Arquivo da tag: quartas

Com show de Sheilla, Brasil bate Rússia e enfrentará a China nas quartas

O Brasil segue 100% no vôlei feminino na Rio-2016. Neste domingo (14), a equipe de José Roberto Guimarães conseguiu mais uma vitória por 3 sets a 0 (25/23, 25/20 e 25/21), dessa vez para a Rússia, e garantiu a primeira colocação do Grupo A e enfrentará a China nas quartas de final.

“Meu desafio é tentar ganhar o terceiro ouro olímpico e dentro de casa, que é a coisa mais gostosa do mundo. A gente está dando passos a caminho do tri olímpico, mas ainda falta muito”, afirmou Sheilla, ao “Sportv”.

O duelo contra as russas contou com duas novidades no time de José Roberto Guimarães. Recuperada de uma lesão na panturrilha esquerda, a meio-de-rede Thaísa fez sua primeira partida como titular na Rio-2016. Reserva por opção técnica, Jaqueline também teve algo inédito no evento: iniciou pela primeira vez um set como titular, o terceiro.

“A gente vem evoluindo a cada jogo. A nossa equipe começou com equipes inferiores à nossa, mas estamos crescendo a cada jogo. É muito importante aproveitar essas oportunidades. Quem está no banco, está entrando e fazendo seu trabalho muito bem feito”, afirmou Jaqueline, ao “Sportv”.

A partida contra a China acontecerá na terça-feira (16), às 10h (de Brasília). Já a Rússia, segunda colocada na chave, esperará o sorteio na madrugada entre os segundos e terceiros colocados para conhecer eu adversário na próxima fase.

Fê Garay mostra o caminho no primeiro set

REUTERS/Yves Herman
imagem: REUTERS/Yves Herman

Um equilibrado primeiro set teve em Fê Garay o caminho para a vitória brasileira. Atleta do Dínamo Moscou, da Rússia, a ponteira parecia saber como derrotar a seleção do país em que atua. Com seis pontos, ela conduziu o Brasil a superar a ótima atuação de Nataliya Goncharova – a russa terminou o primeiro set com set pontos anotados – e fechar em 25 a 23.

Sheilla aparece para o jogo e decide segundo set

REUTERS/Yves Herman
imagem: REUTERS/Yves Herman

No segundo set, o bloqueio brasileiro começou a funcionar, dando trabalho para as russas. Ao mesmo tempo, Sheilla iniciava o que seria um de seus melhores jogos na Rio-2016 até o momento. Bem na movimentação de passe, a oposta se mostrava efetiva também no ataque, encerrando a segunda parcial já como a maior pontuadora do Brasil na partida: 9 pontos. O bom desempenho fez com que a seleção fechasse a segunda parcial em 25 a 20.

Brasil domina o último set

Em mais uma parcial dominada por Sheilla, o Brasil teve no terceiro set o mais tranquilo de sua partida. Ao abrir seis pontos de vantagem na metade da parcial, o time de José Roberto Guimarães se manteve tranquilo no placar até 22 a 14. Nesse momento, no entanto, a Rússia ameaçou uma recuperação e diminuiu a vantagem para apenas dois pontos. No fim, o Brasil conseguiu fechar em 25 a 21. Destaque mais uma vez, Sheilla terminou com 14 pontos conquistados na parcial. Durante o set, o nome da oposta era gritado pelo público presente no Maracanãzinho.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Babi é paredão, Brasil vence mais uma e avança às quartas em primeiro

O primeiro objetivo foi cumprido na quarta-feira, com a classificação para o mata-mata. E o segundo foi plenamente estabelecido neste domingo, na Arena do Futuro. Dominando Montenegro, medalha de prata em Londres 2012 e já eliminado na Rio 2016, as meninas do Brasil venceram por 29 a 23 e confirmaram o primeiro lugar no Grupo A da Olimpíada. Com o resultado, o handebol feminino não precisa se preocupar com o jogo da Noruega, que mais tarde encara a Romênia, já que venceram as bicampeãs olímpicas na estreia e o confronto direto é o primeiro critério de desempate.

