Arquivo da tag: quartas

Confira os duelos das quartas de final da Copa do Brasil: clássico mineiro é o destaque

O sorteio dos confrontos das quartas de final da Copa do Brasil colocou Atlético-MG e Cruzeiro frente a frente. Os dois times vão se enfrentar por uma vaga nas semifinais da competição nas semanas dos dias 10 e 17 de julho. Não houve direcionamento, e os oito times classificados para esta fase poderiam se enfrentar.

Taça da Copa do Brasil — Foto: João Guerra

Taça da Copa do Brasil — Foto: João Guerra

Confira abaixo os duelos dessa fase da competição:

  • Bahia* x Grêmio
  • Atlético-MG* x Cruzeiro
  • Athletico-PR x Flamengo*
  • Palmeiras x Internacional*
    *Terão o mando de campo no jogo de volta

– Muito respeito pelo nosso grande rival, já vivendo a expectativa de muitas emoções para essa partida. É um mata-mata importante, e passando nos credencia para uma final da Copa do Brasil. Acredito que nosso jogo será no Independência, mas vamos esperar a decisão do presidente – afirmou Marques, diretor de futebol do Atlético-MG.

O Atlético-MG mandará seu jogo no Independência, e o Cruzeiro receberá o jogo de ida no Mineirão.

– Estávamos esperando, era uma possibilidade e vamos nos preparar da melhor maneira possível. Há uma rivalidade grande entre torcidas e clubes. Prepara para chegar nas semifinais – disse Marcelo Djian, diretor de futebol do Cruzeiro.

Flamengo e Athletico-PR reeditarão a final da Copa do Brasil de 2013, quando o clube carioca conquistou seu terceiro título da competição. Único time oriundo da primeira fase ainda vivo, o Bahia terá pela frente o Grêmio. Líder invicto do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras pegará o Internacional.

* Estagiário supervisionado por Thales Soares

GE

 

Belo vence Sampaio Corrêa por 1×0 e garante vaga nas quartas de final

Com gol de Marcos Aurélio, o Botafogo venceu o Sampaio Corrêa-MA por 1×0 pela penúltima rodada da primeira fase da Copa do Nordeste neste domingo (24), no Almeidão. O Belo segue na liderança isolada do grupo B e garante a vaga para as quartas de final do campeonato.

O time de Evaristo Piza entrou em campo com Saulo, Israel, Willian Goiano, Lula e Fábio Alves; Rogério, Welington Cézar, Marcos Vinícius, Clayton e Marcos Aurélio; Nando.

Já o time maranhense jogou cumprindo tabela e poupou Edgar, Eloir e Samurai, indo a campo com Rodrigo Carvalho, Wanderson, Odair, Vitor Salvador e Patric Calmon; Dedé, Patrick Mota, Medina, Lucas Gabriel e Yann; Ulisses.

Primeiro tempo

O Belo dominou o Sampaio nos primeiros 45 minutos e abriu o placar com Marcos Aurélio após falha da defesa e raça de Marcus Vinícius. Aos 28′, o meia tomou a bola de Odair, invadiu a área e tocou voltando para Marcos Aurélio, que chutou no canto e abriu o placar.

Se a arbitragem não tivesse anulado o gol do atacante Nando aos 36′, o Belo teria terminado o primeiro tempo ganhando de 2×0. No Almeidão, a torcida cobrou, dizendo que o impedimento marcado foi errado.

Segundo tempo

Em jogo morno no segundo tempo, o Belo errou muitos passes e o Sampaio tentou equilibrar as jogadas. A emoção para a torcida de casa começou aos 25′, com Marcos Aurélio lançando Clayton. O camisa 7 do Belo tocou no meio muito forte e por pouco Nando não fez 2×0.

Com gol de Marcos Aurélio, o Botafogo venceu por 1×0 pela penúltima rodada da primeira fase. O Belo segue na liderança isolada do grupo B e garante a vaga para as quartas de final do campeonato.

 

(Foto: Divulgação/ Paulo Cavalcanti)

portalcorreio

 

 

São Paulo bate Ituano com gols de Igor Gomes e larga na frente nas quartas

São Paulo saiu em vantagem na briga por uma vaga nas semifinais do Campeonato Paulista. Realizando sua melhor apresentação nesta temporada, o time de Vagner Mancini derrotou o Ituano por 2 a 1, neste domingo, no Morumbi.

O meio-campista Igor Gomes foi o destaque da partida com dois gols, um em cada tempo. O garoto de 20 anos, revelado nas categorias de base do clube, ainda não havia marcado na equipe profissional. Morato diminuiu para o Ituano no final do confronto.

