uma pousada da cidade. O homem foi preso em flagrante.

Segundo a Polícia Civil, o rapaz estava alcoolizado e sem roupas, tentando agarrar a criança, quando foi encontrado, no início da noite, pela mulher. Aproveitando que o homem estava alcoolizado, ela conseguiu tirar a filha do quarto, trancou o rapaz no cômodo e acionou a polícia, que prendeu o suspeito sem maiores dificuldades.

Ainda de acordo com a polícia, o casal estava hospedado com cinco crianças na pousada, que fica na Avenida Padre Manoel da Nóbrega, no bairro do Itararé. A família havia alugado dois quartos para passar férias na cidade, um para o casal e o outro para as crianças.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O suspeito foi encaminhado para a Delegacia Sede da cidade, onde a ocorrência foi registrada. Ele está detido no local e será transferido, ainda nesta segunda-feira (7), para o Centro de Detenção Provisória.

Ocorrência foi registrada na Delegacia Sede de São Vicente (Foto: Jéssica Bitencourt / G1)Ocorrência foi registrada na Delegacia Sede de São Vicente (Foto: Jéssica Bitencourt / G1)
Jéssica Bitencourt