Handebol Brasil comemoração (Foto: Reuters)Jogadoras comemoram vitória com a torcida (Foto: Reuters)

Nas quartas de final, já nesta terça-feira e em busca de uma medalha inédita, o time pega o quarto colocado do Grupo B, no momento a Holanda. Com a definição da última rodada neste domingo, é bem possível que as holandesas sejam confirmadas como rivais da seleção, mas o equilíbrio extremo da competição pode colocar a Suécia, hoje terceira, também no caminho. O horário do confronto ainda será divulgado pela Rio 2016.

A vitória veio mais uma vez com grande atuação da goleira Babi e da central Ana Paula. Com uma defendendo quase 50% das bolas e a outra bem no ataque, o Brasil esteve à frente do placar em todo o duelo. Assim como fez em Londres 2012, o país encerra a primeira fase com o primeiro lugar de seu grupo e quatro vitórias em cinco duelos, confirmando o favoritismo e deixando para trás as dúvidas de quando Morten Soubak optou por ficar em uma chave considerada da “morte”, com três campeões mundiais e dois medalhistas olímpicos.

Ana Paula handebol feminino (Foto: Reuters)Ana Paula comemora mais um gol do Brasil, para desespero das montenegrinas (Foto: Reuters)

O JOGO

Eduarda handebol feminino (Foto: AP)Duda consegue bom arremesso para a seleção (Foto: AP)

Precisando de uma vitória simples para avançar ao mata-mata em primeiro, o Brasil começou o jogo acelerado, sem dar chances para Montenegro. Com cinco minutos, a seleção vencia por 5 a 1, com dois gols de Ana Paula, dois de Alê e mais um de Fernanda. Lá atrás, Babi iniciava a partida realmente como um paredão, defendendo quase tudo. Aos poucos, as montenegrinas, mesmo eliminadas, passaram a oferecer mais resistência, e diminuíram para 6 a 4 com dois gols de Mehmedovic, aos 11 minutos. Só que a força das rivais durou pouco, e com Ana Paula chegando ao terceiro gol, o Brasil voltou a colocar margem: 9 a 5.

Medalha de prata em Londres 2012, Montenegro nem de longe chegou ao Rio com a mesma qualidade técnica. Se há quatro anos já haviam perdido para o Brasil na primeira fase, a equipe europeia passou o primeiro tempo todo atrás, correndo em busca do placar. Com 25 minutos, a seleção brasileira mantinha a ponta com três gols e tinha 12 a 9. Administrando o marcador, as meninas foram para o intervalo vencendo por 12 a 10 e mais perto do primeiro lugar no grupo, o que teoricamente facilita o cruzamento nas quartas de final.

O segundo tempo não começou diferente. Mesmo girando o time e dando rodagem para jovens como Tamires, a seleção mantinha a boa vantagem e com seis minutos vencia por 16 a 12. Em contra-ataque, Fernanda recebeu de Babi e com arremesso de efeito colocou mais um de frente. Ao contrários das demais partidas, a seleção dividiu melhor os gols, e Tamires tinha três, assim como Fernanda chegava a quatro.  Lá atrás, a goleira Babi seguia fazendo defesas incríveis, como quando parou Bulatovic cara a cara. Na metade do segundo período, o time liderava por 21 a 16.

Na segunda metade do período, as montenegrinas chegaram a ensaiar uma reação, mas novamente pararam nas defesas de Babi. Cada bola que ela parava a Arena do Futuro ia ao delírio. Faltando cinco minutos para o fim do jogo, a seleção dominava tecnicamente e liderava por 26 a 22. Atropelando na reta final da partida, as meninas levantaram o público, que mais uma vez cantou “O campeão voltou”. E parece ter voltado mesmo: 29 a 23.

