Arquivo da tag: qualificação

Secretaria de Saúde de Solânea promove “Projeto de Educação Permanente” para qualificação dos profissionais da saúde

Com objetivo de proporcionar mais qualificação para os profissionais na área da saúde do município, o Governo de Solânea através da Secretaria de Saúde, deu inicio nesta quinta-feira (10), ao “Projeto de Educação Permanente” no Cine Teatro Jacob Soares. O Projeto ocorrerá todas as quintas-feiras deste mês e nas duas últimas quintas de novembro, e abordará  assuntos direcionados a cada setor da secretaria de saúde, com temáticas diferentes a cada encontro.

Nesta quinta, participaram da capacitação os profissionais que compõem a Rede de Atenção em Saúde do Município de Solânea: Agentes de Saúde, dentistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, médicos e técnicos de saúde bucal. “Esse é o momento de refletir sobre as melhorias para que os profissionais voltem ao trabalho de forma aperfeiçoada. Com isso, melhora a assistência prestada a nossa população”, avaliou o prefeito Kayser Rocha.

Durante o treinamento, o Secretário de Saúde de Solânea, João Rocha, falou da importância dessa capacitação. “A partir do momento em que o profissional tem uma orientação diferenciada, tudo isso vai refletir num atendimento de qualidade aos nossos usuários”, defendeu. Os temas abordados durante os encontros de capacitação serão: Territorialização e cartografia em saúde, saúde mental, saúde bucal, saúde da criança, saúde do adulto, saúde da mulher e acolhimento em saúde. A palestrante deste primeiro dia de treinamento, Lucileide Braga é enfermeira de formação, Mestre de Atenção em Saúde e professora universitária da Faculdade FCM.

 

 Assessoria de Comunicação

 

Supermercado Rei da Economia investe em qualificação para oferecer melhores produtos e atendimento

O supermercado Rei da Economia da Rede Paraíba tem trabalhado a cada dia para oferecer um melhor serviço a seus clientes. Além de preços competitivos, a qualificação de seus profissionais tem sido uma constante no estabelecimento.

O foco da vez tem sido o frigorifico do supermercado, além das melhorias no espaço a profissionalização dos funcionários tem sido a meta. Através da empresa Alfa, o Rei da Economia está realizando um curso de capacitação de seus profissionais na área de manipulação de alimentos, ministrado pelo Professor Waltemberg, Especialista em Manipulação de Alimentos. O objetivo é garantir a higiene e a qualidade da carne oferecida no estabelecimento.

O proprietário do Rei da Economia, Mazinho, destacou a importância desse curso. “O que nós almejamos é sempre oferecer o melhor ao nosso cliente e, após conhecer o trabalho do professor Waltemberg, fiz questão de trazer esse curso para nossos funcionários por saber a importância de manter o padrão de qualidade e garantir também as exigências dos órgãos fiscalizadores”, ressaltou.

Já o professor Waltemberg disse que essa é uma necessidade de todos os estabelecimentos comerciais e que esse curso oferece todas as especificações exigidas para um tratamento adequado aos alimentos perecíveis.

Assista ao vídeo e veja algumas orientações do professor Waltemberg.

Redação FN

 

 

Unesco: Brasil não vê educação como instrumento de qualificação de vida

Arquivo/Agência Brasil
Arquivo/Agência Brasil

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) lançou esta semana o Relatório de Monitoramento Global da Educação 2016, com o tema “Educação para as Pessoas e o Planeta: criar futuros sustentáveis para todos”.

Segundo o estudo, é preciso mudar a maneira como a educação é pensada, pois ela, muito além de apenas transferir conhecimentos, tem a responsabilidade de fomentar os tipos certos de habilidades, atitudes e comportamentos que levarão ao crescimento sustentável e inclusivo.

Relatório da Unesco diz que Brasil ainda não vê educação como forma de qualificação de vida das pessoas Arquivo/Agência Brasil

De acordo com a coordenadora de Educação da Unesco no Brasil, Rebeca Otero, o Brasil é claramente um país que precisa repensar esse papel da educação. “No Brasil, vemos mais uma educação focada em determinados conteúdos, no Enem [Exame Nacional do Ensino Médio] e na prova de entrada da universidade, e os currículos pautados apenas pelos livros didáticos. Não se vê a educação como esse instrumento de qualificação da vida das pessoas”, disse.

Ela explicou que a educação deve ser baseada em quatro pilares: aprender a conhecer, a fazer, a ser e a viver juntos. “É bastante importante que seja assim porque, nesse sentido, as pessoas ganham autonomia, podem aprender e se desenvolver”, disse. “Projetos que dizem respeito a não ter uma discussão em termos de troca de ideia, que não promovam a autonomia de pensamento, não pode ser educação. É fundamental que haja liberdade, que as pessoas exponham suas ideias e que sejam respeitadas”, completou.