Os dois times voltam a se enfrentar na quarta-feira, 19h15, no estádio Novelli Júnior, em Itu. O São Paulo avança às semifinais com uma vitória ou um empate. A vaga será decidida nos pênaltis se o Ituano vencer por um gol de diferença, independentemente do placar.

Nos cinco jogos que fez em seu estádio neste Paulistão, o time de Vinicius Bergantin soma quatro vitórias (São Bento, Santos, Mirassol e Guarani) e uma derrota, para o Novorizontino, na primeira rodada.

Foi a primeira vitória do São Paulo nesta temporada jogando no Morumbi. Até então, o clube havia atuado duas vezes em seu estádio e acumulado dois empates por 0 a 0: Talleres (Libertadores) e Red Bull (Paulista).

O JOGO

São Paulo e Ituano fizeram um primeiro tempo equilibrado, movimentado, com propósitos bem definidos. O time de Mancini, mandante, se impôs e procurou o gol desde o início. A equipe do interior optou por uma postura mais defensiva e saídas rápidas no contra-ataque, que deram trabalho ao quarteto defensivo são-paulino.

Conseguindo infiltração com certa frequência na defesa do Ituano, o São Paulo optava ora por tentar chegar ao gol pelo centro, mais congestionado, ora alternava pelas laterais.

E foi em uma jogada pela lateral esquerda que o São Paulo chegou ao gol e abriu o placar. Aos 32, Reinaldo cruzou e encontrou Igor Gomes na área. O jovem, até então discreto na partida, apareceu entre os zagueiros do Ituano e finalizou de primeira, marcando um belo gol, seu primeiro como jogador profissional.

Após o gol o São Paulo pressionou em busca do segundo. O Ituano caiu, encontrou dificuldades em marcar o adversário e não conseguiu mais sair com perigo nos contra-ataques. Aos 42, Everton Felipe perdeu grande chance de ampliar, depois de receber ótimo passe de Antony e sair sozinho com o goleiro Pegorari, mas finalizou mal.

No segundo tempo o São Paulo manteve a postura ofensiva e, mesmo em vantagem no placar, recebeu orientação do técnico para continuar no ataque em busca do segundo gol. A estratégia deu espaços para o Ituano, que quase empatou aos 4 minutos, depois que Morato acertou um chute no ângulo, obrigando Volpi a fazer bela defesa.

Aos 15 minutos, o São Paulo se aproveitou de uma falha na saída de bola da zaga do Ituano e ampliou o placar. Everton Felipe recebeu passe de Antony, chutou forte, Pegorari deu rebote e Igor Gomes, novamente, empurrou para as redes. O São Paulo ainda esteve próximo do terceiro gol, depois que Reinaldo acertou a trave de Pegorari com um chute da entrada da área.

Nos minutos finais, o Ituano diminuiu o placar e voltou a dar esperanças para sua torcida no jogo de volta. Aos 38 minutos, Paulinho Dias cobrou escanteio, Morato apareceu livre na pequena na área e desviou de cabeça, marcando seu sexto gol neste Paulistão. Ex-jogador do São Paulo entre 2017 e 2018, o atacante optou por uma comemoração discreta contra o ex-clube.

Ficha Técnica

São Paulo 2 x 1 Ituano

Gols: Igor Gomes, aos 32 minutos do 1º tempo e aos 15 do 2º tempo; Morato, aos 38 minutos do 2º tempo.

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Hudson, Bruno Alves, Anderson Martins e Reinaldo; Luan, Liziero (Léo) e Igor Gomes (Everton); Everton Felipe (Brenner), Antony e Pablo. Técnico: Vagner Mancini.

ITUANO: Pegorari; Jonas, Ricardo Silva, Léo Santos e Peri; Baralhas, Corrêa (Paulinho Dias) e Marcos Serrato (Bassani); Ramon (Gui Mendes), Morato e Martinelli. Técnico: Vinicius Bergantin.

Juiz: José Claudio Rocha Filho.

Cartões Amarelos: Bassani, Morato e Antony.

Renda: R$ 511.098,00.

Público: 18.573 pagantes.

Local: Morumbi, em São Paulo (SP).

 

Estadão

 

 

Botafogo vence novamente o Nacional e vai às quartas da Liberta

Festa do início ao fim. O Botafogo fez valer a vantagem obtida no primeiro jogo, fez dois logo no início da partida da noite desta quinta-feira, no Nilton Santos, e se garantiu nas quartas de final. Eliminado, coube ao Nacional-URU provocar grande confusão no gramado e a torcida visitante quebrar cadeiras do estádio. O próximo rival do Glorioso na Copa Libertadores é o Grêmio.