Fernando Handebol Brasil Montenegro (Foto: Damir Sagolj/REUTERS)Fernanda anotou quatro gols sobre Montenegro (Foto: Damir Sagolj/REUTERS)
globoesporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Furioso, Mamute faz 31 pontos e, com Bruno, bate Espanha para ir às quartas

O Mamute mostrou toda a sua fúria nas areias de Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, neste sábado. Debaixo de sol forte e com a Arena de Vôlei de Praia quase em sua lotação máxima, Alison Cerutti brilhou demais marcando 31 pontos no jogo. Ele voou em quadra para, ao lado de seu parceiro Bruno Schmidt, que cresceu no segundo set, bater a Espanha, de Herrera e Gavira, e garantir a vaga nas quartas de final da Olimpíada de 2016. Foi pelo placar de 2 a 0, parciais de 24/22 e 21/13. Ao todo, o duelo teve 43 minutos.

– Era para eu ter marcado (pontos) um pouco mais. Acabei errando muitos também. Eles não deram um saque no Bruno. Faz parte da estratégia do time adversário. Eles apostaram muito na minha deficiência do tornozelo devido ao último jogo. Mas estou sem dores. A equipe médica, de fisioterapeutas, me recuperaram e me colocaram 100% nesse jogo. Estava com muita confiança. Por causa disso, estou sem dor, estou jogando bem. Isso me deixa muito tranquilo para fazer o meu melhor – disse Alison.

Alison vibra com ponto ao lado de Bruno no volei de praia (Foto: Patrick Smith/Getty Images)Alison vibra com ponto ao lado de Bruno no volei de praia (Foto: Patrick Smith/Getty Images)

Agora, Alison e Bruno Schmidt vão aguardar o vencedor do duelo entre a parceria americana formada pelo campeão olímpico Phil Dalhausser e seu experiente parceiro Nick Lucena, e os fortes austríacos Alexander Huber e R. Seidl. Pedro Solberg e Evandro, os outros representantes brasileiros, decidem sua classificação para as quartas às 16h (de Brasília), contra os russos Liamin e Barsouk. Seus rivais serão Nicolai e Lupo, da Itália, que bateram os compatriotas Adrian Carambula e Alex Ranghieri nesta sexta-feira por 2 a 0.

Considerado um jogador de extrema força física e monstruoso no bloqueio, Alison ganhou o apelido por causa de seus atributos. Ele tem 2,03m de altura e 110kg. Além disso, fez uma tatuagem com um imenso mamute no tronco e caiu nas graças dos amantes do vôlei de praia por conta disso.

O JOGO

Bruno e Alison começaram descendo o braço. Eles foram animando os brasileiros com bons ataques e ficaram na dianteira. Schmidt levou um bloqueio dos adversários e cometeu uma falha. Assim, Herrera e Gavira conseguiram a virada. A partir daí, o que se viu foi um duelo equilibrado. Mas Alison fez toda a diferença, e o Brasil teve quatro set points. Antes do primeiro, ele deu uma cortada, e os espanhóis pediram desafio, mas a arbitragem validou o ponto brasileiro.

Bruno Schmidt e Adrian Gavira duelam no volei de praia (Foto: Patrick Smith/Getty Images)Adrian Gavira e Bruno Schmidt duelam no vôlei de praia (Foto: Patrick Smith/Getty Images)

Depois, um outro pedido de tira-teima irritou o Mamute. Herrera havia soltado uma bomba e pediu a revisão alegando que o capixaba tocou na rede, o que claramente não aconteceu. Dessa forma, a parcial terminou 24 a 22 para os donos da casa. Ao todo, o gigante de 2,03m teve 18 pontos no set de abertura, os adversários erraram três vezes, e Bruno marcou três pontos.

O segundo set começou da mesma forma que o primeiro. Os brasileiros saíram na frente, chegaram a abrir três pontos em 8 a 5, mas a Espanha equalizou o confronto. Só que, novamente, falou mais alto o talento dos brasileiros. Bruno teve um crescimento em relação ao primeiro set, e Alison manteve a mesma pegada. Assim, eles conseguiram virar. Muito tranquilos e com tudo dando certo, abriram enorme vantagem. A parcial terminou 21 a 13 no bloqueio espetacular do Mamute. No set final, o capixaba conseguiu 13 pontos, enquanto o “Mágico”, eleito melhor do mundo em 2015, conseguiu mais três, totalizando seis no jogo. Ao todo, foram oito erros de adversário na partida.