O relatório da Unesco indica que o acesso amplo e igualitário à educação de boa qualidade ajuda a manter práticas e instituições democráticas. Além disso, níveis melhores de alfabetização responderam pela metade das transições para regimes democráticos entre 1870 e 2000.

Desenvolvimento sustentável

O relatório da Unesco vai monitorar o objetivo global de educação da Agenda de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. A Agenda 2030 traz os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o plano de ação e as 169 metas prioritárias que devem ser alcançadas pelos países-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) até 2030.

A nova agenda, segundo Otero, traz a relação a ser alcançada para o desenvolvimento sustentável, a preservação do planeta e a qualidade de vida das pessoas, e coloca a educação como carro-chefe para alcançar todos os outros objetivos.

Segundo o estudo, nos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, quase 40% dos estudantes de 15 anos de idade têm apenas conhecimentos básicos sobre temas ambientais; no Brasil, Uruguai, México e na Argentina, esse índice sobe para mais de 60%. Segundo Otero, são conhecimentos dos aspectos de preservação do planeta, de reciclagem de materiais, não poluição, atitudes que levam as pessoas a preservar um pouco mais.

“A questão ambiental e de desenvolvimento sustentável é uma agenda positiva e deve ser inserida nos currículos”, disse Otero, frisando que o Brasil conta experiências nesse sentido, iniciativas específicas de municípios, mas ainda não tem uma política pública nacional relacionada ao desenvolvimento sustentável. “Por exemplo, será que nossos jovens estudantes estão atentos ao desmatamento e as consequências que isso traz para a própria vida? A educação tem que começar a evoluir para além do seu escopo e nessa nova agenda isso vai ser bem pautado”, disse.

Escolas devem auxiliar alunos

O relatório da Unesco lançado hoje diz que as escolas devem ajudar os alunos a entender determinado problema ambiental, suas consequências e os tipos de ação necessários para combatê-lo.

Segundo o estudo, o tema tem sido cada vez mais incorporado ao currículo escolar formal; análises de currículos de 78 países mostram que 55% usam o termo “ecologia” e 47% “educação ambiental”.

Qualificação profissional

Segundo o relatório, diferenças na qualidade do sistema educacional ajudam a explicar o “milagre” econômico do leste asiático e as “décadas perdidas” na América Latina.

“Para que os países prosperem, é fundamental que haja investimento em educação secundária e terciária [ensino médio e superior] de qualidade. Se for para a educação continuar a conduzir o crescimento, ela deverá acompanhar a rápida mudança do mundo do trabalho”, diz o relatório, já que a tecnologia aumentou a demanda por trabalhadores “altamente” qualificados e diminuiu a demanda por trabalhos de habilidades intermediárias, que são mais facilmente automatizadas.

Entretanto, o relatório aponta que a maioria dos sistemas educacionais não acompanha a demanda do mercado e, até 2020, o mundo poderá ter um déficit de 40 milhões de trabalhadores com ensino superior e um excesso de 95 milhões de trabalhadores com níveis educacionais mais básicos.

“A pobreza é, de longe, a maior barreira à educação. Entre jovens com idades entre 20 a 24 anos, em 101 países de renda baixa e média, os mais pobres têm, em média, cinco anos menos de escolarização do que os ricos; a lacuna é de 2,6 anos entre moradores de áreas urbanas e rurais e 1,1 entre mulheres e homens”, diz o relatório.

No caminho inverso, segundo a Unesco, a educação reduz a pobreza ao aumentar as chances de encontrar trabalhos decentes e salários adequados, além de ajudar a acabar com as lacunas salariais de gênero, status socioeconômico e pautadas em outras bases de discriminação.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Paraíba fica entre os 8 piores estados no ranking da qualificação de professores

EscolasDos 27 estados do Brasil, a Paraíba ocupa 20º posição no ranking dos estados onde os professores estão melhor preparados dentro de sala de aula. A cada quatro professores brasileiros, um não possui diploma de graduação. A formação dos professores de nível básico – que dão aulas para turmas do ciclo infantil, fundamental e médio – varia, ainda, de estado para estado. Na salas de aula paraibanas apenas 24,7 dos professores tem pós graduação.

64,9% dos professores da Paraíba possuem curso superior e entre estes, 50,8% atuam na área a qual se formaram. No estado vizinho, o Rio Grande Norte, 72,8% tem diploma superior e 25,8% possui pós graduação. o RN está na 14ª posição do ranking.