Pouco antes do apito inicial, do teto do estádio caíram, como chuva, tiras de papel preteado. De dois lados da arquibancada, mosaicos incentivavam os jogadores alvinegros aos som dos fogos. E a barulheira mal tinha acabado quando a euforia tomou conta do estádio. Dois minutos de jogo, João Paulo cobra escanteio e Bruno Silva, sozinho, devia para o gol. Vantagem ampliada.

E como se alguém tivesse dito que a festa precisava continuar, ela continuou: aos cinco minutos, Rogel recuou mal e Rodrigo Pimpão, de carrinho, chegou antes do goleiro Conde. Enquanto a bola ultrapassava linha para o 2 a 0, a torcida já celebrava.

Apesar da necessidade de atacar, o Nacional não conseguia se articular. Pelo contrário, tirou um volante, pôs outro centroavante, mas foi o Glorioso quem voltou a ter chance. Aos 31, Pimpão puxou contra-ataque e passou para Roger. O toque de primeira deixaria Rodrigo LIndoso sozinho com o goleiro, mas Polenta se antecipou.

Os visitantes precisavam de um gol o mais rapidamente possível. Por isso impuseram uma verdadeira blitz em torno da área de Gatito Fernández nos dez primeiros minutos do segundo tempo. O Alvinegro, entretanto, resistiu.

E a partir dos 14, a equipe passou a contragolpear. Numa dessas aparições no ataque, João Paulo cobrou falta, Roger desviou e Carli disputou no alto. Mas fora marcado o impedimento do argentino.

Aos poucos, o ímpeto uruguaio foi diminuindo. Na mesma medida, o público presente foi se empolgando e começando a puxar coros. Aos 23, o Nacional até conseguiu assustar. Mas Gatito parou com o peito a finalização de Viudez.

Daí para o final, o Alvinegro criou chances de todo modo, mas já animava a torcida, que começou a cantar “olé”. O espírito esportivo passou longe de Aguirre e companhia, que, a cada ataque, davam uma pancada. Houve confusão no campo, Victor Luís e três uruguaios expulsos, e muitas cadeiras quebradas pela torcida visitante. Mas festa alvinegra!

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 2 X 0 NACIONAL-URU 

Data/hora: 10/8/2017, às 19h15
Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Assistentes: Wilmar Navarro (COL) e John Alexander León (COL)
Cartões amarelos: Matheus Fernandes, Dudu Cearense, João Paulo, Roger, Arismendi, Silveira, Rodríguez, Ramírez
Cartão vermelho: Polenta, Rodríguez Aguirre e Victor Luís
Gols: Bruno Silva, aos 2’/1ºT e Rodrigo Pimpão, aos 5’/1ºT
Renda e público: R$2.470.795,00/36.133 pagantes

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Luis Ricardo, Carli, Igor Rabello e Victor Luís; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, Matheus Fernandes (Dudu Cearense, 30’/2ºT) e João Paulo; Rodrigo Pimpão (Guilherme, 20’/2ºT) e Roger – Técnico: Jair Ventura.

NACIONAL-URU: Conde, Fucile (Barcia, 25’/2ºT) , Rogel, Polenta e Espino; González (Silveira, 34’/1ºT), Arismendi e Rodríguez; Viudez, Aguirre e Fernández (Ramírez, Intervalo) – Técnico: Martín Lasarte.

Rodrigo Pimpão foi um dos heróis alvinegros na noite desta quinta-feira (Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
Rodrigo Pimpão foi um dos heróis alvinegros na noite desta quinta-feira (Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Foto: LANCE!

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Botafogo-SP e Corinthians empatam pelas quartas do Paulista

Foto: LANCE!
Foto: LANCE!

Emoção, diversas oportunidades e passes certos, movimentações táticas surpreendente, times agressivos, futebol vistoso, substituições produtivas… em jogaço no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, Botafogo-SP e Corinthians ficaram no empate em 0 a 0 pela ida das quartas de final do Campeonato Paulista. Com tamanha qualidade dos dois lados, era improvável que só um saísse vencedor. Tudo isso em pleno dia… primeiro de abril.

No Dia da Mentira, a única verdade do parágrafo acima é o resultado. Porque o jogo foi chato, arrastado, com poucas finalizações certas, muitos erros técnicos e falta de produtividade dos dois lados. A expectativa por futebol de verdade é no duelo de volta, no próximo dia 9, na Arena Corinthians, que decidirá um dos semifinalistas do Estadual.

O primeiro tempo da partida correu em ritmo sonolento. Os donos da casa até tentaram algumas soluções nos primeiros minutos de bola rolando, especialmente em erros de passe da defesa do Corinthians, mas não conseguiram passar por Cássio. Foi só no finzinho da etapa que os torcedores puderam sentir alguma emoção: Jô recebeu de Jadson e cruzou na área para Maycon, que viu Bileu salvar Neneca. No contra-ataque, Balbuena levou a melhor em dividida dentro da área do Timão.