– Alison entrou com muita força, independente do que passou no último jogo. Ele entrou com muita força, muita vontade, e eu embarquei nessa. Foi muito legal. Alison cresceu muito, principalmente no final do primeiro set. A gente buscou bolas ali determinantes, e no segundo set, a gente manteve – finalizou Bruno Schmidt.

Alison e Bruno comemora ponto contra a dupla espanhol (Foto: Patrick Smith/Getty Images)Alison e Bruno comemora ponto contra a dupla espanhol (Foto: Patrick Smith/Getty Images)
globoesporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Na raça, Bellucci derrota Goffin, iguala Guga e vai pegar Nadal nas quartas

Uma campanha que já pode ser chamada de histórica. Quem olhou a chave de Thomaz Bellucci na Olimpíada deve ter pensado: “Se passar da estreia é sorte”. Mas não. O paulista, que muitas vezes é injustiçado pelo torcedor brasileiro, foi provando a cada jogo, desde o início da Rio 2016, que é possível sonhar mais alto. Depois da queda de Marcelo Melo e Bruno Soares na terça-feira, a pressão caiu ainda mais sobre Bellucci. E, nesta quinta, ele fez mais um resultado incrível. Empurrado pela torcida na Quadra 1, derrotou o favoritíssimo belga David Goffin, número 13 do mundo, por 2 sets a 0, parciais de 7/6 (12-10) e 6/4 em 1h59, e já iguala a campanha de Gustavo Kuerten, em Sydney 2000, quando caiu para o campeão Yevgeny Kafelnikov nas quartas de final da competição.

​​Thomaz Bellucci tênis olimpíada rio 2016 (Foto: REUTERS/Kevin Lamarque)Bellucci vibra ao igualar feito de Guga e aança para duelo com Nadal nas quartas (Foto: REUTERS/Kevin Lamarque)

 

Na próxima rodada, o desafio será gigantesco. Do outro lado da quadra terá o multicampeão Rafael Nadal, medalha de ouro em Pequim 2008 e que, até antes da Olimpíada, não sabia se jogaria por conta de uma lesão no punho esquerdo. O confronto acontece nesta sexta-feira, na Quadra Central do Centro Olímpico de Tênis, e quem dirá o que pode acontecer jogando mais uma vez no embalo da torcida? O brasileiro deixou a quadra nesta quinta mais uma vez ovacionado e teve seu nome gritado pela galera.

O jogo

​​Thomaz Bellucci tênis olimpíada rio 2016 (Foto: REUTERS/Kevin Lamarque)Bellucci fez um duelo emocionante contra o belga David Golffin (Foto: REUTERS/Kevin Lamarque)

A vibração do público que compareceu em peso na quadra central na noite de terça-feira não estava lá. Com muito menos gente na arquibancada por conta do horário – pouco depois de 12h – Bellucci entrou um pouco desligado contra Goffin na Quadra 1. E o belga, com um jogo muito eficiente defensivamente, contou com erros não forçados do brasileiro no início do jogo para logo fazer uma quebra no terceiro game. No quinto, seguiu incomodando e teve outros três break points. A torcida empurrou, Bellucci sacou bem e conseguiu manter o serviço, diminuindo a diferença para 3/2.

Goffin continuava melhor e teve outras duas chances de quebrar o tenista da casa, que novamente tirou forças para manter o saque e vibrar bastante no sétimo game. O problema é que o belga estava bem demais no serviço e não dava oportunidades para o brasileiro conseguir incomodá-lo. Porém, aos poucos, a torcida começava a chegar em maior número na Quadra 1 e o apoio a Bellucci crescia. Quando Goffin sacava para o set em 5/4, o canhoto do Tietê jogou bem demais e, numa bola fora do rival, conseguiu a quebra para se manter no jogo. O público foi ao delírio. Goffin voltou a conseguir o break sobre Thomaz e sacou de novo para fechar, mas o brasileiro foi bem e novamente igualou as coisas, levando para o tie-break.