Enquanto no Distrito Federal 91% deles são graduados e 38,5% fizeram pós-graduação, no Maranhão só metade terminou a faculdade e menos de um quinto prosseguiu com os estudos

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Melhorar a formação dos professores é apenas um dos desafios que o governo deve enfrentar para tirar do papel o Plano Nacional de Educação (PNE). O documento, que completou um ano nessa quinta-feira, prevê metas a ser alcançadas na área da educação até o final de 2024.

Uma delas é que, até lá, 10% do PIB brasileiro seja destinado para programas educacionais como Fies e o ProUni, para a criação e manutenção de escolas e para a melhoria das condições de trabalho dos professores. Com o corte recente de 9,42 bilhões de reais da verba do Ministério da Educação para este ano, surgem dúvidas se todas as metas serão cumpridas até o final do prazo.

O ranking acima mostra em quais estados os professores estão mais preparados para a sala de aula. Ele foi organizado a partir dos dados de docentes com ensino superior completo começando pelos estados com os maiores percentuais.

Estão disponíveis também informações sobre professores que são pós-graduados e os que atuam na mesma área em que se formaram. Os dados, referentes a 2013, são do Ministério da Educação e aparecem no Anuário Brasileiro da Educação Básica 2015, organizado pelo movimento Todos pela Educação.

 

 

(com Exame)

Seminário reúne secretários municipais de saúde para qualificação da gestão do SUS

susO I Seminário Gílson Carvalho para Qualificação da Gestão do SUS na Paraíba começa neste domingo (24) e segue até o próximo dia 27, no Garden Hotel, em Campina Grande. O evento começa às 8h, com atividades durante todo o dia. Às 19h haverá a abertura oficial, com a palestra do secretário de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, o paraibano André Bonifácio. O nome do seminário é em homenagem ao pediatra Gilson Carvalho, um dos idealizadores do SUS, que morreu recentemente.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O evento é uma promoção do Conselho de Secretarias Municipais da Paraíba (Cosems), em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, Ministério da Saúde e Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS)/ Organização Mundial de Saúde (OMS) e reunirá os secretários de saúde de todos os 223 municípios paraibanos.

“O seminário foi pensado com o objetivo de capacitar os gestores da saúde pública para que sejam garantidas ações de um SUS acessível, integral e com mais qualidade”, disse a presidenta do Cosems, Soraya Galdino.

De acordo com a programação, durante os quatro dias do evento serão debatidos temas como planejamento integrado na Paraíba; as responsabilidades da gestão municipal; rede cegonha, rede psicossocial, rede de urgência, assistência farmacêutica e vigilância em saúde, por palestrantes do Ministério da Saúde, Conass e Cosems de outros estados.

Programação

Dia 24 – 8h às 12h

Mesa 1: Planejamento integrado – capacitação da gestão através da apropriação dos instrumentos de gestão – RENASES, RENAME, PGASS, plano municipal e relatório de gestão

Palestrante: Lourdes Almeida – Conass

Marcos da Silveira Franco – Conasems

Dorian Chimsmarzaro – SGEP/MS

Marcos Elizeu Marinho – PPI/MS

13h às 17h

Roda de conversa: planejamento integrado na Paraíba

19h às 21h (Abertura oficial)

Mesa de abertura: as responsabilidades da gestão municipal

– O gestor e a gestão do SUS, a SES e o Cosems

– O gestor e o decreto nº 7.508

– O gestor e o modelo assistencial e as redes de atenção

Palestrante: André Bonifácio

Dia 25 – 8h às 12h

Mesa 2: Regionalização da Saúde e Gestão Compartilhada –critérios, construção e funcionamento das regiões de saúde e das Comissões Intergestores Regionais de Saúde – CIR

Palestrante: Lourdes Almeida – Conass

Willames Freire – presidente Cosems/CE

Isabel Senra – SGEP/MS

13h às 17h

Roda de conversa: 16 Regiões de saúde, avaliação e monitoramento

Dia 26 – 8h às 12h

Mesa 3: Redes de atenção – processo de pactuação: rede cegonha, rede psicossocial, rede de urgência, assistência farmacêutica e vigilância em saúde

Palestrante: Eugenio Vilaça – Conass

Mario Guimarães Junqueira – presidente Cosems/MG

Jorge Harada – Segep/MS

Waldson Dias de Sousa – secretário de Estado da Saúde da Paraíba

13h às 17h

Roda de conversa: as redes de atenção na Paraíba: desafios e conquistas.