O Corinthians tinha dificuldades claras, especialmente para criar chances. O time de Fabio Carille tinha mais posse de bola que o de Moacir Júnior, mas era um domínio absolutamente improdutivo: quase 10% de passes errados, muita demora entre a recuperação da posse de bola e o início do ataque e pouco uso das laterais e das costas da marcação. Reativo, o Botafogo também não mostrou muita qualidade na hora das conclusões.

Por pelo menos dez minutos, o segundo tempo deu impressão que ia ser melhor que o primeiro. Arana afastou uma chance do Botafogo pela linha de fundo, Cássio fez uma defesaça em cabeceio de Filipe, Francis assustou em batida da entrada da área e Romero retribuiu após enfiada de Jô. Depois destes quatro lances, o jogo voltou ao normal: uma chatice.

Romero perdeu chances, Marcão perdeu chances, Clayton e Bernando entraram pra tentar algo, mas… nada de gol. Era decisão de verdade, mas o futebol foi de mentira.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO-SP 0 X 0 CORINTHIANS

Local : Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP)
Data : 1/4/17 – 18h30
Árbitro : Flávio Rodrigues de Souza
Assistentes : Hernan Brumel Vani e Mauro André de Freitas
Público/renda : não disponíveis
Cartões amarelos : Gualberto, Rafael Bastos (Botafogo-SP); Jadson (Corinthians)

BOTAFOGO-SP : Neneca, Samuel Santos, Filipe (Matheus Mancini – 38’/2ºT), Gualberto e Fernandinho; Bileu, Marcão Silva, Diego Pituca e Rafael Bastos (Bernardo – 46’/2ºT); Francis (wesley – 28’/2ºT) e Marcão.Técnico : Moacir Júnior.

CORINTHIANS : Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel e Camacho (Clayton – 25’/2ºT); Romero (Léo Jabá – 37’/2ºT), Jadson e Maycon; Jô. Técnico : Fabio Carille.

Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Ponte bate Santos e fica em vantagem nas quartas do Paulista

A Ponte Preta saiu na frente na disputa pela semifinal do Campeonato Paulista. Pressionando nos minutos iniciais e contando com a lentidão do Santos, a Macaca venceu por 1 a 0, com gol do artilheiro William Pottker, na tarde deste sábado, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, e assegurou a vantagem para o duelo de volta contra os santistas.

Willian Pottker (C), jogador da Ponte Preta, comemora seu gol durante a primeira partida contra o Santos FC, válida pelas quartas de final do Campeonato Paulista 2017.
Willian Pottker (C), jogador da Ponte Preta, comemora seu gol durante a primeira partida contra o Santos FC, válida pelas quartas de final do Campeonato Paulista 2017.

Foto: Ale Cabral/ Agif/Gazeta Press

Com a vitória, a Macaca precisa somente de um empate no jogo de volta para alcançar a classificação às semifinais do Paulistão. O Santos, por sua vez, se vê obrigado a vencer por dois gols de diferença para conquistar a vaga direta. Caso o alvinegro vença por apenas um gol, o confronto será decidido na disputa de pênaltis.

As duas equipes voltam a se enfrentar apenas no próximo dia 10, uma segunda-feira às 20h (de Brasília), no Pacaembu.

Ponte começa em cima e abre o placar

O duelo começou movimentado no Moisés Lucarelli, com as duas equipes buscando o ataque. Porém, a Ponte rapidamente dominou as ações e teve a primeira grande oportunidade com o artilheiro William Pottker. Aos 6 minutos, o atacante aproveitou indecisão de David Braz e Lucas Veríssimo para avançar dentro da área e encobrir o goleiro Vanderlei. A bola até tocou na rede, mas pelo lado de fora.

Logo na sequência, Clayson deu lindo drible em Jean Mota e cruzou para Pottker. Mas antes da redonda chegar no centroavante, Lucas Veríssimo antecipou-se e salvou o alvinegro.

Mesmo após sofrer com duas oportunidades claras, o Santos não conseguia achar os espaços no meio de campo e sofria com a velocidade do time de Campinas. E foi justamente em uma jogada rápida que a Ponte abriu o placar.

Aos 20 minutos, Clayson lançou para Nino Paraíba dentro da área. Aproveitando-se da marcação atrasada da defesa santista, o lateral tocou para Pottker apenas empurrar para o fundo das redes e deixar a Macaca na frente.