E no desempate do set é que as coisas ganharam uma tensão impressionante. Foi um jogo de muita variação. Bellucci começou com mini break, Goffin devolveu e os tenistas foram disputando cada ponto como se fosse o último. A torcida ia junto com Thomaz e pressionava o belga, que passou a errar mais do que ao longo do primeiro set. Goffin foi o primeiro a ter set point em 6-5, mas Bellucci foi valente e virou o jogo, tendo a chance de fechar a parcial com 7-6. Virou drama. Cada ponto ia para um lado, o brasileiro seguia desperdiçando chances de matar o set, até que numa bola fora de Goffin, veio a vibração de Bellucci e do público. Vitória por 12-10 no tie-break.

O segundo set foi novamente de tirar o fôlego. Mas, dessa vez, porque os tenistas erravam pouco. Goffin encaixava bons saques, e Bellucci respondia na mesma moeda. No entanto, a Quadra 1 já estava praticamente lotada. A energia era totalmente favorável ao brasileiro e colocava enorme pressão sobre o belga. Bem na recepção, o canhoto do Tietê aproveitou apenas um game mal jogado pelo rival para conseguir a quebra no sétimo game, fazendo 4/3. Com o saque, Bellucci encaixou bem e abriu vantagem, com 5/3. Goffin até quis endurecer o jogo, teve o break point no 5/4, mas Bellucci novamente foi bem nos serviços e fechou o jogo num voleio curto para vibrar demais com o público após o ponto. O Brasil está nas quartas de final.

globoesporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Com volta de Thaisa, Brasil bate Japão e se garante nas quartas de final

imagem: Lucas Lima/UOL
imagem: Lucas Lima/UOL

A seleção brasileira feminina de vôlei garantiu nesta quarta-feira sua vaga para as quartas de final dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Jogando no Ginásio do Maracanãzinho pela terceira rodada do Grupo A, o time do técnico José Roberto Guimarães derrotou o Japão por 3 sets a 0 (parciais de 25/18, 25/17 e 25/22) e assegurou sua presença na próxima fase da Olimpíada.

A partida marcou a volta da central Thaísa, que havia sido poupada por precaução nos dois primeiros jogos do Brasil na Rio-2016 (vitórias por 3 sets a 0 sobre Camarões e Argentina). A camisa 6 se recuperava de uma lesão na panturrilha anterior à competição no Rio de Janeiro.

Classificada, a seleção volta a entrar em quadra na sexta-feira (12) pela quarta rodada do Grupo A. Às 22h35, mede forças com a Coreia do Sul; antes disso, às 20h30, o Japão encara a Rússia.

Léia, destaque na defesa

Se o Brasil passou com facilidade pelas japonesas, deve muito à atuação da líbero Léia. A camisa 19 se destacou na defesa e na recepção, neutralizando os ataques das adversárias e entregando a bola sem sustos para a criação de jogadas das companheiras.

Bloqueio garante Brasil no 1º set

A seleção japonesa até tentou dar trabalho no começo do primeiro set, mas não resistiu à eficiência do bloquei brasileiro – foi justamente em um bloqueio duplo de Sheilla e Fabiana que o Brasil fechou a parcial em 25/18. O lance redimiu a camisa 13, que errou dois saques ao pisar na linha.

No 2º set, Thaísa estreia

Se o bloqueio foi o ponto-chave do primeiro set, o fundamento que decidiu o segundo foi o levantamento – destaque para a distribuição de Dani Lins. Poupada até então, Thaísa entrou em quadra no fim do set, para a festa da torcida presente no Maracanãzinho. Dominante, a seleção fechou com facilidade em 25/17.