Dia 27 – 8h às 12h

Mesa 4: Lei Complementar 141/11 – aspectos jurídicos, gestão orçamentária e financeira dos fundos de saúde, judicialização

Palestrante: Leni Santos – Conasems

Fernanda Terrazas – assessora jurídica Conasems

Marcos Coelho de Salles – Fórum Nacional de Saúde/PB

Joellygton Santos – SES Maceió (AL)

13h às 17h

Roda de conversa: os impactos da implementação da Lei nº 141 na Paraíba – Fundo Municipal de Saúde – leis e diretrizes,transferências de recursos / SUS


Secom/PB

Trocolli Júnior discute qualificação de cuidadores de dependentes químicos com reitora da UFPB

 

margareth_trocoliUma parceria que pode transformar a forma de cuidar de dependentes químicos na Paraíba. Preocupado com o alto índice de consumo de droga no estado, principalmente o crack, o deputado estadual Trocolli Júnior (PMDB) se reuniu nessa sexta-feira (12) com a reitora da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Margareth Diniz, para discutir um projeto desenvolvido pela instituição que vai qualificar cuidadores de dependentes químicos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Nós temos qualificação para pessoas que cuidam de crianças, de idosos, de pessoas com necessidades especiais, mas não temos essa preparação para os que vão cuidar de dependentes de drogas e um projeto como esse desenvolvido pela UFPB é muito importante para o tratamento desses dependentes”, afirmou Trocolli.

 

O parlamentar apresentou à reitora Margareth os números do crack na Paraíba que, atualmente, tem 35 mil usuários de droga. Desse total, 62% dos dependentes são crianças e adolescentes com idade entre 10 e 18 anos. Significa que 21,7 mil jovens paraibanos já estiveram em contato com o crack, sendo que 8,7 mil usuários têm entre 10 e 14 anos de idade e outros 13 mil estão na faixa etária dos 14 aos 18 anos. Além disso, 80% dos crimes violentos ocorridos no estado é uma consequência do uso da droga. Os dados são do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas (Cebrid).

 

A professora Margareth Diniz também demonstrou-se preocupada com os índices alarmantes de dependência química na Paraíba e informou ao parlamentar que a UFPB está formando uma equipe de cuidadores desses dependentes que atuará justamente no auxílio a essas pessoas.

 

Segundo a Reitora, a equipe está sendo formada pelo Serviço de Atenção à Saúde do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba (SAS/CCS/UFPB), e cumprirá, quando concluída sua formação, uma das principais atividades da universidade pública no país que é a extensão.

 

O projeto alegrou Trocolli Júnior que há 11 anos vem encabeçando as discussões em torno do problema. O deputado ressaltou que preparar pessoas para cuidar de dependentes de drogas é algo que vai trazer melhorias para o tratamento do vício das drogas.

 

Assessoria do deputado Trocolli Júnior com informações da assessoria da UFPB

 

 


Assessoria de imprensa

Abertas inscrições para cursos de qualificação na área de Turismo

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e a Empresa Paraibana de Turismo (PBTur) firmaram uma parceria para a implementação do ‘Projeto de Capacitação da Cadeia Produtiva da Hospitalidade nos Municípios do Litoral Paraibano’. A parceria visa promover cursos de capacitação para qualificar a mão de obra dos profissionais e prestadores de serviço nas áreas de hospitalidade, recepcionista de hotel e noções básicas de garçom. As inscrições podem ser feitas na sede da PBTur, em Tambaú, no setor de Planejamento pelo telefone 3214.8103 ou e-mails planejamento.pbtur@gmail.com e cibellecc@hotmail.com.

Os cursos terão início na próxima segunda-feira (22), no auditório da PBTur e serão ministrados pelos alunos concluintes do Curso de Hotelaria da UFPB – Campus de Mamanguape. Os certificados serão fornecidos pela instituição federal.

De acordo com a consultora de Planejamento da PBTur, Débora Luna, o curso é voltado para os policiais da Companhia Especializada de Atendimento ao Turista (Ceatur e Deatur), taxistas, condutores de veículos de turismo e buggueiros. Luna informa que os recepcionistas de hotéis cadastrados na ABIH, secção Paraíba, ou no Cadastur, além de garçons e demais atuantes na área de hospitalidade também têm direito a fazer a qualificação.

Cursos – Os primeiros cursos que estão sendo oferecidos são: Noções Básicas de Garçom, nas segundas-férias, a partir do dia 22; Recepcionista de Hotel, nas terças-feiras, tendo início no dia 23; e duas turmas de Hospitalidade 1 e 2, sendo que a primeira começando na próxima quarta-feira (24) e a segunda a definir a data. Todos os cursos serão ministrados das 18h30 às 22h30, quatro horas por turno, totalizando 16 horas, e turmas com no máximo 25 alunos.

Secom-PB