O tento ‘acordou’ a equipe comandada por Dorival Júnior, que chegou duas vezes após os 30 minutos. A primeira chance foi com Ricardo Oliveira. O centroavante recebeu de Bruno Henrique dentro da área. Livre, ele soltou uma bomba, que parou nas mãos de Aranha.

No lance seguinte, Vitor Bueno tentou cruzamento pela esquerda e a bola desviou no defensor da Ponte. Porém, lá estava Aranha, que no reflexo, fez outra bela defesa e impediu o empate santista no primeiro tempo.

Peixe melhora, mas não alcança empate

Após Vitor Bueno passar a etapa inicial apagado e com a equipe sofrendo pelo lado esquerdo, o técnico Dorival Júnior resolveu tirar o camisa 7 para promover a entrada de Copete. A mudança surtiu efeito nos minutos iniciais e o Santos voltou do intervalo ligeiramente melhor que a Ponte.

Aos cinco minutos, o colombiano avançou pela esquerda, driblou Fernando Bob e cruzou para Ricardo Oliveira. O centroavante bateu de primeira, mas a bola foi alta demais e passou por cima do gol de Aranha.

Apesar do domínio no meio, o alvinegro não conseguia traduzir o melhor momento em chances claras de gol. A Ponte Preta, por sua vez, apostava nos contra-ataques e quase ampliou o marcador em uma jogada dessas. Aos 17 minutos, David Braz falhou e deixou Pottker completamente livre para cabecear. O goleiro Vanderlei pegou, mas deu rebote e o atacante encheu o pé. A bola bateu em cheio no rosto do camisa 1 e foi afastada na sequência.

Depois da grande chance desperdiçada, a Macaca diminuiu o ritmo novamente e apenas esperava o Santos no campo de defesa. Os comandados de Dorival Júnior, porém, seguiram sem conseguir assustar o goleiro Aranha e o duelo terminou mesmo com a triunfo da Ponte em Campinas.

FICHA TÉCNICA

PONTE PRETA 1 X 0 SANTOS

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)

Data: 01 de abril de 2017, sábado

Horário: 15h (de Brasília)

Árbitro: Salim Fende Chavez

Assistentes: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa e Bruno Salgado Rizo

Público: 11.545

Renda: R$ 227.280,00

Cartões amarelos: PONTE PRETA: Jadson e Fernando Bob.

GOLS:

PONTE PRETA: William Pottker, aos 20 do 1ºT;

PONTE PRETA: Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Yago e Reynaldo; Fernando Bob, Elton e Jadson (Renato Cajá); Clayson, Lucca (Wendel) e Pottker (Lins).

Técnico: Gilson Kleina

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato (Rafael Longuine), Thiago Maia e Lucas Lima; Bruno Henrique, Vitor Bueno (Copete) e Ricardo Oliveira (Kayke).

Técnico: Dorival Júnior

Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Inter volta a jogar mal, perde para o Fortaleza, mas vai às quartas

jogoO Internacional voltou a jogar pouco, perdeu de novo, mas se classificou às quartas de final da Copa do Brasil. O algoz desta vez foi o Fortaleza, na Arena Castelão. Como venceu o jogo de ida por 3 a 0, o time gaúcho garantiu avanço mesmo sendo batido por 1 a 0, gol de Daniel Sobralense, nesta quinta-feira (22).

Se a vaga veio, o futebol não. Com time misto, o Inter foi dominado pelo Fortaleza durante todo o jogo. Praticamente não criou chances e escapou de derrota pior graças a falta de pontaria e a trave.

Classificado, o Inter se junta a Cruzeiro, Corinthians, Palmeiras, Santos, Atlético-MG e Grêmio. Nesta sexta-feira, na sede da CBF, serão sorteados os confrontos da próxima fase.

Quem brilhou: Daniel Sobralense faz gol e lidera

O camisa 10 do Fortaleza foi o destaque da partida. Substituído na metade do segundo tempo, provavelmente por questão física, foi o autor do gol do encontro e ajudou a criar as melhores chances dos donos da casa. Com boa tomada de decisão, aproveitou a marcação falha e os diversos espaços concedidos para crescer perto da área do Inter.

Quem foi bem: Danilo Fernandes faz grande defesa e evita o pior

O goleiro do Inter não teve culpa no gol do Fortaleza, também não foi brilhante, mas ajudou a evitar um placar pior no Castelão. No segundo tempo, o camisa 1 saltou alto e espalmou após conclusão forte de dentro da área. A intervenção plástica foi a melhor coisa no time gaúcho em todo o jogo.

Quem fracassou: Paulão volta a errar e compromete

A fase do zagueiro pode resumir o momento do Inter. Antigo capitão, o camisa 25 empilhou falhas técnicas. Erros de posicionamento. E no lance do gol, Paulão se equivocou ao sair do lugar e tentar corte. O resultado? Sobrou espaço.