Distração quase complicou no último set

A terceira parcial poderia ter sido mais tranquila, mas as donas da casa diminuíram o ritmo, se distraíram e permitiram que as nipônicas crescessem no jogo e empatassem em 18/18. José Roberto Guimarães então apostou na saída de Fê Garay para a entrada de Jaqueline. A troca surtiu efeito e o time da casa fechou a parcial em 25/22 – justamente em um ataque de Thaísa.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Com boa campanha no Brasileirão, Belo enfrenta o Águia em busca da vaga nas quartas pela Série C

botaO Botafogo já está em Marabá (PA) desde essa sexta-feira (3), onde encara uma dura tarefa contra o Águia, em busca da classificação. Os dois times duelam neste sábado (4), às 16h, no gramado do Zinho Oliveira.

O time paraibano está em quarto lugar na tabela da Série C do Grupo A e chega à 18ª rodada, última da fase de grupos da competição, com 25 pontos. Foram seis vitórias, sete empates e quatro derrotas, só uma delas fora de casa, contra o Salgueiro.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Se ganhar, passa para as quartas, mas se empatar, vai depender de outros resultados. Nesse caso, é preciso que CRB e Cuiabá empatem, ou que o ASA perca para o Fortaleza (líder), ou ainda que o Paysandu não vença o CRAC. Sem vitória, são muitas condições difíceis.

A equipe fez o último treino na tarde dessa sexta (3) e depois voltou para o hotel em Marabá, onde está em regime de concentração e só sai do local no horário da partida.

Do outro lado, está o Águia de Marabá, que amarga o oitavo lugar na classificação, com 17 pontos, quatro vitórias, cinco empates e oito derrotas.

Apesar de não estar na ZB, o time enfrenta uma fase difícil e precisa vencer a equipe da Paraíba para a permanência na Terceirona. Se perder, vai torcer pela derrota do Treze contra o Salgueiro.

 

portalcorreio

Nos pênaltis, Botafogo-PB passa pelo Central e vai as quartas da Série D do Campeonato Brasileiro

Voz da Torcida
Voz da Torcida

O Botafogo-PB tinha uma missão difícil neste domingo (08) no Almeidão, em João Pessoa, que era vencer o central por 2 a 0, ou por três gols de diferença para conseguir se classificar para as quartas de final da Série D do Campeonato Brasileiro.

A partida começou com o time paraibano tendo mais posse de bola. Aos 9 minutos Doda fez boa jogada pela esquerda e tocou para Fausto, mas a zaga do Central afastou o perigo. Seis minutos depois, outra jogada muito parecida. Dessa vez quem desceu pelo setor canhoto foi Celico. Ele cruzou para o camisa 9, mas a linha defensiva pernambucana mais uma vez afastou o perigo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Apesar do Botafogo-PB ter mais posse de bola, o primeiro lance de perigo do jogo foi do Central. Erivelton cobrou falta com força, e obrigou Remerson a fazer grande defesa no canto direito de sua meta, aos 22 minutos. Aos 26 veio a resposta dos donos da casa. Lenílson cobrou escanteio do lado direito de ataque do Belo na cabeça de Pio. O volante apenas escorou para o gol. A bola ainda bateu no goleiro Juninho, mas morreu no fundo das redes. Belo 1 x 0.

E o gol animou o time botafoguense. Quatro minutos depois Pio cobrou falta da intermediária. Após bate-rebate, a bola sobrou para Lenílson, que de perna esquerda mandou para o gol, ampliando o placar, e naquele momento dando a vaga nas quartas de final ao Belo.

Mas no seu melhor momento da partida Lenílson acabou se contundindo após sofrer uma pancada, e acabou sendo substituído por Fábio Neves aos 35 minutos.

Com a vantagem embaixo do braço, o Bota se fechou no fim do primeiro tempo, e o Central foi para cima. Aos 41 minutos Luiz Fernando fez boa tabela com Erivelton, e saiu na cara de Remerson. Mas na hora de finalizar, o camisa 10 do time pernambucano acabou mandando a bola ao lado direito da meta botafoguense.

Segundo Tempo

A última parte dos 180 minutos do confronto começou com o Botafogo-PB tentando ampliar a vantagem. Aos 4 minutos Pio cobrou falta da intermediária, e a bola passou por cima do gol, levando perigo. Mas em seguida o jogo ficou morno, com o Bota administrando a vantagem, e o Central sem conseguir reagir.

Mas aos 19 minutos o Central cobrou falta do lado direito. Remerson falhou na saída e espalmou a bola na cabeça de Ítalo, e a bola morreu no fundo do gol do Belo. O time de Caruaru voltava a ter a vaga em suas mãos.

Com o gol sofrido, o Botafogo-PB ficou atordoado e foi para cima de qualquer maneira. Na base de chuveirinho na área, o time tentava pressionar para pelo menos fazer o terceiro gol e levar a partida para os pênaltis, mas não conseguia criar perigo. Fábio Neves e Pio ainda tentaram chutar de fora da área algumas vezes, mas sem assustar o goleiro Juninho.

E em mais uma bola parada, a pressão do Botafogo-PB surtiu efeito. Aos 37 minutos, Pio cobrou falta da direita. Mario, que havia entrado na vaga de Everton, desviou de cabeça e fez o terceiro gol do Belo na partida. E com o resultado, a partida foi para os pênaltis.

Pênaltis

Nas cobranças o Botafogo-PB ganhou mais um ídolo no gol. Após Genivaldo, Remerson assumiu o papel de herói do time ao defender a penalidade de Andrezinho. Pio, Mario, Ferreira, Fábio Neves e Fausto converteram suas cobranças, e o Botafogo-PB agora espera o vencedor do confronto entre Tiradentes-CE e Sergipe para enfrentar nas quartas de final da Série D.

Caso passe da próxima fase, o Belo já garante vaga na Série C de 2014.

 

 

Voz da Torcida

Olimpia vence o Tigre e pega o Flu nas quartas da Taça Libertadores

Depois de perder a partida de ida por 2 a 1, na Argentina, o Olimpia se recuperou, dominou completamente o Tigre nesta quinta-feira e venceu por 2 a 0, no estádio Defensores del Chaco, em Assunção. Com o resultado, o time paraguaio e se classificou para enfrentar o Fluminense nas quartas de final da Taça Libertadores. Os gols foram marcados por Bareiro, que chegou a seis e assumiu a liderança da artilharia da competição, ao lado de Jô, do Atlético-MG, e Paparatto (contra).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Com a classificação do Olimpia, o Fluminense, que fez campanha inferior na fase de grupos, receberá o time paraguaio em São Januário na próxima semana, ainda em data a ser confirmada pela Conmebol, e depois viaja a Assunção para decidir a vaga nas semifinais.

Freddy Bareiro comemoração Olimpia Tigre (Foto: EFE)Bareiro é abraçado por Ortiz e Miranda após abrir o placar para o Olimpia (Foto: EFE)

O Olimpia entrou em campo precisando da vitória e foi recebido com um belo mosaico feito por sua apaixonada torcida nas arquibancadas. O time paraguaio logo assumiu o controle das ações, com bom entendimento na frente entre Bareiro e Salgueiro e escapadas perigosas em jogadas pelas pontas.

As principais chances surgiram de cruzamentos na área, e o goleiro Javier García precisou fazer grande defesa para impedir o gol na melhor jogada paraguaia, em cabeçada à queima-roupa de Bareiro. O Tigre se postou mais atrás, tentando administrar a vantagem conseguida em casa e em busca dos contra-ataques. Os argentinos, no entanto, não encontravam espaço na defesa do Olimpia e só ameaçaram no fim da etapa inicial, em cabeçada de Leguizamón que Martin Silva conseguiu salvar.

No segundo tempo, o técnico Ever Almeira reforçou ainda mais a estratégia de cruzamentos na área com a entrada do grandalhão Juan Ferreyra no comando do ataque paraguaio. O resultado não demorou a aparecer e Bareiro abriu o placar aos sete minutos, aproveitando uma bola rebatida pela defesa argentina. Mesmo já com o resultado suficiente para a classificação em mãos, o Olimpia seguiu forçando e ampliou em outra jogada pelo alto, em gol contra de Paparatto após grande confusão com Ortiz na pequena área. Só então o Tigre se lançou mais ao ataque, mas esbarrou na defesa do Olimpia, que conseguiu segurar o resultado e garantir a classificação.