Alex volta a ser lateral e não resolve

Alex chegou ao Beira-Rio como lateral esquerdo, em 2004. Virou titular, dois anos depois, já como meia. Em Fortaleza, o camisa 12 foi deslocado para atuar de novo na função dos primórdios de sua carreira. Se agregou ofensividade, ele deixou um corredor aberto para o time adversário explorar. A saída foi deslocar outro jogador, ora Seijas, ora Ferrareis, para cobrir. E a atuação dele pelo flanco não ajudou o Inter a ser mais criativo.

Fortaleza domina, mas peca nas finalizações

No primeiro jogo sem Marquinhos Santos, que aceitou proposta do Figueirense, o Fortaleza manteve a base. Hemerson Maria estreou mandando o time para cima e a pressão rendeu amplo domínio. Chances em sequência. Faltou pontaria e calma para aproveitar um adversário desencontrado, exposto e sem nenhuma capacidade de reação.

Inter afunda sem dinâmica e escapa do pior

Inúmeros erros individuais, técnicos, e uma série de falhas coletivas. Sem nenhuma dinâmica, em reflexo das diversas trocas, o Inter ficou dependente de um lampejo para criar. Seijas até deixou Ferrareis livre, mas ele errou na hora de concluir. A escalação de Anderson não rendeu controle no meio-campo e a defesa ficou exposta durante boa parte do jogo.

FICHA TÉCNICA
FORTALEZA 1 X 0 INTERNACIONAL

Data: 22/09/2016 (quinta-feira)
Local: estádio Castelão, em Fortaleza (CE)
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP)
Auxiliares: Anderson Coelho e Bruno Rizo (ambos de SP)
Cartões amarelos: Fernando Bob (INT)
Gol: Daniel Sobralense, aos 14 minutos do primeiro tempo (FOR)

FORTALEZA: Ricardo Berna; Felipe, Lima, Edimar e Wilian Simões; Juliano, Corrêa, Daniel Sobralense (João Paulo) e Everton (Ronaldo); Juninho (Pio) e Anselmo
Técnico: Hemerson Maria

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; Ceará (William), Paulão, Eduardo e Alex; Fernando Bob, Fabinho, Anderson (Eduardo Sasha), Gustavo Ferrareis e Seijas; Brenner (Aylon)
Técnico: Celso Roth

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Corinthians elimina Fluminense, vai às quartas da Copa BR e ameniza crise

O Corinthians conseguiu um belo respiro para sair da crise. Com o placar de 1 a 0, a equipe paulista eliminou o Fluminense nesta quarta-feira (21), em Itaquera, e passou das oitavas de final da Copa do Brasil depois do empate por 1 a 1 na ida. O gol foi feito por Rodriguinho. O adversário da próxima fase será definido em sorteio nesta sexta-feira.

O detalhe é que o time carioca teve três gols anulados. Dois deles no primeiro tempo e um terceiro com Marcos Junior, no segundo tempo. Vale destacar que as imagens da televisão mostraram que o árbitro Rodolpho Toski Marques e seus auxiliares acertaram nas decisões. Os tricolores ainda reclamam de um pênalti não marcado em Cícero.

O resultado acalma os corintianos, que vivem uma semana conturbada desde sábado, após a derrota por 2 a 0 para o Palmeiras que resultou na demissão de Cristóvão Borges. Horas antes da bola rolar, inclusive, torcedores foram à sede social alvinegra para novo protesto.

Primeiro tempo frio

Como se não bastasse o frio na Arena em Itaquera, o primeiro tempo apresentou um nível técnico fraco, com as equipes criando bem pouco. O Fluminense balançou as redes duas vezes do Corinthians, com jogadas aéreas, mas em ambas as ocasiões o auxiliar marcou impedimento.  Pelos donos da casa, o único “uh” vindo da torcida também veio de cruzamento, com Balbuena cabeceando bola à esquerda do goleiro.

Fluminense tem terceiro gol anulado

Levir Culpi resolveu mudar o seu ataque em busca de um gol que daria a classificação às quartas de final. O técnico tirou Wellington e colocou Richarlison e deu certo. A equipe carioca passou a dominar o jogo, especialmente atuando pelas duas pontas. Em uma delas, chegou a balançar as redes com Marcos Júnior, mas a arbitragem flagrou novamente um impedimento.

Primeira chance corintiana aos 21 minutos

Depois de ser muito pressionado no início do segundo tempo e de não criar boa chance no primeiro tempo, o Corinthians resolveu dominar o Fluminense durante 10 minutos. Dos 20 aos 30 minutos, a equipe alvinegra teve quatro boas chances. Em duas delas, Júlio César conseguiu parar Romero e Marlone. Em outra, Arana driblou três adversários, mas errou na hora de finalizar. O único que conseguiu balançar as redes foi Rodriguinho, que recebeu passe de Giovanni Augusto e abriu o placar.

Fluminense fica com um a menos

Aos 40 minutos do segundo tempo, a situação do Fluminense ficou ainda mais difícil. Depois de cometer falta em Fagner, Marquinho começou a reclamar com o árbitro Rodolpho Toski Marques e levou cartão amarelo. Mesmo assim, o meia seguiu gesticulando e viu o segundo cartão, sendo expulso de campo.

Carille quase não senta

Rubens Cavallari/Folhapress

Fábio Carille fez duas grandes mudanças em relação ao trabalho de Cristóvão. Apesar de manter o esquema usado algumas vezes pelo ex-técnico, ele optou por colocar Cristian e Lucca na reserva. Durante o jogo, o técnico quase não saía da beira do campo e não parava de orientar seus jogadores. Em todo momento, também conversava com seus companheiros por novas opções.

Ousadia e alegria

O primeiro tempo teve pouco para atrair a atenção do torcedor. O lance mais plástico da partida, curiosamente, partiu dos pés de Júlio César. O goleiro recebeu passe e não deu o tradicional chutão para se livrar da bola. Ele preferiu dar bonito drible e deixar Romero na saudade.

Público baixo e restaurante fechado

A Arena Corinthians recebeu o segundo pior público de sua história: 20.614 pagantes. Conhecida por ser a torcida mais fiel, os corintianos começaram a sentir a má fase de sua equipe. A expectativa por conta da venda de ingressos era tão baixa que até mesmo os restaurantes do setor oeste da arena ficaram fechados.

Reencontro

Corinthians e Fluminense voltam a se encontrar neste domingo, às 16h, novamente em Itaquera. Desta vez, no entanto, o jogo vale pelo Campeonato Brasileiro. As duas equipes precisam da vitória para uma aproximação do G-4.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS X FLUMINENSE

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 21 de setembro de 2016, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Assistentes:  Bruno Boschillia e Ivan Carlos Bohn (ambos do PR)
Público total: 20.999 (20.614 pagantes)
Renda bruta: R$ 1.103.889.50

Cartões amarelos: Cícero, para o Fluminense
Cartão vermelho: Marquinho, para o Fluminense
Gols:

CORINTHIANS: Cássio; Fágner, Yago, Balbuena e Arana; Camacho (Cristian); Rodriguinho, Marlone, Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto (Willians); Romero
Técnico: Fábio Carille

FLUMINENSE: Julio Cesar; Wellington Silva, Gum, Henrique e William Matheus; Pierre (Marquinho), Douglas, Cícero e Gustavo Scarpa; Wellington (Richarlison) e Marcos Junior (Magno Alves)
Técnico: Levir Culpi

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Botafogo-PB empata com o Fortaleza e garante vaga nas quartas de final da Série C

Isis Vilarim/Portal Correio
Isis Vilarim/Portal Correio

Numa missão não muito complicada, o Botafogo-PB carimbou sua classificação para as quartas de final da Série C do Campeonato Brasileiro, na noite deste domingo (18). O alvinegro empatou em 0 a 0 com o Fortaleza, no Estádio Almeidão, em João Pessoa. No mata-mata, o Belo vai encarar o Boa Esporte.

No primeiro tempo, o Belo manteve maior posse de bola, mas foram do Fortaleza as chances mais efetivas de gol. A equipe paraibana parecia sem definição de jogadas e cometia muitos erros. A primeira oportunidade clara de abrir o placar do time da casa só surgiu aos 34 minutos, em bomba rasteira lançada de fora da área por Raphael Luz.

O Botafogo-PB tentou botar pressão nos últimos minutos, mas o ímpeto acabou fazendo Jefferson Recife e Marcelo Xavier levarem cartão amarelo após faltas em Pio e Leandro Lima.

No segundo tempo, o Belo voltou mais cansado, com ritmo de jogo inferior ao da primeira etapa. A situação fez o Fortaleza crescer e dominar a posse de bola. Apesar disso, os paraibanos tiveram boa chance aos 19 minutos, em jogada de Marcinho, mas esbarrou em boa defesa do Fortaleza. Aos 32 e aos 36, mais oportunidades perdidas, com Marcinho e Warley.