 

 

Globoesporte.com

Ex-árbitro turco afirma que sorteio das quartas da Liga dos Campeões foi armado

ahmetO livro do futebol teve mais um capítulo polêmico escrito. O ex-árbitro turco Ahmet Çakar, atualmente comentarista esportivo em um canal de televisão no seu país, afirmou que o sorteio das quartas de final da Liga dos Campeões da Europa , realizado no último dia 15, não passou de uma grande farsa da Uefa.


De acordo com Çakar, a entidade máxima do futebol europeu, querendo ‘preservar’ os grandes clubes do continente, evitou que estes se enfrentassem, algo que pode explicar o confronto entre Real Madrid, nove vezes campeão da Champions League , e Galatasaray, que só ostenta um título da Liga Europa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

E a suposta armação também foi detalhada por Çakar: durante a cerimônia, sediada na cidade de Nyon (Suíça), as bolinhas que levavam os nomes dos times “vibravam” e orientavam a ordem de retirada, definindo os jogos da próxima fase da competição continental segundo os interesses da Uefa.

Durante o programa Beyaz Futbol, do canal de televisão turco Beyaz, Çakar reproduziu a cerimônia das quartas de final e, curiosamente, sorteou as mesmas partidas marcadas para os dias 2, 3, 9 e 10 de abril. Além de Real e Galatasaray, Borussia, Málaga, PSG, Barça, Bayern e Juve estão na fase.

Uma das teses de Çakar é a de que os duelos sorteados durante a cerimônia oficial foram os mesmos do ensaio. A Uefa ainda não se pronunciou sobre o caso.

Matthew Stockman/Getty Images

Bolinhas no sorteio da Liga dos Campeões
iG

ALPB extingue 14º e 15º para deputados e fará esforço concentrado nas terças e quartas

As reuniões das comissões da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) serão realizadas nas segundas-feiras e as votações de matérias ocorrerão nas terças e quartas-feiras. Haverá esforço concentrado até o final do ano nos dois dias de votações. As decisões foram tomadas nessa terça-feira (21), durante reunião com os deputados estaduais realizada no Hotel VerdeGreen, em João Pessoa.

Os parlamentares se reuniram para discutir assuntos de interesse da Casa, como votação de matérias, reunião de comissões e realização de sessões. O novo Regimento Interno da ALPB também foi tema de discussão. A matéria será analisada na próxima segunda-feira (26) pelo Colegiado de Líderes para ser encaminhada à votação em plenário ainda este ano.

Outro assunto abordado foi a questão do 14º e 15º salários. Ficou acordado que os benefícios serão extintos a partir do próximo ano em conformidade com a resolução que será votada em plenário nos próximos dias.

O presidente da Casa, deputado Ricardo Marcelo (PEN), avaliou a reunião como positiva e disse que até o dia 20 de dezembro todas as matérias serão votadas. Ele informou ainda que os vetos do Poder Executivo aos projetos de Lei e emendas dos deputados à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que disciplina o Orçamento do Estado para 2013, irão para votação nesta quarta-feira (22).

Além do presidente, participaram da reunião os deputados: Edmilson Soares (PEN), Arnaldo Monteiro (PSC), Frei Anastácio (PT), Anísio Maia (PT), Trocolli Júnior (PMDB), Caio Roberto (PR), Eva Gouveia (PSD), Gilma Germano (PPS), Branco Mendes (PEN), André Gadelha (PMDB), Aníbal Marcolino (PEN), Domiciano Cabral (Democratas), José Aldemir (PEN), Guilherme Almeida (PSC), Hervázio Bezerra (PSDB), Janduhy Carneiro (PEN), João Gonçalves (PEN), João Henriques (Democratas), Léa Toscano (PSB), Vituriano de Abreu (PSC), Wilson Braga (PSD), Reginaldo Pereira (PRP) e Doda de Tião (PPL).

Da Redação (com Assessoria)
WSCOM Online