O gol não saiu, mas a classificação do Botafogo-PB já era praticamente certa depois do bom desempenho na primeira fase. O time terminou em terceiro lugar no Grupo A, com 28 pontos.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Brasil supera desconfiança, vence a França e está nas quartas do vôlei

imagem: REUTERS/Edgard Garrido
imagem: REUTERS/Edgard Garrido

Era o tudo ou nada no Maracanãzinho. Se perdesse para a França, a seleção brasileira de vôlei masculino seria eliminada ainda na primeira fase da Rio-2016. Contando com a empolgação da torcida e boas atuações de Lipe e Wallace, o time de Bernardinho espantou a má fase e fechou o jogo em 3 sets a 1.

Troca traz resultado no primeiro set

Em um primeiro set equilibrado, a seleção brasileira teve dificuldades para conter o saque de Le Roux no início da parcial. Foi apenas no 17º ponto que o time de Bernardinho conseguiu assumir a liderança do marcador. E não permitiu uma reação francesa. Contando com a eficiência de Wallace no saque e no ataque (terminou com quatro pontos), além do bom bloqueio de Maurício Souza, a seleção brasileira conseguiu fechar o primeiro set em 25 a 22.

Maurício Souza, inclusive, foi uma aposta do técnico Bernardinho. Depois de duas derrotas, o treinador mexeu na equipe e escalou o central no lugar de Lipe. A mudança já havia sido testada durante a partida contra a Itália.

Wallace aparece mais uma vez, mas França que leva

Assim como aconteceu no primeiro set, a seleção brasileira teve em Wallace seu melhor jogador na segunda parcial. Mais uma vez eficiente no ataque, o oposto terminou o set com sete pontos anotados. Como tática para tentar a virada, o levantador Bruninho em todo instante procurava Wallace em seus ataques.

Do outro lado, no entanto, Kevin Tillie fazia a diferença para os franceses. Com cinco pontos, ele foi fundamental na vitória da França por 25 a 22.

Vibração marca o terceiro set

A animação brasileira fez a diferença na terceira parcial. A cada ponto conquistado, os jogadores vibravam muito. No 18º ponto, quando o Brasil abriu três pontos de vantagem, Lipe saiu correndo atrás de Serginho para abraçá-lo no fundo da quadra. A animação contagiou o público presente no Maracanãzinho, que passou a gritar ainda mais. O time de Bernardinho fechou o set em 25 a 20.

Brasil se recupera no quarto set

Precisando vencer o set para evitar a eliminação, a França chegou a abrir três pontos de vantagem para o Brasil na metade da parcial (13 a 10). O nervosismo francês, aliado aos dois pontos consecutivos de Wallace, recolocou a seleção brasileira na partida. Os sucessivos erros, porém, impediam que o Brasil conseguisse o ponto do empate. E assim foi até a parte final: França abria dois pontos de vantagem e o time de Bernardinho conseguia reduzir um. No momento decisivo, no entanto, o empate veio: 23 a 23. A partir daí, a seleção brasileira assumiu a liderança do placar e fechou em 25 a 23.

Lucarelli sofre com os toques na rede

Durante os dois primeiros sets, um ponto dissonante da seleção brasileira era Lucarelli. Constantemente, o ponta sofria com os toques na rede em seus ataques. Em apenas um set e meio, o jogador havia cometido a mesma falta em quatro oportunidades. No quarto set, depois de mais um toque na rede, o ponta chegou a levar uma bronca de Lipe. Apesar do erro, Lucarelli entrou mais na segunda parte da partida e encerrou com 13 pontos anotados.

O saque que era problema vira solução

Na última edição da Liga Mundial, o Brasil encontrou problemas para trabalhar o passe quando o saque vinha forte. Na Rio-2016, a dificuldade se repetiu nos jogos contra Estados Unidos e Itália. Precisando da vitória para se manter na competição, o time de Bernardinho transformou o problema em solução. Apostando bastante no saque viagem, a seleção brasileira deixou a França com dificuldades na recepção – no terceiro set, Wallace encaixou um saque de 110km/h. O destaque foi Lipe. Mesmo sem começar como titular, o ponteiro entrou e conseguiu dois aces, além do grande desempenho no saque.

Torcida empurra seleção e explode com ouro no atletismo

Durante o terceiro set da partida, a torcida presente no Maracanãzinho explodiu em festa. A comemoração, porém, não tinha a ver com algum ponto anotado pela seleção brasileira. O motivo era a medalha de ouro que Thiago Braz acabara de conquistar no salto com vara.

A torcida brasileira, que chegou a entoar coros de “o campeão voltou”, ainda contou com a presença de algumas celebridades. Os atores Bianca Rinaldi e Thiago Lacerda, o cantor Thiaguinho, o piloto Cacá Bueno acompanharam a vitória do Brasil. Também presente no Maracanãzinho, mas provavelmente na torcida pela França, seu país, estava o nadador Florent Manaudou, medalha de prata nos 50m livre.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br